Velocidade Online

Nacional - Velocidade

NACIONAL VELOCIDADE - RACING WEEKEND NO DIA DE DOMINGO

Segunda, 28 Maio 2018 08:16 | Actualizado em Terça, 18 Setembro 2018 13:54

Racing Weekend Braga - Domingo

logo racing weekend 2018

O Circuito Vasco Sameiro, em Braga, recebe a abertura do Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo - TCR Portugal, que aglomera também as Supercar Series. Em pista estão também os Campeonatos de Portugal de Velocidade Clássicos, Clássicos 1300 e Legends.

Hoje, Domingo, o dia foi inteiramente preenchido com o "warm-up" e as corridas, duas para cada campeonato.

Os louros foram entregues a Armando Parente (VW Golf GTI TCR) e a Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR) no Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo - TCR Portugal. Joaquim Santos (Seat Leon Eurocopa) e José Correia (Nissan Nismo GTR) dividiram as vitórias nos Supercar. Pedro Alves (Citroen Saxo) venceu as duas corridas dos Legends. Nos Clássicos Carlos Vieira (Ford Escort RS1600) e João Macedo e Silva (Porsche 91 RSR) dividiram as vitórias e nos Clássicos 1300.

Campeonato de Portugal de Velocidade Turismo - TCR Portugal e Supercar Series.

Corrida 1

Armando Parente (VW Golf GTI TCR) venceu a primeira corrida, depois de um arranque, que definiu a prova. Partiu bem, colocou-se na dianteira e escapou ao toque que colocava Francisco Mora (Seat Leon Cupra TCR) fora de prova e Francisco Abreu (Peugeot 308 TCR) no fundo da classificação.

Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR) foi segundo classificado e Francisco Carvalho (Audi RS3 LMS) ocupou o mais baixo do pódium.

Joaquim Santos (Seat Leon Eurocopa) ganhou as Supercarseries, à frente de José Correia (Nissan Nismo GTR)

Nos TCC a vitória foi para João Sousa (Seat Leon MKII).

braga parente dom Armando Parente - Golf GTI (foto NunOrganista)  braga santos Joaquim Santos - Seat Leon (foto NunOrganista) braga sousa João Sousa - Seat Leon MKII (foto NunOrganista)

Resumo 

Francisco Mora falhou completamente a partida, o Seat Leon Cupra TCR, na pate suja arrancou pior, Mora “puxou” o carro para a direita para conseguir aderência. Armando Parente aproveitou para “meter” o Golf GTI TCR e passar para frente. Depois, falhou a travagem no final da recta da meta, mas como mais ou menos no mesmo sítio se gerou alguma confusão, conseguiu manter o primeiro lugar.

No final da recta da meta Mora entrou por dentro na curva um, ficou lado a lado com o Peugeot de Francisco Abreu, tocaram-se e saíram ambos após o final da curva. Mora já não seguiu em prova.

O satfty Car entrou em pista por duas voltas.

3ª volta

Recomeço da corrida e Armando Parente colocou-se na frente. Pedro Salvador colocou-se em segundo, após ultrapassar Manuel Gião (Kia Cee´d TCR), que furava.

4ª volta

Manuel Gião foi à box trocar o pneu traseiro direito, que estava furado e perdeu uma volta.

Francisco Abreu foi à box, devido aos danos provocados pelo toque, perdendo tempo e baixando na classificação.

5ª volta

Aramando Parente estava em primeiro com uma vantagem curta sobre Pedro Salvador (Seat Leon Cuper TCR). Francisco Carvalho (Audi RS3 LMS) era terceiro, seguido por Gustavo Moura (Audi RS3 LMS), que vinha de lá do fundo da grelha de partida, depois de não ter feito a qualificação, devido a um toque nos treinos livres de Sábado.

7ª volta

Nos Supercar Joaquim Santos (Seat Leon Eurocup) comandava e mantinha uma vantagem sobre o segundo, que lhe permitia gerir a segunda metade da corrida. José Correia (Nissan Nismo GTR) colocava-se na sétima posição da geral, segunda dos Supercar, atrás de Santos.

João Sousa (Seat Leon MKII) era o primeiro dos TCC.

11ª volta

Armando Parente realizou a melhor volta de corrida, com o tempo de 1m 22,912s.

14ª volta

O Seat Leon de João Sousa ficou com problemas de direcção e desistiu na chicane. Tal facto motivou a entrada do Safty Car.

15ª volta

A bandeira xadrês foi dada com Safety Car em pista.

Aramando Parente venceu, seguido de Pedro Salvador a 1,188s, Francisco Carvalho a 2,141s. Completou o pódium.

No quarto posto terminou Gustavo Moura, depois da “tal” corrida de trás para frente. Seguiam-no Francisco Abreu, Joaquim Santos, o vencedor das Supercar Series, que terminava com o principal adversário, José Correia a dez segundos.

Manuel Gião, cortava a meta a uma volta e João Sousa classificava-se no nono lugar, primeiro TCC.

braga partida tcr Partida braga toque tcr O toque de Francisco Mora (Seat Leon Cupra TCR) e Francisco Abreu (Peugeot 208 TCR)

Disse o vencedor - Armando Parente

"Foi um prova complicada. Faço um arranque muito bom mas na primeira curva quase que estraguei tudo, falhei a travagem e despistei-me mas tive a sorte de que mesmo assim, quando voltei à pista, consegui voltar em primeiro. Nem sei muito bem como, mas pronto, foi a sorte, foi a estrelinha."

"Depois o Abreu e o Mora dão um toque, consegui afastar-me, já tinha uma distancia boa, que o primeiro safety car anulou. Depois estava o Gião em segundo, eu estava a conseguir abrir, estava com um bom ritmo, quando vi o Salvador a passar para segundo sabia que pronto, ele ia chegar-se mais cedo ou mais tarde."

"Ainda nos falta um pouco do carro, o carro teve mais degradação do que estávamos à espera e no final estávamos um pouco lentos."

Corrida 2

Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR) venceu uma prova a dois andamentos. Um primeiro em que teve forte oposição de Rafael Lobato (Peugeot 308 TCR) e um segundo em que passou a gerir a vantagem conseguida. 

José Correia (Nissan Nismo GTR) foi segundo e venceu nos Supercar. João Sousa (Seat Leon MKII) foi o melhor dos TCC.

braga pedro salvador 2 Pedro Salvador - Seat Leon

braga jose correia 2 José Correia - Nissan Nismo GTR G

Resumo

Francisco Mora (Seat Leon Cupra TCR) caiu para o último lugar da grelha, em virtude de ter retirado o carro de Parque Fechado demasiado cedo, para o conseguir pronto para a segunda corrida. Recorde-se que na anterior tinha desistido após uma saída de pista.

Pedro Salvador (Seat Leon Cupra TCR) foi quem mais lucrou com a penalização de Mora, passou para o segundo posto, arrancou bem e colocou-se em primeiro, com Rafael Lobato (Peugeot 308 TCR), detentor da pole-position, a ficar em segundo, a atacar o líder.

Francisco Carvalho falhou o arranque e pouco depois encostava com problemas no Audi RS3 LMS. Tudo não passava de uma falha no procedimento de partida e ainda conseguia recuperar.

1º Volta

Rafael Lobato rodava a uma décima de Pedro Salvador e, por várias vezes, mostrava-se ao líder da corrida.

2º volta

Pedro Salvador ganhava meio segundo a Lobato

Mais atrás vinha José Cautela (VW Golf GTI TCR), que trazia Francisco Mora por perto.

José Correia (Nissan Nismo GTR) era quinto, melhor entre os Supercar

João Sousa (Seat Leon MKII) era o melhor dos TCC.

3º volta

Manuel Gião desistiu com problemas de motor. Saltou a correia de distribuição do motor do Kia Cee´d TCR.

5ª volta

José Correia rodava em quinto

7ª volta

Pedro Salvador descava-se. Rafael Lobato seguia em segundo.

José Correia subia até ao terceiro Posto, liderava nos Supercar.

12ª volta

José Correia colava-se à traseira de Rafael Lobato e passava-o na recta da meta. Passava para segundo.

José Cautela reduzia o andamento do Golf, com os pneus dianteiros a degradarem-se

14ª volta

José Cautela seguiu para a box com os pneus completamente dagradados.

16ª volta

O Audi RS3 LMS de Gustavo Moura entrava em modo de segurança e ditava o abandono

Final

Pedro Salvador vencia, com uma vantagem de 3,18 segundo sobre José Correia, vencedor dos Supercar e primeiro GT.

Rafael Lobato terminou no terceiro posto, segundo TCR, a 11,504s.

Francisco Mora cortou a meta em quarto, fez terceiro nos TCR e após terminar a corrida a roda dianteira direita saltava, mas o pódium já ninguém lhe tirava.

Daniel Teixeira levava o Seat Leon Euro Cup até ao segundo posto dos Supercar, primeiro turismo da categoria e era o quinto a cortar a meta.

Apesar das peripécias no arranque, Francisco Carvalho ainda levou o Audi até ao sexto posto.

Logo atrás, cortavam: José Cautela, João Sousa e Gustavo Moura, respectivamente.

Disse o vencedor - Pedro Salvador

"Nesta prova correu tudo muito bem. O arranque não correu nada bem na primeira corrida, nesta segunda percebi como tirar proveito do "launch control"; saí bem e a partir daí concentrei-me em fazer a minha corrida, impor o ritmo e esperar que esse ritmo fosse suficiente para poder vencer. Felizmente foi e estou muito satisfeito."

braga salvador int Pedro Salvador

Campeoanto de Portugal de Velocidade Legends

Corrida 1

Começo algo atribulado, com o BMW M3 de Eduardo Passos a ter uma incursão pela relva, com muito "drifrt" à mistura, depois de um toque. Alheio a esses problemas estavam Pedro Alves (Citroen Saxo) e Rui Gonçalo (BMW M3), que faziam jus ao ditado da “candeia que vai à frente…”

O certo é que Pedro Alves colocava-se na liderança dos L99 e daí já nunca mais sairia. Na frente as coisas mais pareciam um troféu monomarca, não fora o caso de o Citroen Saxo de Fernando Cabral ser da categoria Especial, que logicamente comandava.

A corrida manteve-se animada e o segundo posto dos L99 só ficava decidido a duas voltas do fim. Rui Gonçalo fazia um pião e António Barros (BMW M3) seguia para o segundo lugar.

Sem saír dos L99, ao baixar da bandeira xadrez António Camilo (Citroen Saxo) era quarto, seguido por José Meireles (Toyota Carina E).

Já vimos que Fernando Cabral comandava nos “especiais” e por isso o segundo posto seria posse de Simplício Taveira (Peugeot 306), seguido por Olavo Ribeiro, ao volante de um Toyota Starlet, que estamos mais habituados a ver nas pistas de Ralicross.

O Desfio Único FEUP 3 teve uma prova muito animada, com os três homens do pódium dos Alfa-Romeos a discutirem cada posição com “afinco”. Telmo Gomes levou a melhor, sobre Diogo Rocha e Hélder Moura.

No FEUP 2 as coisas foram semelhantes e Paulo Ferraz (Fiat Punto) levava a melhor sobre Pedro Pinto, em carro idêntico.

braga legends partida 1 Partida (foto NunOrganista) braga alves legends Pedro Alves - Citroen Saxo (foto NunOrganista) 

Corrida 2

Partida animada com António Barros (BMW M3) a partir bem e a colocar-se na frente da prova depois de “galgar” da segunda, para a primeira linha da grelha.

Pedro Alves (Citroen Saxo) era um incómodo para o comandante da prova. Não só rodava muito próximo, como lhe tentava “tirar” o primeiro posto o que conseguiria, com a corrida sensivelmente a meio. Lutava-se pelo primeiro lugar da corrida e dos L99.

A seis voltas do fim Rui Gonçalo (BMW M3) saía de pista e isso motivava a entrada do Safety Car. Pouco depois o Fiat Punto de Pedro Carvalho encostava na recta da meta, com uma suspensão danificada e o Fiat Punto de Pedro Pinto, também ficava pelo caminho. O carro de segurança ficava em pista quase até ao fim.

Quando a prova era retomada, apenas haviam uns cem metros para decidir a prova e Pedro Alves levou a melhor sobre António Barros, no arranque final.

Os L99 dominavam, José Meireles (Toyota Carina E) ficava com o terceiro lugar por uma décima de vantagem sobre António Camilo (Citroen Saxo Cup) e um segundo sobre Hernâni Conceição (Alfa-Romeo 156).

Na categoria Especia,l Sérgio Pinto (Honda Civic) cortava a meta com 1,5 segundos de vantagem sobre Tito Gomes (BMW 320 Is). O terceiro lugar da categoria foi para Eduardo Passos (BMW M3).

Mais uma vez os Alfa-Romeo 156 do Desafio único FEUP 3 deram espectáculo e competitividade q.b. Hélder Moura, desta vez venceu e margem foi de duas décimas sobre Diogo Rocha e meio segundo sobre Telmo Gomes.

Nos Fiat Punto do FEUP2, Pedro Carvalho levou a melhor sobre Pedro Pinto, apesar de nenhum deles ter visto a bandeira xadrez.

braga sergio pinto Sérgio Pinto - Honda Civic (foto NunOrganista)

braga legends António Barros - BMW M3 (foto NunOrganista)

Campeonato de Portugal de Velocidade Clássicos e Clássicos 1300

Corrida 1

João Macedo e Silva (Porsche 911 RSR) partiu bem, surpreendeu Joaquim Jorge (Ford Escort RS1600), mas o mesmo não fez a Carlos Vieira (Ford Escort RSR), que ficava na frente da corrida. Os H75, naturalmente a comandarem.

Durante o restante da prova Carlos Vieira aguentava Macedo e Silva no segundo posto, Joaquim Jorge era terceiro, com os Ford Escort de Rui Azevedo e Rui Laves à espreita para subirem uma posição.

Nos H71 mais uma vez a luta dos Lotus Elan a prometer e a cumprir, se bem que com o desenrolar da prova, Joaquim Soares fosse ganhando vantagem, sobre Filipe Matias. O terceiro posto dos H71 foi posse de Paulo Lima (Alfa- Romeo 1750 GTAm).

Rómulo Mineiro (Ford Escort RS1600) acabou por ter uma prova descansada, no Grupo 5 que venceu. A oposição foi de Pedro Botelho (Austin Mini Cooper S) e de José Castro (VW 1302s).

Fernando Xavier é um dos homens que nos habituamos a ver na frente dos H81 e hoje não foi excepção. Venceu confortável, pois a oposição foi de Paulo Duarte (VW Golf GTI).

Pedro Serrador (BMW 323i) foi o melhor do Grupo 1.

Carlos Vieira assinou a melhor volta de corrida, com 1m 25,141s.

NunOrganistA 42 Carlos Vieira - Ford Escort RS1600 (foto NunOrganista)

Clássicos 1300

Nos 1300 Bruno Pires (Datsun 1200) “furava” pelos buracos disponíveis e ganhava posições a “cortar” pela relva. Entretanto Luís Alegria (Datsun 1200) ia para a frente da corrida.

Alegria comandava, era simultaneamente o melhor H75. Logo atrás trazia Datsun 1200 de Carlos Cruz, que era o melhor H71, seguido de perto por Filipe Nogueira (Morris Mini 1275 GT).

José Fafiães (MG Midget) foi quarto classificado, à frente de Bruno Pires (Datsun 1200), Fernando Charais (Datsun 120Y), segundo H75 e Filipe Nogueira (Datsun 1200) melhor Grupo 1.

braga alegria Luis Alegria - Datsun 1200 (foto NunOrganista)

Corrida 2

Apesar dos esforços de Carlos Vieira, o Ford Escort RS1600 não foi argumento suficiente para manter o Porsche 911 RSR de João Macedo e Silva no segundo posto. Mesmo assim a luta foi bem interessante e Vieira estava apostado em não facilitar em nada e assim foi durante toda a corrida. No final duas décimas separaram-nos.

Joaquim Jorge comandava um segundo grupo, todos Ford Escort´s, todos H75, a que se juntavam Rui Costa e Rui Azevedo.

Nos H71 Joaquim Soares (Lotus Elan) conseguia terminar com um pouco mais de folga, sobre Filipe Matias, também em Lotus Elan, que seria segundo.

No Grupo 5, Rómulo Mineiro (Ford Escort RS2000) repetia a graça da corrida anterior e vencia mais uma vez. José Castro (VW 1302s) era segundo.

Pedro Serrador (BMW 323i) não teve vida fácil, pois João Cruz (BMW 323i) andava por perto, na luta pelo Grupo 1.

braga joao silva João Macedo e Silva - Porche 911 RSR

Clássicos 1300

Filipe Nogueira (Morris 1275 GT) venceu e simultaneamente foi o melhor H71, depois de uma corrida marcada por um “volte face”.

Expliquemos: Bruno Pires (Datsun 1200) começou na frente, Carlos Cruz (Datsun 1200) estava apostado em passar para primeiro e como toda a gente estava a rodar muito próxima, os toques forma invitáveis.

Filipe Nogueira passou incólume pelo meio das coisas e acabou por ganhar e ser o primeiro dos H71, seguido por Pires e Cruz.

Luís Alegria, que se queixava de que não tinha o Datsun 1200 bem adaptado ao seu estilo de condução, conseguia o quarto posto e vencia nos H75.

Paulo Miguel sentiu problemas de bateria no MG Midget e não pode ir além do quinto posto.

Filipe Ferreira (Datsun 1200) foi quinto e venceu o Grupo 1.

braga filipe nogueira Filipe Nogueira - Morris Mini


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos