In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


FÁBIO MOTA NO ETCC EM VILA REAL

 

Fábio Mota corre frente ao seu público

 

É já no próximo fim-de-semana que se disputa ronda de Vila Real da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo, estando Fábio Mota determinado em bons resultado frente ao imenso público que sempre o apoiou.

O piloto português chega à sua etapa caseira depois de ter alcançado excelentes resultados no dantesco circuito de Nurburgring – Nordschleife, que se saldaram num terceiro e num segundo lugares, chegando ao clássico traçado transmontano ainda mais entusiasmado e determinado em prosseguir a senda de boas classificações.

A pista citadina de quatro mil e seiscentos metros e vinte e quatro curvas é do agrado de Fábio Mota que no ano passado estava no primeiro lugar da qualificação, na luta pela pole-position, quando uma falha travões na rapidíssima Descida de Mateus o obrigou a um violento embate com os rails.

Apesar da contrariedade, o piloto de Vila Nova de Gaia não virou a cara à luta e na segunda corrida do programa conseguiu recuperar até ao quarto posto, cruzando a linha de meta a pressionar o terceiro classificado.

No próximo fim-de-semana Fábio Mota pretende voltar a mostrar o excelente andamento que evidenciou em 2016 e assegurar resultados semelhantes ou melhores aos que que garantiu em nas montanhas de Eifel. “Nurburgring – Nordschleife e o circuito de Vila Real tem muitos pontos em comum – ambos são rápidos, com muitas curvas cegas, exigentes para os carros e onde os pilotos podem fazer a diferença. Em 2016 estive rápido, mas tive um problema que condicionou todo o meu fim-de-semana, este ano espero continuar competitivo, apesar da concorrência estar mais forte, e poder prosseguir os bons resultados que conquistei na Alemanha”, sublinhou o português.

Regressar a Vila Real é sempre um sentimento muito especial para Fábio Mota, que sempre contou com um forte apoio da população local, esperando retribuir a simpatia dos vila-realenses com o resultado que merecem. “Sempre senti muito carinho em Vila Real, desde os meus tempos do karting, sentimento que se manteve desde a minha primeira corrida de carro na pista transmontana. Seria, portanto, extraordinário poder retribuir todo esse apoio com um triunfo. Sei que não será fácil e nem sequer é algo que posso prometer, as corridas de automóveis são imprevisíveis, mas garanto que vou dar o máximo para que isso aconteça”, assegurou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

O programa da ronda de Vila Real da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC inicia-se no sábado, sendo as corridas realizadas no domingo e transmitidas em directo no Eurosport e no website, TVI Player e Facebook da TVI.ax12 Copy

 

TCR NA HUNGRIA

 

Rounds 11 & 12 – Hungaroring – 17 / 18 June 2017

RACE REPORT

Attila Tassi is prophet in his home country

The M1RA driver wins twice and leads the standings

Attila Tassi turned 18 last Wednesday and couldn’t have hoped for a better way to celebrate his birthday. In fact, the Hungaroring event turned into a triumph for him, the M1RA team and Norbert Michelisz who played the double role of team principal and driver.
Tassi broke his duck and claimed his first victories in the TCR International Series, which enabled him to jump from fourth to first in the Drivers’ classification with a margin of six points ahead of his teammate Roberto Colciago.
Michelisz accomplished his mission of ‘bodyguard’ in both races, protecting Tassi’s shoulders in Race 1 and Colciago’s in Race 2, and stealing previous points from Jean-Karl Vernay twice. The Frenchman tried everything to overtake Michelisz, but in the end had to settle with a third and a seventh that earned him enough points to stay in touch with the two leaders, 13 points behind Tassi and seven behind Colciago.
As for the other title contenders, Stefano Comini had a nightmare weekend, struggling to stay on the pace with the full Success Ballast onboard, and scored only one point, dropping from first to fourth in the standings, 25 points behind Tassi. Pepe Oriola returned to the podium by finishing second in Race 2 and so climbed to fifth in the standings with a gap of 42 points.
After scoring his first points last week in Austria, Jens Reno Møller performed brilliantly in the second race, leading for 10 out of the 14 laps and finishing third, claiming a podium place for the first time. His and Stian Paulsen’s results (the Norwegian was eighth in Race 2) proved that in TCR the smaller teams can actually fight on equal ground with larger and richer outfits.
The series will resume at Oschersleben’s Motorsport Arena, Germany for rounds 13 and 14 on July 8 and 9.

Race 1 – Tassi wins as Michelisz’s plan is successful

Norbert Michelisz proved that he’s not only a superstar driver, but also a fine strategist. After setting pole position yesterday, he made it clear that his aim was to help his protégé Attila Tassi to win his first race and to claim a podium result for himself.
His plan was a complete success!
The icing on the cake was Roberto Colciago’s fourth place that propelled the Italian driver to the top of the standings, while the previous leader, Stefano Comini, did not score and so dropped to fourth.
Tassi, Michelisz, the whole M1RA crew and the many spectators couldn’t hide their emotion when the Hungarian anthem was played on the podium.
There was a lack of position changes among the top drivers, while a number of battles raged for the other positions and several drivers were warned for repeatedly infringing the track limits.
After starting from the back of the grid because of a technical infringement in Qualifying, Mat’o Homola completed a strong recovery to finish 10th; Ferenc Ficza obtained an encouraging 16th position with the debutant KIA cee’d of Zengő Motorsport, although he was later dropped to 19th by a 30-second penalty for a grid position infringement.

Key facts
Grid – Vervisch (engine change) and Homola (technical infringement) are both demoted (from 14th and 4th) to the back of the grid; Ficza is also dropped (from 23rd to 24th) because of a penalty received in the previous event.
Warm up lap – Bernula’s KIA remains in the pit lane as the team is working to solve a gearbox problem
Start – Michelisz and Tassi make a great start and Michelisz allows Tassi into the lead; behind them, Colciago and Vernay swap third position a couple of times
Lap 1 – Vernay keeps third ahead of Colciago and Oriola; Ende retires with differential problems
Lap 2 – Vernay is threatening Michelisz’s second place; Huff follows in sixth position and is chased by Lloyd and Nash; Borković pits after contact with Comini, then rejoins
Lap 3 – Paulsen drives on the gravel and pits after a contact with Morbidelli; Huff stops on the track with a pierced radiator
Lap 4 – Homola recovers to 12th, Ficza to 16th
Lap 5 – Morbidelli is chasing Nash who is 7th
Lap 6 – Kajaia defends the 10th place from Vervisch and Homola
Lap 8 – Colciago and Oriola run two-abreast while fighting for 4th; Vervisch stops on track with a differential problem
Lap 9 – Comini and Møller fight for 12th; Demoustier, Ficza and Nagy are immediately behind them
Lap 10 – Demoustier overtakes Møller for 13th
Lap 11 – Altoè overtakes Morbidelli for 8th
Lap 12 – Homola overtakes Kajaia for 10th
Lap 13 – Nagy overtakes Ficza for 15th
Lap 14 – Tassi claims his maiden win ahead of Michelisz and Vernay

Driver quotes after the Hungaroring Race 1

Attila Tassi (winner): “I am really happy. To win my first TCR International race here at home, in front of my home crowd, is just a dream come true, the best feeling I had so far in my career. I took a good start, and clearly, Norbi protected my… shoulders, I only had to focus on the corners and preserving the tyres, without having to look into the mirrors. In the last couple of laps, I started having some brake and understeer problems, but kept everything under control.”

Norbert Michelisz (second): “It all went according to the plan, but I must stress that Attila really won this race on his own merit, taking a perfect start. He completely deserved this first win, and he has done tremendous progress this year. I know exactly how he must feel at this very moment, and I also feel emotional about it, it’s like winning myself. During the race, I just tried to leave Attila some breathing space, but I had to make every effort to cover the lines and defend my position from Jean-Karl, who was faster in some portions of the track. Now, we should avoid over-celebrating, there is another race later and we need to stay focused.”

Jean-Karl Vernay (third): “It was a pleasure to fight with Norbi, really a great moment. I took a good start, but not good enough to pass the Honda cars, which are so fast at the start. Still, I could pass Colciago, we fought for a couple of corner, but I managed to stay ahead. I am happy with this result, as the objective was precisely to score some heavy points.”

Roberto Colciago (fourth): “It’s not a bad result under the circumstances. Something changed in my car after three laps, there was a sudden drop of performance, we don’t understand why. It has nothing to do with success ballast.”

Race 2 – Another win for Tassi and podium for Møller

Attila Tassi completed his and M1RA’s perfect home weekend by claiming another victory and so became the first TCR International Series driver to score two wins in the same weekend since Pepe Oriola in Bahrain last year; a feat that drove the Hungarian fans crazy and propelled the 18-year old Tassi to the top of the standings.
Jens Reno Møller was the other hero of the race, as he led for most of the 14 laps and eventually finished third; the first podium result for the Dane that came out of the blue considering that he crashed his Honda Civic yesterday during the Qualifying, which forced his team to work until 5:00 this morning.
Oriola was clearly determined to score as many points as possible in order not to lose contact with the points leaders; he was able to move up from fifth to second, overtaking Colciago, Altoè and finally Møller on the last lap.
Norbert Michelisz completed his job, by finishing sixth and keeping Jean-Karl Vernay at bay for the whole race, which helped his teammates Tassi and Colciago to build a margin over the Frenchman in the standings.
Two other drivers deserve mentions: Giacomo Altoè and Stian Paulsen. Even younger than Tassi, Altoè did his best to obtain his first podium; eventually he finished immediately behind the top three, but showed he has the speed and maturity to become a top driver. As for Paulsen, he finished eighth and so finally scored his first points in the International Series.

Key facts
Grid – Nagy’s SEAT is missing due to an oil leak from the engine
Start – Møller sprints from the pole position, followed by Altoè and Tassi who jumps from eighth position to third; there is a series of contacts as the field negotiates Turn 1 and as the dust settles, the count of wrecked cars consists of Kajaia’s Alfa Romeo, Morbidelli’s Volkswagen and Lloyd’s SEAT
Lap 1 – the safety car is deployed
Lap 4 – the race resumes
Lap 5 – Michelisz overtakes Paulsen for 6th; Huff overtakes Demoustier for 12th
Lap 6 – Tassi overtakes Altoè for second; Oriola overtakes Colciago for fourth
Lap 7 – Altoè defends his third place from Oriola; Homola overtakes Demoustier for 13th
Lap 8 – Comini overtakes Huff for 11th; Borković retires with power steering failure
Lap 9 – Comini, Huff and Homola have a close fight for 11th with a few contacts; Ende retires with electrical problems
Lap 10 – Tassi closes the gap from Møller to three tenths
Lap 11 – Tassi takes the lead from Møller; Vernay tries in vain to overtake Michelisz
Lap 12 – Oriola overtakes Altoè for third; Vervisch stops on the track with a broken suspension; Vesnić retires with brake problems
Lap 13 – Oriola overtakes Møller for second
Lap 14 – Tassi claims his second victory of the day, from Oriola and Møller who finishes on the podium for the first time


Driver quotes after the Hungaroring Race 2

Attila Tassi (winner): “It’s unbelievable what was happening this weekend! I could never expect such a day and I am really happy. I turned 18 last Wednesday and this was really a great present! I took a very good start, but there was a slight contact with Altoè in turn 1, and my steering got a little bit damaged. Still, I could pass him shortly after and then started chasing Møller when he made a small mistake. I am now leading the standings, which is great, but it doesn’t mean much, as the fight is so close and the leader keeps changing…”

Pepe Oriola (second): “I really wanted to finish on the podium after some recent disappointments, and I am very happy with the result and with my race. We changed something in the car between Race 1 and Race 2 and it proved effective. Being able to overtake Colciago, Altoè and Møller on such a track was not bad at all. My only problem was at the restart after the safety car, I was caught a little by surprise, as the radio was not working. It was also a good result for staying in the fight for the championship, which will go on to the very end. Still, today’s hero is Attila, I want to congratulate him warmly, and I know what it is to clinch one’s first success at a very young age, he has a bright future ahead. We also welcome him in the selected club of drivers that have won both races of a same event, we aren’t so many!”

Jens Reno Møller (third): “Twenty-four hours ago we were looking at a severely damaged car and almost packing to go home… now we are on the podium, it has been a fantastic comeback, so I am obviously very happy. We just told ourselves that we could not let go the opportunity of starting from the pole in Race 2 and we decided to have a try on fixing the car… We are a small privateer team, with five guys that worked until 5 am to repair everything and did it wonderfully. I took a great start and tried to build a gap, I think I did quite a good job. Tassi could only pass a few laps from the end, when I did a small mistake at turn 12. By then my tyres were dead, and eventually also Oriola passed, but third is a great result, given that our target is the European trophy finale in Adria…”

Giacomo Altoè (fourth): “It has been a tough race, I never sweat so much, but it’s a good result, actually the team’s best this season, although it is a little bit disappointing to miss the podium by so little. At the start, I had to keep Tassi at bay and dived very early into first corner. The back of my car slid and I hit him slightly, luckily with no damage for either. Oriola’s pressure was really heavy for most of the race and I could resist up to the moment my tyres were ok. The car has improved a lot, the tests we did at Adria before the Salzburgring actually helped to understand many things about the Golf. The improvements were not so evident in Austria, because of the long straights, but were much more visible here, and we are very confident ahead of Oschersleben, which should suit the Golf.”   

Ferenc Ficza is positive about the KIA’s potential

Despite only taking delivery of the brand new KIA cee’d TCR early on Saturday, Ferenc Ficza demonstrated the car’s future potential by finishing 15th and 14th after twice starting from the back of the grid.
In fact, the Korean car had stopped during its very first lap in yesterday’s Free Practice due to a broken throttle cable. Therefore, Ficza was finally only able to drive the KIA for the first time during Qualifying and treated the session as a shake down. He qualified 23rd and lost another position on the grid due to a penalty from the previous event.
In both races, the young Hungarian was able to recover, although another penalty for a grid position infringement dropped him from 15th to 19th in Race 1.
The second race saw him again climbing up to 14th, which would have earned one point for KIA in the Model of the Year Trophy should the car not have been racing under a temporary homologation form.

“I was able to complete both races, which was an achievement in itself considering that we missed both free practice sessions and the car only turned a wheel for the first time during Qualifying. There is still a lot of work to do; the set-up has to be done from scratch, and I hope that we will have the budget to do some testing, but the car has great potential. It feels completely different from anything I have driven so far, but I am really impressed,” Ficza said.


2017 TCR International Series – calendar
2 April – Rustavi International Motorpark, Georgia
16 April – Bahrain International Circuit (F1 event)
6 May – Circuit de Spa-Francorchamps, Belgium (WEC event)
14 May – Autodromo di Monza, Italy (ELMS event)
11 June – Salzburgring, Austria
18 June – Hungaroring, Hungary (DTM Event)
9 July – Motorsport Arena Oschersleben, Germany (with ADAC TCR Germany)
3 September – Chang International Circuit, Buriram (with TCR Thailand)
8 October – Zhejiang International Circuit, China (with TCR Asia & TCR China)
26 November – Yas Marina Circuit, Abu Dhabi (F1 event)

 

NOTICIAS DOS ESTADOS UNIDOS

 

Lucas Oil Racing TV is the first 24/7 On Demand motorsports network - 2000 plus hours of US, national and international racing, car shows, behind the scenes action and live-streaming events online without commercial breaks.


 
This Thursday-Saturday LIVE:

 

ASCS National Tour vs. Summer Thunder Sprint Series
 and a field full of hungry Northwest Sprint Car talent
 - it's the 46th annual Jim Raper Memorial Dirt Cup!
At Skagit Speedway - Alger, WA 

Also this week LIVE:

 

ARCA Stock Car Series - Montgomery Ward 200 - Friday June 23 9:00PM ET at Madison International Speedway - Madison, WI.
Racing on the historic 1/2 mile paved oval has been eagerly anticipated by ARCA fans following highly contested back-to-back superspeedway events.
Yearly Subscription Only
Utah Motorsports Campus - Toole, UT. Lucas Oil - Utah Off Road Nationals - Sat & Sun June 24 & 25 4:30PM ET. High speeds and tight racing action are the name of the game at the Utah Motorsports Campus track.
Monthly and Yearly Subscriptions

Recently added to the library: 

Lucas Oil Late Model Dirt Series "Clash at the Mag" - Hot Laps / B-Mains / A-Mains - June 17, 2017. Live replay from the Lucas Oil Late Model Dirt Series Clash at the Mag at Magnolia Motor Speedway in Columbus. Mississippi.
MAXPOWER Motorsports Magazine. June 15, 2017.
1) British Touring Car Championship
- Oulton Park    Circuit: Cheshire, England. 2) IMSA heads to Long Beach, Cal. 3) TRC Series heads to the Sepang Circuit in Malaysia. AVAILABLE FOR USA ONLY
Performance TV - Waterless Cooling, Motorcycle Styling, and All-In-One Cleaning - June 15, 2017. The Performance TV Team goes waterless to keep cool, styles up a Harley, and cleans up around the shop.
Sam's Garage - Lund Revolution Bull Bar Installation - June 15, 2017. Today we try out HE & M's new Saw, we do a tach conversion with Brothers Truck Parts while the crew have a friendly competition installing the Lund Revolution Bull Bar.
Maxxis British Motocross Championship - Round 3 - Kent - June 15, 2017. We head to Canada Heights in Swanley, Kent for round 3 of the Maxxis British Motocross Championship.
AVAILABLE FOR USA ONLY
Madera Speedway - Round 1: Junior Late Model Series - June 15, 2017. The Jr. Late Model Series from Madera Speedway features the first race of the 2017 season in Madera, California.
If you are unable to watch a race live, all live races will be available for replay after an event... usually within 24 hours. Please check back regularly for schedule updates. We are always adding new content and will also be adding to our live event offering throughout the season.
Lucas Oil Racing TV is currently available through Amazon Fire TV,  Android Devices,  Apple iPad, Apple iPhone,  Roku,  Xbox, and LucasOilRacing.TV for computers, tablets and smartphones.

 

TCR NA HUNGRIA

 

Rounds 11 & 12 – Hungaroring – 17 / 18 June 2017

QUALIFYING REPORT

Norbert Michelisz on pole for his home races

Jean-Karl Vernay is second and Attila Tassi third

Norbert Michelisz’s pole position at the Hungaroring was eagerly anticipated, especially since he had been fastest in both the Free Practice sessions.
Unsurprisingly, Michelisz did not let his fans down. After being stripped of the fastest lap in Q1 and finishing behind Jean-Karl Vernay, Hungary’s sports hero responded by setting a new lap record for the TCR cars of 1:52.740.
For a brief moment there was an all-M1RA front row for Race 1, as Attila Tassi had posted a provisional second fastest lap behind his ‘boss’, but Vernay spoiled the party with a lap of 1:53.354.
Mat’o Homola placed his Opel Astra fourth, ahead of Pepe Oriola’s SEAT and Roberto Colciago in the third M1RA Honda. Rob Huff and a brilliant Stian Paulsen ranked seventh and eighth, while Daniel Lloyd had his ninth fastest lap disallowed for not respecting the track limits.
This promoted the WestCoast Racing duo of Gianni Morbidelli and Giacomo Altoè to ninth and tenth, which means that they will fill the front row on the top-ten reverse grid for Race 2.
Today’s Qualifying was extremely disappointing for the Audi and Alfa Romeo drivers, as none of them managed to even make the cut for Q2.
After a frustrating start in this morning’s Practice 2, Ferenc Ficza completed his first laps in the brand new Zengő Motorsport KIA cee’d. It was, however, just a shake down for the Korean car that has still to show its potential.
The first race will start tomorrow at 09:10 local time (live streaming at www.tcr-series.com and www.tcr-series.tv). 

Qualifying 1: Vernay beats Michelisz
Vernay was the very first driver who was able to be faster than Michelisz since TCR action began at the Hungaroring. The Frenchman and his Volkswagen Golf posted a fastest lap of 1:53.030 in the dying moments of Q1. On his last lap, Michelisz improved as well, but not enough; he settled into second position with a lap of 1:53.209.
The Hungarian actually posted the fastest lap (1:52.847), however it was disallowed for exceeding track limits. A number of other drivers were hit by the same penalty for the same infringement.
Tassi was third with a lap of 1:53.067 that had provisionally placed him on top of the time sheet after Michelisz’ penalty and before Vernay’s final effort.
Møller and Paulsen did a great job, advancing to Q2 for the first time, while Vesnić was soon sidelined by a technical problem.
Among the top drivers who did not make the cut were Nash (13th), Vervisch (14th), Kajaia (16th), the points leader Comini (17th) and Borković (18th), meaning that there were no Audi, nor Alfa Romeo cars in Q2.
The following drivers went through: Vernay, Michelisz, Tassi, Oriola, Altoè, Lloyd, Homola, Huff, Møller, Colciago, Morbidelli and Paulsen.

Qualifying 2: Michelisz set pole position
Homola was the fastest after the first flying laps, with a time of 1:53.495. However the ten-minute segment was red-flagged around halfway, when Møller made a mistake while braking into Turn 1 and crashed into the barriers.
When action resumed, less than five minutes were left on the clock, meaning that the drivers had the possibility to complete only two timed laps.
Michelisz was immediately able to post a time of 1:52.740 that gave him pole position; on his last lap Tassi was clocked at 1:53.406 and provisionally climbed to second, but Vernay improved to 1:53.364 and demoted the young Hungarian to third.


Qualifying update – Homola excluded from Qualifying

Mat’o Homola had all of his qualifying times cancelled by the Stewards following the report of the Technical Delegate that found the Opel Astra did not conform to the homologation paper.
Should the car be modified to return within conformity, Homola will be allowed to start in tomorrow’s races from the back of the grid.

Two drivers will also be demoted to the back of the grid because of engine changes: Frédéric Vervisch (who had qualified 14th) and Ferenc Ficza (23rd). Ficza should have paid the penalty in the previous event at the Salzburgring, but couldn’t because he destroyed his car in a crash during the Free Practice.


What the fastest drivers said after Qualifying

Norbert Michelisz (first): “It’s an amazing day, very nice to be on pole at my home track, in front of my fans, and driving for the first time a car of my team... I was quite emotional about it since yesterday. It’s being a wonderful experience and I want to thank all the people in the team, I am so proud of them. The car behaved well, although we still have some understeer, but if you make the fastest lap, you can’t complain. Tomorrow, in the races, I will try to help Attila and Roberto, if I can, but of course, in a sportive way and without messing around! This is my main goal, to help the team scoring points, although I don’t hide that a podium finish in front of my crowd would be great.”

Jean-Karl Vernay (second): “First of all, I would like to say how great it is to have another top-class driver such as Norbert in the series. The presence of guys like him or Rob Huff is really a plus, also for us drivers. Today’s result makes me very happy, as it comes as a nice reward after the very difficult week the team had. Last Sunday, at the Salzburgring, we finished with two wrecks instead of two cars and I too wasn’t in a very good shape… To be able to be here with two cars in perfect conditions and me relatively fit is simply great. This is a good track for the Golf and one I like a lot, so tomorrow the objective will be to score as many points as possible. I don’t think we will be in a position to beat the Honda cars, which are very fast, especially at the start, but if I can score as many points as Colciago and Comini, it will be good.”

Attila Tassi (third): “We did a few changes in the set-up of the car that worked well. I did a little mistake in Q2, which sent me off the limits, and my time was disallowed, but all in all, I am pretty satisfied. Tomorrow, I hope in a good start and a good race, it is not entirely true that you can’t overtake, there are a few places where you can do it, but I will not share my secrets… Racing at home, after the big shunt in Austria, and alongside Norbi is very special, but I do not feel more pressure than usual. It’s good to have Norbi… out of the car, that’s one serious rival less, but it is also nice to have him racing, as he can contribute a lot with his feedback and knowledge.”  


More quotes after Hungarian Qualifying

Ferenc Ficza: “I really took the day as a shake-down, but the 4-5 laps I could do in Qualifying were very interesting to get a first impression about the car, which is very positive. It behaves well and has a lot of power, I think there it has a high potential.”

Davit Kajaia: “Both Dušan and I missed Q2 and there was little more we could do. This, with all these slow and medium corners, is the worst track of the season for the Giulietta…”

Stefano Comini: “With so much more weight because of the BoP and the Success Ballast, the car is simply undrivable and even dangerous. It feels like a tank, not a car!”


2017 TCR International Series – calendar
2 April – Rustavi International Motorpark, Georgia
16 April – Bahrain International Circuit (F1 event)
6 May – Circuit de Spa-Francorchamps, Belgium (WEC event)
14 May – Autodromo di Monza, Italy (ELMS event)
11 June – Salzburgring, Austria
18 June – Hungaroring, Hungary (DTM Event)
9 July – Motorsport Arena Oschersleben, Germany (with ADAC TCR Germany)
3 September – Chang International Circuit, Buriram (with TCR Thailand)
8 October – Zhejiang International Circuit, China (with TCR Asia & TCR China)
26 November – Yas Marina Circuit, Abu Dhabi (F1 event)

 

EXTREME SAILING - ESPANHA

 

Barcelona revealed as venue for the fourth Act of the 2017 Extreme Sailing Series™

The Extreme Sailing Series™ is set to return to Spain as Barcelona is announced as host for the fourth Act of the 2017 season, in a four-year deal with Host Venue Partner Fundación Navegación Oceánica de Barcelona, FNOB.

The cosmopolitan capital of Spain's Catalonia, a major tourist destination and one of the world's leading cultural and economic centres, is the final venue to be announced as part of the 2017 global tour.

From 20-23 July, Barcelona, where the 1992 Olympics were staged 25 years ago this summer, will become the fourth Olympic sailing venue to host the Series, alongside Qingdao, Rio and Sydney.

Andy Tourell, Event Director of the Extreme Sailing Series commented: "We are thrilled to return to Spain, and for the first time to Barcelona. The iconic Olympic city ticks many of the boxes we look for in our host cities, including excellent racing conditions, commercial interest and the ability to race close to the shore.

"It is the perfect addition to our already exciting line-up of European venues and I have no doubt that over the next four years it will deliver some of the signature exhilarating racing the Series is famed for," added Tourell.

The free entry public Race Village will be located in front of the impressive structure of the W Barcelona hotel on the Plaça Rosa dels Vents in the Barceloneta neighbourhood, the same location that the fleet of IMOCA 60s use to start and finish their epic voyage in the Barcelona World Race.

The Race Village will provide the perfect viewing arena for the racing, and will also offer a host of on-shore entertainment. Spectators can also watch the action for free from nearby Sant Sebastià, Barcelona's longest beach.

David Escudé, Sports Commissioner for Barcelona Council said: "It is an honour to work with OC Sport, the owner and organiser of the Extreme Sailing Series, to bring one of the most spectacular sailing events in the world to Barcelona.

"Barcelona has a history of hosting large-scale events and has an excellent infrastructure that will provide the perfect foundations for the Extreme Sailing Series event, which will draw in thousands of spectators to the city. It is, without a doubt, an ideal destination for the sponsors and the teams of the Series," added Escudé.

Xosé-Carlos Fernández, General Director of FNOB commented: "Hosting the Extreme Sailing Series in Barcelona is a mark of the city's status in international sailing. Thanks to the local institutions and the hard work carried out by FNOB, the local yacht clubs and the Spanish and Catalan Sailing Federations, Barcelona is host to some of the world's greatest sailing events; such as the Barcelona World Race, The Race, sailing world championships and the New York to Barcelona race, to name a few.

"The Extreme Sailing Series organiser OC Sport has the full support of FNOB in this endeavour, and together I am positive we will make the event a great success," he added.

This will be the first time the ultimate Stadium Racing championship will be hosted in Spain since Almería in 2011, and the first time since the Series transitioned to the hydro-foiling GC32 catamarans.

It is not the first time that founder and organiser of the Extreme Sailing Series, OC Sport, has staged a sailing event in the city, however. In 2006 OC Sport created and co-organised the Barcelona World Race alongside FNOB. The double-handed, non-stop, round-the-world yacht race was a first in the sport of offshore sailing, and this new partnership sees FNOB and OC Sport collaborate once again to further push the boundaries of sailing in Barcelona with another world-class major sporting event.

Alongside the main event, the Flying Phantom Series will take flight in Barcelona, providing a festival of foiling for the fans on site. The super-fast double-handed catamarans are guaranteed to provide plenty of thrills and spills as they take to the water each morning, ahead of the GC32s.

For those interested in a more unique experience, including the opportunity to ride on board a foiling GC32 during racing, take a look at the VIP packages available.

Find out more about the Host Venue Partner, FNOB, on the official website.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

BELL & ROSS

 

Bell & Ross lança o BR03-94 AeroGT Orange inspirado num concept-car

 

ax11 Copy

 

A Bell & Ross lança o seu mais recente relógio, o BR03-94 AeroGT Orange. Este modelo, limitado a 500 exemplares, exalta a dedicação da marca ao universo automobilístico. O BR03-94 AeroGT Orange surge no seguimento do vanguardista BR03-94 AeroGT, inspirado num concept-car e lançado no ano passado, numa edição em vermelho.

 

G57-05-BR03-AeroGT-orange-decor-map01-G57-TOUT  Aero-GT3-3-4_orange_fond-blanc

 

Em 2016, a Bell & Ross entrava definitivamente no universo automóvel. A marca imaginou o AeroGT, um concept-car vanguardista, um GT desportivo, dotado de uma carroçaria fuselada como um avião de caça. A apresentação deste protótipo único foi acompanhada por dois relógios excecionais, com uma personalidade de forte inspiração automóvel: os BR03 AeroGT. Agora, surge o novo BR03-94 AeroGT Orange, numa versão cor-de-laranja.

 

BR 03-94 AERO GT

 

O mundo automóvel e a relojoaria têm muito em comum. Em ambos os casos, fala-se do motor, do desempenho e também do tempo e da precisão. Ambos funcionam com recurso a engrenagens, escapes, parafusos e cames. Também existe uma antiga tradição de relógios para pilotos de automóveis, principalmente cronógrafos destinados aos profissionais dos circuitos. Assim, faz todo o sentido esta relação entre: o concept-car AeroGT e os relógios BR 03 AeroGT.

 

Inspirado diretamente no concept-car AeroGT, este relógio cronógrafo de visual muito contemporâneo é o epítome do relógio de piloto. O mecanismo é dedicado à medição dos tempos curtos. O mostrador esqueleto dispõe de indexes em metal. Os dois contadores do cronógrafo indicam as horas e os 30 minutos. O grande ponteiro, no centro do mostrador, os segundos. O conjunto é completado por uma escala taquimétrica. Esta função relojoeira permite, nomeadamente, calcular a velocidade de um automóvel.

 

Para manter uma boa visibilidade, os ponteiros estão revestidos por material fotoluminescente. A função data está posicionada às 3 horas.

 

Características técnicas

 

FACE_BR03-94-Skeleton-Orange_strap-aero

Movimento: calibre BR-CAL.319. Mecânico automático.

Funções: horas, minutos e segundos pequenos às 12h. Data. Cronógrafo: contador de 12 horas às 6h, contador de 30 min às 9h, segundos do cronógrafo ao centro. Escala taquimétrica no aro.

Caixa: diâmetro de 42 mm. Aço polido-acetinado. Fundo com abertura em vidro de safira, centrado no balanço.

Mostrador: esqueleto. Indexes aplicados metálicos. Ponteiros das horas e dos minutos metálicos esqueletizados, com Superluminova.

Vidro: safira com tratamento antirreflexo.

Estanqueidade: 100 metros.

Braceletes: pele preta perfurada com orlado laranja e tela sintética ultrarresistente preta.

Fecho: fivela. Aço polido-acetinado.

 

 

Microsite: BR 03-94 AERO GT ORANGE

Bell & Ross em Portugal

Os pontos de venda Bell & Ross em Portugal são a David Rosas (Lisboa; Matosinhos – Norteshopping; Algarve - Quinta do Lago; Funchal); Boutique dos Relógios (Oeiras Parque); Carlos Joalheiro (Leiria), El Corte Inglés (Lisboa), Joalharia Cunha (Valença do Minho), Machado Joalheiro (Lisboa e Porto), Relojoaria Faria (Sintra). A Bell & Ross também disponibiliza os seus produtos através da loja online, em www.bellross.com.

 

DEVON MODELL

Next stop Suzuka for Modell in Blancpain Asia series


Following his Blancpain GT Series Asia debut in Buriram Thailand, Devon Modell reunites with Craft-Bamboo Racing and his Porsche 911 GT3 R at the iconic Suzuka Circuit in Japan the scene of some legendary F1 races in recent history.

The Japanese track an hour from the city of Nagoya features some incredibly challenging corners such as Spoon Curve and 130R and this will mean that Modell will again be in at the deep end having to learn a new track without the benefit of testing on a race weekend.
 
Whilst not ideal, this is the same situation as at the Buriram round in Thailand and this does not phase Modell as he is confident he will rise to the challenge.
 
This time out Modell will share the car with Australian Nick Foster, a 24-year-old Champion in Porsche Carrera Cup who comes to Suzuka fresh from competing in the Le Mans 24 hours and together should make a formidable partnership.
 
Modell brings additional support from The Gallery, a Maidstone nightclub that previously supported Devon in his early racing career in Renault Clio’s In the UK.
 
Speaking to Japanese TV on his arrival in Tokyo Modell expressed his excitement on racing on the Suzuka track.
 
“Suzuka is a track that is on every racing drivers ‘must do’ list and I am really looking forward to driving it,” Modell said. “I think that I will make a step forward from Thailand (the last round of the Blancpain Asia Series) as at least I am familiar with the team and the car so its just the circuit to learn.
 
“Having Nick racing as my teammate should be a good thing, he has a lot of Porsche experience to bring and I hope to feed off of that knowledge to put us in the mix for a good result.”
 
Modell will get his first taste of Suzuka on Friday 23rd June with qualifying and the weekend's first race following on the 24th and Sunday concluding the meeting with race two.
 
Those wishing to follow Modell’s progress can watch all sessions and races via the live stream on the Blancpain GT Series website and App as well as on Motorsport TV.

alt
alt
 

HAAS NO AZERBEIJÃO

 

Um Conto de duas Cidades no Baku City Circuit

O Grande Prémio do Azerbaijão mistura o Novo e o Antigo, a Velocidade e a Lentidão

 

Romain Grosjean apelida-o de “dois circuitos num” e Kevin Magnussen afirma que “é uma mistura entre Monza e Mónaco”. É o Baku City Circuit, um traçado citadino de 6,003 quilómetros e vinte curvas, o placo do Grande Prémio do Azerbaijão no dia 25 de Junho.

 

Os dois pilotos da Haas F1 Team e os restantes dezoito pilotos percorrem a alta velocidade duas longas rectas em forma de haltere realizadas no sentido contrário do ponteiro dos relógios. A pista concebida por Herman Tilke mistura o antigo com o moderno por entre rápidas rectas e curvas lentas. Navega por entre o moderno, o lado oriental onde bancos e lojas da moda estão localizados, e a área histórica, onde as ruas são estreitas e ingremes para regressar de seguida à recta da meta. A rápida esquerda que apresenta aos pilotos o final da recta, não é muito distinto do Circuit of the Americas, em Austin, Texas, também concebido pela Tilke e alberga o Grande Prémio dos Estados Unidos da América. É um layout único e desafiante potenciado pelos ventos de Baku, que estão sempre presentes. De facto, a Cidade do Vento é o apelido oficioso de Baku, mas é literal.

 

Os ventos de mudança têm vindo a fazer-se sentir na Fórmula 1 ao longo de todo o ano, com a nova geração de carros com mais apoio aerodinâmico que tem vindo a bater recordes em todos os circuitos que visitámos até agora no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1. Baku seguirá essa tendência, uma vez que a pista albergou o seu primeiro Grande Prémio o ano passado quando os carros tinham menos apoio aerodinâmico, apesar de produzirem velocidades de ponta mais elevadas.

 

Os carros de elevado apoio aerodinâmico de hoje não são tão rápidos em recta, mas graças à sua asa dianteira mais larga, derivas laterais maiores, asa traseira mais baixa e larga, ao difusor mais alto e largo e pneus vinte e cinco porcento mais largos que o ano passado, descrevem as curvas a velocidades nunca vistas anteriormente.

 

Com vinte curvas, o Baku City Circuit, os pilotos testarão os limites do circuito citadino mais rápido do mundo num esforço para compensar a velocidade perdida nas duas rectas – a recta de meta que tem 2,2 quilómetros, seguida de outra de um quilómetro que leva os pilotos de Azadliq Square. As descrições de Grosjean e Magnussen são amplamente justificadas.

 

Por ser tão recente, existem muitas oportunidades para aprender no Baku City Circuit. Grosjean terminou no décimo terceiro lugar a corrida do ano passado, depois de um potencial resultado nos pontos ter ficado pelo caminho devido a detritos que entraram para o radiador. Logo atrás de Grosjean ficou Magnussen, tendo alcançado o décimo quarto posto ao serviço da sua antiga equipa – a Renault.

 

Por mencionar a Renault, a Haas F1 Team chega ao Grande Prémio do Azerbaijão na luta com a equipa do construtor francês. A Renault está no sétimo posto do Campeonato de Construtores, apenas com três pontos de avanço sobre a Haas F1 Team. Mas com cinco resultados nos pontos nas sete corridas da temporada, Grosjean e Magnussen anseiam por mais resultados entre os dez primeiros em Baku não só para melhorarem as suas posições no Campeonato de Pilotos – décima segunda e décima terceira, respectivamente – mas também para chegar ao sétimo lugar na competição de construtores e, potencialmente, entrar na luta pela sexta posição com a Williams, que de momento tem uma margem de sete pontos para a Haas F1 Team.

 

Em 2016, a Haas F1 Team marcou pontos em apenas cinco corridas. Tendo esse número sido já igualado, com ainda treze corridas por disputar, a equipa americana acredita que em Baku pode ser o palco de outro resultado nos pontos que lhe permita suplantar a marca de 2016 e manter-se na luta do meio do pelotão nas apertadas curvas do histórico castelo Sabayil de Baku.

Baku City Circuit

 

Perímetro: 6,003 km

Voltas: 51

Distância de corrida: 306,153 km

TransmissãoSport TV1 14h00

 

 

Sobre a Haas Automation, Inc

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com, , on Facebook at www.Facebook.com/HaasAutomationInc, on Twitter @Haas_Automation and on Instagram @Haas_Automation.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal..

 

 

Estamos actualmente a caminho do primeiro terço da segunda temporada da Haas F1 Team. Como descreveria até agora a temporada e o desenvolvimento da equipa?

“Tivemos os nossos altos e baixos, mas marcámos pontos em cinco das sete corridas. E numa dessas corridas estávamos a caminho de marcar pontos, mas tivemos um problema mecânico. O meio do pelotão é muito duro e marcar pontos em cinco das sete ocasiões não é mau. É claro que precisamos de marcar mais pontos, não apenas um, mas no geral a equipa está a maturar e estou confiante que continuaremos a maturar.”

 

Quais são as áreas onde a Haas F1 Team tem que melhorar?

“A curto prazo, é difícil realizar melhoramentos. Tentamos sempre ter algumas evoluções aerodinâmicas no carro, mas por outro lado, são mais melhoramentos de meio de temporada, que estamos a fazer e a equipa está a desenvolver. Também passa por ganhar experiência – este é um dos melhoramentos que faremos de uma forma ou de outra. Penso que estamos no bom caminho.”

 

Marcaram por cinco vezes em sete corridas, esta temporada, e no ano passado marcaram pontos por cinco vezes em toda a época. Apesar de não terem somados mais pontos que no ano passado, estão satisfeitos por conseguirem pontuar de uma forma mais consistente?

“Claro, por que isso permite aos nossos rapazes regressar a casa com alguma coisa, não temos que esperar quatro ou cinco corridas para voltar aos pontos. É evidente, gostaríamos de marcar mais pontos em cada evento, e não apenas um ou dois pontos, mais chegaremos lá. Se estivermos consistentemente nos lugares finais dos pontos, chegaremos às melhores posições onde há mais pontos para conquistar.”

 

Baku tornou-se no circuito citadino mais rápido da Fórmula 1, quando foi estreado o ano passado, e a rapidez dos carros foi incrementada este ano. O que espera destes novos carros, mais rápidos e largos num circuito com apenas um ano?

“Como todos os circuitos, temos que ver como serão os nossos tempos. Os registos descem mais em circuitos lentos com os novos carros que nos circuitos mais rápidos, dado que a velocidade máxima não é muito mais elevada que no ano passado. Para além disso, não sei como estará o piso este ano em Baku. O ano passado estava muito escorregadio, não sei se o asfalto estará ainda escorregadio. Só saberemos na primeira sessão de treinos-livres.”

 

Há alguma coisa da corrida do ano passado de Baku que possa ser aplicada na corrida deste ano, ou nada será útil dado os carros serem tão diferentes?

“Podemos usar todos os dados, dado que agora, após sete corridas, conseguimos traduzir os dados do ano passado para o carro deste ano de uma forma fácil. Tudo ajuda, e conseguimos chegar a esta corrida bem preparados.”

 

A maior parte dos eventos que se estreiam têm algumas dores de crescimento. Mas no ano passado a corrida correu incrivelmente bem. O que achou da primeira corrida em Baku?

“É um local fantástico. O ano passado todos fizeram um bom trabalho. Os organizadores estiveram muito bem e a pista era muito boa. Sabiam o que fazer e estavam bem-preparados.”

 

Existe muitas discussões sobre o futuro calendário da Fórmula 1. Como o vê, tanto no que diz respeito ao número de corridas como à forma como as corridas são escalonadas?

“Não sou contra mais corridas. O que gostaria era que as corridas fossem agrupadas – que ficássemos numa região e não estejamos sempre a ir e voltar à Ásia, aonde vamos uma semana e depois regressamos na outra. Qual o tamanho da área que agrupamos, não sei. É necessário estudar o número de corridas que cada área deverá ter. Por exemplo, penso que é difícil ter uma corrida em Abu Dhabi e outra no fim-de-semana seguinte no Bahrein, dado que estão muito próximos. Mas algumas corridas mais, se estiver bem organizado, não obrigará às equipas estarem foram muito mais tempo. No geral, não tenho nada contra termos vinte e cinco corridas.”

 

Se o calendário superar as vinte e uma corridas, o que seria necessário fazer para assegurar que o pessoal lide com o aumento da carga de trabalho?

“Temos apenas que ter um plano para ajudar as pessoas. Talvez nem todas as pessoas vão aos vinte e cinco eventos, mas penso que é uma situação que pode ser gerida, se o fizermos de uma forma inteligente, não é muito mais. É claro que há mais custos envolvidos, dado que há mais viagens. Precisamos de mais peças para o carro, dado que rodamos mais. Mas, no geral, se tivermos tempo para nos prepararmos devidamente, encontramos sempre uma forma de as coisas funcionar.”

 

Existe alguma zona do globo onde gostaria que houvesse uma corrida de Fórmula 1?

“Uma corrida na África do Sul seria interessante.” 

 

 

 

Estamos actualmente a caminho do primeiro terço da segunda temporada da Haas F1 Team. Como descreverias até agora a temporada e o desenvolvimento da equipa?

“Foi um bom início. Penso que relativamente ao ano passado demos grandes passos em todos os aspectos. Estamos mais consistentes. Temos sido capazes de marcar pontos mais vezes este ano, o que é bom. Há muitas áreas onde podemos melhorar e conseguimos melhorar. No geral, estou muito satisfeito como a forma como a equipa está a evoluir.”

 

O Grande Prémio do Canadá foi outro exemplo de como o meio do pelotão está competitivo este ano, com as equipas separadas apenas por décimos de segundo. Toda gente está a falar da luta entre a Ferrari e a Mercedes, mas como caracterizas a batalha no meio do pelotão entre a Force India, a Toro Rosso, a Williams, a Renault e a Haas?

“Na verdade, é excitante. Se tirarmos da equação as três grandes equipas da frente e deixarmos apenas o meio do pelotão, haveria um vencedor novo a cada Grande Prémio. A diferença entre a pole-position e a segunda posição no Canadá foi muito maior que a entre o décimo classificado e o décimo sétimo ou décimo oitavo. Isso demonstra o quão competitivo é o meio do pelotão e a forma como temos que tirar o máximo de partido do carro em todas as ocasiões.”

 

Tendo o ano passado sido a primeira corrida no Baku City Circuit, o simulador era a única forma de preparar a corrida. Como foi que a tua experiência no simulador se comparou com a realidade demonstrada pela tua primeira volta à pista? E se não houvesse simulador, de que forma te prepararias para competir num traçado desconhecido?

“Os simuladores são uma grande ajuda, mas nunca se compara a pilotar na pista verdadeira pela primeira vez. Especialmente num novo Grande Prémio, situação em que o layout nunca é completamente correcto no simulador. Penso que o melhor é caminhar na pista, ver como é, depois ser seguro nas primeiras voltas e evoluir a partir daí.”

 

Baku tornou-se no circuito citadino mais rápido da Fórmula 1, quando foi estreado o ano passado, e a rapidez dos carros foi incrementada este ano. O que esperas destes novos carros, mais rápidos e largos num circuito com apenas um ano?

“Vai ser excitante. Penso que algumas zonas do circuito serão muito estreitas para estes carros mais largos, mas outras curvas serão fantásticas. A velocidade deverá ser um pouco mais baixa. Penso que será uma pista porreira para estes carros – travar tarde, levar muita velocidade para as curvas e dançar com os muros em algumas das curvas mais rápidas.”

 

Há alguma coisa da corrida do ano passado de Baku que poderá ser aplicada na corrida deste ano, ou nada será útil dado os carros serem tão diferentes?

“Penso que há sempre muitas coisas do passado que podemos usar, mesmo quando os carros são diferentes. Vamos olhar para o que fizemos o ano passado, para a nossa afinação, e para o que podíamos ter feito. Acredito que temos algumas ideias e aplicá-las-emos tendo em conta as diferenças deste ano. Há sempre coisas que podemos aprender e melhorar.”

 

A maior parte dos eventos que se estreiam têm algumas dores de crescimento. Mas no ano passado a corrida correu incrivelmente bem. O que achaste da primeira corrida em Baku?

“Foi uma boa corrida. É uma cidade bonita e uma pista bonita. O único problema que notei foram os sacos de plásticos que voavam na pista – custaram-nos pontos na corrida, uma vez que um entrou na entrada de ar para o radiador. Vamos esperar que esse aspecto tenha melhorado. Para mim, esse foi o único problema de um bom fim-de-semana.”

 

Qual foi a zona mais desafiante do Baku City Circuit e porquê?

“Diria a parte final – contornar o castelo, na subida da colina, e depois a descida para as duas últimas curvas, que na verdade são muito complicadas.”

 

Qual é a tua zona preferida do Baku City Circuit e porquê?

“Na verdade, a mesma zona. É a mais desafiante. É de alta velocidade e temos que ter o equilíbrio correcto nestas curvas, assim como nas travagens. É muito excitante quando tudo bate certo.”

 

Descreve uma volta ao Baku City Circuit.

“Temos a primeira parte do circuito – longas rectas e depois temos uma forte travagem para curvas de 90º. Não é muito excitante, mas é bom para as ultrapassagens. Depois a pista muda muito. Temos curvas muito apertadas, mas fluidas. Em redor do castelo temos uma subida muito rápida. As últimas duas curvas são a descer com muito camber antes da recta traseira. Na verdade, são dois circuitos num.” 

 

 

 

 

 

 

Estamos actualmente a caminho do primeiro terço da segunda temporada da Haas F1 Team. Como descreverias até agora a temporada e o desenvolvimento da equipa?

“Penso que é muito boa. A primeira temporada da equipa foi impressionante. Alcançaram bons resultados. A segunda temporada seria sempre mais difícil melhorar, mas na verdade penso que é isso que estamos a fazer. Já terminámos nos pontos as mesmas vezes nos que o ano passado durante todo o ano, portanto, estamos a trabalhar bem e a dar um passo em frente. Esse era o nosso principal objectivo – pelo menos melhorar relativamente ao ano passado e dar um passo em frente.”

 

O Grande Prémio do Canadá foi outro exemplo de como o meio do pelotão está competitivo este ano, com as equipas separadas apenas por décimos de segundo. Toda gente está a falar da luta entre a Ferrari e a Mercedes, mas como caracterizas a batalha no meio do pelotão entre a Force India, a Toro Rosso, a Williams, a Renault e a Haas?

“É tudo muito próximo, mesmo o mais pequeno dos erros pode custar muito. É assim que as corridas têm que ser. Foi assim em todas as categorias em que participei até chegar à Fórmula 1. Penso que é porreiro estarmos de volta às verdadeiras corridas novamente.”

 

Tendo o ano passado sido a primeira corrida no Baku City Circuit, o simulador era a única forma de preparar a corrida. Como foi que a tua experiência no simulador se comparou com a realidade demonstrada pela tua primeira volta à pista? E se não houvesse simulador, de que forma te prepararias para competir num traçado desconhecido?

“Nunca experimentei o Baku City Circuit num simulador antes de correr lá. Foi uma experiência porreira ir para uma pista onde nem sequer sabia para que lado eram as curvas. Tive mesmo que aprender o circuito do zero. Foi uma experiência porreira, estou ansioso por regressar.”

 

Baku tornou-se no circuito citadino mais rápido da Fórmula 1, quando foi estreado o ano passado, e a rapidez dos carros foi incrementada este ano. O que esperas destes novos carros, mais rápidos e largos num circuito com apenas um ano?

“Vai ser divertido. As curvas serão rápidas este ano, devido ao aumento do apoio aerodinâmico. Vamos ser um pouco mais lentos nas rectas, portanto, suspeito que Baku será uma das poucas pistas onde não vamos ser mais rápidos do que com os carros, mas será muito divertido e desafiante nas corridas.”

 

Há alguma coisa da corrida do ano passado de Baku que poderá ser aplicada na corrida deste ano, ou nada será útil dado os carros serem tão diferentes?

“Agora que conheço a pista e aprendi para que lado são as curvas, este ano será mais fácil ajustar-me à pista. Algumas corridas deverão ser agora facilmente a fundo, talvez até a curva treze seja agora a fundo, o que não acontecia o ano passado. Será uma experiência porreira.”

 

A maior parte dos eventos que se estreiam têm algumas dores de crescimento. Mas no ano passado a corrida correu incrivelmente bem. O que achaste da primeira corrida em Baku?

“Foi uma corrida porreira. Baku oferece boas oportunidades de ultrapassagem. Há muita acção na corrida – o que é sempre bom.”

 

Qual foi a zona mais desafiante do Baku City Circuit e porquê?

“A zona mais desafiadora foi o segundo sector. A velocidade é muito baixa, é tudo muito estreito. É fácil cometer um erro.”

 

Qual é a tua zona preferida do Baku City Circuit e porquê?

“Diria o segundo sector, em todas as zonas estreitas. É divertido e temos que ser muito precisos.”

 

Descreve uma volta ao Baku City Circuit.

“Penso que é uma mistura entre Monza e o Mónaco – o que é pouco usual. Estou ansioso.” 

 

 


 

 

Baku City Circuit

  • Número de voltas: 51
  • Distância de corrida: 306,153 quilómetros
  • Velocidade na via das boxes: 80 Km/h
  • Este circuito de 6,003 quilómetros e 20 curvas estreou-se em 2016 no calendário da Fórmula 1. O piloto da Mercedes Nico Rosberg venceu a corrida inaugural na sua caminhada para a conquista do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 de 2016
  • Rosberg detém o recorde da volta no Baku City Circuit (1m46,485s).
  • Rosberg detém o recorde da volta de qualificação no Baku City Circuit (1m42,520s), registado durante a Q2.
  • Concebido por Hermann Tilke, Baku City Circuit é o traçado citadino mais rápido do mundo com uma volta ao circuito de 6,003 quilómetros e 20 curvas realizada em menos de 105 segundos. O traçado em forma de haltere será realizado no sentido contrário ao dos ponteiros do relógio, com uma curva à esquerda a dar as boas-vindas aos pilotos no final da recta da meta, semelhante ao Circuit of the Americas em Austin, o palco do Grande Prémio dos Estados Unidos da América, também desenhado pela Tilke. O Circuito Citadino de Baku é único, uma vez que combina o antigo com o moderno. Na zona Este elevam-se os hotéis e as lojas, na zona histórica as ruas são estreitas e íngremes, para depois regressar à zona frontal do circuito. O traçado desafiador será potenciado pelos ventos que são sempre uma presença. De facto, a Cidade dos Ventos é nome oficioso, mas literal, de Baku.
  • Sabia que: Baku está localizada a 28 metros abaixo do nível do mar, tornando-a na capital mundial de mais baixa altitude e a maior cidade localizada abaixo do nível do mar. 
  • Durante o fim-de-semana do Grande Prémio de Baku as temperaturas mínimas rondarão os 20/21ºC e as máximas os 28/29ºC. A velocidade do vento pode variar entre entre os 5Km/h e os 30Km/h, raramente excedendo os 47Km/h.

 

 

A Pirelli leva para o Azerbaijão três compostos:

  • P Zero Branco/Médiopouca aderência, menos desgaste (usado para séries longas de voltas)
  •  P Zero Amarelo/Macio mais aderência, desgaste médio (usado para pequenas séries de voltas e para o segmento inicial da qualificação)
  • P Zero Vermelho/Supermacio maior quantidade de aderência, elevado nível de desgaste(usado para a qualificação e para situações específicas de corridas)
  • O Grande Prémio do Bahrein, realizado entre 14 e 16 de Abril foi a última vez que estes três compostos foram usados juntos. O ano passado, no Azerbaijão, os P Zero Roxo/Ultramacio foram disponibilizados juntamente com os supermacios e os macios.
  • Dois dos três compostos disponíveis têm que ser usados durante a corrida. As equipas podem decidir quando querem utilizar cada um dos compostos, o que proporciona um elemento de estratégia para a corrida. Cada piloto pode usar todos os três tipos de pneus na corrida, se assim desejar. (Se a corrida for disputada com a pista molhada, os Cinturato Azul, pneu de chuva, e o Cinturato Verde, intermédios, estarão disponíveis).
  • A Pirelli fornece a cada piloto 13 jogos de pneus para seco durante o fim-de-semana. Destes 13 jogos, os pilotos e as suas equipas podem escolher a especificação de dez entre os compostos selecionados pela Pirelli. Os três restantes são definidos pela Pirelli – dois jogos de pneus de especificação obrigatória para a corrida (um de P Zero Branco/Médio e outro P Zero Amarelo/Macio) e um obrigatório para a Q3 (um P Zero Vermelho/Supermacio).

Os pilotos da Haas F1 Team escolheram da seguinte forma:

Grosjean: um jogo de P Zero Branco/Médio, quatro jogos de P Zero Amarelo/Macio e oito jogos de P Zero Vermelho/Supermacio

Magnussen: um jogo de P Zero Branco/Médio, quatro jogos de P Zero Amarelo/Macio e oito jogos de P Zero Vermelho/Supermacio

 

JAGUAR LAND ROVER

 

JAGUAR LAND ROVER CLASSIC WORKS ABRE PORTAS

NA PRIMEIRA ‘CIDADE DO MOTOR’ DO REINO UNIDO

 

ax9 Copyax10 Copy

 

 

  • As novas instalações da Classic Works de Coventry representam o centro nevrálgico da atividade internacional e das operações com os clientes da Jaguar Land Rover Classic.
  • A Classic Works vai albergar os “Legends” da Jaguar Land Rover Classic, veículos que são vendidos e restaurados, bem como aqueles que são guardados na coleção própria do grupo.
  • Andy Wallace, o lendário piloto que venceu Le Mans ao volante de um Jaguar, irá testar os veículos fabricados pela Jaguar Classic antes de serem entregues aos clientes.
  • O nascimento da Classic Works é uma clara aposta da Jaguar Land Rover no fabrico e restauro tradicional de veículos na primeira “cidade do motor” do Reino Unido.
  • A inauguração da Classic Works contou com a presença de Ralf Speth, CEO da Jaguar Land Rover, e John Edwards, Managing Director da Special Operations da Jaguar Land Rover.
  • A partir de setembro poderá fazer visitas guiadas à Classic Works pelo preço de 49£ por pessoa (cerca de 55€).

 

A Jaguar Land Rover Classic Works são as novas instalações da marca em Midlands, Inglaterra, concebidas para oferecer vários produtos e serviços que satisfaçam os desejos dos proprietários e admiradores dos veículos clássicos da Jaguar e Land Rover. Ralf Speth, CEO da Jaguar Land Rover, e John Edwards, Managing Director da Special Operations de Jaguar Land Rover, estiveram presentes na cerimónia de inauguração da Classic Works, o maior ponto de venda, fabrico e restauro de veículos clássicos do mundo.

A abertura da Classic Works em Coventry representa um feito sem precedentes no rápido desenvolvimento da marca Jaguar Land Rover Classic, que viu a luz pela primeira vez em março de 2016. Estas instalações pioneiras e específicas da Jaguar Land Rover Classic servem para concentrar debaixo do mesmo teto todas as operações de venda, manutenção e restauro. A expansão internacional da marca continuará dentro de alguns meses com a inauguração de novas instalações em Essen (Alemanha).

Segundo John Edwards, Managing Director da Special Operations da Jaguar Land Rover: "A Classic Works tem uma enorme importância para a Jaguar Land Rover. É muito mais do que um edifício: é o coração e a alma da Jaguar Land Rover Classic para os nossos clientes de todo o mundo. É uma oportunidade fantástica para satisfazer proprietários e seguidores destas marcas fabulosas que contam com uma vasta gama de serviços para veículos clássicos.”

Com uma extensão de 14.000 m2, a Jaguar Land Rover Classic Works é a maior instalação do mundo com estas caraterísticas e inclui espaços específicos para a exposição de veículos bem como 54 áreas de trabalho para restauro e manutenção de todos os modelos da Jaguar e Land Rover que deixaram de ser produzidos há mais de uma década.

A oficina encontra-se organizada em zonas específicas para desmantelamento, reacondicionamento e montagem para os programas de restauro Reborn da Land Rover Series I, Range Rover Classic e Jaguar E-Type, além de contar com uma área de reparação de motores e uma linha de produção do XKSS.

Na Classic Works também é possível encontrar a coleção com mais de 500 veículos da Jaguar Land Rover Classic, que constitui a história viva do automobilismo britânico e representa uma referência com um valor incalculável para os trabalhos de restauro. Os modelos da coleção também são emprestados a museus e a clubes de automóveis, além de serem expostos em eventos da Jaguar Land Rover e dos seus sócios, onde é dado a conhecer o seu legado.

Para fomentar o crescimento da marca Classic, a Jaguar Land Rover realizou um avultado investimento nas técnicas de fabrico tradicional e tem vindo a aumentar a sua mão-de-obra até duplicar o número de pessoal qualificado desde a sua criação. Atualmente, trabalham na Classic Works mais de 80 especialistas, muitos dos quais com décadas de experiência a trabalhar exclusivamente com os modelos nos quais esta instalação aposta neste momento. Prevê-se que este número aumente e ultrapasse os 120 técnicos especializados no final de 2017.

Os estreitos laços que unem a marca Classic com a Jaguar Land Rover fazem com que seja possível utilizar as mais recentes técnicas de fabrico, como a digitalização em 3D e o desenho computorizado, o que permite dar novamente forma e reincorporar peças como os painéis de comandos do Jaguar E-Type e do Range Rover Classic, cujo reacondicionamento com outros métodos seria proibitivo em termos económicos.

Tim Hannig, Director da Jaguar Land Rover Classic, refere: "Os nossos funcionários, os seus conhecimentos e as suas qualidades técnicas, são a essência da Jaguar Land Rover Classic. No mundo existem mais de 1,5 milhões de veículos clássicos da Jaguar e da Land Rover, o que nos leva a apostar no fabrico e no restauro tradicional para assegurar que quem o deseje possa dar um futuro glorioso a estes veículos que contaram igualmente com um passado igualmente glorioso.”

A Jaguar Land Rover Classic é a fonte oficial de veículos autênticos, serviços especializados, peças de origem e experiências inesquecíveis para todos os admiradores dos modelos clássicos da Jaguar e da Land Rover em qualquer canto do mundo. E tudo isto está agora disponível nas instalações da Classic Works.

VEÍCULOS AUTÊNTICOS: LEGENDS DA JAGUAR LAND ROVER CLASSIC

Durante a abertura das instalações da Classic Works, a Jaguar Land Rover Classic apresentou a sua gama completa de veículos “Legend”, que se encontra à venda para todos aqueles que procurem um modelo clássico da Jaguar ou da Land Rover para a sua coleção.

Os “Legends” da Jaguar Land Rover Classic que se encontram à venda são veículos das duas marcas selecionados por especialistas e vão desde projetos de restauro até modelos que podem continuar a fazer muitos quilómetros todos os dias ou têm como destino os salões de exposição.

Por outro lado, os “Legends Continued” são nove veículos “novos” do modelo XKSS, a versão de estrada do D-Type, que foram fabricados à mão desde a estaca zero de acordo com as caraterísticas originais de 1957 para completar as unidades que não puderam ser terminadas na devida altura devido ao incêndio na Browns Lane da Jaguar. Na Classic Works também se leva a cabo a manutenção dos “Missing Six”, as réplicas do Lightweight E-Type fabricadas em 2015.

Através do programa “Reborn Legends”, a Jaguar Land Rover Classic localiza modelos clássicos de excelência e procede ao seu restauro de acordo com as caraterísticas originais, sem qualquer compromisso. O programa Reborn arrancou em abril de 2016 com os modelos Land Rover Series I e desde fevereiro deste ano foi incorporado o Range Rover Classic de duas portas, cuja presentação mundial teve lugar no salão Rétromobile de Paris. O Jaguar E-Type Reborn foi apresentado no salão Techno-Classica de Essen em abril e o programa inclui um lote inicial de 10 veículos E-Type Serie 1.

No serviço de restauro para veículos clássicos das duas marcas, a Jaguar Land Rover Classic oferece agora a mesma perícia e conhecimentos especializados utilizados na produção dos veículos “Legends Continued” e “Reborn Legends”.

SERVIÇOS ESPECIALIZADOS

Nas instalações da Classic Works é possível proceder à reparação e à manutenção de qualquer modelo que tenha deixado de ser produzido há mais de 10 anos, desde o XK120 até ao XK8, passando pelos veículos Land Rover Series e os modelos Discovery e Freelander dos anos noventa.

A primeira vez que um veículo clássico da Jaguar ou da Land Rover visita as instalações da Classic Works é levada a cabo uma revisão visual total de 121 pontos enumerados num relatório pormenorizado. Os trabalhos que sejam necessários efetuar ficam anotados no livro de registo da Jaguar Land Rover Classic Works.

Numa zona dedicada à manutenção do XJ220 trabalham os técnicos especializados dos super veículos Jaguar, que utilizam ferramentas de manutenção personalizadas para o super veículo dos 341 km/h. Alguns destes especialistas trabalham no programa XJ220 desde o seu começo há 25 anos.

PEÇAS DE ORIGEM

A Jaguar Land Rover Classic Parts fornece peças originais que estão fora da linha de produção há mais de 10 anos. Presentemente, o catálogo conta com mais de 30 mil peças individuais com garantia que podem ser encomendadas através de rede global de distribuidores da Jaguar Land Rover. Os assessores técnicos especializados conhecem perfeitamente o produto e as peças escolhidas podem ser pedidas e levantadas no mesmo dia no concessionário local.

O investimento feito para reforçar a marca Classic vai permitir aumentar significativamente o número e a variedade de peças que é possível fornecer aos proprietários dos veículos clássicos da Jaguar e da Land Rover. Entre as peças mais recentes destacam-se os painéis de comando do Jaguar E-Type e do Range Rover Classic, assim como os novos pneus Pirelli P-Zero para o Jaguar XJ220, que permitem aos condutores tirar o máximo partido do excelente rendimento do super veículo. Estes pneus Pirelli são os únicos do mercado que a Jaguar autoriza e homologa para o XJ220, e foram desenvolvidos com a colaboração dos membros da equipa de engenheiros do modelo original.

EXPERIÊNCIAS INESQUECÍVEIS

Além de automóveis, serviços e peças, a Jaguar Land Rover Classic também oferece aos seus clientes a oportunidade de conduzir modelos lendários da Jaguar e da Land Rover através do programa Classic Drives, desenvolvido nas instalações de testes como a MIRA ou a Eastnor Castle, onde a maior parte dos veículos é desenvolvida. Estas experiências de condução também podem ser combinadas com visitas às fábricas.

Os amantes da competição podem optar pelas corridas entre modelos Jaguar anteriores a 1966 da terceira edição da Jaguar Classic Challenge, que já está a decorrer. A primeira das cinco corridas da série teve lugar no mês de abril em Donington Park e a competição continua em Brands Hatch nos dias 1 e 2 de julho. Seguem-se Silverstone Classic em julho e Oulton Park em agosto, para terminar a temporada em setembro com as Seis Horas de Spa, na Bélgica.

SELO DE GARANTIA DE ANDY WALLACE, VENCEDOR DE LE MANS

A Jaguar Land Rover Classic já tem um Chief Test Driver para os seus programas de veículos: nem mais nem menos do que Andy Wallace, o piloto que venceu Le Mans em 1988 ao volante de um Jaguar. Wallace levará a cabo os testes dos modelos Legends fabricados pela Jaguar Classic antes de serem entregues aos clientes. Também será uma peça chave na altura de entregar estes invejados veículos aos seus proprietários, que poderão realizar cursos de condução ministrados por especialistas e assistir a demonstrações para se familiarizarem com a tecnologia.

Andy Wallace, que acabou de estrear o cargo de Chief Test Driver da Jaguar Land Rover Classic, refere: "Estou encantado por juntar-me à Jaguar Land Rover e poder trabalhar com a sua experiente equipa de condutores. Na minha posição de Chief Test Driver da Jaguar Land Rover Classic, terei o prazer de testar as capacidades de modelos como o E-Type e o XKSS. Não pude resistir a uma oportunidade como esta".

Durante um teste de condução do Jaguar XKSS com Norman Dewis, Chief Test Driver e Development Engineer da Jaguar Cars entre 1952 e 1985, Andy Wallace acrescentou: "Foi um prazer aprender aqui hoje pelas mãos do mestre. Norman fez-nos uma demonstração, a mim e ao meu colega Kev Riches, de como trabalhava a sua equipa nos anos 50 e 60. Se bem que agora a lei limita a velocidade a que podemos testar os carros, Norman garantiu-me que continua a ser “o melhor trabalho do mundo”. Estou completamente de acordo.”

VISTA GUIADA À CLASSIC WORKS

A partir de setembro, o público poderá testemunhar na primeira pessoa a arte e a experiência em ação nas novas instalações da Jaguar Land Rover Classic Works.

Serão levadas a cabo visitas guiadas na Classic Works em dias específicos durante todo o ano, de modo a que quem o deseje possa ter a oportunidade de conhecer todos os pormenores dos projetos que são levados a cabo no novo centro nevrálgico da Jaguar Land Rover Classic, além de poder desfrutar do acesso exclusivo á coleção da Jaguar Land Rover Classic.

Os guias especializados mostrarão aos visitantes veículos das duas marcas, desde projetos de restauro como os modelos Reborn do Land Rover, Range Rover e o E-Type, até curiosidades como o super veículo XJ220, que celebra este ano o seu 25º aniversário como automóvel de fabrico em série. Durante as visitas, também será possível ver de perto o minucioso processo de fabrico de réplicas como o XKSS.

Na Classic Works, os visitantes poderão conhecer a pioneira obra artesanal de recrear veículos clássicos e os episódios caricatos da evolução das marcas, o processo de fabrico, as técnicas mais elaboradas e a historia dos modelos … uma experiência que nunca vai esquecer na vida. A visita dura cerca de três horas pelo preço de 55 Euros por pessoa. Para mais informações e comprar os seus bilhetes, aceda a: https://experience.jaguar.com/classic-works-tour o https://experience.landrover.com/classic-works-tour

O NOVO JAGUAR XF SPORTBRAKE CONHECE OS SEUS ANTEPASSADOS

No dia da sua apresentação mundial em Wimbledon, pelas mãos do número um da ATP, Andy Murray, o novo XF Sportbrake de Jaguar juntou-se às celebrações no Jaguar Land Rover Classic Works, formando parte da exposição dos modelos clássicos nas instalações de Ryton-on-Dunsmore. O novo XF Sportbrake é o familiar Premium mais dinâmico do mundo, uma vez que combina o design e a agilidade caraterísticos da Jaguar com um interior espaçoso e prático, além de uma excelente capacidade de reboque.

Mais vídeos em alta definição em www.broadcast.jaguarlandrover.com

 

 

 

Sobre Jaguar Land Rover Classic: www.jaguar.com/about-jaguar/jaguar-classic | www.landrover.com/explore-land-rover/reborn.html

 

 

 

Jaguar Heritage Trust

Jaguar Land Rover Classic presta serviços técnicos à Jaguar Heritage Trust (JDHT), uma organização de beneficência de cariz educacional registada que preserva o valioso legado da Jaguar Cars Ltd.

O objetivo da Jaguar Heritage Trust é preservar o legado e divulgar publicamente informação relevante sobre a história da Jaguar Cars Limited e as suas marcas anteriores Swallow, SS, Daimler e Lanchester.

A organização conta com exposições permanentes no Coventry Transport Museum e no British Motor Museum de Gaydon.

 

PSA É NOTICIA

 

Por ocasião da 18ª edição dos galardões internacionais “Engine of the Year Awards”, evento que teve lugar em Estugarda, um júri composto por jornalistas internacionais atribuiu ao motor PureTech a gasolina de 1.2 litros e 3 cilindros turbo o prémio de “Motor do Ano 2017” na categoria de 1.0 a 1.4 litros

 

JOAQUIM RINO PROXIMO DO PODIO EM SANTA MARTA

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 – VALVOLINE – JC GROUP

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

JOAQUIM RINO PROXIMO DO PODIO EM SANTA MARTA

 

Na sua participação na Rampa de Santa Marta, Joaquim Rino não ficou muito longe do pódio na sua categoria, para além de ter sido o 6º classificado à geral, e o 2º no grupo CM.

 

Nas subidas de treino, Joaquim Rino ao volante do seu BRC CM 05 Evo, faria os tempos de 2.03.964 e 2.00.742. Já nas três subidas de prova, o piloto da Batalha, ao volante do seu BRC CM 05 Evo, alcançaria as marcas de 1.57.753, 1.56.525 e 1.56.508, sempre a melhorar os tempos em cada subida efectuada.

 

No final da prova fez-nos o balanço da mesma “não correu mal, mas estava sem pneus o que fez com que piso ficasse muito escorregadio. Se os pneus fossem novos, certamente teria corrido melhor. Ainda assim na última subida, tentei arriscar o máximo, e aproveitar todas as potencialidades do meu carro.”

 

CLASSIFICAÇÃO FINAL

1º Pedro Salvador – Silver Car

2º Rui Ramalho – Osella

3º João Fonseca – BRC

4º Paulo Ramalho – Osella

5º Gonçalo Manahu – Porsche

6º JOAQUIM RINO – BRC CM 05 EVO

 

Classificação por grFOX 4540_Copyupo

1º Pedro Salvador – Silver Car

2º Rui Ramalho – Osella

3º João Fonseca – BRC

4º Paulo Ramalho – Osella

5º JOAQUIM RINO – BRC CM 05 EVOr

 

ALEXANDRE GUIMARAES QUER IR AO PÓDIO EM VILA REAL

 

CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS

 

CIRCUITO DE VILA REAL

 

ALEXANDRE GUIMARÃES QUER IR AO PÓDIO EM VILA REAL

 

Depois dos excelentes resultados alcançados há duas semanas na autodromo de Portimão, Alexandre Guimarães está animado para a prova do próximo fim de semana no mitico circuito de Vila Real.

 

Sobre esta participação, Alexandre Guimarães começou por nos dizer: Fui sempre grande adepto da versão do Circuito de Vila Real que surgiu em 2007 por isso regressar à mística de Vila Real é sempre um prazer. Em 2015 com o WTCC apareceram alguns estrangulamentos no traçado que no ano passado foram alterados e ainda não sei como será exatamente o circuito este ano.  Relativamente às expectativas continuou “  gostava de poder repetir os mesmos resultados da prova de Portimão, mas vai ser muito difícil, aqui o “panorama “ é diferente, pois trata-se dum circuito citadino que requer grande concentração e onde há que contar com os adversários que estarão todos presentes em força como é próprio de um circuito onde acorre tanto publico. Na sessão de treinos espero encontrar o set up correcto para assim poder partir logo bem colocado já que ultrapassar em Vila Real não é nada fácil sobretudo quando existe um equilíbrio de andamento. Mesmo assim estou confiante num bom resultado contando para tal com a preparação da RP Motorsport.

Os amigos e apreciadores do Lotus Mancha #150 serão como sempre bem vindos na nossa box.

 

 

Alexandre Guimaraes e o Lotus Elan irão fazer as verificações técnicas e documentais na sexta feira, para no sabado dar lugar às sessões de treinos e à primeira corrida. A segunda corrida irá ter lugar no domingo de manhã.

 FOX 2510_Copy

 

TEAM EZALO AUSENTE EM VILA REAL

 

Team Ezalo adia presença para o segundo Circuito de Vila Real


Quando nada o fazia prever, imponderáveis de última hora, vão impedir o Team Ezalo de estar presente na jornada do Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos 1300, que no próximo fim-de-semana se disputa no Circuito Internacional de Vila Real. A equipa viu-se forçada a tomar esta difícil decisão, devido ao atraso na chegada das peças que foram encomendadas em Inglaterra, sem as quais será impossível finalizar a preparação do carro para este exigente desafio.

Apostado em resolver definitivamente alguns pontos que impediam a plenitude da performance do MG Midget, o Team Ezalo decidiu apostar numa completa reformulação do motor, numa operação complexa e que infelizmente não ficará completa a tempo devido ao já citado problema. Com isto a equipa aponta agora os seus objectivos para uma presença no segundo circuito a realizar em Vila Real, com o MG Midget a ser inscrito nos Supercars, uma das competições que vai estar em pista.

Desalentado, Paulo Miguel refere: “Lamento profundamente a situação, mas nada podemos fazer face ao sucedido. Estávamos optimistas para esta prova, onde esperávamos contar com um carro no topo da sua “performance”, mas assim temos de adiar esta presença para o circuito de Julho, onde vamos certamente marcar presença e cumprir os compromissos publicitários assumidos. Não era nossa intenção atacar em Vila Real, uma vez que as características deste circuito citadino, implicam que qualquer erro se pague muito caro e isso poderia colocar em causa o nosso orçamento para o resto da época. Ainda assim estávamos motivados para melhorar em relação a anos anteriores e estou certo de que o conseguiríamos. Não vamos desanimar, até porque os nossos objectivos principais passam por uma presença forte nas provas que se seguem, Braga e Algarve, onde vamos lutar pelo top 5 do campeonato.”

A equipa agradece o apoio fundamental dos patrocinadores: Ezalo, Cruzfer, Opticalia do Rossio, Lucas Oil, Boteco da Linha, Q&F, Tipografia Lobão, Lynxport, “Clinica Beco com saída”, Minisquadra, PG Auto, Ary Boots, Designar, Della Custom Helmets, Racer Design e do nosso preparador, a GFC Motor.  ax8 Copy

 

KARTING EM VIANA DO CASTELO

 

O Kartódromo de Viana do Castelo vai lançar pela primeira vez umas 6H de Resistência de Karting, com data marcada para 04 de Novembro de 2017. Será uma experiencia inovadora, na qual irá ter uma novidade, onde serão colocadas 2 frotas de karts em pista (juntas) Sodikart’s RT8 390cc e Sodikart’s 270cc. Esta prova tem como objetivo a aquisição de Ranking para o Campeonato do Mundo de Karting de Lazer, mais conhecido como SWS (Sodi World Series). O prémio para a Equipa vencedora será a oferta na Final Mundial do SWS que normalmente é disputada em França.

Em Breve mais Novidades !! ax7 Copy

 

NOVO SUCESSO PARA TORRES DA SILVA EM SANTA MARTA

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

NOVO SUCESSO PARA TORRES DA SILVA EM SANTA MARTA

 

Depois da estreia ao volante do Toyota Starlet na Rampa da Covilhã, eis que Torres da Silva participou no passado fim de semana na Rampa de Santa Marta, onde esteve em destaque.

 

Nas duas subidas de treinos, faria respectivamente os tempos de 2.32.435 e 2.27.543.Para as tres subidas de prova não se fez rogado e alcançaria os cronos de 2.27.769, 2.28.187 e 2.28.321 garantindo assim a 5ª posição na Taça Nacional de Montanha 1300.

 

Após a cerimónia da entrega de prémios, Torres da Silva descreveu nos o que foi o fim de semana por terras de Trás os Montes “muito calor, dificuldades acrescidas para segurar o  carro, mas correu muito bem, o carro não teve o minimo problema, esteve uma vez mais impecável”. Sobre a rampa acrescentaria “ gostei muito, mas é uma rampa muito técnica, a requerer um bocado de treino para se poder andar depressa.O ambiente é fabuloso, grande convivio, diverti-me muito “.

 

CLASSIFICAǺÃO TAÇA NACIONAL DE MONTANHA 1300

 

1º Armando Freitas – Toyota Starlet

2º Leonel Bras – CitroenFOX 3442_Copy AX

3º Manuel Fernandes Junior – Fiat Punto

4º Francisco Leite – Fiat Punto

5º ANTÓNIO TORRES DA SILVA – TOYOTA STARLET

 

SUPER ENDURO EM CASTELO BRANCO

 

Espectáculo do super enduro em Castelo Branco

 

Prova do campeonato nacional no próximo sábado

 

O Parque de Desportos Motorizados de Castelo Branco vai ser palco de um grande espectáculo de corridas de motos já no próximo sábado, dia 24, a partir das 16 horas. A pista da Escuderia Castelo Branco recebe a próxima jornada do campeonato nacional de super enduro, uma modalidade em que a rapidez e a perícia são fulcrais para superar os obstáculos, dar espectáculo e ganhar aos adversários.

 

A animação no traçado preparado especificamente para este efeito, com vários obstáculos de nível de dificuldade elevado, começa cedo. A partir de meio da tarde, às 16 horas, a organização dá início aos treinos. Já aí será possível ver a forma ímpar como estes pilotos superam as dificuldades. Mas é com o cair da noite que tudo se torna mais emocionante. A partir das 21 horas, os finalistas discutem a vitória com a garantia de equilíbrio e discussões pelo triunfo levadas ao limite.

 

“Esta é uma prova de uma disciplina que a Escuderia Castelo Branco vai organizar pela primeira vez. É um evento inédito na região. Um conceito muito interessante que não só estimula os pilotos como foi desenhado a pensar no espectáculo para o público. É por isso que está em franco crescimento não só em Portugal como por essa Europa fora. Foi neste sentido que decidimos apostar e trazer a competição para Castelo Branco. Acreditamos que as pessoas vão adorar”, afirmou o director de prova, Sérgio Sequeira.ax6 Copy

 

JOAQUIM SOARES ESTREIA LOTUS ELAN EM VILA REAL

 

CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS

 

CIRCUITO DE VILA REAL

 

JOAQUIM SOARES ESTREIA LOTUS ELAN EM VILA REAL

 

O próximo fim de semana irá ser marcante para Joaquim Soares que irá correr pela primeira vez no mitico  circuito citadino de Vila Real .

 

Sobre as expectativas para a prova deste fim de semana, Joaquim Soares começou por nos dizer “ vamos com calma, conheço bem o circuito ao volante do Alfa Romeo 156, com o Lotus Elan vai ser uma estreia, por isso vou fazer os treinos com alguma cautela, pois para todos os efeitos ainda naõ trato o carro “por tu”.Mesmo assim quero estar o mais concentrado possivel para não cometer erros, e poder largar das linhas da frente, pois em Vila Real é crucial partir das linhas da frente, pois ultrapassar é complicado, e havendo equilibiro de andamento entre avdersários, a tarefa torna-se muito árdua.Espero poder fazer duas boas corridas,sempre a dar o meu máximo, esperando que o carro corresponda às expectativas, e se for ao pódio seria excelente “, disse-nos.

 

Joaquim Soares e o seu Lotus Elan irão fazer as verificações técnicas e documentais no decorrer de sexta feira, com as sessões de treFOX 2468_Copyinos e primeira corrida para o dia de sábado, com a segunda corrida a ter lugar no dia seguinte.

 

BAJA DO PINHAL

 

Alejandro Martins triunfa na Sertã e reentra na luta pelo título

 

Ricardo Porém desistiu e João Ramos atrasou-se no início do segundo dia terminando na sétima posição

 

Depois de nas duas passagens pelo prólogo da Baja TT do Pinhal, realizadas na sexta-feira, Ricardo Porém e João Ramos terem travado uma luta intensa pela liderança da classificação geral na terceira prova do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, tudo fazia prever que neste sábado a luta pela vitória final se resumiria a uma batalha entre os pilotos do Ford Range e da Toyota Hilux.

 

No entanto, foi logo no início do segundo dia que as expectativas criadas no dia anterior foram por ‘água abaixo’. João Ramos até entrou melhor e na passagem pelo primeiro ponto de controlo do SS1 já tinha recuperado o tempo perdido no dia anterior e ultrapassado Ricardo Porém na geral virtual. Contudo, perto dos 75km da terceira especial da prova que se realizou na zona da Sertã, Oleiros e Proença-a-Nova, João Ramos teve uma saída de pista que levou a que o piloto da Toyota perdesse 49 minutos para Alejandro Martins, que acabaria por vencer o SS1, beneficiando da desistência de Ricardo Porém.

 

Depois do incidente de João Ramos, Porém tinha nas mãos uma grande oportunidade para sair da Baja TT do Pinhal com a liderança do campeonato reforçada. Contudo, pouco quilómetros depois dos problemas na viatura de um dos seus mais diretos adversários, o piloto de Leiria teve, também ele, problemas (transmissão traseira esquerda) no seu Ford Ranger que o obrigaram a desistir do evento organizado pela Escurderia de Castelo Branco. Alejandro Martins, que seguia tranquilo na terceira posição, foi forçado a remover Ricardo Porém da pista, razão pela qual acabou por perder algum tempo para os seus perseguidores, deixando inclusive de liderar o evento, ainda que de forma virtual (a organização viria a repor os 4 minutos e 50 segundos perdidos na desistência do líder do Campeonato Nacional). Ainda assim, o piloto da Toyota Hilux conseguiria em pista, e até ao final do SS1 voltar à liderança da Classificação Geral quando só faltavam cumprir os 136.91km do SS2.

 

No último sector seletivo da Baja TT do Pinhal, Alejando Martins não teve quaisquer problemas para manter a liderança e levar até ao final a sua Toyota, confirmando assim a sua primeira vitória no Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno. “Fizemos uma excelente prova e penso que a vitória é merecida. Este segundo dia foi muito complicado devido ao calor mas acabámos por conseguir chegar ao final da manhã com uma margem confortável que nos permitiu gerir o tempo no último sector seletivo. Esta primeira vitória é muito positiva porque nos deixa numa boa posição para continuar a lutar pelo título. Em Idanha-a-Nova acredito que posso chegar à vitória, mas um pódio já seria um resultado muito positivo”, disse o vencedor.

 

Apesar da incrível história que levou Alejandro Martins à vitória, destaque ainda, para a consistência demonstrada por Nuno Madeira (Kia Sportage TT) que o levou ao segundo lugar da Geral, ainda que longe de Martins. Henrique Silva (Mini Cattiva), Alexandro Franco (BMW Evo X1) e Pedro Dias da Silva (Mazda Proto) completaram o Top5. João Ramos, travou uma batalha contra o tempo e contra as adversidades com o objetivo de conseguir somar o máximo de pontos, logrando apenas o 7.º lugar à Geral, recuperando seis posições nos últimos 136.91km do evento, o que lhe garantiu 9 preciosos pontos na luta pelo título.

 

Na categoria T2, Rui Sousa (Isuzu D-Max) levou a melhor, mesmo que César Sequeira tenha liderado a categoria até desistir devido a problemas mecânicos. Em T8, Nuno Tordo comandou a classificação do início ao fim, terminando com uma vantagem de mais de cinco minutos sobre Hugo Raposo (Nissam Pathfinder).

 

No Desafio Mazda, Pedro Dias da Silva levou a melhor entre os inscritos nesta competição monomarca onde só participam viaturas Mazda Proto. Na prova a contar para Taça Nacional, Mário Mendes levou a melhor ao volante de um Suzuki Jimny.

 

Depois da duríssima prova agora terminada, que contou com temperaturas extremamente altas, seguidas de aguaceiros, o Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno continua a 8 e 9 de Setembro, com a realização da Baja TT Idanha-a-Nova, prova também organizada pela Escuderia de Castelo Branco.

 


Top-3 absoluto

           A. Martins/J. Marques                 Toyota Hilux                                      5h34m49,00s

           N. Madeira/M. Costa                    Kia SportageTT                                 a 8,25m

           H. Silva/R. Franco                            Mini Cattiva                                       a 12,56max4 Copyax5 Copy

 

BAJA TT DO PINHAL

 

Maio, Martins e Grancha fazem história na Baja TT do Pinhal

 

Arnaldo Martins já é campeão nacional e Pedro Grancha estreia-se a ganhar

 

António Maio, em motos, Arnaldo Martins, nos quads, e Pedro Grancha, em SSV, foram os grandes vencedores da Baja TT do Pinhal 2017. A prova organizada pela Escuderia Castelo Branco no eixo compreendido entre os concelhos de Oleiros, Proença-a-Nova e Sertã ficou marcada por alguns duelos, como o de Bühler e Maio nas motos, pelo muito calor e por pistas técnicas e exigentes.

 

Tal como em 2016, António Maio foi o piloto mais rápido na Baja TT do Pinhal. O piloto oficial da Yamaha protagonizou um duelo renhido com Sebastian Bühler, que chegou a andar muito tempo na frente, e obteve um triunfo importante para revalidar o título de campeão nacional. Depois de começar a prova em segundo, Maio acabou o primeiro dia de competição na frente, fruto do melhor tempo registado em SS1. Já hoje, não aguentou o ritmo de Bühler, que bateu toda a gente em SS2, mas respondeu na mesma moeda e acabou a ronda organizada pela Escuderia Castelo Branco como vencedor.

 

“Consegui o principal objectivo, que era sair daqui com uma vitória e garantir a liderança do campeonato. Foi uma prova dura, com muitos quilómetros. Ontem optei por um ritmo mais tranquilo, mas acabei por vencer o SS1. Sair à frente hoje acabou por ser uma vantagem porque não apanhei pó. Ainda apanhei um carro no percurso que me atrapalhou um pouco mas fiz uma prova limpa sem qualquer percalço. Tive uma pequena queda, perdi algum tempo, mas numa prova tão longa, são coisas que acontecem. Neste último sector, tinha de atacar pois estava em desvantagem. Tinha 16 segundos para recuperar. No início mantive um ritmo mais calmo e no final percebi que estava ainda com capacidade e força para atacar e foi isso que fiz. Ataquei e ganhei com uma boa vantagem”, afirmou António Maio.

 

Depois de um confronto renhido, Sebastian Bühler perdeu rendimento e não conseguiu manter a indefinição até ao fim. O piloto explicou, já no final, que ficou sem a protecção do guiador no manípulo esquerdo e isso contribuiu para que a embraiagem da sua WR 450 F deixasse de funcionar, o que contribuiu para a perda de tempo.

 

Luís Teixeira concluiu a sua participação na Baja TT do Pinhal no terceiro posto absoluto e venceu a classe (TT3), enquanto Fernando Ferreira foi quarto e triunfou em TT1.

 

Arnaldo Martins de fio a pavio

 

Na classificação dos quads, Arnaldo Martins (Suzuki) venceu sem apelo nem agravo e sagrou-se campeão nacional após a ronda organizada pela Escuderia Castelo Branco. O piloto dominou por completo a Baja TT do Pinhal. Não só ganhou em termos absolutos como foi sempre o mais rápido. Numa prova bastante dura em que concluíram apenas dois concorrentes, Joni Fonseca concluiu a sua prestação com o segundo lugar, mas quase a 15 minutos de Martins.

 

“Sou campeão nacional este ano. Em cinco corridas consegui cinco vitórias. Tudo isso é reflexo do trabalho da minha equipa. Relativamente à corrida, foi espectacular, com um traçado muito bonito. Algumas partes técnicas, outras mais rápidas. Adorei. Apanhámos muito calor, alguma chuva, tudo à mistura, mas correu bem”, afirmou Arnaldo Martins.

 

Grancha estreia-se a vencer nos SSV

 

A corrida dos SSV foi extremamente disputada e Pedro Grancha, que já foi campeão nacional de TT em automóveis (ano de 2005), alcançou a sua primeira vitória nesta categoria. O piloto de Cascais não começou da melhor forma. No prólogo fez apenas o oitavo tempo, com João Lopes e Bruno Santos a serem os mais rápidos. Mas à medida que os adversários tiveram problemas, como Pedro Santinho Mendes que chegou a liderar após SS1, subiu à primeira posição e já não a largou. O momento em que Grancha colocou o seu Can-Am à frente de toda a concorrência foi mesmo antes do final de SS2. No último sector selectivo, o piloto, navegado por Tomás Neves geriu e deixou Bruno Martins, que foi segundo, a 1m07s, e Ricardo Carvalho, em Yamaha, a 1m27s.

 

“Foi uma prova muito dura. O percurso estava muito degradado. Custou-nos bastante, até porque estamos sem pneus. Foi suada, mas soube bem. Mas já vimos que conseguimos andar na frente”, afirmou Pedro Grancha na chegada ao final da Baja TT do Pinhal.

 

Com a conclusão da Baja TT do Pinhal, os respectivos campeonatos fazem uma pausa e regressam em Setembro, com nova organização da Escuderia Castelo Branco. É a Baja TT Idanha-a-Nova, que se realiza nos dias 8 e 9 de Setembro. Antes disso, destaque para a jornada do campeonato nacional de Super Enduro, que tem lugar já no próximo sábado, dia 24, às 21 horas, na pista do Lanço Grande, e para a ronda portuguesa do campeonato do mundo de Enduro, em Castelo Branco, de 21 a 23 de Julho.


Top-3 nas motos

           António Maio                                   Yamaha WR 450 F                            5h00m10s

           Sebastian Bühler                             Yamaha WR 450 F                            a 2m21s

           Luís Teixeira                                      Yamaha WR                                       a 17m09s

 

Top-3 nos quads

           Arnaldo Martins                              Suzuki                                                  5h26m10s

           Joni Fonseca                                     Yamaha YFZ 450                               a 14m40s

 

Top-3 nos SSV

           P. Grancha/T. Neves                     Can-Am Maverick X3 XRS            5h22m17s

           Ricardo Carvalho                             Yamaha YXZ                                      a 1m11s

           David “Tubarão”                              Can-Am Maverick X3 XRS            a 2m28sax2 Copyax3 Copy

 

JOÃO FARIA NO FAIAL

 

João Faria alcança objetivos traçados para o Faial

Um Ilha Azul “de trás para a frente”

 

João Faria e António Olas formaram a dupla do Ribeira Grande Rali Team que esteve presente, este fim de semana, no Faial, para disputar a 3ª prova do Campeonato dos Açores de Ralis.

“Saímos muito satisfeitos”, afirmava o piloto de Rabo de Peixe no final da prova. Para sustentar a afirmação inicial, João Faria lembra que foram cumpridos “os objetivos de ganhar a classe rc4”, tendo ainda vencido entre as viaturas de grupo N e alcançado um bom 6º lugar à geral.

Mas o rali foi tudo menos fácil e a noite de sexta feira ficou mesmo marcada por uma penalização sofrida pelos homens do Peugeot 206 RC depois de concluída a primeira especial de classificação. João Faria e António Olas foram obrigados a fazer uma prova de recuperação. De facto, a dupla do Ribeira Grande rali Team entrou para as classificativas de sábado em 12º da geral, 8º das duas rodas motrizes e 3º dos RC4. Uma atuação sólida e bem conseguida levou-os a vencer esta última categoria, ao mesmo tempo que um pódio à geral das 2 rodas motrizes premiava o esforço da equipa e de todos os seus patrocinadores cujo apoio permitiu a participação num rali que é do agrado de piloto e navegador.

No rescaldo à prova faialense, João Faria fez questão de lembrar que “apesar dos meios financeiros e materiais muito limitados de que dispomos, até em comparação com a concorrência, fizemos mais uma prestação muito positiva que nos enche de orgulho e que queremos dedicar a todos os nossos patrocinadores”.

Com 3 das 7 provas que compõem o Campeonato de Ralis dos Açores já disputadas, João Faria e António Olas estão destacados no comando da classificação dedicada aos RC4 e são 3ºs nas contas das duas rodas motrizes, apenas sendo batidos por equipas com carros muito superiores ao seu 206 RC. No campeonato de absolutos a posição é ainda mais interessante, uma vez que João Faria é 5º, atrás dos pilotos dos três R5 que estão a disputar o campeonato e do líder das duas rodas motrizes que dispõe de um carro da categoria R3T.

A próxima prova do campeonato faz as equipas regressar à ilha de S. Miguel. 8 e 9 de Julho são as datas previstas para o Rali Lótus que deve voltar a contar com a presença de várias duplas do Ribeira Grande Rali Team.ax1 Copy

 

PARCIDIO SUMMAVIELLE LUTOU PELA VITÓRIA

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

PARCIDIO SUMMAVIELLE LUTOU PELA VITÓRIA ATÉ À ULTIMA SUBIDA

 

Uma vez mais Parcidio Summavielle esteve em destaque no passado fim de semana na Rampa de Santa Marta, quarta prova do calendário do Campeonato Nacional de Montanha. Nas duas subidas de treinos faria respectivamente os tempos de 2.22.227 e 2.17.912.Para as tres subidas de prova continuou a melhorar , fazendo 2.16.549, 2.16.756 e 2.17.209 .

 

No final, depois da distribuição dos prémios, Parcido Summavielle  descreveu-nos como foi esta jornada “ no meu ponto de vista correu muito bem, o carro esteve impecável, sempre a melhorar os meus tempos em cada subida efectuada.Na ultima subida bem tentei chegar-me aos Ford Escort do Flávio Sainhas e do Dr.José Pedro Gomes, mas o muito calor que se fazia sentir, o piso muito quente e escorregadio tornou-se numa tarefa imposssivel. Nesta prova usei outro tipo de pneus e gostei do seu desempenho. São pneus que servem para várias provas e tipos de piso. Claro que quando os meus adversários colocam pneus "slick" novos abrem logo um pouco mais a diferença, foi o que aconteceu no final da prova,  pelo menos tentei com pneus novos, mas infelizmente já não deu. Os dois Escort do Flávio e do José Pedro Gomes são inalcansáveis para o Datsun, até pelo peso do 240Z, acima dos 1100 kg.

 

 

CLASSIFICAÇÃO

 

CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS MONTANHA

 

1º José Pedro Gomes – Ford Escort

2º Flávio Sainhas – Ford Escort

3º PARCIDIO SUMMAVIELLE – DATSUN 240 Z

 FOX 3925_Copy

 

COPA ECPA - BRASIL

Com forte equilíbrio, Copa ECPA de Velocidade parte para 3ª etapa

Certame é disputado pelas categorias Marcas e Pilotos e Fórmula Vee

 

O autódromo do Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo receberá no próximo sábado (24) a terceira etapa da Copa ECPA de Velocidade, um dos mais fortes regionais do país, com a participação de pilotos de todo o estado.

 

O certame terá provas de Fórmula Vee e Marcas e Pilotos, categoria que é dividida em três classes (Super, Light e Novatos). Ao longo da programação de treinos livres e classificatórios, todos disputam duas baterias.

 

Entre os Novatos, a liderança é de Guilherme Reischl, com 65 pontos, mas o piloto tem a dupla Eric Folquito e Adilson Gorga em seu encalço, com apenas dois pontos a menos. Thiago Roque é o terceiro colocado com 54 pontos.

 

Já na Light, categoria de acesso à principal, Alexandre Peppe vem tendo uma vida mais fácil, mantando uma boa vantagem sobre os adversários. O piloto da equipe Juka Motors tem 86 pontos conquistados nas duas primeiras provas da temporada. João Morais está em segundo, com 54 pontos e a dupla de pai e filho, Rodrigo e Alejandro Huidobro aparece na terceira colocação, com 35 pontos.

 

Já entre os pilotos mais experientes, a Super tem uma disputa das mais emocionantes, com quatro pontos separando os três primeiros colocados. A liderança de Alexandre Souza, que venceu apenas uma bateria das quatro disputadas, mas vem mantando uma forte regularidade e soma 60 pontos.

 

O paulistano não tem deixado escapar os pontos da pole position e melhor volta e isso vem ajudando a manter a ponta da tabela. “O campeonato é muito equilibrado e esses pontos estão fazendo a diferença”, afirmou o único piloto a competir com um Ford/Fiesta.

 

A vice-liderança de Lamartine Pinotti foi construída com duas vitórias até aqui na temporada, uma em cada etapa. O piloto de Sertãozinho, da equipe Phoenix competições, soma 58 pontos.

 

Já a terceira colocação pertence ao capivariano Rodrigo Stefanini, que começou a temporada conquistando a primeira vitória do ano, mas depois não venceu mais. Com 56 pontos conquistados até aqui, nas quatro baterias disputadas, o atual campeão da categoria afirmou que pretende voltar a subir no degrau mais alto do pódio nessa próxima etapa.

 

Fórmula Vee

Já na Fórmula Vee, após a primeira etapa, a classificação da categoria apresenta Francisco Laborda na liderança, com 35 pontos, ao ter conquistado uma vitória e uma segunda colocação. O argentino é seguido pelo piloto Alberto Otazú, que mesmo sem ter vencido somou 27 nas duas baterias da etapa inaugural. O amazonense, Gabriel Silva é o terceiro, com 24 pontos.

 

Serviço

A entrada ao evento é gratuita, havendo somente a cobrança de estacionamento sendo R$ 15 para carros e motos. O autódromo do ECPA está localizado em Piracicaba, no interior de São Paulo, na rodovia SP 135, km 13,5, no Distrito de Tupi. Telefones (19) 3438.7901 e 3438.7174.

 

Acompanhe as novidades da Copa ECPA de Velocidade no site www.ecpa.com.br. Mais informações pelo facebook.com/ecpabrasil e e-mail para Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar . A realização e organização são do ECPA e a supervisão da Liga Paulista de Automobilismo (LPA).

 

ALBUQUERQUE EM LE MANS

 

Filipe Albuquerque termina num brilhante quinto lugar as 24h de Le Mans

"Resultado com sabor a vitória"

Foram 24 longas horas aquelas que se viveram em Le Mans em mais uma edição da mítica prova francesa. Filipe Albuquerque e os seus companheiros de equipa na United Autosports conseguiram, aquilo que inicialmente podiam considerar de inesperado, um brilhante quinto lugar entre os LMP2 e um surpreendente sexto lugar à geral. Apesar do cansaço no final da prova, o piloto português não escondia a enorme alegria pelo resultado obtido e o excelente trabalho desenvolvido pelos seus companheiros de equipa.

A sair da 15ª posição da grelha entre os LMP2 e 21º da geral, o trio, Albuquerque, Owen e Sadeller sabiam que não lhes esperavam facilidades: "Não estávamos à espera deste resultado depois de todas as condicionantes que sabíamos ter à partida. A falta de andamento para os nossos mais directos adversários era notória mas nunca perdemos o foco nem a ambição e fomos fazendo o nosso trabalho sem erros e sobretudo, podendo contar com a eximia fiabilidade do Ligier que nos permitiu fazer uma corrida limpa. Sempre que estive ao volante procurei rodar o mais rápido possível e chegar mais além. Não esperávamos que acabasse tão bem", disse,

Sobretudo porque tanto Owen como Sadeller se estreavam em Le Mans: "A prova é muito dura e ainda mais dura para aqueles que a enfrentam pela primeira vez. Sempre que iam para a pista transmitia-lhes confiança e eles estiveram sempre muito bem: determinados e focados. E isso foi a chave para o sucesso. Este quinto lugar, dadas as circunstâncias, tem um sabor a vitória para todos na United Autosports. Não ganhámos mas é como se o tivéssemos feito. Estamos todos de Parabéns", rematou Filipe que não foi apenas quinto entre os LMP2 ou sexto da geral, foi também o melhor entre os pilotos ao volante de Ligier.

O piloto português não terá no entanto descanso, já que no próximo fim-de-semana estará em Paul Ricard para disputar a jornada do Blancpain GT Series.aw30 Copy

 

MAGALHAES DE FORA EM CHIPRE

 

Saída de estrada obriga Bruno Magalhães a abandonar o Rali do Chipre Piloto português deverá manter liderança do Europeu de Ralis
 
Chegou ao fim a prestação de Bruno e Hugo Magalhães no Rali do Chipre depois de uma caricata saída de estrada onde ficaram igualmente mais dois adversários. O piloto português ocupava a terceira posição da classificação geral quando o incidente teve lugar. Apesar do desfecho inglório, num rali extremamente violento e difícil, a dupla portuguesa vai manter, ao que tudo indica, o primeiro lugar nas contas do Europeu de Ralis.
 
"Do céu ao inferno", foi assim que Bruno Magalhães descreveu o sentimento que o invade neste momento. Estava tudo a correr demasiado bem e a aumentar gradualmente o ritmo, quando na PEC 6, se depara com o navegador de um dos seus adversários no meio da estrada pedindo para abrandar: "E naquele segundo de desconcentração a olhar para ele não ouvi as indicações do Hugo que me diziam que a curva era enganadora e no segundo seguinte estava a descer por ali abaixo aos trambolhões só parando quando bati na traseira de outro adversário. Por incrível que pareça, três carros, três dos principais adversários, ficámos os três, no mesmo sitio. Parece insólito, mas é verdade", explicou Bruno Magalhães.
 
Os danos no Skoda Fabia da ARC Sport não vão permitir que Bruno Magalhães regresse em modo super rali: "Apesar de fisicamente estarmos bem, o carro ficou mal tratado. Era uma zona difícil, não conhecemos nada da prova, e o azar dos outros, que até podia vir a ser a nossa sorte porque o nosso mais directo rival já estava fora, acabou por ser o nosso azar também. Nada acontece por acaso. Apesar de tudo, acho que vamos continuar na frente do Campeonato e a procurar novos apoios que nos permitam continuar a fazer provas e a levar o nome de Portugal e do nosso automobilismo mais além. Apesar de tudo, este é o nosso desporto de eleição e é aqui que queremos continuar com mais ou menos sorte", concluiu.
 
A próxima prova do Europeu de Ralis acontece de 3 a 5 de Agosto com o Rajd Rzeszowski.aw29 Copy

 

O NOVO VOLKSWAGEN ARTEON

 

O novo Volkswagen Arteon
 
Arte em movimento 
 
– O novo Volkswagen Arteon chega agora a Portugal. Com um desenvolvimento totalmente novo, o modelo enfatiza a emotividade na categoria média alta e destaca fascinantes contornos exteriores. Além de um novo e muito emotivo design exterior, a Volkswagen também introduziu com o Arteon um visual da Marca altamente expressivo e com formas horizontais muito acentuadas. As barras da grelha do radiador prolongam-se até aos grupos óticos tridimensionais dianteiros; as luzes adicionais em LED realçam adicionalmente o impressionante layout e evidenciam formas dominantes.
 
O nome Arteon - com ênfase na primeira sílaba - é composto de duas partes: “Arte” descreve as linhas harmoniosas de um coupé pleno de emotividade. O final “eon” identifica-o, da mesma forma que o modelo de topo da Volkswagen para o mercado chinês, o Phideon, como um modelo premium.
 
O novo Volkswagen Arteon é proposto em Portugal, na fase de lançamento, com os motores 2.0 TSI (280 cv) e 2.0 TDI (150 e 240 cv). Todas as versões estão equipadas com a transmissão DSG de 7 velocidades e tração dianteira ou 4Motion. São três os níveis de equipamento: Basis, Elegance e R-Line, enquanto os preços iniciam-se em 47.815 euros (2.0 TDI de 150 cv).
 
Dados importantes – Pontos chave do Arteon
 
1 – Um coupé de cinco lugares posicionado acima do Passat que continua a ter um verdadeiro êxito a nível mundial.  2 – Combina um excelente conforto e a generosa oferta de espaço das limousines com o dinamismo e o design dos desportivos.  3 – Um porta bagagens modular com uma volumetria entre 563 e 1.557 litros, atingindo o nível de um SUV.  4 -  A grande distância entre eixos assim como as generosas vias, em comparação com o comprimento total do automóvel, proporciona uma excelente oferta de espaço no habitáculo. 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

 5 – Os novos sistemas de assistência à condução são proativos e reagem antes do limite de velocidade, em zonas sinuosas e nas rotundas das zonas urbanas.  6 – Os eficientes motores turbo (TSI e TDI) do Arteon oferecem potências compreendidas entre 150 e 280 cv.  7 – As versões TSI e TDI de topo oferecem de série a transmissão automática DSG de dupla embraiagem e tração 4MOTION.  8 – Os faróis em LED fundem-se com a grelha do radiador e o capot do motor, conferindo ao Arteon um novo “rosto Volkswagen”.  9 – Instrumentos digitais opcionais (Active Info Display) e sistema de infotainment com ecrã de 9,2 polegadas e controlo por gestos (Discover Pro).  10 – A rigidez torsional da carroçaria aumentou em 10 por cento, em relação às limousines com prestações similares.
 
O Coupé da Volkswagen. Existem limousines clássicas, mas também desportivas. Uns oferecem um grande espaço e um elevado nível de conforto e outros um chamativo design aliado a um dinamismo puro. E agora a Volkswagen lança no mercado um modelo que alia estes dois mundos: o Arteon. Um coupé desportivo de cinco portas com um design vanguardista que oferece um amplo espaço e sistemas de assistência à condução de uma nova geração, conectado de forma interativa e com o eficiente "always on" (sempre online), potentes motores e, ao mesmo tempo, confortável como uma limousine de topo de gama. Klaus Bischoff, responsável pelo design da Volkswagen, descreve acertadamente o caráter do novo modelo de cinco portas: “O Arteon alia os elementos de design dos desportivos clássicos com a elegância e a generosa oferta de espaço dos fastback. Um vanguardista Gran Turismo de primeira classe que toca tanto o coração como a razão”. Um automóvel que fascina dia após dia, tanto do ponto de vista profissional como pessoal. 
 
Made in Germany. O Arteon posiciona-se acima da gama Passat, sendo oferecido em diferentes versões em todo o mundo. O Phideon, desenvolvido especialmente para o mercado chinês, posiciona-se acima do novo modelo. O Arteon é produzido na fábrica da Volkswagen em Emden. Este lugar de produção dispõe de um porto transatlântico e adapta-se de forma ideal a um automóvel como o Arteon, que será comercializado em quase todos os países do mundo. O Arteon chega agora a Portugal e aos restantes países europeus. Nos próximos meses inicia a comercialização na Ásia, América, África e Oceânia.
 
Seis motores turbo. O Arteon é proposto numa fase inicial com três motores turbo de injeção direta: um potente bloco TSI de 280 cv (206 kW) a gasolina e dois blocos TDI de 150 cv e 240 cv. 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

Posteriormente a gama será alargada a outros três motores: o novo 1.5 TSI Evo (150 cv com gestão dos cilindros ativa), assim como aos blocos TSI e TDI de 190 cv, respetivamente.
 
Transmissão DSG de dupla embraiagem para todas as versões. Todos os motores podem ser combinados com uma transmissão DSG de dupla embraiagem (TSI de 150 Cv apenas com caixa manual). A transmissão DSG é proposta de série para o TSI a partir de 190 Cv. Os motores TDI dispõem de transmissão DSG de série para a versão de 240 cv. As versões TSI de 280 cv e TDI de 240 cv oferecem o sistema de tração total 4MOTION da Volkswagen. O TDI de 190 cv pode ser equipado em opção com o sistema de tração total. Todos os demais modelos possuem tração dianteira.
 
Assistentes de condução proativos. Os inovadores assistentes de condução do Arteon fazem parte do seu vanguardista conceito global, como demonstram três das novas tecnologias. O Adaptive Cruise Control (ACC) da última geração também avalia agora outros parâmetros, como o limite de velocidade, curvas, rotundas e desvios adaptando a velocidade automaticamente (dentro dos limites do sistema e da regulamentação em vigor em cada país). A nova luz dinâmica em curva proativa deteta uma curva iminente, baseando-se nos dados do GPS e da rota do sistema de navegação, iluminando-as antes da intervenção do condutor. Para o “pior dos casos”, o Arteon está equipado com a segunda geração do Emergency Assist que aumenta o nível de segurança: no caso do condutor ter um súbito problema de saúde, o assistente não só trava o automóvel dentro dos limites do sistema, como também o guiará (sempre que a situação do tráfego o permita) até à faixa de rodagem mais à direita. 
 
Três níveis de equipamento. A Volkswagen oferece o Arteon em toda a Europa com três níveis de equipamento diferentes: “Basis”, “Elegance” e “R-Line”. Já a versão base “Basis” oferece um amplo equipamento. Todos os modelos são equipados com faróis em LED, a inovadora direção progressiva, o Lane Assist (sistema que alerta uma saída involuntária da faixa de rodagem), o sistema de vigilância Front Assist com função de travagem de emergência em cidade (City Emergency Braking), jantes de liga leve e o sistema de infotainment Composition Media. O Arteon pode ser personalizado ainda mais através dos dois níveis de equipamento mais exclusivos: “Elegance” e “R-Line”. O nome define a essência: a configuração de série do Arteon Elegance centra-se principalmente na elegância. A configuração do Arteon R-Line centra-se ainda mais no desportivismo. 
 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

Características de elevada tecnologia. Algumas das características opcionais do Arteon, entre as quais se encontra o ecrã Active Info Display (painel de instrumentos digital com configuração), o Head-up display e o novo sistema de Infotainment Discover Pro com um ecrã em vidro de 9,2 polegadas e controlo por gestos. Outros elementos de equipamento opcional são um teto panorâmico, bancos dianteiros com função de massagem, aquecimento do volante, pacotes especiais (“Business” e “Top”), luz ambiente tricolor, controlo dinâmico da estabilidade, jantes de liga leve de 18, 19 e 20 polegadas, assim como elegantes revestimentos em couro Nappa.
 
Amplo modelo de cinco lugares. O novo Arteon foi desenvolvido com base na nova plataforma modular transversal (MQB). A terminologia “transversal” indica que os motores são montados transversalmente na parte dianteira. Uma das características distintas dos modelos Volkswagen MQB são os eixos estarem localizados muito para fora no veículo. Entre eles está uma generosa distância entre eixos de 2.841 mm. A distância entre o centro da roda e cada uma das extremidades deste coupé (comprimento total de 4.862 mm) é curta e concisa. A largura do Arteon é de 1.871 mm e a altura de 1.427 mm. Graças à grande distância entre eixos, a plataforma MQB proporciona um espaço livre para as pernas excecional na parte traseira e uma grande volumetria do porta bagagens - desde 563 até 1.557 litros - valores que as berlinas clássicas não conseguem atingir.
 
Design vanguardista. Um dos elementos de design mais importantes do Arteon, com as suas proporções especialmente dinâmicas, é a nova parte dianteira. Caracteriza-se por um capot que se estende muito para a frente por cima de ambas as asas e as barras da grelha do radiador prolongam-se até aos grupos óticos tridimensionais dianteiros que ocupa toda a largura do automóvel. Assim, surge um design dianteiro digno dos desportivos de topo de gama. Outras das caraterísticas de design com o estilo dos desportivos são a dominante e robusta traseira, as asas musculadas, os guarda-lamas e as largas cavas das rodas onde podem ser montadas rodas até 20 polegadas. Características que posicionam o Arteon como uma nova alternativa à tradicional berlina. Um carro para todos aqueles que procuram um coupé de cinco portas com design expressivo, progressivo, novas tecnologias, grande versatilidade e excelente conforto. 
 
 
 
 
 
 
 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

 
Declarações sobre o Arteon
 
“O Arteon alia os elementos de design dos desportivos clássicos com a elegância e a generosa oferta de espaço dos fastback. Um vanguardista Gran Turismo de primeira classe que toca tanto o coração como a razão”. Klaus Bischoff, Diretor de Design da Volkswagen Veículos de Passageiros
 
“Com o Arteon introduz-se uma nova geração de assistentes de condução na Volkswagen. Um deles é o um novo desenvolvimento do Emergency Assist. Até agora, este sistema imobilizava automaticamente o automóvel em caso de uma emergência médica. Agora e graças a este sistema, o automóvel muda de faixa de rodagem de forma autónoma dentro dos limites do sistema”. Dr. Frank Welsch, Membro do Comité Executivo da Volkswagen Veículos de Passageiros e responsável pela Divisão de Desenvolvimento
 
“O Arteon é o novo modelo de topo da gama Volkswagen. Através de uma nova estrutura de oferta e dos níveis de equipamento “Elegance” e “R-Line” satisfazemos as exigências dos nossos Clientes”. Jürgen Stackmann, Membro do Comité Executivo da Volkswagen Veículos de Passageiros e responsável pelas áreas de Vendas, Marketing e Após-Venda
 
“O Arteon não convence apenas pelo seu elegante e inconfundível design, como também por uma tecnologia com o máximo nível. Além disso, destaca uma excelente oferta de espaço que ultrapassa de maneira inequívoca a proposta pelos seus concorrentes. O Arteon determina uma nova referência no seu segmento”. Dr. Elmar-Marius Licharz, Diretor da gama Arteon da Volkswagen 
 
 
 
 
 
 
 
 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

Conceito da carroçaria
 
Modelo coupé com uma rigidez extraordinariamente elevada da carroçaria
 
Plataforma e dimensões. O novo Arteon foi desenvolvido com base na nova plataforma modular transversal (MQB). Denomina-se “modular” porque pode aplicar-se a modelos das mais distintas gamas; o termo “transversal” indica que os motores são montados transversalmente na parte dianteira. Todos os modelos MQB da marca - atualmente desde o Golf até ao SUV Atlas vendido nos Estados Unidos – se caracterizam por proporcionar uma extraordinária oferta de espaço graças aos eixos deslocados de uma forma notável para a parte exterior e às proporções dinâmicas muito apelativas. Tal também é precisamente válido para o novo Arteon. Entre os dois eixos do Gran Turismo está uma longa distância de 2.841 mm. As distâncias entre o centro da roda e as extremidades da carroçaria deste coupé (com um comprimento total de 4.862 mm) são curtas de forma correspondente. A largura do Arteon é de 1.871 mm e a altura de 1.427 mm. A interação destas medidas cria proporções especialmente dinâmicas da carroçaria.
 
Carroçaria com elevada rigidez. A combinação da plataforma MQB e de algumas categorias de aços altamente resistentes e endurecidos conferem à carroçaria uma rigidez extremamente alta que é crucial, entre outros aspetos, para alcançar uma dinâmica otimizada e um superior conforto em andamento. Apesar do grande portão traseiro do Arteon, a rigidez da carroçaria foi aumentada em 10 por cento. Tal traduz-se numa excelente precisão da direção, reações mais rápidas do automóvel e um conforto otimizado da carroçaria, com prestações vigorosas, que se reflete especialmente durante a condução em estradas com mau piso. O aço altamente rígido aplica-se, por exemplo, nas áreas das travessas longitudinais e transversais da carroçaria. Os pilares B, o túnel central, o painel dianteiro (chapa transversal dianteira entre o interior e o compartimento do motor) assim como as travessas traseiras e o tejadilho foram fabricados com aços moldados a quente. O resultado é um ágil e confortável automóvel que, graças à sua inovadora carroçaria, dispõe de um dos melhores níveis de segurança passiva que é oferecido no seu segmento a nível mundial.
 
Capot do motor ativo. O capot do motor ativo do Arteon não oferece apenas proteção aos passageiros, mas também aos peões. No caso de acontecer uma colisão com um peão, o capot eleva-se através de dobradiças com tecnologia pirotécnica para reduzir a gravidade das lesões. 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

Quando o capot é ativado, e graças ao aumento da distância entre a chapa flexível do mesmo e o rígido bloco do motor, podem-se evitar lesões graves na cabeça como um traumatismo craniano causado pelo impacto da cabeça. O intervalo de velocidade relevante que ativa o capot está compreendido entre 25 e 55 km/h.
 
A aerodinâmica permite uma excelente dinâmica de andamento. O objetivo nas prestações do Arteon era alcançar um bom equilíbrio entre um eficiente coeficiente de penetração aerodinâmico (0,265 / Arteon 2.0 TDI de 150 cv). Ou seja, pouca resistência ao ar, uns níveis de consumo correspondentemente baixos e coeficientes da força descendente que favorecem a dinâmica de andamento. Este objetivo pode ser satisfeito através de um pacote aerodinâmico que, entre outros elementos, inclui um curto deflector de ar situado por cima dos faróis traseiros. O balanço entre os coeficientes da força descendente (downforce) nos eixos dianteiro e traseiro, que estabilizam a parte traseira, otimiza o controlo dinâmico do chassis. O resultado são excelentes prestações de condução com uma elevada estabilidade de andamento até às velocidades mais elevadas. Graças aos excelentes coeficientes de “downforce” no eixo traseiro, o novo Arteon pode prescindir da montagem de um aileron traseiro amovível para circular a velocidades mais elevadas. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

Design da carroçaria
 
O Arteon inicia uma nova era de design na Volkswagen
 
Regresso ao futuro. A Volkswagen apresentou há dois anos atrás um vanguardista protótipo do Arteon no Salão Automóvel de Genebra. Então, a clara mensagem era que este Gran Turismo iria dar início a uma nova era de design da Volkswagen. Agora, este protótipo conhecido em todo o mundo chegou à grande produção com apenas algumas alterações. O responsável pelo Design da Volkswagen, Klaus Bischoff, recorda: “O facto do Arteon chegar à produção em série com alterações mínimas de design em relação ao protótipo é um indicador da paixão inovadora da Volkswagen. À semelhança do protótipo, o Arteon também desperta o desejo de “querer adquiri-lo a todo o custo”. Com este automóvel começa, de facto, uma nova era de design, como foi prognosticado em 2015.
 
Vanguarda automóvel. O responsável de design exterior do Arteon, Tobias Sühlmann, comenta: “O atlético traçado de linhas do Arteon rege-se por um conceito global altamente funcional. A forma e a função encontram-se de forma progressiva. Graças à grande distância entre eixos e das vias, uma longa linha do tejadilho, o design com estilo coupé e um grande portão traseiro, este modelo oferece mais espaço e versatilidade que as berlinas clássicas.”
 
O design do Arteon foi desenvolvido a partir da parte dianteira
 
O design suplanta os limites do segmento. A impressão geral que causa o Arteon quando se observa desde a parte dianteira é a de ser um dinâmico Gran Turismo, uma combinação de desportivo e berlina. Contudo, quando se começa a observar os detalhes, evidencia-se a expressividade e a lógica, a harmonia e a precisão de design. Um bom design não é casualidade, mas sim a simbiose de criatividade, precisão e conceção artesanal de grande qualidade.
 
O capot de um desportivo. O design completo do automóvel parece ter sido desenvolvido partindo do capot ativo (com mecanismo de segurança de proteção de peões integrado) e a sua inseparável grelha do radiador. No mundo automóvel, os capot que se estendem por toda a parte dianteira até chegar às cavas das rodas são precedentes do segmento dos desportivos clássicos. Tobias Sühlmann comenta: “O Arteon dispõe de um dos maiores capot de todo o Grupo Volkswagen”. O designer acrescenta: “É realmente similar a um desportivo: quando se abre o capot dianteiro podem ver-se os guarda lamas. Tal não é habitual para um automóvel deste tipo”.  
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

 
Os LED e a grelha fundem-se. Todas as linhas circundantes do capot se prologam até à grelha e vice-versa. Por sua vez, a grelha acentua a grande largura do Arteon com as suas nervuras transversais. Nenhuma outra grelha é tão larga e penetrante como o do Gran Turismo: a “cara” de uma nova geração de modelos Volkswagen. As nervuras transversais superiores envolvem os faróis em LED e assumem funções como a luz de condução diurna e a posição das luzes através de finas fibras óticas em LED; os faróis da versão de topo acrescentam a função dos intermitentes. Os elementos luminosos, a grelha e o capot formam uma nova e harmoniosa unidade. O capot, que sobressai ligeiramente por cima dos faróis em LED, acentua de forma decisiva a superioridade do design da parte dianteira. No exterior, o capot forma uma espécie de “lábio” sobre os faróis e prolonga as linhas da grelha até à silhueta lateral e à traseira do Arteon.
 
A silhueta de um soberbo Gran Turismo
 
Elegante, baixo, com o estilo de um coupé. “Nós temos uma linha”, diz Klaus Bischoff, “que desliza através de todo o carro e traz o volume do Arteon ainda mais próximo do solo. Esta linha começa na grelha do radiador dianteira e percorre sobre o perfil lateral e nas luzes traseiras”. Lateralmente cria o que é conhecido como “a linha de carater.” Na parte traseira transforma-se numa linha undercut (erosiva), que reduz visualmente a altura do Arteon e eleva o vigoroso perfil lateral. Por cima desta linha encontra-se situada a prolongada fila de janelas, que se estende até aos pilares C (denominada DLO – Daylight Opening). Tal como acontece com um coupé ou um descapotável, as próprias janelas laterais apresentam um design sem moldura. O grafismo DLO dispõe de uma elegante armação cromada. O DLO e a linha de carater, que se estende desde o capot até aos faróis traseiros, conferem ao Arteon um carater elegante, baixo e com o estilo de um coupé.
 
A secção traseira segue o estilo dos desportivos clássicos
 
Forma musculada e atlética. Observando o modelo desde a parte traseira pode perceber-se claramente os chamativos “ombros” deste coupé, que formam uma espécie musculada que se estende até ao perfil lateral. A partir de uma perspetiva ligeiramente elevada gera-se um desenho da secção traseira que, com o seu traçado de linhas - uma estufa em forma de coupé (tejadilho e superfícies vidradas) – segue o exemplo dos desportivos clássicos e ainda oferece o volume de um Gran Turismo de classe executiva. Nesta perspetiva destaca-se também a largura impressionante 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

do Arteon. E um desenho inconfundível à noite é criado pelas luzes traseiras em LED (as versões Arteon Elegance e Arteon R-Line, incluem intermitentes dinâmicos). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 

Conceito interior
 
Automóvel de cinco lugares para longas distâncias e um porta bagagens com uma volumetria variável
 
Sem compromissos. O novo Arteon é um coupé de cinco lugares desenhado para realizar longas viagens com a sua grande oferta de espaço e o seu conforto. Ao contrário das berlinas clássicas, o Gran Turismo dispõe, além disso, de um porta bagagens modular. Graças à grande dimensão do portão traseiro e ao rebatimento do banco traseiro, assimétrico na proporção 1/3 e 2/3, o Arteon oferece uma capacidade de carga similar ao de um SUV.
 
Mais espaço para o condutor e passageiro. Na parte dianteira, o condutor e o passageiro desfrutam das excelentes vantagens da plataforma modular transversal (MQB). O motor montado transversalmente e o eixo dianteiro montado numa posição muito avançada proporcionam um amplo espaço. O claro e expressivo desenho, uma elevada perfeição ergonómica e numerosos e novos interfaces interativos homem-automóvel produzem uma atmosfera progressiva a bordo do novo Arteon. A grande largura interior dianteira de 1.500 mm proporciona realmente uma excelente sensação de espaço. Algo similar acontece com a altura interior dianteira, com uma cota máxima de 1.008 mm.
 
O espaço livre para as pernas nos lugares traseiros mais generoso do segmento. A Volkswagen aproveitou também o potencial da grande distância entre eixos de 2.841 mm para estabelecer uma generosa oferta de espaço na parte traseira com três lugares. Por exemplo, o espaço para as pernas com 1.016 mm é o melhor do seu segmento. Neste sentido, o Arteon compete com as berlinas de gama alta na categoria plus de cinco metros. Graças ao largo tejadilho é também notavelmente generoso o espaço livre de 940 mm ao nível da cabeça na parte traseira. Os lugares laterais foram desenhados como bancos individuais e oferecem uma excelente ergonomia. O conceito do lugar central também cumpre as exigências necessárias de um automóvel. A largura interior da parte traseira é de 1.481 mm, oferece espaço suficiente para três pessoas adultas e favorece a fácil montagem de cadeiras para crianças (os lugares laterais traseiras dispõem do sistema Isofix, de série).
 
Porta bagagens até 1.557 litros. As costas dos bancos traseiros são rebatíveis (de série) de forma assimétrica. Se o Arteon estiver equipado com estofos de couro ou Alcântara, existe ainda a 
                                                                                                                                                 
 
 
 
 
aw26 Copyaw28 Copy
possibilidade de rebater o apoio de braços do banco central, atrás do qual existe uma abertura para o porta bagagens muito útil, por exemplo, para transportar os esquis. Graças ao banco traseiro rebatível e ao generoso comprimento interior, o Arteon oferece um nível de versatilidade que ultrapassa sobremaneira o que é encontrado nas berlinas clássicas. O resultado é um porta bagagens com uma volumetria entre 563 e 1.557 litros que faz recordar mais um SUV do que um Gran Turismo exclusivo. Na configuração de cinco lugares, o porta bagagens oferece uma profundidade de 1.181 mm que, com as costas do banco rebatidas, aumenta para 2.092 mm.

 

RUI ALVES QUER VINGAR RESULTADO DE PORTIMÃO

 

RUI ALVES QUER "VINGAR" RESULTADO DE PORTIMÃO


FOX 2561_Copy

Depois dos problemas sentidos na prova anterior no autódromo de Portimão, em que Rui Alves ao volante do seu Ford Escort foi obrigado a desistir, o piloto quer “vingar” este mau resultado já este fim de semana no circuito de Vila Real.

 Segundo o piloto do Ford Escort “espero que o azar com este carro pertença ao passado, e consiga em Vila Real fazer as duas corridas isentas de problemas. Por isso espero que na sessão de treinos consiga encontra rapidamente o set up correcto, para assim poder largar das linhas da frente, que é essencial nesta pista. Uma ida ao pódio seria uma excelente compensação para toda a equipa, pelo esforço despendido em colocar o carro competitivo, pois é preciso não esquecer que este é um carro novo, e logicamente surgem sempre problemas de juventude, tanto eu como a equipa vamos dar o nosso melhor “ disse-nos.

 Rui Alves e o seu Ford Escort irão fazer as verificações técnicas e documentais no decorrer de sexta feira, com as sessões de treinos e a primeira corrida no dia de sábado.A segunda corrida irá decorrer no domingo.

 

FPAK COM NOVO PRESIDENTE

 

Sucede a Manuel Mello Breyner que não foi reconduzido

Ni Amorim eleito novo presidente

da Federação de Automobilismo

 

 

Ni Amorim foi o vencedor, na noite desta segunda-feira, das eleições para a presidência da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting (FPAK), com 47 votos, contra 44 de Manuel Mello Breyner, que ao fim de um mandato viu ser-lhe retirada a confiança por parte da maioria dos associados daquele organismo.

 

Sinto uma grande satisfação e, ao mesmo tempo, orgulho por ser eu o escolhido para liderar a FPAK, sinal inequívoco de que o rumo seguido pelo Executivo anterior estava longe de corresponder aos anseios dos associados, mas também tenho consciência da responsabilidade que a partir de agora, face às expetativas criadas, recai sobre os meus ombros. É tempo de cerrar fileiras e colocar mãos à obra, porque há muito trabalho a fazer. Serei, podem ter a certeza, um presidente da FPAK de todos os associados, incluindo daqueles que não votaram em mim hoje, e conto com a colaboração de todos”, declarou Ni Amorim, o antigo piloto que vai, a partir de agora, presidir à Federação de Automobilismo e Karting até 2020.

 

Ni Amorim será o quinto presidente da história da FPAK, que foi fundada em 1994 – sucedendo à Comissão Desportiva Nacional (CDN) como organismo federativo –, depois de César Torres, Vasconcelos Tavares, Luís Pinto de Freitas e de Manuel Mello Breyner.

 

                                                     ÓRGÃOS SOCIAIS DA FPAK – 2017/2020

 

 

Presidente                                              Fernando Amorim

 

 

DIRECÇÃO

 

Vice-presidente                    Álvaro Portela

 

Vice-presidente                    Fernando Campos Ferreira

                                     

 

Vogais                                       Camilo Figueiredo

 

                                                     Francisco Armando Reis Fidalgo

 

                                                     Francisco Mora

                                                    

                                                     João Ferreira

 

                                                     João Rito

 

                                                     Pedro Calado

 

Rúben Gabriel Macedo                                                                             

 

                                                    

                                     

 

 

 

 

ASSEMBLEIA GERAL

 

Presidente                                              Dr. Amorim Pereira

                                                    

Vice-presidente                    Drª Ana Sofia Ferreira da Costa                               

 

                                                     Dr. Paulo Norberto Meireles de Sousa 

 

                                                     Dr. Augusto Roxo

                                     

 

 

CONSELHO DE COMISSÁRIOS

 

 

Presidente                                              Claudino Romeiro                                         

 

 

Vice-presidente                    Rui Carvalho

                                     

                                                     Gonçalo Nuno Silva

                                     

                                                     António Faria                   

                                                    

Miguel Glória

                                     

 

CONSELHO DE DISCIPLINA

 

 

Presidente                                              Tiago Rodrigues Bastos

                                     

 

Vice-presidente                    João Carlos Pereira Medeiros

                                     

                                                     Carlos Carvalho

                                     

                                                     Joaquim David Silva Romeiro                                   

 

                                                     José Ricardo Branco Gonçalves               

 

 

 

 

 

 

 

TRIBUNAL DE APELAÇÃO

 

 

Presidente                                              Rui Moura                                                        

 

 

Vice-presidente                    José Manuel Leite

                                                    

                                                     Ângelo Moura

 

Tiago Cardoso da Silva                                                

                                                    

                                                     Joana Moreira Dias Frias Roxo

                                                    

 

 

CONSELHO FISCAL

 

                                                     João Monarca Pires & Associados, SROC, Ldª

                                                    

                                                     João Alberto Monarca Pires                                                     

 

                                                     Cristina Maria do Coito Roque

                                                    

 

CONSELHO GERAL

 

Álvaro Castelo Branco

Ana Isa Cabral

António Nunes da Silva

António Sequeira

Augusto Roxo

António Miguel Sequeira

Barbosa Ferreira

Carlos Barbot

Carlos Cruz

Daniel Matos

José Lopes Rodrigues

João Mira Gomes

Jorge Conde

José Guilherme Aguiar

Luís Palha da Silva

Mário Figueiredo

Paulo Barros Vale

Pedro Couceiro

Rui Faria

Rui Macedo Silva                   aw25 Copy

 

VOLKSWAGEN APOIA

 

A Volkswagen prossegue a sua associação ao Festival NOS Alive’17, a decorrer entre 6 a 8 de julho no Passeio Marítimo de Algés.

 

A Volkswagen é Viatura Oficial do evento, tal como acontece desde a primeira edição do Festival, o que lhe permitirá assegurar a mobilidade da organização e das bandas participantes, disponibilizando todas as viaturas necessárias durante o período do festivalaw24 Copy

 

147 PODIOS PARA JORGE LORENZO

 

– One of the world’s leading MotoGP riders has given everything on the race track to win three MotoGP world championship titles but today, Jorge Lorenzo has taken time to give back to the next generation as he was announced as a Laureus Ambassador at the For our Heroes sports project in Barcelona.

The 30-year-old swapped his two wheels for two boots as he joined in a fun football session with the young people from the programme, experiencing first-hand the power sport can have to unite and inspire. With the support of Laureus, For our Heroes uses sport as a means to break down barriers and provide hope to young people faced with physical and mental disabilities. The programme launched in 2008 in partnership with Fundación Alex and has since helped more than 2000 young people with handicaps across Spain.

Lorenzo first stepped onto a bike at the age of three. Aged eight, he won the Baleric Championship and his first World Championship race came at the earliest opportunity, on the Jerez circuit on his 15th birthday. As well as his three MotoGP world championship titles in 2010, 2012 and 2015, Lorenzo has been runner up on three occasions.

Lorenzo joins over 190 Laureus Ambassadors who are all passionate about the power of sport, including fellow Spanish MotoGP rider Marc Marquez and football stars Gerard Pique and Juan Mata. Laureus Sport for Good uses the power of sport to end violence, discrimination and disadvantage, proving that sport can change the world.


Quote:

Laureus Ambassador Jorge Lorenzo: “Sport has given me so much in life. From an early age, I had to be determined, focused and work with others to achieve success. At For our Heroes today, I have been reminded what that success looks like for these young people. The determination they are showing to influence their lives for the better through sport, and the smiles it brings to their faces is inspirational for me. I’m looking forward to playing my part in supporting young people with Laureus Sport for Good in the future.

 

FERNANDO XAVIER PRESENTE EM VILA REAL

 

CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS

 

CIRCUITO DE VILA REAL

 

FERNANDO XAVIER PRESENTE EM VILA REAL

 

Fernando Xavier vai alinhar este fim de semana no circuito de Vila Real,  a terceira prova do calendário do Campeonato Nacional de Clássicos, marcando presença ao volante do seu Volkswagen Scirocco.

 

A grande novidade será a estreia do novo motor, na qual o piloto do Porto começou por nos dizer “ é minha intenção fazer uma prova calma, sem me querer meter em lutas desnecessárias.Não quero sobressaltos técnicos com o carro, pois este é um novo motor, os meus objectivos  são terminar as duas corridas, estar muito concentrado para não cometer erros desnecessários, dar o meu máximo, e terminar o melhor classificado possivel.Assim espero poder tirar partido das potencialidade deste novo motor.Já vi a lista de inscritos, não falta ninguém dos habituais pilotos que participam no Campeonato, por isso prevejo que irão ser duas corridas muito disputadas, mas é bom que assim seja, pois eu por um lado tenho a garantia de que me vou divertir, e o publico possa assistir a duas boas corridas com muita emoção, e de preferencia sem acidentes , como sucedeu no ano passado, onde infelizmente estive envolvido “, disse-nos.

 

Fernando Xavier e o Volkswagen Scirocco irão estar nas documentais técnicas e documentais10.20 Copy10 20_06_Copy na sexta feira, para no sábado dar lugar  às sessões de treinos, estando previstas as duas corridas para o dia de domingo.

 

PEDRO MARQUES DENTRO DOS OBJECTIVOS

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 – VALVOLINE – JC GROUP

FOX 3567_Copy

RAMPA DE SANTA MARTA

 

PEDRO MARQUES DENTRO DOS OBJECTIVOS


Uma vez mais Pedro Marques foi ao pódio na Rampa de Santa Marta, quarta prova do calendário do Campeonato Nacional de Montanha.Logo nas duas subidas de treinos, Pedro Marques faria respectivamente os cronos de 2.19.661 e 2.23.108.

Presente com a única viatura a diesel, o Seat Leon TDI, Pedro Marques faria nas tres subidas de prova, os tempos de 2.15.886, 2.17.914 e 2.17.524.No final depois da cerimónia do pódio, Pedro Marques fez-nos o resumo desta prova, começando por nos dizer “ resultado positivo, o carro não deu problemas, consegui praticamente melhorar os meus tempos em quase todas as subidas, e consegui o 3º lugar em termos de categoria, e o primeiro na classe diesel.Um obrigado muito especial ao Mike RSM pela preparação do Seat Leon TDI, que acredito que após este teste ficará ainda melhor para a próxima prova, que será a Rampa do Caramulo.Quero agradecer a toda a organização da Rampa de Santa Marta por nos receber tão bem os pilotos, sem duvida alguma um exemplo que deveria ser seguido por outras organizações de provas que fazem parte do calendário do Campeonato Nacional de Montanha “.


CLASSIFICAÇÃO FINAL CATEGORIA 3


1º Pedro Coelho Saraiva – Mitsubishi Lancer Evo IX

2º João Guimarães – Peugeot 206 CC

3º PEDRO MARQUES – SEAT LEON TDI

 

PARENTE EM LE MANS

 

Álvaro Parente alcança linha de meta de Le Mans

Álvaro Parente protagonizou uma prestação notável nas 24 Horas de Le Mans, deste ano, tendo visto a bandeirada de xadrez pela primeira vez na sua carreira na clássica francesa e assumindo-se como um dos pilotos mais rápidos da sua classe.

O português regressou este ano à prova de La Sarthe, depois de se ter estreado em 2014, inscrito na classe GTE Am ao volante de um 488 GTE da Clearwater que dividiu com Richard Wee e Hiroki Katoh.

Álvaro Parente estava consciente do desafio que tinha pela frente num circuito que pune os pilotos e carros com as suas armadilhas e, a partir das boxes, acabou por ver o seu carro atrasar-se definitivamente na corrida, muito embora não tenha tido qualquer problema mecânico.

Apesar de consciente de que dificilmente poderia chegar a uma boa classificação quando entrou no carro pela primeira vez, o português não baixou os braços e adoptou um ritmo alucinante sempre que foi para a pista, rodando consistentemente entre os mais rápidos, sendo muitas das vezes o mais rápido da sua classe. “O nosso objectivo era chegar ao fim, o que foi alcançado. Mas quando entramos no carro, queremos sempre dar o máximo e foi isso que fiz. Rodei no máximo das capacidades do nosso automóvel sempre com o intuito de chegarmos ao fim. Recuperámos lugares, evidenciámos um bom ritmo e isso foi muito importante”, afirmou o piloto que concluiu a corrida no décimo primeiro posto da classe GTE Am, quadragésimo primeiro da geral.

Álvaro Parente efectua um balanço positivo da sua segunda passagem pela clássica francesa, destacando a experiência que foi ver a bandeirada de xadrez em La Sarthe. “Tinha umas contas a ajustar com Le Mans, depois de ter abandonado em 2014. Conseguimos terminar e isso era o mais importante. Ganhei muita experiência que será muito importante para o futuro. Le Mans é uma corrida única, penso que toda o evento foi muito positivo para nós. Estou muito satisfeito e agora espero regressar ainda mais rapidamente”, sublinhou o piloto português.

O portuense regressa agora ao seu programa regular, tendo no próximo fim-de-semana mais uma etapa, desta feita em Road America, do Pirelli World Challenge, onde continua a defender o seu título de 2016.aw23 Copy

 

PORSCHE VENCEU EM LE MANS

 

Final da corrida das 24 horas de Le Mans a contar para o Campeonato do Mundo de Resistência
19ª vitória absoluta para a Porsche em Le Mans numa fase final dramática 
 
Às 18h30m de sábado, o Porsche 919 Hybrid de Earl Bamber (NZ), Timo Bernhard (DE) e Brendon Hartley (NZ) parecia dizer “Adeus” às 24 horas de Le Mans. Sem tração no eixo dianteiro, esteve em reparação durante uma hora e cinco minutos, retomando a corrida com 18 voltas de atraso para o líder. Mas a 85ª edição da clássica prova de endurance em Le Mans, gerou um guião com alterações dramáticas e possibilitou o impossível tornar-se realidade: após um enorme esforço, o trio desbravou terreno desde a 56ª posição até à vitória à geral. Para o recorde da Porsche em Le Mans, esta é a 19ª vitória na mais dura competição do mundo e a terceira vitória consecutiva.
  Para Earl Bamber é a segunda vitória à geral em Le Mans ao volante do Porsche 919 Hybrid depois de 2015. Timo Bernhard também regista a sua segunda vitória à geral em Le Mans. Depois de o ter conseguido em 2010 quando foi “emprestado” à Audi, Timo Bernhard sonhava repetir o feito com a Porsche. Brendon Hartley era, sem dúvida, o mais faminto dos seis pilotos de fábrica da Porsche LMP por este título, uma vez que o seu nome ainda não estava gravado neste importante troféu.
 
Como correu a fase final para o carro número 2:
 
Quando o carro número 1 parou na pista, pouco passava das 11h da manhã, depois de liderar a corrida por mais de 10 horas, chegava o momento dos caçadores. Hartley continuava a forçar o andamento num turno duplo. Na volta número 312, entra nas boxes para o seu último reabastecimento e à 325ª volta entrega o carro a Bernhard na quarta posição. Às 12h50m, o 919 Hybrid entra na mesma volta do líder da corrida – estávamos na volta 330. Depois de todos os LMP1 híbridos de fábrica terem abandonado ou estarem extremamente atrasados, um LMP2 liderava a prova. Após 338 voltas, Bernhard entra nas boxes para reabastecimento e na volta 347 assalta a liderança da corrida. O seu penúltimo reabastecimento dá-se na volta 351 antes de efetuar uma paragem rápida na volta 360. Após 367 voltas, Bernhard vê a bandeira de xadrez e cumpre-se mais um sonho. 
 

 
 
Declarações após a corrida:
 
Michael Steiner, membro do Conselho de Direção da Porsche AG como responsável de Investigação e Desenvolvimento: “A terceira vitória consecutiva em Le Mans é um sonho tornado realidade para a Porsche e a forma como se conseguiu este feito é muito especial. Estou orgulhoso de toda a equipa Porsche, que se conseguiu superar, apesar da longa paragem que tivémos de forma a reparar a avaria. Este êxito também é alcançado graças ao excelente rendimento dos nossos motores elétricos e à inovadora tecnologia híbrida”.
   Fritz Enzinger, Vice-Presidente do Projeto LMP1: “Um dos nossos ambiciosos objetivos para a temporada de 2017 era alcançar a terceira vitória consecutiva em Le Mans. Mas o que tivémos que passar ao longo das últimas 24 horas não imaginava nem no pior dos meus pesadelos. Esta prova de 24 horas levou tudo e todos ao limite. É incrível o que se pode conseguir com o esforço de uma equipa. Algumas vezes não é o carro mais rápido, mas o melhor rendimento como equipa que marca a diferença. Esta equipa é a melhor de todas e tornou possível o êxito de hoje. A reação de todas as partes está a ser avassaladora, desde os empregados da Porsche a todas as pessoas do mundo. Pessoalmente só posso agradecer à Porsche por me colocar nesta posição para dirigir um programa tão extraordinário como este, e a cada um dos membros da equipa pelo apoio total e pelo grande espírito de grupo”.
   Andreas Seidl, Diretor da Equipa: “É difícil encontrar palavras para o que se sucedeu aqui hoje. Os pilotos e toda a equipa fizeram um trabalho impressionante. Deixámos para trás duas semanas duras de trabalho que nos proporcionaram altos e baixos, mas lutámos com o espírito típico da Porsche. Vai levar algum tempo até assimilarmos aquilo que alcançámos aqui hoje. Agora ganhámos em Le Mans por três vezes consecutivas, o que é algo sensacional. A equipa trabalhou de forma impecável para isso durante os últimos doze meses. A Toyota é um concorrente muito forte. Levaram-nos, mais uma vez, ao limite e ainda mais além e ambos pagámos o preço disso. É uma pena que Neel Jani, André Lotterer e Nick Tandy tenham desistido porque já estavam a controlar a vantagem há muito tempo. Mas Earl Bamber, Brendon Hartley e, especialmente Timo Bernhard, mereciam a vitória. Timo foi o piloto de desenvolvimento desde o início do programa. Depois dessa longa reparação, os três conseguiram recuperar a desvantagem que tinham e, no final, obtiveram a recompensa”.
 
 
Pilotos do Porsche 919 Hybrid número 2:
  Earl Bamber (26 anos, Nova Zelândia): “Não consigo acreditar como conseguimos alcançar isto depois de termos estado no fim do pelotão devido à paragem de uma hora nas boxes. Tanto Brendon 
aw19 Copyaw20 Copy
 
 
como Timo fizeram parte do programa Porsche LMP desde o início e este triunfo devemo-lo à nossa equipa das boxes. Sem o seu trabalho árduo não teríamos conseguido regressar à pista, pelo que esta vitória é para eles”.
  Timo Bernhard (36 anos, Alemanha):  “Parece surreal. Quando me juntei à Porsche como piloto júnior, em 1999, fui alimentando cuidadosamente o sonho de que, quem sabe, um dia teria a oportunidade de lutar pela vitória absoluta em Le Mans. Esperava ser bom o suficiente para a alcançar um dia. Agora, 18 anos depois, conseguimo-lo juntos. A última volta foi muito emocionante para mim. Vai demorar algum tempo a assimilar o que aconteceu”. 
 
Brendon Hartley (27 anos, Nova Zelândia): "Le Mans é uma prova de loucos. Os mecânicos trabalharam duro no sábado à tarde para termos o carro reparado num tempo recorde e desde esse momento, Timo, Earl e eu, juntamente com os nossos engenheiros, forçámos muito o andamento, sempre a 100%, e esperávamos desesperadamente que os nossos esforços nos trouxessem alguma recompensa”. 
 
 
Todas as pontuações em: http://www.fiawec.com/en/season/result/4116
Todos os resultados em: http://fiawec.alkamelsystems.com 

 

DIOGO LUIS TERMINA EM 5º NO ESTORIL

Diogo Luís termina na 5ª posição sob o calor intenso do Estoril

As altas temperaturas que se fizeram sentir novamente no segundo dia da segunda ronda do Campeonato Nacional de Velocidade no Circuito do Estoril, criaram dificuldades acrescidas para os pilotos e equipas. O primeiro dia foi marcado por  diversas quedas nas diversas categorias que confirmaram a lesão na perna direita do pupilo de Miguel Oliveira, Tomás Alonso.

A equipa Miguel Oliveira Fan Club Racing Team voltou hoje à pista para disputar a segunda manga desta ronda com o Piloto Diogo Luís terminando assim num honroso 5º posto da classificação geral. O piloto do Seixal sofreu ontem uma queda durante a primeira volta e regressou hoje aos comandos da sua pré Moto3 determinado a colocar em prática o que tem aprendido. O jovem de 12 anos partiu do 10º lugar da grelha e recuperou até à 5ª posição.
Este  resultado é reflexo da sua aprendizagem naquela que é apenas a sua segunda competição nesta categoria, demonstrando todo o empenho e trabalho do piloto e de toda a equipa. 

Diogo Luís:
"Sinto-me muito satisfeito em relação aos resultados, fiquei em 5º lugar porque trabalhei para tal, e lutei por mim, pela equipa e pelo Tomás que está em recuperação. Foi uma corrida cansativa, com muito calor em pista mas estou muito satisfeito com o resultado.”

Miguel Oliveira:
“A corrida foi bastante interessante pela parte do Diogo, acho que ele mostrou que merece estar aqui, mostrou maturidade na forma como geriu a sua prestação, foi uma corria com muito calor, nada fácil, esteve sempre toda a corrida muito pressionado pelo 6º classificado, nunca teve uma falha, nunca saiu de pista, andou sempre muito constante e agora vamos trabalhar muito mais para próxima ronda do campeonato”

Paulo Oliveira, diretor de equipa:
“Foi um fim‑de‑semana que não correu da forma que esperávamos devido aos problemas técnicos que tivemos e pela lesão do Tomás. Sem duvida o Tomás é o nosso ponta de lança para lutar pelo titulo do Campeonato Nacional, e tendo esta lesão uma recuperação demorada vamos ter que repensar os objetivos para ele. Já o Diogo teve hoje uma prestação incrível na corrida, sobretudo depois de ter sofrido a queda na primeira manga de ontem. Penso que estamos no bom caminho na formação dos nossos pilotos, portanto o resultado é bastante positivo."

No próximo dia 28 de junho Diogo Luís e os restantes Pilotos da Escola de Motociclismo Oliveira Cup vão estar presentes no Kartódromo de Évora para mais um treino de preparação desta competição que tem a prova agendada para dia 9 de julho neste mesmo circuito. 
 aw18 Copy

 

TCR - HUNGRIA - HONDA COM DOBRADINHA

 

Double win for JAS Hondas in Hungary


JAS Motorsport Hondas swept all before them in the TCR International Seriesas Attila Tassi claimed a dominant double win at his home event at the Hungaroring to take the championship lead.

Driving for the M1RA team, the 18-year-old Hungarian blasted into the lead at the start of Race One and took his maiden series victory ahead of team owner Norbert Michelisz, who had qualified on pole for his TCR International debut.

From eighth on the partially-reversed Race Two grid, Tassi moved up to third in an instant and soon took the lead from the Reno Racing Civic of Jens Moller.

His double win was the fifth in 12 races by the JAS Honda Civic Type R TCR, which leads the Model of the Year standings.

M1RA heads the Teams’ Championship while Tassi and team-mate Roberto Colciago – fourth and fifth in Hungary – hold the top two spots in the drivers’ points race.

Moller claimed his first TCR International podium by finishing third in Race Two while Michelisz was sixth.

Honda maintained the top spot in the TCR Italy Drivers' and Constructors’ Championships as Eric Scalvini secured a strong second place in Race Two at Monza.

The previous day the MM Motorsport driver was dealt an extremely harsh drive-through penalty for a first-corner incident, dropping him from second to 12th, but a superb fightback – which included him setting the fastest lap – brought him up to fifth by the finish.

Team-mate Gian Maria Gabbiani was 12th in Race One; co-driver Andrea Mosca taking over and finishing ninth in Race Two. Luigi Bamonte was a season’s-best 12th in Race Two.

There was success too in the Scandinavian Touring Car Championship, which moved onto Round Three of its season at Solvalla, Sweden as Mattias Andersson took the first Honda podium of the season.

The Honda Racing Sweden driver had qualified a season’s-best fifth and finished third in the opening race to leave the circuit eighth in the Drivers’ Championship.

Rent-a-Wreck Racing’s Marcus Annervi was a career-best eighth in qualifying, but was involved in several Race One incidents that caused damage to his Civic that left it unraceable for the rest of the weekend.

Mads Fischer, JAS Motorsprt TCR project Leader, said: “When you consider the situation at M1RA on Friday afternoon just over one week ago, with a badly damaged car, you could never think that they’d win in Austria and now have a double victory in Hungary. That they have is down to fantastic teamwork from JAS and M1RA and some very good drivers, including Attila Tassi, who looks a real talent at just 18. It’s wonderful to see Jens Moller score his first TCR International podium and a testament to his ‘never say die’ attitude after his qualifying crash – and all after Balance of Performance changes earlier in the week to slow down the Civic too. I have to also congratulate MM Motorsport and Eric Scalvini, who showed fantastic fighting spirit to battle back from an extremely harsh penalty and then score a podium finish to keep their TCR Italy lead, and to Mattias Andersson and Honda Racing Sweden for a first podium of the STCC season. The Civic is becoming more and more competitive in that series and will have more good results as the season continues.”

Notes to editors:

Photo information
MAIN: Attila Tassi leads team-mate Norbert Michelisz in their M1RA Honda Civic Type R TCRs, TCR International, Hungaroring, Hungary.
BOTTOM (upper - L): Jens Moller, Reno Racing Honda Civic Type R TCR, TCR International, Hungaroring, Hungary; (R): (from L-R) David Bari (M1RA Team Manager), Pepe Oriola, Norbert Michelisz (M1RA owner/driver), Attila Tassi (M1RA driver), Jens Moller (Reno driver) on the TCR International Hungaroring podium; (lower - L): Eric Scalvini, MM Motorsport Honda Civic Type R TCR, TCR Italy, Monza; (R): Mattias Andersson, Honda Racing Sweden Honda Civic Type R TCR, STCC, Solvalla, Sweden.

About JAS Motorsport
Founded in 1995, JAS Motorsport is one of the world's leading touring car teams and constructors. Initially fielding Alfa Romeos in the ITC, JAS became a technical partner of Honda in 1998 and has been at the forefront of its activities with touring cars and rallying ever since. In 2012, JAS was chosen to develop, in partnership with Honda R&D, the Civic WTCC, which it currently fields in the FIA World Touring Car Championship. Since then, the organisation has designed and built Honda's hugely-successful Civic Type R TCR, which won four major championships in 2016 and '17.

alt
alt
alt
alt

 

TCR - HYUNDAI I 30

 

Hyundai i30 N TCR set for extended test running at 24H Misano
 
  • Hyundai Motorsport’s TCR car – bearing its official name Hyundai i30 N TCR for the first time – will make its public debut at the 24H Misano next month
  • The team will use the event to develop the car in changing conditions that are not easily replicated in more traditional test settings
  • Together with completing long runs the test will concentrate on validating some of the endurance racing aspects of the design, including the lighting and the fuel filling system.


 
- The first Hyundai Motorsport built project designed for circuit racing will make a first public appearance next month. The team, together with development partners BRC, will continue the testing of the TCR project, running at the Touring Car Endurance Series’ 24H Misano in Italy on July 7-9.
 
The entry will also carry the project’s official name for the first time over the weekend. Newly christened the Hyundai i30 N TCR, the racecar complements the forthcoming high-performance N range from Hyundai, and will further show the high-performance engineering capabilities of the brand. Like its road car counterpart the i30 N TCR will complete extensive testing in order to provide the best possible package to customers when deliveries begin in early December.
 
The Hyundai i30 N is the first road-going model from the N family. Set for launch in the second half of 2017, the car brings together Hyundai Motorsport’s experience and the company’s fast-growing expertise in high-performance engineering to deliver maximum fun on the road and on the track.
 
Having successfully completed initial tests in Spain and Italy the TCR car will travel to Misano on the invitation of both the race organisers Creventic and series sponsor Hankook. Hyundai Motorsport will take advantage of the opportunity to run in conditions that are not easily replicated in normal testing conditions.
 
Taking advantage of new testing opportunities
 
The team will look to complete long runs that will begin to simulate the tyre and brake wear that future customers would experience in the range of long-distance events where TCR cars are eligible to compete. The race will also be an opportunity to assess the endurance fuel filling system to make sure that it performs as expected in a racing pitstop. Running during the night will also give the team a chance to assess different lighting options that will be eventually be offered to customers, as well as testing how the car’s systems react to the cooler night time temperatures, and the constantly changing track conditions as the race continues.
 
Not yet homologated the car will not be part of the specific TCR class at the event, but will instead be grouped with GT4 machinery in the race. However, while the Hyundai i30 N TCR will be running during the competitive session throughout the weekend the team’s aim is not oriented on results. Instead, the key target will be to see how the car behaves in the different conditions. To achieve this the team will not run continuously throughout the race, but instead split the event into segments allowing time to alter the chassis set-up to gain further information from the weekend.
 
While, for the car itself the long runs made possible by entering the event will be a new step in the development process, the engine has already undergone extensive endurance testing. The two-litre turbocharged motor has already completed a pair of trouble-free 40+ hour dyno sessions at Hyundai’s global R&D Centre in Namyang, Korea earlier this year.  
 
Hyundai Motorsport Customer Racing manager Andrea Adamo said: “Entering the Hyundai i30 N TCR at the 24H Misano is a unique opportunity for us during the development phase of the project. Obviously the running we have already completed, and that which we plan for the coming months, is very important, however, this event will give us the chance to test in conditions that are impossible to replicate away from a competitive event. Though we will not run continuously through the entire event we will manage our time on track, splitting the race in several sections where we can focus on long runs and the endurance racing aspects of the our design. With time on track at night, as well during daylight will also mean that we can see how the car’s behavior shifts depending on atmospheric and track conditions that will be constantly changing.”
 
Hyundai i30 N TCR
About the Hyundai Motorsport TCR project
Announced in February 2017 the TCR project marks Hyundai Motorsport’s first steps into circuit racing following three full seasons in the World Rally Championship (WRC). Built and developed by the Customer Racing department at the team’s headquarters in Alzenau, Germany the touring car racer will be based on the road-going New Generation i30 model. Design work for the project began in September 2016, taking advantage of the TCR regulations which, since their introduction in 2015, have been adopted by more than a dozen national and international championships. Testing of the first completed chassis began in April 2017, with the first car planned to be delivered to customer teams in early December 2017.

Further information about Hyundai Motorsport is available at: http://motorsport.hyundai.com
 

About Hyundai Motor
Established in 1967, Hyundai Motor Company is committed to becoming a lifetime partner in automobiles and beyond. The company, which leads the Hyundai Motor Group, an innovative business structure capable of circulating resources from molten iron to finished cars, offers top-quality best-sellers such as Elantra, Sonata and Genesis. Hyundai Motor has eight manufacturing bases and seven design & technical centers worldwide and in 2015, sold 4.96 million vehicles globally. With more than 100,000 employees worldwide, Hyundai Motor continues to enhance its product line-up with localized models and strives to strengthen its leadership in clean technology, starting with the world’s first mass-produced hydrogen-powered vehicle, ix35 Fuel Cell.
 

 

HUGO ARAUJO EM SPA

Hugo Araújo preparado para a Visita a SPA com o R300
 
O Super Seven by KIA 2017 reúne-se este fim de semana no mítico circuito de SPA FRANCORCHAMPS antes de iniciar a sua primeira prova em território nacional.
 
Hugo Araújo mostra-se preparado para o enorme desafio e tem como objectivo lutar pelas vitórias quer entre os portugueses, quer à geral.   Afastado das competições desde a primeira prova em Silverstone, o piloto apoiado pelo Grupo COPEFI, TUDOR, GVB, SEEGNO, TRAMA, RVP, S&B Motors, OPT, Autódromo Virtual de Braga, Playdriver e TheRacingMindCoach e assistido pela CRM Motorsport tem efectuado treinos em simulador para se preparar:
 
“Tenho feito treinos regulares no simulador tendo em conta esta paragem de cerca de 2 meses e meio. O meu patrocinador, Autódromo Virtual de Braga, estreou um novo simulador com movimento e óculos de realidade de virtual, e o facto é que sinto que tenho verdadeiramente estado em pista em treinar. Espero conseguir corresponder a este sentimento logo nos treinos cronometrados”.  
 
Em 2016 o actual campeão em título não conseguiu traduzir em resultados o excelente andamento que evidenciou. Com problemas mecânicos a afetar a equipa nos treinos cronometrados, Hugo Araújo teve de partir de último e realizar uma extraordinária recuperação.
 
“O ano passado tivemos um pouco de falta de sorte. A CRM e toda a sua estrutura trabalha incansavelmente para ter os carros a 100% e não merece quando a mecânica por vezes não colabora. No entanto as corridas são mesmo assim, saímos tristes, mas de cabeça erguida pois sabíamos que tínhamos ritmo para andar na frente da corrida. Agora com o R300 vamos tentar mostrar isso mesmo. Será obviamente um desafio ainda mais complicado, a concorrência é fortíssima mas vamos para lutar como sempre.”
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Hugo Araújo volta a partilhar os comandos do #99 com o experiente e também campeão do Super Seven by KIA, Nuno Santos.
 
Por motivos profissionais Hugo Araújo estará em SPA apenas para realizar os treinos cronometrados e não poderá participar na sessão de treinos extra que decorrerá na quinta-feira dia 22.
 
“Talvez existam equipas com mais kms em SPA do que a nossa mas o nosso espirito combativo certamente irá colmatar essa lacuna “- afirma o piloto.
 
A dupla do Caterham R300 com o número 99 estará em prova de 23 a 25 de Junho podendo a mesma ser acompanhada com o live timing disponível pela organização:
 
 
LIVE TIMING OFICIAL - http://ris-timing.be/circuit/summer/2017/live.htm
 
 
Super 7 by Kia – Spa Francorchamps
 
23 de Junho, Sexta-feira 11h25 – 11h55 – Qualificação
 
24 de Junho, Sábado 16h55 – 17h25 – Corrida 1
 
25 de Junho, Domingo 13h05 – 13h35 – Corrida 2aw17 Copy

 

MIGUEL RAMOS NOS 1OOO KM DE PAUL RICARD

Miguel Ramos nos 1000KM de Paul Ricard.

 

A sensivelmente 40 dias das 24h de SPA, a ronda de Paul Ricard revela-se de grande importância para as equipas e pilotos efetuarem os últimos testes para essa prova Rainha do melhor plantel de GT’s do Mundo.

aw16 Copy

Miguel Ramos estará ao volante do Lamborghini #78 da Barwell Motorsport na pista situada no Sul de França para a qual se aguardam elevadas temperaturas no próximo fim de semana. Paul Ricard é uma pista onde Ramos se sente muito à vontade e muito apreciada pelo próprio “Gosto muito de Paul Ricard e tenho sido muito feliz nesta pista nas ultimas visitas do International GT Open, onde venci no ano passado e este ano há duas semanas. Esta prova de 6 horas é obviamente muito diferente, há muita estratégia de equipa, acrescida ao pormenor de ser uma corrida noturna, faz com que seja uma corrida de desfecho completamente imprevisível. A Barwell Motorsport tem feito um bom trabalho, colocando-nos à disposição um Lamborghini muito eficaz e os meus dois colegas de equipa têm dado muito bem conta do recado, pelo que estou confiante numa boa corrida no próximo sábado”, comentou Miguel Ramos na antevisão da prova que tem a particularidade de se disputar entre as 18:00 e as 24:00 deste sábado dia 24 de junho.

Programa previsto:

Sexta-feira, 23 de junho

13:30 – 15:00 Blancpain GT Series Free Practice

15:10 – 16:10 Lamborghini Super Free Practice

16:25 – 17:55 Blancpain GT Series Pre-Qualifying (LIVE TV)

 

Sábado, 24 de junho

09:00 – 09:50 Lamborghini Super Trofeo Qualifying

10:00 – 11:00 Blancpain GT Series Qualifying (LIVE TV)

14:30 – 15:20 Lamborghini Super Trofeo Race 1

18:00 – 00:00 Blancpain GT Series 1000km Race (LIVE TV)

A Blancpain GT Series pode ser seguida ao vivo no YouTube  ou através da APP Oficial para IOS e/ou Android, disponível na App Store ou Google Play.

Calendário 2017

  1. o Monza
  2. o
  3. o Silverstone
  4. o Circuit Paul Ricard 1000kmsPaul Ricard (França) 23 - 24 Junho

Total 24 Hours of Spa Total 24 Hours of Spa (Bélgica) 27 - 30 Julho

  1. o

 

24 HORAS LE MANS 2017

  • Historical win for the ORECA 07 in LM P2 and 2nd overall on its first entry in the 24 Hours of Le Mans
  • One-Two-Three-Four win for ORECA chassis in LM P2
  • 3rd win back to back of an ORECA chassis in LM P2 at the 24 Hours of Le Mans
  • 11 of the 14 ORECA chassis completed the race
  • Best LM P2 lap time for the #38 ORECA 07 – 3’28.632
  • Forty years after its very first entry in the 24 Hours of Le Mans, ORECA has managed to achieve remarkable outcomes, while also triumphing with one of its cars for the third consecutive year. Amongst those outcomes: to have a new prototype win on its first entry and to monopolise the three steps of the podium. Even better: to have led such a ruthless challenge, for both men and machines. A winning trio achieved by Chinese team Jackie Chan DC Racing first and its Swiss rival Vaillante Rebellion just behind.

    altFollowing on KCMG’s success back in 2015 with the ORECA 05 and Team Signatech’s last year with the Alpine A460, ORECA has more than ever shone in the most famous and prestigious endurance race in the world this year.

    With a delegation comprising fourteen cars on the starting grid, the best lap time in the Test Day, then the pole position achieved on Thursday eve, the French manufacturer proved that it had what it takes for this 85th edition of the 24 Hours of Le Mans. Yet figures and performances over one lap are sometimes very little facts compared to the reality of how demanding this long and complex race is.

    At no point during the race, and under a scorching weather, did the chassis manufactured in Signes’s workshops fail. Some race incidents led to several withdrawals, but what’s to keep in mind is that eleven of the fourteen chassis crossed the finish line. A great performance for a very first entry in this great classic!

    But the greatest of all performances is obviously the final result, with a whole group of ORECA chassis in the lead of the LM P2 standings, at the end of the race. After a Homeric fight between Vaillante Rebellion’s two ORECA 07s and Team Signatech Alpine Matmut’s Alpine A470, Jackie Chan DC Racing – co-owned by famous actor Jackie Chan – finally got the last word, in style. The Chinese team delivered an almost entirely flawless race – with the supervision of British team Jota Sport, based in Tunbridge Wells – taking control of the class at the end of the night. During three hour, crew Jarvis-Laurent-Tung even saw itself sealing a first place overall. Heads in the clouds: probably a nod made to the ‘ming’ clouds on the bodyworks of the #37 and #38 ORECA 07s.

    altFor its 10th year participating in the 24 Hours of Le Mans, the Rebellion brand through squad Vaillante Rebellion was also on it to clinch the laurels at the end of the challenge, up until half-way through the race at least. Having raced in the first two positions since the start, both of the Swiss team’s cars had a difficult morning. Senna/Prost/Canal’s #31 lost all chances to win after a contact overnight. Though the ORECA 07s racing under the colours of Michel Vaillant finally had to give way to Jackie Chan DC Racing’s “leaders” (1st and 3rd), the Swiss squad can still celebrate a second place in LM P2 with the #13 ORECA.

    Defending the title, Team Signatech Alpine Matmut arrived in 5th place overall with the #35 and crew Panciatici-Negrao-Ragues, completing the ORECA chassis winning quartet in this challenge. A whole group of ORECA chassis finished in the Top 10, amongst which Graff Racing completed, a real success as they were returning to the 24 Hours of Le Mans 24 years after their last entry. They clinched the 6th place in class, just in front of CEFS Manor TRS Racing’s #24 ORECA 07. For its first entry in La Sarthe, DragonSpeed crossed the finish line within the top fifteen places, despite a technical stop this morning.

    Having manufactured LMP prototypes for ten years, ORECA achieved a historical result today, by clinching a one-two-three-four win in the LM P2 class, as well as the 2nd and 3rd places overall. Alongside this accomplishment, thanks to the ORECA 07, on its very first entry in the 24 Hours of Le Mans, teams were also very proud to have raced against the factory teams of the LM P1 class.

    Hugues de Chaunac – ORECA’s CEO

    “I’m thrilled. This outcome achieved by our chassis is simply exceptional. Everybody knows how much endurance and particularly the 24 Hours of Le Mans mean to us. Emotionally, it’s a very special race for me because I’m really attached to it. What our cars have achieved in this challenge is a fantastic reward for all the work that tour teams have done throughout the last years, and particularly since last year with our new car. Already it was such a joy to see fourteen of our cars on the starting grid. No other manufacturer had ever achieved such a performance. But now, to imagine that an ORECA, all the more on the year of its first entry, would be leading the race in front of the LM P1 cars, just about one hour away from crossing the finish line and winning, a one-two-three win, that’s even better, totally magical. I’m immensely proud of ORECA as a company, this pays tribute to all of the experience we have acquired throughout the years. I want to dedicate this historical win to all of those who have worked on this project as well as all our collaborators. They’ve crafted this victory. ORECA’s history is full of beautiful chapters such as this one and we’re planning on keeping it going. Motorsport is ORECA’s passion and it doesn’t weaken. This kind of achievement actually makes our passion even stronger.”

     

    TOM TOM ANUNCIA

     

    TomTom anuncia atualizações semanais de mapas para clientes empresariais

     

    As atualizações semanais de base de dados de mapas globais da TomTom (TOM2), MultiNet-R(*), estão agora disponíveis para clientes empresariais, tornando-se quatro vezes mais rápidas do que nunca.

     

    Conseguir disponibilizar atualizações semanais de mapas aos clientes é uma meta muito importante e um resultado direto da nossa plataforma única de mapeamento transacional”, afirma Alain de Taeye, Membro do Conselho de Administração da TomTom. “Ao disponibilizar atualizações semanalmente, a TomTom está a permitir aos clientes aumentar a qualidade das suas aplicações através de dados mais atualizados. É também um passo importante para a marca demonstrar a qualidade tecnológica necessária para apoiar utilizações futuras, em particular a condução autónoma”, acrescenta.

     

    Com atualizações semanais de mapas, a TomTom continua a liderar esta indústria, através de informações constantemente atualizadas. A norma da indústria para mapas globais no setor automóvel é o lançamento trimestral de mapas. A TomTom ultrapassou esta norma em 2016, quando apresentou atualizações mensais, e deu agora mais um passo em frente ao ceder atualizações semanalmente. Ao disponibilizar um novo mapa a cada 7 dias, a TomTom está a permitir aos clientes ter acesso a atualizações quatro vezes mais rápido que nunca.

     

     

    (*) MultiNet-R é um formato de intercâmbio relacional da TomTom, que disponibiliza mapas fáceis de compilar.aw15 Copy

     

    EURASIA

    A drama packed Zhuhai Formula Masters event
     

    A wet event at the Chinese circuit saw plenty of action in Zhuhai at the weekend. Kurt Hill came away with two podium finishes, Danial Frost starred but failed to add much to his points score, Liu Zexuan scored maximum points in the Masters Class in race one  and Angie King achieved two Masters Class podiums.
    Qualifying for race one saw Danial Frost third, Kurt Hill 10th after a power box failure on his second lap, Liu Zexuan 11th, pole for the Masters Class, and Angie King 13th.

    Danial Frost was soon up to second on the wet and slippery track and was challenging for the lead when he spun out on the last lap and failed to finish. He had once again demonstrated he possesses the speed to win, that elusive first race win slipping through his hands again. Kurt Hill drove a great race to finish 6th after starting back in tenth whilst Liu Zexuan was second on the Masters Class podium. Angie King failed to finish, spinning out in the tricky conditions.

    Race two was again held in wet and slippery conditions and saw Danial battling for the lead with Daniel Lu. It all ended in tears when they tangled at turn one, Lu retiring whilst Danial recovered to salvage sixth place. Kurt Hill scored his first podium with a great drive after starting seventh on the grid. Angie King was really happy to finish second In the Masters Class whilst Liu Zexuan was fourth in class after a quick pit stop for repairs.

    The final race of the event started with a wet track but with no more rain looking likely, Danial Frost decided to start from pole on slicks. It all went wrong when he spun into the gravel on the formation lap, ending his race before it started. The eventual race winner was also on slicks and started last on the grid, demonstrating Frost had made the correct tyre choice. Kurt Hill made his now customary charge through the field, finishing a fine third from sixth on the grid. Liu Zexuan won the Masters Class with Angie King third in class.

    “We are very happy for Kurt who scored two podium finishes and I am sure they will be the first of many,” Team Manager Edgen Dy-Liacco stated. “Liu Zexuan was very competitive in the Masters Class and Angie King achieved more than could be expected, it being his first event at this level. Danial once again proved he has the speed to win and I am sure once he has taken his first race win the floodgates will open and he will become a regular winner. We now look forward to the next event, also at Zhuhai on July 30th."

    alt
    alt

     

    RETROMOVIL - MADRID - ESPANHA

    A RETROMÓVIL MADRID VOLTA AO IFEMA, PELA MãO  DE EVENTOS DEL MOTOR
    A feira decana da capital de Espanha no sector do automóvel e da motocicleta de colecção, com 14 ediçoes no seu activo, regressa nos finais deste ano 2017. 


    O certame vai ter lugar de 15 a 17 de Dezembro no pavilhão nº 12 do IFEMA e chega carregado de novidades que farão deste espaço uma feira idónea, tanto para os expositores como para os aficionados.
     

    CARLOS FAVA NO PÓDIO EM SANTA MARTA

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 – VALVOLINE – JC GROUP

     

    RAMPA SANTA MARTA

     

    CARLOS FAVA NO PÓDIO EM SANTA MARTA

     

    Desta feita o  Volkswagen 1303 de Carlos Fava teve melhor desempenho, isso graças aos pneus novos que o piloto da Covilhã estreou em Santa Marta.

     

    Fruto disso, os tempos das duas subidas de treinos foram respectivamente 2.41.806 e 2.34.065.Por sua vez nas tres subidas de prova, Carlos Fava alcançou as marcas de  2.32.130, 2.27.992 e 2.29.463.

     

    Satisfeito com o seu desempenho, Carlos Fava disse-nos no final depois de descer do pódio “ balanço muito positivo, correu muito bem.Houve apenas um pequeno problema técnico antes da primeira subida de prova, mas foi rapidamente solucionado, e a partir dai o comportamento do carro em prova melhorou muitFOX 3466_Copyo, e com isso os tempos, com excepção da ultima subida, em que grande calor que se fazia sentir,e o carro escorregava um pouco, mais nada”.

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL

     

    1º Carlos Oliveira – BMW 323

    2º RicardoLOureiro – Ford Escort

    3º CARLOS FAVA – VOLKSWAGEN 1303

     

    24 HORAS LE MANS 2017

    Strategy and experience nets strong Le Mans finish for Eurasia Motorsport
     

    While many around them fell by the wayside, Eurasia Motorsport secured a strong finish Sunday (18 June, 2017) in what is one of the toughest challenges in motorsport, the Le Mans 24 Hour race.
    Fielding the #33 Ligier JS P217 with Erik Maris, Jacques and Pierre Nicolet, the Asian-based team enjoyed a smooth build-up to the big event with trouble-free running in practice and were able to put in plenty of laps to acclimatise to the hot conditions and to enable all three French drivers to adapt to the demands of the event.
     
    Qualifying saw the only major incident of the week for the team after Maris suffered a heavy crash at the first chicane. The Ligier sustained extensive damage and was unable to further part in qualifying.
     
    The crew worked long hours and rebuilt the car to ensure that at 3pm on Saturday, they were able to take to the start of the race and significantly, enable all three drivers to compete and run competitively in the biggest race of the year.
     
    “It was quite an off and there was a lot of damage,” stated team principal Mark Goddard with reference to the Friday incident. “The crew did a remarkable job to ensure that not only the car was fully repaired, but it was to the same exacting high standards as before.”
     
    Race day saw Pierre Nicolet take the first stint, avoiding the incident in what was a double stint before handing over to his father Jacques. By the three-hour mark, the team had firmly established itself in 20th position, a place it retained until sundown at early 11pm.
     
    Running through the similar driver cycle, the team chased the balance a little for Pierre, but as the sun set and race entered the night phase, the team ran consistently in 17th position overall, 15th in class.
     
    Sunday saw some of the highly-touted favourites running into mechanical issues and this allowed the trio of driver to move up the leader board and come the chequered flag after 24 gruelling hours, the Eurasia Motorsport Ligier hadn’t missed a beat as they finished a highly credible 16th overall, 14th in the LMP2 class.
     
    “It’s been a fantastic weekend for us both here at Le Mans and at Zhuhai where we compete in Formula Masters Asia Series,” said Goddard. “It shows the depth and professionalism of our team in that we can compete flawlessly in a 24-Hour race whilst also running our Asian campaign for our up-and-coming drivers of the future.
     
    “Here we knew we would not be competing for the victory, but the aim was to service our three drivers as well as possible to ensure they got the very best out of the Le Mans week. Erik, Pierre and Jacques all drove sensibly and barely put a wheel wrong, so credit to them for allowing us to achieve our goals here this weekend.”
    alt
    alt

     

    RALIS EM ESPANHA

     

    Complicado Rallye Cidade de Narón para José Lamela y Daniel Pérez

     

    Diversas circunstancias, algunas ajenas al equipo formado por José Lamela y Daniel Pérez, además de un error cometido en el segundo tramo, no permitían mejorar el resultado alcanzado en Noia con el Abarth Punto Evo de la ASR Rally School, con el que competían por segunda vez en la cuarta prueba del Campeonato de Galicia, el Rallye Cidade de Narón, en el que participaron 148 equipos.

     

    La prueba se iniciaba en la tarde del viernes con un corto tramo espectáculo en el centro de Narón donde el equipo de la Escudería Yacar Racing cumplía el trámite sin incidencias. En la jornada del sábado se neutralizaba la primera especial, por lo que no podían correr, pero en la segunda se salían en una curva que estaba muy sucia, aunque conseguían volver a la carretera con la suerte de que, al neutralizarse también este tramo, lograban completar la primera sección pues en la segunda únicamente realizaban la especial de Ferreira, ya que Cerdido tenía que detenerse por un nuevo accidente.

     

    Por la tarde conseguían hacer tres de los cuatro tramos, marcando cronos sumamente aceptables y adquiriendo experiencia con el Abarth Punto Evo y los neumáticos Kumho, aunque en la última especial tampoco podían correr al neutralizarse por otra salida de un participante. No obstante y a pesar de realizar tan sólo la mitad del recorrido, el balance es muy satisfactorio de cara al Rallye Sur do Condado, próxima cita el 8 de julio.

     aw13 Copyaw14 Copy

     

    ETCC EM VILA REAL

     

    Local racers Mota and Rodrigues up for Vila Real street circuit action
    *Schreiber heads Fulín by single point in European Touring Car Cup
    *Races shown live on free-to-air TV in Portugal

    Fábio Mota and FIA European Touring Car Cup rookie José Rodrigues will be aiming for home success when the ETCC heads to Vila Real from 24-25 June. And with Christjohannes Schreiber and Petr Fulín one point apart in the battle for title success, an action-packed weekend is in store on the streets of northern Portugal.

    At the halfway point of the season, Swiss Schreiber (Rikli Motorsport Honda Civic) tops the points table with three wins to the two scored by his Czech rival Fulín (Křenek Motorsport SEAT León), despite a double non-score at last month’s ETCC Race of Nürburgring Nordschleife. Mota, meanwhile, is playing catch-up following a frustrating start to his campaign but will start his home event boosted by a pair of podium finishes last time out in Germany in his LEIN Racing SEAT.

    While the Nürburgring Nordschleife is rated as the toughest track on the planet, the 4.785-kilometre Vila Real street track is known affectionately as the Nürburgring Nordschleife of the South due to its similar blend of blind turns, climbs, descents and unforgiving nature. And like its German counterpart, fans visit Vila Real Real in their thousands making for a memorable weekend of touring car racing when the other ETCC regulars will be hoping to make an impact.

    Igor Stefanovski scored his first win of 2017 in Germany in his self-run SEAT and is now third in the points. The Macedonian will look to continue that form in Portugal where Honda-driving Swiss Peter Rikli will be a firm contender for victory.

    Andreas Pfister twice finished in the points on home soil in Germany in his older-specification SEAT, as did Hungary’s Norbert Nagy, who scored his first ETCC pole in Vila Real last season and came agonisingly close to victory until a puncture wrecked his hopes late on. Nagy is joined in the three-strong Zengő Motorsport line-up by fellow youngsters Zsolt Dávid Szabó and female racer Anett György. Serb Mladen Lalušić partners Mota at LEIN Racing, while Bulgaria’s Plamen Kralev is the sole Audi RS3 LMS driver in action.

    MONTEIRO PROTÉGÉ RODRIGUES AIMS TO FOLLOW FERNANDES ON ETCC DEBUT
    José Rodrigues will make his FIA European Touring Car Cup debut at ETCC Race of Vila Real in a Target Competition Honda Civic. A protégé of World Touring Car Championship star Tiago Monteiro, Braga-based Rodrigues will be hoping to follow in the wheel tracks of compatriot Manuel Fernandes, who claimed an emotional home win on a one-off ETCC appearance last season. “It’s for me a pleasure to race in Portugal,” said Rodrigues, who won the TCR support race in Vila Real in 2016. “It’s important for me to be with my sponsors in my home race, I love street circuits and I love Vila Real. “I am confident and it’s good to be doing more racing but I know the ETCC is very hard so I don’t expect to win.” Of his manager Monteiro, Rodrigues added: “It’s important that Tiago is with me. He gives perfect advice to me and is the number one in touring car racing. It’s amazing we can make this race weekend together.”

    ETCC RACE OF VILA FOR LIVE FREE-TO-AIR TV
    ETCC Race of Vila Real is set for a live television extravaganza with TVI showing both races as they happen on several digital platforms including TVI Player, TVI24.iol.pt and Facebook.com/tvi24. The exciting agreement is in addition to Eurosport 2’s live coverage of the ETCC. Both races will also be streamed live at FIAETCC.com.

    Q&A: FÁBIO MOTA
    Top Portuguese driver Fábio Mota will be hoping to make a big impact on the streets of Vila Real this weekend as he looks to build on his ETCC podium double last time out in Germany.

    How confident are you of a strong result in Vila Real?
    “With the Nordschleife results we become stronger as a team and I believe this will help us to enter in Vila Real with an even more stronger approach. But as the home driver there will be more pressure because home drivers are the focus of attention. Some F1 drivers take years to win their home race so it’s not easy. But it’s a very positive situation and I will try to enjoy the weekend.”

    What do you think of the Vila Real track – are you a fan?
    “It’s really difficult, a mix between the Nürburgring Nordschleife and Macau. I will try to make a good result and, above all, do a good show for the fans who have a big expectation.”

    How much knowledge do you have of Vila Real?
    “My first race there was in 2009 in a Renault Clio. In 2010 I raced there in a SEAT and in 2014 I was there with the Mégane Trophy and also in 2015. Then in 2016 I was there with ETCC so in terms of experience it’s good. But I still need to work and the simulator is very important for this, also watching videos and walking the track, which is particularly important on a city circuit.”

    What can you achieve this weekend?
    “I try not to think too much about a winning situation. Of course I want to win and it would be very special to do that in one of the two races but it’s not the ultimate question. The most important thing is to have a strong pace and finish in the points. To be in the top three is my ambition.”

    WEEKEND OVERVIEW: The ETCC is making its second appearance in Vila Real following the inaugural race in 2016. The track action begins with a 45-minute test session from 08h30 on Saturday 24 June followed by Free Practice for 45 minutes from 14h15. Qualifying lasts 30 minutes and begins at 18h00. Sunday’s 11-lap races start at 11h45 and 13h00. Click here for live timing and results.

    TRACK GUIDE IN 100 WORDS: A circuit oozing history and intrigue, racing has been held on the hillside roads of Vila Real since 1931, when Gaspar Sameiro and Ercilio Barbosa conquered the original 7.150-kilometre course in a Ford Model A. Safety and financial factors meant races were held on an irregular basis until the WTCC’s arrival in 2015 provided stability and Vila Real’s first world championship-level race meeting. The 4.785-kilometre layout now used is a challenging blend of turns, climbs and descents. While a handful of chicanes were installed for safety reasons, the spectacle remains unaltered with speeds topping 200kph on the final downhill section.

    PROVISIONAL KEY TIMINGS:  Saturday 24 June: 08h30-09h15: Testing; 14h15-15h00: Free Practice; 18h00-18h30: Qualifying; 18h35 (approx.): Post-Qualifying press conference (Media Centre) Sunday 25 June: 11h45-12h15: Race 1 (11 laps); 13h00-13h30: Race 2 (11 laps); 13h35: Race podiums; 13h45 (approx.): Post-Race press conference (Media Centre). Timings provisional, subject to change

    WHAT HAPPENED IN 2016? Kris Richard moved joint top of the FIA European Touring Car Cup standings with his fourth victory of 2016 on Vila Real's taxing street track. But it was local driver Manuel Fernandes who thrilled the Portuguese fans with a dramatic home win in Race 1 when a puncture sent fellow SEAT driver Norbert Nagy wide and out of the lead. Nagy hit back with third in the reverse-grid Race 2 behind Fernandes as Richard charged through from fourth in his TCN2-specification Honda Civic to win. Petr Fulín was second in Race 1 ahead of Peter Rikli. But contact between the pair in Race 2 dropped Rikli out of contention and handed Fulín a drive-through penalty, plus the loss of his title advantage. Niklas Mackshin was a double winner in the Super 1600 Cup, while Kevin Hilgenhövel, Tomáš Korený and Andreas Rinke took category podiums.

    WHAT’S NEW FOR 2017? While the ETCC continues to feature at four WTCC events, including on a combined grid at the Nürburgring Nordschleife, Zolder returns to the calendar after a break of 12 months and Most hosts the ETCC for the first time at its season-finale meeting in early October. In other changes, the ETCC Super 2000 Cup has been renamed ETCC 1 with the ETCC Super 1600 Cup renamed ETCC 2. The ETCC Nations’ Cup will not be awarded in 2017.

    ETCC RULES REFRESHER: As in previous seasons, the results of Qualifying will determine the grid order for Race 1 with the results of the first race deciding the starting grid for Race 2, albeit with the top eight finishers lining up in reverse order. However, unlike in previous seasons both races will begin from a standing start. ETCC competitors will score points as follows: fastest three drivers in qualifying: 3-2-1. The top eight finishers in each class in each race will score: 10-8-6-5-4-3-2-1. A race-by-race prize fund of €18,000 will be shared among the classified finishers in ETCC 1. Yokohama continues as the ETCC’s tyre partner for 2017.

    PROVISIONAL STANDINGS: 1 Schreiber 44; 2 Fulín 43; 3 Stefanovski 33; 4 Nagy 31; 5 Rikli 25; etc. Full standings are available here.aw11 Copyaw12 Copy

     

    JACINTO É NOTICIA

     

    Elisabete Jacinto partilha vivências no Newsmuseum

    ---
    alt

    Elisabete Jacinto vai participar hoje numa “viagem” interativa no Newsmuseum, museu da comunicação social, em Sintra. Num evento apoiado pelo patrocinador Medinfar, a piloto vai sintetizar a carreira que efectuou no âmbito do todo-o-terreno, a qual atinge proporções de nível internacional. Esta presença de Elisabete Jacinto no Newsmuseum estará acessível ao público em geral no próximo fim-de-semana, dias 24 e 25 de Junho.

    Nesta iniciativa, Elisabete Jacinto vai fazer uma retrospectiva histórica que se inicia com as suas primeiras corridas, ainda em moto, quando envergava as cores do Trifene. A evolução da sua carreira e desta “viagem” interativa, faz-se sempre com a presença da Medinfar que, depois de apoiar a sua transição para os camiões, passou a patrocinar a piloto com a marca OLEOBAN®. Neste momento, Elisabete Jacinto conta com um novo apoio, desta feita o Bio-Ritmo®, marca que toda a equipa promove com orgulho nas provas em que participa.

    Ao longo de 1h30 os visitantes serão conduzidos por Elisabete Jacinto e ficarão a conhecer as suas histórias e as grandes aventuras que marcaram a sua vida enquanto piloto de todo-o-terreno. Entre vídeos e fotografias, o Newsmuseum vai retratar as vivências daquela que é a única mulher do mundo a cumprir, ao volante de um camião, as mais duras maratonas de todo-o-terreno da actualidade. 

     

    24 HORAS LE MANS 2017

    Road to Le Mans proves a challenge for Ecurie Ecosse at Le Mans
     

    60-years on from a famous one-two result at Le Mans, Ecurie Ecosse returned to Circuit de la Sarthe this week to compete in the Road to Le Mans (15-17 June, 2017) with high expectations on the back of an ultra-successful Le Mans Cup and LMP3 Cup campaign. 

    Ultimately, while the team showed fantastic pace, it proved to be a frustrating campaign from the Nielsen-run squad with a 12th and 15th positions in the two events, the latter result whilst pushing hard for victory.
     
    Colin Noble and Tony Wells partnered up once again - the same successful partnership that brought victory last month at Monza - and right from the off the #79 Ligier proved to be right on the pace, topping the very first free practice session.
     
    Qualifying consisted of two 20 minute sessions, the first of which Noble qualified in a fine fourth position overall. Wells meanwhile endured a red-flag whilst on his fast lap in the second qualifying session and had to settle for sixth on the grid for the second race of the Road to Le Mans week. However, a slow zone infringement for Noble in practice resulted in a grid penalty for the first race, meaning that Wells lined up tenth for race one on Thursday afternoon.
     
    With a late kick of Thursday evening, the race took a turn for the worst at the start with Wells sustaining damage to the floor on lap one after striking a high kerb and then a related radio malfunction also hindered in terms of tactics. Noble completed his stint moving from 14th to 12th in a damaged car, as the chequered flag flew with the silver lining being that he recorded the fourth fastest lap in a severely compromised car.
     
    The second Road to Le Mans race saw Wells again take the start, making a great getaway from sixth position. The close competition proved to be unforgiving with Wells being shuffled back a little in the order. A great stop from the Nielsen crew saw Noble make gains and as he put in the quick laps, he soon found himself in contention for not just a podium, but arguably the win.
     
    A great pass from the Scottish driver into the first chicane moved him fourth in the closing stages, and soon after into third position with just eight minutes of the 55-minute race remaining. Entering the final lap, Noble was right on the tail of the second place #2 car but unfortunately, it was about to go wrong.
     
    "I’m so gutted I gave it everything we were so fast,” said Noble. “I just clipped the kerb coming onto the back straight passing a GT3 car and it just tipped me into a spin. Naturally I’m bitterly disappointed.”
     
    Noble and Wells were classified 15th overall in the second race and now turn their attention back to the next round of the Michelin Le Mans Cup which takes place next month at the Red Bull Ring in Austria.

    alt
    alt

     

    PRO MAZDA

     

    Pro Mazda: Carlos Cunha Filho corre no circuito Road America

    Prêmio de melhor performance anima o piloto brasileiro a brigar com ponteiros do campeonato

    O brasileiro Carlos Cunha Filho (EMS) volta a disputar mais uma rodada dupla do Pro Mazda Championship neste final de semana, 22 a 24 de junho, no circuito Road America em Elkhart Lake, estado de Winsconsin, EUA.  Foram quase 40 dias de intervalo da última rodada dupla no misto de Indianápolis, onde Cunha Filho subiu pela primeira vez ao pódio em provas fora do Brasil com a terceira posição na segunda corrida. Mas não se pode dizer que foi um período de descanso para o piloto de Sumaré, cidade do interior de São Paulo. Nesse tempo todo ele malhou em academias e andou de kart no Brasil. Em Indianápolis, sede da equipe Pelfrey Cunha Filho usou o tempo para estudar em simuladores, os circuitos americanos que está conhecendo só agora, como um dos pilotos mais jovens da categoria, 17 anos – o norte-americano Sting Ray Robb tem 15 anos. “A equipe (Team Pelfrey) me deu várias informações com telemetrias e vídeos de seus pilotos do ano passado. No simulador fiquei conhecendo o traçado e tem um desenho que eu gosto, com curvas de alta. O Road America é bem diferente do misto de Indianápolis e do circuito de rua de St. Pete que tem características próprias e difíceis”, conta Carlos Cunha Filho.

    Nas 5ª e 6ª etapas do Pro Mazda Championship, preliminares da 10ª etapa da IndyCar, Carlos Cunha Filho, quarto colocado no campeonato com 71 pontos, entra na pista com dois fortes argumentos para a briga com os ponteiros do campeonato, Victor Fanzoni (BRA) 116 pontos, Anthony Martin (AUS) 110 pts e TG Fischer (EUA) 91 pts. Um trabalho intenso com a equipe no desenvolvimento do carro que tem dado ótimos resultados e o reconhecimento com o prêmio Staubli Award, como o piloto de melhor performance na etapa anterior do circuito misto de Indianápolis. O prêmio foi entregue logo após a Clínica de Circuitos Ovais com vários palestrantes, incluindo o ex-piloto Al Unser Jr., bicampeão das 500 Milhas de Indianápolis em 1992 e 1994 e vice em 1989 em uma das edições históricas de Indianápolis, pela disputa emocionante com Emerson Fittipaldi. Os dois se tocaram na penúltima volta e Emerson saiu vitorioso com Al Unser Jr. ficando no muro. Raul Boesel foi o terceiro colocado.

    Carlos Cunha Filho é patrocinado pela EMS Farmacêutica

    A programação da etapa de rodada dupla do Pro Mazda Championship no circuito Road America (horário brasileiro)

    Quinta-feira 22/06

    15h55 – Treino livre

    17h15 – Classificação para a Corrida 1 – 20 minutos

    Sexta-feira 23/06

    10h25 – Classificação para a Corrida 2 – 20 minutos

    15h35 – Corrida 1

    Sábado 24/06

    16h05 – Corrida 2

    Classificação atual do Pro Mazda Championship

    1º Victor Franzoni (BRA/Juncos Racing) – 116 pontos

    2º Anthony Martin (AUS/Cape Motorsport) – 110 pts

    3º TJ Fischer (EUA/Team Pelfrey) – 91 pts

    4º Carlos Cunha (BRA/Team Pelfrey) – 71 pts

    5º Nikita Lastochkin (RUS/Team Pelfrey – 66 pts

    6ºSting Ray Robb (EUA/World Speed Motorsports) – 61 pts

     

    NOVO VOLVO XC 60

     

    Novo Volvo XC60 – Estreia em Portugal será em Vila Real!!

     

    A Volvo Car Portugal confirma que a primeira apresentação pública do Novo Volvo XC60 terá lugar este fim-de-semana no Circuito Internacional de Vila Real.

    Este novo modelo, que estará em exibição junto do stand da Polestar Cyan Racing, vem substituir o Volvo XC60 original, automóvel que, nove anos após o seu lançamento, se tornou o SUV Premium de média dimensão mais vendido na Europa.

    No ano em que a Volvo Cars celebra os seus 90 anos, esta nova geração estará inicialmente disponível no nosso País em 3 motorizações distintas, duas a diesel e uma a gasolina plug-in-hybrid, todas com tração AWD e com caixa automática de 8v.

    O nível de equipamento varia entre as versões Momentum, R-Design e Inscription, disponíveis em qualquer uma das motorizações.

    1927 – 2017: 90 anos a pensar nas pessoas

     

    HYUNDAI I 30 SW JÁ CHEGOU

    Hyundai apresenta Nova i30 Station Wagon
    • A versão Station Wagon é o mais recente elemento da família i30, após o lançamento da versão de cinco portas no início deste ano; • A Nova Hyundai i30 SW apresenta um design intemporal com estilo elegante e versátil; • A nova geração Hyundai i30 SW já está disponível em Portugal com uma campanha especial de lançamento, desde 20.900€. 
     
    A Hyundai apresenta o novo membro da família i30, que para além de manter o design intemporal do modelo de 5 portas soma ainda um estilo elegante e versátil. 
    O design da Nova Hyundai i30 SW não compromete o seu espaço de bagageira, com 602 litros de espaço (VDA 211) com os bancos na posição normal ou 1.650 litros de espaço (VDA 214) com os bancos rebatidos. 
    Ao oferecer as mais recentes funcionalidades de segurança ativa e conectividade na Nova i30 SW, a Hyundai democratiza a tecnologia. A i30 oferece de série um conjunto de sistemas de segurança ativa, nomeadamente Travagem Autónoma de Emergência (AEB), Alerta de Fadiga do Condutor (DAA), Sistema de Controlo Automático dos Máximos (HBA) e Sistema de Manutenção à Faixa de Rodagem (LKAS).
    A Nova Hyundai i30 SW oferece aos condutores um interior elegante e espaçoso com um layout horizontal e um ecrã tátil que dá a sensação de que está a flutuar e integra o sistema de infotainment. 
    A Nova Hyundai i30 SW apresenta três motorizações, dois motores a gasolina e um motor turbo diesel de 1.6 litros com duas medidas de potência (110cv e 136cv). Para a SW estará disponível o novo motor turbo Hyundai 1.4 T-GDi de quatro cilindros que entrega uma potência máxima de 140cv. O novo 1.0 TGDi de três cilindros proporciona uma potência máxima de 120cv. 
    A Nova Hyundai i30 SW dá Espaço para a vida. Responde de forma concreta às diferentes necessidades do dia a dia que se colocam a cada momento e a cada condutor: família, trabalho, lazer, viagem, amigos, experiência e sonhos. A Nova Hyundai i30 SW é o espaço para as coisas boas da vida.
     
    Com preço desde 20.900€, a Nova Hyundai i30 SW inclui: • Bagageira de referência no segmento, de 602 litros • Pack de segurança (Sistema Alerta de Fadiga do Condutor, Travagem Autónoma de Emergência, Cruise Control, Apoio à Manutenção na Faixa de Rodagem) • Câmara de Estacionamento Traseira • Carregador Wireless de telemóvel
     
    A Nova Hyundai i30 SW inclui a oferta de 5 anos de manutenção programada e, como já é habitual na marca, conta também com a Garantia de 5 anos sem limite de quilómetros.
     
     
     
     
     
     
    aw9 Copy
     
    Adicionalmente, informamos que a Nova Hyundai i30 SW está disponível para ensaio no nosso Parque de Imprensa, nas seguintes versões: 
     
    • i30 SW 1.0 TGDi COMFORT + NAV 120cv • i30 SW 1.4 TGDi DCT STYLE 140cv • i30 SW 1.6 CRDi DCT STYLE + CI 136cv • i30 SW 1.6 CRDi DCT COMFORT + NAV 110cv • i30 SW 1.6 CRDi COMFORT + NAV 110cv
     

     

    NOVO PEUGEOT 308

     

    Com mais de 760.000 unidades produzidas desde o seu lançamento, a PEUGEOT escreve uma nova página na história do seu best-seller 308. O novo PEUGEOT 308, que chegará ao mercado nacional no próximo mês de Setembro, insere-se numa nova etapa que procura a excelência permanentemente. Este novo PEUGEOT 308 é um marco fundamental na subida em gama da Marca, seja através do conjunto de novas tecnologias de última geração, seja através do estilo ainda mais demarcado. Decididamente virada para o futuro, a oferta em termos de conectividade é enriquecida com a chegada da navegação 3D conectada e do sistema Mirror Screen (Mirrorlink®, Android Auto™ e Apple Carplay™). O novo PEUGEOT 308 integra a totalidade das ajudas à condução recentemente reveladas nos novos SUV PEUGEOT 3008 e 5008. Graças a estes novos sistemas, o novo modelo posiciona-se claramente ao melhor nível do mercado. O novo PEUGEOT 308 oferece, ainda, uma gama de grupos propulsores inédita no segmento. A partir de setembro deste ano, a nova caixa automática de oito velocidades acoplada ao motor diesel BlueHDi de 180 cv, e a nova motorização Diesel Blue HDi de 130 cv que chegará no final do ano, sublimam as qualidades dinâmicas do novo PEUGEOT 308. Graças às suas novas eficientes motorizações, a PEUGEOT antecipa-se à introdução da norma Euro.6c com novos sistemas de anti-poluição tanto para os motores a gasolina como para os diesel. aw8 Copy

     

    RICARDO LOUREIRO NO PÓDIO EM SANTA MARTA

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 VALVOLINE – JC GROUP

     

    RAMPA DE SANTA MARTA

     

    RICARDO LOUREIRO NO PÓDIO EM SANTA MARTA

     

    Depois das excelentes indicações colhidas no Espirito do Caramulo, Ricardo Loureiro foi autor duma excelente prova no passado fim de semana na Rampa de Santa Marta, quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha.

     

    Logo nas subidas de treino, Ricardo Loureiro teve boas indicações, fazendo 2.17.027 e 2.16.971.Com este cenário, Ricardo Loureiro nas tres subidas de prova faria respectivamente os cronos de 2.16.699, 2.16.772 e finalmente 2.17.360.

     

    No final numa altura em que se preparava para começar a carregar o Ford Escort no atrelado para fazer o regresso a casa, disse-nos “ correu bem, sem problemas nenhuns, fiquei em primeiro na classe, e segundo na categoria.Consegui melhorar sempre os meus tempos, mas na derradeira subida por causa do muito calor e o asfalto escorregadio não consegui fazer melhor.Esta foi a minha estreia na Rampa de Santa Marta, que é na minha opinião uma rampa muito exigente, é necessário muito treino para se poder andar depressa, mas é muito gira, eu gostei muito “, disse-nos.

     

    CLASSIFICAÇÃO

     

    TROFÉU NACIONAL CLÁSSICOS DE MONTANHA GR 5

     

    1º Carlos Oliveira – BMW

    2º RICARDO LOUREIRO – FORD ESCORT

    3º Carlos Fava – Volkswagen 1303

     

    Ricardo Loureiro tem os apoios de :

     

    - RESTAURANTE MONTANHA – CARAMULO

     

    - SOCIMAVIS

     

    - ESCOLA PROFISSIONAL DE TONDELA

     

    - REALNORMAFOX 3477_Copy

     

    JAGUAR E-PACE

     

    JAGUAR E-PACE: O NOVO SUV COMPACTO DE ALTO RENDIMENTO

     

    aw6 Copyaw7 Copy

     

    • O Jaguar E-PACE combina o design e a agilidade de um desportivo com a funcionalidade para o dia-a-dia de um SUV.
    • Incorpora-se à gama de SUVs da marca, onde se incluem o F-PACE, galardoado com o prémio World Car de 2017, e o protótipo totalmente elétrico da Jaguar, o I-PACE.
    • A estreia mundial do Jaguar E-PACE terá lugar no dia 13 de julho de 2017.
    • Preço indicativo desde 44.261,26€
    • Aceda a www.jaguar.com para conhecer todas as novidades prévias à apresentação.

     

    A Jaguar apresenta o seu novo SUV compacto de alto rendimento, o Jaguar E-PACE.

    O modelo incorpora-se à família PACE de SUVs de alto rendimento da Jaguar. O E-PACE segue os passos do F-PACE, cujo êxito ajudou a impulsionar as vendas da Jaguar até atingir um crescimento de 83% no ano passado. A gama é completada pelo protótipo totalmente elétrico, o I-PACE, que estará nas linhas de produção em 2018.

    Ian Callum, Director of Design da Jaguar, refere: "O E-PACE tem o aspeto de um desportivo e o rendimento de um Jaguar, razão pela qual não vai passar desapercebido. Todos os modelos da Jaguar são desenhados para estimular os sentidos e é isso que acreditamos que vai acontecer com o E-PACE, além de exibir o seu caráter único.”

    O Jaguar E-PACE incorpora a tecnologia de tração às quatro rodas dos desportivos e oferece várias opções de motores Ingenium a gasolina e diesel, além de um conjunto de tecnologias online e sistemas de segurança.

    O SUV compacto de alto rendimento será apresentado ao mundo no dia 13 de julho.

     

    Para mais informações sobre a Jaguar aceda a www.media.jaguar.com

    Mais vídeos em alta definição em www.broadcast.jaguarlandrover.com

     

    Notas à redação:

    O legado de design elegante e desempenho excecional da Jaguar entusiasma e encanta o mundo há 80 anos. A atual família de veículos Jaguar reflete na perfeição «The Art of Performance», isto é, a arte do desempenho. Incluem-se aqui as extraordinárias berlinas XE, XF e XJ, premiadas com diversos galardões e objeto de grande admiração. Incorporam-se igualmente o imponente desportivo F-TYPE e o crossover de alto rendimento F-PACE - o Jaguar que mais rapidamente se vendeu na história da marca.

    • O Jaguar F-PACE, galardoado com o prémio World Car de 2017, contribuiu para o êxito da marca Jaguar, que conseguiu um crescimento de 83% no seu volume de vendas no exercício de 2016/17.
    • As vendas globais da Jaguar entre janeiro e maio de 2017 aumentaram 65% atingindo as 79.895 unidades.
    • O protótipo do SUV elétrico de alto rendimento Jaguar I-PACE foi apresentado em novembro de 2016, antecipando o modelo de produção em série que será colocado à venda em 2018.

     

     

    FORD É NOTICIA

     

    Deutsche Post e Ford Vão Fabricar Uma Van Eléctrica

    Ÿ Parceria visa emissões-zero na distribuição

    Ÿ Importante impulso em matéria de mobilidade eléctrica na Alemanha

    aw5 Copy– A StreetScooter GmbH subsidiária da Deutsche Post e a Ford-Werke GmbH dão início a uma parceria para a produção de veículos eléctricos de distribuição.

    A Deutsche Post já deixou a sua marca no segmento de veículos comerciais compactos com o design e produção da StreetScooter, um veículo com emissões-zero, e agora ambos os parceiros estão a trabalhar num veículo de maiores dimensões. O chassis da Ford Transit será a base técnica. O veículo estará equipado com uma motorização totalmente eléctrica e uma carroçaria especial construída com base nas especificações da Deutsche Post e da DHL Paket.

    O início da produção está agendado para Julho de 2017. Antes do final de 2018, pelo menos 2.500 veículos estarão a apoiar a distribuição urbana da Deutsche Post DHL Group. Com este volume, o projecto conjunto tornar-se-á no maior fabricante de veículos de distribuição de tamanho médio com bateria eléctrica na Europa.

    Tanto a Deutsche Post DHL Group como a Ford partilham o mesmo objectivo de construir a mobilidade do futuro pela redução das emissões e pela criação de novas soluções de tráfego. Esta parceria é um passo importante e tangível para a consecução desses objectivos.

    “Considero esta parceria outro impulso importante para a mobilidade eléctrica na Alemanha”, diz Jürgen Gerdes, membro do conselho executivo da Deutsche Post AG. “Este passo enfatiza o papel da Deutsche Post como líder em matéria de inovação. Isto irá aliviar as cidades do interior e aumentará a qualidade de vida das pessoas. Continuaremos a trabalhar em logística totalmente neutra em emissões de carbono!”

    “A mobilidade eléctrica e as soluções de tráfego inovadoras para as áreas urbanas são focos-chave para nós à medida que transformamos o nosso negócio para poder responder aos desafios do futuro,” afirmou Steven Armstrong, vice-presidente de grupo e presidente da Europa, Médio Oriente e África da Ford Motor Company. “Como líderes no segmento de veículos comerciais na Europa, esta parceria ajusta-se na perfeição aos nossos pontos fortes e encontrámos na StreetScooter e no Deutsche Post DHL Group parceiros com enorme competência e com uma rede global.”

    Além da nova linha de montagem, a fabricação existente dos modelos StreetScooter será significativamente expandida conforme anunciado anteriormente. A StreetScooter GmbH planeia fabricar 20.000 unidades por ano da sua popular e bem-sucedida van eléctrica compacta de distribuição, em diferentes versões, em Aachen e outro local na Renânia do Norte-Vestefália. Actualmente, já existem 2.500 StreetScooter em utilização pela Deutsche Post em toda a Alemanha. Mais e mais potenciais clientes do exterior têm demonstrado o seu interesse ou já receberam StreetScooters para converter a sua frota em operação com emissões-zero.

     

    VOLVO É NOTICIA

     

    Novo configurador on-line já disponível

     

    A Volvo Car Portugal tem já on-line o seu Novo Configurador.

    Disponível em www.volvocars.com/pt/build trata-se de uma ferramenta mais intuitiva, moderna e divertida de usar, devido em grande parte ao facto de poder ver as diferenças diretamente aplicadas no automóvel.

    Este novo configurador constitui uma excelente base para os clientes em processo de compra e é sem dúvida a prova da atenção dada pela Volvo às novas tendências e tecnologia. Estudos revelam que 97% dos compradores de automóveis vão aos sites das marcas consideradas e que, em média, estas pessoas passam cerca de 14 horas online em pesquisas e 80% configuram os automóveis dos seus sonhos.

    Em relação à versão anterior o novo configurador tem:

    ü  Melhorias ao nível da experiencia e maior rapidez de processamento.

    ü  Uma perceção mais próxima da realidade - qualidade de resolução e pertinência das imagens;

    ü  Possibilidade de ver o interior / exterior do automóvel a partir de vários ângulos/zooms, em todas as etapas da configuração

    ü  Possibilidade de assistir "em direto" - a todas as alterações feitas no automóvel (com a exceção dos opcionais);

    ü  Mais detalhes: Textos explicativos acerca de cada modelo e versão/ Inclusão de vídeos para cada categoria automóvel (ex: carrinhas/sedans, SUVs, etc);

    ü  Quatro equipamentos de série (acompanhados de texto e imagem) que funcionam como um complemento explicativo e descritivo das versões;

    ü  Inferior número de clicks necessários até à conclusão da configuração;

    ü  Mais e melhores dados de quem configura e logo leads com mais qualidade.

    ü  A possibilidade de adição de packs de serviços e acessórios garantindo o cross selling

    ü  Otimização para utilização em mobile (smartphones e tablets).

    1927 – 2017: 90 anos a pensar nas pessoas

     

    LEONEL BRAS PRECISAVA DE MAIS SORTE

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 – VALVOLINE – JC GROUP

     

    RAMPA SANTA MARTA

     

    LEONEL BRAS PRECISAVA DE MAIS SORTE – VITÓRIA ESCAPA POR POUCO

     

    A sorte nada quis com Leonel Brás no passado fim de semana na Rampa de Santa Marta, quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha, onde uma vez mais esteve em destaque ao volante do seu Citroen AX.

     

    Na primeira subida de treinos, não a chegaria a completar, isso motivado por problemas, para na subida seguinte fazer o tempo de 2.21.730.

     

    Nas tres subidas de prova, alcançaria os tempos de 2.20.644, 2.20.091, não chegando a fazer a derradeira, isso motivado por problemas mecânicos que lhe deram o segundo lugar na Taça Nacional de Montanha 1300.

     

    No  final da prova, em que colocava o Citroen AX em cima do reboque, descreveu-nos como foi mais este fim de semana “ poderia ter sido melhor, tive problemas com a bomba de gasolina que falhava, isto na primeira subida de treinos.Depois na subida de prova, foi a bobine que não me deixou fazer a ultima subida.Estou plenamente convencido que se não tivesse estes problemas, tinha vencido a categoria “.

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL

     

    1º Armando Freitas – Toyota Starlet

    2º LEONEL BRÁS – CITROEN AX

    3º Manuel Fernandes Junior – Fiat Punto

    4º Francisco Leite – Fiat Punto

    5º António Torres da Silva – Toyota StarletFOX 4210_Copy

     

    SMART É NOTICIA

     

    No passado fim de semana, em Salou, 2869 fãs da smart, oriundos de 32 países, reuniram-se para o smart times 2017 na conhecida e bela Costa Dorada, em Espanha. A comunidade smart celebrou uma vez mais a sua paixão por esta Marca de culto e a sua diversidade com música, um mercado de usados, uma pista especial, excursões e ensaios dos novos modelos smart electric drive. O destaque foi, é claro, para o tradicional desfile de encerramento. 532 veículos smart desfilaram pela cidade costeira de Salou, passando pelas atrações turísticas e pelas pitorescas vilas piscatórias.aw3 Copyaw4 Copy

     

    RAMPA SANTA MARTA

     

    Francisco Marrão reforça segundo lugar no campeonato


    Com uma actuação segura e em crescendo, Francisco Marrão teve uma passagem muito positiva pela quarta jornada do Campeonato Nacional de Montanha Valvoline, que no fim-de-semana passado visitou a bonita localidade transmontana de Santa Marta de Penaguião. A exemplo do resto do país, também nesta região se registaram temperaturas altíssimas, facto que dificultou a vida a todos os intervenientes.

    A terceira edição da Rampa de Santa Marta teve no SEAT Leon Supercopa de Francisco Marrão, um dos principais animadores, com o piloto a imprimir um andamento vivo e isento de erros, brindando o muito público presente com uma excelente actuação que o levou ao segundo lugar do pódio da Categoria 5.

    “Saio desta prova mesmo muito satisfeito com o que consegui fazer. Sinto-me cada vez mais à vontade com o SEAT e os tempos que realizei são reflexo disso. A Speedy Motorsport e em especial o Pedro Salvador, - a quem agradeço muito -, fizeram um trabalho espectacular e isso contribuiu muito para que este resultado fosse possível. Os tempos começam a sair e isso dá-me confiança para as próximas provas, onde espero melhorar ainda mais. Vim sempre a baixar os tempos ao longo de todas as subidas e isso é reflexo de uma melhor concentração, que me faz sentir mais confiante e confortável. Consolidei a segunda posição do campeonato e quero agora melhorar mais e diminuir a diferença de tempos que ainda me separa do piloto que vai à minha frente.” Disse Francisco Marrão.

    O Campeonato Nacional de Montanha Valvoline 2017, faz agora uma pausa de cerca de três semanas, regressando a 15 e 16 de Julho, altura em que se disputa a Rampa do Caramulo.

     aw2 Copy

     

    RAMPA SANTA MARTA

     

    Joaquim Teixeira triunfa no Nacional de Montanha


    O Campeonato Nacional de Montanha Valvoline completou por terras transmontanas a primeira metade da competição, com a realização da Rampa de Santa Marta no passado fim-de-semana. O muito calor ao longo dos dois de prova, não impediu uma jornada muito animada, que contou sempre com o apoio do muito público presente.

    Para Joaquim Teixeira assim como para todos os pilotos presentes, esta foi uma prova de grande esforço físico, que o piloto nortenho cumpriu com distinção, vencendo a Categoria 5 ao volante do seu Renault Megane Trophy V6 e imiscuindo-se na luta pelo melhor lugar entre os carros de turismo, ao longo dos 3,3 quilómetros da prova disputada em Santa Marta de Penaguião.

    “Depois dos problemas que tivemos de resolver antes da prova, que quase colocaram em causa a nossa presença nesta prova, sabe muito bem chegar ao final do fim-de-semana com os objectivos plenamente conseguidos. A equipa fez um excelente trabalho para conseguir trocar a caixa de direcção, - que só chegou sexta ao final da tarde -, e colocar o carro em condições para esta rampa. A vitória na Categoria 5 foi obviamente importante, mas fiquei muito satisfeito sobretudo por ter conseguido melhorar o meu tempo em relação ao ano passado em mais de 1,5 segundos. A partir de agora e para além de continuar a lutar pelo título na minha categoria, vou também tentar garantir a melhor posição entre os carros de turismo e neste caso, em confronto directo com os meus adversários das Categorias 3 e 4. Respeitando todos os pilotos em competição, será esta a minha fonte de motivação para o resto do campeonato e espero chegar ao final com estes novos objectivos atingidos.” Afirmou Joaquim Teixeira.

    A Rampa do Caramulo, agendada para 15 e 16 de Julho, será a próxima jornada do Campeonato Nacional de Montanha Valvoline 2017.

     aw1 Copy

     

    SEGUNDO FERNANDO CHARAIS

    Circuito de Vila Real - WTCC

    Juntamente com a prova do Mundial de Turismos onde a luta Volvo/Honda está ao rubro, ocorre a 3ª prova do Campeonato Nacional de Clássicos. Desta vez (e bem!) são 4 corridas, duas para os de maior cilindrada e duas para os Clássicos até 1300, onde o 120Y espera fazer boa figura, pois até haverá, para quem não puder passar em Vila Real, transmissão televisiva (TVI 24)

     

     

    Com o apoio de :...
    Clínica Beco Com Saída
    Homens da Frota
    Premiuniversal
    Stand Nelson
    Brugo - Reach your ideas
    Panopramantas

     

    CARLOS OLIVEIRA NO PÓDIO DE SANTA MARTA

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 – VALVOLINE – JC GROUP

     

    RAMPA DE SANTA MARTA

     

    CARLOS OLIVEIRA NO PÓDIO EM SANTA MARTA

     

    Ao mostrar uma surprendente adaptação ao BMW, Carlos Oliveira obteve no passado fim de semana mais um pódio desta vez na Rampa de Santa Marta, quarta prova do calendário do Campeonato Nacional de Montanha.

     

    Nas duas subidas de treinos, obteve respectivamente os tempos de 2.20.897 e 2.12.958.Nas tres subidas de prova haveria de melhorar, fazendo 2.10.889, 2.12.792 e 2.13.674 respectivamente.

     

    No final, depois de ter subido ao pódio para receber o trofeu, Carlos Oliveira descreveu-nos o fim de semana, começando por nos dizer “ depois da incerteza se o BMW estaria ok, toda a equpa da Power House colocou o carro impecável, nunca tinha corrido com ele neste estado.Por isso tentei melhorar os meus tempos em cada subida, objectivo esse alcançado, e logicamente muito satisfeito como é óbvio “.

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL

     

    TAÇA NACIONAL DE CLÁSSICOS DE MONTANHA

     

    1º CARLOS OLIVEIRA – BMW 323

    2º Ricardo Loureiro – Ford Escort

    3º Carlos Fava – Volkswagen 1303

     FOX 3869_CopyFOX 3870_Copy

     

    PILOTOS MAIATOS NO PÓDIO NO RALI MONTELONGO

     

    RALI DE MONTELONGO

     

    PILOTOS MAIATOS NO PÓDIO EM MONTELONGO

     

    A dupla Carlos e Afonso Gonçalves e Pedro Monteiro marcaram presença no passado fim de semana no Rali de Montelongo, na qual o balanço saldou-se com mais um pódio.

     

    Segundo Carlos Gonçalves “ o rali correu bem, andamos aquilo que o carro nos deixou, mesmo assim tivemos acesso a mais um pódio na classe X 1 8.Por outro lado os nossos colegas de equipa o Pedro e a Sofia Monteiro ao volante dum Peugeot 106, não tiveram tanta sorte, e acabaram por quedar-se pelo 5º lugar na classe.Para além disso, era importante terminar o rali, o que conseguimos, isentos de problemas técnicos.Conseguimos ir ao pódio da classe e  assim amealhar mais alguns pontos para o Campeonato,e agora há que preparar o Fiat Punto para o Rali do Marco, seguindo-se depois o circuito de Vila Real “.

     

    Mais um sucesso parcial da equipa de pilotos maiatos, que promete dar o seu máximo nas próximas provas.

     CARLOS1 CopyCARLOS2 CopyCARLOS3 CopyCARLOS4 Copy

     

    FEU VERT VESTE LIQUI MOLLY

    Feu Vert veste LIQUI MOLY
     
    Durante os próximos meses são mais de 250 colaboradores da Feu Vert a vestir a camisola da LIQUI MOLY, num reforço da parceria entre as duas marcas, que vai permitir à LIQUI MOLY dar resposta à procura cada vez maior por parte do grande público.
     
    A LIQUI MOLY e a Feu Vert reforçaram a parceira que une as duas empresas através de uma campanha de grande visibilidade. A partir de hoje, e durante os próximos meses, todos os colaboradores dos autocentros da Feu Vert vão vestir t-shirts com a imagem LIQUI MOLY, reforçando a visibilidade da marca mas também a especialização dos funcionários da rede oficinal nos produtos LIQUI MOLY. 
     
    "Com este reforço da parceria com a Feu Vert vamos conseguir dar resposta a uma procura cada vez maior por parte do grande público em relação aos nossos produtos. Continuamos a privilegiar o nosso cliente profissional, que representa o nosso core business e para o qual temos produtos, soluções e um apoio próprios, mas há produtos que o consumidor final nos pede cada vez mais", explica Sadhna Monteiro, diretora de marketing e de desenvolvimento de negócio da LIQUI MOLY Iberia. 
     
    Além disso, esta é também uma ação que, "por um lado, nos garante uma grande visibilidade junto do grande público e, por outro, mostra a confiança de um grupo internacional como a Feu Vert na nossa marca", sublinha Sadhna Monteiro, que acrescenta: "esta é uma ação que vai decorrer nos próximos meses e vai incluir várias ativações de marca e uma proximidade maior da LIQUI MOLY com os autocentros FeuVert em todo o país". 
     
    Para Jorge Lobato de Faria, diretor-geral da Feu Vert, o objetivo principal a nível nacional nos próximos meses é "dar a conhecer aos clientes que em todas as lojas da Feu Vert podem encontrar produtos da LIQUI MOLY, tanto lubrificantes como aditivos e, sendo os meses de Verão bastante importantes para o nosso setor de atividade, o timming pareceu-nos perfeito. Esta ação vai reforçar a afirmação dos autocentros Feu Vert na venda dos produtos LIQUI MOLY ao consumidor final em Portugal”, sublinha o responsável. 
     
     
     
     
    LIQUI MOLY IBERIA
    O responsável da rede de autocentros em Portugal assume ainda que, "através desta campanha, a parceria entre as duas insígnias sai muito reforçada e os objetivos a médio prazo passam, sobretudo, por consolidar as gamas de produto da LIQUI MOLY nos autocentros Feu Vert e ajudar a LIQUI MOLY a comunicar neste canal (B2C). Tendo em conta a dinâmica presente nas duas insígnias, acreditamos que o futuro em comum será bastante sorridente e surpreendente."
     
    A Feu Vert tem atualmente 13 autocentros em Portugal e está presente em Lisboa (Alfragide e Cabo Ruivo), Santarém, Gaia (dois autocentros), Aveiro, Braga, Leiria, Loures, Coimbra, Guimarães, Sintra e Portimão. A rede está numa fase de forte expansão e, nos próximos meses, vão abrir três novos centros e até ao final do ano abrirão outros dois. Os mais de 250 colaboradores da Feu Vert, entre chefes de oficina, mecânicos e rececionistas, vão vestir as t-shirts da LIQUI MOLY durante os próximos meses. 
     
    A gama de óleos e de aditivos da LIQUI MOLY pode ser encontrada em todos os autocentros da Feu Vert (www.feuvert.pt).
     ac6 Copyac7 Copy

     

    SALÃO AUTO DO PORTO

     

    Exponor recebeu mais de 30 marcas e 500 veículos

    3ª Edição do Salão Auto do Porto foi um sucesso e a organização já começa a pensar no próximo ano

     

    O 3º Salão Automóvel do Porto e o AUTO Business – 1º Salão de Veículos Comerciais e Soluções de Financiamento para Empresas, que decorreram na Exponor, entre os dias 8 e 11 de junho, foram um sucesso.

    Com 30 marcas presentes (mais de 90% das presentes no mercado nacional) e mais de 500 veículos em exposição, o Salão Auto do Porto e o AUTO Business contaram com mais de 20 mil visitantes, que apreciaram, durante quatro dias, uma vasta gama de veículos novos e seminovos e assistiram ao lançamento de modelos de algumas das 30 marcas presentes na Exponor.

    A Tesla mostrou, pela primeira vez numa exposição nacional, a sua visão de mobilidade 100% elétrica. A marca norte-americana teve em exposição os modelos S, primeiro sedan premium, e o X, um utilitário seguro e rápido.

    A Opel fez o pré lançamento da nova Insignia e do seu SUV. A Honda apresentou, pela primeira vez em Portugal, o novo Civic Type R, com uma potência de 320 cavalos e os 400 Nm de binário.

    No espaço da Mitsubishi, as novidades foram o Space Star 2Tone, o L200 Strakar CC Spot edition e o Rodado Simples traseiro Fuso Canter 4wd. No espaço da Mercedes Benz estiveram o novo Gla, o Classe E Coupé, o Classe E All Terrain e o AMG GT C.

    A Renault mostrou o novo Captur e o novíssimo Koleos e a Dacia a nova carrinha Logan MCV e ainda o renovado Duster dCi 110 EDC. 

    A Peugeot também reservou para o Salão Auto do Porto o lançamento da nova geração 5008, um SUV de 7 lugares do segmento C, e a Hyundai contou com duas estreias nacionais: a nova Hyundai i30 SW e a Hyundai H350 SWB de sete lugares.

    Em jeito de balanço, Filipe Gomes, diretor das duas feiras, realça o facto do “Salão Auto do Porto ter sido palco de muitas apresentações e de pré-lançamentos de algumas das marcas mais importantes presentes no mercado nacional. Foram quatro dias de muita animação para o público e de contactos de negócios para os expositores”.

    Para a edição do próximo ano, Filipe Gomes promete, “um Salão Auto do Porto ainda com mais novidades e muitos lançamentos e um modelo ainda mais atrativo para os visitantes e as marcas expositoras”.

    O Salão Auto do Porto e o AUTO Business são organizados pela Exponor – Feira Internacional do Porto, em parceria com a ARAN-Associação Nacional do Ramo Automóvel.

    O Salão Auto do Porto é mais vocacionado para as famílias, que procuram promoções e uma oferta diversificada, e o AUTO Business é mais dirigido para o público empresarial, para aquisição de veículos comerciais e soluções de financiamento.

     

     

    WTCC VILA REAL 2017

     

    WTCC 2017

    Honda ready for WTCC street fight in Portugal

    alt WTCC Race of Portugal

    Circuito Internacional de Vila Real, Portugal
    alt

    Honda continues its fight for the FIA World Touring Car Championship on the streets of Vila Real, Portugal, this weekend with three drivers hungry for success.

    Having crossed the line first at every street circuit since the start of 2016, the Civic WTCC is aiming to power Tiago Monteiro, Norbert Michelisz and Ryo Michigami to strong results as the season reaches its midway point.

    Tiago’s victories in Morocco and Hungary have put him second in the Drivers’ Championship, just two points away from the top spot.

    Having grown up in the Douro region in which Vila Real is located, the Portuguese driver was treated to a hero’s reception at his home circuit last year when he claimed a hugely emotional victory. Should he repeat the achievement, it would be a fourth win of his WTCC career in Portugal.

    After twice being taken out of victory contention by contact from rival cars, Norbert leapt back into title contention with a strong second-place finish at the Nurburgring last month.

    Seventh in the Drivers’ Championship, the Hungarian is within a Main Race win’s worth of points of the series lead and has already put his recent bad luck behind him as the WTCC embarks upon its final European-based event of 2017.

    Norbert has finished on the podium in Vila Real in each of the past two seasons and is aiming to repeat that achievement this weekend as he continues his surge back up the points table.

    Unlike Tiago and Norbert, Ryo has never raced at the Circuito Internacional de Vila Real, but has been learning the layout on a Simulator as he prepares to do battle on the streets and add to his current points tally.

    New to the Honda Racing Team JAS driver – and all the competitors – this weekend is the addition of a ‘joker lap’; the first time such an innovation has been used in an FIA World Championship circuit-racing series.

    An alternative route through the final corner has been added, which each driver must use once during races; the aim being to increase the likelihood of overtaking on the narrow 4.6km circuit and create an additional action spot for fans as drivers employ different strategies.

    The Hondas will all carry 50kg of compensation weight this weekend, making them 20kg lighter than they were in Germany last time out.

    Tiago Monteiro

    Tiago Monteiro 18

    “I can’t wait to race in Portugal; it’s an annual highlight. The Douro valley is my home and the support I get there is just incredible. Winning last year was one of the best moments of my career and seeing the thousands of people around the podium who came out to celebrate with me was a moment I’ll remember for the rest of my life. I’d love to repeat that, both for the special feelings and to strengthen my fight for the championship. Qualifying will be critical, as it was last year, because overtaking is very tough on narrow street tracks like Vila Real, but the ‘joker lap’ will certainly spice things up in this area.”

    - Castrol Honda WTCC
    Norbert Michelisz

    Norbert Michelisz 5

    “After a run of bad luck in Italy and Hungary, I feel like we got ourselves back on-track in Germany with a strong podium finish, and I don’t see any reason why we can’t continue to close in on the championship lead in Portugal. We’ve raced there since 2015 and I’ve finished on the podium in each of the past two seasons. The Honda is perfectly suited to street circuits, as everybody can see from how fast we’ve been on them recently, and I’m confident that we can score a lot of points and continue the battle this weekend. I’m also very interested to see how the ‘joker lap’ will work. The WTCC should be praised for attempting new things like this. I hope we can use it to our advantage.”

    - Castrol Honda WTCC
    Ryo Michigami

    Ryo Michigami 34

    “Once again we head to a new circuit for me in Vila Real. I’ve done some training on the simulator, so I know my way round now, but it’s no substitute for the real thing, so I’m very excited to take to the track for the first time on Saturday morning. I’ve had pretty bad luck recently, but I’m feeling reasonably confident about this weekend as Marrakech – the last street circuit we visited – went very well for me and we have a reduced compensation weight of 50kg for this event, which will help our performance.”

    - Honda Racing Team JAS

     

    EXTREME TRIAL

     

    EXTREME TRIAL 4X4 COUÇO: EVENTO SOLIDÁRIO A FAVOR DAS VITIMAS DOS INCÊNDIOS.

     

    Portugal, em especial a região centro está a enfrentar um dos piores momentos da sua história recente, fruto dos terríveis incêndios que estão

    a dizimar vários concelhos da zona.   Na presença desta tragédia, de

    dimensões nunca antes vistas no nosso país, a X-Adventure e as pessoas que com esta organização colaboram apresentam as condolências aos familiares e amigos das vitimas que estes incêndios causaram.

    No entanto, esta é ainda uma hora de luta contra um verdadeiro monstro assassino que está a devorar terra e vidas. A fazer-lhe frente estão os bombeiros e as demais forças de segurança, a quem desejamos a máxima sorte e coragem num combate que esperamos seja tão breve quanto possível.

    Porque esta é uma situação que não deixa ninguém indiferente, que necessita não só da intervenção e empenho das autoridades, mas também da sociedade civil da qual fazemos parte, a X-Adventure decidiu dar um contributo positivo e procurar ajudar quem sobreviveu a esta enorme tragédia a restabelecer a sua vida. Assim, em colaboração com elementos do CAAS - Centro de Amizade e Animação Social de Santiago da Guarda, entidade que organizou a primeira prova deste época em Santiago da Guarda, Município de Ansião, iremos transformar prova no Couço, Coruche, já no próximo dia 9 num grande evento solidário de apoios ás vitimas dos incêndios. O CAAS está localizado bem próximo da zona mais afectada, conhecendo não só as pessoas e instituições locais, bem como a dura realidade provocada por estes incêndios. É por isso mesmo o parceiro óbvio para esta iniciativa.

    Durante os próximos dias os nossos parceiros irão realizar contactos junto das populações e instituições da zona afretada por forma a identificar as necessidades emergentes.  Após este trabalho iremos então divulgar uma lista com os bens que são necessários, isto para que não exista desperdício e para que quem ajuda saiba que aquilo que doou é realmente necessário e entregue a quem precisa.  A titulo de exemplo e apenas provisório podemos dizer que estamos a falar de coisas tão básicas como lençóis, louça, pequenos móveis ou pequenos electrodomésticos, vestuário, equipamentos do lar, etc.  Serão sobretudo pequenas coisas do dia à dia, mas que farão uma enorme diferença a quem perdeu tudo.

    A recolha dos bens será feita durante a realização da prova do Couço. Na semana seguinte ao evento, a X-Adventure irá providenciar o transporte para a zona afetada onde depois os nossos parceiros irão se encarregar de fazer chegar a quem realmente deles precisa.

    Apelamos assim ao sentido solidário de todos quantos participam e seguem o "Extreme", e também quem mesmo que não siga a modalidade mas que queria e possa contribuir, para que no dia 9 faça a sua entrega e possamos juntar um grande cabaz.  Apelamos ainda para que difunda esta mensagem pelo máximo de pessoas possível, mesmo que não fale na nossa prova ou no "Extreme Trial 4x4" , mas que informe sobre a iniciativa e como contribuir. Bastará apenas vir deixar o donativo e nada mais.

     

    Dentro de alguns dias, e depois de identificadas as necessidades, iremos dar mais informações de como se pode juntar a nós nesta iniciativa.

     

    X-Adventure.ac5 Copy

     

    TT EM ANGOLA

     

    Este foi um rali estranho.

    Tivemos que andar quilómetros fora de Benguela para chegar à base do rali. Mais de 25 km da Baía Azul que deu o nome à prova.

    Este rali já foi considerado o rali melhor marcado de há alguns anos a esta parte.

    A organização debateu-se com muitas contrariedades, mas, dadas as circunstâncias, este foi o rali possível.

    A expectativa para esta prova era enorme dado que se previa uma grande participação de pilotos.

    À ultima da hora as máquinas não ficaram prontas e participaram 22 concorrentes divididos pelas respectivas classes:

    Classe M – 4 pilotos

    Classe Q – 5 pilotos

    Classe TT – 5 pilotos

    Classe E – 8 pilotos

    O centro do rali foi na Pescaria do Grupo Adérito Areias no Chamume.

    As pistas eram boas e ao mesmo tempo muito rápidas.

    Desistências foram 9, entre elas o Hamilton Gonçalves (Suzuki LTR 450), que teve que ser socorrido fruto de um queda que motivou a quebra da tíbia direita.

    Ricardo Almeida e a sua Honda CRF 450 não deram hipóteses aos seus adversários com máquinas de menor cilindrada e por isso com menos potência. Fábio Cruz ainda obteve um 2º lugar apesar dos problemas na sua Husqvarna TC250. Joshua Teixeira (Husqvarna TC250) fez tudo para terminar, mesmo trocando a moto com o pai (Zé Comando-Honda CRF300), mas não ficou classificado.

    Na Classe das moto4, Miguel Cardoso (KTM XC525) sempre foi mais rápido que Paulo Trindade (Honda TRX450) nas Especiais. Alexandre Lopes(Yamaha Raptor 700) e Ali Chamseddine (KTM XC525) não tiveram sorte com a mecânica das suas máquinas.

    Na Classe TT dos jipes e das pick-ups, Ricardo Sequeira/Jorge Monteiro voaram baixinho com o Mitsubishi Pajero, que agora mudou de cor. Maló Almeida/João Paulo tentaram mas desconseguiram. A velocidade de ponta da Nissan Pick-Up é muito inferior ao Mitsubishi, mas as suspensões também são diferentes. Pedro Jesus levou o Jeep Wrangler até ao pódio. Eduardo Viana/Rogério de Brito estrearam um UMM Alter com um motor Toyota, mas numa queda depois de um salto, ficaram sem o eixo da frente. Moginho Pires/ Jorge Lopes continuam sem acabar um rali com o Land Rover 110, apesar que desta vez já fez muitos mais quilómetros.

    A Classe E continua a ser aquela que tem maior número de participantes nos nossos ralis. Foram 7 SSV(side by side vehicule) ex-UTV e um buggie. Edwin Santos(Campeão 2015) ganhou a prova com o Polaris 1000. Também de Polaris 1000, João Lota, com alguns problemas, ficou em 2º lugar. E para terminar o pódio ficou o 1º Polaris 900 de Luís Abrantes(Campeão de 2016). Mário Fontes perfeitamente adaptado ao Polaris 1000 teve um furo na ultima Especial e ficou em 4º lugar. Jason Santos com o 2º Polaris 900 ficou em 5º lugar. Desistências devido a avarias, Rodrigo Morais (Polaris 1000), Miguel Raposo(Polaris 900) e Bruno Pegado(Pegado Ombadja).

    As fotos são do Adriano Alexandre

     

    Próxima prova (3ª do CARR 2017) será no dia 15 de Julho no Waku Kungo – Rali TT Internacional Lupupa https://web.facebook.com/events/419309728456075/?active_tab=discussionac1 Copyac2 Copyac3 Copyac4 Copy

     

    FLAVIO SAINHAS NO PODIO EM SANTA MARTA

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 – VALVOLINE – JC GROUP

     

    RAMPA DE SANTA MARTA

     

    FLAVIO SAINHAS NO PODIO EM SANTA MARTA

     

    Uma vez mais Flávio Sainhas ao volante do seu Ford Escort mostrou a sua rapidez, obtebdo o segundo lugar na categoria na Rampa de Santa Marta, quarta prova do calendário do Campeonato Nacional de Montanha.

     

    Logo nas duas  subidas de treinos, o piloto da Covilhã mostrou logo as suas inenções, que estava ali para vencer e assim fez logo os tempos de 2.20.511, e 2.18.202.Nas três subidas de prova faria 2.12.270, 2.10.583 e 2.11.287.

     

    Após a ida ao pódio, e na altura em que preparava para colocar o seu Ford Escort em cima do atrelado para assim fazer o seu regresso à cidade da Covilhã, comentou-nos a prova “ correu bem, balanço positivo, lutei e consegui melhorar sempre os meus tempos em cada subida, tentei lutar pela vitória na categoria, mas é muito dificil bater o Ford Escort do Dr.José Pedro Gomes.Ainda consegui estar na frente, mas depois a potencia do Escort do DR.Gomes fez o resto….Apenas piorei o meu tempo na ultima subida e isso porque o piso estava  muito quente e escorregadio, e não deu para melhorar o tempo.Estou também satisfeito, pois nas duas primeiras subidas estive à frente do Escort  Dr.José Pedro Gomes, mas a verdade é que o meu carro nada tem a haver com o carro dele, e contra a potencia de cavalos…não há argumentos, com aquele motor BDA, já ´e “outro planeta”, disse-nos.

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS MONTANHA

     

    1º José Pedro Gomes – Ford Escrot

    2º FLÁVIO SAINHAS – FORD ESCORT

    3º Parcidio Summavielle – Datsun 240 Z

     FOX 4421_Copy

     

    CIRCUITO DE VILA REAL - LISTA DE INSCRITOS

     

    CIRCUITO DE VILA REAL

     

    LISTA DE INSCRITOS

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS 1300

     

     

     

     

    202 VELOSO AMARAL 16770 VELOSO AMARAL 16770 CLAN CRUSADER H71 + 1000
    203 VETTRAMOTORSPORT RICARDO GOMES 15286 DATSUN 1200
    204 TIAGO MOREIRA TIAGO MOREIRA DATSUN 1200
    205 FILIPE NOGUEIRA 13385 FILIPE NOGUEIRA 13385 MORRIS MINI 1275 GT H71
    206 VICTOR ARAÚJO VICTOR ARAÚJO DATSUN 1200 H75
    211 ABEL MARQUES ABEL MARQUES SÉRGIO MONTEIRO AUTOBIANCHI A 112 ABARTH H75 + 1000
    215 ARNALDO MARQUES 16356 ARNALDO MARQUES 16356 DATSUN 1200 H71
    218 JOÃO BRAGA 16353 JOÃO BRAGA 16353 DATSUN 1200 H75
    220 FERNANDO CHARAIS 16571 FERNANDO CHARAIS 16571 DATSUN 120Y H75
    222 JOSÉ MOTA FREITAS 17860 JOSÉ MOTA FREITAS 17860 AUSTIN COOPER S
    223 VALTER TÃO VALTER TÃO DATSUN 1200 H75
    224 LUÍS LOSADA LUÍS LOSADA FIAT 124
    225 FILIPE FERREIRA 18295 FILIPE FERREIRA 18295 DATSUN 1200 GR1
    226 LUÍS SOUSA COSTA 16580 LUÍS SOUSA COSTA 16580 DATSUN 1200 GR1
    229 JOÃO PEDRO PEIXOTO JOÃO PEDRO PEIXOTO MINI COOPER S H71
    232 RUI CASTRO RUI CASTRO DATSUN 1200 GR1
    235 PAULO CONCEIÇÃO PAULO CONCEIÇÃO DATSUN SUNNY GX H75
    250 PAULO MIGUEL PAULO MIGUEL MG MIDGET H71
    252 JOSÉ FAFIÃES JOSÉ FAFIÃES DATSUN 1200 H75
    259 PEDRO BOTELHO PEDRO BOTELHO AUSTIN MINI COOPER S H71
    271 BRUNO PIRES 13129 BRUNO PIRES 13129 DATSUN 1200 H71
    272 LUÍS ALEGRIA LUÍS ALEGRIA DATSUN 1200 COUPÉ H75
    22 CONCORRENTES
    VILA REAL 24/25 JUNHO 2017 LISTA DE INSCRITOS

     

    CIRCUITO DE VILA REAL - LISTA DE INSCRITOS

    LISTA DE INSCRITOS

     

     

    CIRCUITO DE VILA REAL

     

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS

     

     

    103 JOÃO MACEDO SILVA 15410 JOÃO MACEDO SILVA 15410 PORSCHE 911 RSR H75
    104 ANTÓNIO GODINHO ANTÓNIO GODINHO VOLKSWAGEN 1302 S GR5
    105 JOSÉ MANUEL CASTRO JOSÉ MANUEL CASTRO VOLKSWAGEN 1302 S GR5
    106 JOAQUIM JORGE JOAQUIM JORGE FORD ESCORT RS1600 H75
    108 RP MOTORSPORT 13542 JOÃO PAULO SOUSA BMW 635 CSI GR5 109 FERNANDO MORGADO 17645 FERNANDO MORGADO 17645 BMW 2002 H71
    110 GC SPORT LUÍS CARLOS FORD ANGLIA GR5 + 1600
    111 FERNANDO XAVIER 16232 FERNANDO XAVIER 16232 VOLKSWAGEN SCIROCCO H81
    114 JOÃO NOVO JOÃO NOVO FORD ESCORT RS1600 GR5
    117 RP MOTORSPORT GONÇALO JORDÃO HENRIQUE JORDÃO PORSCHE 928 S GR1
    115 RUI SOUSA RUI SOUSA TOYOTA STARLET GR5
    118 JOÃO VIEIRA 16541 JOÃO VIEIRA 16541 VOLKSWAGEN KARMANN GHIA H65 + 1600
    120 RUI ALVES RUI ALVES FORD ESCORT RS1600 H75
    121 RUI AZEVEDO RUI AZEVEDO FORD ESCORT RS1600 H75
    123 JORGE AREIA JORGE AREIA FORD ESCORT RS1600 H75
    124 MÁRIO FIGUEIREDO MÁRIO FIGUEIREDO LOTUS ELAN
    125 JOSÉ TEIXEIRA 17142 JOSÉ TEIXEIRA 17142 AUSTIN MINI GR5
    127 LUÍS DELGADO LUÍS DELGADO FORD ESCORT RS1600 H75
    129 BERNARDINO SILVA 16268 BERNARDINO SILVA 16268 FORD ESCORT MK1 GR5
    132 RP MOTORSPORT 13542 JORGE CRUZ 16302 BMW 323i H81
    133 MONTEIROS COMPETIÇÕES 15510 FILIPE MATIAS 11176 LOTUS ELAN H71 + 1600
    145 JOAQUIM SOARES JOAQUIM SOARES LOTUS ELAN H71 + 1600
    150 RP MOTORSPORT 13542 ALEXANDRE GUIMARÃES 14309 LOTUS ELAN G5
    155 FANDRIAUTO LUÍS NUNES FORD ESCORT MK2 RS2000 G5
    161 RP MOTORSPORT 13542 DOMINGOS SOUSA COUTINHO BMW 2800CS H71
    170 RÓMULO MINEIRO RÓMULO MINEIRO FORD ESCORT RS2000 GR5
    176 GC SPORT DUARTE FERNANDES FORD ESCORT RS MK2 GR5
    27 CONCORRENTES
    VILA REAL 24/25 JUNHO 2017

     

    NUNO FIGUEIREDO CONTINUA EVOLUÇÃO

     

    LEGEND´S CUP – PORTIMÃO

     

    NUNO FIGUEIREDO CONTINUA EVOLUÇÃO DA VOLVO 850 ESTATE

     

    A evolução da Volvo 850 Estate continua e a verdade é que na segunda jornada da Legend´s Cup, que decorreu no autódromo de Portimão, o andamento do piloto de Lisboa foi notório. Se na primeira corrida problemas de pneus não permitiram melhor do que a 16ª posição à geral, já na segunda corrida a “sueca endiabrada” seria autora duma excelente recuperação, vendo a bandeira de xadrez na sétima posição. 

    Em termos de melhor volta, Nuno Figueiredo faria 2.15.259, mesmo debaixo do muito calor que se fez sentir na pista de Portimão .

     

    No final da segunda corrida, depois de ter retirado o capacete, e recebido as saudações de toda a equipa da Monteiro´s Competições, Nuno Figueiredo começou por nos dizer “ a evolução da Volvo 850 Estate é notória, contudo algumas problemas de pneus originados pelo calor sentido limitaram o resultado da 1ª corrida, sendo o 16º lugar à geral o resultado possível. Felizmente na segunda corrida tudo se conjugou, e consegui a melhor classificação de sempre, com um 7º lugar à geral, o que vem demonstrar  que estamos no bom caminho.  A evolução da “sueca endiabrada”  está à vista de todos. Estou com uma certa curiosidade para ver como irá  ser no circuito citadino de Vila Real, que exige muito a nível mecânico sobretudo ao nível dos travões, mas estou confiante num bom resultado final.“ disse-nos.

     

    CLASSIFICAÇÃO GERAL FINAL

     

    1ª Corrida

     

    1º João Novo – Ford Sierra RS 500 Cosworth

    2º Paulo Sousa – BMW E 36

    3º Paulo Mendes – Citroen Saxo Cup

    4º Pedro Alves – Citroen Saxo Cup

    5º António Camilo – Citroen Saxo Cup

    16- NUNO FIGUEIREDO – VOLVO 850 ESTATE

     

    2ª Corrida

     

    1º Paulo Sousa – BMW E 36

    2º José Meireles – Toyota Carina E

    3º Emanuel Camilo – Citroen Saxo Cup

    4º António Camilo – Citroen saxo Cup

    5º Simplicio – Peugoet 306

    6º Luis Mendes – Citroen Saxo Cup

    7º NUNO FIGUEIREDO – VOLVO 850 ESTATE

     FOX 1973_Copy

     

    VILA REAL RECEBE RACING WEEKEND

     

    É já no próximo fim-de-semana que acontece o próximo Racing Weekend e Vila Real vai ser o palco escolhido, para os Clássicos e Clássicos 1300.

    Cinquenta e um pilotos disseram “sim” à Full Eventos e vão contribuir para o sucesso da próxima jornada de Racing Weekend, que está agendada para Vila Real, já no próximo fim-de-semana.

    Em jogo vão estar os pontos para o Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos (CNCC) e para o Campeonato Nacional de Clássicos Circuitos 1300 (CNCC1300), com número de presenças record, nomeadamente nos 1300, que juntam 23 inscritos, em 22 automóveis.

    Os Clássicos vão para a pista logo às 10,30 de Sábado com o CNCC a arrancar primeiro para os treinos livres. As qualificações estão previstas das 13,00 às 13,20h e das 13,35 às 13,55h para o CNCC e CNCC 1300, respectivamente. Ainda no Sábado, às 17,20h está prevista a realização da primeira corrida do CNCC.

    Domingo, às 09,30h o CNCC 1300 abre o programa. Seguem-se os participantes do CNCC, com a realização da segunda corrida. A segunda corrida do CNCC 1300, está prevista para as 14,45 horas.

    cncc v real CNCC - Arquivo Vila Real 2016

     

    RAMPA DE SANTA MARTA DE PENAGUIÃO

     

    José Correia e JC Group obtêm novo pódio em Santa Marta

     

     

    A quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha disputou-se sob intenso calor em Santa Marta de Penaguião (região do Douro). José Correia conseguiu o terceiro lugar da Categoria 2 em condições muito difíceis para o Nissan Nismo GT-R GT3.

     

    O piloto de Braga chegava à prova transmontana como líder da categoria dos GT, após vitórias consecutivas nas rampas da Falperra e da Serra da Estrela-Covilhã. Em Santa Marta, José Correia já sabia que o traçado não era favorável ao potente Nissan Nismo GT-R GT3 e foi isso mesmo que se verificou ao longo do fim-de-semana, com o piloto e fundador da JC Group a garantir ainda assim o quarto pódio em quatro provas em 2017.

     

    “A prova correu bem mas este não é mesmo um traçado indicado para o Nissan. Não dava para arriscar porque o carro não atinge velocidades suficientes para aproveitar a aerodinâmica e, por isso, torna-se algo instável. Além disso, como o curso de suspensão é mínimo o piso desta rampa torna difícil manter o carro na estrada. No fundo, tentámos evoluir o nosso andamento sem cometer erros que pudessem deitar tudo a perder. A regularidade de bons resultados é muito importante e continuamos na luta pelo título”, referiu José Correia, que se mostrou ainda solidário com as vítimas do trágico incêndio de Pedrógrão Grande.

     

    O Campeonato Nacional de Montanha prossegue nos próximos dias 15 e 16 de julho com a emblemática Rampa do Caramulo.

     

     

     aq4 Copyaq5 Copy

     

    VOLVO É NOTICIA

     

    Volvo V40 Cross Country – A aventura começa por 220€/mês

     

    A Volvo apresenta em Portugal, a campanha “A aventura começa por 220€/mês”.

    As condições desta ação promocional que se inicia hoje e estará em vigor até dia 31 de Julho, destinam-se ao modelo V40 Cross Country.

    Para além do valor do aluguer, neste valor estão já incluídas despesas administrativas, IUC, IPO, Manutenção e Seguro para um exemplo de renda mensal num contrato de 48 meses / 40.000 kms com entrada inicial de 10.350€.

    Entre outros itens o nível de equipamento disponível neste modelo possui ar condicionado, limitador de velocidade, city safety, volante em pele e jantes em liga leve de 16.


    1927 – 2017: 90 anos a pensar nas pessoas

     

    RAMPA DE SANTA MARTA DE PENAGUIÃO

     

    Edgar Reis e o segundo lugar na Rampa de Santa Marta: “Foi o resultado possível”

     

    A vaga de intenso calor que tem assolado o país também marcou a Rampa de Santa Marta, quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha. Uma ronda onde Edgar Reis levou o Porsche 997 GT3 Cup ao segundo lugar da Categoria 2 e ao top 8 da geral.

     

    O piloto do Team Transfradelos apostava na luta pela vitória em Santa Marta de Penaguião, embora as condições da prova não tivessem permitido chegar a esse objetivo. Ainda assim, o segundo lugar na sempre equilibrada categoria dos GT acaba por ser um bom resultado para Edgar Reis.

     

    “A Rampa de Santa Marta é sempre muito difícil para os GT e este ano o calor complicou tudo, principalmente para nós que não tínhamos pneus novos para esta prova”, referiu Edgar Reis. “Conseguimos o nosso melhor tempo na segunda subida oficial mas não deu para chegar ao primeiro lugar. Considero que foi um bom resultado e pelo menos recuperámos alguns pontos a um dos nossos adversários diretos”, concluiu o piloto de Famalicão, que também se mostrou consternado pela tragédia do incêndio em Pedrógrão Grande.

     

    Dentro de sensivelmente um mês disputa-se a quinta prova do Campeonato Nacional de Montanha, a carismática Rampa do Caramulo (15 e 16 de julho), prova que Edgar Reis venceu na categoria em 2016aq1 Copyaq3 Copy
     

    JOSÉ PEDRO GOMES RUBRICA NOVA VITÓRIA

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 – VALVOLINE – JC GROUP

     

    RAMPA DE SANTA MARTA DE PENAGUIÃO

     

    JOSÉ PEDRO GOMES RUBRICA NOVA VITÓRIA EM SANTA MARTA

     

    Uma vez mais José Pedro Gomes ao volante do seu Ford Escort venceu a sua categoria na Rampa de Santa Marta, quarta prova do calendário do Campeonato Nacional de Montanha.

     

    José Pedro Gomes faria nas duas subidas de treinos, os tempos de 2.19.515 e 2.11.262 respectivamente.Já nas tres subidas de prova, o piloto advogado não se fez  rogado, e obteria os cronos de 2.13.595, 2.09.356 e 2.09.939.

     

    Satisfeito com a vitória, embora um bocado suada, José Pedro Gomes confidenciava-nos “ não foi nada fácil, pois os meus mais directos adversários estavam muito rápidos, e por isso nas ultimas subidas de prova tive de me concentrar ao máximo para fazer as subidas sem cometer erros.Custou, mas consegui atingir os meus objectivFOX 3498_Copyos, aliás a diferença para o Flávio Sainhas foi pequena, mas correu bem, mais uma vitória em termos de categoria, mais pontos amealhados para o campeonato, objectivos alcançados “.

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL CATEGORIA

     

    1º JOSÉ PEDRO GOMES – FORD ESCORT

    2º Flávio Sainhas – Ford Escort

    3º Parcidio Summavielle – Datsun 240 Z

     

     

    NOVO TOYOTA PRIUS PLUG -IN

     

    O novo Toyota Prius Plug-in é reconhecido com prémio "World Green Car 2017"

    Pelo segundo ano consecutivo o prémio “World Green Car” é atribuído a um modelo da Toyota.
     
    No Salão Internacional Automóvel de Nova York, que decorreu no mês de Abril, o Toyota Prius Plug-in foi reconhecido com o prémio “World Green Car 2017”, onde na edição anterior, em 2016, já tinha sido distinguido o Toyota Mirai com o mesmo prémio ambiental.
     
    "É uma grande honra ver o Prius Plug-in reconhecido com o prémio “World Green Car”", afirmou Jack Hollis, vice-presidente da Toyota Motor North America e Diretor Geral da divisão Toyota. "Para as marcas mundiais como a Toyota, este prémio é um testemunho do nosso foco no desenvolvendo de produtos que agitam emoções e satisfazem as necessidades de mobilidade dos nossos clientes em todo o mundo".
     
    O Prius Plug-in está à venda na Europa desde Março e foi escolhido de entre 12 viaturas nomeadas em todo o mundo, que cumprem os requisitos e premissas ambientais necessários para a atribuição do prémio. Foram tomadas em consideração as emissões de CO2, o consumo de combustível e a utilização de uma tecnologia amiga do ambiente (para além dos componentes do motor), visando especificamente aumentar a responsabilidade ambiental do veículo.
     
    Para além da vitória do Toyota Mirai no ano passado, em edições anteriores dos prémios Word Green Car Awards, o Toyota Prius ficou entre os três melhores (- "Top Three in the World" ) na edição de 2010 para o prémio “World Green Car”. Já o Toyota GT86 ficou entre os três melhores para Carro Mundial do Ano na edição de 2013 e o Toyota iQ na edição de 2009 para a mesma categoria.
     
    As viaturas nomeadas em todas as categorias são selecionadas e votadas por um painel de júris internacionais composto por 75 jornalistas do ramo automóvel, de 23 países em todo o mundo, dos quais 13 países europeus.
     
    O Prius Plug-in combina todos os atributos da quarta geração do Prius, com uma condução elétrica superior a 50 km, líder na sua classe, e atinge um consumo médio de combustível de apenas 1,0l /100 km, com emissões de CO2 de apenas 22g/km.
     
    O novo Prius Plug-in também apresenta várias tecnologias inovadoras, tais como: ar condicionado com bomba de calor de injeção de gás, único no mundo, para maior eficiência; aquecimento da bateria híbrida, para melhor performance, mesmo em baixa temperatura ambiente; teto solar para recarregar a bateria, que garante até 5 km por dia de autonomia elétrica gratuita; nova plataforma TNGA, para melhor posição de condução e performance dinâmica; novo design, mais vanguardista e sofisticado.AQ2 Copy

     

    RAMPA DE SANTA MARTA DE PENAGUIÃO

     

    Edgar Florindo cumpre objectivos em Santa Marta

     

    O Campeonato Nacional de Montanha Valvoline prosseguiu no passado fim-de-semana, com a realização da Rampa de Santa Marta, quarta jornada desta competição em 2017. O muito calor que se fez sentir nesta localidade transmontana, não impediu a presença de muito público, que apoiou todos os pilotos, com especial destaque para os concorrentes que competiam em “casa”.

    Integrado neste último grupo, Edgar Florindo regressou ao Toyota Carina E que utilizou no Campeonato Legends Cup na época passada e não deixou ficar mal as gentes da terra, conseguindo um esplêndido pódio na Categoria 4, com o terceiro lugar final e ainda a vitória na Classe 9, a serem um justo prémio para o esforço da equipa.

    “Este resultado deixa-me muito satisfeito, foi o melhor a que poderia aspirar dada a diferença para os outros dois carros que dominam habitualmente esta categoria. O meu carro não estava bem no Sábado, dado que tem especificações para circuito e não se deu bem com um traçado muito sinuoso como este. Conseguimos melhorar um pouco para Domingo, mexendo ao nível da electrónica e com isso foi possível chegar a tempos mais de acordo com o que poderia fazer. Desta forma conseguimos o terceiro lugar final e um pódio. Gostei muito de fazer esta rampa perto da minha terra, diverti-me, divulguei os patrocinadores e por isso saio daqui com a satisfação de ter cumprido os meus objectivos na integra. Este ano já não devo voltar ao Nacional de Montanha, mas é sempre um prazer participar nesta competição onde existem um espírito e uma camaradagem únicos.” Disse Edgar Florindo.

    O piloto agradeceu ainda os apoios de: “Grupo Rui Florindo, Top Car (rede de oficinas), Brincar Automóveis, Azenha de Vilarinho dos Freires, RSM, Banco BPI, Key Trailer, Auto-Manaiacar.”

    Terminada esta incursão pelas provas de montanha, Edgar Florindo volta a concentrar-se no Campeonato Nacional de Velocidade Turismos TCR e no TCR Ibérico, que disputam mais uma jornada dentro de três semanas no Circuito Internacional de Vila Real. AV1 Copy

     

    ALEXANDRE GUIMARÃES POR DUAS VEZES

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS

     

    PORTIMÃO

     

    ALEXANDRE GUIMARÃES POR DUAS VEZES NO PÓDIO EM PORTIMÃO

     

     

     

    Alexandre Guimarães no seu regresso ao Campeonato Nacional de Clássicos no passado fim de semana no autódromo de Portimão, acabou por se saldar em duas excelentes corridas que levaram o experiente piloto do Lotus Elan por duas vezes ao pódio nas duas corridas.

     

    Ao volante do seu bem competitivo Lotus Elan, prepararado pela RP Motorsport, Alexandre Guimarães, em nada acusou o tempo de paragem motivado pela época de defeso, mostrando um andamento fabuloso, conseguindo um tempo de 2.09.801, o que lhe garantiu poder partir da quarta linha da grelha de partida.

     

    Na primeira corrida, acabaria por ver a bandeira de xadrez na 5ª posição à geral e o primeiro em termos de categoria de GR 5.

    Segundo o piloto “ acabei por partir da linha das boxes, por isso foi uma corrida de trás para frente mas divertida pois tive uma curiosa luta com o Porsche 928 S do Gonçalo Jordão carro doutra categoria mas que gosto muito de ver em pista.

     

    Para a segunda corrida, acabaria por ver a bandeira de xadrez na 7ª posição e de novo primeiro classificado na categoria GR 5.  

    Depois da cerimónia do pódio, Alexandre Guimarães dizia-nos, "Parti bem mas a meio da corrida senti uma vibração estranha no carro, vim às boxes, mas voltei à pista e tive que fazer uma grande recuperação acabando por cortar a linha de chegada na 7ª posição à geral,e primeiro na categoria, melhor era impossível ” , disse-nos.

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL

     

    1º Corrida

     

    1º João Macedo e Silva – Porsche 911 RSR

    2º Rui Azevedo – Ford Escort

    3º Jorge Areia – Ford Escort

    4º Filipe Matias – Lotus Elan + 2

    5º ( 1º GR5) ALEXANDRE GUIMARÃES – LOTUS ELAN

     

    2ª Corrida

     

    1º JoFOX 1830_CopyFOX 1848.jpgal_CopyFOX 1850.jpgal_Copyão Macedo e Silva – Porsche 911 RSR

    2º Rui Azevedo – Ford Escort

    3º Jorge Areia – Ford Escort

    4º Filipe Matias – Lotus Elan + 2

    5º Gonçalo Jordão – Porsche 928 S

    6º Jorge Cruz – BMW 323

    7º (1º GR5) ALEXANDRE GUIMARÃES – LOTUS ELAN

     

    24 HORAS LE MANS 2017

    A filosofia de vida desta forma de estar da Toyota. Nunca desistir e ser agradecida!

     

    ELEIÇÕES FPAK 2017

    ELEIÇÕES FPAK 2017

     

    NI AMORIM É O NOVO PRESIDENTE

     

     

     

     

    Foto de Ni Amorim.

    Amigos,

    Sinto uma grande satisfação e, ao mesmo tempo, orgulho por ser eu o escolhido para liderar a FPAK, sinal inequívoco de que o rumo seguido pelo Executivo anterior estava longe de corresponder aos anseios dos associados, mas também tenho consciência da responsabilidade que a partir de agora, face às expetativas criadas, recai sobre os meus ombros.

    É tempo de cerrar fileiras e colocar mãos à obra, porque há muito trabalho a fazer. Serei, podem ter a certeza, um presidente da FPAK de todos os associados, incluindo daqueles que não votaram em mim hoje, e conto com a colaboração de todos.

    Obrigado!

    Ni Amorim

     

     

    24 HORAS LE MANS 2017

    24 HORAS DE LE MANS

     

    O CASO

     

     

     

    VAILLANTE #13 desclassificado. Perde o terceiro lugar em Le Mans por causa de um buraco feito na carroçaria para que os mecânicos activassem a ignição exteriormente com a ajuda de uma chave e um martelo (lembram-se?). Era só o que faltava nesta história de BD que foram as 24 Horas de Le Mans.
    DC Racing faz 1-2 nos LMP2 e Filipe Albuquerque sobe para quinto da geral e quarto na classe.

     

    ELEIÇÕES FPAK 2017

    ELEIÇÕES FPAK 2017

     

     

    Meus caros,

    Em democracia a maioria ganha, foram 3 votos de diferença, e nesta hora as minhas primeiras palavras vão para todos aqueles com quem iniciei este projeto, a equipa que deu corpo ao projeto Mudar FPAK. Foi um prazer enorme a partilha de ideias e de projetos e a busca de pessoas novas com ideias novas para o futuro. A todos o meu enorme reconhecimento e agradecimento pessoal.

    Em segundo lugar para o Manuel Mello Breyner e sua equipa, que a dado momento passou a ser ...a nossa equipa fruto de uma conciliação de projeto que fez todo o sentido. O reconhecimento pela confiança depositada em integrar a nova lista que se formou.

    Apesar de ter a certeza que o nosso projeto marcaria uma assinalável onda de mudança e uma lufada de ar fresco na forma de encarar o dirigismo associativo na Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, a escolha dos delegados de felicitar a Lista A pela vitória, desejando sucesso à nova direção da FPAK, liderada pelo Ni Amorim, pois o sucesso do seu projeto, traduzido em ação, será seguramente o sucesso do Desporto de todos, e principalmente para todos.

    A escolha dos delegados é inapelável e será respeitada, sendo que o tempo se encarregará de nos mostrar a todos o caminho a seguir. Pela minha parte cá continuarei como sempre, disponível para colaborar de forma transparente positiva e acima de tudo, profissional em respeito pelos particantes, associados e adeptoso do Desporto Automóvel nacional.

    A última palavra vai para todos aqueles que nos demonstraram o seu apoio ao longo desta longa campanha! O meu enorme agradecimento, e sim, continuo a contar convosco! Comigo, poderão sempre também contar

     

    DOMINGOS FERNANDES COM MISSÃO CUMPRIDA

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2017 – VALVOLINE – JC GROUP

     

    RAMPA DE SANTA MARTA DE PENAGUIÃO

     

    DOMINGOS FERNANDES COM MISSÃO CUMPRIDA EM SANTA MARTA

     

    Uma vez mais o Autobianchi A 112 de Domingos Fernandes chegou ao final de mais uma rampa, desta feita a Rampa de Santa Marta, quarta prova do calendário doFOX 3418_Copy Campeonato Nacional de Montanha.

     

    Domingos Fernandes ao volante do pequeno Autobianchi A 112 , faria nas subidas de treinos, os excelentes tempos de 2.43.349 e 2.42.302.Para as subidas de prova, começou por fazer 2.43.481, 2.43.426 e 2.48.895, depois de ter sido autor dum pião, sem consequencias de qualquer tipo.

     

    No final, depois da cerimónia do pódio, o piloto de Armamar fez-nos o resumo da prova, dizendo “  correu muito bem, foi praticamente a melhorar os meus tempos em cada subida efectuada, com excepção da ultima, em que piorei um pouco, por ter feito um pião, de resto tudo ok.Agora vou para férias e só depois irei começar a preparar a próxima participação que será na Rampa do Caramulo “, disse-nos.

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL

     

    TAÇA NACIONAL DE CLÁSSICOS DE MONTANHA

     

    1º Anibal Rolo – Datsun 1200

    2º José Carlos Magalhães – Toyota Starlet

    3º José Pedro Figueiredo – Datsun 1200

    4º DOMINGOS FERNANDES – AUTOBIANCHI a 112

     

     

    JOAQUIM SOARES COM BALANÇO POSITIVO

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS – LEGEND´+S CUP

     

    PORTIMÃO

     

    JOAQUIM SOARES COM BALANÇO POSITIVO EM PORTIMÃO

     

    Continuando com a sua adaptação ao Lotus Elan no Campeonato Nacional de Clássicos, Joaquim Soares foi autor de duas excelentes corridas.Logo na sessão de treinos, o simpatico piloto faria  o tempo de 2.14.890, largando assim da 6ª linha da grelha de partida.Segundo Joaquim Soares, “ nunca  tinha corrido com este carro em Portimão,precisava de mais algum tempo em pista para melhorar um pouco mais “.Mas para a primeira corrida Joaquim Soares foi autor duma excelente corrida, tendo cortado a linha de chegada na 9ª posição da geral e segundo na categoria H 71.Para a segunda corrida, o Lotus amarelo veria a bandeira de xadrez na oitava posição à geral e o primeiro em termos de categoria .Por isso no final Joaquim Soares descreveu-nos o que se passou a bordo do Elan, “ correu muito bem, sem problemas de maior , foi fazer a minha corrida sem contratempos, e tentar adaptar-me ao carro, de resto impecável”.

     

    De referir ainda a participação de Joaquim Soares ao volante do Alfa Romeo 156, que participa na Legend´s Cup e no Troféu Feup 3, onde viria a terminar na 14ª posição á geral,  e 6º na Feup 3, mas o piloto estava insatisfeito com os prestimos do carro, dizendo “ não sei o que se passa com aquele motor , não desenvolve, vou ter de resolver isso, de forma a ter o carro o mais competitivo para Vila Real.”

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS

     

    1ª Corrida

     

    1º João Macedo e Silva -.Porsche 911 RSR

    2º Rui Azevedo – Ford Escort

    3º Jorge Areia – Ford Escort

    9º JOAQUIM SOARES – LOTUS ELAN

     

    2ª Corrida

     

    1º João Macedo e Silva – Porsche 911 RSR

    2º Rui Azevedo – Ford Escort

    3º Jorge Areia – Ford Escort

    8º JOAQUIM SOARES – LOTUS ELAN

     

    NACIONAL DE CLÁSSICOS – CATEGORIA H 71

     

    1ª CORRIDA

     

    1º Filipe Matias – Lotus Elan

    2º JOAQUIM SOARES –LOTUS ELAN

     

    2ª CORRIDA

     

    1º Filipe Matias – Lotus Elan

    2º JOAQUIM SOARES – LOTUS ELAN

     

    LEGEND´S CUP – TROFÉU FEUP 3

     

    2ª Corrida

     

    1º Gonçalo Rodrigues

    2º Andre Martins

    3º Fernandes-Delgado

    6º JOAQUIM SOARES

     FOX 1654_CopyFOX 1655_Copy

     

    RAMPA SANTA MARTA

     

    Vitória para Pedro Salvador em Santa Marta!

     

    Pedro Salvador conseguiu este Domingo uma brilhante vitória na Rampa de Santa Marta, com um final de prova arrepiante, num fim-de-semana de muito calor nesta localidade transmontana. O piloto do Silver Car EF10 acabou por levar a melhor face a Rui Ramalho em Osella PA2000 Evo 2, que numa última subida de “faca nos dentes” bateu o recorde da rampa com o tempo de 1:43s380, para ficar a apenas 256 milésimas de Salvador. Os dois líderes absolutos e da Categoria 1, registaram os tempos totais de 3:26s992 (Pedro Salvador) e 3:27s248 (Rui Ramalho).

    Na prova organizada pelo Clube Automóvel da Régua e pela Câmara Municipal de Santa Marta de Penaguião, o terceiro lugar final ficou na posse de João Fonseca em BRC CM05 Evo, com o piloto da Covilhã a vencer entre os CM, ficando na frente de Paulo Ramalho em Osella PA21S.

    Este último, depois de ter dado um toque na segunda subida de prova, completou a prova no quarto lugar final tanto em termos absolutos como na Categoria 1, onde Joaquim Rino em BRC CM05 Evo e Nuno Guimarães em BRC CM02, terminaram a prova na quinta e sexta posição respectivamente.

    “Foi um resultado muito importante para nós e por isso saio satisfeito no final desta prova. Ainda assim continuamos com problemas no Silver Car e tive dificuldades em todas as subidas com o carro a falhar. Tive de arriscar muito para vencer, até porque depois dos pontos que perdi nas duas provas anteriores, era muito importante uma vitória aqui. É bom poder diminuir a distância para o líder do campeonato e provar que estamos aí na luta pelo título. Uma palavra de pesar pelas vítimas do terrível incêndio em Pedrogão Grande, a cujas famílias expresso as minhas sentidas condolências.” Disse Pedro Salvador.  

    Com um magnifico quinto lugar absoluto, Gonçalo Manahu (Porsche 997 GT3 Cup) esteve imparável na Categoria 2, completando a prova com o tempo final de 3:51s568. Em carro idêntico, Edgar Reis foi o segundo classificado na frente de José Correia em Nissan GT-R GT3.

    “Sabia que tinha de vencer aqui e por isso dei tudo o que tinha para chegar ao final em primeiro. Preparei muito bem esta prova, que já venci o ano passado e o resultado final deixa-me naturalmente muito satisfeito. Andei na luta pelos quatro primeiros, reassumi a liderança do Campeonato, por isso melhor não poderia ter sido.” Assumiu Gonçalo Manahu.

    Manuel Correia em Ford Fiesta R5+ venceu a luta particular que o opôs a Luis Silva em BMW M3, com o líder da Categoria 4 a cumprir as duas melhores subidas de prova em 3:56s044. O último lugar do pódio ficou na posse de Edgar Florindo em Toyota Carina E, que venceu o duelo particular que o opôs a Carlos Silva em Peugeot 106 e Nuno Pinto em Mazda MX5. Marco Guerra com o Peugeot 306 fechou o lote de pilotos classificados nesta categoria.  

    “Não foi uma vitória fácil, tive alguns problemas com o carro a partir da segunda subida de prova e isso condicionou-me um pouco em termos de andamento. Mesmo assim foi possível vencer e reforçar a minha liderança no campeonato e por isso estou muito satisfeito”. Revelou Manuel Correia.

    Com 3:58s189, Joaquim Teixeira em Renault Megane Trophy V6 levou a melhor na Categoria 5, na frente de Francisco Marrão em SEAT Leon Supercopa. Jorge Meira, que foi forçado a abandonar na segunda subida de prova, devido a uma falha no alternador do Citroen Saxo, completou o pódio nesta categoria.

    “A minha prestação deixou-me satisfeito, consegui cumprir o objectivo natural de vencer a categoria e lutar por outros objectivos como tentar ser o melhor dos turismos, que passa a ser uma forma de motivação para as provas que ainda faltam.“ Adiantou Joaquim Teixeira.

    Triunfo na Categoria 3 Para Pedro Saraiva, com o homem do Mitsubishi Lancer Evo IX a completar as duas subidas de Domingo em 4:12s075, ele que não conseguiu terminar a primeira subida de prova devido a uma quebra da caixa de velocidades. João Guimarães em Peugeot 206 RC foi o segundo classificado na frente de Pedro Marques em SEAT Leon TDi. Ainda nesta categoria, José Oliveira colocou o Subaru Impresa na quarta posição final.

    “Tivemos muitos problemas este fim-de-semana e por isso este triunfo foi um dos mais difíceis do ano. Ontem com a caixa de velocidades a partir não podemos concluir a subida, hoje tinha de acabar as duas e ser o mais rápido, consegui e por isso esta vitória é um justo prémio para toda a equipa e isso deixa-me muito satisfeito.” Referiu Pedro Saraiva.

    Tiago Ribeiro lutou sozinho contra o cronómetro, para chegar ao final e vencer na Taça TCR/TCS, finalizando a prova com o seu VW Golf GTi no tempo total de 4:08s377.

    “Foi de facto pena o facto de dos três inscritos só eu ter estado presente, mas mesmo assim saio satisfeito desta prova disputada perto da minha terra. Motivei-me com base nos tempos dos carros da categoria mais similar com o meu carro, a Categoria 5 e nesse aspecto consegui um bom resultado, o mesmo acontecendo em termos absolutos”. Disse Tiago Ribeiro.  

    Na Taça Nacional de Montanha, o triunfo não fugiu a Armando Freitas em Toyota Starlet 1.3, que conseguiu 4:36s544 para derrotar Leonel Brás em Citroen AX Sport. Na terceira posição ficou o Fiat Punto de Manuel Fernandes, seguido por Francisco Leite em carro idêntico e António Silva em Toyota Starlet. Pedro Cerqueira (Fiat Punto) fechou a tabela.

    “Foi um triunfo saboroso e que acabei por tornar fácil com uma prestação sem erros e dando sempre o máximo. Estou de facto muito satisfeito, as coisas estão a correr-me bem”. Afirmou Armando Freitas.

    Foi de excelente nível a luta pelo triunfo no Campeonato Nacional de Clássicos Montanha, com José Pedro Gomes em Ford Escort MKI a finalizar esta rampa como vencedor. Gomes conseguiu o tempo total de 4:19s295, batendo na última subida António Saínhas (Ford Escort MKI). Saínhas que liderava no final do dia de Sábado, não conseguiu contrariar o ataque do futuro vencedor. No derradeiro lugar do pódio ficou Parcídio Summavielle em Datsun 240Z.

    “Tive de me aplicar ao máximo para ganhar, foi muito difícil chegar ao final da prova no primeiro lugar, já que a oposição foi forte e não em deu descanso. Estas são daquelas vitórias que sabem mesmo bem e compensam o esforço de uma prova disputada em condições difíceis.” Sintetizou José Pedro Gomes.

    Com uma actuação de grande nível, Carlos Oliveira impôs o seu BMW 323i no Troféu Nacional de Clássicos Montanha, registando o tempo final de 4:23s681. O pódio ficou completo com a presença de Ricardo Loureiro em Ford Escort MKII e Carlos Fava em VW 1303S. Azar para Fernando Salgueiro, forçado a abandonar antes da segunda subida de prova, com problemas ao nível da embraiagem do Ford Escort MKII.

    “Estou cada vez mais adaptado ao BMW e isso reflecte-se nos resultados conseguidos. Ontem ainda tive algumas dificuldades, mas em conjunto com a equipa conseguimos um bom acerto para o carro e por isso a vitória foi possível.” Sintetizou Carlos Oliveira.

    Com um domínio absoluto, Aníbal Rolo triunfou no Troféu Nacional de Clássico 1300. O piloto do Datsun 1200 demorou 4:40s133 nas suas duas melhores subidas de prova, levando a melhor face a José Carlos Magalhães em Toyota Starlet e José Pedro Figueiredo em Datsun 1200. Domingos Fernandes em Autobianchi A112 foi o melhor entre os 1000cc.

    “Gostei imenso de voltar a esta rampa muitos anos depois e voltar a vencer. Este traçado, diferente do antigo, é muito interessante e exigente, por isso vencer aqui foi muito bom.” Disse Aníbal Rolo.a12 Copya13 Copya14 Copya15 Copya16 Copya17 Copya18 Copya19 Copya20 Copya21 Copy

     

    MAGALHAES NA FRENTE DO EUROPEU

     

    Cyprus Rally 2017

     

     

    BRUNO MAGALHÃES CONTINUA A LIDERAR O EUROPEU

     

    APESAR DE UM RALI DE CHIPRE DEMASIADO AZARADO

     

     

     

    Uma prova muito dura e seletiva e uma ocorrência fora do comum, retiraram a Bruno Magalhães a hipótese de conquistar o 4º pódio no ERC 2017 e conquistar mais pontos preciosos para acalentar o sonho europeu. Depois de resolvidos problemas iniciais, e quando o Skoda Fabia R5 da ARC Sport já ocupava o 3º lugar, um verdadeiro golpe de teatro retirou a equipa da prova, quando Bruno Magalhães e Hugo Magalhães saíram de estrada na 6ª especial de classificação.

     

    “Estamos totalmente desolados com a situação. Numa altura em que tudo já estava a correr bem, deparámos com o navegador do Kajetanowicz no meio do troço a mostrar a aplaca, a avisar que tinha ocorrido um acidente na curva seguinte. No momento crucial em que estava a tomar atenção à informação do Baran, chegámos à curva em que se tinham dado as saídas do Kajetan e de outro candidato, e acabámos também por sair, só parando em cima de outro carro. Os estragos no Skoda não deram para regressar ao rali, acabando por abandonar de uma forma desconcertante. No entanto, e perante os resultados da principal concorrência, continuamos na liderança do Europeu, numa altura em que chegámos a meio do campeonato. Vamos tentar continuar a defender esta posição, querendo realçar o trabalho fantástico de todos os elementos da ARC Sport”, disse Bruno Magalhães.

     

    Depois de três resultados fabulosos, passando pelos três lugares possíveis no pódio, a ARC Sport está igualmente desolada com o desfecho do Rali de Chipre, mas confiante na defesa da liderança do Campeonato da Europa de Ralis.

     

    São situações normais no desporto automóvel. O Rali de Chipre começou por ser uma prova complicada para o Bruno, mas depois, com uma excelente recuperação, poderia ter levado a outro desfecho muito positivo. Vamos continuar a criar as condições necessárias para defender a liderança do ERC. Estamos confiantes”, concluiu Augusto Ramiro.

     

     a11 Copy

     

    VILLORBA CORSE

     

    Magic debut forCetilar Villorba Corse at the 24 Hours of Le Mans

     

    Thanks to a very consistent race the Italian team brings the Dallara P217 in the top-ten overall with Lacorte/Sernagiotto/Belicchi. Amadio: “Incredible race, we gave everything and our dream came true”

     

    a5 Copya6 Copya7 Copya8 Copya9 Copya10 Copy.Dream came completely true. Cetilar Villorba Corse ended an incredibly hot edition of the 24 Hours of Le Mans bringing under the chequered flag the Dallara P217 Gibson with racing driversRoberto Lacorte, Giorgio Sernagiotto andAndrea Belicchi. The great adventure in the third round of the World Endurance Championship that Lacorte, Sernagiotto andthe all Italian teamhave been preparing together since 2015. In just two years they jumped from LMP3 to LMP2, always with a “deb” car, and then to Le Mans, where they made thier debut this week clinching an unexpected ten place overall, finishing also eighth in the LMP2 class. Despite several inconveniences, started on Wedneday (electrical issues in free practice and in qualyfying 1) and continued in the race. Italia crew started the 85th edition of the legendary French endurance race from 24th on the grid (18th LMP2 car). The team was protagonist of a very competitive race thanks to their Dallara's renowed reliability, their consistency and their perfect strategy. But drivers had to make three comebacks during the 24-hour distance. The first until Saturday's evening, when they reached the LMP2 top-ten and then, on their 72nd lap, Lacorte, without fault, was touched by another car finishing into the gravel of the first corner, recovering just after about 4 minutes. Again in the top-ten a few hours later, at around 02:35hrs (team's 166th lap), in the first part of the Hunaudierès Dallara's rear left tyre blew forcing Sernagiotto to slowly return to pits where the team fixed everything (total time loss: 13 minutes). Rejoined the top-ten again, this time everything went well and after the cequered flag all the team could celebrate their stunning result, being also third between the European Le Mans Series teams and first between the team on Dallara's entered in the race

     

    Team Principal Amadiosays:It was an unbelievable week all together. An incredible debut all together. And then an exhausting race all together. A great Italian Spirit of Le Mans as we often have repeated for the last few months. All the guys in the team were extraordinary, the gave everything the had all time long, even when we feared the worst. And now the dream of that cequered flag, chased for years, is going even further than we expcted. Now, yes, we can celebrate. We deserve it all.

     

    24 HORAS LE MANS 2017

    "I had one chance and luckily that's all I needed: pole in class for my first Le Mans!...."

    Alex Lynn – Le Mans 24 Hours review

    It was absolutely heartbreaking to retire from the Le Mans 24 Hours in just the second hour of the race, before I even got to drive, but still I and the whole G-Drive Racing team have to take a lot of satisfaction from how we performed throughout practice and qualifying, which ended up with me putting the car on pole position in our class.

    It was my first ever Le Mans, and our G-Drive ORECA-Gibson was one of 25 cars in the incredibly competitive LMP2 class. I have to say that, from the day I arrived on Sunday before the race, I was enjoying each and every day as it went on because there's so much fanfare and pageantry. But the advice from Alex Wurz, who's one of my managers and has won Le Mans himself, is that you always have to remain mindful, although the occasion is monumental, that it's just another motor race and you can't change your preparation at all. You need to make sure you sit down a lot, walk slowly from place to place, and don't go anywhere in a rush, just to conserve energy.

    Right from the word go, when free practice started on Wednesday, the car seemed a step forward from the Le Mans Test Day 10 days earlier. We'd done a lot of work with David Leach our engineer, working on the balance and making sure everything was spot-on. We were a good chunk quicker than most of the other cars at that stage, and I set the quickest time of the four-hour session – a second and a half faster than the rest on a 'race' run.

    For Wednesday qualifying, which ran from 10pm until midnight, we wanted to see how many stints we could do on one set of tyres. The temperature that day was outrageously high and we knew Thursday would be cooler, and better for qualifying runs. Our long runs – with me, Pierre Thiriet and Roman Rusinov driving – were really competitive, and we got four stints out of both the medium and the soft Dunlop compound quite easily, which I don't think many of our rivals did.

    Sure enough, most of the quick times came on Thursday, which was split into two sessions, from 7pm to 9pm, and then from 10pm until midnight. The first session got interrupted by a crash and delayed for quite a long time, and Vitaly Petrov had gone out early and done a huge lap time. To match that lap, I knew I couldn't do it at night because of the commitment and minimum cornering speeds needed – I needed some daylight, so we'd have to do it right at the start of the final session at 10pm. It was a bit of a risk, but we timed it perfectly – five minutes later and it would have been too dark. I had one chance and luckily that's all I needed: pole in class for my first Le Mans!

    I've been fortunate enough to have a few good pole positions in my career but this one was right up there with my debut Macau Grand Prix in 2012. You're on a lap, and you know it's a good one before it even pops up on the dash. It was really nice, not just for the ego but for my personal development. Being my first Le Mans, it was important for my career to show what I'm capable of – something like that pole can be pivotal, and I'm very proud of it.

    We had the driver parade in Le Mans city on Friday – great fun! – and then it was the warm-up at 9am on Saturday. I did two laps and we were two seconds quicker than anyone, on old tyres and high fuel. The car was absolutely perfect. I said to the team, 'Lads, polish it, put a cover over it and leave it until the race at 3pm. It's mint.'

    Roman started the race. He did a brilliant job doing the same thing at the Spa 6 Hours last month, but it just started to unravel as soon as it began at Le Mans. He lost some places on the first lap, and then when things start to go wrong it just spirals. Finally our race ended with contact with a GT Porsche in the second hour, before Pierre and I even got behind the wheel.

    I was totally stunned, especially when you consider what happened to all the LMP1 cars, which meant an LMP2 very nearly won the race outright. It could have been incredible because we could at least have had an overall podium, and it does make it hard to swallow. We had a fantastic race car, and the G-Drive crew have to be thanked for that. They've worked brilliantly all season and it's up to Roman, Pierre and I to turn it around for them in the remaining races, because I can see a lot more success ahead for us.

    alex-lm-pole

    Alex (right) celebrates his pole position with team-mates Pierre and Roman

     

    24 HORAS LE MANS 2017

     

    Amargura em Le Mans para a TOYOTA GAZOO Racing

    A PARTICIPAÇÃO DA Toyota GAZOO Racing nas 24 Horas de Le Mans 2017 TEVe um SABOR AMARGO com A DESISTÊNCIA de dois TS050 HYBRID e o TERCEIRO A TERMINAR nUMA dececionante 9ª posição.
     
    A esperança de uma primeira vitória da TOYOTA em Le Mans, após 19 participações (desde 1985), manteve-se viva com a liderança durante 10 horas do TS050 HYBRID #7 que tinha partido da pole position. Mike Conway, Kamui Kobayashi e Stéphane Sarrazin, andaram no limite, mas à 1:15 da manhã o carro parou sem qualquer hipótese de voltar para as boxes, desistindo devido a um problema de embraiagem.
     
    O TS050 #8 de Sébastien Buemi, Anthony Davidson e Kazuki Nakajima também esteve na luta pela vitória durante quase oito horas até que um problema no motor da frente o obrigou a regressar à box durante quase duas horas. Fruto de um excelente trabalho da equipa, o carro regressou à pista terminando as 24 horas na nona posição e ainda registando a volta mais rápida no final da corrida.
     
    Um acidente obrigou o TS050 #9 de Nicolas Lapierre, Yuji Kunimoto e José María López a parar poucos minutos depois do carro #7. À 1:35 da manhã um carro LMP2 embateu violentamente na traseira do Toyota. Com um furo na roda traseira e o sistema hidráulico danificando, o piloto não foi capaz de engrenar outra velocidade obrigando-o a ficar também imobilizado no circuito a escassos metros do “paddock”.
     
    A Toyota felicita a Porsche pela vitória com o carro #2 nesta terceira ronda do Campeonato Mundial de Endurance FIA 2017 (WEC), depois de uma questão técnica no Porsche #1, o obrigar a parar com onze voltas de avanço. Os restantes lugares do pódio foram preenchidos pelos ORECA LMP2 #38 e #13, em segundo e terceiro lugares respetivamente.
     
    Na quinta-feira, Kamui Kobayashi estabeleceu a volta mais rápida do Circuito da Sarthe, superando um tempo com 32 anos. A equipa também entrou na corrida como líderes do campeonato do mundo de pilotos e fabricantes após as vitórias nas duas primeiras corridas da temporada WEC.
     
    No entanto, Le Mans é uma corrida onde os pontos contam a duplicar para o campeonato. Ou seja, a Porsche conta agora com uma vantagem de 36,5 pontos na classificação dos fabricantes, enquanto os pilotos do carro #8, a tripulação TOYOTA melhor classificada, caiu para o segundo, a 21 pontos de distância dos pilotos do Porsche #2.
     
    O trabalho de analisar detalhadamente os danos sofridos no três TS050 HYBRID começa de imediato para que a equipa esteja pronta para regressar ainda mais determinada do que nunca na próxima prova de endurance, as 6 Horas de Nürburgring a 16 de julho.
     
    Toshio Sato - Presidente da Equipa: "Toda a equipa está devastada pelo que aconteceu aqui, depois de todo o trabalho e esforço nos últimos meses para chegar a Le Mans com um carro tão competitivo. O nosso ritmo foi muito bom toda a semana e lideramos uma forte luta com a Porsche. Os pilotos, engenheiros e mecânicos realizaram uma excelente semana e gostaria de agradecer a todos. Claro, que felicitamos sinceramente a Porsche pela vitória porque, sem dúvida, eles mereceram ganhar hoje. Para a TOYOTA, vamos deixar Le Mans novamente sem o troféu de vencedor apesar do apoio surpreendente dos fãs aqui. Vamos analisar o que aconteceu porque não podemos aceitar um duplo abandono assim durante a noite. Voltaremos mais forte e mais determinados do que nunca; O nosso desafio Le Mans irá continuar.”
     
    Resultados finais da TOYOTA GAZOO Racing:
     
    TS050 HYBRID #7 (Mike Conway, Kamui Kobayashi, Stéphane Sarrazin)
    Corrida: Não terminou, 154 voltas, 12 paragens nas boxes. Partiu em: 1º.
    Volta mais rápida: 3min 18.694segs
     
    TS050 HYBRID #8 (Sébastien Buemi, Anthony Davidson, Kazuki Nakajima)
    Corrida: 9º, 358 voltas, 27 paragens nas boxes. Partiu em: 2º.
    Volta mais rápida: 3min 18.604segs
     
    TS050 HYBRID #9 (Nicolas Lapierre, Yuji Kunimoto, José María López)
    Corrida: Não terminou, 160 voltas, 13 paragens nas boxes. Partiu em: 5º.
    Volta mais rápida: 3min 19.321segs
     
    Classificação final das 24 horas de Le Mans:
    1º        #2 Porsche (Bernhard/Bamber/Hartley)                            367 voltas
    2º        #38 Jackie Chan DC (Tung/Laurent/Jarvis)                       +1 voltas
    3º        #13 Rebellion (Piquet/Heinemeier Hansson/Beche)           +3 voltas
    4º        #37 Jackie Chan DC (Cheng/Gommendy/Brundle)            +4 voltas
    5º        #35 Alpine (Panciatici/Ragues/Negrao)                           +5 voltas
    6º        #32 United Autosports (Owen/De Sadeleer/Albuquerque) +5 voltas
    9º        #9 TOYOTA GAZOO Racing                                          +9 voltas
     
     
    a1 Copya2 Copya3 Copya4 Copy
     

    RAMPA SANTA MARTA

     

    Gonçalo Manahu vence GT´s em Santa Marta

    O piloto do Porto impôs o Porsche 997 GT3 e passou a comandar o Campeonato Nacional de Montanha na Categoria Dois.

    “Como sempre disse, gosto desta rampa. No ano passado consegui a minha primeira vitória, aqui em Santa Marta e agora repeti. “

    Gonçalo Manahu foi sempre o mais rápido na Categoria 2 e nos GT, foi quinto à geral e colocou o Porsche 997, no meio da luta dos protótipos da Categoria Um. “A Fabela Sport entregou-me um carro irrepreensível e dessa forma facilitaram-me o trabalho…”

    Na entrega de prémios Gonçalo Manahu optou por não comemorar, limitando-se a erguer a taça e nada mais. “Tenho consciência de que poderia ter sido mal interpretado, mas entendo que este não é um momento para comemorações. Mais do que tudo estamos num período de Luto Nacional e por respeito, por respeito às vítimas e às famílias, apenas posso endereçar um voto de pesar e não poderia comemorar a vitória.” Rematou.

    manahu santa marta Gonçalo Manahu (Porsche 997 GT3)

     

    RAMPA DE SANTA MARTA DE PENAGUIÃO

     

    Pedro Salvador venceu a Rampa de Santa Marta, mas não comemorou, em respeito aos três dias de Luto Nacional, motivados pela tragédia de Pedrogão Grande.

    Nas duas primeiras subidas de prova, Pedro Salvador assegurou a vantagem que lhe permitiu a vitória na quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha. Na derradeira subida limitou-se a cumprir o programa pois o motor do Silver Car EF10 apresentou problemas, que na última prova agravaram-se. “Felizmente nas primeiras subidas consegui garantir uma vantagem, que me permitiu ir para a última subida com algum conforto e assim ganhar.”

    “Mais do que tudo, estou profundamente chocado com a tragédia de Pedrógão Grande. Há alturas para celebrar e esta não é uma delas. Ganhei a prova, fui rápido, esforcei-me por vencer, dar o melhor espectáculo possível para o público e atingi essa meta. Agora é tempo de respeito pela memória e pelas famílias dos que partiram.” Rematou o Campeão Nacional em título.

    000 7337 Pedro Salvador (Silver Car EF10)

     

    A OPINIÃO DE ARTUR LEMOS - ELEIÇÕES FPAK

    A OPINIÃO DE ARTUR LEMOS

     

    ELEIÇÕES FPAK HOJE

     

     

    Meu amigo Ni Amorim

     


    Há exactamente quatro anos, mais dia menos dia, estava eu na tua posição de hoje .... Candidato a Presidente da FPAK.
    Independentemente do resultado final, que não me foi favorável, passei por uma experiência única que me permitiu aprender muito acerca dos bastidores e da realidade deste nosso Desporto de eleição.
    Com base em tudo o que então aprendi e que ao longo dos 1.460 dias deste último mandato fui absorvendo, concluí que o Desporto Automóvel e Karting N...acional precisa de muito mais ... muito mais mesmo para além do que foi feito e da tão falada, mas fundamental, recuperação financeira que penso estar praticamente conseguida.
    É preciso inovar, é preciso dinamizar, é preciso unir, é preciso partilhar, é preciso ouvir, é preciso criar algo de muito apetecível que faça reacender a paixão por este Desporto que precisa de mais visibilidade, mais fãs e acima de tudo ter uma visão ou um rumo consistente. Fundamental trazer os mais jovens que urge aliciar para algo diferente e desafiante, e motivar os media para que a visibilidade não se resuma a um chuto na bola.
    Acredito que tu e a tua equipa são a Gestão FPAK ideal para os próximos 4 anos de mandato, ao que se seguirão garantidamente outros 4 anos para dar seguimento e solidificar todo o trabalho desenvolvido a partir de agora.
    Amanhã o dia será longo, será dia de eleições mas, vai marcar fortemente o inicio de um novo ciclo do Desporto Automóvel e Karting Nacional ... contigo na posição de Presidente da FPAK.
    Grande abraço

    Ver Mais

     

    RAMPA DE SANTA MARTA DE PENAGUIÃO

     

    Pedro Salvador lidera com recorde!

    O primeiro dia da Rampa de Santa Marta, quarta jornada do Campeonato Nacional de Montanha Valvoline 2017, terminou com novo recorde absoluto do traçado transmontano, numa excelente prestação de Pedro Salvador e do Silver Car EF10. O piloto de Chaves registou o tempo de 1:43s427 e deixou Rui Ramalho em Osella PA2000 EVO 2, na segunda a 1,2 segundos. No terceiro lugar deste primeiro dia em termos absolutos e na Categoria 1, ficou João Fonseca em BRC CM05 Evo, que comanda destacado o Grupo CM.

    Conseguindo o quarto tempo absoluto, Gonçalo Manahu em Porsche 997 GT3 Cup registou o excelente tempo de 1:55s607 e lidera a Categoria 2, na frente de Edgar Reis em carro idêntico e José Correia em Nissan GT-R GT3.

    João Guimarães e o Peugeot 206 RC foram os mais velozes na Categoria 3, com o piloto local a fazer a marca de 2:11s300. Pedro Marques em SEAT Leon TDI e Carlos Oliveira em Subaru Impresa completam o lote dos três primeiros. Com problemas na caixa de velocidades do seu Mitsubishi Lancer Evo IX, o dominador das subidas de treinos, Pedro Saraiva, não completava esta primeira subida oficial.

    Apesar da forte oposição oferecida por Luis Silva em BMW M3, Manuel Correia (Ford Fiesta R5+) acabaria por ser o melhor na Categoria 4 com o tempo de 1:57s184. No terceiro lugar está para já um surpreendente Carlos Silva em Peugeot 106.

    Na Categoria 5, o mais rápido foi Joaquim Teixeira em Renault Megane Trophy V6 com o tempo de 1:58s785. Francisco Marrão foi segundo com o SEAT Leon Supercopa, seguido por Jorge Meira em Citroen Saxo Cup.

    Numa luta solitária na Taça Nacional TCR/TCS, Tiago Ribeiro fez 2:04s103 ao volante do VW Golf GTi TCS.

    Está interessante a luta no topo da Taça Nacional de Montanha 1300, com Armando Freitas em Toyota Starlet 1.3 a ser o mais rápido (2:19s262), na frente de Leonel Brás em Citroen AX Sport e de Manuel Fernandes em Fiat Punto.

    Flávio Sainhas levou a melhor na primeira subida do Campeonato Nacional de Clássicos Montanha, com o piloto do Ford Escort a fixar a marca de 2:12s270, na frente de José Pedro Gomes em Ford Escort MKI e do líder do campeonato, Parcídio Summavielle em Datsun 240Z.

    No Trofeu Nacional de Clássicos Montanha, o mais rápido nesta primeira subida a contar foi Carlos Oliveira em BMW 323i, que registou o tempo de 2:10s889, batendo Fernando Salgueiro e Ricardo Loureiro, ambos em Ford Escort MKII.

    Depois de liderar ambas as sessões de treinos do Troféu Nacional de Clássico 1300, Aníbal Rolo em Datsun 1200, foi também o mais rápido nesta subida com o tempo de 2:24s722. No segundo lugar ficou José Magalhães em Toyota Starlet, seguido por José Pedro Figueiredo em Datsun 1200.

    Amanhã disputam-se as duas últimas e decisivas subidas da prova organizada pelo Clube Automóvel da Régua e pela edilidade local, de acordo com o seguinte horário:

    Domingo – 18.06.2017

    10H00 Treinos Livres 3
    11H00 Subida Oficial 2
    12H00 Subida Oficial 3

    15H00 Entrega de PrémiosAO1 Copy

     

    IRMÃOS CAMILO NO PÓDIO EM PORTIMÃO

     

    LEGEND´S CUP – PORTIMÃO

     

    IRMÃOS CAMILO NO PÓDIO EM PORTIMÃO

     

    Tanto António como Emanuel Camilo tiveram um excelente fim de semana em Portimão, isso porque foram ao pódio por duas vezes na segunda jornada da Legend´s Cup. Na primeira corrida António  e Emanuel Camilo veriam a bandeira de xadrez na 5ª e 6ª posição à geral, para na segunda corrida, Emanuel terminar em 4ª e António Camilo em 5º.

     

     

    Por isso no final da segunda corrida todos estavam satisfeitos com os resultados, como nos começou por afirmar António Camilo “ a primeira corrida correu bem, apesar de não ter andamento para o Paulo e o Pedro... senti que estava na posição onde o carro me permitia. Na segunda, notei um bocado de falta de aderência por parte do carro, e não consegui acompanhar os carros da frente e ainda acabei por perder algumas posições. Um forte abraço ao Paulo e ao Pedro. Os meus Parabéns ao Paulo e ao Jose Meireles por serem os vencedores do fim de semana. Como não podia deixar de ser, os meus Parabéns ao meu irmão que demonstrou que quem sabe nunca esquece e conseguiu vencer-me na segunda corrida. Um grande abraço também para ele”.

     

    Emanuel Camilo acrescentava “ correu muito bem, sem problemas nenhuns, agora há que pensar na proxima prova no circuito de  Vila Real, onde estamos a correr “ em casa”, disse-nos.

     

    CLASSIFICAÇÃO GERAL FINAL

     

    1ª Corrida

     

    1º João Novo – Ford Sierra RS 500

    2º Paulo Sousa – BMW E 36

    3º Paulo Mendes – Citroen Saxo Cup

    4ºPedro Alves – Citoren Saxo Cup

    5º ANTÓNIO CAMILO – CITROEN SAXO CUP

    6º EMANUEL CAMILO – CITROEN SAXO CUP

     

    2ª Corrida

     

    1ºPaulo Sousa – BMW E 36

    2º José Meireles – Toyota Carina E

    3º EMANUEL CAMILO – CITROEN SAXO CUP

    4º ANTÓNIO CAMILO – CITROEN SAXO CUP

    5º Simplicio Taveira – Peugeot 306

     

    CLASSIFICAÇÃO FINAL CATEGORIA

     

    Corrida

     

    1º Paulo Mendes – Citroen Saxo Cup

    2º Pedro Alves – Citroen Saxo Cup

    3º ANTÓNIO CAMILO – CITROEN SAXO CUP

    4º EMANUEL CAMILO – CITROEN SAXO CUP

     

    2ª Corrida

     

    1ºJosé Meireles – Toyota Carina E

    2º EMANUEL CAMILO – CITROEN SAXO CUP

    3º ANTÓNIO CAMILO – CITOREM SAXO CUP

     FOX 1958_Copy

     

    CARLOS E AFONSO GONÇALVES EM FAFE

     

    RALI  MONTELONGO

     

    CARLOS E AFONSO GONÇALVES EM FAFE

     

    Os pilotos maiatos, Carlos e Afonso Gonçaves em Fiat Punto e Pedro Monteiro ao volante dum Peugeot 106, estão prontos para mais uma prova do Campeonato Regional de Ralis, que desta feita irá ter a sua prova em Fafe com o Rali Montelongo.

     

    Segundo Carlos Gonçalves “ o importante é terminarmos a prova com o carro direito, e depois disso dar o nosso máximo para fazer uma boa classificação.Estamos a pensar utilizar o Punto no circuito de Vila Real no outro fim de semana, por isso é aconselhável trazer o carro direito.Por outro lado, espero desta vez que não haja erros com  as contas para não sermos alvo de qualquer tipo de penalização, e conseguirmos fazer uma boa prova, se formos ao pódio seira excelente”, disse-nos

     

    A equipa dos pilotos maiatos irá fazer as verificações técnicas no decorrer de sábado19146228 1355871631128795_5209284670302572844_n_Copy

     

    SEGUNDO A OPINIÃO DO EX PILOTO CARLOS ABREU

     

    A PROPÓSITO DAS ELEIÇÕES NA FPAK

     

    Não voto e pouca (ou nenhuma) influência terei em quem vota.
    No entanto, porque sou um amante (desde que me conheço) do desporto automóvel, acho que devo dar uma opinião sobre o assunto. Tanto mais que assisti, nos últimos tempos, a manobras eleitoralistas do tipo futeboleiro que acho execráveis.
    Isto posto, se votasse, elegeria o Ni Amorim (que conheço bem e de quem sou amigo há muitos anos), porque acho que é tempo de a FPAK ser entregue a...os praticantes (os verdadeiros motores do desporto automóvel) e o Ni é um homem integro, inteligente, que sabe o que quer, e que foi, sem qualquer dúvida, um dos grandes do automobilismo nacional.
    Um grande abraço Ni e que realizes este teu sonho para bem do desporto automóvel em Portugal.

     

     

    24 HORAS LE MANS 2017

    24 HORAS DE LE MANS

     

    BASTIDORESLM1X CopyLM2X CopyLM3X CopyLM4X CopyLM5X CopyLM6X CopyLM7X CopyLM8X CopyLM9X CopyLM10X CopyLM11X CopyLM12X CopyLM14X CopyLM15X CopyLM16X CopyLM17X CopyLM18X CopyLM19X CopyLM20X CopyLM21X CopyLM22X CopyLM23X CopyLM24X CopyLM25X CopyLM26X CopyLM27X CopyLM28X CopyLM30X CopyLM31X CopyLM32X CopyLM33X CopyLM34X CopyLM35X CopyLM36X Copy

     

    PORTUGUESES EM LE MANS

     

    1. PILOTOS PORTUGUESES EM LE MANS

     

     

    24 HORAS LE MANS 2017

     

    O S.Pedro juntou-se à festa em Le Mans.

     

     

    João Raposo

    Telemóvel: +351 961 686 867
    E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt