In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


PÓDIO PARA PARENTE

Pódio para Álvaro Parente no Mundial

 

Álvaro Parente assegurou um lugar no pódio nas 8 Horas da Califórnia, a terceira etapa do Intercontinental GT Challenge, que se realizou este domingo no mítico circuito de Laguna Seca.

O português esteve uma vez mais em plano de evidência no palco mundial das corridas de GT e com uma prestação notável aos comandos do McLaren 650S da K-PAX Racing, que dividiu com Bryan Sellers e Ben Barnicoat, assegurou o terceiro posto em mais uma ronda daquele que é considerado o Campeonato do Mundo de GT.

 

Depois de arrancar do quinto posto da grelha de partida, o piloto oficial da McLaren, juntamente com os seus colegas de equipa, esteve sempre em contenção pelos lugares do pódio, tendo o trio cruzado a linha de meta na terceira posição, a quarenta e três segundos dos vencedores, após oito horas de prova.

“Penso que tudo correu bem, excepto os pneus – a nossa estratégia e os pilotos estavam em forma. Fomos compreendendo os pneus em cada um dos nossos primeiros turnos de condução, protegendo-os no início. Tirámos conclusões rapidamente. A K-PAX Racing é uma grande equipa. Tomámos as decisões certas, e trabalhámos todos para termos a melhor afinação”, começou por dizer Álvaro Parente, que acrescentou: “Desta vez não tínhamos como lutar pela vitória, mas terminar no pódio é muito bom. Tínhamos algumas dificuldades no final dos nossos turnos, mas havia nada que pudéssemos fazer. Tínhamos já um ‘set-up’ conservador. O Bryan e o Ben, tal como eu, deram o máximo nos seus respectivos turnos e esse é o espírito da equipa. Nunca baixamos os braços. Somos muito determinados. Apesar de não sermos os mais rápidos, demos tudo o que tínhamos conquistámos um pódio que é quase como uma vitória”.a200 Copy

 

WTCC 2017 - MONTEIRO CONTINUA NA FRENTE

  1. O piloto portugues Tiago Monteiro continua na frente do WTCC. Foi o grande vencedor do fim-de- semana de Dingbo, com a anulação da corrida principal devido à chuva.
  2. Nota: meios pontos para a segunda corrida. Uma vez mais, tal como em Fuji 2013 WEC, temos pontos atribuídos sem que houvesse prova competitiva. Ou seja, a pole-position de Girolami valeu-lhe 20 pontos. Quando o desporto automóvel consegue cair no ridículo. Como disse na transmissão, esperava que a decisão do CM da FIA fosse do regulamento geral (penso que na altura todos a entenderam como tal). Afinal não está no regulamento do WTCC. Gostava que me explicassem qual a diferença entre uma prova do WEC que só tem voltas atrás de um Safety Car e outra, igual, do WTCC?
    Feitas as contas, Bjork lidera o mundial com 0,5 de vantagem para Tiago. Michelisz está a 1,5 do piloto português.

 

PÓDIO PARA PARENTE

Pódio para Álvaro Parente no Mundial

 

Álvaro Parente assegurou um lugar no pódio nas 8 Horas da Califórnia, a terceira etapa do Intercontinental GT Challenge, que se realizou este domingo no mítico circuito de Laguna Seca.

O português esteve uma vez mais em plano de evidência no palco mundial das corridas de GT e com uma prestação notável aos comandos do McLaren 650S da K-PAX Racing, que dividiu com Bryan Sellers e Ben Barnicoat, assegurou o terceiro posto em mais uma ronda daquele que é considerado o Campeonato do Mundo de GT.

Depois de arrancar do quinto posto da grelha de partida, o piloto oficial da McLaren, juntamente com os seus colegas de equipa, esteve sempre em contenção pelos lugares do pódio, tendo o trio cruzado a linha de meta na terceira posição, a quarenta e três segundos dos vencedores, após oito horas de prova.

CLASSIFICAÇÃO

1º Pierre Kaffer/Kelvin van der Linde/Markus Winkelhock 314 voltas em 8h00m27,641s

2º Christopher Mies/Connor de Filippi/Christopher Haase a 2,488s

3º Álvaro Parente/Ben Barnicoat/Bryan Sellers McLaren a 43,050sa165 Copy

 

ALBUQUERQUE PODE SER CAMPEÃO EM PORTIMÃO

 

Filipe Albuquerque pode ser campeão do European Le Mans Series

No Autódromo do Algarve a 22 de Outubro

A última jornada do European Le Mans Series tem lugar no próximo fim-de-semana de 21 e 22 de Outubro no Autódromo Internacional do Algarve e Filipe Albuquerque pode sagrar-se campeão! O piloto português e os seus companheiros de equipa na United Autosports, Will Owen e Hugo de Sadeller ocupam a segunda posição nas contas do Campeonato mas a correr em casa e com o apoio do público, o piloto português espera inverter o resultado e conseguir o ceptro que já lhe escapou por duas vezes em 2014 e 2015.

Filipe Albuquerque que conquistou no passado fim-de-semana o título de vencedor da Taça Norte Americana de Resistência chega ao Algarve para o ELMS com a motivação em alta e determinado em faz jus ao provérbio: “à terceira é de vez”.

“É uma prova decisiva e onde vamos ter de dar tudo. Estamos na segunda posição, não temos nada a perder. Temos de pressionar os líderes e mostrar confiança. O facto de conhecer o circuito poderá ser uma vantagem. É o tudo ou nada para nós”, começou por explicar.

Pelo terceiro ano a disputar o Campeonato e com jovens companheiros de equipa, que mesmo menos experientes, têm mostrado garra, determinação e adaptação fantástica Filipe acredita que tudo é possível: “Não dependemos única e exclusivamente de nós, mas vamos lutar pela vitória na prova e esperar para ver o que acontece aos nossos adversários em termos de campeonato. Temos de fazer o nosso trabalho bem. Seria muito especial para mim vencer perante o meu público e se a isso acrescentar o título, seria excepcional”, rematou.

As 4h de Portimão terão transmissão em directo no Motorsport TV a partir das 13h de Domingo, 22 de Outubro.

 a163 Copy

 

PARENTE ARRANCA

Álvaro Parente arranca de 5º para as 8 Horas da Califórnia

 

Álvaro Parente alinha para as 8 Horas da Califórnia, a terceira etapa do Intercontinental GT Challenge, da terceira linha da grelha de partida, depois de uma qualificação extremamente disputada em Laguna Seca que deixou os oito primeiros ficaram separados por apenas oito décimos de segundo.

Como era esperado, a competitividade da terceira ronda daquele é considerado o Campeonato do Mundo de Carros de GT é extremamente elevada, característica notada desde a primeira sessão de treinos-livres, que se disputou na sexta-feira passada.

Na qualificação o piloto português não teve dificuldades em assegurar o décimo posto da tabela de tempos, o que lhe garantia a passagem para a Super-Pole, a sessão onde se definiu as treze primeiras posições da grelha de partida.

Sempre incumbido de qualificar o McLaren 650S da K-PAX Racing que divide com Ben Barnicoat e Bryan Sellers, Álvaro Parente esteve na luta pelos lugares cimeiros da tabela de tempos, terminando no quinto posto, a seis décimos da pole-position. “Foi um bom resultado numa sessão muito competitiva, como demonstram as diferenças de tempos. Perdemos alguma eficácia na qualificação, uma vez que não estávamos a gerar tanta aderência como esperávamos. Mas estamos na luta e vamos ver como decorrerá a corrida”, afirmou o piloto oficial da McLaren GT.

A prova de hoje, que se segue às 12 Horas de Bathurst e às 24 Horas de Spa-Francorchamps, terá o seu início às 17h10 e terá a duração de oito horas. O português, que realizará o arranque, mostra-se determinando a lutar por um bom resultado, mas aponta que haverão muitos factores em jogo. “Será uma corrida longa em que teremos que nos bater com adversários muito fortes que estão em Laguna Seca com o mesmo objectivo que nós – garantir um bom resultado. A estratégia será determinante, assim como a gestão de pneus. Vamos dar o nosso melhor para conseguirmos uma boa classificação”, concluiu Álvaro Parente.

As 8 Horas da Califórnia poderão ser seguidas a partir da 17h10, Hora de Lisboa, através do seguinte link: www.motortrendondemand.com/watch-live.a162 Copy

 

ALBUQUERQUE EM PORTIMÃO

 

 A esta hora no próximo domingo, esperamos estar aqui a escrever a palavra FILIPE ALBUQUERQUE CAMPEÃO.

 

TIAGO MONTEIRO JÁ TREINA

TIAGO MONTEIRO JÁ TREINA PARA A PROVA DO JAPÃO DO WTCC

 

Tiago Monteiro não esta na China, mas treina intensamente em sua casa no Simulador da G's Competizione para a sua próxima corrida do FIA WTCCa140 Copya141 Copya142 Copy

 

PÓDIO PARA PARENTE

  1. Pódio para Álvaro Parente

    Álvaro Parente assegurou um lugar no pódio nas 8 Horas da Califórnia, a terceira etapa do Intercontinental GT Challenge, que se realizou este domingo no mítico circuito de Laguna Seca.

    O português esteve uma vez mais em plano de evidência no palco mundial das corridas de GT e com uma prestação notável aos comandos do McLaren 650S da K-PAX Racing, que dividiu com Bryan Sellers e Ben Barnicoat, assegurou o terceiro posto em mais uma ronda daquele que é... considerado o Campeonato do Mundo de GT.

    Depois de arrancar do quinto posto da grelha de partida, o piloto oficial da McLaren, juntamente com os seus colegas de equipa, esteve sempre em contenção pelos lugares do pódio, tendo o trio cruzado a linha de meta na terceira posição, a quarenta e três segundos dos vencedores, após oito horas de prova.

    CLASSIFICAÇÃO
    1º Pierre Kaffer/Kelvin van der Linde/Markus Winkelhock 314 voltas em 8h00m27,641s
    2º Christopher Mies/Connor de Filippi/Christopher Haase a 2,488s
    3º Álvaro Parente/Ben Barnicoat/Bryan Sellers McLaren a 43,050s

 

FILIPE ALBUQUERQUE SAI DE 4º

  1. Filipe Albuquerque parte em quarto para a “Corrida dos Campeões” da Audi em Hockenheim.

 

MOTA TERMINA ÉPOCA

 

Fábio Mota termina época com boa recuperação

 

Fábio Mota terminou a temporada de 2017 da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC com um sétimo lugar, após uma boa recuperação que teve como pano de fundo o Autodrom Most, na República Checa.

Depois de um início de fim-de-semana complicado devido a um problema na caixa de velocidades que o impediu de ir para a pista e aprender um circuito que desconhecia completamente, o português recuperou bem e conseguiu levar o seu SEAT Leon TCR até ao sexto lugar na grelha de partida, o que lhe permitia apontar para a luta entre os primeiros lugares nas corridas de hoje.

Contudo, a primeira prova da jornada acabou por ficar condicionada ainda antes do seu início, quando o seu carro permaneceu nos macacos hidráulicos para lá do período permitido. Durante a corrida Fábio Mota sofreria uma passagem pela via das boxes como penalização pela infracção, mas sem ter conseguido ver a bandeira preta e branca, acabou por ser desclassificado, o que obrigaria a arrancar para o segundo desafio do dia da última posição da grelha de partida.

Apesar de partir do décimo quarto lugar, o piloto de Vila Nova de Gaia, com um ritmo elevado e determinação, conseguiu realizar inúmeras ultrapassagens que o guindaram até ao sétimo lugar final. “A primeira corrida foi para esquecer, uma vez que fui desclassificado! Na segunda, apesar do carro não estar muito eficaz, tinha dificuldades em inseri-lo em curva, consegui atacar e andar num ritmo forte, recuperando posições e tempo para os pilotos que terminaram à minha frente. Não foi o resultado que ambicionávamos, mas tendo em conta as circunstâncias, foi uma boa corrida”, afirmou Fábio Mota.

Após a última ronda da temporada da temporada deste ano da categoria que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC, Fábio Mota salienta uma vez mais o ritmo competitivo que evidenciou. “Os resultados ficaram aquém do ritmo que demonstrámos, muito embora desconhecesse o circuito e tivesse perdido importante tempo de pista logo na sexta-feira. A segunda corrida evidenciou que poderíamos estar na luta pelos lugares do pódio, se não tivéssemos arrancado da última posição. Quero agradecer aos meus patrocinadores e a todos os que me apoiaram ao longo do ano e agora temos que começar a trabalhar já na próxima época”, concluiu o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.a192 Copy

 

MOTA TERMINA ÉPOCA

 

Fábio Mota termina época com boa recuperação

 

Fábio Mota terminou a temporada de 2017 da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC com um sétimo lugar, após uma boa recuperação que teve como pano de fundo o Autodrom Most, na República Checa.

Depois de um início de fim-de-semana complicado devido a um problema na caixa de velocidades que o impediu de ir para a pista e aprender um circuito que desconhecia completamente, o português recuperou bem e conseguiu levar o seu SEAT Leon TCR até ao sexto lugar na grelha de partida, o que lhe permitia apontar para a luta entre os primeiros lugares nas corridas de hoje.

Contudo, a primeira prova da jornada acabou por ficar condicionada ainda antes do seu início, quando o seu carro permaneceu nos macacos hidráulicos para lá do período permitido. Durante a corrida Fábio Mota sofreria uma passagem pela via das boxes como penalização pela infracção, mas sem ter conseguido ver a bandeira preta e branca, acabou por ser desclassificado, o que obrigaria a arrancar para o segundo desafio do dia da última posição da grelha de partida.

Apesar de partir do décimo quarto lugar, o piloto de Vila Nova de Gaia, com um ritmo elevado e determinação, conseguiu realizar inúmeras ultrapassagens que o guindaram até ao sétimo lugar final. “A primeira corrida foi para esquecer, uma vez que fui desclassificado! Na segunda, apesar do carro não estar muito eficaz, tinha dificuldades em inseri-lo em curva, consegui atacar e andar num ritmo forte, recuperando posições e tempo para os pilotos que terminaram à minha frente. Não foi o resultado que ambicionávamos, mas tendo em conta as circunstâncias, foi uma boa corrida”, afirmou Fábio Mota.

Após a última ronda da temporada da temporada deste ano da categoria que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC, Fábio Mota salienta uma vez mais o ritmo competitivo que evidenciou. “Os resultados ficaram aquém do ritmo que demonstrámos, muito embora desconhecesse o circuito e tivesse perdido importante tempo de pista logo na sexta-feira. A segunda corrida evidenciou que poderíamos estar na luta pelos lugares do pódio, se não tivéssemos arrancado da última posição. Quero agradecer aos meus patrocinadores e a todos os que me apoiaram ao longo do ano e agora temos que começar a trabalhar já na próxima época”, concluiu o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.a192 Copy

 

ALBUQUERQUE EM ROAD ATLANTA

 

Filipe Albuquerque sai de oitavo em Road Atlanta

Filipe Albuquerque, João Barbosa e Christian Fittipaldi não foram felizes na qualificação para a última prova da Taça Norte Americana de Endurance, em Road Atlanta. O trio do Cadillac DPi-VR da Action Express Racing vai largar para as 10 horas de corrida da oitava posição da grelha. A chuva prevista para a corrida de amanhã deverá alterar e muito o cenário agora apresentado.

Filipe apesar de ciente que a posição na grelha não é a melhor está confiante: "Infelizmente os Cadillac perderam em termos de andamento graças ao 'balance of performance' imposto mas espero que na corrida consigamos ser mais constantes e melhor em termos competitivos. Para além disso, é esperada chuva e isso vai mudar tudo o que aconteceu na qualificação. Será quase como começar do zero e isso será certamente vantajoso para nós. Apesar de tudo estamos muito confiantes para conseguir vencer a Taça nesta última corrida", concluiu.

A corrida arranca pelas 16h de hoje, termina pelas 2h da madrugada de Domingo e poderá ser acompanhada em www.imsa.coma191 Copy

 

MAGALHAES É VICE CAMPEÃO

 

Bruno Magalhães é vice-campeão da Europa de Ralis Acidente obriga ao abandono do Rali da Letónia
 
Bruno e Hugo Magalhães são Vice-campeões da Europa de Ralis mesmo que um acidente durante o Rali da Letónia, hoje, lhes tivesse tirado a possibilidade de chegar ao título. Ainda assim, um resultado brilhante para os pilotos portugueses que no início da época nos Açores estavam longe de imaginar conseguir este resultado ímpar.
 
Um título que esperavam festejar de outra forma e não com um aparatoso acidente aquando da sexta especial do último rali da época: "Estávamos a efectuar a super especial quando somos confrontados por uma barreira que não estava assinalada e nos força a entrar numa zona de muita água, em aquaplaning, e a embater numa árvore. O mesmo tinha acontecido momentos antes com outro adversário. O embate, causou-me algum desconforto, pelo que foi necessário uma ida ao hospital para certificar que está tudo ok", começou por explicar Bruno Magalhães.
 
Apesar do desfecho inglório no rali fica a enorme satisfação de ter alcançado o vice-campeonato: "Nunca nos passou pela cabeça ter oportunidade de fazer a totalidade da época e para isso, foi fundamental o apoio de todos os patrocinadores que foram connosco vivendo este sonho. Mas também à equipa, a ARC Sport, que sempre nos proporcionou um carro competitivo. Um conjunto de factores que terminaram com este título. Hoje o dia não terminou pelo melhor, mas o resultado no campeonato enche-nos de orgulho", concluiu Bruno Magalhães.
 
Agora é tempo de recuperar deste acidente mas também de repensar a época e começar a planear o futuro.a190 Copy

 

MOTA COM INICIO DIFICIL

 

Fábio Mota contraria início difícil
 
Fábio Mota não teve um início de fim-de-semana fácil em Most, onde se realiza este fim-de-semana a sexta ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo, mas o português está a contraria essa tendência e hoje assegurou o sexto lugar na qualificação.
 
O piloto de Vila Nova de Gaia chegava à ronda da República Checa sem nunca ter visto o traçado situado nos arredores da cidade de cerca de setenta mil habitantes, precisando, por isso, de todo o tempo de pista para se ambientar ao exigente traçado do circuito de 4,222 quilómetros e vinte e uma curvas.
 
No entanto, na sessão de testes oficiais de ontem, em que todos os pilotos tomaram parte, um problema de caixa de velocidades impediu que Fábio Mota realizasse o número de voltas que desejava, vendo-se obrigado a prosseguir o seu processo de adaptação nos treinos-livres e qualificação de hoje.
 
Na sessão de treinos matinais, o português registou o oitavo crono e, sempre em evolução, na qualificação, conseguiu guindar-se ao sexto posto da grelha de partida, estando envolvido no grupo da frente e que permitiu aos oito primeiros ficaram separados por menos de um segundo.
 
Após a qualificação, Fábio Mota estava satisfeito, tendo em vista o início de fim-de-semana. “Ontem tivemos um dia difícil, devido a dificuldades técnicas, o que atrasou todo o nosso programa, que passava por me ambientar a um circuito novo e por afinar bem o carro. Tivemos que fazer tudo isso na sessão de treinos-livres de hoje e na qualificação. Tendo em vista estes factores, penso que o sexto lugar é um bom resultado, havendo ainda margem de progressão”, afirmou o piloto que defende as cores da Lein Racing e tem o apoio técnico da Lema Racing.
 
O português está determinado para as corridas de amanhã, que marcam o final de temporada, apontando que é necessário evoluir para poder chegar aos resultados que ambiciona. “Penso que eu posso melhorar ainda a forma como abordo o circuito e o carro poderá também melhorar o seu comportamento, portanto, temos ainda algum trabalho pela frente. Mas acredito que, se conseguirmos estar bem preparados para as corridas de amanhã, poderemos garantir bons resultados e terminar a época em alta. É esse o meu objectivo”, sublinhou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.
 
A primeira terá o seu início às 9h50 e a segunda às 11h30, podendo ambas ser seguidas em directo através do Eurosport 2 e do website da competição: www.fiaetcc.com.

 

SUCESSO PARA REBELO MARTINS

 

O sucesso de uma estreia absoluta

O relato da primeira aventura de SSV em África

João Rebelo Martins fica na história dos SSV

 

 

Cumprindo o objetivo a que se propôs desde que manifestou a sua intenção de participar no Panafrica Rally o piloto de Oliveira de Azeméis João Rebelo Martins ficará na história como o primeiro piloto português a aventurar-se – e com sucesso – numa maratona de todo-o-terreno em África aos comandos de um SSV.

Aos comandos de um Yamaha YXZ 1000R João Rebelo Martins conseguiu ultrapassar com sucesso todas – e foram naturalmente muitas - as atribulações de uma estreia absoluta em território tão diferente das provas nacionais. Aqui fica o relato de seis dias de corrida.

Prólogo: foram 58 km de pistas de areia e alguma pedra, sendo que os primeiros 5 km foram feitos sobre dunas e erva de camelo e os últimos no fech-fech. Era uma etapa rápida e desde logo a dupla portuguesa percebeu que não tinha velocidade de ponta para os Polaris e CanAm. Mesmo assim fizeram o terceiro lugar; e caso não se tivessem perdido num rio seco, poderiam ter alcançado um lugar melhor.

 

1ª etapa: Etapa contabilizando 204 km de pista de areia e pedra. Nos primeiros 30 km João Rebelo Martins rodou em primeiro, numa zona mais técnica. Daí para a frente, entrando-se em zonas rápidas, Carlos Checa "saltou para a frente" e aumentou a vantagem.

2ª etapa (maratona): 250 km em pistas de areia e lagos secos usados em muitas edições do Dakar e onde o piloto oliveirense tinha passado em abril, numa viagem da Roadgalaxy Touring. Um erro da organização - com o sistema de navegação e GPS Stella - levou-os a arrancar e a ter que voltar à partida. Aí, um erro de pilotagem levou a que o piloto capotasse o Yamaha, tendo empenado a direção. Desempenada na hora, os 250 km foram duros, rodando na hora do calor e com andamentos muito rápidos, penalizando o Yamaha na velocidade de ponta (120 km/h contra quase 140 Km/h dos adversários). A etapa terminou no meio do deserto, tendo os pilotos que pernoitar lá e fazer a assistência às máquinas.

3ª etapa (maratona): João Rebelo Martins e Valter Cardoso arrancaram na 4ª posição e logo no início passaram para terceiro, rodando no pó do segundo classificado. Num percurso cheio de armadilhas, embateram numa pedra com a roda que tinha sofrido um empeno no dia anterior. A partir desse momento tiveram que parar e desempenar o carro, parando 3 vezes e excedendo o tempo permitido para este troco. O único objetivo para esse dia era o de levar o carro até à assistência, porque não havia nada a fazer. Tiveram uma penalização de 7h e 30 min por isso, mas, dada a dureza da prova, não foram os únicos.

4ª etapa: A etapa mais longa do Panafrica e a primeira ter dunas. Como não havia nada a perder, a Vettra Motorsport decidiu retirar um pneu sobressalente ao Yamaha - inicialmente levavam dois - retirar o aileron dianteiro e recolocar as rampas noutro sítio. Com isso retirou-se peso e ganhou-se aerodinâmica.

Arrancando de penúltimo, na parte inicial da etapa, João Rebelo Martins conseguiu alcançar Carlos Checa que tinha arrancado muitos minutos à frente, rodando junto do ex-campeão do mundo de superbikes durante 20 km nas dunas enormes do Erg Chebbi. A apenas 5 km do final do erg o Yamaha ficou enterrado numa duna e demoraram longos 40 minutos a retirá-lo da areia. O tempo foi crucial para o desenrolar da etapa: em 300 km perderam uma hora para Carlos Checa, equivalendo ao tempo de retirar o carro das dunas e à mudança de uma roda, a 20 km do final da especial.

 

5ª etapa: A última etapa do Panafrica Rally 2017 foi a mais curta, com "apenas" 106 km, acrescidos de 110 km de ligação. Dos 106 km, 70 km eram de dunas. Na ligação, numa pista paralela à etapa do dia anterior, o Yamaha ficou sem travões, obrigando João Rebelo Martins a dominar a máquina naquelas difíceis condições.

Num sobe e desce constante, João Rebelo Martins e Valter Cardoso terminaram a etapa no terceiro lugar, e alcançaram o quarto lugar final no Panafrica Rally 2017. O vencedor foi Carlos Checa.

 

O balanço final de João Rebelo Martins:

“Eu e a Vettra Motorpsort encaramos o Panafrica Rally como uma aprendizagem, dado ser a primeira prova internacional de todo-o-terreno para todos. Foram 6 dias em que o objetivo principal era o de terminar a prova porque as dificuldades foram mais do que muitas: perdemo-nos, atascamos o carro, problemas mecânicos, furos. Tivemos de tudo um pouco e conseguimos superar as dificuldades. O quarto lugar final e o gosto de termos liderado duas etapas foi um prémio saboroso para quem não sabia o que tinha que encontrar em terras marroquinas”.

Declarações de Luís Borges (Vettra Motorpsort):

“Estamos com o João Rebelo Martins desde 2012 e foi com grande satisfação que evoluímos ao longo de 6 dias em pistas completamente desconhecidas. O Yamaha portou-se muito bem, não dando problemas de maior ao longo das etapas. A nossa equipa fez um trabalho excelente no carro e estão todos de parabéns”.

 a187 Copya188 Copy

 

JACINTO EM MARROCOS

 

Neutralização de etapa não abranda Elisabete Jacinto

---
alt

 

A piloto Elisabete Jacinto terminou hoje a segunda etapa do Rallye Oilibya du Maroc no quarto lugar entre os camiões, num dia em que a especial, composta por um trajeto de 354,45 quilómetros, acabou por ser neutralizada após o CP1 uma vez que as chuvas fortes que caíram na região de Erfoud deixaram um dos oued, que fazia parte do sector selectivo, intransponível. Por este motivo, após terem cumprido 130 quilómetros de percurso, os concorrentes foram obrigados a parar e a regressar ao acampamento sem disputar a totalidade da jornada.

Atendendo a esta situação até à hora de envio deste comunicado não existia ainda uma classificação definitiva, mas em CP1 a equipa Bio–Ritmo® ocupava o quarto posto entre os T4 a apenas 14m52 do primeiro classificado o argentino Frederico Villagra: “infelizmente a etapa de hoje acabou por ser neutralizada logo após o CP1. Choveu imenso há dois dias atrás e o oued que íamos atravessar acabou por ficar intransponível. Como a NPO fez o reconhecimento do terreno antes de ter chovido não se deram conta deste facto. Assim, só quando as motas lá chegaram e viram que não conseguiriam passar é que a organização decidiu neutralizar o sector selectivo desde o CP1 em diante. Acabámos por fazer apenas 130 quilómetros, dos 354 que compunham a especial. Estava tudo a correr bem e estávamos a imprimir um bom ritmo quando tivemos que regressar ao acampamento” explicou a piloto portuguesa.

A terceira etapa desta competição realiza-se entre Erfoud e o Erg Lihoudi. O dia será dividido em duas especiais: a primeira, composta por 435,11 quilómetros cronometrados que vão percorrer trilhos rápidos, seguidos por cruzamentos de oueds e passagens por verdejantes palmeirais. O segundo sector selectivo terá 142,79 quilómetros. Começa numa pista com muita pedra e termina com a travessia das dunas mais altas da região.

 

ALBUQUERQUE VENCEU

 

Filipe Albuquerque vence Taça Norte Americana de Endurance

Filipe Albuquerque acabou de conseguir o seu primeiro título da época ao vencer a Taça Norte Americana de Endurance com João Barbosa e Christian Fittipaldi ao volante do Cadillac da Action Express Racing. Um feito notável que se junta ao seu vasto palmarés do piloto português, que espera dentro de quinze dias somar o título de Campeão do European Le Mans Series na última corrida em Portimão.

O título agora conquistado poderia ter sido festejado com uma vitória na última corrida da época em Road Atlanta, no entanto, Filipe, que liderava a corrida, a dez minutos do final, levou uma penalização que o remeteu para o quinto posto final. Não venceu mas conseguiu o objectivo final, o ceptro e isso vale por todas as vitórias que por algum motivo não se concretizaram: "Estamos todos muito felizes pelo título que conseguimos e eu especialmente porque é o primeiro em solo americano e o primeiro da época 2017. Atingimos a meta a que nos propusemos. Tenho no entanto pena de não termos conseguido a vitória que estava mesmo ali ao nosso alcance. Depois de vermos, a meio da corrida, que o nosso mais directo adversário nas contas da Taça estava fora e que já ninguém nos poderia tirar essa conquista, decidimos dar tudo e arriscar para chegar a vitória nesta última corrida", começou por explicar.

E estava tudo a correr na perfeição. As 10 horas de competição aproximavam-se do final, Albuquerque estava no comando quando: "A direcção de prova decide aplicar-me uma penalização por ter empurrado um piloto quando fazíamos nova partida. Ficámos desiludidos porque festejar o título com uma vitória é sempre especial. Mas é o que é, temos de aceitar estas decisões, e o quinto lugar foi o resultado possível. Apesar deste desfecho, hoje é dia de festejos para todos na equipa", rematou o piloto português.

Depois deste importante título, a motivação de Filipe Albuquerque está no máximo e foca-se agora noutra conquista, esta em Portugal, aquando da realização da última jornada do European Le Mans Series no Algarve a 21 e 22 de Outubro onde pode arrecada o título que lhe tem escapado neste Campeonato.a146 Copy

 

ELISABETE JACINTO EM MARROCOS

 

Elisabete Jacinto já saiu do deserto

---
alt

 

O camião de competição da equipa Bio-Ritmo® já está de pé e a funcionar e finalmente o trio conseguiu sair com segurança das dunas do Erg Chegaga onde já estavam há dois dias e duas noites. A máquina retroescavadora que auxiliou os portugueses a colocar o MAN TGS na sua posição chegou junto deles esta manhã altura em que se deu início a uma complexa operação para endireitar o camião. Após muitas horas de trabalho conseguiram colocar o camião de pé e depois de se ter verificado o motor foi possível retirar o veículo da cova onde tinha caído.

Recorde-se que o camião de Elisabete Jacinto tombou no passado domingo, durante a terceira etapa do Rallye Oilibya du Maroc, porque a roda da frente do lado direito saiu da jante, o que provocou uma grande instabilidade no MAN TGS que acabou por cair e ficar de lado numa zona íngreme de dunas.

A equipa de assistência de Elisabete Jacinto agiu prontamente a partir do momento em que se apercebeu que o camião vassoura da organização não conseguiria chegar ao local onde estava o trio. A ajuda só não chegou mais cedo porque a máquina alugada pela equipa demorou cerca de 14 horas a acorrer ao local onde se deu o incidente.

A equipa Bio-Ritmo® está de regresso às competições no final de Dezembro altura em que se inicia, no Mónaco, o Africa Eco Race 2018.

 

MAGALHAES CHEGOU COMO VICE CAMPEÃO

 

Bruno Magalhães chegou hoje a Portugal com a Taça de Vice-Campeão da Europa de Ralis
Bruno Magalhães e Hugo Magalhães chegaram esta tarde a Lisboa com a Taça de Vice-Campeões da Europa de Ralis depois da prova do passado fim-de-semana na Letónia. O infeliz acidente que protagonizaram, fruto de um erro da organização da prova, não lhes roubou a felicidade de terem conseguido este feito, impensável quando no início do ano tinham como objectivo fazer, tão somente, o rali dos Açores.
A satisfação de regressar a Portugal com mais esta conquista deixa Bruno Magalhães muito satisfeito mas também grato: “Ficámos tristes por não termos disputado até ao último segundo do rali, a luta pelo título. Mas passada essa frustração, normal quando já se tinha chegado até ali, olhámos para tudo o que fizemos e da forma que fizemos e não poderíamos estar mais felizes pelo caminho que percorremos mas também gratos por todos aqueles que foram, prova a prova, apoiando financeiramente o nosso projecto para que pudéssemos estar à partida de todos os ralis do Campeonato. Foi uma época incrível, cheia de emoções e de muito trabalho. Eu, o Hugo e a equipa, a ARC Sport estamos muito orgulhosos de trazer para Portugal esta Taça que representa um esforço enorme da parte de todos. Obrigado”, disse Bruno Magalhães. a145 Copy

 

JACINTO EM MARROCOS

 

Elisabete Jacinto parada no deserto

---
alt

 

A portuguesa Elisabete Jacinto continua parada no deserto, onde possivelmente irá pernoitar, após o seu camião de competição se ter  virado nas  dunas do Erg Chegaga quando a piloto tentava desviar-se de uma zona de lama.

A equipa Bio-Ritmo® encontrava-se a disputar a terceira etapa do Rallye Oilibya du Maroc, uma longa e difícil jornada maratona, quando se deu o incidente que deixou a formação lusa condicionada à passagem do camião “vassoura”. Os portugueses aguardam pela ajuda da organização para que o MAN TGS de competição possa ser levantado possibilitando assim a sua permanência na corrida uma vez que os concorrentes podem continuar em prova desde que cheguem ao acampamento uma hora antes do primeiro piloto partir para a etapa seguinte.

Nas últimas horas levantou-se uma grande tempestade de areia que está a prejudicar bastante os trabalhos da equipa portuguesa que aguarda com expectativa os desenvolvimentos das próximas horas.

Amanhã cumpre-se a quarta e penúltima etapa do Rallye Oilibya du Maroc 2017. Na jornada que vai ligar o Erg Lihoudi e Erfoud os concorrentes vão enfrentar, mais uma vez, dois setores selectivos, o primeiro com 191,56 km e o segundo com 263,51 km. Neste dia a caravana do rali vai percorrer os diversos tipos de paisagens e terrenos marroquinos. Cruzamento de dunas, trilhos rápidos e sinuosos, passagens de oueds, fesh-fesh e pistas de areia são os ingredientes desta especial que decerto será decisiva para o resultado final da competição.

 

FABIO MOTA NO ETCC

 

Fábio Mota procura termina temporada em alta

 

Fábio Mota termina no próximo fim-de-semana a temporada de 2017 da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, tendo como pano de fundo o circuito checo de Most, onde o português espera voltar aos pódios.

O português tem vindo a ser um dos protagonistas deste ano da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC e este ano subiu já ao pódio, tendo sido o palco do feito o circuito mais selectivo do mundo – o dantesco Nurburgring na sua impressionante versão Nordschleife.

No próximo fim-de-semana, Fábio Mota voltará a ter novo desafio, que passa por descobrir um circuito completamente novo para si, mais um – o traçado do Autodrom Most, que possui um perímetro com 4,222 quilómetros e vinte e uma curvas.

Apesar do seu desconhecimento, o português está confiante para a etapa da República Checa da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo. “É a primeira vez que compito em Most e sei que é um traçado complicado, mas como já mostrei noutras ocasiões, ambiento-me bem a novos circuitos. Vou trabalhar para me adaptar o mais rapidamente possível e para ter um carro competitivo ao longo de todo o fim-de-semana”, afirmou Fábio Mota, que defende as cores da Lein Racing e terá o apoio técnico da Lema Racing.

O piloto de Gaia está apostado em confirmar o excelente andamento que tem evidenciado ao longo de toda a temporada, que lhe permitiu assegurar o terceiro lugar na grelha de partida para a primeira corrida de Zolder, e terminar a temporada com um conjunto de bons resultados. “Temos estado competitivos ao longo de todo o ano, mas pequenos problemas acabaram por condicionar os nossos resultados. Vamos esperar ter um fim-de-semana sem contrariedades, porque, se isso acontecer, estou certo de que poderemos ter a possibilidade de terminar a época com bons resultados”, concluiu o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

O programa oficial da ronda de Most da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC inicia-se no sábado, com os treinos-livres e a qualificação, ao passo que as corridas são realizadas no domingo (a primeira terá o seu início às 9h50 e a segunda às 11h30), podendo ambas ser seguidas em directo através do Eurosport 1 e do website da competição: www.fiaetcc.com.a136 Copy

 

JACINTO EM MARROCOS

 

ÚLTIMA HORA: MAN TGS de Elisabete Jacinto tombado nas dunas

---

O camião de competição da equipa Bio-Ritmo® virou-se nas  dunas do Erg Chegaga quando a piloto tentava desviar-se de uma zona de lama.

Os elementos da formação portuguesa encontram-se bem e estão a ultimar soluções que lhes permita continuar a corrida.

 

ARC SPORT

 

CAMPEONATO DA EUROPA DE RALIS 2017

 

 

Bruno Magalhães e Hugo Magalhães Vice-campeões da Europa de Ralis

 

 

PARA TODA A EQUIPA DA ARC SPORT

 

FOI UMA EXPERIÊNCIA FANTÁSTICA

 

 

A ARC Sport viveu de forma muito intensa a totalidade do ERC 2017, acompanhando a dupla Bruno e Hugo Magalhães que tripularam o Skoda Fabia R5 da casa de Aguiar da Beira. Uma experiência enriquecedora ao longo de oito provas completamente distintas, por onde passaram os melhores pilotos europeus. A equipa discutiu até à última prova, no Rali da Letónia, o título europeu, com um grau de profissionalismo extraordinário, terminando o ano com o título de Vice-campeões da Europa de Ralis.

 

Um ano que se pode considerar muito positivo, e onde todos os elementos da equipa, sem exceção, adquiriram conhecimentos fundamentais para poder projetar outras participações internacionais. O rali Liepaja esteve longe de ser a “cereja no topo do bolo”, mas o azar na última prova do ano não apaga a participação extraordinariamente positiva de toda a equipa.

 

Não acabámos como gostaríamos, mas o azar da última prova não apaga em nada um ano fabuloso onde acabámos por chegar a vice-campeões da Europa. Foi um feito histórico, que nos deu um prazer enorme, pois rali a rali, fomos acreditando que era possível ir cada vez mais longe. Todos nós acreditámos até ao fim que era possível chegar ao título. Fazer um campeonato prova a prova foi um feito único, pois nunca nada foi estruturado para um ano inteiro de competição. Para mim foi um prazer enorme ter trabalhado com a ARC Sport, uma equipa extremamente profissional e dedicada que também nunca tinha participado na totalidade de um ERC. Em oito provas nunca tivemos um problema mecânico, o que diz tudo em relação à qualidade do trabalho realizado. Com toda a informação que recolhemos ao longo deste ano, acredito que a experiência seja para repetir, mas há que estruturar para poder fazer as coisas de forma mais atempada. O balanço acabou por ser positivo, e quero deixar um agradecimento a todos os meus patrocinadores e à equipa da ARC Sport” afirmou Bruno Magalhães.

 

 

 

 

Para a ARC Sport este foi igualmente um ano muito positivo, onde se adquiriram experiências preciosas para um trabalho futuro. Durante um ano, uma equipa portuguesa esteve sempre à beira de conquistar um título europeu, e o único lamento que se fez ouvir, foi a falta de apoio e carinho que se sentiu por parte das entidades responsáveis pelo desporto em Portugal e pelo automobilismo em particular.

 

Uma equipa portuguesa esteve durante um ano inteiro a lutar pelo título de Campeões da Europa e nunca se sentiram minimamente apoiados ou encorajados por quem tutela o desporto em Portugal, nem sequer pela própria Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting. É simplesmente triste que tenham estado desatentos ao que o Bruno e o Hugo fizeram neste Campeonato da Europa, nunca tendo dado qualquer tipo de relevo aos resultados conquistados ao longo de todo o ano. Se estivéssemos a falar de futebol, seria seguramente diferente.

Pela positiva, gostaria de realçar a coragem que a equipa sempre demonstrou ao efetuar a totalidade de um ERC com uma diversidade tão grande de ralis, todos eles distintos, e com um elevado grau de exigência. Ao longo de todo o campeonato, o Bruno demonstrou sempre uma capacidade de pilotagem acima da média, esperando sinceramente que ele consiga uma base sólida para o próximo ano, o que seria excelente pois poderia capitalizar toda a vasta experiência adquirida no Campeonato da Europa de Ralis de 2017. Quero deixar os meus sinceros parabéns ao Bruno e ao Hugo pela postura que sempre demonstraram, e agradecer a todos os elementos da ARC Sport que, ao longo das oito provas do Campeonato da Europa, contribuíram com todo o seu apoio e dedicação”, afirmou, em estilo de balanço, Augusto Ramiro, o responsável pela ARC Sport.

 

 a131 Copya132 Copy

 

M RACING EM MARROCOS

 

MRacing superou desafiante Rali de Marrocos

Alejandro Martins e Manuel Porém terminaram prova em crescendo

Foi a melhorar a sua prestação que Alejandro Martins e Manuel Porém concluíram a participação na edição deste ano do Rali de Marrocos, a penúltima prova da Taça do Mundo de TT. A equipa que compete ao volante de uma Toyota Hilux preparada pela MRacing fechou a sua presença pelas pistas do Norte de África com o 18º à geral e a consciência plena da capacidade de subir na classificação com a experiência conquistada.

A dupla portuguesa começou muito bem a sua participação no Rali de Marrocos. Um tempo entre os dez melhor no prólogo não só foi motivador como serviu para confirmar o potencial de Alejandro Martins no regresso às exigentes pistas marroquinas. O desafio deste tipo de provas, com especificidades completamente distintas da realidade do campeonato português, fez com que piloto e co-piloto tivessem de superar os obstáculos nas etapas seguintes. O tempo cedido em alguns dos dias não retirou a confiança no potencial da equipa que sabia poder andar com  regularidade mais perto das melhores formações de TT do mundo.

Para o responsável da equipa MRacing, Manuel Russo Jr., o balanço deste regresso a Marrocos é positivo. “Foi uma corrida de montanha russa para nós que começámos e acabámos bem. O Alejandro sente-se cada vez mais a vontade com este tipo de terreno e um grande resultado numa corrida de rally raid seguramente está próximo”, afirmou.

Para toda a equipa MRacing, o regresso ao Rali de Marrocos foi mais um desafio superado. “Foi uma corrida desafiante para nós. Além das dificuldades naturais do terreno, ainda tivemos a uma excelente concorrência presente. No entanto, saímos de Marrocos com a cabeça erguida e a sensação de dever cumprido. Quero fazer um agradecimento especial ao Alejandro, ao Manuel e a todos os elementos da minha equipa técnica que estiveram irrepreensíveis, seja pela dedicação, seja pelo esforço demonstrados”, concluiu Manuel Russo Jr.

A dupla de pilotos contou com o contributo de uma Toyota Hilux cujo desempenho esteve sempre no máximo. Apesar de vários furos, fruto da dureza do terreno encontrado, o carro não sentiu qualquer dificuldade técnica ao longos dos vários dias de competição em condições extremas.

Alejandro Martins ficou satisfeito com esta participação e já pensa no regresso. “O balanço geral foi positivo. Este rali ganha-se e perde-se nas dunas. Para entrar dentro do top-ten, é preciso ter um bom carro, fazer uma boa navegação, ter uma boa equipa e um piloto que também ajude a andar para a frente. Penso que tivemos tudo isso. Mas faltou um pouco de sorte. Furámos cinco vezes, tivemos um problema com os macacos hidráulicos e atascámos duas vezes. As etapas são muito rápidas e é preciso ter um carro com muita velocidade de ponta, como são os casos dos buggies e dos Peugeot. O Nasser (Al-Attiyah) é um caso à parte. Estou satisfeito e quero dar um abraço muito especial para a nossa comitiva de amigos que se divertiram à grande, para toda a equipa técnica e para o meu co-piloto que esteve sempre em grande nível ! Até para o ano. Aí sim, vamos arrancar um top-ten!!!”, afirmou Alejandro Martins.

A MRacing regressa agora a Portugal para preparar nova prova de todo-o-terreno, a Baja Portalegre 500, que se realiza de 26 a 28 deste mês. “Vamos aproveitar a viagem para mudar a ficha dois a ‘nossa’ rainha do TT está à porta”, afirmou o responsável da equipa.

alt

 

JACINTO EM MARROCOS

 

Elisabete Jacinto em segundo entre os camiões

---
alt

 

A piloto Elisabete Jacinto terminou hoje a primeira etapa do Rallye Oilibya du Maroc no segundo posto entre os camiões e no quarto lugar da categoria Open. Esta jornada, cumprida entre Fez e Erfoud, apesar de sinuosa e bastante complexa devido às inúmeras passagens por trilhos de montanha, não apresentou qualquer tipo de dificuldade à equipa Bio-Ritmo® que demorou 4h49m22s a terminar o sector selectivo de 367,18 quilómetros cronometrados. 

Num dia em que a equipa de camião de Frederico Villagra venceu a classe Open, a piloto portuguesa revelou-se animada com o resultado obtido: “apesar de ter sido uma especial bastante cansativa, porque tivemos que sair muito cedo do hotel, correu tudo bem. Conseguimos cumprir todo o sector seletivo sempre a andar bem e acabámos por não ter problemas nenhuns, o que é bastante positivo. Estamos cansados, mas satisfeitos por termos feito uma boa especial” contou Elisabete Jacinto.

A segunda etapa do Rallye Oilibya du Maroc 2017 disputa-se entre Erfoud e o Erg Chebi e terá um total de 354,45 quilómetros cumpridos ao cronómetro. As magníficas paisagens do deserto marroquino vão acompanhar os concorrentes numa especial que será particularmente árida. Travessias de oueds arenosos, pequenas dunas e pistas de areia farão parte do dia. 

 

JACINTO À ESPERA DO RESGATE

 

Elisabete Jacinto à espera do resgate

---
alt

 

A equipa Bio-Ritmo® continua parada à espera de ajuda para levantar o MAN TGS de competição que ontem tombou numa zona de dunas do Erg Chegaga quando os portugueses de encontravam a cumprir a terceira etapa do Rallye Oilibya du Maroc. A formação lusa ainda encetou esforços no sentido de continuar em prova, mas esta situação estava dependente da ajuda que teriam que receber por parte do camião “vassoura” enviado pela organização em missão de resgate aos portugueses.

No entanto, o camião da NPO não conseguiu alcançar o local onde estava Elisabete Jacinto e os seus companheiros de equipa o que os obrigou a permanecer no deserto onde se encontram até ao momento. Desta forma, e uma vez que para continuarem na corrida os portugueses teriam que chegar ao acampamento uma hora antes do primeiro piloto sair para a especial de hoje, o trio foi obrigado a desistir do rali.

Entretanto o helicóptero da NPO já esteve junto de Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho tendo deixado comida e água. A equipa de assistência, que se encontra a cerca de 400 quilómetros de distância do local onde se deu o incidente, já enviou apoio e está a trabalhar com vista a retirar o camião em segurança. Jorge Gil, Diretor da equipa, refere "eles estão bem e esperamos que ainda hoje o camião possa estar já na sua posição normal. Depois o Marco terá de fazer os trabalhos necessários ao arranque do motor", contou o gestor.

 

A GINÁSTICA DE FILIPE ALBUQUERQUE

A GINÁSTICA DE FILIPE ALBUQUERQUE

 

Que "boneco "espectacular de José Mario Dias. Captar a essência de um final de turno ao volante que termina com o saltar de uma última barreira. Coloca-nos ali. Estamos naquele muro, quase dando a mão em auxílio a Filipe Albuquerque. Um daqueles “bonecos” onde as duas dimensões são, graças à arte do fotógrafo, transformadas num verdadeiro 3D.

 

OS VIDEOS DE ELISABETE JACINTO

 

Já está disponível na Internet o clip referente à participação da equipa Bio-Ritmo® na terceira etapa do Rallye Oilibya do Maroc.

Veja as imagens no Youtube: https://youtu.be/gkjAhnC3o9M

 

VIDEOS DE ELISABETE JACINTO

 

Já está disponível na Internet o clip referente à participação da equipa Bio-Ritmo® na segunda tapa do Rallye Oilibya do Maroc, prova que se disputa entre 5 e 10 de Outubro em Marrocos.

Veja as imagens no Youtube: https://youtu.be/Fsme7UU7cDY

 

AS DESVENTURAS DE JACINTO EM MARROCOS

AS DESVENTURAS DE ELISABETE JACINTO EM MARROCOS

 

 

Muito aconteceu desde a última nota que vos escrevi. Cheguei ontem ao hotel em Erfoud já passava da meia-noite depois de três longos dias no deserto e duas noites igualmente intensas. A história é longa e eu gostava de a contar, mas preciso de mais tempo e de mais espaço. Tombámos o camião nas dunas do Chegaga. A organização prometeu enviar-nos o camião vassoura pelo que esperamos toda a noite. Contudo mudaram de ideias. Foram ter connosco para nos dizer que o vassoura não ia às dunas e deixaram-nos três rações, que é comida para meio-dia e água. O Jorge enviou-nos um marroquino com um camião 4x4 que era suposto chegar às 10h, mas às 11 h percebi que haviam mudado de ideias e tinham mandado uma máquina escavadora que chegaria só à tarde. Ficámos contentes. Tínhamos a certeza que poríamos o camião de pé e faríamos, pelo menos, a última especial do rali. Mas os homens chegaram ao pé de nós já era noite escura e vinham a pé. Não vimos a máquina mas começámos a ter dúvidas. A manhã seguinte começou a decorrer e não havia vestígios no horizonte da tal máquina retroescavadora fantástica. Chegaram cerca das 10 h da manhã com um trator agrícola que tinha uma pá à frente. Ficámos seriamente preocupados. Percebi que a possibilidade de o pormos de pé era mínima e só o conseguiríamos se trabalhássemos muitíssimo e o tempo necessário era imprevisível. Para nós era importantíssimo sair dali ontem e empenhamo-nos seriamente. Estivemos ao nosso melhor nível e 48 horas e 16 minutos depois abandonávamos o local com muito mais histórias do que a que vos conto aqui.a120 Copy

 

PARENTE NAS 8 HORAS DA CALIFORNIA

Álvaro Parente determinado para as 8 Horas da Califórnia

Álvaro Parente disputa no próximo fim-de-semana a terceira ronda do Intercontinental GT Challenge, as 8 Horas da Califórnia, estando determinado em lutar pelos lugares cimeiros na pista de Laguna Seca, onde no ano passado se sagrou o Campeão do Pirelli World Challenge.

Como já era do domínio público, o português disputará mais uma etapa da competição que é um verdadeiro Campeonato do Mundo de GT’s aos comandos de um McL...aren 650S da K-PAX Racing que dividirá com Ben Barnicoat e Bryan Sellers para enfrentar alguns dos concorrentes mais fortes da categoria de todo o planeta.

O piloto oficial da McLaren GT mostra-se entusiasmado com o seu regresso a um circuito que tem um significado especial para si por diversos motivos. “Laguna Seca foi a primeira pista americana em que corri, então na A1 Grand Prix, e da qual gostei imediatamente. Claro que o facto de ser o palco da conquista do meu título no Pirelli World Challenge também contribui para o carinho que tenho por ele. Contudo, tem um traçado muito exigente tanto para carros como pilotos e será um enorme desafio realizar uma corrida tão longa – oito horas”, avisou Álvaro Parente.

Apesar de toda a competição que terá em pista, que se traduz em diversos pilotos e equipas oficiais, o português está determinado em bater-se pelas posições cimeiras durante as 8 Horas da Califórnia. “Estou ansioso por ir para a pista, verificar como o carro se comporta e poder voltar a rodar em Laguna Seca. Temos uma boa equipa, bons pilotos e um carro rápido e fiável, portanto, temos os ingredientes necessários para podermos ser competitivos. Vamos dar o nosso melhor desde a primeira sessão de treinos-livres e sabemos que, se tudo correr bem, teremos possibilidades de lutar pela vitória”, sublinhou Álvaro Parente.

O programa oficial da terceira ronda do Intercontinental GT Challenge inicia-se na próxima sexta-feira, com os treinos-livres, a qualificação será disputada no sábado e a corrida será realizada no domingo.

 

JACINTO SEM SORTE EM MARROCOS??

 

JACINTO SEM SORTE EM MARROCOS?

 

 

Depois de duas noites e dois dias no deserto, chegamos finalmente ontem à noite ao hotel do rali em Erfoud. Estamos todos bem e o camião também. A aventura foi demasiado longa e complicada para explicar aqui . Quando chegar a Portugal escrevo um post com a história. Obrigado a todos pelo apoio

 

JACINTO EM MARROCOS

 

Já está disponível na Internet o clip referente à participação da equipa Bio-Ritmo® na Primeira Etapa do Rallye Oilibya do Maroc, prova que se disputa entre 5 e 10 de Outubro em Marrocos.

Veja as imagens no Youtube: https://youtu.be/cMXaldZ5nbc

 

NOS ESTADOS UNIDOS

NOS ESTADOS UNIDOS

 

 Que foto espectacular de José Mario Dias. Captar a essência de um final de turno ao volante que termina com o saltar de uma última barreira. Coloca-nos ali. Estamos naquele muro, quase dando a mão em auxílio a Filipe Albuquerque. Um daqueles “bonecos” onde as duas dimensões são, graças à arte do fotógrafo, transformadas num verdadeiro 3D.

 

WEC 2017

 

 

 Um excelente artigo (e uma entrevista a Carlos Tavares) no Auto-Hebdo de hoje explica as razões pelas quais a Peugeot não quis o programa WEC/Le Mans. Vale a pena comprar.

 

WTCC 2017

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

WTCC 2017

 

Nicole Huang, a maior fã asiática dos pilotos portugueses, já tem o cartaz pronto para Dingbo.

 

TIAGO MONTEIRO AUSENTE NA CHINA NO WTCC

 

Tiago Monteiro impossibilitado de participar no WTCC na China

Ao contrário do que seria desejado, Tiago Monteiro não vai poder alinhar na China. As mazelas físicas resultantes do violento acidente protagonizado em Barcelona não vão permitir que o piloto português viaje para a China nem que participe naquela jornada do WTCC. Este desfecho sur...ge depois uma série de exames médicos que concluíram ser demasiado arriscado esta deslocação. Tiago Monteiro será assim substituído ao volante do Honda, pelo seu amigo e ex-companheiro de equipa, Gabriele Tarquini.

O edema cerebral resultante do acidente que infelizmente ainda não desapareceu por completo, assim como ligeiras limitações em termos de visão e algumas dores cervicais foram determinantes para que a equipa médica que acompanha Tiago Monteiro tivesse decidido que para o seu bem pessoal se mantivesse em Portugal e continuasse o seu programa de recuperação.

"Não era isto que queria ouvir por parte dos médicos, não queria de todo falhar esta prova e fiz tudo o que estava ao meu alcance para recuperar. Mas o corpo humano é assim mesmo, tem o seu tempo e as suas limitações e entendo que mais importante que tudo o resto é o meu estado de saúde. Vou falhar esta prova mas espero poder alinhar na outra. Não vou baixar os braços, vou continuar a fazer todos os tratamentos aconselhados pelos médicos e esperar que o meu corpo continue a progredir como até agora", disse.

Gabriele Tarquini foi a escolha da Honda e do próprio Tiago para o substituir nesta jornada: "O Tarquini para além de um excelente piloto como todos sabemos é também um grande amigo e sei que ele de tudo fará para ser bem sucedido e dar à equipa o melhor resultado", concluiu.

O piloto português vai continuar assim o seu programa de recuperação médica com o intuito de alinhar de 27 a 29 de Outubro na jornada do WTCC no Japão.

 

MOTA COM BOA RECUPERAÇÃO

  1. Fábio Mota termina época com boa recuperação

    Fábio Mota terminou a temporada de 2017 da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC com um sétimo lugar, após uma boa recuperação que teve como pano de fundo o Autodrom Most, na República Checa.

    Depois de um início de fim-de-semana complicado devido a um problema na caixa de velocidades que o impediu de ir para a pista e aprender um circuito que desconhecia completamente, o português recuperou bem e conseguiu levar o seu SEAT ...Leon TCR até ao sexto lugar na grelha de partida, o que lhe permitia apontar para a luta entre os primeiros lugares nas corridas de hoje.

    Contudo, a primeira prova da jornada acabou por ficar condicionada ainda antes do seu início, quando o seu carro permaneceu nos macacos hidráulicos para lá do período permitido. Durante a corrida Fábio Mota sofreria uma passagem pela via das boxes como penalização pela infracção, mas sem ter conseguido ver a bandeira preta e branca, acabou por ser desclassificado, o que obrigaria a arrancar para o segundo desafio do dia da última posição da grelha de partida.

    Apesar de partir do décimo quarto lugar, o piloto de Vila Nova de Gaia, com um ritmo elevado e determinação, conseguiu realizar inúmeras ultrapassagens que o guindaram até ao sétimo lugar final. “A primeira corrida foi para esquecer, uma vez que fui desclassificado! Na segunda, apesar do carro não estar muito eficaz, tinha dificuldades em inseri-lo em curva, consegui atacar e andar num ritmo forte, recuperando posições e tempo para os pilotos que terminaram à minha frente. Não foi o resultado que ambicionávamos, mas tendo em conta as circunstâncias, foi uma boa corrida”, afirmou Fábio Mota.

    Após a última ronda da temporada da temporada deste ano da categoria que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC, Fábio Mota salienta uma vez mais o ritmo competitivo que evidenciou. “Os resultados ficaram aquém do ritmo que demonstrámos, muito embora desconhecesse o circuito e tivesse perdido importante tempo de pista logo na sexta-feira. A segunda corrida evidenciou que poderíamos estar na luta pelos lugares do pódio, se não tivéssemos arrancado da última posição. Quero agradecer aos meus patrocinadores e a todos os que me apoiaram ao longo do ano e agora temos que começar a trabalhar já na próxima época”, concluiu o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

 

CARLOS TAVARES VENCEU

 

CARLOS TAVARES VENCEU

 

 O "Homem Forte " da PSA, o portugues Carlos Tavares (já de Opel) ganha na estreia em Nurburgring Nordschleife. Na companhia de Tobias Jung, levou este Calibra ao triunfo na classe H2.

 

A CONSAGRAÇÃO DA RRIPLA QUE FALA PORTUGUES

 A CONSAGRAÇÃO DA TRIPLA QUE FALA PORTUGUES

 

 

NOS ESTADOS UNIDOS

 

 

 Uma noite de campeões, que falam português. Da esquerda para a direita, o piloto brasileiro Christian Fitipaldi e esposa, o piloto portugues João Barbosa e esposa, e Filipe Albuquerque.

 

A DUPLA BARBOSA - ALBUQUERQUE

  1. O titulo no North American Endurance Cup da IMSA volta a ser português (e brasileiro) com João Barbosa, Filipe Albuquerque e Christian Fittipaldi. Para Barbosa e Fittipaldi é o quarto consecutivo. Para Albuquerque o primeiro... e o primeiro título internacional desde 2006, quando Filipe venceu a F. Renault 2.0 Europeia e a F. Renault 2.0 NEC. Um longo jejum... que acabou. Agora que venha outro título, daqui a 15 dias, no ELMS.

 

ERC 2017 - E O SONHO DE BRUNO MAGALHAES TERMINOU CONTRA UMA ÁRVORE

ERC 2017

 

E O SONHO DE BRUNO MAGALHAES TERMINOU CONTRA UMA ÁRVOREa27 Copya28 Copya29 Copy

 

 

 

O sonho acabou para Bruno Magalhães e Hugo Magalhães na PEC 6 do Rali Leipaja. Mas serem vice-campeões Europeus de Ralis está longe de ser um mau resultado. Muito longe mesmo!

 

ALBUQUERQUE FAZ O 2º TEMPO

NOS ESTADOS UNIDOS

 

ALBUQUERUQE FAZ 2º TEMPO

 

 

O piloto portugues Filipe Albuquerque faz o  segundo tempo no FP3 nocturno para o Petit Le Mans.

 

ELISABETE JACINTO EM MARROCOS

ELISABETE JACINTO EM MARROCOS

 

 

Hoje a etapa foi longa e dificil, mas não correu mal...2º lugar nos camiões e 4º na categoria Open.

 

JACINTO NÃO ARRISCA

 

Elisabete Jacinto não arrisca no prólogo 

---
alt

 

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto iniciou hoje a sua participação no Rallye Oilibya du Maroc onde averbou a quinta posição entre os camiões e a 11ª da categoria Open, na Super Especial de 12 quilómetros cronometrados que se disputou em torno de Fez, em Marrocos. A equipa Bio-Ritmo® cumpriu este curto sector selectivo, que teve o argentino Frederico Villagra como vencedor entre os T4, sem qualquer dificuldade.  

Elisabete Jacinto optou por realizar esta Super Especial com alguma cautela, por forma a não comprometer a corrida, porque o percurso sinuoso de montanha não era favorável aos camiões: “hoje fizemos um curto prólogo na zona de Fez. Era uma pista de montanha, estreita, com muitos precipícios e buracos enormes. Havia imensos perigos e para nós que vamos num camião as coisas tornam-se ainda mais complicadas. Por isso decidi jogar à defesa por forma a não cometer erros. Quando temos uma longa corrida pela frente não compensa arriscar, particularmente num percurso tão curto como o que tivemos hoje. Já sei que o prólogo nunca é o meu ponto forte pois demoro um pouco a adaptar-me. Assim, preferi entrar com alguma cautela mas correu tudo bem” explicou a piloto portuguesa.

Uma nota de destaque vai para o facto de a piloto Elisabete Jacinto ter sido ontem homenageada pela NPO, entidade que realiza este rali, durante a cerimónia de abertura do Rallye Oilibya du Maroc. Como forma de assinalar o décimo aniversário da prova, a organização decidiu atribuir a alguns pilotos de moto, carro e camião um prémio de distinção pela sua frequente participação, palmarés e também pelos valores humanos demonstrados ao longo destes dez anos em que se concretizou este rali. Para além de Elisabete Jacinto foram também homenageados Paulo Gonçalves, Nasser Al-Attiyah, Bruno da Costa, Rafal Sonik, David Fratigne entre outros.

Amanhã cumpre-se a primeira etapa do Rallye Oilibya du Maroc 2017 a qual será disputada entre Fez e Erfoud e contará com uma especial de 367,18 quilómetros. Nesta jornada os trilhos vão alternar entre percursos pedregosos e pistas rápidas e sinuosas. A navegação será particularmente complexa o que vai exigir extrema concentração tanto dos pilotos como dos navegadores.

 

ELISABETE JACINTO EM ACÇÃO

 

ELISABETE JACINTO EM ACÇÃO

 

 

 

Já está disponível na Internet o clip referente às Verificações da equipa Bio-Ritmo® no Rallye Oilibya do Maroc, prova que se disputa entre 5 e 10 de Outubro em Marrocos.

Veja as imagens no Youtube: https://youtu.be/lirDbT9ywy8

 

MAGALHAES NA LETONIA

 

Rally Liepaja 2017

 

 

 

FECHAR NA LETÓNIA UMA ÉPOCA FANTÁSTICA

 

 

BRUNO MAGALHÃES E A ARC SPORT FIZERAM O PLENO NO ERC

 

 

Bruno Magalhães e Hugo Magalhães tripularam o Skoda Fabia R5 da ARC Sport na totalidade das provas do Campeonato da Europa de Ralis de 2017. Uma época que começou com uma sensacional vitória nos Açores, que impulsionou a equipa para estar presente em todas as provas do calendário europeu.

 

Depois de terem ocupado a liderança do ERC 2017, Bruno e Hugo Magalhães continuam na luta pelo título deste ano, apesar da tarefa na Letónia não se vislumbrar nada fácil.

 

Estamos a viver uma ilusão muito grande acerca desta prova, pois existe uma oportunidade, de chegarmos ao título, embora seja difícil. Depois do percurso que fizemos no ERC deste ano, nunca poderíamos deixar de estar presentes no Rali da Letónia. É uma prova muito específica em terra, com troços muito rápidos, que o transformam num rali diferente. Apesar de não o conhecer, poderei mesmo afirmar que não é um rali normal. Os pilotos locais poderão ser inacessíveis, mas vamos fazer o nosso rali e tentar ser eficientes, pois a vontade de lá estar é enorme, uma vez que ainda há possibilidade de chegar ao título. Esta foi uma época fantástica, e seja para festejar o 1º ou o 2º lugar do ERC, queremos fazer um bom rali e assinar um final de época positivo, pois este foi um ano excecional”, disse Bruno Magalhães.

 

Para a ARC Sport acompanhar Bruno Magalhães na totalidade das provas do ERC tem sido um dos pontos altos para a equipa de Aguiar da Beira. Para Augusto Ramiro, que irá estar na Letónia para fechar a época, esta tem sido uma experiência muito positiva.

 

Tem sido na verdade um ano muito rico em experiências, tanto nas diversas provas em que participámos, como na preparação do Skoda para os diferentes ralis em que estivemos presentes. Com uma época em pleno, e com a possibilidade em aberto, que o Bruno e o Hugo ainda contam para as contas finais do título, é obrigatória esta presença na

 

 

 

 

 

Letónia, tendo total confiança nesta participação. Vamos voltar a fazer o nosso melhor, para que tudo corra bem durante a prova”, afirmou o responsável pela ARC Sport.

 

O Rali Liepaja 2017 conta com 13 especiais de classificação e estará na estrada nos próximos dias 7 e 8 de outubro.

 a9 Copy

 

ALBUQUERQUE REGRESSA AOS STATES

 

Filipe Albuquerque disputa última prova da Taça Norte Americana de Endurance

Este fim-de-semana em Road Atlanta

Filipe Albuquerque enfrenta este fim-de-semana a última prova da Taça Norte Americana de Endurance com João Barbosa e Christian Fittipaldi ao volante do Cadillac DPi-VR da Action Express Racing. O trio de pilotos lidera a Taça com dois pontos de vantagem pelo que poderão sagrar-se vencedores no final das 10 horas de prova. Um resultado que Filipe espera vir a concretizar.

Apesar de a vantagem não ser significativa mas com mais equipas inscritas na prova, Filipe considera: “Mais importante que vencer a corrida é ficar à frente dos nossos adversários nas contas da Taça. É esse o nosso principal foco. Se conseguirmos vencer a prova, temos condições para isso, tanto melhor. Mas há que manter o foco e não dispersar”, começou por explicar.

As longas 10 horas de competição levarão pilotos e equipas a trabalhar afincadamente para enfrentar a extensão e dureza deste tipo de corridas: “A fiabilidade do carro tem sempre um papel importante neste tipo de provas mas também a consistência no andamento dos pilotos. Temos de ser rápidos e manter o mesmo ritmo durante o maior número de voltas. Se estes pressupostos estiverem reunidos, acho que estamos no bom caminho para atingirmos a meta”, concluiu o piloto português que pode arrecadar o primeiro título da época.

A prova arranca no sábado pelas 16h portuguesas e poderá ser acompanhada no site do Campeonato em www.imsa.coma7 Copy

 

BRUNO MAGALHAES NA LETÓNIA

 

Bruno Magalhães pode vir a ser Campeão Europeu de Ralis este fim-desemana na Letónia
 
Bruno e Hugo Magalhães já estão na Letónia onde vai decorrer a última prova do Campeonato da Europa de Ralis, este fim-de-semana de 6 a 8 de Outubro. A dupla lusa chega ao derradeiro confronto da época na segunda posição do Campeonato, já com o vice-campeonato no currículo, mas com hipótese de ainda trazer para Portugal o título de Campeão. A desvantagem pontual não esmorece Bruno Magalhães que encara este desafio com o optimismo habitual e com a gratidão de ter tido a oportunidade de disputar este belíssimo campeonato e ter estado, até ao final, na luta pelo primeiro lugar.
 
Ciente das dificuldades que vai enfrentar sobretudo devido ao facto de desconhecer por completo a prova ao contrário do seu adversário, Bruno está preparado para no final, festejar: “Quer seja o título de campeão ou vice-campeão. Quando fiz a primeira prova da época, nos Açores, estava longe de imaginar este maravilhoso percurso que temos vindo a fazer. Ter a oportunidade de fazer a época completa e de ter conseguido deixar para o último rali a decisão do título é, simplesmente, espectacular. O título de vice-campeão já tem sabor a vitória e já é um enorme orgulho dadas as condições em que fizemos toda a época. Por isso, a pressão não está do nosso lado, vamos fazer o nosso trabalho e esperar para ver”, começou por referir.
 
Desportivamente a prova avizinha-se exigente: “Troços muito rápidos e com condições atmosféricas adversas. Espera-se chuva. Para além disso, os pilotos locais são sempre os favoritos neste rali. Mas, tudo pode acontecer. Se não estivéssemos aqui nunca saberíamos o que poderia acontecer. Por isso, é seguir em frente e no final juntarmo-nos à grande festa de encerramento do Campeonato”, concluiu.
 
O rali vai para a estrada de 6 a 8 de Outubro e pode ser acompanhado em www.fiaerc.com ou na app rally4now. O Eurosport fará os habituais resumos diários com transmissão no Eurosport 1 no sábado às 22.35h e no domingo às 22.05h.a6 Copy

 

A ESTREIA DE JOÃO FERNANDO RAMOS

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE RALIS

 

RALI DA CATALUNHA

 

A ESTREIA DE JOÃO FERNANDO RAMOS COM O FIESTA R 5

 

 

O carro pronto para o rali da Catalunha. O N5 é uma grande opção. Vai ser a estreia do carro numa prova do WRC

 

JOSÉ CORREIA NAS CANÃRIAS

 

José Correia estreia-se em Espanha na Subida a Arona

 

Depois de se ter sagrado campeão nacional de Montanha na Categoria 2/GT, José Correia vai estrear-se este fim-de-semana a competir em solo espanhol, participando na Subida a Arona La Escalona, na cidade de Tenerife. Nissan Nismo GT-R GT3 da JC Group será uma das atrações da (concorrida) prova nas ilhas Canárias.

O Campeonato Nacional de Montanha terminou em beleza para José Correia e a JC Group Racing Team, que conquistaram o título nacional na Categoria 2, onde alinham os potentes carros de GT. Agora, o piloto de Braga vai fazer a sua estreia absoluta nas rampas espanholas, competindo na Subida a Arona La Escalona, na zona sul de Tenerife.

“É uma novidade absoluta para mim mas, como sempre, vamos dar o nosso melhor e ver onde nos posicionamos na categoria e à geral. Esta prova tem mais de 80 inscritos e um parque automóvel muito interessante, com vários GT, embora naturalmente os pilotos locais tenham muito maior conhecimento do terreno. O traçado é muito técnico e favorável a carros mais pequenos do que o nosso, mas acima de tudo espero que seja uma grande experiência tanto para mim como para toda a equipa, afirmou José Correia, que já se encontra em Tenerife.

Organizada pela Escuderia Zapatera, a Subida a Arona pretende integrar novamente o Campeonato de Espanha de Montanha em 2018. A edição deste ano é disputada unicamente este sábado (dia 7), com os primeiros treinos livres a começarem às 09h30 e a derradeira subida de prova marcada para as 14h00.

 000 0961_Copy000 0971_Copy

 

MANUEL CORREIA NAS CANÁRIAS

 

Subida a Arona é o novo desafio de Manuel Correia

 

O bicampeão nacional de Montanha da Categoria 4 vai descobrir este sábado a espanhola Subida a Arona – La Escalona, disputada na região de Tenerife. A rampa das ilhas Canárias é um desafio motivador para Manuel Correia.

Depois de ter dominado por completo a Categoria 4 do Nacional de Montanha e de se ter sagrado vice-campeão nacional de Turismos, Manuel Correia vai enfrentar este sábado uma rampa que nunca disputou: a Subida a Arona – La Escalona, realizada na zona sul de Tenerife, nas ilhas Canárias. O piloto do Ford Fiesta R5+ já reconheceu o traçado espanhol e espera acumular mais uma experiência positiva na sua carreira nas rampas.

“O traçado é muito sinuoso mas bonito. Em toda a minha carreira só disputei uma rampa fora de Portugal, no Luxemburgo, por isso é sempre bom descobrir novas provas e correr contra novos adversários. Isso faz-nos evoluir como pilotos. O meu objetivo é o mesmo do Campeonato Nacional: divertir-me ao máximo e tentar estar entre os melhores da minha categoria, sabendo que aqui os pilotos espanhóis serão sempre os favoritos à vitória”, referiu Manuel Correia, pouco depois da primeira inspeção à rampa organizada pela Escuderia Zapatera.

A Subida a Arona aposta em regressar ao calendário do Campeonato de Espanha de Montanha na próxima época. A edição de 2017 realiza-se unicamente no sábado (dia 7), com os primeiros treinos livres marcados para as 09h30 e a derradeira subida de prova a começar às 14h00.000 8999_Copy000 9156_Copy

 

JACINTO EM MARROCOS

 

Elisabete Jacinto inicia Rali de Marrocos 

---
alt

 

A piloto Elisabete Jacinto e a equipa Bio-Ritmo® realizaram hoje, em Fez, as verificações administrativas e técnicas do Rallye Oilibya du Maroc o qual se vai iniciar amanhã, com uma Super Especial de 12 quilómetros cronometrados, e termina no dia 10 de Outubro em Erfoud, Marrocos.

Os portugueses cumpriram os habituais controlos de todas as documentações e requisitos técnicos dos veículos os quais decorreram com alguns atrasos alheios à equipa: “Habitualmente as verificações decorrem de forma rápida e tranquila. No entanto, hoje vivemos as verificações mais lentas de que tenho memória. Havia filas intermináveis de gente que esperava de pé pela sua vez. Isto porque o sistema de inscrição pela Internet não funcionou tornando aqui o processo muito lento. Depois houve um problema com a instalação do novo modelo do Iritrack no nosso camião que demorou imenso tempo a ficar pronto. Com tudo isto saltámos a hora do almoço o que tornou tudo mais difícil”, contou Elisabete Jacinto que está já a postos para iniciar a corrida e competir ao longo de seis dias nesta grande maratona africana, a qual se vai disputar em alguns dos terrenos mais inóspitos e desertificados do mundo.

Esta edição do Rali de Marrocos será um verdadeiro desafio para a equipa Bio-Ritmo®, uma vez que vão estar na competição excelentes equipas, cujos orçamentos elevados lhes permite equipar os camiões transformando-os em veículos muito eficazes e bem preparados. Perante este cenário, Elisabete Jacinto acredita que a fiabilidade, consistência e união da equipa serão as grandes mais-valias para alcançar os objectivos propostos: “Hoje é um dia de grande entusiasmo e expectativa. É o dia em que olhamos para os camiões dos outros e nos deixamos impressionar com o que vemos. Com base nessa observação tentamos adivinhar o futuro e fazemos palpites em relação à classificação. Da nossa parte estamos prontos para dar o máximo e vamos lutar por um bom resultado. Faço votos que a sorte esteja do nosso lado”, contou a piloto portuguesa.

A primeira jornada deste 18º Rallye Oilibya du Maroc realiza-se amanhã. Uma curta especial de 12 quilómetros cronometrados, realizada em torno de Fez, estará na ordem do dia e tem como principal objectivo estabelecer a sequência de partida para a 1ª etapa desta prova.

 

BRUNO MAGALHAES A UM PASSO DO TITULO

FECHAR NA LETÓNIA UMA ÉPOCA FANTÁSTICA

BRUNO MAGALHÃES E A ARC SPORT FIZERAM O PLENO NO ERC

Bruno Magalhães e Hugo Magalhães tripularam o Skoda Fabia R5 da ARC Sport na totalidade das provas do Campeonato da Europa de Ralis de 2017. Uma época que começou com uma sensacional vitória nos Açores, que impulsionou a equipa para estar presente em todas as provas do calendário europeu.

...

Depois de terem ocupado a liderança do ERC 2017, Bruno e Hugo Magalhães continuam na luta pelo título deste ano, apesar da tarefa na Letónia não se vislumbrar nada fácil.

“Estamos a viver uma ilusão muito grande acerca desta prova, pois existe uma oportunidade, de chegarmos ao título, embora seja difícil. Depois do percurso que fizemos no ERC deste ano, nunca poderíamos deixar de estar presentes no Rali da Letónia. É uma prova muito específica em terra, com troços muito rápidos, que o transformam num rali diferente. Apesar de não o conhecer, poderei mesmo afirmar que não é um rali normal. Os pilotos locais poderão ser inacessíveis, mas vamos fazer o nosso rali e tentar ser eficientes, pois a vontade de lá estar é enorme, uma vez que ainda há possibilidade de chegar ao título. Esta foi uma época fantástica, e seja para festejar o 1º ou o 2º lugar do ERC, queremos fazer um bom rali e assinar um final de época positivo, pois este foi um ano excecional”, disse Bruno Magalhães.

 

ALBUQUERQUE REGRESSA AOS STATES

Filipe Albuquerque disputa última prova da Taça Norte Americana de Endurance, este fim-de-semana em Road Atlanta

Filipe Albuquerque enfrenta este fim-de-semana a última prova da Taça Norte Americana de Endurance com João Barbosa e Christian Fittipaldi ao volante do Cadillac DPi-VR da Action Express Racing. O trio de pilotos lidera a Taça com dois pontos de vantagem pelo que poderão sagrar-se vencedores no final das 10 horas de prova. Um resultado que Filipe espera vir a concretizar.

Apesar de a vantagem não ser significativa mas com mais equipas inscritas na prova, Filipe considera: “Mais importante que vencer a corrida é ficar à frente dos nossos adversários nas contas da Taça. É esse o nosso principal foco. Se conseguirmos vencer a prova, temos condições para isso, tanto melhor. Mas há que manter o foco e não dispersar”, começou por explicar.

As longas 10 horas de competição levarão pilotos e equipas a trabalhar afincadamente para enfrentar a extensão e dureza deste tipo de corridas: “A fiabilidade do carro tem sempre um papel importante neste tipo de provas mas também a consistência no andamento dos pilotos. Temos de ser rápidos e manter o mesmo ritmo durante o maior número de voltas. Se estes pressupostos estiverem reunidos, acho que estamos no bom caminho para atingirmos a meta”, concluiu o piloto português que pode arrecadar o primeiro título da época.

A prova arranca no sábado pelas 16h portuguesas e poderá ser acompanhada no site do Campeonato em www.imsa.com

 

BARBOSA E ALBUQUERQUE NA IMSA 2018

 

Filipe Albuquerque disputará a temporada completa do IMSA SportsCar Championship

Com a Action Express Racing ao lado de João Barbosa

O programa desportivo de Filipe Albuquerque para 2018 começa a ganhar forma. O piloto português vai disputar toda a temporada IMSA WeatherTech SportsCar Championship, vulgarmente chamado de Campeonato Norte Americano de Resistência, com a Action Express Racing e ao lado de João Barbosa. Christian Fittipaldi junta-se à dupla lusa nas provas de resistência. Dois pilotos portugueses numa equipa americana num campeonato americano com o intuito de alcançar o título.

Filipe Albuquerque não esconde a satisfação de ser um dos pilotos permanentes da equipa americana: “Muito contente por ter assinado com a Action Express Racing e por poder fazer dupla com o João Barbosa. Este é o melhor campeonato do mundo de protótipos com todos os construtores envolvidos e numa equipa ganhadora. O Cadillac Cadillac DPi-V.R com o #5 será uma vez mais a máquina e já provou que tem condições para chegar ao título. Estou muito entusiasmado e sei que temos tudo para conseguir alcançar os objectivos”, rematou.

Mas antes de centrar atenções no Campeonato Americano, Filipe tem ainda pela frente e já em Outubro no Autódromo do Algarve a luta pelo título no European Le Mans Series.

 

JACINTO EM MARROCOS

Foto de Elisabete Jacinto.
·

Primeiro dia de estrada efectuado e chegámos a Riofrio, a cerca de duzentos quilómetros de Almeria onde embarcaremos amanhã.
Ao Kat deu-lhe uns calores... o qu...e não passou de mais um dos seus caprichos para nos fazer subir a adrenalina.

 

JACINTO EM MARROCOS

 

Elisabete Jacinto já está a caminho de Marrocos

---
alt

 

Elisabete Jacinto já partiu para Marrocos onde vai iniciar, no próximo dia 4 de Outubro, mais uma edição do Rallye Oilibya du Maroc. A  equipa Bio-Ritmo® demorará três dias até chegar a Fez, cidade onde pela primeira vez na história deste rali se dará a partida da prova.

Os portugueses já estão preparados para iniciar este desafio e apresentam como principais objectivos chegar ao final desta prova num lugar de pódio entre os camiões. Para cumprir com esta meta a equipa preparou-se com empenho tendo prestado particular atenção ao MAN TGS de competição. “Em qualquer corrida, o objectivo é sempre garantir a competitividade da equipa. Para isso é importante uma condução e navegação exemplar, assim como uma manutenção que garanta a fiabilidade do nosso MAN. Esta é sempre a principal aposta mas fizemos várias pequenas alterações que nos pareceram importantes. Destaco o facto de termos apostado mais uma vez na suspensão pois, ao nível dos amortecedores, introduzimos mais uma possibilidade de afinação dos mesmos e instalámos um sistema de apoio hidráulico à alavanca da caixa de velocidade. Tenho esperança que desta alteração resulte alguma folga em termos  de esforço físico na passagem de caixa” explicou Elisabete Jacinto.  

A equipa chegará a Fez no dia 3 de Outubro assim como os demais concorrentes onde toda a estrutura organizativa os aguarda.

A NPO, entidade organizadora deste grande evento, é constituída por 150 elementos distribuídos pelas equipas médicas, de logística, comunicação, entre outras, e todos estarão a postos para garantir que os participantes possam usufruir de uma grande aventura de todo-o-terreno.

O Rallye Oilibya du Maroc é um dos maiores eventos internacionais realizado no Reino de Marrocos e o qual o país se orgulha em receber. Por este motivo as autoridades marroquinas e a FRMSA (Fédération Royale Marocaine des Sports Automobiles) empenham-se para que a competição decorra debaixo de um ambiente seguro e salutar. Este rali cumpre-se com o apoio do Rei de Marrocos, Sua Majestade Mohamed VI que acolhe com cortesia todos os participantes

 

JOÃO REBELO MARTINS TERMINOU

 

PanAfrica Rally

23 a 30 Setembro

 

João Rebelo Martins: a vitória de terminar

Dupla portuguesa em Yamaha 3º na etapa e 4º à geral

 

 

João Rebelo Martins concluiu a sua participação no Panafrica Rally cumprindo o objetivo a que se propôs desde início, terminar esta grande competição africana. O piloto natural de Oliveira de Azeméis conquistou hoje a terceira posição entre os SSV naquela que foi a quinta e derradeira etapa de 106 quilómetros cronometrados, com a qual se encerra a 14ª edição do Panafrica Rally. Com este resultado, João Rebelo Martins conquistou o quarto posto na classificação geral da sua categoria.

 

A dupla João Rebelo Martins e Valter Cardoso, aos comandos de um Yamaha YXZ 1000R, que conquistou por das vezes um terceiro lugar nesta conpetição mostra-se satisfeita co o resultado:

“Chegamos ao final do Panafrica Rally. Foram seis dias de etapas exigentes e complexas para a navegação e pilotagem, mas penso que para a primeira prova nestas condições de dunas, dunetes, deserto e montanhas, superamos com sucesso o objectivo a que nos tínhamos proposto que era adquirir o maximo de experiência neste tipo de "provas maratonas". Independentemente quarto lugar na classificação geral (que confesso não estava sequer nos meus planos alcançar) soubemos sempre ultrapassar todos os obstáculos e adversidades que nos foram aparecendo durante os dias. Ficámos co uma boa boa bagagem neste tipo de provas, mas acima de tudo com o sentimento enorme de dever cumprido. A etapa de hoje tinha tanto de bonita como de traiçoeira. Foram muitos quilómetros de areia realizados nas dunas do Erg Chebbi onde as referências não existem, por isso a navegação foi crucial. Conseguimos um terceir lugar na etapa de hoje, o que me deixou completamente rendido e viciado pelas dunas, refer Valter Cardoso.

 

O Panafrica Rally teve início no dia 23 de Setembro. Hoje termina com a entrega de prémios em Erfoud, de onde partia e chegava diariamente a comitiva. O percurso em forma de "boucle, contou com um prólogo e cinco etapas uma das quais maratona, num total de mais de 1300km’s que percorreram uma diversidade de paisagens e de terrenos a oscilar entre dunas e pistas duras e rápidas.

 a944 Copy

 

FILIPE ALBUQUERQUE

  1. Love is in the air... ou na curva 1 de Daytona!

 

REBELO MARTINS EM 5º

 

PanAfrica Rally

23 a 30 Setembro

 

João Rebelo Martins mantém 5º lugar

Dupla portuguesa em Yamaha traida por furo e “atascanço”

 

João Rebelo Martins concluiu a etapa de hoje na quinta posição entre os SSV, mantendo assim o lugar conquistado no dia de ontem, em que se cumpriu a segunda parte da etapa maratona.

 

Acompanhado por Valter Cardoso, aos comandos de um Yamaha YXZ 1000R, o piloto natural de Oliveira de Azeméis arrancou para a especial de 257 quilómetros cronometrados, a mais longa desta que é a 14ª edição do PanAfrica Rally, da melhor maneira, mas a dada altura ficou preso numa duna o os fez perder tempo. Já na fase final do troço, um furo, veio condicionar ainda mais a performance da equipa, não lhe permitindo subir na classe.

 

À chegada o piloto da Roadgalaxy Sport revelou que “tendo em conta a penalização sofrida ontem, não havia nada a perder e a palavra de ordem foi atacar. Logo nos primeiros quilometros da especial passei dois adversários e pouco tempo depois estava na frente, "a par" com o Carlos Checa que tinha saído três minutos à minha frente. Chegados ao Erg Chebbi, dada a maior experiência do ex-campeão do mundo de superbikes, deixei-o ir na frente e rodava a pouco mais de cem metros dele, revela o piloto da Yamaha que sobre a etapa de hoje acrescenta ainda: “a dada altura já no final dos 20km’s de duna, houve uma que se abateu  com o peso do carro e demoramos cerca de 40 minutos para o tirar dali. Foi uma situação que nos tirou qualquer hipótese de lutar pela vitória na especial. Aliás, só saímos rebucados por uma dupla argentina que corre num Can Am. O resto da especial, aproximadamente 200 km tinha muita pedra e pistas de areia e, perto do final, a cerca de 20 km, furei um pneu traseiro que me atrasou ainda mais. Tem sido uma prova muito muito dura, a nível de piso e navegação. Uma verdadeira escola de todo-o-terreno”.

 

Amanhã disputa-se a quinta e última etapa do Panafrica Rally. A Especial que se inicia e termina em Erfoud, vai passar, à semelhança do que aconteceu na terceira etapa, na zona de Merzouga.a919 Copya920 Copy

 

MIGUEL RAMOS NO PÓDIO

Ramos & Mac no Pódio em Monza.

 

A dupla do Ferrari #488 atacou sempre ao máximo conseguindo um excelente terceiro lugar e 16 importantes pontos, para as contas do Campeonato no somatório destas duas corridas.

a915 Copy

Ainda havia uma réstia de esperança à partida para Monza, mas logo desde os treinos livres de sexta-feira ficou demonstrado que muito dificilmente o Ferrari #488 se poderia imiscuir na luta pela vitória. “Tivemos que mudar o motor de sexta para sábado pois perdíamos cerca de 12km/h em ponta, o que é uma eternidade", comentou Ramos no sábado à tarde.

Na corrida deste domingo e após terem conseguido o 3º lugar na qualificação, Mikkel Mac fez um excelente turno, mantendo-se sempre em 4º e na luta com um dos BMW pelo 3º lugar, até à troca de pilotos. Já com Ramos ao volante, é recuperado o terceiro lugar após ultrapassar o Mclaren. O Ferrari #488 rodou grande parte sozinho no 3º lugar tendo os 2 BMW’s na mira, mas sem possibilidade de se chegar. Já muito perto do final foi Ramos que se sentiu ameaçado, “Já perto do fim ainda senti a pressão do Lamborghini do Dolby, que nas ultimas voltas foi de uma grande intensidade. O Lamborghini fazia nas duas grandes rectas mais 9km/h do que o nosso Ferrari. Consegui defender rodando no limite nas duas últimas voltas. Em termos do Campeonato a operação Monza correu bastante bem, face às circunstâncias da diferença de velocidade. Fizemos no conjunto 16 pontos e somente o Venturini na Lambo e o Rueda na BMW fizeram mais pontos. Tudo se decidirá em Barcelona e ainda é possível chegar ao pódio do Campeonato se tivermos um BOP favorável”, comentou Miguel Ramos após a corrida desta tarde em Monza.

Classificação provisória do Campeonato após Monza

1 – Giovanni Venturini (Lamborghini) - 97 pts

2 – Fran Rueda / Victor Bouveng (BMW) – 92 pts

3– Alberto Costa / Philipp Frommenwiller (Lexus) – 83 pts

4 – Thomas Biaggi (Lamborghini) – 81 pts

5 – Miguel Ramos / Mikkel Mac (Ferrari) – 78 pts (-19)

As próximas e ultimas duas corridas do GT Open terá lugar em Barcelona a 28 e 29 de outubro.

Calendário 2017

 

http://www.gtopen.net/images/portugal_flag.jpg    Estoril 29 - 30 de Abril

 

http://www.gtopen.net/images/belgium_flag.jpg    Spa 27 - 28 de Maio

 

http://www.gtopen.net/images/france_flag.jpg    Paul Ricard 10 – 11 de Junho

 

http://www.gtopen.net/images/hungary_flag.jpg    Hungaroring 1 – 2 de Julho

 

http://www.gtopen.net/images/england_flag.jpg    Silverstone 2 – 3 de Setembro

 

http://www.gtopen.net/images/italy_flag.jpg   Monza 30 Set – 1 de Outubro

 

http://www.gtopen.net/images/spain_flag.jpg   Barcelona 28 – 29 de Outubro

 

REBELO MARTINS EM 5º

 

João Rebelo Martins em 5º lugar

Dupla portuguesa em Yamaha continua a superar dificuldades da estreia

 

João Rebelo Martins acompanhado de Valter Cardoso aos comandos de um Yamaha YXZ 1000R terminou hoje a segunda parte da etapa maratona, com 138 quilómetros cronometrados, na 5ª posição entre os SSV.

 

Nesta terceira etapa da 14ª edição do PanAfrica Rally o piloto da Roadgalaxy Sport chegou a rolar na terceira posição, mas um acidente de percurso acabaria por atrasar a equipa que continua a superar as dificuldades de uma estreia neste tipo de provas

 

“Hoje cumprimos o segundo dia de etapa maratona. Ontem terminámos em quarto. Hoje, cheguei a rolar em terceiro, mas como ia no pó do segundo acabei por dar uma pancada numa rocha. Também penalizei, o que nos levou a perder uma posição no dia de hoje”, revelou à chegada o piloto de Oliveira de Azeméis, João Rebelo Martins.

Amanhã disputa-se a quarta etapa do Panafrica Rally, a mais longa desta edição, num total de 257 quilómetros contados ao cronómetro com partida e chegada a Erfoud. Uma etapa onde as dunas serão o prato forte do dia.a902 Copya903 Copy

 

QUE FAZ FILIPE ALBUQUERQUE NA MCLAREN??

QUE FAZ FILIPE ALBUQUERQUE NA MC LAREN??

 

 

 

Fernando Alonso , Stoffel cuidem-se. Vocês aí no calor da Malásia e ele entrou de mansinho. Se repararem, até levou o saco... 

 

 

 

JACINTO REGRESSA AO DESERTO

 

Elisabete Jacinto com o número 453 no Rali de Marrocos

 

---
alt

 

A equipa Bio-Ritmo® ficou hoje a saber o número com que vai participar no Rallye Oilibya du Maroc assim como quem serão os  seus principais opositores nesta grande maratona africana. A NPO divulgou hoje a lista de inscritos da competição e aos portugueses coube o número 453.

Nesta edição do Rali de Marrocos está confirmada a presença de sete equipas de camião de onde se destacam nomes como Frederico Villagra, antigo campeão de ralis, ou Marteen Van Den Brink, vencedor da categoria em 2015. Vão ainda participar duas equipas inscritas pelo Team De Rooy ambas aos comandos de dois potentes IVECO. Apesar de reconhecer as dificuldades que vai encontrar, a piloto portuguesa está entusiasmada e acredita que tem condições para conquistar uma boa classificação: “quanto maior o número de equipas a participar em camião maior será a competitividade, o que me agrada verdadeiramente ”, referiu a portuguesa.

Esta edição Rallye Oilibya du Maroc conta com 48 inscritos na classe automóveis FIA e 22 na categoria OPEN. No total estarão nesta corrida cerca de 300 pilotos e mais de 1000 participantes, que estarão divididos entre as diversas equipas de assistência que vão apoiar as respetivas formações. Serão 33 as nacionalidades presentes nesta prova, entre as quais alguns portugueses de onde se destacam os nomes de Ricardo Porém e Alejandro Martins nos automóveis e Mário Patrão, que vai competir na categoria moto.

A piloto Elisabete Jacinto vai estar acompanhada neste rali por José Marques (navegador) e Marco Cochinho (mecânico) completa o trio que compete a bordo do MAN TGS. A equipa de assistência será composta por Jorge Gil (director da equipa), Hélder Anjos (mecânico) e Pedro Azevedo o condutor do MAN KAT da formação lusa.

As belas paisagens de Marrocos serão assim o palco das disputas de alguns dos nomes mais sonantes do todo-o-terreno da actualidade. Nesta prova vão participar pilotos com grande notoriedade como Sebastien Loeb, Carlos Sainz ou Nasser Al-Attiyah. 

 

TIAGO MONTEIRO CONTINUA RECUPERAÇÃO EM CASA

TIAGO MONTEIRO CONTINUA RECUPERAÇÃO EM CASA

 

 

Finalmente em casa. Começa agora a recuperação, vai ser duro, há ainda um longo caminho pela frente mas estar perto da minha família dá-me a força que preciso.

 

 

BARBOSA E ALBUQUERQUE NA IMSA 2018

Já não é novidade por aqui. Mas fica a confirmação - Filipe Albuquerque e João Barbosa serão o par no Caddy #5 no IMSA 2018. Felipe Nasr junta-se a Eric Curran no #31. Christian Fittipaldi fará as provas de resistência com a dupla portuguesa e terá outras funções na equipa (director desportivo). Mike Conway estará no #31 nas corridas mais longas. A história toda:

 

 

– Action Express Racing secured the 2014, 2015, and 2016 IMSA WeatherTech SportsCar Team, Driver, and Tequila Patron Endurance championships and returned to the IMSA winner circle in 2017 with both the No. 31 Whelen Engineering Cadillac DPi-V.R and No. 5 Mustang Sampling Racing DPi-V.R entries.

The team is pleased to announce a strong driver line up for its 2018 two-car campaign in the IMSA WeatherTech SportsCar Championship Prototype class.

The No. 31 Whelen Engineering Cadillac DPi-V.R will be shared by 2016 IMSA Champion Eric Curran (USA) and former Formula 1 racer Felipe Nasr (BRA) for the full season. Having won the Sunoco Challenge to earn the opportunity to race in the 2012 Rolex 24 At Daytona, Nasr returned to the event with Action Express Racing in 2013.

IndyCar race winner and current World Endurance Championship driver Mike Conway (UK) will also return to the team, racing in the 2018 Daytona, Sebring and Road Atlanta rounds of the Patron North American Endurance Championship events.

The No. 5 Mustang Sampling Racing DPi-V.R will feature Joao Barbosa (PT) teaming with Filipe Albuquerque (PT) for the full IMSA WeatherTech season.

Long time Action Express Racing pilot Christian Fittipaldi (BRA) moves to the endurance event driver line up as he also takes on a new role with the team. The trio took second place in the 2017 Rolex 24 At Daytona and won the 2017 Sahlen’s Six Hours at Watkins Glen International.

In addition to racing in the Tequila Patron North American Endurance Championship, Fittipaldi has been appointed Sporting Director for Action Express Racing. The role will see him continue to contribute to the in-weekend technical evaluations to improve the car performance with long time engineer Iain Watt. Fittipaldi has already begun his new role as a key figure as a representative of the team, working with sponsors and manufacturer partner Cadillac.

“As a team, the 2017 IMSA season has been a solid one, but we are all working hard to make 2018 an even better year,” said Action Express Racing Team Manager Gary Nelson. “We are happy to have Eric (Curran) return in the Whelen Engineering Cadillac and to have Felipe (Nasr) come back to race with us for the full season. We have had the same driver line up for the Mustang Sampling Cadillac for the last two years, and that consistency will be an advantage. Christian (Fittipaldi), Filipe (Albuquerque) and Joao (Barbosa) have all been racing with us but we are just changing the roles that each will have next year. Adding Tim (Keene) to the 31 side is also something that we are excited about and we are looking forward to his contributions to our team effort here at Action Express Racing.”

Tim Keene has joined the team as Performance Coordinator, bringing decades of championship-winning experience in IMSA and IndyCar to the program. Keene has already moved into his position, calling the race for the No. 31 Whelen Engineering Cadillac DPi-V.R this weekend at Mazda Raceway Laguna Seca with a strong run to second place.

The IMSA WeatherTech SportsCar Championship has quickly established itself as an outstanding category that has attracted a wide scope of manufacturer involvement, some of the best driving talent in the world, and a strong roster of talented teams populating the paddock. Nowhere is that more evident than the top Prototype class, which features a competitive line up of privateer teams as well as anticipating new team and manufacturer efforts in the class.

“IMSA WeatherTech is an incredibly competitive championship and we all expect that 2018 will be even tougher,” said team owner Bob Johnson. “The IMSA Prototype class has established itself as world-class competition and next year is going to be even tougher with new teams and manufacturers joining us. We are really looking forward to the new competition and have been working to have everything in place to be ready to go starting in Daytona. We’ve got an outstanding driver line up, fantastic commercial partners, a strong management team in place, and the best crew in the sport. With the level of competition being what it is in IMSA, we will need every aspect of our team effort to perform and we are very much looking forward to 2018.”

Action Express Racing has one more opportunity for victory in the 2017 IMSA season with the Petit Le Mans on October 7.

2018 Action Express RacingIMSA WeatherTech SportsCar Championship

No. 31 Whelen Engineering Cadillac DPi-V.R

Full season drivers:Eric Curran+Felipe Nasr
Endurance driver: Mike Conway (Rolex 24 At Daytona, Sebring 12 Hours, Petit Le Mans)

No. 5 Mustang Sampling Racing DPi-V.R

Full season drivers:Joao Barbosa+Filipe Albuquerque
TPNAEC driver:Christian Fittipaldi

 

VELOSO MOTORSPORT EM BARCELONA

 

Brilhante pódio para Veloso Motorsport em Barcelona

 

 

Foi excelente a passagem da Veloso Motorsport pelo Circuito de Barcelona, onde disputou este último fim-de-semana, a penúltima jornada do Campeonato Espanhol de Resistência – GT, inscrevendo um Porsche 997 Cup para Pedro Marreiros e Nuno Batista. Com um bom comportamento desde os treinos, a dupla de experientes pilotos garantiu o direito a largar do segundo lugar da Classe C2, quinta posição em termos absolutos.

Na corrida que teve duas horas de duração, a dupla lusa mostrou-se sempre a um nível elevado, terminando a prova na segunda posição final entre os C2, sexto lugar entre os 43 pilotos que completaram esta jornada. 

“Antes de mais devo realçar o comportamento exemplar da Veloso Motorsport, que nos proporcionou todos os meios para termos um excelente fim-de-semana de corridas, quer seja ao nível da organização, da capacidade técnica para nos ajudar a acertar o carro ou na assistência em prova, capítulo onde estiveram impecáveis. Pela nossa parte fizemos o que nos competia e o melhor possível. Depois de uma boa qualificação, fiz o turno inicial da corrida e se nos primeiros 20 minutos tudo correu bem, a partir daí um problema com o pneu da frente esquerdo, um dos que mais sofre na pista de Barcelona, começou a deteriorar-se muito rapidamente e com isso perdemos muito tempo e ficamos sem hipóteses de lutar pelo primeiro lugar entre os C2. Ainda assim estamos muito satisfeitos com este resultado.” Afirmou Pedro Marreiros.

 “Correu muito bem, foi um bom fim-de-semana de corridas e os resultados que conseguimos foram excelentes. Neste regresso aos GT, senti-me confortável com o carro logo desde os treinos e na corrida consegui sempre um bom ritmo no meu turno e isso é muito bom. Estou muito satisfeito, tirando o problema com o pneu, o carro esteve sempre impecável devido a um bom trabalho da equipa e nós utilizamos isso, para chegar a um resultado que vai de encontro aos objectivos que delineamos antes da prova. Esta é certamente uma experiência que gostaria de repetir.” Disse Nuno Batista.

A última prova do ano do CER-GT é a 14 e 15 de Outubro de 2107 no Circuito de Navarra.

 a870 Copy

 

PARENTE AO ATAQUE

 

Álvaro Parente disputa prova americana de competição global

 

Álvaro Parente disputará nos próximos dias 14 e 15 de Outubro as 8 Horas da Califórnia, a terceira ronda do Intercontinental GT Challenge, defendendo as cores da McLaren GT e da K-PAX Racing aos comandos de um McLaren 650S que dividirá com Brian Sellers e Ben Barnicoat.

Depois de ter concluído a temporada do Pirelli World Challenge, campeonato em que terminou no segundo posto da vertente GT Sprint, e da Blancpain Sprint Cup, o português continua no activo, regressando à competição global da SRO, certame em que disputou já as 12 Horas de Bathurst, onde assinou uma prestação notável num dos circuitos mais exigentes do mundo.

A ronda norte-americana do Intercontinental GT Challenge terá lugar no mítico circuito de Laguna Seca, palco onde no ano passado Álvaro Parente conquistou o seu título do Pirelli World Challenge na última corrida com uma vitória dramática.

Com uma época em que esteve empenhando, sobretudo, em corridas de sprint, o português mostra-se entusiasmado por poder regressar às corridas de endurance. “Estou ansioso por perceber como se comportará o carro e o que poderemos fazer. Temos a melhor equipa para este tipo de provas e no McLaren 650S uma boa arma. A estratégia é importante, mas no ano passado a K-PAX Racing esteve muito bem nas 12 Horas de Sepang. Vamos todos trabalhar em conjunto para darmos o nosso melhor. Gosto de provas de sprint, mas as corridas de endurance também me seduzem”, afirmou o piloto oficial da McLaren GT.

Álvaro Parente terá como colegas de equipa Ben Barnicoat e Brian Sellers, dois pilotos que conhece bem. “Fiz equipa com o Ben no Blancpain Sprint Cup e nas provas de SprintX do Pirelli World Challenge e sei o quão competitivo ele é. O Brian esteve com a K-PAX Racing ao longo de toda a temporada e mostrou igualmente ser muito rápido e consistente. Julgo que formamos uma equipa de pilotos forte e temos todos os ingredientes necessários para estarmos na luta pelas melhores posições da corrida. É claro que a oposição será muito forte, mas nós vamos dar o nosso melhor para lutar por um bom resultado”, concluiu com determinação o piloto do Porto.

 a824 Copy

 

REBELO MARTINS EM 4º

 

João Rebelo Martins em 4º lugar

 

João Rebelo Martins terminou a etapa maratona de hoje, de 250 quilómetros, a segunda Especial da 14ª edição do PanAfrica Rally na 4ª posição entre os SSV.

 

O dia não começou da melhor maneira para o piloto natural de Oliveira de Azemeís que, se faz acompanhar pelo experiente Valter Cardoso. O stela, sistema de alarme que só é ativado em caso de emergência e que também serve de localizador, do Yamaha YXZ 1000 RSS inscrito pela Vettra Motosport não funcionou, pelo que a dupla portuguesa inscrita com o número 307 foi obrigada a regressar ao início da corrida.

 

“ Foi uma etapa muito rápida. Andámos a cerca de 120km/h, mas não começámos a etapa maratona da melhor maneira. O stela não funcionou e tivemos de retomar a corrida voltando ao início. Ai cometi um erro. Depois foi tentar atacar para tentar recuperar o tempo perdido, o que condicionou o nosso resultado” revela João Rebelo Martins.

 

Amanhã cumpre-se a terceira etapa desta grande maratona africana, mais uma etapa maratona, pelo que hoje os pilotos não vão regressar, como tem sido habitual, ao acampamento em Erfoud. A comitiva está sem assistência pelo que a reparação das viaturas terá de ser muito sumária. Amanhã os pilotos terão de cumprir o setor seletivo de 138 quilómetros, com início e fim em Erfoud, com passagens pela zona de Merzouga.a822 Copy

 

ALBUQUERQUE EM 4º EM SPA

 

Filipe Albuquerque termina em quarto em Spa

Decisão do título adiada para Portimão

Filipe Albuquerque terminou a penúltima jornada do European Le Mans Series que este fim-de-semana teve lugar no mítico traçado belga de Spa-Francorchamps na quarta posição, um resultado aquém do desejado mas que continua a permitir ao piloto português e aos seus companheiros de equipa na United Autosports discutirem o título de Campeões que fica adiado para o derradeiro confronto em Portimão a 22 de Outubro.


A corrida de hoje foi animada com vários "Full Course Yellow" e "Safety Cars" que no início jogaram a favor da equipa do piloto português o que não viria a acontecer mais tarde obrigando o trio do Ligier a correr atrás do tempo perdido: "Fizemos uma corrida limpa sem erros e sempre com um andamento forte.  Aproveitámos as oportunidades que foram surgindo mas não fomos felizes mais tarde em termos estratégicos e perdemos posições importantes. Depois, foi complicado recuperar mesmo que o andamento fosse muito bom. Não era este o desfecho esperado mas foi o resultado possível", começou por referir.


Ainda assim, só em Portimão a 22 de Outubro será conhecido o Campeão de 2017: "A diferença pontual não joga a nosso favor, mas no automobilismo tudo pode acontecer. Vamos focar-nos no nosso trabalho e esperar para ver o que acontece. Acreditamos até ao final", disse Albuquerque que vai para Portimão no segundo lugar da tabela com 18 pontos de desvantagem para o líder quando estão 26 em jogo.


O derradeiro confronto acontece no Autódromo Internacional do Algarve no fim-de-semana de 21 e 22 de Outubro.a820 Copy

 

REBELO MARTINS EM 3º

 

João Rebelo Martins em 3º entre os SSV

 

João Rebelo Martins iniciou ontem a sua participação no Panafrica Rally, ao concluir na terceira posição entre os SSV o prólogo de 58 quilómetros que marcou o arranque desta grande maratona africana que termina no dia 30 de Setembro.

Acompanhado por Valter Cardoso, um navegador de créditos firmados na modalidade e nos ralis, João Rebelo Martins é o único português a competir na sua categoria, na qual o piloto espanhol Carlos Checa se superiorizou, no dia de ontem, ao ser o mais rápido a concluir o prólogo.

Aos comandos de um Yamaha YXZ 1000 RSS inscrito pela Vettra Motosport, o piloto natutral de Oliveira de Azeméis revela que apesar dos percalços que se fizeram sentir ao longo da Super Especial, o SSV continua  postos para continuar este desafio africano e enfrentar a dureza do deserto marroquino “foi um dia com muitas dunas, pedra, erva de camelo e onde foi necessária alguma nevagação. Conseguimos ficar em terceiro e, apesar de perdermos alguma velocidade de ponta para os Can AM e Polaris, penso que conseguimos transpor os obstáculos com alguma perícia.  Na parte final tivémos um furo, o que nos levou a perder algum tempo.

Hoje, disputa-se a primeira etapa do Panafrica Rally, num total de 204 quilómteros cronometrados, que tal como todas as restantes se inicia e termina em Erfoud.a819 Copy

 

REBELO MARTINS EM 3º

 

João Rebelo Martins mantém 3ª posição

 

João Rebelo Martins terminou a primeira etapa do PanAfrica Rally na terceira posição da categoria SSV, segurando assim o lugar que já ocupava no final do dia de ontem, após ter cumprido o prólogo desta grande matarona africana que até 30 de Setembro vai percorrer algumas das mais emblemáticas pistas marroquinas.

 

O piloto natural de Oliveira de Azeméis, que disputa esta competição acompanhado por Valter Cardoso, aos comandos de um Yamaha YXZ 1000 RSS inscrito pela Vettra Motosport, começou o dia da melhor maneira, chegando mesmo a rolar na frente da corrida nos primeiros 30 quilómetros, enquando percorriam uma zona mais técnica. Depois a velocidade condicionou o andamento desta dupla portuguesa  que acabou assim por segurar o terceiro posto.

 

“A etapa foi dura, mas fizemos terceiro. Ainda conseguimos andar na frente nos primeiros 30 quilómetros, mas depois era preciso ter mais velocidade e o que é certo é que acabamos por não ter velocidade de ponta para os Can Am e Polaris. Agora estamos focados em preparar a nossa máquina para a etapa de amanhã. Vai ser uma etapa maratona, muito dura e exigente”.

 

Amanhã, a segunda especial do PanAfrica Rally, uma etapa maratona, num total de 250 quilómetros cronometrados.a817 Copy

 

REBELO MARTINS EM 3º

 

João Rebelo Martins em 3º entre os SSV

 

João Rebelo Martins iniciou ontem a sua participação no Panafrica Rally, ao concluir na terceira posição entre os SSV o prólogo de 58 quilómetros que marcou o arranque desta grande maratona africana que termina no dia 30 de Setembro.

Acompanhado por Valter Cardoso, um navegador de créditos firmados na modalidade e nos ralis, João Rebelo Martins é o único português a competir na sua categoria, na qual o piloto espanhol Carlos Checa se superiorizou, no dia de ontem, ao ser o mais rápido a concluir o prólogo.

Aos comandos de um Yamaha YXZ 1000 RSS inscrito pela Vettra Motosport, o piloto natutral de Oliveira de Azeméis revela que apesar dos percalços que se fizeram sentir ao longo da Super Especial, o SSV continua  postos para continuar este desafio africano e enfrentar a dureza do deserto marroquino “foi um dia com muitas dunas, pedra, erva de camelo e onde foi necessária alguma nevagação. Conseguimos ficar em terceiro e, apesar de perdermos alguma velocidade de ponta para os Can AM e Polaris, penso que conseguimos transpor os obstáculos com alguma perícia.  Na parte final tivémos um furo, o que nos levou a perder algum tempo.

Hoje, disputa-se a primeira etapa do Panafrica Rally, num total de 204 quilómteros cronometrados, que tal como todas as restantes se inicia e termina em Erfoud.a812 Copya814 Copy

 

ALBUQUERQUE EM SPA

 

Filipe Albuquerque sai da segunda linha em Spa

Filipe Albuquerque vai largar para as 4h de Spa-Francorchamps, penúltima prova do European Le Mans Series, da segunda linha da grelha na quarta posição. Um resultado, longe do ambicionado mas que vai permitir ao piloto português e aos seus companheiros de equipa na United Autosports, Will Owen e Hugo de Sadeller lutar por uma melhor posição que lhes permita discutir na última corrida da época no Algarve, o título de Campeão.

Apesar de ainda tudo ser possível, Filipe terminou o cronometrado com alguma frustração: "É difícil de entender o porquê de ter feito tudo exemplarmente e o carro não ter correspondido em termos de desempenho. É o que é, e temos de saber lidar com isso, mas há alturas que é mais difícil", começou por explicar.

Assim para a corrida de amanhã o piloto português é perentório: "Vamos ter de arriscar mais que o normal se queremos ficar à frente dos nossos mais directos adversários. Não há outra forma de o conseguir. Vamos ter de fazer uma boa gestão dos pneus, muito importante neste circuito, sermos inteligentes durante toda a corrida e arriscar na altura certa. Não há meio termo nesta fase do Campeonato. Vamos ver o que conseguimos", rematou Filipe ciente que está a chegar à fase do tudo ou nada.

Amanhã a corrida arranca pelas 11h e poderá ser acompanhada em directo no Motors TV ou no site do Campeonato em: http://www.europeanlemansseries.com/en/a811 Copy

 

IMSA 2017

  1. O piloto portugues João Barbosa e Christian Fittipaldi partem em segundo na pista de Laguna Seca, com os manos Taylor na pole-position.

 

BRUNO MAGALHAES NO PÓDIO

 

Bruno Magalhães no pódio em Itália Decisão do título adiada para o último rali da época
 
Bruno Magalhães terminou num excelente terceiro lugar do pódio a penúltima prova da época do Campeonato da Europa de Ralis, o Rali de Roma. O piloto português e o seu navegador, Hugo Magalhães mantém o segundo lugar das contas do Campeonato e relegam para a última prova na Letónia a decisão do título.
 
No que ao rali deste fim-de-semana diz respeito e ao terceiro lugar conseguido a dupla do Skoda Fabia R5 mostrava-se bastante satisfeita com o desfecho: "Ficámos com o sentimento de dever cumprido. Infelizmente a chuva não nos ajudou. Não tínhamos qualquer referência do carro nestas circunstâncias e fomos fazendo o que nos era possível e ajustando o 'set-up' o melhor que podíamos. Andámos sempre próximos dos mais rápidos. Por isso, este terceiro lugar é para nós fantástico", referiu.
 
Agora que a última jornada do Campeonato se aproxima na Letónia, a 7 e 8 de Outubro, Bruno está decidido em encontrar os apoios necessários para marcar presença e levar até ao final uma possível chegada a Campeão: "Estamos em desvantagem é certo mas nos ralis tudo pode acontecer e se há hipótese matemática de chegar ao título não vou querer 'morrer na praia'. Vou fazer tudo o que estiver ao meu alcance e esperar para ver o que acontece. Não ir a jogo é dar a luta por terminada e isso eu não quero, só mesmo se não puder. Chegar até aqui já foi tão difícil, implicou sacrifícios e muitas ajudas de patrocinadores que acreditaram no nosso sonho. Acho que vão estar connosco até ao final, assim espero", concluiu o piloto português que continua a acreditar que os impossíveis acontecem.
 
A não perder o resumo do dia de hoje do Rali de Roma pelas 22.30h no Eurosport. Não esquecer que a 7 e 8 de Outubro realiza-se o derradeiro rali na Letónia.a719 Copy

 

ALBUQUERQUE EM SPA

 

Filipe Albuquerque a caminho de Spa

Para a penúltima jornada do European Le Mans Series

Filipe Albuquerque enfrenta este fim-de-semana na Bélgica a penúltima jornada do European Le Mans Series. O exigente e emblemático circuito de Spa-Francorchamps poderá ser decisivo para o piloto português e os seus companheiros de equipa na United Autosports já que a ocupar a segunda posição nas contas de campeonato, o trio do Ligier vão necessitar de um bom resultado para remeterem para Portimão a decisão do título.

Ciente que Spa não é o circuito de eleição para o melhor desempenho do Ligier, Filipe está optimista para mais este confronto: “Já todos percebemos que nas corridas tudo pode acontecer. Nós somos o exemplo perfeito tendo em conta o que aconteceu na prova passada, por isso quando estão em jogo 52 pontos e temos apenas 12 de desvantagem, nada pode ser dado como certo. O nosso objectivo passa mesmo por reduzir para os líderes a diferença pontual e deixar para Portimão a decisão do título. Vamos trabalhar para assegurar esse objectivo”, explicou Filipe Albuquerque.

De salientar que esta é a terceira época que Filipe luta pelo título no ELMS sendo que em 2014 foi vice-campeão e em 2015 ficou com o terceiro lugar. O piloto português espera que 2017 seja o ano da consagração: “Como diz o velho ditado: à terceira é de vez. Espero que sim”, rematou.

As 4h de prova arrancam no Domingo pelas 11h e podem ser acompanhadas em directo no Motors TV ou no site do campeonato em: http://www.europeanlemansseries.com/en/a718 Copy

 

BRUNO MAGALHAES EM ITÁLIA

 

Bruno Magalhães é terceiro após o primeiro dia do Rali de Roma
 
Bruno e Hugo Magalhães terminaram o primeiro dia do Rali de Roma, penúltima prova do Campeonato da Europa de Ralis no terceiro lugar da classificação geral. A dupla, ao volante do Skoda Fabia R5 da ARC Sport, estava bastante satisfeita com o trabalho desenvolvido e motivada para nas derradeiras especiais reservadas para amanhã recuperar mais lugares.
 
O dia não começou da melhor forma, mas Bruno Magalhães foi ajustando o 'set-up' do carro para conseguir melhorar a cada especial realizada: "Um erro no primeiro troço do dia fez-me perder bastante tempo. Foi uma pena mas daí em diante, com os ajustes que fomos fazendo em termos de afinações, tudo correu melhor. Ficámos mais confiantes e a impôr o nosso ritmo", começou por dizer.
 
Amanhã, estão previstas mais seis classificativas e o foco da dupla lusa centra-se: "Em recuperar o tempo perdido. Estamos mais próximos dos nossos mais directos adversários nas contas do Campeonato. Esperamos conseguir impôr um ritmo mais forte de forma a que, no final, o resultado jogue a nosso favor. Não vai ser uma tarefa fácil mas vamos ter de meter pressão e arriscar", concluiu Bruno Magalhães.
 
O resumo do dia de hoje de competição pode ser visto no Eurosport a partir das 22h. Os resultados de amanhã podem ser acompanhados em www.fiaerc.com ou na app rally4now.a713 Copy

 

BRUNO MAGALHAES EM ITÁLIA

 

Bruno Magalhães quer manter-se na luta pelo Europeu de Ralis  Rali de Roma é o desafio deste fim-de-semana
 
Bruno e Hugo Magalhães voltam a estar à partida de mais um rali do Campeonato da Europa de Ralis, o sétimo e penúltimo da temporada, o Rali de Roma. A dupla lusa, que ocupa a segunda posição nas contas do Campeonato, quer manter-se na luta pelo título até ao derradeiro confronto. Ocupam neste momento a segunda posição da tabela classificativa a 23 pontos do líder. Desvantagem que não esmorece as ambições dos pilotos ao comando do Skoda Fabia R5 da ARC Sport.
O Rali de Roma, ao contrário das outras provas será uma novidade para todos os pilotos do Europeu o que abre boas perspectivas para Bruno Magalhães: “Estou muito contente por mais uma vez ter conseguido viabilizar esta participação que me vai permitir continuar a lutar pelo título. Pelo que já tive oportunidade de ver este rali assemelha-se mais às provas a que estamos habituados pelo que em termos de experiência estamos todos em circunstâncias de igualdade. Desta forma, penso que vamos estar em condições de lutar pelos primeiros lugares, meter alguma pressão no nosso mais directo adversário e possivelmente recuperar pontos que é o que mais nos interessa”, começou por explicar. 
Apesar de já ter testado nas estradas de asfalto italianas, Bruno já percebeu que as mesmas não se assemelham aos troços que vai encontrar pela frente: “Mas teste é teste e há sempre aspectos positivos a retirar da experiência. As condições das classificativas são diferentes mas continuamos muito confiantes e sobretudo motivados para desde o primeiro confronto trilhar o caminho para conseguirmos o melhor resultado possível. E se for a vitória, tanto melhor”, rematou Bruno Magalhães entusiasmado com mais um rali do Europeu.
O Rali Capital de Roma vai para a estrada de 15 a 17 de Setembro e poderá ser acompanhado no site do campeonato em www.fiaerc.com ou na aplicação rally4now. O Eurosport fará os resumos do dia de competição no sábado pelas 22h e no Domingo pelas 22.30h.a710 Copy

 

BARBOSA E ALBUQUERQUE NA IMSA 2018

  1. O que se esperava vai acontecer - uma equipa 100 por cento lusa (Albuquerque/Barbosa) no Cadillac #5 no IMSA 2018. E não especulem mais com a hipótese Joest Mazda para o Filipe Albuquerque. 

 

TIAGO MONTEIRO REGRESSA A CASA

 

WTCC 2017

Tiago Monteiro leaves hospital

alt

 We are very pleased to report that FIA World Touring Car Championship leader Tiago Monteiro has been discharged from hospital and returned home for the first time since his recent testing incident at Barcelona.

Tiago has already resumed a strict exercise regime as he works towards a planned return to competition at the WTCC Race of China on October 14-15.

On behalf of Tiago, his family and the Castrol Honda World Touring Car Team, we would like to thank everybody who has looked after him since the incident and to those that have sent messages of support throughout the initial stages of his recovery.

 

ANTÓNIO TORRRES DA SILVA EM JEREZ

 

HISTORIC ENDURANCE

 

JEREZ DE LA FRONTERA

 

ANTÓNIO TORRES DA SILVA EM JEREZ DE LA FRONTERA

 

António Torres da Silva e  o Porsche 911  vão marcar presença já este fim de semana em mais uma jornada do Historic Endurance que vai ter duas corridas na pista espanhola de Jerez de la Frontera.Segundo o piloto “ há algum tempo que não corro com o Porsche 911, e agora surgiu esta oportunidade, que resolvi aproveitar, onde espero poder obter uma boa classificação, quer na classificação geral, quer em termos de categoria.Espero que o carro esteja perfeito, para assim evidenciar o melhor andamento, estar o mais concentrado  possivel, e não cometer erros, esperando assim conseguir atingir os meus intentos”.

 

António Torres da Silva e o Porsche 911 irão fazer as verificações técnicnas e documentais na sexta feira para dar lugar às sessões de treinos e corridas ao longo do fim de semana.

 06 01_40_Copy

 

TIAGO MONTEIRO COMEÇA RECUPERAÇÃO

TIAGO MONTEIRO COMEÇA RECUPERAÇÃO

 

 

  1. Estas são  muito boas notícias.

 

JACINTO REGRESSA AO DESERTO

 

Rali de Marrocos com novos desafios para Elisabete Jacinto

---
alt

 

A equipa Bio-Ritmo® está a preparar a sua presença em mais um Rallye Oilibya du Maroc, uma das maiores competições de todo-o-terreno da actualidade, e já conheceu os detalhes do percurso que foi recentemente divulgado pela NPO. A edição de 2017 desta prova vai apresentar grandes inovações e, neste sentido, será um desafio renovado para Elisabete Jacinto que regressa a esta prova depois de um ano de interregno.

Para 2017, a NPO reservou algumas novidades aos participantes começando logo pela partida que será dada na cidade de Fez, estendendo-se depois até à zona Mahmid. O rali é extenso e o percurso dos automóveis e camiões terá um total de 2570,50 quilómetros, entre os quais 1955 km serão ao cronómetro, que serão divididos entre seis dias. Algumas das etapas serão também mais longas do que é habitual atingindo a primeira cerca de 820 km. A primeira jornada realizar-se-á no dia 5 de Outubro com uma Super Especial, nada mais do que um prólogo de 12 quilómetros que servirá para alinhar os concorrentes para a partida da segunda etapa segundo a classificação obtida neste percurso. Outra grande originalidade neste rali será a etapa maratona que se vai disputar no dia 8 de Outubro. Nesta jornada as equipas não vão poder contar com a habitual ajuda das suas assistências na manutenção e recuperação dos veículos.

“Ficamos sempre na expectativa cada vez que surge uma novidade nas competições. Este vai ser um rali duro e com pouco tempo de descanso. Vamos chegar tarde na maior parte dos dias.  A etapa maratona pode ser uma boa opção pois põe em destaque os veículos mais fiáveis o que aumenta o nível de competitividade” declarou Elisabete Jacinto.

Como é habitual este Rallye Oilibya du Maroc será bastante exigente em termos de percurso. Também ao nível dos trilhos percorridos serão apresentadas diversas novidades nomeadamente a passagem pelo Erg Louhedi. A etapa que vai cruzar as dunas do Erg Chebbi será uma das mais complexas de toda a prova, mas também se esperam grandes dificuldades nas travessias dos muitos Oueds ou lagos secos presentes em Marrocos e pelas pistas empedradas tão características deste magnífico país.

 

ALBUQUERQUE EM SPA

  1. Filipe Albuquerque a caminho de Spa

  2.  


  3. Para a penúltima jornada do European Le Mans Series

    Filipe Albuquerque enfrenta este fim-de-semana na Bélgica a penúltima jornada do European Le Mans Series. O exigente e emblemático circuito de Spa-Francorchamps poderá ser decisivo para o piloto português e os seus companheiros de equipa na United Autosports já que a ocupar a segunda posição nas contas de campeonato, o trio do Ligier vão necessitar de um bom resultado para remeterem para P...ortimão a decisão do título.

    Ciente que Spa não é o circuito de eleição para o melhor desempenho do Ligier, Filipe está optimista para mais este confronto: “Já todos percebemos que nas corridas tudo pode acontecer. Nós somos o exemplo perfeito tendo em conta o que aconteceu na prova passada, por isso quando estão em jogo 52 pontos e temos apenas 12 de desvantagem, nada pode ser dado como certo. O nosso objectivo passa mesmo por reduzir para os líderes a diferença pontual e deixar para Portimão a decisão do título. Vamos trabalhar para assegurar esse objectivo”, explicou Filipe Albuquerque.

    De salientar que esta é a terceira época que Filipe luta pelo título no ELMS sendo que em 2014 foi vice-campeão e em 2015 ficou com o terceiro lugar. O piloto português espera que 2017 seja o ano da consagração: “Como diz o velho ditado: à terceira é de vez. Espero que sim”, rematou.

    As 4h de prova arrancam no Domingo pelas 11h

 

JOÃO MACEDO E SILVA NAS 6 HORAS DE SPA

JOÃO MACEDO E SILVA NAS 6 HORAS DE SPA

 

Tal como tinhamos informado em primeira mão, João Macedo e Silva, seu pai, Rui Macedo e Silva e o Stig Portugues - Joaquim Jorge marcaram  presença no passado fim de semana nas 6 Horas de Spa - Bélgica, numa prova dedicada aos clássicos.

 

A tripla de pilotos portugueses  esteve em pista com o Ford GT 40 aberto, e segundo Joa642 Copyão Macedo e Silva " correu bem, esta prova teve a participação de  "apenas" 116 carros, dos quais há a destacar a participação de vinte e sete Ford GT 40.Por isso foi uma prova bem disputada, onde acabamos em 11º geral na classificação geral, e o balanço foi positivo", disse-nos

 

PARENTE TERMINA TEMPORADA

 

Álvaro Parente termina temporada brilhante

 

A segunda corrida da ronda de Sonoma do Pirelli World Challenge não foi feliz para Álvaro Parente, tendo abandonado logo na primeira volta devido a um toque de um adversário, concluindo assim uma temporada em que, uma vez mais, mostrou todo o seu valor.

O português chegava à derradeira prova do ano com possibilidades de poder assegurar o ceptro de Sprint GT daquele que é considerado o Campeonato Americana de Carros de GT, mas teria que recuperar lugares a partir do quinto lugar da grelha.

Álvaro Parente estava determinado em dar o seu máximo de modo a poder juntar mais um ceptro ao seu currículo, mas logo nos primeiros metros de corrida foi abalroado por um adversário, o que o obrigou a rumar às boxes para abandonar.

“Sabia que não seria fácil assegurar o título, mas também nunca pensei que pudesse terminar a temporada logo na segunda curva. Por vezes é assim, não há muito a dizer, apenas que não é a forma como gostaria de terminar uma época, que na minha opinião foi muito positiva”, apontou o piloto oficial da McLaren GT.

O português foi um dos grandes contendores da temporada, envolvendo-se na luta pelos ceptros até ao último evento do campeonato, após quatro triunfos e sete pódios. No entanto, ainda mais impressionantes que os números, foram as suas prestações, assinando performances extraordinárias, quando muitas vezes nem todos os elementos estavam a seu favor. “Foi uma temporada difícil, em que, muito embora tenhamos estado num bom nível, nem sempre tivemos argumentos para nos podermos bater de igual para igual com os nossos principais adversários. Foi necessário que a equipa tivesse atenção a todos os detalhes e que eu alcançasse um novo patamar de pilotagem, para podermos estar na luta pelo título até ao último fim-de-semana ao volante de um carro que continua a demonstrar um conjunto de performances notável! Agora, o mais importante é olhar para o futuro”, concluiu determinado Álvaro Parente.

 a551 Copy

 

MOTA EM 4º EM ZOLDER

 

Fábio Mota em quarto após luta pelo pódio

 

Fábio Mota conquistou um quarto lugar na ronda de Zolder da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, depois de ter lutado de forma aguerrida em ambas as corridas pelos lugares pelo pódio.

O português assegurou o terceiro lugar na grelha de partida na qualificação de ontem, o que lhe abria boas perspectivas para as provas de hoje, contudo, sabia que, para alcançar o pódio, teria que se bater com fortes oponentes.

No arranque para a primeira corrida, Fábio Mota perdeu uma posição, mas manteve-se numa acirrada luta pelos três primeiros lugares, tendo mesmo sido obrigado a uma saída de pista que o atrasou. Ainda assim, o piloto de Vila Nova de Gaia não baixou os braços e conseguiu recuperar até ao quarto posto final.

Para a segunda prova da etapa belga da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC Fábio Mota alinhou no quinto posto da grelha de partida e, uma vez mais, envolveu-se na luta pelos lugares do pódio.

No entanto, no calor da luta, acabou por ter que sair de pista, o que o atrasou definitivamente, vendo a bandeirada de xadrez na nona posição.

“Na primeira corrida, estava na luta pelo terceiro posto, mas por estar muito perto do carro que seguia à muito frente, os travões sobreaqueceram e, numa travagem, não consegui reduzir a velocidade, acabando por sair de pista. Ainda assim, terminei no quarto posto. Na segunda, um desentendimento com um outro piloto condicionou toda a minha prestação, quando tínhamos claramente ritmo para terminar, pelo menos, no terceiro lugar”, frisou o português.

No cômputo geral da quinta ronda da temporada, Fábio Mota sublinha o ritmo que evidenciou ao longo de todo o fim-de-semana. “Não conhecia o traçado de Zolder e é evidente que tive que passar por um processo de adaptação. Penso que me adaptei bem e mostrei ao longo de todo o evento um ritmo que me permitia lutar pelas posições no pódio. Acabámos com o quarto lugar como melhor resultado, o que é positivo, e sabemos que temos ainda capacidade para evoluir. Agora vamos pensar na próxima etapa da temporada”, sublinhou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

A próxima ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo disputa-se nos próximos dias 6 a 8 de Outubro, tendo como palco o circuito checo de Most.a550 Copy

 

PARENTE AO ATAQUE

 

Álvaro Parente ao ataque dos títulos

 

Álvaro Parente brilha em recuperação

 

Uma vez mais Álvaro Parente mostrou o porquê de ser considerado um dos melhores pilotos de GT no mundo e com uma recuperação fulgurante subiu de sétimo a segundo na primeira corrida da ronda de Sonoma do Pirelli World Challenge, que se disputou sábado.

O português realizou uma volta notável na qualificação, roçando a perfeição, mas no final da sessão estava apenas no sétimo lugar da grelha de partida, o que lhe abria a porta para uma corrida difícil.

Com o título em jogo, Álvaro Parente encetou uma corrida de ataque e no final da primeira volta era já sexto. Sem nada a perder, o piloto oficial da McLaren GT foi pressionando os concorrentes que estavam à sua frente, subindo gradualmente na classificação até alcançar o segundo posto no último terço de prova, após intensas batalhas que foi sempre levando a melhor.

Sem tempo para recuperar o tempo perdido para o primeiro classificado, terminou num extraordinário segundo posto que patenteou o caracter aguerrido do português, muito embora tenha visto o seu rival na luta pelo título se sagrar Campeão de 2017 do Pirelli World Challenge.

Ainda assim, fica ainda por decidir o ceptro da vertente GT Sprint, tendo Álvaro Parente encurtado a distância que o separava do líder de cinco para quatro pontos. “Não estamos muito competitivos aqui em Sonoma e na qualificação, apesar de ter feito uma volta muito boa, o sétimo lugar era o máximo a que podíamos aspirar. Na corrida não havia mais nada a fazer para lá de dar o máximo. Ataquei volta após volta, como se tratasse de uma qualificação, e consegui recuperar até segundo, mas com o meu rival na luta pelo título em terceiro pouco havia para fazer”, afirmou o português.

Para a corrida de domingo, o piloto oficial da McLaren GT arrancará do quinto posto, ao passo que o seu adversário alinhará na pole-position, o que tornará a tarefa de Álvaro Parente conquistar o título de Sprint GT extremamente difícil, mas nem por isso baixa os braços. “Sabemos que será complicado, mas vamos lutar. Vou voltar atacar de início ao fim, tentar recuperar e no final faremos as contas. Vou dar o máximo, como sempre”, concluiu o português.

A segunda corrida da ronda de Sonoma do Pirelli World Challenge terá o seu início às 18h15.a540 Copy

 

MOTA NO PÓDIO EM ZOLDER

 

Terceiro lugar deixa Fábio Mota de olho no pódio

 

Fábio Mota esteve num elevado nível na qualificação para a ronda de Zolder da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo e garantiu o terceiro posto da grelha de partida para a primeira corrida de amanhã, o que o coloca directamente na luta pelos lugares do pódio.

O português tem sido ao longo do ano um dos protagonistas na batalha pelas três primeiras posições, tendo já assegurado duas subidas ao pódio, e depois da pausa estival, voltou a envolver-se na luta por um resultado entre os três primeiros.

Apesar de não conhecer o histórico circuito holandês, ao contrário de alguns dos seus adversários, Fábio Mota mostrou competitividade e com uma boa volta ascendeu ao terceiro lugar da tabela de tempos. “Sabíamos que teríamos adversários fortes, mas também estávamos convencidos de que, sem problemas, poderíamos estar na luta pelos lugares cimeiros. Foi isso que aconteceu, temos vindo a conhecer o circuito gradualmente e o terceiro posto na qualificação foi o resultado natural da evolução que temos vindo a realizar”, apontou o piloto oriundo de Vila Nova de Gaia.

A arrancar do terceiro lugar da grelha de partida, as ambições de Fábio Mota são claras – lutar pelas posições do pódio – mas o português está consciente de que terá uma enorme batalha pela frente. “Os nossos adversários são muito fortes, portanto, amanhã temos que estar ao nosso melhor nível para podermos alcançar os resultados que pretendemos. Por outro lado, sinto que ainda não estou completamente à-vontade em Zolder e que ainda posso evoluir um pouco mais. Seja como for, amanhã vamos dar máximo para podermos conquistar os resultados que estão ao nosso alcance – o pódio”, sublinhou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

A primeira corrida terá o seu início às 12h00, Hora de Lisboa, e a segunda às 13h10, podendo ambas, que terão a duração de treze voltas, ser seguidas através do website oficial da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo - WTCC: www.fiaetcc.com.a537 Copy

 

REBELO MARTINS REGRESSA A AFRICA

 

João Rebelo Martins de partida para Marrocos

Piloto de Oliveira de Azeméis será o único português de SSV no Panafrica

 

 

João Rebelo Martins já está em contagem decrescente para a sua estreia numa competição de todo-o-terreno fora do território nacional. Acompanhado por Valter Cardoso, um navegador de créditos firmados na modalidade e nos ralis, João Rebelo Martins, ultima todos os preparativos para competir de SSV no Panafrica Rally, grande matarona de todo-o-terreno que de 23 a 30 de setembro vai percorrer as principais pistas africanas de Marrocos.

 

Nesta competição, que reúne cerca de uma centena inscritos de diversas nacionalidades, estão envolvidos 11 portugueses, sendo que o piloto natural de Oliveira de Azeméis, conhecido pelo seu espirito aventureiro será o único a competir de SSV neste desafio para o qual contará também com o apoio da Vettra Motosport que tem trabalhado afincadamente na preparação do Yamaha YXZ 1000 RSS e que foi modificado de modo a poder enfrentar as especificidades de uma competição desta natureza: depósito de maior dimensão, sistema de travagem e, dado o peso extra que o carro leva, novas afinações de suspensões.

 

A dureza do deserto não permite descorar a importância da navegação e, a pensar nisso, todos os equipamentos de navegação indispensáveis para a função de Valter Cardoso estão também já montados. O Yamaha amarelo que ostenta as cores da ENI leva ainda um pneu suplente e as rampas no tejadilho, assemelhando-se aos Peugeot que brilharam no Dakar.

 

João Rebelo Martins está prestes a cumprir um sonho e expectante relativamente a este novo e exigente desafio, mas ressalva que, em ano de estreia, o objetivo é fundamentalmente terminar esta maratona africana. “Faltam poucos dias para que o sonho se comece a cumprir: competir no palco original do Dakar e pilotar nas dunas africanas. É a minha primeira participação numa prova internacional de Todo-o-Terreno, num piso onde nunca rolei e com adversários totalmente desconhecidos. Por isso o grande e principal objetivo é terminar. Serão seis dias muito longos e certamente com muitas dificuldades a transpor. Mas eu e o Valter vamos superá-los estou certo disso! Terminar será uma vitória.”

 

Sobre o apoio da Vetrra Motosport a este projeto, o responsável pela equipa, Luís Borges revela que “abraçamos esta grande aventura com o João Rebelo Martins, um piloto que desde 2012 já nos deu muitas alegrias e vamos também nós fazer a nossa primeira prova internacional de TT. Temos uma equipa muito motivada para dar o melhor e ajudar o João e o Valter a atingirem os seus objectivos".

 

O Panafrica Rally concentra-se na cidade de Erfoud, com um percurso em forma de "boucle, formato concebido para reunir estreantes, amadores e pilotos de elite nas mesmas pistas. A prova que contará um prólogo e cinco etapas uma das quais maratona, num total de mais de 1300km’s também vai passar em alguns setores seletivos a zona de Merzouga, cruzando assim uma diversidade de paisagens e de terrenos que vai oscilar entre dunas e pistas duras e rápidas.

 a532 Copy

 

MOTA PERTO DO PÓDIO

 

  1. Fábio Mota em quarto após luta pelo pódio

    Fábio Mota conquistou um quarto lugar na ronda de Zolder da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, depois de ter lutado de Forma  aguerrida em ambas as corridas pelos lugares pelo pódio.

    O português assegurou o terceiro lugar na grelha de partida na qualificação de ontem, o que lhe abria boas perspectivas para as provas de hoje, contudo, sabia que, para alcançar o pódio, teria que se bater com fortes oponentes.

    ...

    No arranque para a primeira corrida, Fábio Mota perdeu uma posição, mas manteve-se numa acirrada luta pelos três primeiros lugares, tendo mesmo sido obrigado a uma saída de pista que o atrasou. Ainda assim, o piloto de Vila Nova de Gaia não baixou os braços e conseguiu recuperar até ao quarto posto final.

    Para a segunda prova da etapa belga da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC Fábio Mota alinhou no quinto posto da grelha de partida e, uma vez mais, envolveu-se na luta pelos lugares do pódio.

    No entanto, no calor da luta, acabou por ter que sair de pista, o que o atrasou definitivamente, vendo a bandeirada de xadrez na nona posição.

    “Na primeira corrida, estava na luta pelo terceiro posto, mas por estar muito perto do carro que seguia à muito frente, os travões sobreaqueceram e, numa travagem, não consegui reduzir a velocidade, acabando por sair de pista. Ainda assim, terminei no quarto posto. Na segunda, um desentendimento com um outro piloto condicionou toda a minha prestação, quando tínhamos claramente ritmo para terminar, pelo menos, no terceiro lugar”, frisou o português.

    No cômputo geral da quinta ronda da temporada, Fábio Mota sublinha o ritmo que evidenciou ao longo de todo o fim-de-semana. “Não conhecia o traçado de Zolder e é evidente que tive que passar por um processo de adaptação. Penso que me adaptei bem e mostrei ao longo de todo o evento um ritmo que me permitia lutar pelas posições no pódio. Acabámos com o quarto lugar como melhor resultado, o que é positivo, e sabemos que temos ainda capacidade para evoluir. Agora vamos pensar na próxima etapa da temporada”, sublinhou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

    A próxima ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo disputa-se nos próximos dias 6 a 8 de Outubro, tendo como palco o circuito checo de Most.

 

 

PARENTE OUT

 

PARENTE OUT

 

  1. Álvaro Parente foi posto fora pelo Ferrari de Mancinelli logo na primeira volta da corrida de hoje, o que valeu ao infractor 2 minutos de penalização. Patrick Long fica com os dois títulos. Michael Cooper vence, tal como ontem, e relega o português para terceiro no campeonato PWC Sprint. Mesmo assim, mais um pódio português.

 

MONTEIRO EM ESPANHA

 

Rallye Princesa de Asturias 2017

 

 

 

A CHUVA NAS ASTÚRIA NÃO FACILITOU A VIDA A ALOÍSIO MONTEIRO

 

EQUIPA VAI CONTINUAR A LUTAR PELO TROÉU CLIO R3T

 

 

A chuva que inundou os troços do Rallye Princesa de Astúrias impediu bons andamentos e deixou o Renault Clio R3T de Aloísio Monteiro fora de uma classificação lisonjeira para enfrentar a derradeira prova do Troféu Ibérico a disputar em Madrid em novembro, onde o piloto ainda alimenta esperanças de poder chegar à vitória.

 

A ARC Sport esteve com Aloísio Monteiro e António Costa numa prova difícil do princípio ao fim, mas onde o Renault Clio não sentiu qualquer tipo de problemas, apesar do 4º lugar conquistado entre os concorrentes ao troféu.

 

Foi um rali muito complicado, sempre debaixo de chuva. O piso estava muito perigoso e cheio de água em zonas vitais de travagem, o que nos obrigou a adaptar um ritmo brando para chegar ao final, com a imprescindível ajuda do António Costa. Matematicamente ainda é possível chegar à vitória no Troféu Clio R3T, mas claro que passa por uma vitória em Madrid e por resultados menos positivos da concorrência. No entanto vamos lutar até ao fim e marcar presença na última prova do ano”, afirmou Aloísio Monteiro.

 

Para a ARC Sport a experiência nas Astúrias esteve longe de ser a ideal, mas serviu para uma evolução do piloto, que realizou uma prova com condições atmosféricas muito adversas.

 

Esta foi na verdade uma etapa muito complicada. Como é habitual demos o nosso melhor para que o Aloísio e o Tó fizessem a melhor prova possível, sem qualquer tipo de problemas no Clio. Agora, e como não está ainda nada decidido, vamos fechar o troféu em Madrid”, disse Augusto Ramiro.

 

 

 

 

 a528 Copy

 

BRUNO MAGALHAES NO PÓDIO

 

Rally de Roma Capitale 2017

 

 

 

BRUNO MAGALHÃES FOI 3º EM ROMA

 

ESTÁ TUDO EM ABERTO EM RELAÇÃO AO TÍTULO

 

 

A dupla da ARC Sport num Skoda Fabia R5, formada por Bruno Magalhães e Hugo Magalhães, assinaram uma prova bastante positiva em Itália. O 3º lugar do pódio e excelentes tempos nos troços demonstram que a equipa fez o possível para adiar para a Letónia a questão do Título europeu de 2017.

 

A chuva foi inimiga de uma exibição mais positiva, mas nada está decidido em relação aos três primeiros lugares do Campeonato Europeu de Ralis. Acreditando até ao fim, a equipa portuguesa espera encontrar os apoios necessários para poder estar presente na última prova do ERC.

 

Acho que fizemos um grande rali, numa prova que era nova para todos. A chuva dificultou bastante o nosso trabalho, mas apesar de tudo, fomos conseguindo encontrar as afinações possíveis, ao longo da prova. Acho que toda a equipa conseguiu um excelente trabalho em Itália. Nada está definido em relação ao desfecho do campeonato, por isso vamos tentar encontrar os apoios necessários para estar presentes no último rali do ano”, afirmou, esperançado, Bruno Magalhães.

 

 

 

EMMA FALCÓN DESISTE A UM TROÇO DO FIM

 

 

Emma Falcón e Rogelio Peñate abandonaram no final do penúltimo troço do Rali de Roma, com o motor do Citroen DS3 R3 partido. Na altura, a equipa espanhola estava no comando da categoria RC3 e Emma Falcón era a primeira classificada entre as senhoras.

 

Foi uma pena pois a classificação era excelente, e já estava tão perto do fim, mas o motor não aguentou. De qualquer forma, deu para aprender bastante em troços tão exigentes e difíceis. Agora há que começar a pensar já no próximo ano, pois não vamos à Letónia. Toda a equipa técnica da ARC Sport esteve impecável ao longo das provas em que estive com eles, e estou bastante contente com o seu apoio”, disse, otimistas, Emma Falcón.

 

 

 

 

A ARC Sport tem lutado ao lado de Bruno Magalhães no Europeu de 2017, tendo conquistado evoluções e resultados bastante positivos ao longo de todas as provas do campeonato. Quando falta apenas um rali para o final, está tudo em aberto e a equipa de Aguiar da Beira espera que Bruno Magalhães consiga estar presente na Letónia.

 

Se o Bruno conseguir ir à Letónia, vamos lutar até ao fim. No desporto automóvel tudo é possível e vamos com confiança para a última prova do campeonato. Quero dar os parabéns ao Bruno e ao Hugo pela prova que realizaram, em Itália, garantindo que podem continuar a contar com o empenho e total apoio da nossa equipa. Em relação à Emma, lamento sinceramente o azar que tiveram, numa altura em que lideravam todas as classificações em que ela estava envolvida, numa altura em que a prova estava mesmo perto do fim. Estou seguro que, para o ano será melhor”, afirmou Augusto Ramiro

 

O Rally Liepaja (Letónia), a derradeira prova do ERC 2017, realiza-se entre 6 e 8 de outubro.

 

 

.

 

 

 

 

 

 a524 Copya525 Copy

 

MOTA EM 4º EM ZOLDER

Fábio Mota em quarto após luta pelo pódio

Fábio Mota conquistou um quarto lugar na ronda de Zolder da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, depois de ter lutado de forma aguerrida em ambas as corridas pelos lugares pelo pódio.

O português assegurou o terceiro lugar na grelha de partida na qualificação de ontem, o que lhe abria boas perspectivas para as provas de hoje, contudo, sabia que, para alcançar o pódio, teria que se bater com fortes oponentes.

...

No arranque para a primeira corrida, Fábio Mota perdeu uma posição, mas manteve-se numa acirrada luta pelos três primeiros lugares, tendo mesmo sido obrigado a uma saída de pista que o atrasou. Ainda assim, o piloto de Vila Nova de Gaia não baixou os braços e conseguiu recuperar até ao quarto posto final.

Para a segunda prova da etapa belga da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC Fábio Mota alinhou no quinto posto da grelha de partida e, uma vez mais, envolveu-se na luta pelos lugares do pódio.

No entanto, no calor da luta, acabou por ter que sair de pista, o que o atrasou definitivamente, vendo a bandeirada de xadrez na nona posição.

“Na primeira corrida, estava na luta pelo terceiro posto, mas por estar muito perto do carro que seguia à muito frente, os travões sobreaqueceram e, numa travagem, não consegui reduzir a velocidade, acabando por sair de pista. Ainda assim, terminei no quarto posto. Na segunda, um desentendimento com um outro piloto condicionou toda a minha prestação, quando tínhamos claramente ritmo para terminar, pelo menos, no terceiro lugar”, frisou o português.

No cômputo geral da quinta ronda da temporada, Fábio Mota sublinha o ritmo que evidenciou ao longo de todo o fim-de-semana. “Não conhecia o traçado de Zolder e é evidente que tive que passar por um processo de adaptação. Penso que me adaptei bem e mostrei ao longo de todo o evento um ritmo que me permitia lutar pelas posições no pódio. Acabámos com o quarto lugar como melhor resultado, o que é positivo, e sabemos que temos ainda capacidade para evoluir. Agora vamos pensar na próxima etapa da temporada”, sublinhou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

A próxima ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo disputa-se nos próximos dias 6 a 8 de Outubro, tendo como palco o circuito checo de Most.

 

2 HORASDE BARCELONA

2 HORAS DE BARCELONA

 

MARREIROS E BATISTA 6º DA GERAL

 

 

Terminou a nossa corrida em Barcelona! Foram duas horas duríssimas com os pneus a acusarem um enorme desgaste no primeiro turno. Conseguimos o sexto lugar da classificação geral e P2 na nossa categoria. Obrigado pelas mensagens de apoio.

 

MOTA EM ZOLDER

  1. Fábio Mota- regresso de férias com determinação

    Depois da pausa de Verão, Fábio Mota regressa à competição no próximo fim-de-semana em Zolder, onde se disputa a quinta ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, uma pista que desconhece, mas que nem por isso o atemoriza.

    O português tem vindo a ser um dos protagonistas da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC, imiscuindo-se consistentemente na luta pelos ...lugares cimeiros, o que já lhe valeu dois pódios, ambos no dantesco traçado de Nurburgring – Nordschleife.

    Apesar de desconhecer completamente o traçado belga de 4,011 quilómetros e onze curvas, Fábio Mota crê que isso não será um entrave ao seu progresso na quinta ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC. “Esta é mais uma pista onde nunca competi, mas tenho vindo a preparar-me afincadamente, com recurso ao simulador e a voltas onboard para conhecer o mais possível o circuito. É claro que, só quando sair das boxes com o carro poderei conhecer verdadeiramente o traçado, mas penso que poderemos adaptar-nos rapidamente”, sublinhou o português que compete com as cores da Lein Racing e com o apoio técnico da Lema Racing.

    O piloto de Vila Nova de Gaia está confiante de que poderá, uma vez mais, lutar pelas posições da frente, como tem sido habitual ao longo da época, esperando traduzir o seu ritmo em resultados. “Ao longo do ano temos estado sempre em competição pelos lugares do pódio e, quando não tivemos problemas a aborrecer-nos, estivemos na luta pela vitória, conquistando um segundo e um terceiro lugares em Nurburgring – Nordschleife. Confio na equipa e espero estar uma vez mais na batalha pelos lugares do pódio”, assumiu com determinação o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

    O programa oficial da ronda de Zolder da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC inicia-se no sábado, com os treinos-livres e a qualificação, ao passo que as corridas são realizadas no domingo (a primeira terá o seu início às 12h05 e a segunda às 13h10), podendo ambas ser seguidas em directo através do website da competição: www.fiaetcc.com.

 

JOÃO MACEDO E SILVA NAS 6 HORAS DE SPA

JOÃO MACEDO E SILVA NAS 6 HORAS DE SPA

 

O piloto João Macedo e Silva está presente este fim de semana nas 6 Horas de Spa, para clássicos onde vai alinhar ao volante do seu Ford GT 40 aberto,partilhando o volante com o seu pai Rui Macedo e Silva e Joaquim Jorge.45678912345 Copy

 
Mais artigos...

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt