In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


JOÃO GUIMARÃES COM O MELHOR RESULTADO

 

João Guimarães com melhor resultado da época na Penha

 

No encerramento da temporada de 2014, João Guimarães levou o Peugeot 206 RC ao pódio absoluto do Campeonato Nacional de Montanha. Rampa da Penha ficou marcada pelo incêndio no carro de outro concorrente mas João Guimarães aconselha uma análise rigorosa à situação.

 

O Nacional de Montanha regressou à minhota Rampa da Penha no passado fim-de-semana e João Guimarães conseguiu o melhor resultado da temporada, terminando no terceiro lugar da geral absoluta, sendo ainda segundo na Categoria 1 e vencedor do Grupo A desta categoria.

“Foi um resultado melhor do eu imaginava antes da prova. Sabia que o primeiro lugar do Grupo A estava ao meu alcance mas o terceiro da geral não estava nas contas, atendendo às performances de outros carros. É certo que beneficiei do abandono do meu irmão com problemas de caixa e também do que aconteceu com o Joaquim Rino. Acho que fechei a época com chave de ouro e este resultado também traduz as melhorias feitas no carro. Queria agradecer a todos os patrocinadores pelo apoio ao longo do ano – nomeadamente ao município do Peso da Régua, à Adega Favaios, PHNE technical assistence, Fisioponte – Clínica Médica, e Nuno Pinto – aos mecânicos da A. Miranda Competição, à minha família e a todos amigos que ajudaram nesta época”, afirmou o piloto do Peso da Régua.

Quanto ao incêndio no BRC de Joaquim Rino que marcou a prova na Penha, João Guimarães faz uma análise pragmática. “Foi algo triste de se ver e é preciso analisar primeiro de quem foi a falha: da organização ou da empresa que carrega os extintores. Agora, que houve uma falha grande na resposta a uma situação grave, isso houve. Tem que se apurar responsabilidades e acho que a Federação também devia fazer uma inspeção às organizações e a todos os elementos de segurança nas provas, tal como faz aos carros e pilotos, obrigando que estes tenham todos os elementos de segurança em conformidade. Vamos esperar para ver”, referiu João Guimarães.10689836 725950604156773_5996013093859283611_n_CopyDSC 9142_Copy

 

SMART COM GLOBAL TRAINING

 

smart com “Global Training” em Lisboa
A smart irá realizar em Portugal, entre os dias 28 de outubro e 29 de novembro, a maior formação a nível internacional levada a cabo pela marca para as equipas comerciais. Por períodos de dois dias, 2.280 participantes irão invadir a capital lisboeta para receberem formação dos novos produtos da Marca, entre eles o novo smart fortwo e o novo smart forfour.
Aproximadamente 144 formadores divididos por 6 grupos e oriundos de vários países irão assegurar a formação das equipas comerciais de cada país, que contará aproximadamente com 2.280 colaboradores no Hotel Myriad by Sana – Parque das Nações. Este evento irá trazer certamente um enorme retorno para região de Lisboa, dada a sua dimensão e necessidades de alojamento.
Ao longo de 2 dias, todas as equipas comerciais irão conhecer em primeira mão os novos produtos através de ensaios dinâmicos, bem como formação teórica ao nível de produto.
Em termos logísticos, a smart contará com cerca de 50 Colaboradores para preparar e receber as equipas comerciais de cada país, incluindo uma frota de 130 unidades para testes estáticos e dinâmicos. Para além destes números, teremos de adicionar aproximadamente 55 formadores oriundos dos vários países que assegurarão toda a formação neste “smart Global Training”.
Informação de imprensa
smart fortwo_forfour_1_Copysmart fortwo_forfour_2_Copy
Com um conjunto de detalhes inovadores e novas cores, a nova geração smart fortwo e forfour que irá ser lançada no mercado Português já no final de novembro, com preços de comercialização muito apelativos e que seguramente garantem mais diversão na cidade por tão pouco.
A smart apela tanto para o coração como para a mente. Um idioma expressivo que personifica a pura alegria de viver, irá assim continuar a surpreender-nos não só com modelos inovadores mas também com toda a alegria e diversão pertencente a esta marca.
Recordamos que Lisboa foi também recentemente a cidade escolhida para a filmagem dos semáforos dançantes de uma forma bastante humorada e divertida. Já no Porto, um estudo desenvolvido pelo instituto Rheinglod, a pedido da smart (Urban Joy Index), considerou esta a cidade a número 1 entre 31 cidades europeias como a mais feliz para se viver. Por fim, em Cascais, entre os dias 17 a 19 de julho, 2.380 fãs da smart festejaram sob o sol Português no mais concorrido “smart times” de sempre, onde 1.427 smarts, desfilaram por toda a vila e estabeleceram um novo recorde a nível mundial.

 

MAIO EM BUSCA DO TITULO

 

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno

Baja 500 Portalegre

30 de Outubro a 1 de Novembro

 

Equipa Yamaha Pinhelworks Ray Just Energy

 

António Maio em busca do título 

 

Todos os pilotos Yamaha Pinhelworks Ray Just Energy vão lutar por vitórias

 

 

 

Depois da exibição notável, conseguida no Raid TT a Góis, onde preencheu todos os lugares do pódio com os seus três pilotos, a Equipa Yamaha Pinhelworks Ray Just Energy enfrenta, na Baja 500 Portalegre, o seu derradeiro desafio de uma temporada onde já conquistou inúmeros sucessos.

 

 2 Antnio_Maio_CopyAntnio Maio_Copy

 

GIÃO PODE VENCER

GIÃO PODE VENCER

 

 

 

 

Este fim-de-semana de 1 e 2 de Novembro chega ao final a temporada 2014 da Eurocup SEAT Leon em Barcelona, com Manuel Gião a poder arrecadar o título de Campeão. O piloto português ocupa a terceira posição do campeonato, a apenas 3 pontos do líder quando estão em jogo 23 pontos.
Num circuito que conhece bem e onde já foi bem sucedido no passado, Manuel Gião está ciente que o título é uma meta possível mesmo que estejam seis pilotos em posição de chegar ao ceptro: "Vou dar o tudo por tudo para trazer para Portugal o título. A minha ambição para as duas corridas do fim-de-semana passa por discutir a vitória em ambas e conseguir a melhor qualificação possível. O Campeonato está muito em aberto e é difícil fazer previsões. A estratégia é manter a concentração e só pensar nas contas do Campeonato no final do fim-de-semana", começou por explicar o piloto português que este ano se estreia no Campeonato.
Gião já conseguiu uma vitória e dois segundos lugares este ano e espera voltar a subir ao lugar mais alto do pódio para fechar em beleza a época de 2014: "Mas para isso é preciso também evitar os habituais toques na luta por ganhar posições. O mínimo deslize poderá ser fatal. Os pilotos neste Campeonato são muito destemidos e ninguém vai querer perder. Por isso é preciso evitar excessos e fazer as duas corridas com cabeça. O Circuito de Montmeló não é dos meus favoritos, sobretudo depois das alterações feitas à sua configuração, mas ainda assim é uma pista onde me adapto bem e tenho a certeza que com uma boa afinação no SEAT Leon Cup Racer, tudo pode acontecer", concluiu o piloto da SEAT Portugal confiante num bom resultado.
O programa do fim-de-semana como é habitual prevê as sessões de treinos livres na Sexta, a qualificação e primeira corrida no Sábado e a segunda corrida no Domingo. Os resultados podem ser consultados em http://www.seat-sport.com/seat-leon-eurocup-the-calendar/#
Manuel Gio_Copy

 

LUI SILVA VENCE RALY SPRINT NA PENHA

 

Luís Silva vence Rali Sprint e é terceiro no Nacional de Montanha

Caiu o pano sobre a temporada de 2014 do Campeonato Nacional de Montanha, com a disputa da Rampa da Penha III, que se realizou na Cidade de Guimarães.

O piloto de Famalicão Luís Silva participou em duas frentes, na jornada do nacional de montanha e no rali Sprint que a organização a cargo da Demoporto promoveu ao longo do fim de semana passado.

Comandando o Mitsubishi Lancer Evo VI, na prova oficial, Luís Silva conquistou o terceiro posto da classificação reservada à categoria 5 ao que juntou a sétima posição absoluta.

O piloto Famaconcret Racing Team fecha a época com o vice-campeonato na categoria 5, um lugar que deixa Luís Silva, “muito satisfeito, contra factos não há argumentos e quando lutamos com armas muito diferentes, nada podemos fazer, ainda assim mostramos ao longo do ano andamento forte e capaz de incomodar os pilotos mais rápidos”.

Já no Rali Sprint, Luís Silva cumpriu a promessa, e apresentou-se em Guimarães com o BMW E30-M3. Nesta competição o famalicense que foi acompanhado pela filha Catarina Silva, e contou uma vez mais com o apoio da Famaconcret, Euroel, TDS, Cercosta, Macominho, Gintaqua, Realizona, Socarfam, Norcana, Tintas Barreiras, Pina Ferreira, foi o vencedor absoluto, onde ganhou a prova com relativa facilidade, "Competir no mesmo traçado alternando a cada subida os carros, não é fácil. Cada carro tem a sua forma de ser conduzido e nunca se tira o maior proveito de nenhum”, acrescenta o piloto que prossegue, “quis presentear os meus fãs com o regresso à montanha do M3 e a forma que encontrei de o fazer foi participar no Rali Sprint. Fui à Penha com o intuito de vencer esta prova e consegui”.

Em relação a esta temporada, o piloto assistido pela Miranda Competições remata, Não sei se algum destes carros vai fazer mais alguma prova este ano, pelo menos nada está previsto, mas se terminar por aqui, termino a temporada muito satisfeito”.

Confirmada está a presença de Luís Silva nas 24 Horas TT Vila de Fronteira, que se realiza no final do mês de Novembro.Luis 20_CopyLuis 21_Copy

 

V VOLTA PELAS COLECÇÕES

 

IV VOLTA PELAS COLECÇÕES DE AUTOMÓVEIS ANTIGOS DE PORTUGAL - 5 A 8 DE DEZEMBRO DE 2014

 

  

Conforme temos vindo a falar, e dado o sucesso dos anos anteriores, iremos realizar de 5 a 8 de Dezembro de 2014 a IV  Volta pelas Colecções e Museus de Automóveis Antigos de Portugal, propondo-nos este ano visitar mais de uma dúzia de lindas coleções de Automóveis Antigos, começando em Vendas Novas, seguindo para Alenquer, Ourém, Leiria, Pombal, Joane, Vila Real, S. Pedro do Sul, Viseu e terminando no Luso.

 

A viagem, feita em 4 dias será altamente recompensada com a visita de mais de uma dúzia de colecções, nunca visitadas anteriormente.

Junto em anexo o Programa, sendo que o valor da inscrição que inclui 3 noites de alojamento para a equipe de 2 pessoas, com pequeno almoço, e todas as refeições incluídas(5X2 refeições), será de 380,00 euros.

        

Face à época do ano em que damos esta Volta pelas Colecções e Museus de Automóveis Antigos de Portugal, numa altura em que habitualmente chove e está frio, aconselhamos a que tragam os vossos carros do dia-a-dia! O transporte será dividido pelos participantes, combinando-se por forma a evitar que algum carro viagem apenas com 2 pessoas.

Como é habitual nas Voltas às Colecções de Automóveis Antigos não queremos exceder as 20 pessoas, para não incomodar em demasia os coleccionadores privados que vamos visitar, que excepcionalmente abrem as suas portas para nos receber, mostrando colecções muito especiais, que não são museus de acesso livre! Portanto, se puderem estar connosco neste fim de semana, que vai ser muito bem passado, "mudando de ares e quebrando a rotina do dia a dia", na companhia de amigos bem dispostos, todos com diagnosticada “doença por automóveis crónica” agradecemos que desde já nos confirmem a Vossa presença, pois as inscrições para este inesquecível passeio rapidamente se esgotam.

Juntamos em anexo o Programa, o cartaz e a respectiva ficha de inscrição.

Contamos convosco. Um abraço forte, e até breve!


IV VOLTA PELAS COLECÇÕES DE AUTOMÓVEIS ANTIGOS DE PORTUGAL (5 a 8 Dezembro 2014)

Programa:

 

Dia 5 de Dezembro, Sexta-feira

16:30H- 18:30H Encontro/Check in no Hotel Acez**** Vendas Novas

19:00H Colecção Carriço, Vendas Novas(25A 22 M)

20:30H Jantar e dormida no Hotel Acez ****

 

Dia 6 de Dezembro, Sábado

 8:30h Pequeno-almoço no Hotel Acez ****

 9:00H Check-Out do Hotel - Partida

 

 9:45H Colecção Sr. Nuno – Alenquer (10 AA)

11:30H Colecção Fernando Guilherme, Leiria (10AA 12MA)

12:30H Colecção LIZAUTO, Leiria (20AA) 

13:15H Almoço em Leiria  Restaurante Carloto 

15:15H Colecção Manuel Graça (Luso Vintage)(30AA)

18:15H Colecção Auto-Macedo, Joane (30AA)

19:00H Colecção Joaquim Abreu (20AA)

20:45H Jantar e alojamento em Vila Real, no Hotel Miracorgo****

 

Dia 7 de Dezembro, Domingo

 9:00H Pequeno-Almoço no Hotel Miracorgo****

 9:30H Check-Out do Hotel - Partida

10:00H Colecção Carlos Durão / António Lordelo, Vila Real (30AA)

11:00H Colecção Fernando Cardoso, Vila Real (10AA)

12:30H Colecção de Motos Antigas José Damião (150MA)S. Pedro do Sul

13:30H Almoço no Restaurante Palmeira - Oliveira de Baixo

15:15H Colecção Rodaclássica, Viseu

16:00H Colecção Sonhos por Medida, Viseu (10AA)

18:00H Visita ao Museu Nacional do Rádio Antigo(250RA), Vila Nova de Tazém

20:30H Jantar e Alojamento no INATEL LUSO***

 

Dia 8 de Dezembro, Segunda (Feriado)

10:00H Pequeno-Almoço no INATEL LUSO***

11:00H Check-Out do Hotel – Partida / Despedida

Dia livre de descanso/regressoIV Volta_Colecces_Portugal_2710_Copy

 

HERTZ É NOTICIA

 

Outono é época de mudanças e a Hertz dá uma ajuda

 

 

Hertz -_frota_comerciais_CopyOutono é época de mudanças e a Hertz dá uma ajuda com a oferta de 15% de desconto no aluguer de uma viatura comercial. Esta campanha está a decorrer com alugueres efetuados até dia 30 de novembro, sendo apenas necessário mencionar o código da campanha (CDP 760617).

 

A Hertz oferece uma frota de viaturas comerciais com capacidade para transportar grandes volumes de mercadoria, sendo uma preciosa ajuda para que as suas mudanças decorram com o máximo conforto e segurança. Consulte uma das 68 estações Hertz e descubra as condições e disponibilidade.

Os modelos que integram a frota de comerciais da Hertz são: grupo A4 – Fiat Grand Punt Van e Ford Fiesta Van; grupo B4 – Fiat Dobló e VW Caddy; grupo C4 – Renault Trafic e Fiat Scudo; grupo D4 – Iveco Daily 35S11 V; grupo E4 - Iveco Daily 35C13 V e grupo F4 - Iveco Daily 35C13.

 

Hertz, sempre a pensar em si!

 

A 6 CONDICIONADA

 

Condicionamento de trânsito na A6

 

Entre 28 de Outubro a 01 de Novembro

 

A Brisa Concessão Rodoviária (BCR) informa que, no âmbito das obras de beneficiação do pavimento do sublanço Évora Poente/Évora Nascente da A6 - Auto-estrada Marateca/Caia, irá proceder irá proceder aos seguintes condicionamentos de trânsito:

De 28 (terça-feira) para 29 (quarta-feira) de Outubro
Entre as 20:00 e as 08:00, corte de via direita no ramo de entrada na A6, sentido Marateca/Caia, proveniente da Nacional 114

Entre as 21:00 e as 07:00, corte de via esquerda, sentido Marateca/Caia, entre os kms 69,5 e 71,5

De 29 (quarta-feira) para 30 (quinta-feira) de Outubro
Entre as 20:00 e as 08:00, corte de via direita no ramo de saída da A6, sentido Marateca/Caia, para a Nacional 14 no sentido Évora

Entre as 21:00 e as 07:00, corte de via esquerda, sentido Marateca/Caia, entre os kms 71,5 e 73,5

De 30 (quinta-feira) para 31 (sexta-feira) de Outubro
Entre as 20:00 e as 08:00, corte de via direita no ramo de saída da A6, sentido Marateca/Caia, para a Nacional 14 no sentido Évora

Entre as 21:00 e as 07:00, corte de via esquerda, sentido Marateca/Caia, entre os kms 73,5 e 75,8

De 31 (sexta-feira) de Outubro para 01 (sábado) de Novembro
Entre as 20:00 e as 08:00, corte de via direita no ramo de saída da A6, sentido Caia/Marateca, para a Nacional 18

Entre as 21:00 e as 07:00, corte de via esquerda, sentido Caia/Marateca, entre os kms 76 e 73,5

A Brisa Concessão Rodoviária apela à prudência na passagem pelo local e agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas, esperando contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação.

Para informação actualizada poderá ainda consultar o site www.brisa.pt.


Condicionamento de tráfego na A1 – Carvalhos/Santo Ovídeo


Entre 30 de Outubro e 01 de Novembro

 

A Brisa Concessão Rodoviária (BCR) informa que, no âmbito das obras de alargamento do sublanço Carvalhos/Santo Ovídeo da A1 - Auto-estrada do Norte, irá proceder irá proceder aos seguintes condicionamentos de trânsito:

De 30 (quinta-feira) de Outubro a 01 (sábado) de Novembro
Entre as 21:00 e a 07:00, corte de via direita, sentido Norte/Sul, entre os km’s 294,1 e 293,4

A Brisa Concessão Rodoviária apela à prudência na passagem pelo local e agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas, esperando contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação.

Recorde-se que o alargamento deste sublanço, de duas para três vias em cada envolve um investimento de 23,1 milhões de euros, desenvolve-se ao longo de 5,5 km, e a sua conclusão está prevista para Maio de 2016.

Para informação actualizada poderá ainda consultar o site www.brisa.pt.

 

MERCADO DE RENT-A-CAR CRESCEM EM PORTUGAL

 

Com uma faturação de €470 milhões

MERCADO PORTUGUÊS DE RENT-A-CAR CRESCE 4% EM 2014

 

  • Enquanto a faturação do sector de renting mantém a sua tendência decrescente
  • Em 2013, a frota de veículos das empresas de rent-a-car era de 59 800 unidades
  • A quota conjunta dos cinco maiores operadores representava 49% em 2013

 

Segundo o estudo Setores Portugal “Aluguer de automóveis”, publicado pela Informa D&B, o mercado de rent-a-car foi estimulado em 2013 pelo bom comportamento da atividade turística, após a evolução negativa registada nos anos anteriores. O volume de negócios situou-se nos 450 milhões de euros nesse exercício, crescendo 8,4%.  O bom comportamento da atividade turística, principalmente estrangeira, irá continuar a beneficiar o mercado prevendo-se, para 2014, uma faturação de 470 milhões de euros, uma subida de 4% face a 2013.

Em 2013, a frota de veículos das empresas de rent-a-car era composta por 59 800 unidades, sendo 92% veículos de passageiros.

Particulares e profissionais constituem os clientes principais neste sector, sendo responsáveis por cerca de 60% do valor total do mercado. A quota restante é composta por clientes empresariais e pela administração pública. 

 

URBAN SKETCHERS BY PEUGEOT

 

UMA MONTRA BEM DESENHADA
EXPOSIÇÃO URBAN SKETCHERS NO PEUGEOT CITY

20141018 URBAN_SKETCHERS_-71_Copy20141018 URBAN_SKETCHERS_-73_Copy20141018 URBAN_SKETCHERS_-77_Copy20141018 URBAN_SKETCHERS_-77_Copy20141018 URBAN_SKETCHERS_-78_Copy20141018 URBAN_SKETCHERS_-90_Copy
No dia 31 de Outubro às 18h30, o espaço Peugeot City oferece aos amantes de desenho
uma exposição imperdível - Desenho BD em Diários Gráficos - um evento que destaca os
trabalhos da comunidade Urban Sketchers Portugal
Este evento irá decorrer no espaço
Peugeot City, como resultado de um
desafio lançado aos Urban Sketchers
(urbansketchersportugal.
blogspot.pt).
Integrado no projecto MONTRA,
Mostra de Artes by Peugeot City, os
Urban Sketchers foram desafiados a
desenhar a Avenida da Republica
tendo como base técnica o desenho
em BD. Como obrigatoriedade, os
desenhos tiveram de integrar os
modelos Peugeot estacionados nesta artéria de Lisboa. Numa tarde bem passada, sob a
luz típica de Lisboa, foram trocados cadernos, canetas, pinceis e claro, dois dedos de
conversa entre os mais de 40 participantes.
O resultado pode ser visto até dia 15 de novembro no Peugeot City – na Avenida da
República, nº32 B. Estando a inauguração marcada para dia 31 de Outubro, às 18h30 com
a presença dos autores.
A MONTRA - Mostra de Artes é uma iniciativa levada a cabo no Peugeot City (o espaço
nobre da marca inaugurado o ano passado em Lisboa) que visa sublinhar o elo existente
entre a Peugeot e o mundo das artes por via do design, uma área em que a marca se
destacou desde sempre. A programação irá continuar até ao fim do a

 

HISTÓRIA DE SUCESSO NO WRC

 

Um historial de sucesso no WRC
Sébastien Ogier acaba de conquistar o seu segundo título mundial consecutivo no WRC. Um piloto com um percurso impressionante no mundo dos ralis, nomeadamente desde que passou a integrar a equipa da Volkswagen Motorsport. Ogier nasceu na cidade francesa de Gap no dia 17 de Dezembro de 1983 (30 anos). Reside em St. Gallen, na Suíça. Um desportista versátil, Ogier era monitor de esqui e jogador profissional de petanca antes de iniciar a sua carreira como piloto de ralis aos 22 anos de idade. Um breve resumo de um historial de sucesso.
O percurso de Ogier para o sucesso é parecido com o nove vezes Campeão do Mundo, Sébastien Loeb. Ambos ganharam os campeonatos mundiais juniores de duas rodas motrizes com o Citroën Super 1600 antes de estrearem com a marca francesa na categoria máxima dos ralis. Após vencer a Peugeot 206 Cup em 2007, estreou-se no ano seguinte no Campeonato Mundial de Ralis Júnior da FIA, onde terminou como campeão, mesmo não disputando uma jornada do mundial, após conseguir três vitórias e um segundo lugar. No mesmo ano faz a sua estreia na categoria principal no Rali do México, marcando o seu único ponto, após terminar no oitavo lugar.
No mundial seguinte, integra a equipa satélite da Citroën - a Citroën Junior Team – tendo conquistado o seu primeiro pódio, um segundo lugar no Rali da Acrópole. No final do campeonato, terminou na oitava posição, com 24 pontos.
Na terceira temporada no campeonato em 2010, conseguiria a sua primeira vitória no WRC, no Rali de Portugal. Ainda conquistaria mais uma vitória,

no Rali do Japão. Já na temporada seguinte, de 2011, assegurava mais duas vitórias consecutivas. Ano em que aconteceu um grande desentendimento com Loeb, o seu companheiro de equipa. Apesar de ocupar uma posição separada por poucos segundos, Ogier não acatou a ordem para não “atacar” Loeb no Rali da Alemanha, contrariando tal decisão e venceu o rali, o que o regalou para um papel secundário no seio da equipa francesa.
Depois de ter decidido abandonar a Citroën e aceitar, em 2012, o convite da Volkswagen Motorsport, Ogier começou a retirar frutos desta aliança na temporada seguinte. Em 2012 não competiu ao máximo nível, mas sim dedicou-se na ajuda ao desenvolvimento do Volkswagen Polo R WRC, o qual fez a sua estreia oficial no Rali de Monte Carlo de 2013.
Ogier conquistou o título de Campeão do Mundo de Ralis em 2013, depois de ter vencido nove provas e ter ultrapassado todas as expectativas da equipa alemã. E, esta temporada, acaba de revalidar o título no Rali de Espanha, depois de uma intensa luta prova após prova com o seu companheiro de equipa Jari-Matti Latvala.
Julien Ingrassia é o seu co-piloto desde 2006. Ingrassia nasceu em 26 de novembro de 1979 (34 anos) na cidade francesa de Aix-en-Provence. Vive em Genebra, na Suíça.

O Palmarés Principal
2014
CAMPEÃO DO MUNDO no WRC (Volkswagen Polo R WRC); 7 vitórias (Monte Carlo, México, Portugal, Itália, Polónia, Austrália e Espanha); Pódios na Argentina e Finlândia
2013
CAMPEÃO DO MUNDO no WRC (Volkswagen Polo R WRC); 9 vitórias (Suécia, México, Portugal, Itália, Finlândia, Austrália, França, Espanha e Inglaterra); Pódios em Monte Carlo e Argentina;
Estabelece um novo recorde no lendário troço de Ouninpohja: 15m 08,9s
2012
10° lugar no Campeonato do Mundo de Ralis WRC (Škoda);
10 vitórias na Categoria S2000 com o Fabia S2000 em 12 presenças; terminou no top 10 em 7 ralis; melhor resultado: 5° lugar da geral em Itália; Corrida dos Campeões: na Taça das Nações em parceria com Romain Grosjean, quartos de final da prova individual
2011
3° lugar no Campeonato do Mundo de Ralis WRC (Citroën DS3 WRC); 5 vitórias (França, Alemanha, Acrópole, Jordânia e Portugal; Pódios na Argentina e Finlândia; recorde na menor diferença entre dois pilotos: 0,2s em relação a Latvala (Jordânia)
2010
4° lugar no Campeonato do Mundo de Ralis WRC (Citroën C4 WRC); 2 vitórias (Portugal e Japão); Pódios na Nova Zelândia, Finlândia, México e Alemanha
2009
8° lugar no Campeonato do Mundo de Ralis WRC (Citroën C4 WRC); Primeiro pódio no WRC com 2° lugar na Grécia; Vencedor do Rali de Monte Carlos, prova extra-campeonato (Peugeot 207 S2000)
2008
CAMPEÃO DO MUNDO no Campeonato Júnior de Ralis FIA, 3 vitórias.
Na sua estreia no WRC liderou o Rali de Inglaterra. Membro da Equipa Francesa de Ralis da FFSA
2007
Campeão de França na Peugeot 206 Cup
Ralis disputados: 73 • Títulos Mundiais: 2 (2013 e 2014) • Vitórias: 23 (16 com o Polo R WRC) • Pódios: 34 • Vitórias em troços: 308 • Total de pontos: 774
Primeiro rali no Mundial WRC: Rali do México (2008)
Primeira vitória WRC: Rali de Portugal (2010)
Última vitória WRC: Rali de Espanha (2014)
VW Ogier_campeao_mundo_2014_CopyVW Ogier_campeo_2014_02_CopyVW Ogier_CopyVW Ogier_e_Jost_Capito_Copy
4

 

WSR EM JEREZ

WORLD SERIES BY RENAULT EM JEREZ DE LA FRONTERA

 

 

Grupo de imagens dos espectáculos da WSR em Jerez de La Fronteraren1 Copyren2 Copyren3 Copyren4 Copyren5 Copyren6 Copyren7 Copyren8 Copyren9 Copyren10 Copyren11 Copyren12 Copy

 

ALGARVE HISTORICAL FESTIVAL

ALGARVE HISTORICAL FESTIVAL EM IMAGENS

 

 

Grupo de imagens relativas aos "brinquedos" que marcaram presença no Algarve Historical festival, no autódromo de Portimão.

 

 

Fotos de João Pina Cardosos - www.velocidadeonline.compi1-fotosdejoaopinacardoso Copypi2 Copypi3 Copypi4 Copypi5 Copypi6 Copypi7 Copypi8 Copypi9 Copypi10 Copypi11 Copypi12 Copypi13 Copypi14 Copypi15 Copypi16 Copypi17 Copypi18 Copypi19 Copypi20 Copypi21 Copypi22 Copypi23 Copypi24 Copypi24 Copypi25 Copypi26 Copypi27 Copypi28 Copypi29 Copypi30 Copypi31 Copypi32 Copypi33 Copypi34 Copypi35 Copypi36 Copypi37 Copypi38 Copypi39 Copypi40 Copypi41 Copypi42 Copypi43 Copypi44 Copypi45 Copypi46 Copypi47 Copypi48 Copypi49 Copypi50 Copy

 

OGIER RENOVA TITULO DE CAMPEÃO

 

RALLY DE ESPANHA
Ogier e Ingrassia revalidam o título mundial no WRC*
com a Volkswagen pelo segundo ano consecutivo
• Ogier / Ingrassia asseguram o título após a sétima vitória da temporada
• Onze vitórias numa temporada: um novo recorde para a Volkswagen no WRC
• Ogier à frente de Latvala e Mikkelsen: os pilotos da Volkswagen monopolizam os
três primeiros lugares do campeonato 2014
Um grande dia para Sébastien Ogier e Julien Ingrassia. Um grande dia para a
Volkswagen. Com a vitória no Rali Espanha, os campeões do mundo de 2013
revalidaram o título pelo segundo ano consecutivo*. Após a sua sétima vitória da
temporada, e 23ª da sua carreira, a dupla francesa soma já uma pontuação que lhe
garante a conquistou do título quando falta ainda disputar a derradeira jornada em
Inglaterra.
Nem mesmo os seus companheiros de equipa Jari-Matti Latvala e Miikka Anttila já
poderão chegar à pontuação de Ogier e de Ingrassia. Latvala conquistou o segundo lugar
em Espanha, assegurando a décima dobradinha para a Volkswagen no WRC, depois de
um emocionante duelo com seus companheiros de equipa pela vitória. Para a derradeira
prova da época, Ogier e Ingrassia ampliaram sua vantagem sobre Latvala e Anttila para
31 pontos, quando a pontuação máxima possível ainda em discussão é de 28 pontos.
Andreas Mikkelsen e Ola Fløene também alcançaram um bom resultado ao garantirem o
sétimo lugar e só um furo os impossibilitou de poderem lutar por mais um lugar no pódio.
Mesmo com os pontos recolhidos na Catalunha, também Mikkelsen já garantiu o terceiro
lugar no fim do campeonato.

Coroa de glória: Ogier e Ingrassia são os novos reis no mundial de ralis
Sébastien Ogier e Julien Ingrassia: os campeões do mundo de pilotos e co-pilotos* pelo
segundo ano consecutivo são a quarta dupla desde 1977 a ter defendido com sucesso o
seu título. E, pela nona vez esta temporada, fizeram estalar as rolhas das garrafas de
champanhe no pódio do Rali de Espanha, após as sete vitórias e os dois segundos
lugares já conquistados em 2014. Ogier e Ingrassia passam a fazer parte da exclusiva e
restrita galeria de campeões mundiais com mais de um título, juntando a Walter Röhrl,
Juha Kankkunen, Miki Biasion, Carlos Sainz, Tommi Makinen, Marcus Grönholm e
Sébastien Loeb.
Cereja no topo do bolo: o duelo da temporada teve o desfecho final em Espanha
Sébastien Ogier e Julien Ingrassia não tiveram tarefa fácil para defender o título antes da
derradeira jornada da temporada. Jari-Matti Latvala e Miikka Anttila mantiveram uma
enorme pressão até à linha de chegada, pois sabiam de antemão se Ogier terminasse à
frente de Latvala, o título estaria decidido. Caso contrário, a grande final poderia ficar
adiada para o Rali de Inglaterra, no caso de Ogier não somar pontos suficientes na
Catalunha. Um duelo emocionante que se desenrolou até o último dia. Enquanto Latvala /
Anttila perderam 36,6 segundos nas provas especiais de classificação em pisos de terra
na sexta-feira, nos dois dias seguintes e em pisos de asfalto reduziram, troço a troço,
essa diferença para 11,3 segundos no final do rali.
Desafio único em pisos mistos de terra e de asfalto
138,54 km em terra, 234,42 km em asfalto: o Rali de Espanha é um verdadeiro desafio
para os pilotos, co-pilotos e equipas. O melhor set-up e uma total precisão são como uma
imposição quase obrigatória a cada carro, pois as equipas de mecânicos de cada dupla
de pilotos nas zonas de assistência não possuem tempo necessário para procederem a
grandes alterações. Também típico na prova espanhola são as nuvens de poeira que
cada equipa tem de enfrentar nos troços de sexta-feira, deixando a visibilidade muito

limitada. No sábado, surge a dupla passagem pelo troço de "Escaladei", ponto fulcral da
prova: além das elevadas temperaturas, os seus 50 km de extensão levam os pneus de
asfalto ao seu limite.
Recorde para a Volkswagen: onze vitórias numa temporada do WRC
24° Rali, 11ª vitória. Com o sucesso no Rali de Espanha, a Volkswagen garantiu mais
recorde no ranking do WRC. Onze vitórias numa temporada igualam os dois anteriores
melhores resultados da Citroën (onze triunfos em 16 ralis, em 2005 e onze vitórias em 15
ralis, em 2008). Mas a um rali antes do final da temporada, a Volkswagen já alcançou a
maior proporção de vitórias da história WRC. Pelo menos onze das possíveis 13 vitórias,
uma percentagem de 84,61 por cento.
Desempenho XXL da equipa de mecânicos
O desempenho dos mecânicos no Rali de Espanha também foi um recorde. Na sexta-feira
à noite modificaram o set-up do Polo R WRC das especificações de terra para asfalto em
menos de 75 minutos. Uma tarefa que é ilustrada pelo número de componentes
individuais que foram trocados. Os mecânicos substituíram um total de 13 componentes
que são fabricados a partir de 1.348 peças em cada carro, perfazendo um total de 4044
peças nos três Polo R WRC. O Rali de Espanha é a única jornada no calendário do WRC
que é realizada em pisos de terra e de asfalto e o serviço realizado na zona de
assistência na sexta-feira à noite é o mais longo que está programado para a temporada.
Estatísticas atualizadas no Rali de Espanha
Venceu 14 das 17 provas especiais, assegurou 20 lugares no top 3. A Volkswagen
adicionou mais alguns sucessos nas suas estatísticas no Rali de Espanha. O número de
vitórias em troços é agora está em 327 num total possível de 463. No que diz respeito a
uma posição no top 3, o número aumentou para 751 dum total possível de 1.313 desde a
primeira presença do Polo R WRC no Rali de Monte Carlo em 2013. Para a Volkswagen
foi a 21ª vitória em 25 presenças no WRC, subindo para 40 as presenças no pódio.

Power Stage: o troço favorito dos pilotos da Volkswagen
Os pontos de bónus são particularmente atraentes para os pilotos da Volkswagen.
Atribuídos aos três primeiros classificados, subiu para 43 vezes a presença de um dos
pilotos dos Polo R WRC em 24 Power Stage disputadas. No Rally Espanha, Jari-Matti
Latvala contabilizou os três pontos do melhor tempo, enquanto Andreas Mikkelsen
marcou um ponto pelo seu terceiro lugar.
O que disseram no final do rali
Sébastien Ogier: "É uma sensação fantástica consagrar-me campeão do mundo pela
segunda vez! Estou na “lua”, depois desta verdadeira batalha para defender o título. Em
particular, o meu companheiro de equipa Jari-Matti Latvala mostrou um desempenho
incrivelmente forte nos últimos meses. Agora o Julien e eu temos um grande sentimento
de felicidade e alívio, muito graças à nossa fantástica equipa na Volkswagen. Não apenas
para nos dar um carro fantástico em toda a temporada. Mas também pela solidariedade
única que temos. Não importa se as coisas correm bem ou mal, a equipa transmite
sempre a cada dupla um ânimo espetacular, que é extremamente motivador. Estou feliz e
orgulhoso de fazer parte desta equipa. É claro que hoje vamos ter uma grande festa pela
conquista do título!"
Jari-Matti Latvala: "Parabéns ao Sébastien Ogier e Julien Ingrassia, eles mostraram um
forte desempenho aqui em Espanha e merecem ser campeões do mundo. Eu e o meu copiloto
Miikka tentamos manter em aberto a luta pelo título o maior tempo possível.
Infelizmente perdemos muito tempo nos troços de terra na sexta-feira para que depois
conseguíssemos compensar o déficit no asfalto. Fiquei muito feliz com a nossa prestação
no asfalto, mas ainda temos algum trabalho a fazer nos pisos de terra. A altura chegará
nos próximos testes, mas em primeiro lugar toda a equipa da Volkswagen vai festejar esta
noite".

Andreas Mikkelsen: "Em primeiro lugar gostaria de felicitar os meus colegas de equipa
Sébastien Ogier e Julien Ingrassia pelo título ganho. Conseguiram manter a liderança,
apesar do Jari-Matti Latvala e o Miikka Anttila não lhes terem facilitado a tarefa. Tiremos o
chapéu também para eles pelo seu desempenho. No que diz respeito ao meu rali,
pretendia fazer mais do que terminar em sétimo. No entanto, estou feliz com o resultado.
Um pneu furado no sábado custou-me perder mais de dois minutos. Se isso não tivesse
acontecido poderia ter discutido uma posição pelo pódio. Foi azar. Então, tudo o que
restava era lutar com o Thierry Neuville pelo sexto lugar. No final, perdemos essa batalha
porque penalizamos 10 segundos à entrada da Power Stage. Mas pelo menos temos
garantimos um ponto neste troço, o que é bom para o Ola que ainda está a lutar pelo
terceiro lugar na classificação dos co-pilotos."
Jost Capito (Diretor da Volkswagen Motorsport): "Um vencedor digno após uma
batalha fantástica durante toda a temporada. Sébastien Ogier e Julien Ingrassia
mereceram os títulos de Campeões do Mundo conquistados o ano passado e agora em
2014. Resistiram à pressão de Jari-Matti Latvala e Miikka Anttila perfeitamente,
conseguindo a sua vantagem de forma inteligente, saindo vitoriosos desta batalha. Isso
merece o maior respeito. Todos os três pilotos mostraram um excelente desempenho.
Infelizmente, o Andreas Mikkelsen e o Ola Fløene tiveram um pouco de azar no sábado e
perderam mais de dois minutos, não por culpa própria. Com onze vitórias numa
temporada, a Volkswagen estabeleceu um novo recorde, graças a toda a equipa, nas
provas, em Hannover e em Wolfsburg. Um grande dia para todos, principalmente para o
Seb, o Julien e a Volkswagen."
Fatos a destacar nos títulos mundiais
Idade das três mais jovens duplas de campeões mundiais no WRC, aquando do seu segundo
título:
•Juha Kankkunen (1986, 1987): segundo título com 28 anos, sete meses e 26 dias
• Carlos Sainz (1990, 1992): segundo título com 30 anos, sete meses e 17 dias
• Sébastien Ogier (2013, 2014): segundo título com 30 anos, 10 meses e 10 dias

Pilotos que revalidaram o título por duas (ou mais) vezes no WRC:
• Juha Kankkunen (1986, 1987)
•Tommi Makinen (1996, 1997)
• Sébastien Loeb (2004-2012)
• Sébastien Ogier (2013, 2014)
Os campeões mundiais na história do WRC
• Walter Röhrl (1980, 1982)
• Juha Kankkunen (1986, 1987, 1991, 1993)
• Miki Biasion (1988, 1989)
• Carlos Sainz (1990, 1992)
• Tommi Makinen (1996, 1997, 1998, 1999)
• Marcus Grönholm (2000, 2002)
• Sébastien Loeb (2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012)
• Sébastien Ogier (2013, 2014)
Classificação Final
1. Sébastien Ogier / Julien Ingrassia, Volkswagen, 3h 46m 44,6s
2. Jari-Matti Latvala / Miikka Anttila, Volkswagen, a 11,3s
3. Mikko Hirvonen / Jarmo Lehtinen, Ford, a 1m 42,2s
4. Mads Østberg / Jonas Andersson, Citroën, a 2m 13,3s
5. Dani Sordo / Marc Martí, Hyundai, a 2m 22,2s
6. Thierry Neuville / Nicolas Gilsoul, Hyundai, a 4m 01,0s
7. Andreas Mikkelsen / Ola Fløene, Volkswagen , a 4m 02,9s
8. Martin Prokop / Jan Tománek , Ford, a 8m 06,8s
9. Hayden Paddon / John Kennard, Hyundai, a 9m 12,4s
10. Nasser Al-Attiyah / Giovanni Bernacchini, Ford, a 12m 39,8s
Power Stage: 1. Jari-Matti Latvala, 10m 00,1s; 2. Kris Meeke, a 1,7s; 3. Andreas Mikkelsen, a
VW Latvala_CopyVW Mikkelsen_CopyVW Ogier_campeao_mundo_2014_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

GP dos estados unidos – Austin, de 30  de outubro a 2 de novembro 2014

 

pneus p zero médios e macios para o circuito das américas

 

Um misto de longas retas com curvas técnicas, num dos mais recentes circuitos do calendário de Fórmula Um

 

para as ultimas corridas do ano, em seguida as equipes rumam ao brasil

 

O circuito das Américas, no Texas, é um dos mais recentes no calendário da Fórmula Um, tendo sido inaugurado apenas em 2012. Os compostos médio e macio são os eleitos pela primeira vez ( nos ultimos dois anos foram escolhidos os compostos médio e duro). Esta versátil seleção de compostos para 2014, é concebida para lidar com as diferentes exigências da pista, na qual conta com três longas retas, mas também uma série de curvas técnicas. Incluindo a longa curva 1, um gancho que coloca toda a energia nos pneus, bem como outras mudanças rápidas de direção que se assemelham aos circuitos de Silverstone ou Suzuka. Austin, é um circuito com muita adrenalina e com desafios unicos, pois existem 20 curvas com diferentes e impressionantes desníveis, em que estes condicionam as referências de travagem e o respetivo ponto correcto de travagem. Tudo em conjunto, faz com que o traçado da pista seja emocionante de forma a que os pilotos e espetadores desfrutem de uma forma intensa. O Grande Prémio dos Estados Unidos também marca o inicio da sequência final das corridas dos grandes prémios do ano, com as equipas em seguida  a rumarem para o Brasil – Circuito de Interlagos, para o qual foi anunciado a mesma indicação de compostos.

 

 

Paul Hembery (Responsável da Pirelli Motorsport): ” À semelhança de qualquer fabricante automóvel, os Estados Unidos é um mercado importante para a Pirelli. Portanto, estamos muito felizes por voltar a Austin que é uma ótima cidade para passar o tempo, bem como o lugar ideal para realizar uma corrida. O piso da pista tem agora três anos de idade, teoricamente tornou-se mais maduro e deveria oferecer uma melhor aderência face aos anos anteriores. Esperamos que os pneus médios e macios, nos coloquem no caminho correcto para uma corrida com duas paragens, no entanto vamos confirmar a nossa previsão, após os treinos livres. Muito dependerá do clima. Mesmo, com a corrida a realizar no mês de Novembro, o  clima sempre quente mas variável e a degradação térmica são fatores importantes. Como e quanto estes fatores influenciam o desgaste e a degradação no geral com a nova geração de carros deste ano e a estratégia de corrida, é algo que apenas vamos saber quando lá chegarmos. Em ambas as ocasiões anteriores, a estratégia vencedora foi sempre de uma paragem apenas, também por causa da corrida que é no final da época, e a maior parte das equipes já tem experiência e desenvolveu conhecimento para retirar o máximo proveito dos pneus”. 

 

 

Jean Alesi (Consultor da Pirelli): “ Austin é acima tudo, um circuito muito emocionante para os pilotos. Existem excelentes possibilidades para atacar e ultrapassar na travagem para a curva 1, como assim nos “Esses” , onde são possiveis diversas trajétórias. Várias oportunidades de ultrapassagem, geralmente asseguram um excelente Grande Prémio e esta pista está londe de ser “chata”. A variação de temperatura é outro fator importante, nos ultimos dois anos foi definitivamente frio de manhã, mas quente na hora da qualificação. Isto faz com que o pneu se encontre numa janela perfeita para o desafio acrescido de pilotos e equipes.

O circuito do ponto de vista dos pneus:

Três longas retas tendem a arrefecer os pneus, caindo ligeiramente a temperatura dos mesmos, condicionando as zonas de travagem como criticas. Isto, também afeta o desempenho em curvas rápidas, uma vez que o composto tem que voltar à temperatura ideal de uma forma rápida.

 

O pneu médio é um composto de baixa gama de trabalho, capaz de alcançar um ótimo desempenho, mesmo numa vasta gama de temperaturas baixas. Pelo contrário, o pneu macio é um composto de alta gama de trabalho, adequado para temperaturas mais elevadas. No ano passado houve uma grande escala de temperaturas da pista no Grande Prémio do Estados Unidos, entre 18 e 37 graus centigrados.

 

Um misto de retas e curvas, exigem um compromisso em termos de downforce, colocando uma forte ênfase na aderência mecânica dos pneus. Como assim, na longa curva 1 e nas rápidas mudanças de direção na primeira parte da volta, a curva  11 também exige muito dos pneus. O piloto começa a travar quando o carro está em curva, originando uma distribuição desigual de forças na borracha.

 

A estratégia vencedora no ano passado foi de uma troca de pneus, com Sebastian Vettel em Red Bull a iniciar a corrida com composto médio e a parar na volta 27, para trocar para composto duro. Os primeiros doze finalistas, apenas realizaram uma troca de pneus.

 

Mais informaçôes sobre Austin, e procura de informação sobre o circuito das Américas, pode ser visualizado numa animação realizada em 3D com um novo visual produzido pela Pirelli.

 

Videos e fotografías de livre utilização, disponiveis em www.pirelli.com/f1pressarea

 

As escolhas de pneus até agora:

 

 

P Zero vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

Bahrein

 

Macio

Medio

 

China

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Super macio

Macio

 

 

Canadá

Super macio

Macio

 

 

Áustria

Super macio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Médio

Duro

Alemanha

Super macio

Macio

 

 

Hungria

 

Macio

Medio

 

Bélgica

 

Macio

Medio

 

Itália

 

 

Médio

Duro

Singapura

Super macio

Macio

 

 

Japão

 

 

Médio

Duro

Russia

 

Macio

Medio

 

USA

 

Macio

Medio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista P Zero:

A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para a presente temporada, contém factos sobre o Grande Prémio dos Estados Unidos e da vibrante cidade de Austin, bem como as novidades que acontecem no mundo Pirelli, no passado, presente e futuro. Como sempre existe uma nova receita do Chefe Pirelli, experimentado e apreciado nos paddocks de F1 de todo o mundo, além de recursos e um pouco de história. Esta nova e dinâmica revista electrónica, contém um vídeo e outros conteúdos interactivos actualizados no fim de semana.

Podemos visitar através do site Pirelli, com o seguinte link : http://magazine.pzero.com

 

 

100.000 CLASSE S VENDIDOS

 

100.000 Classe S vendidos em apenas um ano

 

  • Foram entregues a clientes mais de 100.000 modelos do Classe S desde o seu lançamento no mercado há um ano;
  • China e EUA são os maiores mercados para a limousine de luxo;
  • Ola Källenius: “As vendas de 100.000 modelos do Classe S, em apenas um ano, é a prova de que a combinação da qualidade superior, eficiência exemplar e um conjunto de sistemas de assistência e segurança inovadores encantam os nossos clientes e satisfazem as suas mais rigorosas exigências.”

Um ano depois do lançamento em todos os principais mercados, a Mercedes-Benz já entregou mais de 100.000 modelos do Classe S em todo o mundo. Nunca antes foram entregues tantos veículos de luxo no seu ano de estreia. Deste modo, este foi, sem dúvida, o mais bem-sucedido lançamento no mercado de um Classe S. O Classe S está a fazer história não só com o melhor lançamento no mercado, mas também o mais rápido: em menos de doze semanas este modelo foi colocado à venda nos três principais mercados: Alemanha (final de julho de 2013), China (final de setembro de 2013) e EUA (meados de outubro de 2013).

 

“As vendas de 100.000 modelos do Classe S em apenas um ano é a prova final de que a combinação de qualidade superior, eficiência exemplar e um conjunto de sistemas de assistência e segurança inovadores que cativam os nossos clientes e satisfazem as suas mais rigorosas exigências”, refere Ola Källenius, membro do Board da Mercedes-Benz Cars e responsável pelo Marketing & Vendas. “Alargámos a nossa gama de veículos de luxo no final de setembro de 2014, incluindo dois novos modelos fascinantes e promissores sob a forma do novo Classe S Coupé e do S 500 PLUG-IN HYBRID.”

 

Desde o início do ano, a Mercedes-Benz comercializou 75.391 modelos Classe S, o dobro em relação ao mesmo período do ano anterior (+105,8%). Foram entregues a clientes mais veículos do Classe S nos primeiros nove meses de 2014 do que nos anos de 2012 ou 2013. Só em setembro, as vendas desta limousine de luxo atingiram as 9.501 unidades (+139,3%). Em Portugal já foram comercializados 197 unidades desde setembro de 2013.

 

China e EUA são os maiores mercados

Há décadas que o Classe S é repetidamente a limousine de luxo mais vendida a nível mundial. A Mercedes-Benz entrega praticamente um em cada dois Classe S aos clientes na China, o maior mercado do modelo. Um quarto de todos os Classe S é vendido nos EUA; um em cada dez limousines é entregue a um cliente na Alemanha. Uma comparação entre países revela que os clientes mais jovens do Classe S se encontram na China: com pouco mais de 40 anos, são em média 15 anos mais novos do que na Europa Ocidental ou EUA.

 

Para muitos, o Classe S é o seu primeiro veículo. Devido à preferência particular dos clientes Chineses pelo amplo espaço atrás, a Mercedes-Benz oferece a limousine de luxo na China exclusivamente com a versão de distância longa entre eixos. Na China, cerca de 35% dos modelos do Classe S são encomendados na versão conduzida por chauffeur. Três quartos de todos os clientes do Classe S na China escolhem também o Sistema de entretenimento dos bancos traseiros, que possui dois grandes visores nos encostos dos bancos dianteiros. A marca premium de Estugarda adaptou igualmente o sistema de assistência PARKTRONIC ao trânsito intenso e ao espaço limitado das grandes cidades chinesas. O pack AIR-BALANCE é também muito popular entre os clientes do Classe S – e não só na China. Um em cada dois Classe S em todo o mundo é enviado com a opção de filtragem de ar e fragâncias. Um em cada quatro clientes da limousine de luxo opta pela função de massagem.

 

Veículo de luxo familiar com seis versões

O novo Classe S estará disponível em seis versões. Para além da versão com distâncias entre eixos curta e longa, foi lançado o Classe S Coupé em setembro. Seguir-se-ão três outras versões exclusivas. Uma versão híbrida recarregável do Classe S foi também disponibilizada no final de setembro. Sucedendo ao S 400 HYBRID e ao S 300 BlueTEC HYBRID, o S 500 PLUG-IN HYBRID é assim o terceiro modelo híbrido do novo Classe S. O lançamento da produção em série desta tecnologia começou na Mercedes-Benz em 2009. Até 2017, a Mercedes-Benz pretende lançar mais nove modelos híbridos.

 

Há 60 anos atrás, o lançamento do modelo 220 estabeleceu as fundações da série de modelos do Classe S. Desde então a Mercedes-Benz entregou mais de 3,5 milhões destes veículos a clientes de todo o mundo. O estandarte da marca é considerado há muitos anos como a referência da engenharia automóvel, uma distinção conquistada repetidamente por cada nova geração graças às tecnologias inovadoras, sistemas de segurança pioneiros e conforto extraordinário. A geração anterior vendeu 500.000 unidades, tornando-se no Classe S com maior êxito.Classe S_1_CopyClasse S_2_Copy

 

CAIXA DE VELOCIDADES CONDICIONOU NUNO GUIMARÃES

 

Caixa de velocidades condicionou Nuno Guimarães na Rampa da Penha

 

Um problema na caixa de velocidades do BRC obrigou Nuno Guimarães a falhar as subidas de prova no encerramento do Campeonato Nacional de Montanha. Piloto da Régua optou por abandonar para não danificar toda a transmissão do carro espanhol.

 

Não foi um fim-de-semana muito positivo para a imagem do Nacional de Montanha e também Nuno Guimarães não teve a sorte do seu lado na Rampa da Penha. Na mesma prova em que o carro de Joaquim Rino ardeu por completo, o BRC de Nuno Guimarães apresentou problemas de caixa ainda no sábado, obrigando o piloto da Régua a desistir antes das subidas de prova. Por precaução optei por não alinhar no domingo para não estragar ainda mais a mecânica do carro, confirmou o piloto.

 

Sendo uma das figuras mais respeitadas do campeonato e vice-presidente da APPAM (Associação Portuguesa de Pilotos de Automóveis de Montanha), Nuno Guimarães vai esperar pela reunião da Direção para que todos em conjunto possamos emitir um comunicado oficial. No entanto, o vídeo que circula na Internet é bem elucidativo de tudo o que aconteceu e penso que todos os intervenientes devem tirar as respetivas ilações, desde a organização, à FPAK, aos pilotos e ao público, referiu.DSC 8432_CopyDSC 8848_Copy

 

RAMPA DA PENHA 3

Os títulos que faltavam

A Rampa da Penha decidiu os títulos das Categorias 5 e 6 e na Taça 1300

José Pedro Gomes, Joaquim Teixeira e Jose´Figueiredo são os vencedores que faltavam na lista dos títulos de 2014. 

Se é certo que há um mês o título nacional foi virtualmente entregue a Pedro Castañon, que assim se tornou no primeiro piloto estrangeiro a vencer o Campeonato Nacional de Montanha e se é certo também que as categorias 2, 3 e 4 já estavam decididas a favor de António Nogueira, Tiago Reis e Joaquim Santos, respectivamente, é também certo que os últimos títulos foram disputados até à última prova.

Na Categoria 5, Joaquim Teixeira tinha, à partida, a tarefa facilitada. Bastava-lhe terminar para ser campeão, após cinco vitórias em outras tantas provas. Na última passagem pela Penha não conseguiu a sexta vitória do ano, por 25 milésimas de segundo(!).

José Pedro Gomes partia para a derradeira prova com mais dez pontos que Hélder Silva. Se a vantagem poderia parecer confortável, não deixava muita margem para erro para o piloto do Ford Escort, que foi a Guimarães apostado em ganhar e assim fez.

O último vencedor por encontrar era José Figueiredo, que também partia com vantagem pontual para a derradeira prova e ao ser o mais rápido entre os clássicos com cilindrada inferior a 1300 cm3, se torna no vencedor da Taça Nacional de Clássicos de Montanha 2014.

Caiu o pano sobre o Campeonato Nacional de Montanha 2014, é agora tempo de reflexão e sobretudo de pensar e preparar a época de 2015. 

 José Pedro Gomes 

 Joaquim Teixeira

 José Figueiredo 

 

RALLYE NDML

 

O Rallye NDML Histórico, ultima prova da Classic Cup 2014, levado a efeito com imenso empenho durante os cerca de 275 km percorridos pelas bonitas estradas sinuosas de Ansião, Figueiró dos Vinhos, Pedrogão Grande, Castanheira de Pera e Oleiros. 
As medias exigidas nos 158 km dos percursos em regularidade tornaram a prova discutida ao segundo entre aqueles que claramente participaram para discutir os lugares cimeiros e até a própria classificação final na Classic Cup.
Assim desde o inicio se concluía que Rui Pereira e Filipe Menezes no Opel 1904SR estavam ali para discutir o 1º lugar, posição que iriam confirmar no final do Rallye. Na segunda posição aparecia o Bruno Vasconcelos acompanhado pelo indiscutível navegador internacional António Caldeira em VW Golf GTI lugar que conservariam até ao fim. 

A luta mais cerrada deu-se entre outras quatro equipas que no final ficariam separadas nos lugares seguinte por 1 segundo entre si.
No entanto, Ana Margarida Valente e Magda Ferreira em VW Golf GTI acabaram por arrebatar a 3ª posição  sendo que, com esta classificação, conquistaram também o 1º lugar do Classic Cup 2014 cuja festa de entrega de prémios será efectuado em Fátima no próximo dia 23 de Novembro - www.classicclube.com.
A equipa " Automóvel Clube do Centro/Associação Académica de Coimbra" acabaria por conquistar o 1º lugar por Team.
Na classificação especial da "Fiat Uno Cup", venceu neste Rallye a equipa Luis Cavaco e Rui Martini em Uno 45S.
Relembramos da importância da acção solidária com a HELPO - www.helpo.pt - de todos os envolvidos, organizadores e participantes,  associada desde a primeira hora a esta manifestação desportiva.
Publicamos as Classificações finais do Rallye NDML Histórico, bem como as Fotos disponibilizadas pela Organização em colaboração com o seu parceiro fotográfico - www.abtfoto.com.

Siga as actividades do NDML através do nosso site em www.rallyeverdepino.com ou na nossa página do Facebook

 

KARTING - BRASIL

Matheus Iorio disputa finalíssima da Seletiva de Kart Petrobras nesta semana em Guaratinguetá

Aos 17 anos, o paulista vai lutar pela maior premiação do kartismo nacional. O certame distribuirá R$ 60 mil e vários benefícios e incentivos ao grande vencedor, além de R$ 5 mil ao melhor novato da competição

A 16ª edição da Seletiva de Kart Petrobras acontece nesta semana, entre terça e quarta-feira (28 e 29 de outubro) no kartódromo de Guaratinguetá, interior de São Paulo. Durante a temporada, foram disputadas quatro rodadas classificatórias, totalizando 12 pilotos selecionados para a disputa da grande final. Dentre os jovens talentos do kartismo nacional está Matheus Iorio: aos 17 anos, o paulista, que faz em 2014 sua temporada de estreia na F3 Brasil — categoria Light —, conseguiu em São Luís, no Maranhão, sua classificação para a final da Seletiva e vai lutar pelo prêmio principal, de R$ 60 mil destinados ao campeão, além do prêmio do Troféu Lubrax de R$ 5 mil, destinados ao melhor estreante da competição.

Matheus estreou no kart em 2011 competindo na Copa São Paulo Light. Um ano depois, foi campeão paulista. Na sequência, passou a direcionar sua carreira para categorias de fórmula e priorizou treinos na Europa, mas sempre participou de competições de kart para manter o condicionamento físico e técnico. Neste ano, disputa a F3 Brasil e está na 3ª posição em sua classe.

Para a finalíssima da Seletiva, Matheus prevê um embate duro devido ao nível bastante alto dos seus oponentes em Guaratinguetá. Visando a disputa desta semana, Iorio intensificou o preparo físico e chegou a fazer alguns treinos no kartódromo que vai receber a prova. Na visão do piloto, a oportunidade de participar de uma das principais competições do kartismo brasileiro e lutar por prêmios que podem ajudar na sequência da sua carreira o motiva ainda mais para buscar o melhor resultado em Guaratinguetá.

A competição promovida pela estatal brasileira compreende a maior premiação da modalidade no país. Além dos prêmios em dinheiro destinados ao campeão e melhor estreante, os quatro melhores classificados participarão de um inédito programa de orientação, que inclui uma série de incentivos, com testes com um carro de fórmula na Europa, simulador de F1, presença no Mitsubishi Driving Experience com o multicampeão Ingo Hoffmann, além de palestras sobre preparação física e mental com Nuno Cobra Jr.

O regulamento da Seletiva de Kart Petrobras será cumprido da seguinte forma: a primeira e terceira tomada de tempos vão servir para formar seis grupos de dois pilotos cada, sendo que todas as voltas serão cronometradas e, para a pontuação, será considerado o melhor tempo de cada concorrente. Já a segunda tomada será em uma volta lançada, com o tempo também valendo para a pontuação. Na quarta-feira, os pilotos terão duas baterias classificatórias e duas baterias finais. O grande campeão será quem obtiver, na soma das três sessões da tomada de tempo, das baterias classificatórias e das baterias finais, a maior pontuação.

Matheus Iorio:

"Estou muito feliz por fazer parte de uma competição tão importante como é a Seletiva de Kart Petrobras. Será uma experiência valiosa para minha carreira, pelo formato da disputa e também pelo alto nível dos pilotos no grid, então vai ser mais uma oportunidade para aprender e crescer. Sem dúvidas, a premiação em jogo É uma motivação a mais, tudo isso é muito positivo. Quero aproveitar minha experiência, tanto de kart como de monopostos, para alcançar o melhor desempenho possível. Estou pronto para o desafio."

Seletiva de Kart Petrobras, Guaratinguetá, programação:

Terça-feira, 28 de outubro:
8:30h - Apresentação dos pilotos no kartódromo
9h - Pesagem dos pilotos
9:30h - Briefing e foto oficial
9:45h - Warm Up
10:15h - Início da 1ª Tomada de tempo
13h - Início da 2ª Tomada de tempo
15h - Início da 3ª Tomada de tempo

Quarta-feira, 29 de outubro:
8:30h - Apresentação dos pilotos no kartódromo
8:45h - Briefing
9h - Warm Up
10h - Início das corridas
12:30h - Prova para jornalistas
13:30h - Reinício das corridas
17h - Pódio

Clique nas fotos para baixar em alta resolução:

Matheus Iorio participa da Seletiva de Kart Petrobras entre terça e quarta-feira
Fabio Oliveira/radicalmotors

Clique na imagem para fazer o Donwload...

O paulista de 17 anos buscou a classificação para a final na etapa de São Luís
Fabio Oliveira/radicalmotors

Clique na imagem para fazer o Donwload...

Em Guaratinguetá, Iorio pretende aproveitar experiência no kart e em monopostos
Fabio Oliveira/radicalmotors

Clique na imagem para fazer o Donwload...

 

RED BULL AIR RACE ESTEVE AO RUBRO NA AUSTRIA

 

Britânico Nigel Lamb coroado Campeão na Áustria

 

A REGULARIDADE FALOU MAIS ALTO

 

Correspondendo em pleno ao perfil que o caracterizou durante toda a época, o britânico Nigel Lamb provou que a regularidade é uma arma suficientemente poderosa para chegar ao título da Red Bull Air Race World Championship. Em Spielberg, na Áustria, mais de 35 mil viveram de perto no passado fim-de-semana (25 e 26 de outubro) este emocionante desfecho do campeonato - com as estrelas Arch e Bonhomme a ficarem num segundo firmamento face ao maior brilhantismo dos “outsiders”.

 

À partida para a derradeira etapa do ano da Red Bull Air Race World Championship três pilotos tinham ainda hipóteses matemáticas para chegar ao título, naquela que foi já considerada a época mais competitiva de toda a história da competição. Ficou assim provado que a pausa de três anos veio permitir um relançamento em força do conceito criado em 2003, com as alterações técnicas a ditarem uma maior equidade entre as equipas. Foi isso mesmo que se viu ao longo do ano, com constantes trocas de líderes e mais espaço para os menos experientes brilharem.

 

Correspondendo também a uma das inovações desta temporada, onde as corridas alternaram entre a terra e a água, a competição viajou até aos Alpes austríacos para esgotar por completo a lotação o circuito automobilístico de Spielberg: 35 mil fãs aplaudiram o novo Campeão de 2014, o britânico Nigel Lamb: “É de facto espantoso ter conseguido chegar ao título”, uma justa recompensa para uma época muito regular com ouro na terceira corrida e cinco segundos lugares. A vitória na etapa acabou por pertencer ao piloto gaulês Nicolas Ivanoff, enquanto o terceiro lugar permitiu ao checo Martin Sonka celebrar a sua melhor prestação de sempre na Red Bull Air Race World Championship.

 

No entanto, o primeiro a destacar-se nos céus de Spilberg foi mesmo o piloto da casa Hannes Arch - que, motivado pelo seu público, começou por arrasar nos treinos e continuou imparável nas qualificações. Ao austríaco apenas a vitória permitiria chegar ao título, uma enorme pressão que o levou a uma atitude de “tudo ou nada” na final. O choque contra um pórtico insuflável deitou por terras as suas aspirações, deixando assim Lamb respirar de alívio. Aos 58 anos, o britânico que começou a voar inspirado pelas glórias do pai na Segunda Grande Guerra, atingiu o ponto mais alto da sua carreira desportiva.

 

Mais informações e conteúdos:

www.redbullairrace.com

www.redbull.pt

CLASSIFICAÇÃO 2014

| APÓS 8 ETAPAS



Nigel Lamb (62 pontos)

Hannes Arch (53 pontos)

Paul Bonhomme (51 pontos)

Nicolas Ivanoff (42 pontos)

Pete McLeod (38 pontos)

Mat Hall (33 pontos)

Matthias Dolderer (21 pontos)

Martin Sonka (18 pontos)

Yoshihide Muroya (10 pontos)

10º Kirby Chambliss (7 pontos)

 

CALENDÁRIO 2014


Emiratos Árabes Unidos  Abu Dhabi | 28 fevereiro e 1 março
Croácia  Rovinj | 12 e 13 abril
Malásia  Putrajaya | 17 e 18 maio
Polónia  Gdynia | 26 e 27 julho
Grã-Bretanha  Ascot | 16 e 17 agosto
Estados Unidos da América  Dallas/Fort Worth | 6 e 7 setembro
Estados Unidos da América  Las Vegas | 11 e 12 outubro
Áustria  | 25 e 26 outubro

 

PILOTOS 2014


Hannes Arch  ÁUSTRIA
Peter Besenyei  HÚNGRIA
Paul Bonhomme  GRÃ BRETANHA
Kirby Chambliss  E.U.A.
Matthias Dolderer  ALEMANHA
Matt Hall  AUSTRÁLIA
Nicolas Ivanoff  FRANÇA
Nigel Lamb  GRÃ BRETANHA
Pete McLeod  CANADÁ
Michael Goulian  E.U.A.
Martin Sonka  REPÚBLICA CHECA
Yoshihide Muroya  JAPÃO
JM RBAR_NIGEL_LAMB_CopySM RBARWC_2014_CopySM RBAR_NIGEL_LAMB_Copy

 

HYUNDAI RALLY TEAM EM ESPANHA

 

A Hyundai Shell World Rally Team termina o Rali de
Espanha com os três carros no “Top Dez”
 A Hyundai Shell World Rally Team recolheu informação valiosa na última
prova de asfalto da temporada enquanto a equipa continua o
desenvolvimento do Hyundai i20 WRC;
 Dani Sordo e Thierry Neuville lutaram pelo quarto e sexto lugar durante o
último dia e terminaram em quinto e sexto respectivamente;
 Hayden Paddon assegurou a sua primeira vitória numa especial e reforça
a confiança na sua única prova de asfalto do ano, terminando em nono
lugar.
A Hyundai Shell World Rally Team atingiu o seu principal objectivo com os três
carros a terminar o RallyRACC – Rally de España, no “Top Dez” e recolhendo
informação valiosa durante o evento. Os pilotos fizeram alguns tempos
assinaláveis no piso misto do dia de abertura e consolidaram as suas posições
durante o fim-de-semana, enquanto a equipa melhorou a afinação do Hyundai
i20 WRC nas estradas sinuosas da Costa Daurada.
Como estreantes na única prova do WRC formalmente classificada como piso
misto, o rali providenciou um desafio único para a Hyundai Shell World Rally
Team. Com duas vitórias nas especiais de sexta-feira, a primeira de Hayden
Paddon na SS3 e a segunda na SS6 de Thierry Neuville, que também
fugazmente liderou a prova, a equipa estabeleceu o ritmo do carro. Durante as
especiais de asfalto no sábado e domingo, os pilotos concentraram-se em
melhorar a estabilidade do carro nas estradas sinuosas e abrasivas.
O último dia da prova foi concluído com um total de 72.06 km de especiais de
asfalto. Duas passagens pela especial La Mussara de 20.48 km e Ruidecanyes
de 15.55km, a segunda das quais serviu como a Power Stage transmitida em
directo.
Dani Sordo (Hyundai i20 WRC nº8, co-piloto Marc Martí) atacou com força
durante o último dia, perseguindo Mads Østberg pelo quarto lugar. Terminando
como primeiro piloto da Hyundai Shell World Rally Team, ficou-se pelo quinto
lugar por 8.9 segundos, a sua terceira classificação consecutiva nos cinco
primeiros lugares. A conduzir apoiado pelos seus empolgados compatriotas, a
dupla esteve mais confortável nas estradas de asfalto deste fim-de-semana, e
teve um desempenho calculado e consistente com uma prova em grande parte,
livre de problemas, reflectindo a sua experiência no evento.
Sordo referiu: “Atacámos bastante durante todo o fim-de-semana e apesar de
não termos conseguido assegurar o quarto lugar, estamos contentes com o
sólido desempenho. Aprendemos bastante sobre a estabilidade do carro
durante o fim-de-semana, e recolhemos muita informação útil para ajudar a
melhorar o nosso desempenho em asfalto. Fomos cuidadosos para evitar
problemas durante o fim-de-semana e mais um lugar no “Top Cinco ”, é um
bom resultado para a nossa jovem equipa. Agradeço também aos apoiantes
locais – é bom ter tanta gente a apoiar-nos nas especiais.”
Thierry Neuville (Hyundai i20 WRC nº7, co-piloto Nicolas Gilsoul) acabou por
terminar um lugar atrás, em sexto, após ter travado uma batalha cerrada
durante todo o domingo, com Andreas Mikkelsen. Neuville liderou o rali no
primeiro dia no final da SS3, mas depois de um furo, caiu na tabela
classificativa e passou o fim-de-semana a trabalhar na melhoria da
estabilidade do carro, nas sinuosas especiais de asfalto.
Neuville disse: “Atacámos bastante no primeiro dia para marcar o nosso nível
de rendimento e mostrámos que temos grande potencial neste carro. Assim
que chegámos ao asfalto, lutámos bastante com a subviragem nas secções
estreitas e sinuosas típicas destas especiais, apesar do carro estar muito bem
nas zonas mais rápidas. Ainda estamos na nossa primeira temporada e
continuamos a melhorar a nossa afinação para asfalto, nesta nossa primeira
visita a Espanha, pelo que no cômputo geral, estamos a fazer bons progressos.
Estou ansioso por manter o ritmo do primeiro dia no Rali da Grã-Bretanha.”
Hayden Paddon (Hyundai i20 WRC nº20, co-piloto John Kennard) terminou em
nono lugar a sua primeira prova em asfalto após o Rali de Espanha do ano
passado. A prova começou de forma memorável para o Kiwi de 27 anos de
idade, ao conseguir a sua primeira vitória em piso de terra na SS3. Enquanto
estava pouco confiante na viragem do carro nos troços mais apertados de
asfalto, trabalhou com a equipa na recolha de informação para melhorar o
carro e aumentar o seu ritmo em relação aos seus companheiros.
Paddon referiu: “De uma forma geral, foi um rali positivo para nós. Eu garanti
a minha primeira vitória numa especial e obtivemos bastante informação e
experiência. Lutámos com a afinação em secções mais apetadas, mas
aprendemos todos bastante para ajudarmos a melhorar o nosso desempenho
em asfalto. É bom terminar nos dez primeiros sem grandes problemas, na única
prova do ano com este tipo de piso, e estou ansioso por voltar ao piso de terra
no Rali da Grã-Bretanha.
A 50ª edição do Rali de Espanha forneceu uma série de informação útil à
Hyundai Shell World Rally Team na sua primeira participação no evento. O piso
abrasivo de asfalto e as elevadas temperaturas na parte da tarde, foram um
desafio para a jovem equipa, nomeadamente nas secções mais lentas, estreitas
e sinuosas, mas os pilotos evitaram percalços maiores e trouxeram os três
carros até à meta, acumulando uma experiência valiosa.
O Chefe de Equipa Michel Nandan comentou: “Aprendemos muito neste fimde-
semana, sobre o nosso potencial de performance nestas condições. Os
pilotos atacaram bastante mas sofreram muito com o comportamento de
subviragem presente nos três carros. Sabemos que temos algum trabalho a
desenvolver, para melhorar a estabilidade nas secções sinuosas, mas
recolhemos bastante informação que nos vai ajudar. A equipa começou bem o
rali, com alguns bons desempenhos, e fizemos bastantes progressos na
afinação com os novos pneus, quando mudámos de terra para asfalto.
Felicitamos também o Hayden pela sua primeira vitória de um troço. Agora
temos que nos concentrar na próxima e última prova da temporada, de volta ao
piso de terra.”
Classificação Final Geral
1. S. Ogier / J. Ingrassia (Volkswagen Polo R WRC) 3:46:44.6
2. J.M Latvala / M. Anttila (Volkswagen Polo R WRC) +11.3
3. M. Hirvonen / J. Lehtinen (Ford Fiesta RS WRC) +1:42.2
4. M. Østberg / J. Andersson (Citroën DS3 WRC) +2:13.3
5. D. Sordo / M. Martí (Hyundai i20 WRC) +2:22.2
6. T. Neuville / N. Gilsoul (Hyundai i20 WRC) +4:01.0
7. A. Mikkelsen / O. Floene (Volkswagen Polo R WRC) +4:02.9
8. M. Prokop / J. Tomanek (Ford Fiesta RS WRC) +8:06.8
9. H. Paddon / J. Kennard (Hyundai i20 WRC) +9:12.4
10. N. Al-Attyiah / G. Bernacchini (Ford Fiesta RRC) +12:39.8
2014 FIA World Rally Championship – Classificação de Pilotos
S. Ogier 242 points / J.M. Latvala 211 / A. Mikkelsen 150 / M. Hirvonen 108 /
M. Østberg 92 / T. Neuville 91 / K. Meeke 84 / E. Evans 71 / M. Prokop 42 /
D. Sordo 40 / H. Solberg 26 / B. Bouffier 20 / J. Hänninen 20 / H. Paddon 18 / R.
Kubica 14 / O. Tanak 11 / B. Guerra 8 / C. Atkinson 7 / P. Tidemand 6 / J.
Melicharek 4 / D. Kuipers 4 / N. Al-Attyiah 4 / L. Bertelli 2 / M. Gamba 2 / C.
Breen 2 / J. Protasov 2 / J. Ketomaa 1 / K. Kruuda 1 / K. Al Qassimi 1
2014 FIA World Rally Championship – Classificação de Construtores
Volkswagen Motorsport 416 points / Citroën Total Abu Dhabi World Rally Team
187 / M-Sport World Rally Team 180 / Hyundai Motorsport 175 / Volkswagen
Motorsport II 133 / Jipocar Czech National Team 45 / Hyundai Motorsport N
26 / RK M-Sport World Rally Team 25
Todos os resultados estão sujeitos à confirmação oficial por parte da FIA
127828 Neuville12ESP14cm762_Copy127842 Paddon12ESP14cm760_Copy127845 Sordo12ESP14cm769_Copy

 

NOVA EXPERIÊNCIA PARA PEDRO CASTANON NA PENHA 3

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

 

 

RAMPA DA PENHA 3

 

Pedro Castañón: "Estamos muy satisfechos... y con ganas de más"
 

Aunque el Lancia 037 Proto fabricado por Ya-Car Racing tiene configuración en su chasis y suspensiones para pruebas de tierra, Pedro Castañón acudió a la Rampa da Penha 3 (última prueba del Campeonato Portugués de Montaña) con ganas de ver su comportamiento en asfalto liso.

En esta ocasión no participaba con dorsal, sino que lo hacía ejerciendo las funciones coche 0. La situación, por lo tanto, no era la de exprimir al 100% los límites del coche sino ver sus posiblidades. Y estas sorprendieron, porque con el autoblocante taradao para tierra y con unos neumáticos usados y algo estrechos en su parte trasera, su comportamiento fué muy noble y seguro que salir con dorsal de carrera habríamos estado muy arriba.

Con todo lo sucedido durante la carrera (queremos aprovechar la ocasión para enviarles nuestros ánimos y fuerzas tanto a Rino como a Paulo) no hubo mucho tiempo a modificar parámetros de puesta a punto. Igualmente, el poco recorrido de la prueba no permitió al piloto compostelano hacerse al coche como si fuese un rallye, hábitat natural en el que este Lancia destaca por los reglajes de dirección y su docilidad fruto, sin duda, de un detallado estudio por parte de su constructor, YA-CAR.

Pedro Luis Castañón reconoce haberse quedado con ganas de probarlo en otra ocasión más, dando por hecho que el Lancia 037 Proto en pruebas de tierra tiene que ser super-eficaz, y en asfalto tiene seguro que va a ser efectivo también, especialmente con neumáticos en buen uso y con mayor dureza en amortiguación y barras estabilizadoras.

Por último, el equipo quiere agradecer a todos los aficionados en Portugal que se acercaron a felicitarnos por nuestro título de montaña 2014; a los que se interesaron por el espectacular Lancia 037 Proto que pudo conducir el joven piloto gallego, que fueron multitud; a la organización, por permitirnos salir en labores de coche 0, y a Perfecto Calviño, que fué quien desarrolló la idea de fabricar este precioso coche y con el que nos ofreció la oportunidad de estar presentes en la cita final del Campeonato Portugués de Montaña.

Estuvieron con nosotros en esta carrera: YA-CAR, COMVAL RACING, ROSADO SPEED, LISBOA REPUESTOS, PINTURAUTO, TERÁN Y BLANCO Y LA ELA EXISTE

 DSC 0150_CopyDSC 0159_Copylancia dedo_Copylancia curva_lavadero_Copylancia dentro_Copy

 

DEMOPORTO ABRE INQUÉRITO

DEMOPORTO ABRE INQUÉRITO

 

 

 

COMUNICADO

 

 

O Demoporto – Clube de Desportos Motorizados do Porto, em reunião de Direção, e após os fatos ocorridos na Rampa da Penha III, com o concorrente número 221, Joaquim Rino, decidiu proceder a um inquérito para apuramento total dos fatos ocorridos.

 

Porque o Demoporto se honra de servir os pilotos, a Federação, e o público em geral, informamos que nomeamos instrutores do referido inquérito o Senhora Doutora Mariana Carvalho Homem, o Senhor Engenheiro António Sérgio Areias e o Senhor Rui Alexandre Carvalho, com instruções precisas de efetuarem pormenorizado relatório a todo o sucedido, no prazo máximo de trinta dias.

 

 

 

JOAQUIM RINO CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2014 RAMPA DA PENHA 3 JOAQUIM RINO FICOU COM O CARRO DESTRUIDO NA PENHA

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2014

 

 

 

RAMPA DA PENHA 3

 

 

JOAQUIM RINO FICOU COM O CARRO DESTRUIDO NA PENHA

 

 

Joaquim Rino esteve muito perto duma tragédia no passado fim de semana por ocasião da Rampa da Penha 3.Na primeira subida de treinos, o piloto da Batalha não ficou muito longe do Juno de Rui Ramalho, por isso na segunda subida o objectivo seria tentar aproximar-se do líder, só que na conhecida curva da Morte, tudo esteve perto duma grande tragédia, pois o BRC ao fazer a curva imobiliza-se, e começa a pegar fogo. A partir deste momento, Joaquim Rino conta-nos o que se passou “ eu vinha a andar muito bem, e quando faço a curva para a esquerda, ouço um estalido no motor e vi logo que havia problemas no interior do motor, pois partiu uma biela. De imediato começa a pegar fogo, e eu com a pressa, tirei os cintos, e nem sequer tive tempo de activar  o sistema dos extintores que tenho no carro, pois como é lógico naquele momento a minha preocupação era sair do carro. A atrapalhação foi de tal ordem, que acabou por me cair a chave do meu BMW,que estava no bolso do fato, e que tinha me esquecido de deixar na carrinha de assistência com que me desloquei para a Rampa da Penha. Qual o meu espanto, logo que saio do carro tiro o capacete, e vejo o fumo, e  chega logo um comissário, com o extintor, e no sentido de facilitar a tarefa, resolvemos tirar o capot traseiro. Para meu  espanto, o extintor não funciona, chegando ao ponto  de indicar zero espuma.De seguida, um minuto depois chega um segundo comissário com outro  extintor que também não funciona, o que me deixou aterrado, pois as labaredas começaram a tomar conta do carro. Penso que dois ou três minutos mais tarde, chega um carro de bombeiros, que por ignorância dos mesmos, para apagar o fogo atiram água, o que veio piorar ainda mais a situação, até que depois surgem extintores dos bombeiros, e o fogo é apagado, mas já era tarde demais, pois o BRC já estava muito estragado, com muitos danos”.

 

 

 

Perante este cenário, com o carro destruído, Joaquim Rino acrescentou “ já falei com o meu advogado, nem sei quanto é o prejuízo, como se pode ver em muitas fotos o carro tem muitos danos, e agora só na fábrica da BRC em Espanha,  é que se poderá aquilatar o montante. Não sei ainda o que vou fazer, o que eu não entendo, é se por acaso eu não conseguisse sair do carro como era ? Se eu ficasse preso como seria ? Morria lá queimado? Por mais esforço que faça não entendo, nós pilotos sabemos os riscos que corremos, pagamos para ter segurança, e quando precisamos dessa segurança, nesse caso extintores os mesmos não funcionam? Como é?

 

 

 

Sobre os passos a dar acrescentou “ apresentei o caso no sábado à noite junto dos Colégio de Comissários Desportivos, onde expus toda a situação, tive de participar junto das autoridades locais, e agora com o meu advogado iremos ver os passos seguintes a dar, pois gostava de saber quem me irá pagar estes prejuízo todo. Para já não há mais nada a fazer, e vamos aguardar”, disse-nos.DSC 8904_CopyDSC 8918_Copy

 

35 ANOS MERCEDES BENZ CLASSE G

 

35 anos do Mercedes-Benz Classe G

Um homem, um Classe G, o trabalho de uma vida. Isto resume a essência de uma aventura global sem precedentes. Quando Gunther Holtorf e a sua esposa Christine decidiram partir no seu Mercedes-Benz 300 GD com o intuito de visitar o maior número possível de países à volta do mundo, o Classe G tinha apenas dez anos de idade. Hoje, passados 26 anos, cerca de 900 mil quilómetros percorridos e 215 países visitados, Gunther Holtorf e o seu Classe G – carinhosamente batizado de ‘Otto’ – regressam a casa na Alemanha. O veículo irá ocupar um lugar de destaque no Museu da Mercedes-Benz em Estugarda, onde será exibido aos visitantes. Como detentor do recorde mundial ‘Otto’ será também imortalizado no Guiness World Records. O fim desta jornada única à volta do mundo coincidiu com o 35ºaniversário do Classe G, ocasião marcada com o lançamento de modelos exclusivos - G 350 BlueTEC Edition 35 e o G 500 Edition 35.

 

Para Gunther Holtorf, 77 anos de idade, o seu Mercedes-Benz 300 GD, que a sua esposa apelidou carinhosamente de ‘Otto’ é por excelência o veículo para este tipo de aventura. “Em 1988, quando adquiri a viatura, fiquei um pouco cético acerca da promessa feita pela Mercedes-Benz –“Onde há um G, há um caminho”. Eu já tinha visto e conhecido alguns locais pelo mundo e tinha uma ideia aproximada do que um veículo teria de suportar para efetuar este tipo de viagem!” Este ceticismo inicial deu lugar, com o passar dos anos, a uma confiança incondicional nas capacidades de Otto. Especialmente em situações mais difíceis, a simbiose entre a família Holtorf e o seu Classe G cresceu.

 

 

 

 

Terra – Lua – Terra, mais de 80 mil quilómetros

Dos cerca de 900.000 quilómetros percorridos pelo 300 GD, mais de 250.000 quilómetros foram feitos fora de estrada, colocando à prova as suas características inatas. No cascalho, na lama, em estradas esburacadas ou subidas nas montanhas rochosas - para a suspensão e chassis este tipo de percurso equivale a cerca de 2.5 milhões de quilómetros em condições normais da Europa Central. Além do terreno desafiante, as condições meteorológicas foram outra condicionante, ‘Otto’ foi colocado à prova no calor implacável do deserto, na selva tropical e no frio do clima ártico. Como se tudo isto não fosse ainda suficiente, ‘Otto’ teve de lidar com o excesso de peso, transportando material de expedição, alimentos, ferramentas, peças de reposição e pneus de reserva, o veículo de expedição chegou às 3,3 toneladas – cerca de 500 kg em excesso face ao peso bruto admissível. Só o tejadilho transportava 400 kg. “ Devido à sobrecarga, o G foi equipado com suspensão reforçada. Mas tudo o resto se mantém inalterado. O motor, a transmissão, os eixos bem como o chassis não apresentam sinais de fadiga”.

 

Quando a viagem é um fim em si

Quando o veículo chegou a Estugarda, Gunther e a sua falecida esposa Christine Holtorf viajaram por 215 países com Otto. “Uma passagem rápida, um carimbo no seu passaporte e uma foto simbólica com o veículo na fronteira nunca foram suficientes para nós. Só é possível viajar por um país quando mergulhamos na cultura local, entramos em contato com os habitantes e ficamos a conhecer as suas histórias”. Quando todos estes critérios estão reunidos, então sim, podemos acrescentá-lo ao mapa-mundo pessoal. Este mapa-mundo, agora definitivo, e atravessado por linhas vermelhas, abriu algumas portas a Gunther Holtorf durante o seu planeamento, permitindo efetuar viagens através de países que até então pareciam impossíveis, nomeadamente Coreia do Norte, Myanmar e China. Gunther percorreu de forma solitária 25.000 quilómetros, chamando a estas viagens ‘Tours pioneiros’ – a primeira vez que um veículo estrangeiro com um motorista estrangeiro foi autorizado a circular através do país.

 

Antes de ‘Otto’ ocupar o seu espaço definitivo no Museu Mercedes-Benz, irá ser enviado para a estrada por mais dois anos a partir de fevereiro de 2015 – viajando pelos Centros Mercedes-Benz, pontos de vendas e atendimento na Alemanha e na Europa. ‘Otto’ acompanhará uma exposição desenvolvida especialmente para o veículo, contando com as paragens mais interessantes e experiências mais impressionantes. O tour terá início em Munique em fevereiro de 2015 – detalhes de outras datas podem ser encontradas em www.mercedes-benz.com.

 

Mais informações sobre a “Volta ao mundo – Tour 1989-2014” estão disponíveis em: http://www.ottosreise.de/start.html

 

Classe G 35 Edition

A carroçaria inalterada durante 35 anos demonstra de forma consistente que as suas linhas são o único caminho do qual o Classe G nunca se atreveu a afastar. A edição exclusiva do Classe G35, que coincide com o aniversário, está disponível para os G 350 BlueTEC e G 500. As jantes em liga leve e 5 raios duplos de 18” em preto brilhante, os para-choques dianteiros e traseiro, as embaladeiras, os espelhos exteriores e o tejadilho pintados em preto metalizado obsidian, em conjunto com a pintura exterior designo branco mystic ou cinzento metalizado palladium obtemos um contraste empolgante. Se pretendermos uma configuração mais sóbria podemos optar pela cor exterior metalizada preto obsidian. Os apontamentos de design conjugam-se de forma a obtermos uma aparência global marcante. O pack desportivo, de série, incluindo as embaladeiras AMG, sistema de escape desportivo no G500 assim como o pack cromado com inserções na grelha do radiador, nos comandos dos ajustes dos bancos assim como nos aros dos altifalantes ou as embaladeiras de portas com a inscrição “Mercedes-Benz” tornam o interior do veículo ainda mais atrativo.

 

Puro luxo e conforto no interior

O interior do G 35 Edition corresponde ao exclusivo exterior. Estão disponíveis estofos em pele, em dois tons porcelana/preto ou mono tom em preto designo. Em ambos os casos os pespontos vermelhos fazem sobressair o toque desportivo desta edição especial. Em conjunto com o pack Exclusive que inclui tablier forrado a pele, volante AMG performance, acabamentos interiores em piano preto, bem como o forro do tejadilho em design preto DINAMICA o resultado é um interior luxuoso. Os assentos ajustáveis com controlo de temperatura garantem uma atmosfera de bem-estar a bordo.

 Classe G_Edition_35_1_CopyClasse G_Edition_35_2_CopyClasse G_Edition_35_3_Copy

 

2º TITULO CONSECUTIVO

 

SÉRIE LE MANS EUROPEU 2014 - Round 4
4 HORAS DE ESTORIL (18 de outubro e 19 de 2014)
A título consecutivo segundo para alpino e NELSON PANCIATICI

Signatech-Alpine tinha jurado para lutar pela vitória no Europeu 2014 Le Mans Series (ELMS) season finale no Estoril, em Portugal. Embora o segundo lugar teria sido suficiente para garantir outra coroa, independentemente dos resultados de seus rivais, o equipamento francês, no entanto, aproximou-se este passeio decisivo como qualquer outro.

Da mesma forma, como tem feito em todas as ocasiões, desde maio, o Alpine A450b sublinhou a sua capacidade de competir até ao final afiada. Da terceira posição da grelha de partida, Nelson Panciatici já subiu para a segunda, quando os carros chegaram à primeira reta. O francês manteve contato com o líder Zytek todo o caminho para a primeira troca de pilotos. A batalha pela liderança se intensificou, mas o Alpine A450b estava novamente no comando uma vez que a segunda sequência de paradas de reabastecimento tinha sido concluída.
No entanto, um par de penas posteriormente suspendeu o andamento da Alpine A450b, com um stop-and-go inicial (relativa ao número de mecânicos ao redor do carro durante uma parada para reabastecimento) seguido de uma forçada de três minutos pit visita (rotação da roda no pit lane), que enviou o N ° 36 carro caindo para baixo a ordem para sexto na geral. Isso significava que, com menos de uma hora da corrida restante, um re-pensar a estratégia foi necessário, e Signatech-Alpine colocar todos os seus esforços para garantir que marcou os pontos necessários para ser capaz de conquistar o segundo título consecutivo. Mas Alpine recuperou a quinta posição e recebeu a bandeira quadriculada como campeão!

Philippe Sinault (Team Principal, Signatech-Alpine): "Estou muito feliz e orgulhoso do trabalho realizado por toda a equipe. Defender com sucesso um título não é tarefa fácil, o que torna a retenção de nossa coroa europeia ainda mais gratificante. A rodada final colocar todo mundo para o teste, mas toda a equipe manteve a calma, como têm feito desde que nós atingimos o nosso lugar no pódio em Le Mans. Devo agradecer Alpine para colocar a sua fé em nós. Juntos, temos compartilhado e continuar a partilhar alguns momentos incríveis e emoções. Rolar sobre o próximo ano! "

Nelson Panciatici: "Depois de uma sessão de qualificação positiva, fiz uma boa largada na corrida. Eu poderia talvez ter alcançado a liderança vai para a primeira curva, mas com o que estava em jogo, preferi jogar pelo seguro. Eu era capaz de manter um bom ritmo sem correr quaisquer riscos e apesar dos dois pênaltis que nos privam da vitória no Estoril, fomos capazes de ganhar o campeonato. Estou muito feliz de ser o primeiro piloto a defender com sucesso a coroa da classe LMP2, com o pódio em Le Mans 24 Hours é de dois resultados maciços. As apresentações estavam lá todo o ano. A equipa tem demonstrado que é forte e que a vitória do ano passado não foi por acaso. Um grande 'obrigado' a toda a equipe, Alpine, Philippe e meu companheiro de equipe Paul Loup e Oliver. Eu só espero que seremos capazes de manter este ímpeto no próximo ano "
Bernard Ollivier (Diretor Alpine): "O instinto de vencedor que tem sido uma marca Alpine finalmente triunfou! A equipe unida e trabalharam juntos para superar vários contratempos. Nós realmente arregaçou as mangas e saiu e lutou para este segundo título consecutivo. Cada membro da nossa equipa jovem - com uma idade média de apenas 24 - demonstraram sua maturidade. Oferecendo jovens pilotos talentosos a chance de provar-se é outra tradição Alpine! "
O sucesso representa terceiro título europeu da Alpine seguir os obtidos há 40 anos com o Alpine A441 e no ano passado com o Alpine A450. Panciatici é o primeiro piloto a reclamar back-to-back títulos nesta classe no Le Mans Series europeu!
Além da alegria evidente de manter a sua coroa árdua, Nelson Panciatici também é rápido para oferecer todo o seu apoio para Jules Bianchi e pessoas próximas a ele.Nelson Panciatici_Estoril_Copy

 

46 ANOS DE EXISTENCIA PARA O CAM

 

Aniversário do C.A.M – Clube Automóvel do Minho


Este fim de semana o Clube fez 46 anos de existência.

Foi em 25 de Outubro de 1968 que um grupo de ousados amantes do Desporto Automóvel criou este grande Clube. 
Os fundadores, o grupo enorme de antigos e actuais colaboradores e dirigentes, estão de parabéns.
8 Bits_CAM_CopyFOTO FUNDADORES_Copy

 

GOODYEAR TESTA TECNOLOGIA AMT

 

Goodyear testa tecnologia AMT

 

Esta tecnologia permite que  pneus mantenham o ar e uma pressão ótima sem necessidade de intervenção externa

 

image003.png@01CFF1F2.4BDC6B70" >A Goodyear vai começar a fazer testes à sua tecnologia AMT para veículos comerciais em frotas de pesados nos Estados Unidos durante os próximos meses. Estes testes fazem parte de um projeto de investigação que conta com o apoio do Gabinete de Tecnologia Automóvel do Departamento de Energia dos Estados Unidos. O desenvolvimento desta tecnologia mostra o compromisso da Goodyear em procurar formas de ajudar as frotas com os desafios chave como a eficiência energética.

Este desafio foi debatido recentemente durante o simpósio sobre “O futuro da mobilidade” organizado pela Goodyear EMEA em Bruxelas, onde a empresa apresentou o relatório “O futuro da mobilidade: frotas inteligentes e o futuro do transporte rodoviário”. Uma das principais conclusões da investigação foi que o custo de combustível é a preocupação número 1 das frotas europeias de veículos. A manutenção correta da pressão dos pneus é um elemento essencial para melhorar a eficiência energética e reduzir as emissões e uma das recomendações chave do relatório. A tecnologia AMT que mantém a pressão ótima vai ao encontro dessa recomendação.

Desde 2011 que a Goodyear trabalha e testa esta tecnologia que pode ajudar a conseguir poupanças de combustível e a reduzir as emissões, bem como aumentar potencialmente a vida útil do pneu, a durabilidade da carcaça e eliminar a necessidade de enchimento manual dos pneus. Nesta nova fase, diversas frotas de pesados nos Estados Unidos e Canadá vão testar a tecnologia AMT nos próximos image005.png@01CFF1F2.4BDC6B70" >18 meses nas suas rotas diárias.

“A Goodyear é uma empresa reconhecida pelas inovações e, para nós, o futuro da mobilidade começa hoje com o teste da tecnologia AMT nas frotas de pesados na América do Norte. Agora podemos disponibilizar aos clientes pneus para pesados que mantêm a pressão correta, além de ajudá-los a melhorar a eficiência de combustível e a quilometragem dos pneus no futuro”, declarou Michel Rzonzef, vice-presidente de pneus para Veículos Comerciais da Goodyear na Europa, Médio Oriente e África.

A tecnologia AMT permite aos pneus permanecer cheios com uma pressão ótima sem a necessidade de utilizar bombas externas. O sistema usa uma bomba peristáltica que mantém automaticamente a pressão nos níveis desejados. Todos os componentes do sistema AMT, incluindo a bomba, encontram-se dentro do próprio pneu.

O Gabinete de Tecnologia Automóvel do Departamento de Energia dos Estados Unidos destinou uma subvenção de 1,5 milhões de dólares (1,17 milhões de euros) à investigação, desenvolvimento e testes do sistema AMT para pneus de pesados levados a cabo no Centro de Inovação da Goodyear em Akron, Ohio

 

Sobre a Goodyear

 

A Goodyear é uma das maiores empresas de pneus do mundo. Emprega aproximadamente 69.000 pessoas e fabrica os seus produtos em 51 fábricas em 22 países em todo o mundo. Os seus dois centros de inovação em Akron (Ohio) e Colmar-Berg (Luxemburgo), trabalharam para desenvolver produtos de ponta e serviços que estabeleçam os standards da tecnologia e rendimento na indústria

 

A gama de pneus da Goodyear Dunlop Europa para veículos comerciais e autocarros incluem mais de 400 pneus diferentes em mais de 55 tamanhos. Muitos dos principais fabricantes comerciais do mundo usam pneus Goodyear de série, entre eles a DAF, Iveco, MAN, Mercedes-Benz, Camiões Renault, Scani e Volvo. A Goodyear também fornece pneus aos principais serviços de reboque. Graças à Fleet First, que inclui a rede de serviços TruckForce, a linha 24h de assistência na estrada, o sistema de gestão online FleetOnlineSolutions e as tecnologias para recauchutar da Goodyear, a empresa oferece uma das mais amplas gamas de serviços específicos para o sector.

 

Para obter mais informações sobre a Goodyear e os seus produtos, visite www.goodyear.com

 

Goodyear AMT_AirMaintenanceTechnology_CopyGoodyear AMT_Commercial_Graphic_PT_Copy
 

JOÃO LOPES QUER VENCER

 

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno

Baja 500 Portalegre

30 de Outubro a 1 de Novembro



João Lopes apostado em conquistar a vitória  

Equipa JL Racing reforçada com Marco Araújo, piloto do Team Angola

João Lopes e o seu navegador Bruno Santos disputam, de 30 de Outubro a 1 de Novembro, mais uma edição da Baja 500 Portalegre a derradeira jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno. Aos comandos do Polaris RZR 1000 com o qual já venceu esta temporada, o piloto do JL Racing/Firststop/Pneudirecto está apostado em lutar pela vitória na mais importante competição nacional da modalidade.

Na mítica competição organizada pelo ACP a equipa da JL Racing conta desta vez com um segundo Polaris RZR 1000 para a dupla Marco Araújo/Marco Mineiro, formação integrada também no projeto Team Angola, que congrega os vários pilotos que provenientes de Angola vieram até Portugal para disputarem esta prova.

 

“A Baja de Portalegre é uma prova extraordinária com uma moldura humana fabulosa. Triunfei em 2004, quando corria de Quad, mas nunca consegui vencer em UTV. Vamos trabalhar e lutar para que seja desta vez. Vencer aqui é como vencer um campeonato e queria muito dar essa alegria a todos os que me tem apoiado, salienta João Lopes, o piloto da JL Racing/Firststop/Pneudirecto.

 

A Baja 500 Portalegre inicia-se com as verificações documentais e técnicas que terão lugar na 5ª feira, dia 30 de Outubro. No dia seguinte terá lugar a primeira etapa, com a realização da super especial prólogo. No Sábado, primeiro dia de Novembro, os concorrentes irão enfrentar uma etapa com partida do Crato e chegada a Portalegre, composta por um troço único cronometrado com 380 quilómetros de extensãoJoo Lopes_Bruno_Santos_CopyJoo Lopes_Polaris_1000_Copy
 

OBJECTIVOS SUPERADOS PARA MANUEL CORREIA

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

 

 

RAMPA DA PENHA 3

 

OBJECTIVOS SUPERADOS PARA MANUEL CORREIA




Manuel Correia foi o grande vencedor da categoria 1 no passado fim de semana na Rampa da Penha 3, ao conseguir sempre os melhores tempos , tendo alcançado nas três subidas de prova os tempos de 1.39.370, 1.38.046 e 1.37.629, não dando qualquer tipo de trégua aos seus mais directos adversários impondo a sua lei ao volante do seu Skoda Fabia S 2000.Por isso depois de ter subido ao pódio, Manuel Correia estava satisfeito, e disse-nos logo “dever cumprido, foi a minha primeira época integral no Nacional de Montanha, correu muito bem, consegui de prova para prova melhorar sempre os meus tempos, sem cometer erros .Cheguei em algumas rampas a abusar um pouco da sorte ao passar de raspão nos rails, mas nunca bati, às vezes pouco faltou. Para mim esta época foi muito importante, pois serviu para aprender muita coisa, ficar a conhecer as rampas, que têm as suas próprias manhas, e diferentes características e graus de dificuldade. Por outro lado, foi importante saber tratar” por tu”, o meu Skoda Fabia S 20000, uma grande máquina, que na minha opinião foi uma excelente escolha. Por isso o balanço foi francamente positivo, e quero dedicar este sucesso a todos quantos me apoiaram, a minha mulher, os meus filhos,  e agora há que começar a pensar na próxima época”

 

 

Sobre a próxima época, Manuel Correia explicou-nos no que está a pensar “ será muito semelhante ao que fiz este ano, poderei quanto muito, isso caso tenha oportunidade de poder disputar uma ou outra prova de montanha fora de Portugal. Irei manter o Skoda Fabia S 2000, pois naquilo que está bem não se mexe ".




CLASSIFICAÇÃO FINAL CATEGORIA 1


FOX 2496_CopyFOX 2806_Copy

1º MANUEL CORREIA – SKODA FABIA S 2000

2º João Guimarães – Peugeot 206 RC

3º Joana Barbosa – Fiat Abarth 500

4º Sérgio Monteiro – Alfa Romeo 147

 

FIM EM PORTIMÃO

 

Autódromo do Algarve recebe FIM CEV Repsol International Championship

 

No próximo fim-de-semana de 1 e 2 de Novembro, o Autódromo Internacional do Algarve recebe o FIM CEV Repsol International Championship, um dos mais competitivos campeonatos de motociclismo do mundo. Uma estreia no AIA, num ano em que o Campeonato saiu de Espanha e faz duas visitas a países vizinhos, França e Portugal.

 

Em Portimão, o CEV vai realizar cinco corridas de quatro categorias distintas: Moto3. Moto2, Superstock 600 e Superbike sendo a grande oportunidade do público português assistir a corridas onde militam alguns dos melhores pilotos do mundo especialmente nas categorias para os mais jovens e onde a luta pelos títulos está ao rubro.

 

De salientar a presença de pilotos portugueses, nomeadamente Pedro Barbosa (Honda) entre as Moto3, Ivo Lopes (Yamaha) nas Superstock 600 e Tiago Magalhães (Kawasaki), Ricardo Lopes (BMW), Mário Alves (BMW) e Pedro Monteiro (Yamaha) nas Superbike. A jornada de Portimão será a penúltima do Campeonato com os principais pilotos na corrida aos títulos a quererem brilhar e garantirem em Portimão a melhor posição para a derradeira corrida em Valência.

 

O programa do fim-de-semana contempla ainda corridas do Campeonato Nacional de Velocidade e prevê actividade em pista na sexta, 31 de Outubro com a realização de treinos livres, no sábado, 1 de Novembro as sessões de qualificação e no Domingo 2 de Novembro, as corridas.

 

Os bilhetes são de apenas 5€ para as Bancadas e de 12€ para o Paddock.

 poster FINAL_CEV_2014_Algarve-01_2_Copy

 

VELOSO MOTORSPORT COM SALDO POSITIVO EM MONZA

 

Veloso Motorsport com passagem positiva pela “catedral da velocidade”

 

 

O regresso da Veloso Motorsport ao principal campeonato europeu de GT4, foi extremamente positivo, com a dupla Eugénio e Sérgio Montez a conseguirem uma boa evolução ao longo de todo o fim-de-semana, registando nas duas corridas disputadas no Circuito de Monza, um quinto e um quarto lugar na categoria GT4 AM, com o Aston Martin Vantage V8 da formação nortenha.

 

Os dois jovens pilotos do Luxevile Racing Team, estiveram consistentes nesta sua estreia internacional, fazendo face a uma concorrência fortíssima, num misto de pilotos profissionais e amadores que elevam o nível das GT4 European Series a padrões muito altos. Reconhecidamente um dos circuitos mais rápidos do mundo, Monza deixou os dois pilotos “apaixonados” pelo mítico traçado italiano.

Foi um fim-de-semana memorável, uma coisa que não vamos esquecer tão cedo. As dificuldades foram naturalmente muitas, desde o desconhecimento da pista até ao altíssimo nível dos pilotos em pista, tudo foi diferente para nós. Depois de um ano a conduzir um sport protótipo, chegar aqui e andar bem com um carro de GT não foi fácil, mas penso que conseguimos uma evolução muito positiva, aprendemos muito e acabamos o fim-de-semana com outra confiança. Eu estou deliciado com a pista de Monza, um traçado muito rápido que proporciona excelentes momentos e pilotagem. Fiquei igualmente muito agradado com o campeonato e vamos ver se conseguimos arranjar os meios, para estar aqui no próximo ano.” Disse Eugénio Montez.

 

É de facto uma experiência memorável, aquela que vivemos aqui em Monza. Sinto que saímos daqui mais completos enquanto pilotos e muito mais ricos em termos de experiência, depois desta passagem por este circuito e também por esta competição, onde o ritmo é elevadíssimo e onde os pilotos são muito experientes e rápidos. Pagamos um pouco a falta de conhecimento da pista, dado que pela sua rapidez é muito importante conseguir abordar da melhor forma todas as curvas, para que nas rectas não percamos tempo. Conseguir isto em tão pouco tempo não foi fácil, mas a evolução que registamos deixou-nos satisfeitos. O ambiente que vimos aqui em Itália, a competitividade do campeonato e o prazer que tivemos nesta experiência, leva-nos a ponderar seriamente uma presença neste campeonato em 2015. Vamos ver se o conseguimos.” Referiu Sérgio Montez.VMS271014A CopyVMS271014B CopyVMS271014C Copy

 

ECPA ARRANCADA - BRASIL

 

Novembro é mês de decisão em Piracicaba/SP

ECPA de Arrancada disputa 5ª e última etapa da temporada

 

Novembro é o mês da grande decisão do Campeonato ECPA de Arrancada, com a disputa final acontecendo nos dias 8 e 9 na reta do autódromo do Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo, em Piracicaba/SP, no interior de São Paulo. As últimas provas da temporada 2014, que existe há nove anos, são válidas pela quinta etapa do certame.

 

Na maior competição de Arrancada do Estado, mas que recebe pilotos de todo o país, são esperados mais de 120 pilotos e as provas prometem ser quentes já que das 20 categorias em disputa, 15 ainda não têm um campeão definido.

 

“Realmente, a disputa está em aberto em várias categorias, portanto a decisão de cada um desses títulos reserva muita emoção para essa etapa final”, afirma Daniella Giannetti, organizadora do evento.

As atividades começam na sexta-feira (7), quando os pilotos terão pista livre para treino, das 13h às 17h. As provas oficiais serão disputas por quatro baterias, seguidas de semi-finais e finais.

 

Serviço

O ECPA localiza-se na rodovia SP 135, Km 13,5, no distrito de Tupi, em Piracicaba/SP. O local possui lanchonete, restaurante, estacionamento, arquibancadas e sanitários. Mais informações pelo telefone (19) 3438.7901, e-mail //br.mc551.mail.yahoo.com/mc/compose?to= Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar " target="_blank"> Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar , site www.ecpa.com.br e facebook.com/ecpabrasil.

___________

site Copy
 

SHARK TANK CHEGA A PORTUGAL

 

Shark Tank chega à televisão portuguesa

 

  • Versão portuguesa do Shark Tank em exibição na SIC em 2015
  • Está aberta a 1ª fase de candidaturas em www.sharktank.pt

 

A versão portuguesa do Shark Tank, um dos mais aclamados programas de televisão, orientado para os novos negócios, chega à SIC no início de 2015. A primeira fase de candidaturas já está aberta e decorre online através do site oficial do programa em www.sharktank.pt.

 

O Shark Tank português chega pelas mãos da Blue Pipeline e será produzido para a SIC pela Take&Sound e Endemol, num formato que pretende ser fiel ao original e com o propósito de revolucionar a vida de muitos portugueses que procuram encontrar investimento para as suas empresas.

 

Para Luis Marques, administrador editorial da Impresa, “A SIC já é a estação da versão internacional do Shark Tank (na SIC Radical). A versão portuguesa é um grande desafio, mas estamos certos que terá a qualidade e o sucesso do original.”

 

“Os “tubarões” criaram e fizeram crescer os seus próprios negócios, tornando-se casos de sucesso e estão agora empenhados a contribuir para novos projetos com o objetivo de encontrar o melhor que os empreendedores portugueses têm para oferecer. As negociações com os “tubarões” serão certamente duras, mas vão realizar muitos sonhos e contribuir para o crescimento da economia nacional”, sublinha Paulo Sousa Marques, Produtor Executivo do Shark Tank em Portugal.

 

Para a Take&Sound, enquanto detentora dos direitos do Shark Tank para Portugal a par da Blue Pipeline, “é uma enorme honra, poder contar com a experiência da Endemol enquanto parceiro na coprodução” afirma Bruno Sambado, Diretor Geral Take&Sound.

 

Já “a Endemol está muito empenhada e motivada por trabalhar um formato tão conceituado e reconhecido internacionalmente” confirma Lurdes Guerreiro, Diretora Geral Endemol.

 

Os produtores do Shark Tank procuram os melhores empreendedores, quer tenham uma empresa que esteja a dar os primeiros passos e precisa de capital para crescer, uma patente ou um negócio de sucesso que precisa de capital para se internacionalizar.

 

Os candidatos terão de apresentar os seus projetos em vídeo durante um pitch de 5 minutos que pretende ser uma breve apresentação de vendas devidamente explicada de forma curta e objetiva. Depois de um processo de seleção, os melhores projetos passam à fase das gravações televisivas.

 

Refira-se que o Shark Tank, vai já na 6ª temporada nos EUA, tendo sido nomeado para o prémio “Producers Guild Award“, para os “Emmy” e para os “Critics’ Choice Television Award” e em 2014, venceu o Emmy para “Outstanding Structured Reality Program”.

 

Em Portugal, o programa passou na SIC Radical, tendo já sido transmitidas as cinco primeiras temporadas.

 

Mais informações em www.sharktank.pt.

 

Acompanhe o programa em: https://www.facebook.com/portugal.sharktankShark Tank_1_Copy

 

VODAFONE MEXEFEST

Vodafone Mexefest


Nova confirmação:
Wild Beasts

 

28 e 29 de novembro, Avenida da Liberdade, Lisboa
 

Cinema São Jorge (Sala Manoel de Oliveira, Sala Montepio), Ritz Clube, Palácio Foz, Estação Vodafone FM (Estação Ferroviária do Rossio |Refer), Starbucks, Sala Super Bock Super Rock|Garagem EPAL, Ateneu Comercial de Lisboa, Sociedade de Geografia de Lisboa, Coliseu dos Recreios, Igreja de S. Luís dos Franceses, Casa do Alentejo, Vodafone Bus I e II


 

www.vodafonemexefest.com | facebook.com/vodafonemexefest

 

Os dias que faltam para o Vodafone Mexefest são cada vez menos, mas os nomes que preenchem o já riquíssimo cartaz continuam a chegar. Hoje, confirma-se um nome enorme da cena indie mundial: Wild Beasts.

 



Colectivo constituído por quatro rapazes originários de Kendal, pequena localidade Inglesa, são hoje um fenómeno musical elogiado por todos os que reconhecem, com precisão e gosto distintivo, os melhores e mais singulares do universo da música alternativa. Com 12 anos de carreira e quatro discos de originais, “Limbo, Panto” (2008), “Two Dancers” (2009) – nomeado para dois Mercury Prize -, “Smother” (2011) e ”Present Tense” (2014), os Wild Beasts são hábeis na arte de misturar o rock com a pop, e embalar corpos dançantes com uma electrónica fina e muito melodiosa. O último “Present Tense” tem sido elogiado pela crítica, público e pares, e terá honras de destaque no Vodafone Mexefest.

 

Site | Facebook | Vídeo: "Wanderlust"



Vodafone Mexefest. De palco em palco, a Música mexe na cidade.

Mais novidades a anunciar brevemente.


 

Já confirmados:

Adult Jazz; Bristol; Capicua; Clã e Convidados; Cloud Nothings; Coro Africano; Curtis Harding; Deers; Duquesa; Éme; Francis Dale; Globaile com Branko, Dengue Dengue Dengue! e MGDRV; I Break Horses; JJ; Johanna Glaza; Kindness; King Gizzard & The Lizard Wizard; Meu Kamba Soundsystem; Modernos; Palma Violets; Perfume Genius; Pharoahe Monch; Salto; Savanna; Sensible Soccers; Sharon Van Etten; Shura; Sinkane; St. Vincent; Stereossauro; Throes + The Shine; Tiago Iorc; Tune-Yards, Wild Beasts.

 

Informação de Bilhetes


 

Preço dos Bilhetes

Preço único: €40

Troca obrigatória pelo próprio por pulseira no Coliseu de Lisboa a partir das 13h00 de dia 27 de novembro

Locais de Venda

Facebook Música no Coração, www.blueticket.pt - Call Center 707 780 000, lojas FNAC, lojas Worten, El Corte Inglês (Lisboa e V. N. Gaia), Centros Comerciais Dolce Vita (Amadora, Porto, Vila Real, Ovar, Coimbra, Tejo e Funchal), Casino de Lisboa, Galerias Campo Pequeno, Abep, Estações de Correios, lojas Media Markt, Turismo de Lisboa, www.ticketline.pt - Reservas e informações 1820 (24 horas), www.bilheteiraonline.pt, Coliseu dos Recreios.

App Vodafone Mexefest com desconto de 5€ para clientes Vodafone.

Packs Get a Fest

No estrangeiro:

Packs Festicket: Pacotes integrados com Bilhete + Alojamento + Transporte para o Festival.

Espanha: www.breakpoint.es, lojas FNAC, Carrefour Viajes e Halcón Viajes

Inglaterra: www.seetickets.com

Alemanha: www.ticketmaster.de

França: lojas FNAC www.fnac.com, Carrefour www.carrefour.fr, Géant, Magasins U, Intermarché, www.francebillet.com
 

 

JOSÉ CORREIA DENTRO DAS PREVISÕES

 

RAMPA DA PENHA 3

 

 

 

JOSÉ CORREIA DENTRO DAS PREVISÕES



Uma traseira subviradora, foi o obstáculo com que José Correia se debateu ao longo do passado fim de semana na Rampa da Penha 3, com o comportamento do seu Seat Leon, que acabou por não lhe permitir fazer melhor. Mesmo assim José Correia faria nas três subidas 1.43.154, 1.42.235 e 1.42.504, o que no final da prova  nos fez o balanço desta jornada “ o carro não esteve como eu gosto, a traseira fugia muito, ainda cheguei a apanhar dois sustos, mas consegui controlar.Com este problema não deu para subir mais na classificação geral, mas mesmo assim foi bom para terminar a época”.

 

 

Fazendo um balanço da época “ positiva sem dúvida alguma, foi a minha estreia, fiquei a conhecer as rampas, na qual tudo era novidade para mim, assim como o Seat Leon. Ao longo da época fui evoluindo, fazendo subidas cada vez mais depressa, sem cometer erros, nem excessos”




PLANOS PARA 2015



Sobre a próxima época, José Correia apenas nos avançou “ tudo indica que irei continuar no Campeonato de Montanha, em princípio não será este carro, ainda vou ter de tomar uma decisão, pois as minhas escolhas recaem num Seat Leon da actual Eurocup, ou então um Skoda Fabia S 200º, na qual poderia vir a fazer equipa com o meu irmão Manuel Correia. Por isso os próximos dias irei tomar uma decisão sobre qual das máquinas irei escolher, e de realçar, o carro que tenho será para vender, está impecável, não teve batidas, é só fazer manutenção, e está pronto para correr”, disse-nos.

 

 

CLASSIFICAÇÃO FINAL CATEGORIA 5

 

FOX 2793_CopyFOX 2934_Copy

1º Luis Nunes – Seat Leon Copa

2º Joaquim Teixeira – Seat Leon Super Copa

3º Luís Silva – Mitsubishi Lancer

4º Ricardo Gomes – Seat Leon

5º JOSÉ CORREIA – SEAT LEON

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

RED BULL AIR RACE NA AUSTRIA

 

 

Grupo de imagens da passagem da ultima jornada da Red Bull Air Race pela Austria.rd42 Copyred1 Copyred2 Copyred3 Copyred4 Copyred5 Copyred6 Copyred7 Copyred8 Copyred8 Copyred9 Copyred10 Copyred11 Copyred12 Copyred14 Copyred15 Copyred16 Copyred20 Copyred21 Copyred23 Copyred24 Copyred25 Copyred26 Copyred27 Copyred28 Copyred29 Copyred30 Copyred31 Copyred32 Copyred33 Copyred34 Copyred35 Copyred36 Copyred37 Copyred38 Copyred40 Copyred41 Copyred43 Copyred44 Copyred45 Copyred46 Copyred47 Copyred48 Copyred49 Copyred50 Copyred100 Copyred101 Copyred102 Copy

 

O ESTADO EM QUE FICOU O SEAT LEON DE PAULO SILVA

O ESTADO EM QUE FICOU O SEAT LEON DO PAULO SILVA

 

 

Vejampaulo1 Copypaulo2 Copypaulosilva-danieloliveira-bernardopovioaspeas1 Copypeas2 Copypeas3 Copy caros leitores o estado em que ficou o Seat Leon de Paulo Silva, depois de ter batido de forma aparatosa a mais de 100 km/h, na qual o habitáculo está direito, as tal ponto que o piloto saiu pelos seus próprios meios, sendo depois transferido por precaução para o hospital de Guimarães, onde mais tarde lhe foi diagnsticado, um problema num elo da coluna vertebral.

 

Fotos de Armindo Cerqueira - Foto GTI - Daniel Oliveira e Bernardo Póvoas - www.velocidadeonline.com

 

LOBATO DEU MUITAS BOLEIAS...DE RADICAL SR 3

          

                       

 

 

4 Horas do Estoril - European Le Mans Series

Rafael Lobato deu "boleias" no Autódromo do Estoril

 

   A presença de Rafael Lobato nas 4h do Estoril durante o European Le Mans Series teve como objectivo principal levar fãs a conhecer o Circuito do Estoril num carro de competição, neste caso o Radical SR3 com que sagrou Campeão no Nacional de Sport Protótipos C3.

 

   As 'boleias' foram muitas entre fãs, amigos e VIP's da organização mas destaca-se a presença do actor Joaquim Horta que pôde desfrutar de momentos de pura adrenalina numa pista que recebeu a visita de 17.000 pessoas durante os dois dias.

 

   Para Rafael Lobato estas acções são sempre importantes: "É a melhor forma de mostrar às pessoas um bocadinho daquilo que vivemos quando estamos em pista, a adrenalina, a velocidade, as curvas e o prazer. Foi muito bom fazer todas estas 'boleias' e sentir o divertimento e espanto de todos os eles. Espero poder voltar a repetir em breve", disse o jovem piloto de 16 anos que não se deixou intimidar e teve ainda oportunidade de explicar a todos o funcionamento da sua máquina.

 

   Durante os dois dias do evento, centenas de pessoas passaram pela tenda da equipa. Aí tiveram a oportunidade de sentir a emoção de estar ao volante de um carro de competição, tirar fotos no seu interior, colocar várias questões sobre o seu funcionamento, receber fotos autografadas e vários brindes do piloto e seus patrocinadores.

Rafael Lobato já terminou a sua época desportiva e espera em breve poder anunciar o seu projecto para 2015.

 

 

 

Piloto - Rafael Lobato
Piloto de Vila Real, com apenas 16 anos que, depois de vários títulos conquistados no karting, disputou nas últimas 3 épocas o Campeonato de Portugal de Ralicross onde se sagrou Campeão por duas vezes. Aliás, é o mais jovem Campeão de Portugal de toda a história do automobilismo nacional, ao vencer em 2012 com apenas 14 anos de idade.
 
Em 2012 foi ainda distinguido pelo mais importante jornal desportivo nacional Autosport com o prémio Piloto Revelação Portugal 2012.
 
Já foi por duas vezes distinguido com o prémio "Bilas de Ouro" na Gala do Desporto Municipal de Vila Real e em 2013 foi distinguido com o Prémio de Mérito Desportivo pela Câmara Municipal de Vila Real.
 
Nos seus tempos livres dedica-se às corridas virtuais em simuladores.
 
Carro - Radical SR3 RS
O carro a utilizar será um Radical SR3 RS, um Sport-protótipo da classe C3, o degrau de entrada nesta categoria que tem o expoente máximo nas viaturas que todos os anos disputam o Mundial de Resistência, onde se incluem as míticas 24 Horas de Le Mans.
 
Com mais 900 unidades vendidas em todo o mundo, o Radical SR3 RS é líder na sua classe e adapta-se perfeitamente tanto ao condutor principiante como ao mais experiente piloto profissional.
 
   Com chassis tubular FIA, motores de 1340 ou 1500cc, caixa de 6 velocidades sequencial e comando por patilhas no volante, travões de disco ventilado nas quatro rodas e cockpit com dois lugares, o Radical desenvolve uma potência entre 210 e 250 CV às 10.500 rpm e um binário máximo de 217 Nm às 7.000 rpm.
 
Dimensões: 4.10m x 1.79m x 1.04m (C x L x A)
Peso: 540 - 570 Kg
Velocidade máxima: 250 Km/h
Aceleração ( 0-100 Km/h): 3.1 s
Forças G em travagem: 2 G
Forças G em curva: 2.5 G
 
As provas - Campeonato Nacional de Velocidade (Sport-protótipos)
  O Racing Weekend é um conceito criado pela Full Eventos em 2010, ao qual se junta agora a ProMotorsport, para a promoção e divulgação dos fins-de-semana de Jornadas de Automobilismo dos vários Campeonatos de Portugal da modalidade, onde o Campeonato Nacional de Velocidade (CNV) assume o papel de destaque. Fins-de-semana estes cheios de grande emoção e competitividade, com uma mistura de circuitos citadinos, circuitos fechados, e com a novidade das rampas.
 
   O número total de provas que integram o CNV de 2014 é de 10 (dez) corridas e 2 rampas (4 subidas por rampa), que se desenrolam nas seguintes provas:
- 12 a 13 Abril - Braga Racing Weekend
- 10 a 11 Maio - Falperra Racing Weekend (4 subidas de corrida)
- 07 a 08 Junho - Serra da Estrela Racing Weekend (4 subidas de corrida)
- 21 a 22 Junho - Vila Real Racing Weekend (2 corridas de 40´cada)
- 19 a 20 Julho - Portimão Racing Weekend (2 corridas de 50´cada)
- 06 a 07 Setembro - Algarve Racing Weekend (2 corridas de 50´cada)
- 04 a 05 Outubro - Estoril Racing Weekend (2 corridas de 50´cada)
 
   Em cada corrida, as equipas terão que fazer uma paragem obrigatória nas boxes para troca de pilotos.
 
   Englobados no Campeonato de Nacional de Velocidade 2014, serão disputados os seguintes Campeonatos:
- Campeonato de Nacional de Velocidade (Absoluto)
- Campeonato Nacional de GT
- Campeonato Nacional de Turismos
- Campeonato Nacional de Sport Protótipos
- Taça Nacional de Circuitos Equipas – Absoluto
 
   Para além destes, o programa engloba várias outras categorias, entre Clássicos, Single Seater, Troféu Abarth 500, Desafio Único FEUP e Super Seven by KIA.

 

 

 

EXPO CLASSICOS EM GUIMARÃES

 

Certame dedicado em 2014 aos clássicos militares
Expo Clássicos com balanço muito positivo

 

Com uma excelente participação de público, a Expo Clássicos - 7º Salão de Automóveis e Motos Antigos de Guimarães, este ano dedicada aos clássicos militares, saldou-se num êxito e confirmou-se como um evento de referência.

Organizado pela Tempo Livre e pelo CAAG - Clube de Automóveis Antigos de Guimarães, a Expo Clássicos contou com cerca de 200 automóveis e motos antigas, que preencheram todos os espaços disponíveis do Multiusos de Guimarães, registando nos dias 25 e 26 de outubro uma excelente adesão de público, superior a 10 mil entradas. O certame do próximo ano já está agendado para os dias 24 e 25 de outubro de 2015.

Além de clássicos militares, o tema central da Expo Clássicos, o certame assinalou também os 50 anos Mustang e Fiat 850 e os 40 anos do Citröen CX. O programa da iniciativa incluiu ainda passeios de clubes, competições de slot cars e a apresentação do livro “António Rodrigues - Histórias de 19 anos nas corridas”, da autoria de Adalberto Ramos, que aborda o percurso de piloto vimaranense e integra depoimentos de Markku Alen, Mário Silva, Carlos Gaspar, “Nini Russo” e Joaquim Moutinho, entre outros pilotos.

Especial atenção dos visitantes mereceram uma chaimite da Associação 25 de abril, Willys, Haflinger, Land Rover (Exércitos espanhol e holandês), motociclos militares e veículos da unidade museológica da GNR (Shorland, Porsche 356 da BT, WV Carocha da BT) e da PSP (WV Carocha - patrulha de trânsito), assim como o circuito de prevenção rodoviária para crianças instalado no exterior do Multiusos de Guimarães pela GNR.

Com uma participação empenhada por parte dos expositores - que fazem questão de apresentar na Expo Clássicos os seus melhores veículos, peças, equipamentos, acessórios, livros, manuais, brinquedos e miniaturas – também vários clubes de automóveis e motos se fazem representar no certame e organizam passeios e concentrações.

“A Expo Clássicos 2014 superou as expectativas e as exposições temáticas voltaram a revelar-se uma mais valia e um elemento diferenciador que tornam o certame apelativo para o público e expositores, apesar de obrigar a  esforço organizativo suplementar”, refere Aníbal Rocha, Presidente da Tempo Livre. “Resultado de uma parceria estabelecida entre a Tempo Livre e o Clube de Automóveis Antigos de Guimarães (CAAG), desde 2008, a Expo Clássicos tem alcançado um sucesso que é resultado direto do trabalho profissional que harmoniosamente se aliou ao conhecimento e ao know-how de uma equipa multidisciplinar francamente envolvida em todas as etapas da organização”, realça Aníbal Rocha.

Na opinião de Eduardo Guimarães, Presidente do CAAG - Clube de Automóveis Antigos de Guimarães, o tema deste ano foi “foi enriquecedor da nossa memória, particularmente dos mais velhos, e que para os mais novos foi uma surpresa agradável e enriquecedora. A qualidade patenteada nas edições anteriores foi melhorada, assumindo a responsabilidade que nos foi transmitida pela adesão do público nas ultimas edições.”

“O 7º Salão de Automóveis e Motos Antigos de Guimarães, realizado no Pavilhão Multiusos, palco dos mais prestigiados eventos recreativos, desportivos e culturais de âmbito nacional e internacional, reuniu durante dois dias os mais sublimes e elegantes modelos que fazem parte das nossas memórias”, afirmou Domingos Bragança, Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, fazendo notar que “o Município de Guimarães acarinha sempre todos os eventos que acrescentam valor à nossa centralidade e que contribuam para a reconhecida dinâmica do nosso concelho”.

Contribuindo para a divulgação do património cultural e histórico que constituem os automóveis e motos antigos, a Expo Clássicos tem por objetivo promover o conhecimento, a promoção e a divulgação junto de colecionadores e admiradores de veículos de propulsão mecânica com mais de 25 anos, a aquisição e troca de veículos, restaurados ou para restauro, peças, equipamentos, acessórios e ferramentas da época e a aquisição e troca de livros, manuais, brinquedos e miniaturas.

A Expo Clássicos teve o apoio da Câmara Municipal de Guimarães e o patrocínio da Hermotor - Ford, Super Bock, Vitalis, Sumol, Gelados Olá e Bogani (fornecedor oficial), sendo media partners a Topos & Clássicos, Motor Clássico, Auto Vintage, Rádio Santiago, O Comércio de Guimarães, Desportivo de Guimarães e Guimarães TV.

 

 

 

HELDER OLIVEIRA COM NOVA MÁQUINA

 

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2014

Baja 500 Portalegre

30 de Outubro a 1 de Novembro

 

Helder Oliveira faz estreia internacional do DEpieres 2RM

  • Piloto de Barcelos aposta no 2RM português para jornada da Taça do Mundo
  • Condições meteorológicas facilitam tarefa da equipa

 

Helder Oliveira vai fazer, na próxima edição da Baja 500 Portalegre, a estreia internacional do DEpieres 2RM, o mais recente protótipo construído em Portugal nas oficinas de Fernando Santos. A dupla Hélder Oliveira/Nuno Rodrigues da Silva disputa, de 30 de Outubro a 1 de Novembro, a derradeira jornada da Taça do Mundo de Todo-o-Terreno que é também a etapa final do Campeonato Nacional da modalidade.

 

“Esta é a terceira corrida que vou fazer com a máquina de duas rodas motrizes construída pelo Fernando Santos e que vai agora fazer a sua estreia numa competição internacional. A Baja 500 Portalegre é uma corrida que me agrada muito, com características muito próprias e estou muito motivado para este novo desafio, tendo particularmente em conta que as condições meteorológicas prometem facilitar a nossa tarefa, explica Helder Oliveira que acrescenta: Temos vindo a desenvolver o carro e estou convencido que as alterações que foram introduzidas tanto ao nível de suspensão como de direção e ainda a nova opção de pneus, nos vão permitir sermos bem mais competitivos. Só tenho pena que a Peugeot não faça a sua estreia em Portugal, como chegou a ser falado, porque a nossa participação na classe de duas rodas motrizes seria bem mais animada”.

 

Iniciando-se com as verificações documentais e técnicas que terão lugar na 5ª feira, dia 30 de Outubro, a Baja 500 Portalegre arranca desportivamente no dia seguinte, com a realização do tradicional prólogo. No Sábado, os concorrentes irão enfrentar uma etapa composta por dois troços cronometrados distintos, com 200,41 e 212,61 quilómetros, respetivamente.

 

Mais informações sobre a prova em www.bajaportalegre500.comHelderOliveira NRSilva_00_CopyHelder Oliveira_DEpieres_2RM_Copy
 

O ESTADO DE PAULO SILVA

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

 

 

RAMPA DA PENHA 3

 

O ESTADO DE PAULO SILVA

 

Decorria a segunda subida de treinos para a rampa da Penha 3, na qual Paulo Silva tentava melhorar um pouco mais o seus tempos, de forma a poder dar réplica aos seus mais directos adversários, quando depois de passar a curva do Tanque, numa zona muti rápida de curvas encadeadas, de forma inexplicável, o Seat Leon bate com a  traseira do lado direito, e de repente o piloto da PDAuto acaba por ter uma saída muito violenta, primeiro contra um rochedo, e depois contra uma árvore, que acabaria por suster o Leon junto da estrada, pois caso contrário o carro acabaria por cair pelo monte abaixo. Paulo Silva ainda saiu do Seat Leon pelos seus próprios meios, mas depois foi colocado dentro duma ambulância que o transportou para o Hospital de Guimarães, onde lhe foi logo diagnosticado problemas num dos elos da coluna vertebral.

Assim na mesma noite, Paulo Silva seria transferido do Hospital de Guimarães, para o de Braga, onde hoje 3ª feira irá ser sujeito a uma intervenção cirúrgica, se sentido de reparar os danos ocorridos neste elo da coluna vertebral. O impacto que o Seat Leon sofreu foi de tal ordem, que o motor saiFOX 0114_CopyFOX 9942_Copyu disparado, no entanto o habitáculo estava impecável, nem o próprio roll bar estava torcido.

 

OBJECTIVO ALCANÇADO PARA JOSÉ PEDRO GOMES

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

RAMPA DA PENHA 3

 

 

OBJECTIVO ALCANÇADO PARA JOSÉ PEDRO GOMES


FOX 2341_Copy_CopyFOX 2452_Copy

Bastava um segundo lugar para José Pedro Gomes poder renovar o seu titulo de Campeão entre os clássicos, mas a verdade é que o piloto-advogado fez melhor, pois acabaria por conseguir bater o seu principal adversário, numa prova memorável, como nos explicou “ correu tudo muito bem, o carro esteve impecável, os meus parabéns para a minha equipa de mecânicos que fez um trabalho fabuloso para eles o meu muito obrigado”.

 

 

José Pedro Gomes faria nas três subidas os tempos de 1.39.661, 1.38.247 e 1.38.679, deixando o seu mais directo adversário a mais de dois segundos em cada subida. Sobre a época acrescentaria “ foi das mais difíceis que disputei até hoje, pois o BMW 323 do Hélder Silva é um carro muito competitivo. A verdade é que depois da Rampa da  Falperra, achei estranho as diferenças que ele conseguia face ao meu Ford Escort, o que me levou a ter de me reunir com a minha equipa para estudarmos a razão de tal diferença, e acima de tudo verificar se era a minha condução ou a preparação do carro que provocava este fosso. A verdade é que passamos ali uns tempos conturbados, cheguei mesmo a pensar parar de correr, mas a verdade é que chegamos à Rampa de Murça, e os comissários técnicos, resolvem, e muito bem fazer uma inspecção aos carros, e chegou-se rapidamente à conclusão que o BMW 323 não estava legal. Face a este acontecimento, que lamento profundamente, concluímos toda a nossa equipa que estávamos no caminho certo, e que o Escort poderia evoluir um pouco mais, o que se veio a verificar nas provas seguintes, culminando com a prova deste fim de semana na terceira passagem pela Rampa da Penha, na qual o carro estava impecável, excelente trabalho de todos os mecânicos, para ele uma vez mais o meu muito obrigado”.

 

 

Com o título renovado, resta saber quais os planos para 2015, o que logo José Pedro Gomes exclamou “ ainda não sei, a minha equipa pediu-me para fazer mais uma época com o Ford Escort, embora o que eu gostava seria um carro de tracção às quatro rodas, ainda não sei que marca e que modelo, mas nas próximas semanas terei de pensar bem no que irei fazer”.

 

Para terminar, o Campeão da categoria 6 “ dedico este titulo a todos os meus patrocinadores, que acreditaram no meu projecto desde a primeira hora, à minha família que se viu privada de mim, durante uma série de fins de semana”.

De referir que o andamento do Ford Escort de José Pedro Gomes ainda se classificou na 6ªposição à geral, a poucos segundos do Seat Leon de Joaquim Teixeira.

CLASSIFICAÇÃO CATEGORIA 6

1º JOSÉ PEDRO GOMES – FORD ESCORT

2º Hélder Silva – BMW 323

3º Aníbal Rolo – Renault 5 Turbo

4º Nuno Silva – BMW 325

5º José Figueiredo – Datsun 1200

6º Mário Mesquita – Datsun 1600 SSS

7º Abel Marques – Autobianchi A 112

8º José Artur – Datsun 1200

 

FRANCO EM PORTALEGRE EM DIRECÇÃO AO TITULO

 

Alexandre Franco em Portalegre para conquistar o título

 

Depois do segundo lugar obtido na Baja TT Rota do Douro, Alexandre e Rui Franco apenas precisam arrancar em Portalegre para somarem o seu primeiro título Nacional de Todo o Terreno, com a dupla de Alenquer a partir para esta prova sem qualquer tipo de pressão.

 

Chegando a Portalegre com o objectivo de não ter que lutar por posições para assegurar o título na Categoria T2, a dupla da Scuderia Goldentrans/DURA espera tirar o máximo partido da mítica prova alentejana, tendo o título Nacional em mente, contando para tal com a sempre fiável Nissan Navara preparada e assistida pela Prolama Competições.

 

Alexandre Franco começou por dizer que a equipa testou no passado fim-de-semana “e tudo nos parece bem preparado. O carro está no seu melhor e nós vamos para Portalegre com a vida facilitada para atingir aquele era o nosso principal objectivo para esta temporada, a obtenção do título de T2, pois basta-nos arrancar para a prova”.

 

O piloto que conta com os apoios da Goldentrans, DURA Automotive Systems e Eni conta que “esta é uma prova de que gosto muito e partir sem pressão é mais um argumento para nos podermos divertir ao longo da prova. Vamos estar entre os melhores do Mundo em mais um ano em que o título se vai decidir cá. Vamos procurar o melhor resultado possível, mas sem o comprometer a nível mecânico, pois quatro dias depois arrancamos para Guadalajara – Espanha, onde esperamos poder lutar pelo título na Taça Ibérica de Todo o Terreno”.

 

A Baja de Portalegre terá lugar já no próximo fim-de-semana, sendo a derradeira prova do Campeonato Nacional de Todo o Terreno, para quatro dias depois a Scuderia Goldentrans/DURA Automotive Systems partir para Espanha, a fim de participar na última prova da Taça Ibérica de Todo o Terreno.  G146888-X3_Copy

 

GALP É NOTICIA

 

Resultados 9 meses de 2014”

 

 

Principais destaques:

  • Aumento da produção no Brasil decisivo para resultado líquido de €236 milhões nos nove meses de 2014
  • Produção working interest totaliza 28,5 mil barris de petróleo e gás por dia (mboepd), mais 18% do que no período homólogo
  • Produção net entitlement aumentou 22% para 24,9 mboepd, dos quais mais de 70% correspondem à produção no Brasil
  • Exportação de produtos refinados para fora da Península Ibérica situam-se em 2,7 milhões de toneladas, uma diminuição de 18% devido à menor disponibilidade de produto resultante da paragem geral na Refinaria de Sines
  • Margem de refinação da Galp Energia foi de $2,4 por barril (bbl), mantendo-se em linha com os primeiros nove meses de 2013
  • Volume de gás natural vendido aumentou 8% atingindo os 5.586 milhões de m3, pelo aumento dos volumes de GNL comercializados nos mercados internacionais
  • Investimento de €776 milhões, dos quais 88% na área de Exploração & Produção, sobretudo no Brasil
 

RAMPA DA PENHA 3 EM IMAGENS

RAMPA DA PENHA 3 EM IMAGENS

 

Mais um grupo de FOX 2193_CopyFOX 2194_CopyFOX 2195_CopyFOX 2197_CopyFOX 2198_CopyFOX 2200_CopyFOX 2201_CopyFOX 2204_CopyFOX 2205_CopyFOX 2208_CopyFOX 2210_CopyFOX 2212_CopyFOX 2213_CopyFOX 2214_CopyFOX 2215_CopyFOX 2216_CopyFOX 2217_CopyFOX 2220_CopyFOX 2222_CopyFOX 2225_CopyFOX 2226_CopyFOX 2227_CopyFOX 2228_CopyFOX 2229_CopyFOX 2230_CopyFOX 2231_CopyFOX 2233_CopyFOX 2234_CopyFOX 2235_CopyFOX 2236_CopyFOX 2238_CopyFOX 2339_CopyFOX 2240_CopyFOX 2244_CopyFOX 2245_CopyFOX 2246_CopyFOX 2247_CopyFOX 2247_CopyFOX 2248_CopyFOX 2297_CopyFOX 2299_CopyFOX 2302_CopyFOX 2306_CopyFOX 2307_CopyFOX 2308_CopyFOX 2309_CopyFOX 2310_CopyFOX 2311_CopyFOX 2314_CopyFOX 2315_CopyFOX 2316_CopyFOX 2317_CopyFOX 2319_CopyFOX 2320_CopyFOX 2321_CopyFOX 2326_CopyFOX 2327_CopyFOX 2328_CopyFOX 2333_CopyFOX 2334_CopyFOX 2335_CopyFOX 2336_CopyFOX 2337_CopyFOX 2338_CopyFOX 2338_CopyFOX 2339_CopyFOX 2340_CopyFOX 2341_CopyFOX 2342_CopyFOX 2343_CopyFOX 2344_CopyFOX 2345_CopyFOX 2345_CopyFOX 2347_CopyFOX 2348_CopyFOX 2349_CopyFOX 2350_CopyFOX 2351_CopyFOX 2352_CopyFOX 2353_CopyFOX 2354_CopyFOX 2355_CopyFOX 2356_CopyFOX 2357_CopyFOX 2358_CopyFOX 2359_CopyFOX 2360_CopyFOX 2361_CopyFOX 2369_CopyFOX 2382_CopyFOX 2383_CopyFOX 2387_CopyFOX 2388_CopyFOX 2389_CopyFOX 2390_CopyFOX 2390_CopyFOX 2391_CopyFOX 2392_CopyFOX 2393_CopyFOX 2396_CopyFOX 2397_CopyFOX 2398_CopyFOX 2399_CopyFOX 2401_CopyFOX 2403_CopyFOX 2405_CopyFOX 2407_CopyFOX 2408_CopyFOX 2409_CopyFOX 2707_CopyFOX 2708_Copy imagens relativas à ultima subida de treinos e a priemira subida de prova.

 

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.com

 

PILOTO E PIVOT

De pivot a piloto

Hélder Silva foi à Penha, ser piloto por um dia

Estamos mais habituados e vê-lo a apresentar o Jornal da Tarde da RTP, mas desta feita sentou-se aos comandos de um Fiat Bravo e foi acelerar pela Rampa da Penha acima.

O carro é o Fiat Bravo que o Departamento de Mecânica (DeMEC) da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) desenvolveu para competição e foi o veículo com que Hélder Silva se estreou na Montanha.

À laia de balanço, o pivot do Jornal da tarde classifica-a como “agradável e uma excelente primeira experiência”, recorda algum nervosismo na partida para a primeira subida de treinos, comparável (quase) à que sentiu na primeira vez que apresentou o Jornal da Tarde:

“As duas são comparáveis, mas acho que estava mais nervoso da primeira vez que apresentei o  Jornal da Tarde. Desta vez estava nervoso, mas sentia que era uma situação de alguma liberdade, “barra”, responsabilidade, que a determinado momento cria um friozinho na barriga… mas agradável!” Rematou Hélder Silva.

alt alt

 

CRÓNICA DE JOÃO FERNANDO RAMOS

 

CRÓNICA FINAL   -  domingo

Já estou com saudades…

 

Foi tão saboroso terminar este rali. Nada foi fácil, mas com uma bela equipa e uma excelente planificação chegámos ao fim no 48º lugar. A classificação é o menos importante, as provas duras ou se ganham ou terminam-se. Estamos no lote dos 56 pilotos que venceram o desafio na edição número cinquenta, deste que é considerado por todos um dos mais bonitos e bem organizados ralis do WRC. Este ano foi uma festa incrível, com os troços repletos de público.

 

A nossa manhã começou com a especial dos cogumelos. O nome verdadeiro é La Mussara, mas quando vamos reconhecer estes loucos 20,4 quilómetros, há gente por todo o lado, a apanhar cogumelos.  O Janela gosta desta PEC pelo nome meio árabe, eu gosto pelo traçado que é exigente em todos os centímetros. Começa numa zona rápida, muito estreita com piso irregular onde ultrapassamos os 200 quilómetros hora em vários pontos. Pelo meio várias curvas apertadas com travagens fortes e saídas a escorregar. No final uma dúzia de quilómetros completamente encadeados a pedir tudo aos travões e ao piloto. Nada respira naquelas curvas, nem os travões, os diferenciais, os pneus, o navegador… e o piloto.

 

As notas de andamento são qualquer coisa como isto: direita 2, fica para esquerda 2 menos, 10 metros, direita 2, logo esquerda 3 a fechar na saída, 20, esquerda 3…trava forte para esquerda…atenção escorrega, está suja…cuidado…estreito…   UFA!!…

 

Chegámos ao fim e quando tentei parar o carro depois do stop o pedal dos travões bateu no fundo…e nada…Os senhores que iam confirmar os pneus lá se desviaram e a coisa correu bem. Parámos com o travão de mão…e lá deixámos a máquina arrefecer para tudo voltar ao normal.

 

A segunda especial foi Riudecanyes (15,55 km). É um traçado exigente, mas sem grandes dores de cabeça. Parámos na assistência e recomeçou a segunda volta pelas mesmas duas especiais. O carro foi todo revisto, os travões sangrados, pastilhas e discos acertados e ficou tudo novo.

 

Na entrada dos “cogumelos”, já prontos para partir fomos informados que havia um acidente e que o troço iria ser neutralizado. Significou fazer a especial em “passeio”. Foi um momento bonito com o público a vir para as bermas da estrada a aplaudir aquela parte final do pelotão do mundial. Fomos o tempo todo a acenar, partilhando com todos a festa de estar quase a terminar um rali destes. Não sei como foi ali parar tanta gente, mas estava particularmente bonita a moldura de adeptos que se deliciou com um rali competitivo e com os pilotos a darem sempre o seu melhor.

 

Fizemos a última especial com sabor a despedida, mas empenhados em não deixar chegar à nossa traseira um “bravo” que tripulava um Peugeot e estava apostado em “dar uma malha” nestes “velhinhos”. Não teve esse prazer…

 

Depois a assistência, com a felicidade estampada no rosto de todos. Tínhamos conseguido, eu e o Janela, mas também todos os que prepararam o carro e nos apoiaram nesta aventura no WRC. Recebemos a medalha, celebrámos com a equipa e depois um banho de bar e duas “fresquinhas”… para fazer descer a temperatura.

 

Já estou com saudades deste fabuloso carro que espero voltar a tripular no Rali de Portugal do próximo ano e voltar aqui à Catalunha. Não me levem a mal, mas adoro este rali. Obrigado a todos, voltaremos!

 final2 Copy

 

TITULOS DECIDEM-SE EM PORTALEGRE

 

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno

Baja 500 Portalegre

30 de Outubro a 1 de Novembro

 

Títulos decidem-se em Portalegre

  • Mário Patrão vs António Maio & Beto Borrego vs Ricardo Carvalho
  • Apenas nos UTV/Buggy o título já foi entregue
  • Presidente da FMP também vai correr

 

A cidade de Portalegre começa, a partir da próxima 5ª feira, a receber as muitas dezenas de participantes para aquela que é a mais importante competição de todo-o-terreno da temporada, a mítica Baja 500 Portalegre. A sétima e derradeira jornada do campeonato promovido pela Federação de Motociclismo de Portugal será decisiva para a coroação dos campeões nacionais nas disciplinas Moto e Quad, depois de em Góis ter já ficado resolvida a questão do título entre os UTV/Buggy, conquistado por Jorge Monteiro.

 Beto Borrego_Yamaha_CopyBruno Martins_Rage_Copy

 

EXPO CLASSICO EM GUIMARÃES

EXPO CLÁSSICO EM GUIMARÃES

 

Grupo de imagens referentes à edição da Expo Clássicos que teve lugar este fim de semana em Guimarães.

 

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 2269_CopyFOX 2270_CopyFOX 2271_CopyFOX 2272_CopyFOX 2274_CopyFOX 2275_CopyFOX 2276_CopyFOX 2277_CopyFOX 2278_CopyFOX 2279_CopyFOX 2280_CopyFOX 2281_CopyFOX 2282_CopyFOX 2283_CopyFOX 2285_CopyFOX 2286_CopyFOX 2287_CopyFOX 2288_CopyFOX 2290_CopyFOX 2291_CopyFOX 2293_CopyFOX 2294_Copy

 

RAMPA DA PENHA 3

RAMPA DA PENHA 3

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA - O ESTADO EM QUE FICOU O BRC DE JOAQUIM RINO

 

Eis o estado em que ficou o BRC CM 05 de Joaquim Rino depois do incêndio que danificou seriamente toda a carroçaria, conforme as imagens anexas.

 

 

Fotos de João Raposo - www.-velocidadeonline.comFOX 2249_CopyFOX 2250_CopyFOX 2251_CopyFOX 2257_CopyFOX 2258_CopyFOX 2259_CopyFOX 2260_CopyFOX 2261_CopyFOX 2262_CopyFOX 2263_CopyFOX 2264_CopyFOX 2265_CopyFOX 2266_CopyFOX 2267_Copy

 

JOANA BARBOSA NO PÓDIO NA PENHA 3

 

Campeonato Nacional de Montanha
Joana Barbosa termina época no pódio
A terceira passagem pela Rampa da Penha em Guimarães,
ocorrida este fim-de-semana, pôs fim ao Campeonato Nacional de
Montanha 2014, onde Joana Barbosa teve um desempenho muito
positivo, tendo em conta que se estreou na competição.
Nesta derradeira jornada, a jovem piloto de Braga voltou a ser
segunda classificada no Grupo A - Categoria 1, e neste último
grupo, foi terceira, o que lhe valeu idêntica posição em termos
absolutos no campeonato.
Conhecendo agora melhor o traçado, Joana Barbosa conseguiu
bater o seu recorde do traçado, em cerca de três segundos, o que
atesta bem a sua performance em mais esta passagem pela prova
vimaranense: “Acima de tudo divertir-me imenso, e consegui
perceber a minha evolução em termos de condução e
também da cada vez melhor adaptação ao carro”, começou
por afirmar a piloto que ainda teve um susto na segunda subida
oficial: “Fiquei sem caixa de velocidades, pois partiu-se um
tirante, mas conseguimos ultrapassar esse problema para
a derradeira subida”.
Joana Barbosa foi por pouco que não conseguiu ser a segunda
mais rápida da Categoria 1: “Foi muito bom, mas na última
prova aqui em Guimarães tive alguns problemas e as
condições climatéricas não eram as melhores, por isso é
complicada a comparação”, acrescentou ainda.
Em termos de balanço da época, a piloto da capital do Minho,
considera-o muito positivo: “Agora é uma questão de
continuar depois deste primeiro ano, tentando aperfeiçoar
tudo aquilo que fui aprendendo. Acho que o essencial era
também adaptar-me ao carro e colocá-lo nas melhores
condições. Uma vez que estes factores estão muito bem,
agora é esperar pela próxima época ondeJoana Barbosa_Penha3_2014_1_Copy

 

MIGUIEL OLIVEIRA CAIU

 

Queda inicial impede luta por resultado desejado em Sepang para Miguel Oliveira



 GH20988_1_Copy A 17ª etapa do campeonato do Mundo de Moto GP, na categoria de Moto 3, terminou hoje com um resultado diferente do esperado para Miguel Oliveira, após uma queda inicial que o impediu de fazer a prestação esperada e de continuar na disputa. O piloto português, que partiu da terceira linha da grelha de partida, na 9ª posição, arrancou bem mas uma queda após um incidente com Bastianini, logo na volta de abertura quando estava a começar a integrar o grupo da frente, impediu-o de continuar em pista e de voltar a pegar na sua MGP3O.

 

 O último fim-de-semana do périplo asiático no circuito de Sepang, na Malásia, ficou assim marcado por um desfecho inesperado para o jovem de Almada que esperava ter discutido o pódio, à semelhança do que fez no ano passado, onde além do recorde da volta mais rápida em corrida, conseguiu o primeiro pódio para a Mahindra Racing: “Estou desapontado. Ao tentar ultrapassar o Bastianini coloquei-me ao lado dele mas ele fez com eu fosse largo para cima do corretor. E por causa disso tive de desacelerar para não lhe bater e, ao fazê-lo em cima do corretor, a frente deslizou.” explica o único piloto luso em competição que caiu ainda na primeira volta.

 

Miguel Oliveira que teve um fim-de-semana difícil, mas sustentado, viu o seu esforço cair por terra, em matéria de resultados, e determinar a corrida.Não pontuando, mas mantendo o 11º lugar na classificação geral do campeonato (com 102 pontos) empatado com o 10º classificado, Brad Binder, Miguel Oliveira quer agora encerrar o ano para se começar a preparar para uma nova época e para perspetivas diferentes. O piloto que regressa a casa, durante uns dias antes de partir para Espanha, irá procurar recuperar e ganhar novas forças para fechar a época da melhor maneira possível. O GP de Valência acontece nos dias 7,8 e 9 de Novembro.

 

PILOTOS PARAPLEGICOS COMPETEM EM PORTALEGRE

 

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno

Baja 500 Portalegre

30 de Outubro a 1 de Novembro

 

Pilotos paraplégicos competem em Portalegre

  • Isidre Esteve e Valter Martins integram a competição UTV/Buggy
  • Também Miguel Vilar compete nos Quad

 

O português Valter Martins e o espanhol Isidre Esteve tinham tudo para sonharem com um futuro notável nas duas rodas. Por acidente, ambos ficaram paraplégicos. Nenhum baixou os braços e de Polaris ambos continuam a praticar a modalidade de que sempre gostaram. Na Baja 500 Portalegre os dois irão estar a competir lado a lado.

 

Em 2002 Valter Martins sagrou vice-campeão mundial júnior de Enduro. Pela frente tinha uma carreira promissora seguindo as pisadas do seu grande amigo Hélder Rodrigues. Em 2004, um acidente deixou-o paraplégico. Mas Valter Martins nunca baixou os braços e o tão ambicionado regresso às competições de todo-o-terreno teve lugar no Raid TT à Ferraria de 2013, onde se apresentou aos comandos de um Polaris, preparado pelo então campeão nacional João Lopes.

Isidre Esteve foi vice-campeão europeu de Enduro em 1995 e de Espanha em 1999. Participou várias vezes no Rally Dakar, onde foi 4º classificado nas edições de 2001 e 2005. Em 2006 travou uma dura batalha pela liderança com o compatriota Marc Coma, mas foi forçado a desistir depois de sofrer várias quedas a quatro etapas do final. Em 2007, sofreu uma lesão de extrema gravidade, depois de cair na Baja Almanzora, onde fraturou as vértebras T7 e T8.

Mas Isidre Esteve nunca desiste e tenta superar-se dia após dia. Piloto da equipa KH-7 Polaris acredita ser possível sagrar-se um dia campeão de Espanha, ele que este ano ocupa a segunda posição absoluta.

Mas na Baja 500 Portalegre participará também Miguel Vilar, que foi um destacado navegador e piloto, nos anos 80 e 90. Em 1997 um grave acidente quase lhe roubou a vida quando, em plena autoestrada, foi atingido por uma pedra na cabeça depois de esta ter partido o para-brisas do carro que conduzia. Esteve um mês em coma. Recusou-se a desistir e a sua recuperação é considerada um caso raro.

Para visitar António Damásio, o neurologista português que o tratou, atravessou de bicicleta os EUA de costa à costa, em 2011 e no início deste ano apresentou a sua história no livro “Entro no palheiro… E sento-me na agulha!”.

Pouco tempo antes do acidente tinha participado na Baja de Portalegre na mesma Yamaha Banshee com a qual agora se apresenta e onde apenas irá constar a frase “Tomás esta é por ti”, dedicada ao seu grande amigo Tomaz Melo Breyner.

Afirma que a sua participação tem como lema “Se o gajo conseguiu eu também consigo” uma frase que, de alguma forma, é extensiva a estes três pilotos que vão participar na Baja 500 Portalegre.

 Informações sobre a prova em www.bajaportalegre500.com

 

GALERIA DE IMAGENS - RAMPA DA PENHA 2

GALERIA DE IMAGEMS

 

RAMPA DA PENHA2

 

Grupo de imagens relativas ainda à Rampa da Penha 2 .

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 1393_CopyFOX 1394_CopyFOX 1395_CopyFOX 1396_CopyFOX 1397_CopyFOX 1398_CopyFOX 1399_CopyFOX 1400_CopyFOX 1401_CopyFOX 1403_CopyFOX 1405_CopyFOX 1406_CopyFOX 1408_CopyFOX 1408_CopyFOX 1409_CopyFOX 1410_CopyFOX 1420_CopyFOX 1421_CopyFOX 1423_CopyFOX 1422_CopyFOX 1424_CopyFOX 1425_CopyFOX 1428_CopyFOX 1429_CopyFOX 1430_CopyFOX 1431_CopyFOX 1431_CopyFOX 1432_CopyFOX 1433_CopyFOX 1434_CopyFOX 1436_CopyFOX 1439_CopyFOX 1441_CopyFOX 1442_CopyFOX 1443_CopyFOX 1444_CopyFOX 1446_CopyFOX 1447_CopyFOX 1448_CopyFOX 1449_CopyFOX 1450_CopyFOX 1451_CopyFOX 1453_CopyFOX 1455_CopyFOX 1457_CopyFOX 1458_CopyFOX 1459_CopyFOX 1460_CopyFOX 1465_CopyFOX 1466_CopyFOX 1467_CopyFOX 1471_CopyFOX 1473_CopyFOX 1473_CopyFOX 1475_CopyFOX 1480_CopyFOX 1481_CopyFOX 1482_CopyFOX 1483_CopyFOX 1484_CopyFOX 1485_Copy

 

CAMPEONATO DE MONTANHA CHEGOU AO FIM

CNM – RAMPA DA PENHA 3 - Domingo

Rui Ramalho fecha época a vencer

Rui Ramalho (Juno SSE) venceu, sem surpresa, a Rampa da Penha, impondo-se de forma clara nas três subidas de prova e juntou este triunfo ao alcançado na Falperra.

Com os prtótipos fora da jogada, devido a uma problema na caixa do BRC de Nuno Guimarães e ao incêndio que destruiu o outro BRC, tripulado por Joaquim RIno, os homens dos turismos passaram a ocupar as restantes posições do pódium.

Manuel Correia venceu a Categoria 1, aos comandos do Skoda Fabia S2000 e foi segundo na classificação geral, à frente de João Guimarães, que assim levou o Peugeot 206 ao segundo lugar da Categoria e terceiro da classificação oficial.

Joana Barbosa (Abarth 500) foi terceira na Categoria 1 e arrumou a seu favor a questão da melhor classificação para Senhoras.

alt

Como se esperava, em função do sucedido antes, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI) não teve dificuldades em realizar segundos tempos à geral. Venceu a Categoria 3, com 6,6 segundos de vantagem sobre Edgar Reis.

Luís Nunes (Seat Leon) acabou por vencer a Categoria 5, depois de uma subida “no tudo ou nada”, que lhe permitiu registar o terceiro tempo, e suplantar Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa) por 0,025 s. (!), pondo ponto final no domínio que o seu adversário exerceu ao longo do ano, traduzido em cinco vitórias, noutras tantas provas, já que nas outras duas primou pela ausência. Teixeira, arrumou assim a seu favor a questão do título da Categoria 5.

Na Categoria 6, José Pedro Gomes (Ford Escort) acabou por assegurar a vitória na prova e confirmar a conquista do título da categoria, que era o único que estava em jogo na derradeira jornada do Campeonato Nacional de Montanha.

Apesar de nos treinos Hélder Silva (BMW E21) e Aníbal Rolo (Renault 5 Turbo) terem dado a sensação que podiam contrariar o favoritismo do piloto do Ford, a realidade é que “no momento da verdade”, José Pedro Gomes foi mais forte e registou o melhor temp nas três subidas, sendo o único, da categoria, a baixar do segundo “40”.

Ainda nos clássicos, entre os  participantes da Taça Nacional (1300c.c.), José Figueiredo (Datsun 1200) venceu a prova em, ans contas finais da época, o Troféu.

Com o título conquistado pelo espanhol Pedro Castañon, que venceu metade (quatro) das provas realizadas (oito), terminou uma edição do Campeonato Nacional de Montanha.

Melhores tempos da 3.a subida de prova:

1º, Rui Ramalho (Juno SSE), 1.30,436; 2º, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 1.37,629 (1º da Categoria 1); 3º, Luís Nunes (Seat Leon), 1.37,770 (1º da Categoria 5); 4º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 1.37,915 (1º da Categoria 3); 5º, Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa), 1.38,281; 6º, José Pedro Gomes (Ford Escort), 1.38,679 (1º da Categoria 6); 7º, Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI), 1.39,909; 7.o, Hélder Siilva (BMW E21), 1.40,590; 9º, Ricardo Gomes (Seat Leon 1.8), 1.40,812; 10º, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 1.40,943. Subiram mais 16 pilotos.

Classificação final:

1º, Rui Ramalho (Juno SSE), 3.00,817; 2º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 3.14,163 (1º da Categoria 3); 3.o, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 3.15,475 (1º da Categoria 1); 4º, Luís Nunes (Seat Leon), 3.16,349 (1º da Categoria 6); 5º, Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa), 3.16,374; 6º, José Pedro Gomes (Ford Escort), 3.16,926 (1º da Categoria 6); 7º, Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI), 3.18,564; 8º, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 3.20,769; 9º, Hélder Silva (BMW E21), 3.22,744; 10º, Ricardo Gomes (Seat Leon 1.8), 3.12,589. Classificam-se mais 16 pilotos.

alt Rui Ramalho 

Primeiros mantêm-se intocáveis

A segunda subida de prova da Rampa da Penha não provocou alterações entre os três primeiros, que repetiram as posições alcançadas na subida.

Uma vez mais, Rui Ramalho (Juno SSE) foi o mais rápido, à frente de Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI) e de Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), que é o único que tem um lugar no pódio final ameaçado.

É que o piloto do carro checo dispõe de menos de meio segundo de vantagem para três adversários: Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa) que foi o mais rápido da Categoria 5, na segunda subida, e transformou um atraso de 0,113 s., em relação a Luís Nunes (Seat Leon), numa vantagem de 0,373 s., no conjunto das duas subidas, sobre o mesmo piloto, que está, também, na luta por um lugar no pódio; e José Pedro Gomes (Ford Escort), que voltou a dominar a Categoria 6 e que parece ter a vitória na Categoria assegurada, uma vez que dispõe de mais de quatro segundos de avanço sobre Hélder Silva (BMW E21), que ainda não baixou do segundo “41”, enquanto o piloto do Ford subiu das duas vezes.

Melhores tempos da 2ª subida de prova:

1º, Rui Ramalho (Juno SSE), 1.30,381; 2º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 1.36,589 (1.o da Categoria 3); 3º, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 1.38,046 (1º da Categoria 1); 4º, Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa), 1.38,093 (1º da Categoria 5); 5º, José Pedro Gomes (Ford Escort), 1.38,247 (1º da Categoria 6); 6º, Luís Nunes (Seat Leon), 1.38,579; 7º, Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI), 1.38,658; 8.o, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 1.40,541; 9.o, Ricardo Gomes (Seat Leon 1.8), 1.40,777; 10º, Hélder Silva (BMW E21), 1.41,134. Subiram mais 16 pilotos.

Classificação geral, após as duas subidas

1º, Rui Ramalho (Juno SSE), 3.02,135; 2º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 3.14,164 (1º da Categoria 3); 3º, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 3.17,416 (1º da Categoria 1); 4º, Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa), 3.17,812 (1º da Categoria 5); 5º, José Pedro Gomes (Ford Escort), 3.17,908 (1º da Categoria 6); 6º, Luís Nunes (Seat Leon), 3.18,185; 7º, Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI), 3.19,221; 8º, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 3.20,769; 9º, Hélder Siilva (BMW E21), 3.22,744; 10º, José Rodrigues (Honda Civic), 3.24,014. Estão classificados mais 16 pilotos.

alt José Pedro Goimes

Rui Ramalho ganha seis segundos na primeira subida de prova

Rui Ramalho (Juno SSE) assumiu o comando da Rampa da Penha, como consequência do facto de ter registado o melhor tempo na primeira subida, “cavando” uma vantagem de quase seis segundos para os seus mais directos perseguidores.

Sem adversários, para já, na Categoria 2, uma vez que Joaquim Rino (BRC 05), que viu o carro arder na véspera, e Nuno Guimarães (BRC CM02) não subiram, Rui Ramalho está lançado para averbar a segunda vitória do ano.

Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI) registou a segunda marca absoluta e continua a dominar a Categoria 3, com Manuel Correia (Skoda Fabia S2000) a fazer o mesmo na Categoria 1 e a perfilar-se como candidato ao pódio final.

Surpresa, para já, na Categoria 5, onde Luís Nunes (Seat Leon) averbou o melhor tempo (quarto da geral) batendo Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa), que venceu as cinco provas em que tomou parte, e Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI), que tinha sido o mais rápido nos treinos.

Na Categoria 6, José Pedro Gomes (Ford Escort) fez o melhor tempo e deixou Hélder Silva (BMW E21) a quase dois segundos (1,191 s.) e Aníbal Rolo (Renault 5 Turbo), a mais de três segundos (3,122 s.), o vantagem que pode vir a revelar-se preciosa nas duas subidas que faltam.

Melhores tempos da 1ª subida de prova:

1º, Rui Ramalho (Juno SSE), 1.31,754; 2º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 1.37,575 (1º da Categoria 3); 3º, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 1.39,370 (1º da Categoria 1); 4º, Luís Nunes (Seat Leon), 1.39,606 (1º da Categoria 5); 5º, José Pedro Gomes (Ford Escort), 1.39, 661 (1º da Categoria 6); 6º, Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa), 1.39,719; 7º, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 1.40,228; 8º, Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI), 1.40,563; 9º, Hélder Silva (BMW E21), 1.41, 610; 10º, José Rodrigues (Honda Civic), 1.42,755. Subiram mais 16 pilotos.

alt Manuel Pereira 

Rui Ramalho repõe a “ordem”

A subida de treinos livres abriu o segundo dia da Rampa da Penha, a derradeira jornada do Campeonato Nacional de Montanha, com Rui Ramalho (Juno SSE) a registar a melhor marca.

Sendo o único da Categoria 2 a subir, Rui Ramalho não teve oposição e bateu Manuel Correia) Skoda Fabia S2000) por quase seis segundos, confirmando o favoritismo que lhe é atribuído.

Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), que, ontem, tinha sido o mais rápido na segunda subida, averbou o terceiro tempo, à frente de Aníbal Rolo (Renault 5 Turbo) que aparece pela primeira vez no topo da tabela de tempos da Categoria 6, ao bater Hélder Silva (BMW E21), por 0,151 s., surgindo como sério candidato à vitória, numa categoria que tem sido dominada pelo piloto do BMW e por José Pedro Gomes (Ford Escort) que, esta manhã, cedeu quase oito segundos aos seus adversários.

Agora começam as coisas a sério, com as três subidas de prova

Melhores tempos:

1º, Rui Ramalho (Juno SSE), 1.33,490; 2º, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 1.39,379 (1º da Categoria 1); 3º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 1.40,595 (1º da Categoria 3); 4º, Aníbal Rolo (Renault 5 Turbo), 1.41,540 (1º da Categoria 6); 5º, Hélder Siilva (BMW E21), 1.41, 691; 6º, Luís Nunes (Seat Leon), 1.41,746 (1º da Categoria 5); 7º, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 1.42,266; 8º, Joaquim Teixeira (Seat Leon Super Copa), 1.44,085; 9º, Ricardo Gomes (Seat Leon 1.8), 1.44,868; 10º, Gustavo Moura (Citroen Saxo), 1.44,897. Treinaram mais 14 pilotos

altJoana Barbosa a melhor senhora

 

A CRÓNICA DE JOÃO FERNANDO RAMOS

 

O dia da especial de 50 quilómetros!

 

A noite passou rápido e a manhã tinha reservada uma estreia para mim no mundial de ralis, uma especial em asfalto com meia centena de quilómetros.

 

O dia começava com um pequeno aperitivo, e depois Escaladei. Sabíamos que a parte final estava muito suja, que a parte inicial é muito encadeada a exigir tudo do piloto e do carro e que no miolo tinha meia dúzia de retas muito rápidas que permitiam respirar. Nos reconhecimentos já tinha percebido que este seria um troço para se tornar mítico neste rali. A primeira parte de Escaladei é o antigo Priorat, que tem aquele gancho que está em todas as belas fotos deste rali. Foi por lá que começamos e fizemos o nosso melhor deixando escorregar o carro até uma bandeira portuguesa rodeada de um grupo  dos  “nossos” . É fabuloso ver a nossa bandeira em tantas curvas. Tenho que vos dizer de novo, obrigado!

 

Chegámos à entrada de Escaladei e confesso que fiquei apreensivo. Como seria fazer tantos quilómetros naquele ritmo? Como iriam resistir os braços, as costas e principalmente a concentração a tamanho desafio? E o carro ?

 

 O dia esteve particularmente quente e as coisas não se adivinhavam fáceis. O Janela recomendou concentração e sorriu.

   - Diverte-te e guia com alegria!

 

Foi o que fiz! A meio os pneus começaram a ceder, os travões pediam sempre mais força para responder. A parte final, completamente encadeada, sem nenhuma reta com mais de 50 metros, estava completamente cheia de terra. Cada curva era uma armadinha e o número de carros fora de estrada confirmava a dureza daquele troço.  Chegámos ao fim da primeira passagem com uma enorme sensação de alívio. Tínhamos conseguido e agora era só mais uma especial de 26,4 quilómetros, coisa pouca e estávamos com o dia meio ganho.

 

Na tarde, novo desafio. Estávamos a preparar os capacetes e pára um carro do outro lado da estrada de onde saiu o Presidente do ACP. Foi bom aquele abraço do Carlos Barbosa que vê também aqui que a festa dos ralis tem outra dimensão quando temos muito público, bem comportado, em todas as especiais. Para o ano tem que voltar a ser assim em Portugal.

 

A segunda passagem em Escaladei foi ainda mais complicada. Os pneus aqueceram ainda mais cedo, e o final estava ainda mais cheio de terra e pedras. Não sei como não furámos, mas lá conseguimos manter intacto o EVO X ao fim do dia. A festa seguiu depois na super-especial de Salou  e no parque de assistência, onde era difícil conseguir romper no meio de tantos adeptos deste fabuloso desporto.

 

Voltamos amanhã à estrada às 7:48 para as últimas quatro especiais do Rali da Catalunha, edição do cinquentenário. E que bela edição! Até amanhã com um abraço!!    

 salou Copy

 

ASSIM FICOU O CARRO DE JOAQUIM RINO

ASSIM FICOU O CARRO DE JOAQUIM RINO

 

Imagens aterradoras do incêncio do BRC CM 05 de Joaquim Rino, que ardeu completamente, isso motivado pelos dois extintores dos comissários de pista existentes no local não terem funcionado, sendo o incêncio extinto pelo carro de bombeiros, que segundo testemunhas, apenas chegou ao local três a quatro minutos depois do mesmo se ter niciado.As fotos em si são bmDSC 8904_CopyDSC 8918_Copyrino1 Copyrino2 Copyrino3 Copyrino4 Copyrino5 Copyrino6 Copyrino7 Copyrino8 Copyrino9 Copyrino10 Copyrino11 Copyrino12 Copyrino14 Copyl elucidativas, do que passou o piloto da Batalha, que felizmente não teve nenhum dano, o mesmo não se poderá dizer do carro....

 

MAGALHAES PREPAROU CORSEGA EM VALAIS

 

Bruno Magalhães preparou Córsega no Rally du Valais
Bruno Magalhães concluiu no Rallye International du Valais a preparação para o Rali
da Córsega. Depois do abandono prematuro no início do rali, os últimos dias em
situação de Rallly 2, serviram para o piloto português preparar o Rali da Córsega
que terá lugar a 6 e 8 de Novembro.
Hoje disputou-se o último dia de competição composto por oito classificativas com
o piloto português a optar por realizar apenas as primeiras quatro: "Já tínhamos
conseguido testar todas as soluções que pensámos para estes dois dias assim
como conhecer o figurino da prova e como começámos com problemas de
travões, decidimos que não fazia sentido continuar. Já não íamos conseguir
recolher mais informações", explicou.
Assim, Bruno Magalhães e a sua equipa, a Delta Rally preparam-se agora para
recuperar o Peugeot 208 T16 completamente face ao acidente de sexta-feira e
prepará-lo para a Córsega: "A equipa tem ainda muito trabalho pela frente e eu já
só penso nessa prova. O azar que tivemos na sexta leva-nos a querer vingar esse
infortúnio na Córsega. Saímos da Suíça a conhecer melhor o carro e mais
confiantes para p que aí vem", concluiu o piloto português.
Bruno Magalhães dará assim por terminada a sua época desportiva com a
participação na derradeira jornada do Europeu de Ralis de 6 a 8 de Novembro em
França.
Parasuia magalhaes2_Copy

 

OLIVEIRA SAI DE 9º LUGAR

 

Miguel Oliveira qualifica-se em 9º lugar na Malásia

 

 GH29331_CopyDG1 5476_Copy Miguel Oliveira registou hoje o 9º melhor tempo, na qualificação para o Shell Advance Malaysian Motorcycle GP, na 17ª etapa da temporada do Campeonato do Mundo de Moto GP no circuito de Sepang. O piloto português de 19 anos largará assim, na corrida de amanhã, da 3ª linha da grelha de partida.

Depois de um 8º melhor tempo (2.13.526s) nos terceiros e últimos treinos livres desta etapa, Miguel Oliveira não conseguiu melhorar o tempo na qualificação, mas registou importantes desenvolvimentos na sua MGP3O, apesar das difíceis condições que se fizeram sentir com 33ºC de temperatura ambiente, muita humidade e o asfalto a atingir os 51ºC, que pioraram na qualificação, como explica também o piloto português. “Hoje o dia correu bastante bem, tivemos uma terceira sessão de treinos livres um pouco para pormos a mota mais ao meu jeito e para afinar alguns detalhes. Durante a tarde, na qualificação, tivemos temperaturas muito, muito altas e tivemos um pouco mais de dificuldades em conseguir arranjar mais aderência na parte traseira da mota.”

 

O jovem da Charneca da Caparica sentiu-se bem em pista e sabe que tem um bom ritmo, o que será extremamente importante para a corrida de amanhã: “A meio da sessão (qualificação) tentei experimentar uma modificação no amortecedor traseiro e parece ter dado alguns frutos, mas na última saída não consegui apanhar nenhum cone de ar, estava muito calor e era também bastante importante para que a mota conseguisse ganhar um pouco mais de velocidade, mas não foi possível. Já tivemos em muito piores situações e sem ritmo.” Adianta o jovem de 19 anos, autor do recorde da volta mais rápida neste circuito em corrida no ano passado.

 

Miguel Oliveira está confiante e preparado para uma disputa competitiva amanhã, definindo como objetivo a luta pelo pódio: “O meu ritmo é muito bom. Aqui neste circuito estão disponíveis pneus macios de qualificação e toda a gente fez o tempo rápido com esses pneus. Eu fiz o meu tempo muito semelhante mas com um pneu de corrida atrás, e isso é um indicador de que para a corrida estamos bastante bem, apenas faltou aproveitar melhor o pneu traseiro na qualificação; mas conseguimos qualificar na terceira linha e amanhã vamos fazer uma corrida para lutar pelo pódio.” conclui

 

A disputa de amanhã está marcada para as 05h00, hora de lisboa, depois de um despertar dos pilotos da categoria de Moto 3 logo à 01h40 para o warm-up.

 

9 MILHÕES DE TOYOTAS NA EUROPA

 

Didier Leroy, presidente e CEO da Toyota Motor Europa anunciou recentemente este marco no Salão Automóvel de Paris: "A Toyota Europa está a comemorar, este mês, um novo marco com a produção de seu carro 9.000.000, na Europa. E sinto-me feliz por poder afirmar que o alcançamos esta marca com uma confiança graças a ampla gama de modelos, assim como um plano de produção sólido", referindo-se aos bons resultados económicos obtidos no último ano fiscal na Europa, integrados nos três anos consecutivos de crescimento de vendas neste continente, com planos para aumentar vendas ao longo do ano 2014.

"Na Toyota, temos uma longa tradição de produzir localmente os produtos que vendemos. Além desta filosofia, recentemente, ampliamos a nossa área de intervenção europeia ao abrir as exportações para fora deste continente com base na competitividade das nossas operações. Temos o compromisso de manter e aumentar a produção na Europa, trazendo as últimas tecnologias para este território, como as motorizações híbridas, inovações na gestão e técnicas de produção, permitindo que as nossas fábricas sejam cada vez mais competitivas a nível global", acrescentou Didier Leroy
 

ALD AUTOMOTIVE COM NOVIDADES

 

ALD Automotive: dicas para reduzir custos de mobilidade

Dia Mundial da Poupança

Em dia de Poupança, porque não poupar na sua mobilidade? Para comemorar o Dia Mundial da Poupança, a ALD Automotive, empresa especializada em Aluguer Operacional e Gestão de Frotas do Grupo Société Générale, lança alguns conselhos para uma frota financeiramente optimizada e operacionalmente eficiente.

São várias as medidas que as empresas podem adoptar para melhorar a gestão de frotas da sua empresa e reduzir os seus custos. Deixamos-lhe cinco passos/cinco dicas muito práticas:

1. Adequabilidade das viaturas às necessidades: Uma gestão eficaz e eficiente deve procurar racionalizar custos seleccionando a melhor viatura em função das necessidades, garantindo o melhor custo total de utilização em cada caso.

2. Uma contratação dos serviços exigente e eficiente: garantindo a máxima mobilidade dos utilizadores ao menor custo, quer operacional quer de gestão.

3. Máxima preocupação com o valor de investimento para a optimização fiscal: o agravamento substancial da carga fiscal no sector automóvel deve originar um impacto no processo de decisão das empresas, relativamente à sua frota automóvel. Hoje é necessário repensar as políticas automóveis e avaliar bem as opções.

4. Centralização dos serviços: um controlo tecnicamente exigente, com serviços a preços negociados, geridos por especialistas e de forma centralizada, garantindo o custo mais baixo. A orçamentação que se pode optimizar através do poder negocial de uma gestora de frota utilizando a sua rede preferencial para os serviços da viatura, sendo as intervenções e o custo sujeitos a um controlo adicional - pneus, viaturas de substituição, entres outros, fazem parte do leque de serviços de que o Cliente poderá beneficiar através do efeito de escala e do poder negocial de uma empresa com milhares de viaturas em gestão.

5. Redução dos consumos de combustível nomeadamente seguindo os conselhos em eco-condução e de optimização e planeamento de rotas - a máxima mobilidade a um custo planeado, controlado e mais baixo.

Estes são apenas alguns pontos que podem ser trabalhados para a minimização e poupança dos custos de utilização de uma frota automóvel e que resultam do trabalho de consultoria que desenvolvemos diariamente com os nossos clientes. Optimize cada rota em termos de custo, tempo, segurança e impacto ambiental!

Mais informações em www.aldautomotive.pt <http://www.aldautomotive.pt>

 

REVISÃO SIMPLES NA CAETANO RETAIL

 

Revisão Simples viaturas com mais de 8 anos

Não arrisque: Preço transparente em Oficina de Marca!

Deixe a sua segurança e a da sua família ao cuidado da Caetano Retail. Deixe connosco a manutenção da sua viatura com mais de 8 anos.

Temos à sua espera técnicos especializados que conhecem a sua viatura como ninguém, garantindo a qualidade das intervenções a um preço sempre fixo, transparente e económico.

Conduza seguro e satisfeito.

Clique aqui <http://news.caetanoretail.pt/lists/MainNewsletter?cmd=redirect&;oid='DL04100001'&Link='http://news.caetanoretail.pt/cretail/forms/landingpages/campaign.jsp?site=NEWSLETTER_CRETAIL&oid_newsletter=DL04100001'>  e faça já a sua marcação.

                A Caetano Retail é organização que agrega as empresas do Grupo Salvador Caetano que desenvolvem a actividade de distribuição e reparação automóvel de diversas marcas em Portugal. Abrangendo 7 áreas de negócio - automóveis novos, automóveis usados, assistência, colisão, reparação e substituição de vidros, peças e financiamento - tem uma presença geográfica que se estende por todo o território nacional. A Caetano Retail representa atualmente 17 Marcas automóveis: Audi, BMW, Chevrolet, Citroën, Dacia, Lexus, Mercedes-Benz, MINI, Peugeot, Opel, Nissan, Renault, Seat, Skoda, Smart, Toyota, Volkswagen e 1 marca na comercialização de viaturas usadas, a CarPlus.

 

A 1 COM CONDICIONAMENTOS

 

Condicionamento de tráfego na A1 – Sacavém/Alverca

Entre 28 e 31 de Outubro

A Brisa Concessão Rodoviária (BCR) informa que, no âmbito de repintura de sinalização horizontal entre Sacavém e Alverca, na A1 - Auto-estrada do Norte, irá proceder aos seguintes condicionamentos de trânsito:

Entre 28 (terça-feira) e 31 (sexta-feira) de Outubro

Entre as 09:00 e a 18:00, circulação de viaturas em marcha lenta ou temporariamente imobilizadas dentro das vias direita e esquerda, em ambos os sentidos.

 

A Brisa Concessão Rodoviária apela à prudência na passagem pelo local e agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas, esperando contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação.

Para informação actualizada poderá ainda consultar o site www.brisa.pt.

 

A3 E A 4 CONDICIONADA

 

Beneficiação do Nó de Águas Santas (A3/A4)

 

Entre 27 e 30 de Outubro

A Brisa Concessão Rodoviária informa que, no âmbito dos trabalhos de beneficiação do Nó de Águas Santas da A3 – Auto-estrada Porto/Valença, irá proceder aos seguintes condicionamentos de trânsito:

 

De 27 (segunda-feira) a 28 (terça-feira) de Outubro

Entre as 21h00 e as 06h00, corte de via direita e central do ramo de saída da A3 (sentido Valença / Porto) para a A4 (sentido Amarante / Matosinhos) e do ramo de saída da A3 (sentido Valença / Porto) para a A4 (sentido Matosinhos / Amarante), ambos entre os kms 3,7 e 2,8

 

De 28 (terça-feira) a 29 (quarta-feira) de Outubro

Entre as 21h00 e as 06h00, corte de via direita e central do ramo de saída da A4 (sentido Amarante / Matosinhos) para a A3 (sentido Valença / Porto), entre os kms 2,8 e 2,4

 

De 29 (quarta-feira) a 30 (quinta-feira) de Outubro

Entre as 21h00 e as 06h00, corte de via direita e central do ramo de saída da A3 (sentido Porto / Valença) para a A4 (sentido Matosinhos / Amarante), entre os kms 2,2 e 2,8

 

A Brisa agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas e espera contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação.

 

Para informação actualizada poderá ainda consultar o site www.brisa.pt.

 

 

A 1 CONDICIONADA

 

Condicionamento de tráfego na A1 – Espinho/Carvalhos

Entre 27 e 29 de Outubro

 

A Brisa Concessão Rodoviária (BCR) informa que, no âmbito das obras de beneficiação de pavimento nos sublanços Espinho (IC24)/Feiteira/Carvalhos da A1 - Auto-estrada do Norte, irá proceder irá proceder aos seguintes condicionamentos de trânsito:

 

De 27 (segunda-feira) a 28 (terça-feira) de Outubro

Entre as 07:00 e a 20:00, corte de via esquerda e central, sentido Sul/Norte, entre os km’s 288,4 e 289,2

Entre as 20:00 e as 07:00, corte de via esquerda, sentido Sul/Norte, entre os km’s 288,4 e 289,2

Entre as 07:00 de segunda-feira e as 07:00 de terça-feira, corte de via esquerda, sentido Norte/Sul, entre os km’s 289,3 e 288,6

 

A 28 (terça-feira) para 29 (quarta-feira) de Outubro

Entre as 07:00 e a 20:00, corte de via esquerda e central, sentido Sul/Norte, entre os km’s 288,4 e 289,2

Entre as 20:00 e as 07:00, corte de via esquerda, sentido Sul/Norte, entre os km’s 288,4 e 289,2

Entre as 07:00 de terça-feira e as 07:00 de quarta-feira, corte de via esquerda, sentido Norte/Sul, entre os km’s 289,3 e 288,6

 

A Brisa Concessão Rodoviária apela à prudência na passagem pelo local e agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas, esperando contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação.

 

Para informação actualizada poderá ainda consultar o site www.brisa.pt.

 

 

GALERIA DE IMAGENS - RAMPA DA PENHA 3

GALERIA DE IMAGENS

 

 

RAMPA DA PENHA 2

 

 

Grupo de imagens referentes à rampa da penha 3, que decorreu este fim de semana que passou, onde teve o Juno de Rui Ramalho como o grande vencedor à geral.FOX 2029_CopyFOX 2030_CopyFOX 2032_CopyFOX 2034_CopyFOX 2035_CopyFOX 2037_CopyFOX 2039_CopyFOX 2042_CopyFOX 2043_CopyFOX 2044_CopyFOX 2045_CopyFOX 2046_CopyFOX 2047_CopyFOX 2048_CopyFOX 2049_CopyFOX 2050_CopyFOX 2052_CopyFOX 2053_CopyFOX 2054_CopyFOX 2055_CopyFOX 2056_CopyFOX 2059_CopyFOX 2062_CopyFOX 2063_CopyFOX 2065_CopyFOX 2066_CopyFOX 2067_CopyFOX 2068_CopyFOX 2071_CopyFOX 2072_CopyFOX 2075_CopyFOX 2076_CopyFOX 2077_CopyFOX 2078_CopyFOX 2080_CopyFOX 2086_CopyFOX 2087_CopyFOX 2089_CopyFOX 2090_CopyFOX 2091_CopyFOX 2092_CopyFOX 2093_CopyFOX 2094_CopyFOX 2095_CopyFOX 2096_CopyFOX 2097_CopyFOX 2098_CopyFOX 2099_CopyFOX 2100_CopyFOX 2101_CopyFOX 2102_CopyFOX 2103_CopyFOX 2104_CopyFOX 2105_CopyFOX 2106_CopyFOX 2107_CopyFOX 2108_CopyFOX 2109_CopyFOX 2110_CopyFOX 2111_CopyFOX 2112_CopyFOX 2113_CopyFOX 2114_CopyFOX 2115_CopyFOX 2116_CopyFOX 2117_CopyFOX 2122_CopyFOX 2125_CopyFOX 2137_CopyFOX 2138_CopyFOX 2140_CopyFOX 2145_CopyFOX 2146_CopyFOX 2147_CopyFOX 2148_CopyFOX 2149_CopyFOX 2150_CopyFOX 2156_CopyFOX 2158_CopyFOX 2159_CopyFOX 2162_CopyFOX 2165_CopyFOX 2166_CopyFOX 2167_CopyFOX 2168_CopyFOX 2169_CopyFOX 2170_CopyFOX 2171_CopyFOX 2172_CopyFOX 2173_CopyFOX 2174_CopyFOX 2177_CopyFOX 2180_CopyFOX 2181_CopyFOX 2182_CopyFOX 2183_CopyFOX 2186_CopyFOX 2188_CopyFOX 2189_Copy

 

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.com

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

 

 

No dia seguinte, pelas oito da manhã, vieram-me buscar ao Hotel numa “pick-up” para o tal passeio de barco. Ao princípio, sozinho na caixa de carga, senti-me como os pretos que vi na Namíbia a viajarem nas caixas de carga das “pick-ups” com os patrões brancos ao volante e o lugar vago ao lado. Mas lá apanhámos mais um casal de miúdos americanos pelo caminho e já não me senti tão abandonado.
Na prática aqui os turistas, e não só, andam todos de um lado para o outro em bancos corridos colocados nas caixas de carga das “pick-ups”. A alternativa são as “scooter” de aluguer.
Quinze minutos depois estávamos no pequeno porto onde nos esperava um destes barcos típicos Tailandeses que são uma espécie de canoas com bancos corridos de cada lado e um motor de carro colocado na traseira, ligado a uma hélice através de um longo veio em que o conjunto faz pivot para fazer de leme ou para o piloto simplesmente tirar a hélice de dentro de água, o que passa a ser o ponto morto. Fazem um barulho ensurdecedor, incómodo principalmente em viagens longas, pois não têm nem filtro de ar nem silenciador no escape.
Arrancámos naquela “traineira” para um passeio fabuloso, que durou quase o dia inteiro. Fomos primeiro a duas pequenas ilhas, inacessíveis por serem escarpas altas, mas onde nas margens têm um mundo de peixes e corais em quantidade e variedade impressionantes. Andámos cerca de meia hora em cada a fazer “snorkeling” e com a Go Pro filmei paisagens submarinas extraordinárias, embora  o resultado final não tenha sido o esperado, talvez por a água não estar tão transparente como à vista me pareceu. As vezes que tinha andado com óculos e um respirador a ver o fundo do mar tinha visto meia dúzia de peixes sem grande interesse mas aqui parecia que os peixes estavam a representar para nós uma amostra de variedade tanto de formatos como de cores, alguns às riscas outros às pintas. Simplesmente fantástico.
De ali seguimos para uma terceira ilha onde voltámos a mergulhar borda fora mas desta vez para passarmos por uma gruta dentro de água para o interior da ilha onde, à saída, encontramos uma praia rodeada de rochas altíssimas cobertas de vegetação. Impressionante. A única entrada para aquela que chamam Morakat Cave é por dentro de água, com a maré vazia, através desta gruta que fica submersa quando a maré enche e por isso, em tempos idos, o local foi utilizado por piratas para esconderem o seu espólio antes de o levarem para o continente.
Visitámos depois uma quarta ilha, muito maior, onde existem mesmo alguns “Resorts” de várias classes e onde almoçámos, para regressarmos a Ko Lanta pelas três da tarde na viagem de pouco mais de uma hora. Um dia fantástico.

 

RAMPA DA PENHA 3

CNM – RAMPA DA PENHA 3 - Sábado

Rui Ramalho (Juno SSE) mais rápido na primeira subida

Sem surpresa, Rui Ramalho (Juno SSE) foi o mais rápido na primeira subida de treinos da Rampa da Penha, prova que conta, pela terceira vez, para o Campeonato Nacional de Montanha, que termina nas proximidades de Guimarães.

Desta vez, e ao contrário do que tem sucedido nas provas anteriores, os pilotos da Categoria 2 superiorizaram-se à concorrência, com Joaquim Rino (BRC 05) e Nuno Guimarães (BRC CM02) a ocuparem as posições seguintes, embora a mais de seis segundos do piloto do Juno.

Na Categoria 3, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI) foi o mais rápido e registou o quarto tempo absoluto, batendo Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), segundo da categoria, por mais de dois segundos, mas só suplantou Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), o mais rápido da Categoria 1, por 0,700 s., o qual, por sua vez, só bateu Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI), o melhor da Categoria 5, por 0,005 s. (!), o que quer dizer que a luta pelo quarto lugar deverá ser o pólo de atracção da terceira passagem do Campeonato Nacional de Montanha, pela Rampa da Penha.

Finalmente, na Categoria 6, Hélder Silva (BMW E21) bateu José Pedro Gomes (Ford Escort) por menos de um segundo, o que deixa antever um duelo cerrado pela vitória nesta categoria.

Melhores tempos:

1º, Rui Ramalho (Juno SSE), 1.31,580; 2º, Joaquim Rino (BRC 05), 1.36,733; 3º Nuno Guimarães (BRC CM02), 1.38,475; 4º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 1.40,131 (1.o da Categoria 3); 5º, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 1.40,831 (1.o da Categoria 1); 6º; Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI). 1.40,836 (1.o da Categoria 5); 7º, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 1.42,465; 8º, Hélder Silva (BMW E21), 1.43,423 (1º da Categoria 6); 9º, José Pedro Gomes (Ford Escort), 1.44,374; 10º, José Correia (Seat Leon 1.8), 1.44.374. Treinaram mais 18 pilotos.

alt Rui Ramalho

Acidentes interrompem a segunda subida de treinos

O despiste de Paulo Silva (Seat Leon) interrompeu a segunda subida de treinos da Rampa da Penha, a derradeira jornada do Campeonato Nacional de Montanha.

Apesar do aparato do acidente, que deixou o carro em pior estado do que chapéu de pobre, o mesmo não teve consequências para o piloto, como os médicos puderam confirmar, uma vez que, como medida de precaução, foi conduzido ao hospital.

A demora na reposição da operacionalidade da pista, atrasou todo o programa e a organização decidiu que, hoje, apenas teria lugar a segunda subida de treinos, para o dia de amanhã ser preenchido com uma subida de treinos livres e as três subidas de prova.

Uma decisão que acabaria por ser reforçada pelo facto do BRC 05, de Joaquim Rino, ter pegado fogo, o que levou a nova e demorada interrupção, que atrasou, ainda mais o programa.

Com os atrasos verificados e com Rui Ramalho, que subia a seguir a Joaquim Rino, a ser prejudicado por encontrar a pista obstruída, o melhor tempo acabou por pertencer a Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), com José Pedro Gomes (Ford Escort) a registar a segunda marca, à frente de Manuel Correia (Skoda Fabia S2000).

Mas o facto de não ter havido nenhuma subida de prova, faz com que as atenções se concentram no intenso programa de amanhã.

Melhores tempos:

1º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 1.37,478; 2º, José Pedro Gomes (Ford Escort), 1.38.996 (1º da Categoria 6); 3º, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 1.40,170 (1º da Categoria 1); 4º; Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI) 1.40,442 (1.o da Categoria 5); 5º, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 1.43,036; 6º, Hélder Silva (BMW E21), 1.43,489 (1º da Categoria 6); 7º, José Rodrigues (Honda Civic), 1.44,199; 8º, Aníbal Rolo (Renault 5 Turbo), 1.44,361; 9º, José Correia (Seat Leon 1.8), 1.45,720; 10.o, João Guimarães (Peugeot 206 RC), 1.47,363. Treinaram mais 18 pilotos.

 

 

RAMPA DA PENHA 3 NÃO COMEÇA LÁ MUITO BEM

Acidentes interrompem a segunda subida de treinos

O despiste de Paulo Silva (Seat Leon) interrompeu a segunda subida de treinos da Rampa da Penha, a derradeira jornada do Campeonato Nacional de Montanha.

Apesar do aparato do acidente, que deixou o carro em pior estado do que chapéu de pobre, o mesmo não teve consequências para o piloto, como os médicos puderam confirmar, uma vez que, como medida de precaução, foi conduzido ao hospital.

A demora na reposição da operacionalidade da pista, atrasou todo o programa e a organização decidiu que, hoje, apenas teria lugar a segunda subida de treinos, para o dia de amanhã ser preenchido com uma subida de treinos livres e as três subidas de prova.

Uma decisão que acabaria por ser reforçada pelo facto do BRC 05, de Joaquim Rino, ter pegado fogo, o que levou a nova e demorada interrupção, que atrasou, ainda mais o programa.

Com os atrasos verificados e com Rui Ramalho, que subia a seguir a Joaquim Rino, a ser prejudicado por encontrar a pista obstruída, o melhor tempo acabou por pertencer a Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), com José Pedro Gomes (Ford Escort) a registar a segunda marca, à frente de Manuel Correia (Skoda Fabia S2000).
Mas o facto de não ter havido nenhuma subida de prova, faz com que as atenções se concentram no intenso programa de amanhã.

Melhores tempos:
1º, Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer VI), 1.37,478; 2º, José Pedro Gomes (Ford Escort), 1.38.996 (1º da Categoria 6); 3º, Manuel Correia (Skoda Fabia S2000), 1.40,170 (1º da Categoria 1); 4º; Luís Silva (Mitsubishi Lancer VI) 1.40,442 (1.o da Categoria 5); 5º, Edgar Reis (Renault Clio RS 2000), 1.43,036; 6º, Hélder Silva (BMW E21), 1.43,489 (1º da Categoria 6); 7º, José Rodrigues (Honda Civic), 1.44,199; 8º, Aníbal Rolo (Renault 5 Turbo), 1.44,361; 9º, José Correia (Seat Leon 1.8), 1.45,720; 10.o, João Guimarães (Peugeot 206 RC), 1.47,363. Treinaram mais 18 pilotos.

 

SUPER ESPECIAL NO PORTO?

SUPER ESPECIAL NO PORTO?

Tivemos acesso a um possivel projecto para que o rali de Portugam em 2015 tenha uma super especial em plena baixa portuense.Para já o que sabemos sobre este projecto, é que a equipa do Rali de Portugal gostava que os participantes a esta prova do Mundial tivessem uma super especial em plena avenida dos Aliados.Sobreo possivel trajecto pouco se sabe, embora tudo indique que tudo estará á volta deste local.Também sabemos que a equipa do rali de Portugal, já contactou diferentes entidades na cidade do Porto, para que este projecto possa ir para a frente, mas também sabemos, tudo indica que estará bem encaminhado.

 

Caso se isto se concretize, iremos ter de novo um estrondoso sucesso, como o que ocorreu há uns anos atrás com o shake down?Temos de esperar para ver o epilogo deste projecto 

 

Fotos  : Despfoto e Nuno Dinis e Google - www.velocidadeonline.comportoroadshow1 Copyportoroadshow2-despfotoportoroadshow3 Copyportoroadshow4 Copyportoroadshow5 Copyportoroadshow7 Copy

 

CRONICA DE JOÃO FERNANDO RAMOS

 

O verdadeiro banho de multidão!

 

Hoje a alvorada foi cedo para todos. Logo na primeira ligação percebemos que o trânsito iria ser um dos problemas do dia e foi mesmo… 

 

Carros, carros e mais carros com matrículas variadas desta Europa que adora o WRC e o segue por todo o lado. Como bons adeptos, exibem bandeiras, camisolas dos favoritos ou da terra de origem, chapéus ou até cachecóis, mesmo num dia a rondar os trinta graus. Há adeptos para todos os gostos. Sempre que vemos uma bandeira portuguesa tentamos parar, mas nem sempre o nosso tempo chega para tudo e lá fica um aceno ou um olá rápido antes de começar mais uma especial. Mesmo assim, hoje falámos com um grupo de Góis, outro de Fafe, outros que vieram de Famalicão, um grupo alargado que segue ralis por todo o lado e vem do Porto. Soubemos também que já chegaram os nossos amigos de Mortágua.

 

Percebemos na forma como contam o que já viram, o que gostam deste desporto. Estão por aqui umas larguíssimas dezenas de Portugueses a aplaudir o Bernardo Sousa e um tal de João Fernando Ramos… Antes que me esqueça, obrigado a todos pelo entusiasmo. Prometemos tudo fazer para levar o carro até ao fim.

 

O nosso dia não foi propriamente fácil. Começámos  com três classificativas de terra, tendo a última mais de trinta e cinco quilómetros com tudo aquilo a que temos direito... buracos, pedras no meio dos trilhos, piso muito escorregadio, um pedaço de asfalto muito sujo, depois um slalom no meio de um olival, uma subida cheia de saltos e uma parte final completamente a fundo no meio de uns muros que podiam muito bem estar mais afastados… um troço fabuloso…

 

Não estragámos nada, mas para complicar a coisa, a afinação da nossa suspensão estava completamente errada e a traseira do Mitsubishi deu um trabalhão aos meus bracinhos… Como eu digo, um troço com muita mão-de-obra.

 

Depois de um almoço de massa, para não variar, uma nova ronda pelas três especiais que estavam muito degradadas. O Carro estava melhor, mas a traseira continuava demasiado solta não inspirando a confiança que eu gosto.O dia terminou com o encontro com os mecânicos no parque de assistência. Eles ficam curiosos quando o carro chega e só sorriem depois de eu dizer que correu tudo bem. São pessoas imensamente dedicadas, grandes profissionais, que juntam o saber à paixão pelos ralis.

 

As fotos deste dia são deles a mudar o carro para asfalto. São trocadas as suspensões, travões, afinações de motor, proteções, confirmando tudo o que este dia de terra pode ter estragado no carro. São setenta e cinco minutos de intenso trabalho. Experimentem perguntar ao vosso mecânico quantos dias demora uma coisa destas e terão uma surpresa.

 

Amanhã é um dia longo, com Tivissa( 3.9 km), Escaladei (26.5km) e Coldejou(50 km) a cumprir por duas vezes. Coldejou poderá decidir o rali e até o mundial. Amanhã vos conto tudo sobre esta especial e sobre o nosso dia no Rali da Catalunha.mec1 Copymec3 Copymec5 Copy

 

NUNO GUIMARÃES QUER FECHAR ÉPOCA

 

Nuno Guimarães quer fechar época no pódio da Montanha

 

O Campeonato Nacional de Montanha terá a sua festa de encerramento na minhota Rampa da Penha, que volta a receber o pelotão do campeonato. Nuno Guimarães e o BRC são fortes candidatos ao pódio absoluto.

 

 

Depois de alguns problemas mecânicos terem condicionado o seu resultado na última visita à Penha, Nuno Guimarães espera agora ter o seu BRC em plenas condições para poder fechar a temporada com um lugar no pódio.

 

Como foi do conhecimento geral, tivemos alguns problemas mecânicos e uma má escolha de pneus na última participação na Penha, mas neste o momento o BRC está a 100 por cento e por isso o meu objetivo é bem claro: chegar ao pódio, afirma o piloto do Peso da Régua. O primeiro lugar é bastante difícil mas penso que o segundo ou terceiro são resultados ao nosso alcance e é com esse pensamento que vamos entrar, concluiu Nuno Guimarães, um dos pilotos mais respeitados do Nacional de Montanha.

 

A Rampa da Penha III tem início com as subidas de treinos às 14h30 deste sábado, que antecedem a primeira subida de prova, às 16h30. No domingo, realizam-se os treinos livres a partir das 10h00 e as restantes subidas de prova a partir das 11h00.DSC 6721_CopyDSC 6996_Copy

 

MAGALHÃES CONTINUA EM VALAIS

 

Bruno Magalhães continua programa de testes no Rallye du Valais
O segundo dia do Rallye du Valais na Suíça não foi fácil para Bruno e Carlos
Magalhães que sofreram com alguns problemas no Peugeot 208 T16. Depois do
acidente de ontem e mesmo com todos os esforços da equipa, o carro não ficou a
100% e o piloto português não pode extrair todo o potencial da sua máquina nas
classificativas de hoje.
Ainda assim, a principal preocupação de Bruno Magalhães passou sempre por fazer
quilómetros com o seu 208, descobrir o figurino do Rali e testar um sem número de
soluções: "Isso foi efectivamente conseguido. Testámos coisas que em situações
normais não seria possível. Umas resultaram melhor que outras. Mas em termos
de resultados nas classificativas não nos foi possível discutir qualquer lugar pois o
carro não estava nas condições ideais e chegámos ao final com problemas de
transmissão que vamos ver se a equipa conseguirá amanhã resolver no parque de
assistência", começou por explicar.
Ainda assim, Bruno quer continuar em prova: "É importante continuarmos o nosso
programa de testes. Temos de tirar partido do azar de ontem e acumular
experiência para as próximas provas. É nisso que estou concentrado", concluiu.
Amanhã, o dia será composto por mais oito especiais de classificação e Bruno
Magalhães espera estar à partida da primeira classificativa do dia.suia magalhaes1_Copy

 

GALERIA D EIMAGENS - WSR EM JEREZ

GALERIA DE IMAGENS - WRS EM JEREZ

 

 

Mais um grupo de imagens das provas do passado fim de semana da WSR em Jerez de la Frontera.ren1 Copyren2 Copyren3 Copyren4 Copyren5 Copyren6 Copyren7 Copyren8 Copyren9 Copyren10 Copyren15 Copyren14 Copyren13 Copyren12 Copyren11 Copy

 

TEAM MANCHA EM GRANDE DESTAQUE NO ALGARVE HISTORICAL FESTIVAL

 

ALGARVE HISTORICAL FESTIVAL

 

TEAM MANCHA EM GRANDE DESTAQUE NO ALGARVE HISTORICAL FESTIVAL

 

 

 

O Team Mancha apresentou-se no Algarve Classsic Festival em pleno com os seu piloto habitual Alexandre Guimarães, o co-piloto e engº preparador Manuel de Melo e o diretor de Corrida António Gil (Ecas) assistidos pela RP Motorsport.

A equipa decidiu efetuar uns treinos livres opcionais pagos á parte e em conjunto com outros painéis na quinta-feira. Isso permitiu-nos efetuar vários acertos do carro para os pneus Toyo que ainda não dominamos tão bem como os slick com que corríamos no Campeonato Nacional de Clássicos. Foi também agradável conviver em pista com carros de outras séries e avaliar o seu potencial e a condução esmerada dos seus pilotos todos muito experimentados em corridas de conceito Gentleman Drivers.

Acabamos também por detetar uma avaria grave num componente recentemente chegado de Inglaterra e que nos teria dado problemas caso tivesse surgido na corrida.

Já no sábado nos treinos crono fizemos uma boa classificação, 9º da geral em 53 carros e não forçamos já que o importante das corridas de endurance é classificar sempre o carro nas duas sessões o que tem sido até agora conseguido.

Alexandre Guimarães foi quem fez a partida da corrida 1 que correu com a animação que se pode esperar de uma grelha de 50 carros todos bastante competitivos.

De facto apareceu um naipe de carros estrangeiros muito interessante em todas as categorias. Desde o nosso já conhecido Michel Campanhe com um Chevrolet Corvette azul metalizado e branco (mais um dos vários que tem) aos vários modelos de Ford Mustang, passando por dois surpreendentes Marcos 1800 muito bem preparados e extraordinariamente bem pilotados até a um MG Midget coupé, ninguém se vergou à presença dos dois DE Tomaso Pantera nem ao Ford GT40 e todos formaram grupos de despique de princípio ao fim.

Nós não fomos exceção e mantivemo-nos sempre em despique sobretudo com um dos Marcos 1800 que me perseguia e o De Tomaso que me antecedia e aí andou tantas voltas que ainda tenho na memoria a imagem daquela transmissão ás voltas.

É um gosto participar em corridas com pilotos tão experientes que sabem ceder o lugar e evitar os toques quando sentem que estão em situação menos favorável mas também não deixam margem para duvidas nas posições que tomam quando ultrapassam ou defendem a sua posição. Bons exemplos para quem estiver habituado a fechar a porta e ignorar os adversários. Em todo o fim-de-semana envolvemo-nos em tantas lutas mas só levei um toque do BMW pilotado pelo Luis Sousa Ribeiro mas isso foi mais um empurrão de ajuda numa subida onde eu era mais lento e até fez jeito…         

Na volta de mudança de piloto surge contudo um golpe de teatro o motor começa a falhar e o garboso Lotus Mancha é obrigado a dar passagem a quem vinha atrás e tentar todos os truques dos manuais de sobrevivência para chegar á box o que felizmente foi conseguido. Aí, depois de vários testes verificou-se que a avaria era da bateria que ainda era a que tinha vindo de Inglaterra com o carro em 2007. Uma vez substituída o carro retomou a corrida agora com o Manuel de Melo ao volante que numas voltas épicas recupera posições até ao terceiro lugar que acabou assim por ter sabor a primeiro.

Para a corrida 2 o combinado era ser eu a fazer o segundo turno mas pelo bom resultado da configuração que usamos na corrida 1 a equipa decidiu que era melhor ser eu a fazer a partida.

Tudo correu bem, os outros Lotus ainda que muito rápidos não estavam a dar problemas e os nosso maiores rivais na classe H71 os dois Escort BDA iam revelando já desde a primeira corrida que a sua elevada preparação não se compadecia com seu andamento diabólico. 

Na paragem para mudança de pilotos estávamos num efémero 3º lugar da geral mas tudo mudaria mais uma vez pois a nossa opção de usar a solução regulamentar mais económica e correr com pneus Toyo 888 leva a uma penalização de 30seg extra, 30 segundos demasiado pesados sobretudo porque os pneus já estavam nos limites á partida e não quisemos meter novos ou então lá se ia o tal conceito de economia….

O resultado foi que mais uma vez no Historic Endurance Series fomos ultrapassados nas boxes devido aos pneus. Mesmo assim o 8º lugar da geral na mesma volta do vencedor assentou-nos bem e desta vez vencemos mesmo a classe H71 com direito a hino nacional e tudo.    

Acabou por ser uma jornada fantástica com algumas surpresas pois ultrapassei e distanciei-me penso que duas ou três vezes de um Ford GT40, que mais tarde reaparecia e se desdobrava permitindo despiques diretos nas zonas mais sinuosas mas que desaparecia na reta. Não era vermelho como o do Carlos Gaspar que em 68 passou por mim 3 vezes em Vila do Conde e não deu hipóteses de ultrapassagem a ninguém, este era cinzento chumbo e de vez em quando aparecia feito OVNI deixava que brincassem com ele mas no fim também ganhou a corrida.

Os “Manchas” regressaram contentes com os dois pódios e uma vitoria mas o evento valia só por si, pelo surpreendente numero e qualidade dos carros e planteis que este ano o evento proporcionou. Um dos pilotos ingleses confessou-me que achava o circuito extraordinário sobre todos os aspetos e perguntou-me ao ver as bancadas tão desguarnecidas porque é que os portugueses não gostam de corridas de automóveis. Não conseguindo encontrar uma resposta convincente disse-lhe: venha ao Porto em 2015 e depois falamos!

A próxima e última corrida de 2014 são os 250km do Estoril. Já falta pouco e o Team Mancha lá estará de 29 a 30 de Novembro para competir e ajudar a recriar as corridas de automóveis do passado.   

Venham daí dar-nos uma força….

 

 Em aco_CopyEquipa Team_Mancha_e_RP_Motorsport_uma_vitoria_partilhada_7_CopyExcelentes companheiros_de_box_9_CopyNa _Grelha_CopyO Ecas_gere_o_tempo_de_mudana_de_piloto_CopyO tal_GT40_e_o_fabuloso_Pantera_Candy_Copyteam mancha_ganha_corrida_2Vista do_Falco_-_Hospedagem_oficial_-_Recomendamos_Copy

 

ESTORIL RACING FESTIVAL

 

Estoril Racing Festival vai ser a grande festa de encerramento da Velocidade Nacional  

 

O Estoril Racing Festival, é um evento PROmotorsport, que se realiza nos próximos dias 29 e 30 de Novembro e que reunirá no Autódromo Estoril os pilotos e equipas que mais se destacaram em 2014 na Velocidade e Troféus Nacionais, lado a lado com uma legião inglesa, que já tem a tradição de escolher Portugal, para o evento de encerramento do seu Troféu Super 7. 

 

Mas o Estoril Racing Festival, não é somente um evento nacional; No ultimo fim de semana de Novembro, algumas dezenas de pilotos provenientes da Grã-Bretanha, estarão no Estoril, para disputar as corridas finais do competitivo campeonato Super 7, juntamente com os aguerridos pilotos portugueses, que protagonizaram este ano, as melhores lutas pela vitória em pista, com algumas delas a serem decididas por foto-finish.

A juntar aos Super 7, que serão por certo mais de 40, estarão em pista ainda os fantásticos Single Seaters, uma categoria preconizada pela Fórmula G, que de prova para prova, assegura a presença de mais pilotos, em categorias muito distintas, mas que emprestam um colorido ímpar, às grelhas de partida de qualquer autódromo nacional. Os títulos das Single Seater Series estão por atribuir, tal como os nacionais dos Super 7, pelo que a competição só pode vir a ser interessante.

Uma vez mais e  por concordância dos promotores de ambas as series – Fórmula G e HE – os participantes na Historic Endurance e nos Classic Super Stock, vão correr juntos, numa grelha que se espera tenha mais de 50 participantes no Autódromo do Estoril…

Trata-se da discussão dos títulos nos Classic Super Stock, perfeitamente enquadrados pelas grandes máquinas que participam na Historic Endurance, para uma corrida que encerrará o programa de Domingo, talvez já com alguns faróis acesos, que garantem assim de qualquer forma, um certo reviver da mística das sempre interessantes corridas de veículos históricos e classicos.

UMA CORRIDA DIFERENTE

A parte desportiva, será complementada pelos habituais testes de competição alguns treinos extra, dirigidos apenas a carros de competição mas a PROmotorsport, vai ainda organizar uma corrida extra, tipo “open” para todos os tipos de carros, clássicos ou não, de rodas tapadas, que cumpram as mais elementares normas de segurança, com o formato 20m de treinos e igual tempo de corrida, com um preço aliciante de 250 € + seguro. Todos podem participar!

Em termos desportivos, é este o programa, que está espelhado no horário em anexo, mas em termos de envolvimento de todo o fim de semana, a PROmotorsport irá garantir uma série de atividades que tornem interessante para todos a deslocação ao Estoril, quer sejam pilotos, assistentes, acompanhantes ou media.

Estabelecendo diversas parcerias, iremos ter uma verdadeira Praça da Restauração – exterior ao espaço de boxes, que deverá ficar totalmente reservado para pilotos e equipas, seguindo os acordos estabelecidos – com diversidade de oferta, para todos os gostos e para todas as bolsas, assim como um conjunto de outras atividades, que não se cingirão ao “paddock”, mas que poderão, nos tempos mortos “invadir” o traçado do Autódromo do Estoril, para garantir que o espetáculo permanece constante a cada momento.

Ao longo das próximas semanas iremos divulgando quais são essas parcerias conseguidas pela PROmotorsport, informando também de forma constante, quais são as alterações ao programa – se as houver – e quais as novidades que vão chegando, para participarem ou serem incluídas neste grande Estoril Racing Festival.

Juntamos a este Press Release:

Horário da Prova

Horário e Preços de Tempos Extra de Treinos

Poster da Prova

Banner da Prova

Nota: Informamos os OCS, Pilotos, Equipas, Assistencias, Convidados, etc, que os passes pessoais de entrada anuais do Racing Weekend, são válidos para o Estoril Racing Festival, mas que terão que garantir os passes de entrada para os vossos carros – se a eles tiverem direito, junto dos respetivos promotores.

A PROmotorsport assegura ainda a emissão de passes pessoais de entrada válidos apenas para este Estoril Racing Festival, desde que os mesmos sejam solicitados diretamente à PROmotorsport Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar "> Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar – ou no caso de serem OCS e ainda não possuírem as credenciais anuais RW, deverão solicita-las através do mail, Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar "> Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar  

 Estoril Racing_Festival_PosterFrente_CopyEstoril Racing_Festival_PosterVerso_Copy

 

CIRCUITO DE VILA REAL

CIRCUITO DE VILA REAL JÁ PODE RECEBER PROVAS INTERNACIONAIS

 

 

O circuito de Vila Real já está autorizado pelas autoridades competentes a poder receber provas internacionais, faltando agora apenas saber em que grau é que este circuito citadino irá ser cklassificado, e quais as categorias que estará apto a comportar.Tudo se ocnjuga que em 2015, os automóveis e as corridas regressem de novo ao circuito transmontano, como aliás já aconteceu este ano com grande sucesso.1383295 532710856815030_728051760_n_Copy

 

GALERIA IMAGENS RED BULL AIR RACE

GALERIA DE IMAGENS

 

RED BULL AIR RACE - AUSTRIA

 

O dia de ontem, nas duas sessões de treinos, o piloto da "casa"Arch, dominou as duas sessões de treinos, veremos hoje se conseguirá manter a mesma toada, que o poderão conduzir ao ittulo de Campeão.red5 Copyred6 Copy_-_Cpiared7 Copyred8 Copyred9 Copyred10 Copyred11 Copyred12 Copyred13 Copyred15 Copyred16 Copyred17 Copyred19 Copyred20 Copyred21 Copy

 

GALERIA IMAGENS - ELMS NO ESTORIL

GALERIA ELMS - ESTORIL

 

 

Grupod e imagesn da prova do passado fim de semana no Estoiril, com fotos da autoria de Nuno Organista.

 

Fotos de Nuno Organista - www.velocidadeonline.comelms2 Copyelms3 Copyelms5 Copyelms6 Copyorg1 Copyorg2 Copyorg3 Copyorg4 Copyorg5 Copyorg6 Copyorg7 Copyorg8 Copyorg9 Copyorg10 Copyorg11 Copyorg12 Copyorg13 Copyorg14 Copyorg15 Copyorg16 Copyorg17 Copyorg18 Copyorg19 Copyorg20 Copyorg21 Copyorg22 Copyorg23 Copyorg24 Copyorg25 Copyorg26 Copyorg27 Copyorg60 Copyorg61 Copyorg62 Copyorg63 Copyorg64 Copyorg65 Copyorg66 Copyorg67 Copyorg68 Copy

 

JOÃO RAMOS COM NOVA HYLUX

 

João Ramos com uma nova Toyota Hilux na Baja Portalegre.
hilux2 3_Copy
A Baja Portalegre 500, a disputar de 30 de Outubro a 1 de Novembro é
a mais representativa e mítica prova do Todo-o-Terreno Nacional,
sendo normalmente a última tanto do Campeonato Nacional, como da
Taça do Mundo FIA de Ralis de Todo-o-Terreno.
Nesta prova teremos o regresso da Team Caetano Racing (após
Idanha-A-Nova), com João Ramos ao volante duma nova montada.
Com efeito após repensar a sua estratégia na abordagem ao Nacional,
a Team Caetano Racing fez um contacto com a Overdrive, (equipa
Belga especialista na preparação das Toyota Hilux que competem no
Mundial de Todo-o-Terreno) e conseguiu garantir uma destas
fantásticas unidades para a ultima prova do Campeonato Português, a
Baja de Portalegre 500.
Conforme João Ramos comentou, “A nossa participação no Baja
Portalegre 500 com uma Hilux de topo e assistência da própria
Overdrive, para além de ser para toda a equipa motivo de grande
satisfação, é também o kick-off para a nossa temporada do
próximo ano, pois é ponto assente que esta parceria será
extensível à próxima época”.
A Hilux chegará às instalações da Team Caetano Racing na próxima
segunda-feira dia 27 e após alguns pequenos acertos nesta nova
unidade, a equipa estará a postos para a prova de Portalegre. “Após
pequenos pormenores que trataremos em conjunto com a
Overdrive no início da semana, na quarta-feira faremos o nosso
primeiro teste no terreno, já a caminho do Sul. Tanto a nossa
Caetano Racing necessita de se ambientar com esta nova
unidade, como também para mim evidentemente tenho que me
adaptar ás diferenças que logicamente sentirei ao passar do
anterior Diesel, para este potente gasolina com que disputarei o
próximo Campeonato”. Não tenho dúvidas do excelente potencial
que teremos em mãos, devido à competitividade que a Hilux tem
manifestado em todas as provas onde tem participado, sendo por
isso com imensa alegria, orgulho, mas também com muita
responsabilidade que encaro esta nossa participação na Baja
Portalegre 500”, comentou João Ramos como antevisão da próxima
semana.
A Hilux levará Nº 524 nas portas, estando João Ramos inscrito no
“Evento FIA Taça do Mundo” (FIA Cross Country World Cup) o que lhe
permitirá nesta prova pontuar tanto para o

 

PARENTE ALINHA EM BAKU

 

McLaren GT escala Álvaro Parente para Baku

A McLaren GT decidiu colocar os seus pilotos oficiais a correr na ronda de Baku do Blancpain Sprint Series, a última da temporada, defendendo Álvaro Parente as cores da Bhaitech, equipa que tem vindo a disputar a competição desde o início da época.

A prova da capital azeri tem vindo a ganhar importância no seio das corridas de GT, sendo este ano o palco do final da temporada daquele que é o mais importante campeonato de sprint dedicado a carros de Grand Turismo.

Face ao crescente interesse da etapa do Azerbaijão, a McLaren GT evidenciou interesse em colocar os seus pilotos oficiais em pista, uma decisão que foi bem recebida pelas equipas que usam o MP4-12C. “O evento de Baku tem cada vez mais importância para a McLaren que resolveu colocar-nos a todos nas estruturas que vão disputar a prova. Da parte das equipas havia também interesse em ter-nos ao volante dos seus carros, dado que assim têm a possibilidade de os desenvolver de uma forma ainda mais eficaz e, portanto, foi fácil encontrar uma solução que agradasse a todos”, começou por dizer o piloto do Porto.

A McLaren GT colocou Álvaro Parente na Bhaitech, equipa tem vindo a participar no Blancpain Sprint Series, e que o português já conhece, uma vez que o ano passado tomou parte na ronda de Barcelona do International GT Open, ajudando Giorgio Pantano a alcançar o título da classe GTS.

A participação na ronda de Baku do Blancpain Sprint Series marca o regresso de Álvaro Parente à competição onde nos últimos anos se tem mostrado uma força extremamente competitiva, o que o deixa satisfeito. “Voltar a um campeonato de sprint é muito interessante, dado que me permite ter uma filosofia de ainda maior ataque que aquela que normalmente tenho que adoptar no Blancpain Endurance Series. A McLaren GT colocou-me na Bhaitech, dado já conhecer a equipa, mas vou ter um colega de equipa novo – Sten Pentus. Vamos ver o que podemos fazer, mas será um fim-de-semana muito interessante”, sublinhou o português.

O evento de Baku inicia-se no próximo dia 1 de Novembro, sábado, com os treinos-livres e a qualificação, realizando-se ambas as corridas no domingo.AParente FT_14035_Copy

 

ONDE ESTÃO OS REGULAMENTOS?

ONDE ESTÃO OS REGULAMENTOS?

 

Não deixa de ser curioso que o Presidente da FPAK prometeu que os regulamentos estariam prontos em inicio de Outubro, mas a verdade é que caminhamos rápidamente para o final do mês e de regulamentos, nem vê-los.....cerimonia manuel_de_mello_breyner2_Copy

 

SCREWKITS DA CONTITECH

ScrewKits da ContiTech: A solução completa para a instalação de molas pneumáticas

Todos os materiais de montagem necessários numa só embalagem.

A ContiTech oferece um serviço exclusivo global para o negócio de substituição de molas pneumáticas: na sua capacidade como o primeiro fabricante de molas pneumáticas até à data, a empresa oferece aos seus clientes kits completos de montagem que foram precisamente personalizados para cada tipo de molas pneumáticas. Conhecidos como ScrewKits, são adequados para as molas pneumáticas da ContiTech e Phoenix. Assim, cobrem cerca de 300 aplicações em camiões, reboques e autocarros. Os ScrewKits (kits de parafusos) estão disponíveis em todo o mundo.

No momento, 37 ScrewKits diferentes para a ContiTech e Phoenix de molas pneumáticas estão disponíveis para revendedores e oficinas. Ao escolherem com precisão as referências, os clientes podem facilmente selecionar o kit correto para a mola de ar em questão. Além das habituais porcas e parafusos, as ScrewKits também contem desenhos especiais, tais como aquelas com linhas finas. "A precisão de encaixe de 100% faz com que seja mais fácil para os utilizadores alujarem o kit para a mola pneumática em questão. Também torna a instalação mais fácil para as oficinas ", diz Alexander Papadimitriou, chefe do Segmento Independente de Aftermarket da ContiTech Air Spring Systems. "O processo demorado de montar os diferentes componentes é omitido e erros podem ser evitados."



SrewKits
 

TRELLEBORG LANÇA APP

Trelleborg lança a App Tire Efficiency

A Trelleborg amplia a sua oferta digital com o lançamento da sua App “Tire Efficiency” para uso em iOS e tablets Android.

 Baseado no conceito do custo total da operação, esta app intuitiva e fácil de usar mede os benefícios proporcionados por um conjunto de pneus Trelleborg de um eixo, tanto em termos de redução de custos como de tempo de trabalho. Desenvolvida especificamente para agricultores, fornecedores e distribuidores especializados em pneus e máquinas, esta aplicação permite aos utilizadores selecionar o número de hectares cobertos, a sua operação específica, tempo de trabalho e vários outros parâmetros. A avaliação baseia-se num ano de operação e está relacionada com um conjunto de pneus de um eixo.

Lorenzo Ciferri, Diretor de Marketing de Pneus Agrícolas e Florestais da Trelleborg Wheels Systems, disse: "Na Trelleborg estamos empenhados em proporcionar aos profissionais agrícolas as mais recentes ferramentas, soluções e serviços para tornarem as suas operações de produção mais eficientes e mais produtivas.



Tire-Efficiency-Home-Page
 

TESTES MICHELIN NO ESTORIL

TESTES MICHELIN NO ESTORIL

 

 

Eis um grupo de imagens da autoria de António Mesquita e Ricardo santos, que contou com a presença da Audi e da Toyota.No seio da Audi foi visto em pista o novo LMP 1 H, para além de mais uma evolução para o novo Audi R 8 LMS.Na Toyota não surgiram muitas novidades, enquanto em pista esteve uma evolução dum Ferrari 458 Itália.Em termos de tempos,o melhor pertenceu ao Audi R 18, com um criono de 1.28.

 

 

Fotos de António Mesquita e Ricardo santos - www.velocidadeonline.commichelin2-fotodeantoniomesquita Copytestesmicehlin4-fotos de_Copytestesmichelin2-fotosdeantoniomesquita Copytestesmichelin3-fotosdeantoniomesquita Copytestesmichelin7-fotosdericardosantos Copy

 

WTCC NO JAPÃO

wt1 Copywt2 -_Cpia_Copywt3 -_Cpia_Copywt4 -_Cpia_Copywt5 -_Cpia_Copywt6 -_Cpia_Copywt7 Copywt8 Copywt9 Copywt10 Copywt11 Copywt12 Copywt13 Copywt14 Copywt15 Copywt16 Copywt17 Copywt18 Copywt19 Copywt20 Copywt21 Copywt22 Copywt23 CopyGALERIA DE IMAGENS - WTCC NO JAPÃO

 

Toda a comitiva do WTCC já mse encontra no Japão para disputar mais uma jornada do WTCC, onde o Citroen de Jose LOpez fez o melhor tempo, ficando Tiago Monteiro na 4ª posição.wt24 Copywt25 Copy

 

CALENDÃRIO WRC 2015 JÁ É CONHECIDO

CALENDÁRIO DO MUNIDAL DE RALIS DE 2015 COINHECIDO

 

O calenadário para o Mundial de Ralis do próximo ano já é conhecido, e irão ser disputadas treze provas.O calendário é o seguinte :

 

 

25 Janeiro - rali Monte Carlos - França

 

15 Fevereiro - Rali Suécia

 

8 Março - Rali do México

 

19 Abril - Rali da Argentina

 

24 MAIO - RALI PORTUGAL

 

14 JUnho - Rali de Itália

 

5 Julho - Rali da Polónia

 

2 Agosto - Rali da Finlandia

 

23 Agosto - Rali da Alemanha

 

13 Setembro - Rali da Austrália

 

4 Outurbo - Rali de França

 

25 Outubro - Rali de Espanha

 

15 NOvembro - Rali de Inglaterrawrc-2014-season-preview-volkswagen Copy

 

TECNOLOGIAS BORGWARNER

Três tecnologias BorgWarner nomeadas para os Automotive News PACE Awards 2015

Os vencedores serão conhecidos a 20 de abril de 2015, em Detroit.

"Na BorgWarner, antecipamos as tecnologias que os fabricantes precisam e que os condutores querem, trabalhando em estreita colaboração com os nossos clientes para oferecer inovações que ajudam a melhorar a economia de combustível, emissões e desempenho", disse James R. Verrier, presidente e diretor executivo da BorgWarner. "Desde 2005, 18 inovações BorgWarner foram nomeados finalistas nesta competição desafiadora. Mais uma vez, temos a honra de estar entre os finalistas ilustres dos PACE Award deste ano."

Patrocinado pela Automotive News, pela Ernst & Young e pela Transportation Research Center Inc., os 21 prémios anuais PACE honram a inovação superior, o avanço tecnológico e o desempenho dos negócios entre os fornecedores da indústria automóvel. Os vencedores são selecionados por um painel independente de juízes e serão anunciados em Detroit a 20 de abril de 2015. Desde 2005, a BorgWarner já recebeu oito Prémios PACE, cinco PACE Award Inovação em Parceria e 1 PACE Award Ambiental.



PACE Award
 

ARAN FAZ ANÁLISE

ARAN faz análise fria ao “desconto” no ISV para usados importados

A proposta do Orçamento do Estado para 2015 prevê que a tabela de descontos consoante
a idade para importados usados se altere.

Os veículos usados importados com mais de seis anos terão descontos superiores aos que tinham em 2014, chegando aos 80% em veículos com mais de 10 anos, como acontecia no passado.

A ARAN discorda, por princípio, que se promova a entrada em Portugal de viaturas mais antigas e, logo, mais poluentes no país. Mas importa analisar esta questão de forma fria. Primeiro, porque uma viatura com 10 anos apresenta sempre níveis de emissões de CO2 bastante mais elevados do que uma mais recente, pelo que, por muito desconto que tenha, a componente ambiental do ISV a liquidar é sempre alta a quando da importação. Segundo, o IUC que virá a liquidar será sempre alto e não justificará a importação. Terceiro, porque a justificação para a opção do Governo poderá prender-se com uma
imposição da União Europeia. Por último virão a ser penalizados pela “fiscalidade verde” em termos de ISV.

Recorde-se que em janeiro último, a Comissão Europeia instou o Governo português a ter em conta a desvalorização real na tributação dos veículos em segunda mão. “O cálculo do valor tributável dos veículos usados introduzidos em Portugal em proveniência de outro Estado-Membro não tem em conta o valor real do veículo. Não é tida em conta qualquer desvalorização antes de o veículo ter um ano de idade nem qualquer desvalorização adicional no caso de veículos com mais de cinco anos. Esta situação pode levar a uma tributação superior à que é aplicada aos veículos adquiridos no mercado nacional. O pedido da Comissão assume a forma de um parecer fundamentado (segunda fase de um processo por infração). Na ausência de resposta satisfatória no prazo de dois meses, a Comissão poderá interpor recurso contra Portugal no Tribunal de Justiça da União Europeia”, indicava o comunicado.



Contas
 

GARAGEM AURORA ESTEVE EM BOM PLANO

 

ALGARVE HISTORICAL FESTIVAL

 

GARAGEM AURORA ESTEVE EM BOM PLANO EM PORTIMÃO


safe image

Uma vez mais a Garagem Aurora esteve em bom plano no fim de semana anterior, na sua participação no Algarve Historical Festival, onde esteve a dar assistência ao Porsche 911 RSR de Rui Macedo e Silva, que nas duas corridas cortaria a linha de chegada na 5ª e 2ª posição rerspectivamente.Por isso no final Eduardo Santos Júnior estava satisfeito “ claro que sim, pois esta prova do Algarve Historical Festival juntou meia centena de participantes com excelentes carros, uma grelha como nunca vi. Por isso o Rui Macedo e Silva foi autor de duas excelentes corridas, não tivemos muitos problemas, por isso penso que foi mais um sucesso para juntar ao nosso palmarés desportivo”.

 

LOBATO OFERECEU MUITA ADRENALINA

 

Rafael Lobato deu 'boleias' no Autódromo do Estoril

A presença de Rafael Lobato nas 4h do Estoril durante o European Le Mans Series teve como objectivo principal levar fãs a conhecer o Circuito do Estoril num carro de competição, neste caso o Radical SR3 com que sagrou Campeão no Nacional de Sport Protótipos.

As 'boleias' foram muitas entre fãs, amigos e patrocinadores mas destaca-se a presença do actor Joaquim Horta que pode desfrutar de momentos de pura adrenalina numa pista repleta de público.  

Para Rafael Lobato estas acções são sempre importantes: "É a melhor forma de mostrar às pessoas um bocadinho daquilo que vivemos quando estamos em pista, a adrenalina, a velocidade, as curvas e o prazer. Foi muito bom fazer todas estas 'boleias' e sentir o divertimento e espanto de todos os eles. Espero poder voltar a repetir em breve", disse o jovem piloto de 16 anos que não se deixou intimidar e teve ainda oportunidade de explicar a todos o funcionamento da sua máquina.

Rafael Lobato já terminou a sua época desportiva e espera em breve poder anunciar o seu projecto para 2015.

 

 

Entre os convidados de Rafael LObato, teve o nosso colega Nuno Organista que teve a oportunida de poder sentir as emoções a bordo dum Radcial SR 3.

 

 

Fotos de Nuno Organista - www.velocidadeonline.comadreenalina7 Copyadremnalina1 Copyadrenalian9 Copyadrenalina2 Copyadrenalina3 Copyadrenalina4 Copyadrenalina5 Copyadrenalina6 Copyadrenalina8 Copy

 

RAMPA DA PENHA 2 EM IMAGENS

RAMPA DA PENHA 2 EM IMAGENS

 

 

Grupo de imagens da Rampa da penha 2, relativas à 2ª subida de treinos da penultima prova do Campeonato Nacional de Montanha.

 

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 1288_CopyFOX 1289_CopyFOX 1290_CopyFOX 1291_CopyFOX 1292_CopyFOX 1293_CopyFOX 1294_CopyFOX 1295_CopyFOX 1296_CopyFOX 1297_CopyFOX 1298_CopyFOX 1299_CopyFOX 1300_CopyFOX 1301_CopyFOX 1302_CopyFOX 1303_CopyFOX 1304_CopyFOX 1305_CopyFOX 1306_CopyFOX 1307_CopyFOX 1308_CopyFOX 1310_CopyFOX 1311_CopyFOX 1312_CopyFOX 1313_CopyFOX 1314_CopyFOX 1315_CopyFOX 1316_CopyFOX 1317_CopyFOX 1318_CopyFOX 1319_CopyFOX 1320_CopyFOX 1321_CopyFOX 1323_CopyFOX 1324_CopyFOX 1325_CopyFOX 1326_CopyFOX 1327_CopyFOX 1328_CopyFOX 1329_CopyFOX 1330_CopyFOX 1331_CopyFOX 1332_CopyFOX 1333_CopyFOX 1334_CopyFOX 1335_CopyFOX 1336_CopyFOX 1337_CopyFOX 1338_CopyFOX 1339_CopyFOX 1340_CopyFOX 1341_CopyFOX 1342_CopyFOX 1343_CopyFOX 1344_CopyFOX 1345_CopyFOX 1346_CopyFOX 1360_CopyFOX 1361_CopyFOX 1362_CopyFOX 1363_CopyFOX 1364_CopyFOX 1365_CopyFOX 1366_CopyFOX 1367_CopyFOX 1368_CopyFOX 1369_CopyFOX 1370_CopyFOX 1371_CopyFOX 1372_CopyFOX 1373_CopyFOX 1375_CopyFOX 1376_CopyFOX 1377_CopyFOX 1381_CopyFOX 1382_CopyFOX 1383_CopyFOX 1386_CopyFOX 1387_CopyFOX 1388_CopyFOX 1389_CopyFOX 1390_CopyFOX 1391_Copy

 

CENTROS DE INSPECÇÃO BAIXAM NUMERO DE INSPECÇÕES

CENTROS DE INSPECÇÃO BAIXAM NUMERO DE INSPECÇÕES

 

 

Pelos vistos um elevado numero de centros de inspecção estão a sentir uma diminuição do numero de veículos inspecionados.Assim tivemos a oportunida de falar com algumas pessoas do ramo que tudio isto se deve à crise que ainda não deixou Portugal.Há carros que não são inspecionados, alguns deles vão andando na via pública e sujeitos a ser multados com 250 euros.Outros acabam port ficar parados, e por ultimo também são abatidos alguns veículos, o que tudo isto vem contribuir um pouco para esta diminuição de movimento.

 

MERCEDES JA TEM TITULO

MERCEDES AMG PETRONAS vence Campeonato Mundial de Construtores de Formula 1

A PETRONAS está orgulhosa da sua tecnologia Fluid Technology Solutions™.

Esta tecnologia proporcionou, mais uma vez, uma vantagem competitiva na pista à equipa de Fórmula 1 MERCEDES AMG PETRONAS, uma vez que assegurou a vitória no Campeonato Mundial de Construtores de Fórmula 1* da FIA de 2014 na 16.ª ronda da temporada de 2014 de Fórmula 1 em Sochi, na Rússia.

A importante ocasião ficou também assinalada pela colaboração bem-sucedida entre a PETRONAS e a Silver Arrows, materializada no novo motor de 1,6 litros V6 turbo. O ano 2014 apresentou aquela que é reconhecida como a maior revolução técnica desde a primeira época da Fórmula 1, com a eficiência energética como fator chave de desempenho.

Em conjunto, a PETRONAS e a Equipa de Fórmula 1 MERCEDES AMG PETRONAS passaram mais de três anos a trabalhar em estreita ligação de modo a criar uma nova classe de combustíveis e lubrificantes especiais que ajudam a fornecer uma vantagem competitiva em pista em 2014, e no futuro, levando a equipa ao pódio em todas as corridas deste ano. «Estamos extremamente satisfeitos com o sucesso que alcançámos em conjunto com a equipa e felicitamos todos os envolvidos pelo trabalho árduo. Este é verdadeiramente um marco histórico para a PETRONAS como parceiro técnico e produtor da fórmula vencedora para a equipa campeã nesta época», referiu o presidente da PETRONAS e CEO do Grupo, Tan Sri Dato’ Shamsul Azhar Abbas.

Estes desafios foram ultrapassados graças à tecnologia Fluid Technology Solutions™ da PETRONAS – uma abordagem inteligente às necessidades em termos de lubrificantes que potencia o desempenho através de produtos criados à medida e serviços especializados. As características do combustível PETRONAS PRIMAX e o seu desempenho durante a combustão são a chave para um funcionamento eficiente, potente e fiável do motor, enquanto os lubrificantes PETRONAS SYNTIUM têm um papel crucial ao assegurar um desempenho fiável da Unidade de Potência.

Estes lubrificantes são concebidos tendo em mente o carro Híbrido F1W05 da Mercedes-Benz por uma equipa de especialistas que trabalha em conjunto com engenheiros na Mercedes AMG High Performance Powertrains em Brixworth e a equipa de Fórmula 1 MERCEDES AMG PETRONAS em Brackley e, deste modo, o PETRONAS Primax e o PETRONAS Syntium apresentaram resultados extraordinários, proporcionando eficiência e desempenho à equipa sob os regulamentos estabelecidos pela FIA para este ano, que exigiram que os carros competissem com menos 30% de combustível.

«A PETRONAS tem tido, este ano, um papel importante no sucesso da MERCEDES AMG PETRONAS nas pistas», afirmou Toto Wolff, diretor da Mercedes-Benz Motorsport. «O desafio técnico dos regulamentos de 2014 centrou-se em proporcionar o desempenho mais eficiente possível. Graças ao compromisso e à competência dos nossos parceiros na PETRONAS, desenvolvemos a Unidade de Potência Híbrida e o carro de corrida híbrido mais competitivos da Fórmula 1 deste ano, alcançando mais potência e uma maior eficiência do que os nossos concorrentes. Em termos simples, não o poderíamos ter alcançado sem os nossos parceiros – e é um momento de orgulho para todos nós assegurar o primeiro Campeonato Mundial de Construtores de Fórmula 1 da FIA para a Mercedes-Benz e para a PETRONAS.»

A mesma competência técnica que cria os lubrificantes usados nos carros de Lewis Hamilton e de Nico Rosberg é também usada nos lubrificantes que protegem os automóveis do dia-a-dia. Utilizando a Fórmula 1 como o seu grande banco de ensaio, a equipa científica da PETRONAS utiliza a mesma abordagem ao desenvolver soluções fluidas personalizadas em situações extremas e exigentes para criar lubrificantes e óleos tecnologicamente superiores para os carros do dia-a-dia. No fim de contas, aplicam-se as mesmas preocupações – maximizar a potência do motor, a eficiência e a durabilidade e, em simultâneo, reduzir o consumo de combustível.
*Sujeito a confirmação oficial por parte da FIA dos resultados do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 da FIA 2014.



Formula1-TituloConstrutores2014
 

VARTA EM FESTA

VARTA em Festa

Johnson Controls celebra o 40 º aniversário da sua fábrica em Burgos.

A fábrica da Johnson Controls de Burgos, especializada na produção de baterias VARTA de motores de arranque e aplicações em veículos Start-Stop, comemorou no dia 17 de outubro, os seus 40 anos de história numa cerimónia comemorativa com a presença de inúmeras autoridades, destacando o Exmo. Sr. D. Juan Vicente Herrera Campo, Presidente da Junta de Castilla y León, bem como representantes da administração da empresa a nível europeu. A fábrica de Burgos emprega cerca de 300 trabalhadores e estabeleceu-se como líder no sector automóvel na Europa. Além de abastecer o mercado espanhol, exporta as suas baterias para os fabricantes de automóveis em toda a Europa, a Túrquia e os países do norte de África.

Fundada em setembro de 1974, esta fábrica tornou-se numa das líderes do mercado europeu de automóveis, graças à fabricação de baterias VARTA de alta qualidade e às inovadoras aplicações para a poupança de combustível nos veículos Start-Stop.

Durante estes 40 anos, a fábrica Johnson Controls em Burgos produziu 94 milhões de baterias. Se fosse possível colocar todas as placas que estão dentro das baterias, uma atrás da outra, seria formada uma fila que daria a volta ao mundo em mais de 30 vezes.

Eduardo Quintanal, Diretor da fábrica da Johnson Controls em Burgos, declarou:"Durante estes 40 anos, o compromisso, talento, inovação e trabalho em equipa foram a chave para o sucesso da empresa. Por outro lado, o nosso compromisso com Burgos e com a região é firme e assim o demonstra a nossa história. Nós mantemos um alto nível de investimento e geramos emprego estável, o que contribui para o crescimento industrial e económico da região.”



Fábrica de Burgos
 

ANECRA NÃO PÁRA

 

ANECRA NÃO PARA…

 

Registo de propriedade de veículos…uma decisão há muito aguardada pela ANECRA!

 

Foi aprovada em Conselho de Ministros a “criação do procedimento especial para o registo de propriedade de veículos” que visa aplicar-se a situações em que haja contrato verbal de compra e venda do veículo. Este procedimento procura “simplificar a regularização da propriedade” dando poderes ao vendedor para requerer a mudança de registo  “com base em documentos demonstrativos da transmissão, com notificação à parte contrária a cargo do serviço de registo”.

Assim, com este novo procedimento, no ato de compra e venda, o vendedor por estar munido de toda a informação necessária poderá requerer a alteração do registo de propriedade.

Esta alteração legislativa carece ainda de publicação em Diário da República, a qual quando ocorrer permitirá conhecer em detalhe, os mecanismos e procedimentos inerentes às novas regras do Registo Automóvel.

Esta decisão vem ao encontro de uma pretensão desde sempre reivindicada pela ANECRA, através do seu Manifesto em Defesa do Setor Automóvel e que deu origem a uma Resolução da Assembleia da República, no sentido de agilizar o registo de propriedade a favor do atual proprietário, contribuindo para a resolução de problemas inerentes à cobrança de IUC de veículos em que a transferência de propriedade já ocorreu mas cujo registo ainda não se encontra regularizado, sem prejuízo da necessária Segurança Jurídica.

 

 

 

DANIEL VIDAL JUNIOR É NOTICIA

DANIEL VIDAL JÚNIOR É NOTICIA

 

 

O piloto português encontra-se na cidade do  Porto de férias, no entanto tivemos conhecimento que a vinda de Daniel Vidal Junior de Luanda até à Europa, prende-se com a constrcução do seu novo sport prototipo com que irá correr no Campeonato Angolano de Velocidade em 2015, depois duma época sabáttica em 2014.

 

A nova máquina foi comprada a Juno-Ginetta, já iniciou a construção em Inglaterra, estando previsto que o carro esteja pronto para inicios de Dezembro, havendo a possibilidade do mesmo ser testado em Portugal, embora nada esteja ainda confirmado.

 

Sobre este novo Juno-Ginetta, irá ser exemplar único, é um carro feito para o piloto que irá correr em Angola, em termos técnicos poderá ser uma mistura entrte um LMP 3 e 2, sendo um carro aberto.Em termos de propulsor, nada está ainda defenido, mas já nos foi asssegurado que o motor terá mais de 3 litros de cilindrada.Por outro lado a assistência deste novo carro para D01 Ginetta_Zytek_David_Merr-L_Copy1407338709Ginetta-Juno LMP3_Render_1_Copyaniel Vidal Junior ficará a cargo da Comval Racing.

 

LEAL DOS SANTOS NO DAKAR 2015

 

Ricardo Leal dos Santos no Dakar 2015

Piloto regressa à prova rainha do todo o terreno com projeto internacional

Será a sua décima participação no Dakar, onde já venceu uma etapa

A próxima edição do Rali Dakar irá contar com a presença do piloto português Ricardo Leal dos Santos, encabeçando o projeto internacional BAMP. Reunindo empresas, universidades e pessoas dos países lusófonos - Brasil, Angola, Moçambique e Portugal, reunidos no acrónimo BAMP - o projeto procede ao desenvolvimento de um carro de todo-o-terreno competitivo, operação já em curso, capaz de garantir um lugar cimeiro nas classificações do icónico rali agora disputado na América do Sul.

“Estou muito satisfeito por poder regressar ao Dakar e entusiasmadíssimo com o acolhimento que o projeto tem merecido junto dos mercados e comunidades lusófonas. Este projeto permite-me trabalhar diretamente na parte de desenvolvimento do carro, um trabalho de que gosto particularmente”, declara o piloto.

Numa fase em que o trabalho de desenvolvimento do veículo está em ritmo acelerado, prometem-se para breve muitas novidades.

 Projecto BAMP_CopyRicardo Leal_dos_Santos_Copy

 

VODAFONE MEXEFEST

Vodafone Mexefest


Vodafone Mexefest Apresenta:

GLOBAILE curado por Branko
Com Branko,
Dengue Dengue Dengue!
e MGDRV


 

28 e 29 de novembro, Avenida da Liberdade, Lisboa
 

Cinema São Jorge (Sala Manoel de Oliveira, Sala Montepio), Ritz Clube, Palácio Foz, Estação Vodafone FM (Estação Ferroviária do Rossio |Refer), Starbucks, Sala Super Bock Super Rock|Garagem EPAL, Ateneu Comercial de Lisboa, Sociedade de Geografia de Lisboa, Coliseu dos Recreios, Igreja de S. Luís dos Franceses, Casa do Alentejo, Vodafone Bus I e II


 

www.vodafonemexefest.com | facebook.com/vodafonemexefest

 

As surpresas no Vodafone Mexefest não param e prometem ser muitas. A surpresa que agora se anuncia é a estreia de GLOBAILE, conceito criado por BRANKO. Motor e mentor dos Buraka Som Sistema, criador e agitador da label Enchufada, aquecedor sonoro das míticas Hard Ass Sessions (Lux), João Barbosa (aka Branko) destrói o termómetro com uma programação única com vários azimutes escaldantes numa noite de quente de Inverno.
 

O cartaz está montado para uma noite de grande festa e movimento. Calor vindo de cidades distintas unidas numa noite só. O palco é agitado pelos MGDRV que rasgam estereótipos e optam por debitar rimas e beats resultantes da cultura Bass.
 


É a linha do Equador a ser desrespeitada quando do Peru (Lima) se ouve o som exclusivo da cumbia electrónica dos Dengue Dengue Dengue!. Com azimutes cruzados com a editora mais tropical do planeta terra (Enchufada), os DDD viraram do avesso a Europa durante o Verão por festivais como Roskilde, Dour, entre outros, e chegam finalmente a Portugal.

E é aqui, neste momento de confluência e afluentes que todos são recebidos por Branko, a encerrar a festa para uma noite em que a música Global toma conta do Vodafone Mexefest e o baile segue madrugada fora.
 

DRESS CODE: evite levar muita roupa.



Vodafone Mexefest. De palco em palco, a Música mexe na cidade.

Mais novidades a anunciar brevemente.


 

Já confirmados:

Adult Jazz; Bristol; Capicua; Clã e Convidados; Cloud Nothings; Coro Africano; Curtis Harding; Deers; Duquesa; Éme; Francis Dale; Globaile com Branko, Dengue Dengue Dengue! e MGDRV; I Break Horses; JJ; Johanna Glaza; Kindness; King Gizzard & The Lizard Wizard; Meu Kamba Soundsystem; Modernos; Palma Violets; Perfume Genius; Pharoahe Monch; Salto; Savanna; Sensible Soccers; Sharon Van Etten; Shura; Sinkane; St. Vincent; Stereossauro; Throes + The Shine; Tiago Iorc; Tune-Yards.

 

Informação de Bilhetes


 

Preço dos Bilhetes

Preço único: €40

Troca obrigatória pelo próprio por pulseira no Coliseu de Lisboa a partir de dia 27 de novembro

Locais de Venda

www.blueticket.pt - Call Center 707 780 000, lojas FNAC, lojas Worten, El Corte Inglês (Lisboa e V. N. Gaia), Centros Comerciais Dolce Vita (Amadora, Porto, Vila Real, Ovar, Coimbra e Funchal), Casino de Lisboa, Galerias Campo Pequeno, Abep, Estações de Correios, lojas Media Markt, Turismo de Lisboa, www.ticketline.pt - Reservas e informações 1820 (24 horas), www.bilheteiraonline.pt, www.festicket.com, Coliseu de Lisboa.
Bilheteira do festival no Coliseu de Lisboa a partir de dia 27 de novembro.

App Vodafone Mexefest com desconto de 5€ para clientes Vodafone.

Packs Get a Fest

Espanha: www.breakpoint.es, lojas FNAC, Carrefour Viajes e Halcón Viajes

Inglaterra: www.seetickets.com

Alemanha: www.ticketmaster.de

França: lojas FNAC www.fnac.com, Carrefour www.carrefour.fr, Géant, Magasins U, Intermarché, www.francebillet.com
 

 

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt