Velocidade Online

Nacional - Autocross/Ralicross

TAÇA DE PORTUGAL DE RALICROSS, KARTCROSS E SUPER BUGGY

Sexta, 03 Novembro 2017 07:11 | Actualizado em Sexta, 15 Dezembro 2017 15:56

Terminou em grande festa, a época de 2017 dos Ralicross, Kartcross e Super Bugyy nacionais.

Foi no Circuito do Alto do Roçário, com o Vouga Sport Clube a organizar.

A receita era fácil e os ingredientes foram todos adicionados.

Um bom lote de pilotos, muito público presente nos dois dias da prova, espetáculo e adrenalina em alto grau, corridas e finais de grande espetáculo e, os poucos “prevaricadores” a encontrarem uma organização que os soube “conter”.

A prova, que terminou pouco passava das 17 horas, teve algumas novidades, como o “aparecimento” da Joker lap, nos Kartcross e Super Buggy.

Para a história ficam os novos Vencedores das oito Taças em disputa. João Novo - Iniciação, Celmo Guicho - Super Nacional, Sérgio Dias - Nacional A 1.6, Luís Moreira - Super Nacional 4WD, Joaquim Santos - Super Car, Ludgero Santos - Super Buggy, e Luís Almeida - Kartcross.

Novo nos Iniciados

As finais começaram com a categoria da Iniciação. Bem disputada, teve em Rafael Rocha (Peugeot 106) o primeiro líder. Perdeu essa posição para João Novo (Peugeot 106), na curva do alto do circuito, na última volta. Novo venceu, Rocha foi segundo, com o pódio a ficar completo com a presença de Rodrigo Correia (Peugeot 205).

Andreia Sousa (Toyota Starlet), no seu melhor nível, venceu a Taça das Senhoras.

Guicho vence

Seguiu-se a Super Nacional e cedo deu para ver que havia dois candidatos mais fortes. Celmo Guicho, em Renault Clio, que partia da pole, e Santinho Mendes, Opel Astra, que saia duas linhas mais atrás, face a uma série de azares nas qualificações. O outro era Hugo Santos, em Honda Civic Type R.

Celmo Guicho liderou a final, depois de um bom arranque. Teve em Santinho Mendes a sua sombra, com Hugo Santos logo atrás. Depois dos três cumprirem a Joker lap, eram estas as posições. Na última curva do circuito, Guicho liderava, Santinho era segundo, mas Hugo Santos tenta esta posição, ao ultrapassar por fora, o piloto do Astra. Acaba por bater, na parede exterior da pista. Mendes mantém a segunda posição, com Guicho a vencer e Santos a ainda terminar em terceiro.

Dias junta Taça ao Campeonato

Nova final, agora dos A1.6. Uma categoria que viria ser ganha por Sérgio Dias, Citroën Saxo, depois de uma final muito disputada, foi o primeiro a cortar a meta, já com alguma diferença sobre o segundo, que foi Luís Morais, em Peugeot 106 Gti, e Daniel Sousa, com um carro idêntico.

Na Taça das Senhores, a vitória foi de Andreia Oliveira, com um Toyota Starlet.

Depois do Campeonato, agora a Taça para João Ribeiro

Na Super 1600, cedo se começou a adivinhar quem poderia ser o vencedor e, João Ribeiro, Citroën Saxo, não se fez rogado. Venceu e juntou a Taça ao Campeonato. Quase se poderia dizer o mesmo, quanto ao segundo lugar. Por ele andou José Eduardo Rodrigues, Peugeot 206, e nele ficou. Mais difícil, seria quanto ao terceiro posto. Nas primeiras voltas, Joaquim Machado, Peugeot 206, era o candidato. Porém, Mário Teixeira, Ford Fiesta, deu-lhe o toque e atirou-o para a última posição. No baixar da bandeira de xadrez, o lugar mais baixo do pódio, era de Teixeira. Mas assim não veio a acontecer, pois por decisão do Colégio de Comissários Desportivos, Teixeira viria a ser desqualificado da final.

Para terceiro, passou Nuno Araújo, Citroën C2, que bem mereceu essa posição.

Joaquim Santos a primeira Taça dos Super Car

No ano passado não houve pilotos nos Super Car, Este ano, isso não aconteceu e tivemos uma prova, como já não era visto há vários anos.

A Taça foi para Joaquim Santos, com o seu Ford Fiesta. Nas primeiras voltas, foi forte a pressão de Jorge Sirgado, com o Opel Astra, também de Joaquim Santos. Uma final muito interessante, com João Novo, Citroën DS3, a rodar na terceira posição. Na quarta volta, Sirgado dá um toque num muro e parte uma roda. Pára pouco depois. Novo herda o segundo posto, em que termina, com Luís Moreira, Toyota Corolla, na terceira posição, na estreia nestes carros. É dele a vitória na Super Nacional 4WD. Nos Super Car, Rogério Silva, Peugeot 206, é o terceiro, depois de ter acabado a corrida na quarta posição.

A primeira Taça de Ludgero Santos

Nos Super Buggy, houve algum despique, mas pouco quantos os primeiros lugares. A vitória foi de Ludgero Santos, seguido de Rafael Teixeira e de António Santos. Todos em Toniauto TT, carros construídos pelo ocupante no lugar mais baixo do pódio.

Luís Almeida vence na estreia da Joker lap

No Kartcross, houve várias novidades. Passagem pela Joker lap e diminuição de pilotos nas finais, foram as principais estreias. E resultaram. Irão ser implementadas no Campeonato do próximo ano.

Na final, um “embrulhanço”, atirou alguns favoritos para lugar mais atrás do habitual. Mas quem já estava na frente e não se preocupou, foi Luís Almeida, em Semog. Venceu, com Pedro Palma, Semog, a conseguir um excelente segundo lugar, à frente de Sérgio Castro, ASK, depois deste fazer uma boa recuperação.

Terminou a Taça e terminou a temporada. Terminou em festa, numa casa cheia de público, que muito vibrou com as corridas a que assistiu, bem organizadas pelo Vouga Sport Clube.

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos