Velocidade Online

Nacional - Velocidade

NACIONAL - VELOCIDADE - SUCESSO NO CIRCUITO DE BRAGA

Terça, 24 Setembro 2019 08:52 | Actualizado em Terça, 15 Outubro 2019 08:18

Circuito de Braga confirmou crescimento da Velocidade nacional

 

Quase sete dezenas de concorrentes disputaram no passado domingo o Circuito de Braga 2, penúltima prova dos campeonatos de Portugal de Velocidade de Clássicos, Clássicos 1300, Legends e Taça FEUP. Grelhas bem compostas e muita emoção em pista marcaram a jornada promovida pela ANPAC e organizada pelo CAMI Motorsport. Com pontos a dobrar em Portimão, a luta pelos respetivos títulos está em aberto para a última jornada.

 

Clássicos e Clássicos 1300

 

No Campeonato de Portugal de Clássicos e Clássicos 1300 (CPVC e CPVC 1300), a grelha atingiu as 28 viaturas e, entre outros motivos de interesse, assistiu ao aguardado regresso de Carlos Vieira, ao volante do Ford Escort RS. O piloto bracarense chegou a comandar a Corrida 1, mas foi forçado a abandonar abandonar as duas corridas do dia. Autor da pole position, João Macedo Silva teve de largar do final da grelha na Corrida 1, devido a uma falha no motor de arranque do seu Porsche 911 RSR, fazendo depois uma recuperação por entre todo o pelotão que o levou à vitória na corrida e no Grupo H75. Na segunda corrida, o piloto do Porto foi penalizado e terminou atrás de Rui Alves nos H75, que assim vingou o azar (furo) sofrido na Corrida 1. Rui Costa foi o mais direto adversário de Macedo Silva na Corrida 1, mas abandonou na derradeira corrida com problemas mecânicos no seu Escort.

António Soares, que se estreava no pelotão do CPVC ao volante de um Ford Escort RS, venceu o Grupo 5 na Corrida 1, enquanto João Cruz também fez duas belas corridas ao volante do carismático Ford Anglia, sendo o mais forte do Grupo 5 na Corrida 2. Joaquim Soares venceu entre os H71 e Taça 1600, ao volante do Lotus Elan 26R, secundado pelo belo Alfa Romeo GT Am de Bruno Duarte e Filipe Jesus na Corrida 1, e pelo Porsche 914-6 GT de João Vieira na Corrida 2. Fernando Xavier foi o mais forte nos H81, com o Volkswagen Scirocco, sendo também o 2.º classificado na Taça 1600. Por sua vez, José Balça, ao volante do carro mais antigo do pelotão, o Ford Lotus Cortina da categoria H65, voltou a mostrar que consegue imiscuir-se nas lutas com carros de anos posteriores. Apesar de alguns problemas de motor no seu Porsche 924, Pedro Poças subiu ao pódio nos H81, tal como a dupla Ricardo Pereira e Paulo Vieira, ao volante do Ford Escort RS 2000. Rui Azevedo e o espanhol Ignacio Sieso, que partilhavam um Ford Escort, tiveram muito azar e não conseguiram completar as duas corridas de Braga.

 

No Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos 1300, duplo triunfo para Luís Alegria e o seu Datsun 1200 nos H75, o mesmo acontecendo com Bruno Pires, também em Datsun 1200, nos H71. Carlos Santos, também num Datsun, acompanhou Luís Alegria nos dois pódios dos H75, o mesmo acontecendo ao atual líder do campeonato, João Braga, também em Datsun 1200. O regressado Arnaldo Marques levou o seu Datsun ao 2.º lugar nos H71 nas duas corridas de Braga, com Paulo Miguel a colocar o MG Midget no derradeiro do pódio na Corrida 1, e Cândido Monteiro (Datsun 1200) a conseguir essa posição na Corrida 2. O Datsun 1000 de Veloso Amaral e Miguel Barata foi o vencedor na Taça 1000 na prova minhota, enquanto José Mota Freitas, com o Austin Cooper S da categoria H71, foi obrigado a abandonar nas duas corridas do dia.

 

Legends

 

A grelha do Campeonato de Portugal de Velocidade Legends é das mais multifacetadas da Velocidade nacional, com viaturas de diferentes épocas e especificações a proporcionarem corridas animadas em quase todas as classes. Apesar de, tal como nos Clássicos, não existir um campeonato absoluto, os carros da VLB Racing acabaram por ser os primeiros a ver a bandeira de xadrez nas duas corridas, primeiro o Mercedes 190 DTM de Vasco Barros (pertencente à categoria Especial) e depois o Ford Sierra RS 500 de Luís Barros (categoria L90).

 

Na categoria Especial, Jorge Serôdio conseguiu dois pódios (2.º e 3.º lugar) com o BMW 320 IS ex-troféu, tal como João Luís (3.º e 2.º lugar) com o exótico Renault Spyder Trophy. Manuel Pedro Fernandes foi o vencedor da Categoria Livre na Corrida 1, mas o BMW 320D teve problemas na Corrida 2, quando Hugo Mestre estava ao volante. Ness         a corrida, o triunfo ficou para Sérgio Pinto com o Honda Civic, enquanto Márcio Teixeira conseguiu dois pódios da categoria com o Citroën Saxo, com o Toyota Corolla da dupla Filipe Ferreira / Nuno Gonçalves a terminar no 3.º posto na Corrida 2.

 

Na categoria L99, duplas vitórias para António Barros e Joaquim Soares (BMW M3), na frente de Nuno Figueiredo, com a emblemática Volvo 850 T5 Estate, enquanto Tiago Ribeiro também esteve em destaque com o Honda Integra Type R da categoria L99 - 2000, tal como Luís Mota (Peugeot 106 S16)  e António Sarabando (Peugeot 306 GTi) Entre os L90, Hugo Branquinho levou o Honda Civic à vitória nas duas corridas do dia, na frente do Volkswagen Golf GTi de António Zenha e Manuel Mota, e do Citroën AX Sport de Luís Império, único representante da classe 1300, o mesmo acontecendo com o Toyota Starlet de Pedro Fonseca nos L99 – 1300.

 

Taça FEUP

 

Um pelotão de 15 carros e 20 pilotos voltou a comprovar o forte interesse despertado pelos Alfa Romeu 156 e Fiat Punto do antigo Challenge Desafio Único, originando uma corrida independente do campeonato Legends, com a designação Taça FEUP. Uma grelha onde se registava, inclusive, a estreia de três jovens pilotos: Manuel Alves (vindo do Karting), Daniel Gouveia e João Barroso, todos nos Fiat Punto dos FEUP 2.

Raul Delgado começou por mostrar nos treinos cronometrados que seria o piloto a bater entre os Alfa Romeo e depois o piloto transmontano dominou as duas corridas do dia. Hélder Moura e José Monteiro foram os principais adversários de Delgado, alternando nas posições seguintes do pódio, enquanto a dupla Joaquim Soares / Leandro Caetano terminou no 4.º posto na corrida inaugural.

Entre os Fiat Puno, Tiago Montes era o líder do campeonato à chegada a Braga e começou por ser o mais rápido nos treinos cronometrados, logo seguido pelo estreante Manuel Alves, de apenas 16 anos. Tiago Montes venceria depois a Corrida 1, embora Manuel Alves tenha sido o primeiro a ver a bandeira de xadrez, sendo depois penalizado devido a um toque. Paulo Silva e João Sousa levaram o seu Fiat Punto à vitória na Corrida 2, seguidos por Manuel Alves e pela dupla Tiago Monteiro / Tiago Rocha. Manuel Araújo, por seu turno, foi o 2.º classificado na Corrida 1, na frente de Pedro Pinto, que chegou a esta fase do campeonato na discussão pelo título com Tiago Montes. Roberto Meira terminou sempre no top 5 nas duas corridas, enquanto José Cidrais também fechou os cinco primeiros na derradeira corrida do dia.

Recorde-se que todos os campeonatos que estiveram em Braga terão pontuação a dobrar na última prova da época, a disputar no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, nos dias 2 e 3 de novembro.

EM DISCURSO DIRETO

Paulo Miguel, ANPAC

“Este fim de semana no Circuito de Braga voltou a comprovar o crescimento da Velocidade nacional e o trabalho conjunto que a ANPAC e a FPAK têm feito junto de todos os intervenientes. Conseguimos inclusive contrariar a tendência de redução no número de participantes à medida que a época vai decorrendo e temos aqui que destacar o trabalho incansável dos meus colegas José Fafiães e Paulo Alves, que corresponderam a todas as solicitações de pilotos e clube organizador, contribuindo para mais um excelente fim de semana de corridas.”

 


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos