Velocidade Online

Nacional - Ralis

NACIONAL - RALIS - RALI DE MORTÁGUA

Sábado, 04 Maio 2019 09:59 | Actualizado em Sexta, 08 Novembro 2019 08:18

Miguel Barbosa, Armindo Araújo e José Pedro Fontes sintonizados

“ Que tática para o Rali Mortágua?

Entrar ao ataque para… vencer”

 

O Campeonato de Portugal de Ralis (CPR) promete ficar de novo ao rubro em Mortágua, palco da terceira prova da temporada, na próxima sexta-feira e no sábado (3/4 Maio), ao apresentar pelo menos cinco fortes candidatos à discussão da vitória. Atacar desde o início e sem poupanças, com o pensamento na vitória, é a palavra de ordem dos principais protagonistas do CPR no evento organizado pelo Clube Automóvel do Centro, também pontuável no Campeonato Centro de Ralis e nos Desafios Kumho Centro e Kumho Terra,

Dos oito atuais primeiros classificados do CPR, Bruno Magalhães junta-se a Ricardo Moura –

não disputa a totalidade do campeonato – entre os ausentes no Rali de Mortágua, deixando a defesa das cores da equipa Hyundai Portugal entregue a Armindo Araújo.

“Gostaria imenso de disputar o rali, mas como nunca fiz a versão em pisos de terra e tinha de descartar uma prova do calendário, o facto de esta ser nova para mim pesou na decisão de estar ausente. Adorava correr em Mortágua para ficar a conhecer os troços sem pensar nos pontos no campeonato, mas falta-me orçamento para isso. Entendemos que abdicar desta terceira prova da época é a melhor solução para nós a nível estratégico, tendo em vista o que falta da época”, justificou Magalhães.

Se Ricardo Teodósio (Skoda Fabia), segundo classificado no campeonato, já garantiu que só pensa em lutar pela vitória em Mortágua (“Sinto-me mais confiante do que antes”, confessa), Miguel Barbosa, José Pedro Fontes e Armindo Araújo não lhe ficam atrás. E a este quarteto deverá juntar-se, na discussão do primeiro lugar, Pedro Meireles, que ao desistir no Rali Serras de Fafe, na estreia do VW Golf GTi, ainda não soma qualquer pontuação.

 “Este ano, perante tanta concorrência, não há tática a seguirem em cada uma das provas, especialmente nas mais curtas. Há apenas que atacar ao máximo. O campeonato tem um plantel fantástico de carros e de pilotos e é fundamental somar o maior número de pontos em todos os ralis. Portanto, aposto em mim para ganhar em Mortágua!”, assegura Miguel Barbosa (Skoda Fabia).

Um discurso de contornos idênticos é assumido por José Pedro Fontes (Citroen C3), como seria de prever:

“O meu único pensamento para Mortágua é tentar vencer. Tivemos um rali difícil em Fafe, mas agora temos as coisas resolvidas e os testes que fizemos recentemente tiveram resultados muito positivos. Se não apostasse em mim em Mortágua, o que iria lá fazer? Há um lote alargado de pilotos com hipóteses de discutir a vitória e nós queremos estar nesse grupo”.

 

 

 

Vencedor da edição 2018 do Rali de Mortágua, oferecendo o primeiro triunfo da temporada à Hyundai, Armindo Araújo revela uma grande determinação:

 “A minha tática será entrar neste Rali de Mortágua para vencer. Aposto em mim para a vitória! Não vou fazer qualquer tipo de gestão, a minha palavra de ordem será atacar, para tentar repetir o sucesso conquistado o ano passado”.

Em plano distinto, no “top 10” do campeonato, surgem Miguel Correia e António Dias, que em Mortágua, à semelhança de Ricardo Teodósio e de Miguel Barbosa, alinham no terceiro rali da temporada.

 “Como tenho dito desde o início da época, qualquer resultado além de terminar cada rali é ótimo neste meu primeiro ano a guiar um R5. A minha estratégia passa por aí, em ano de adquirir experiência e conhecer o carro, bem como as suas diferentes afinações, classificativa e classificativa. Se estiver em 5º lugar e vir que consigo chegar ao 4º, então tento, mas sem nunca cometer exageros. Em 2019 não temos objetivos no campeonato”, referiu Miguel Correia, o jovem de Braga que tem sido uma das surpresas do ano, ao volante do Ford Fiesta R5.

Mais animado do que nunca, António Dias contará com um Skoda Fabia mais competitivo para elevar o nível do seu desempenho.

 “Vamos continuar a nossa aprendizagem, com a vantagem de estrearmos em Mortágua um motor com as últimas evoluções da Skoda, o que em teoria me permitirá fazer melhores tempos. Se em Fafe, com o pelotão do Nacional, andei entre os 10 primeiros, agora situar-me entre o 6º e o 8º é o grande objetivo. Depois da minha estreia no campeonato em 2018, este Rali de Mortágua é daqueles que me agradam bastante e estou desejoso que chegue a hora da partida”, disse o piloto de Gondomar.

 

Horário do Rali de Mortágua

SEXTA-FEIRA (3 de Maio)

16h39    Partida de Mortágua (Câmara Municipal)

21h00    PEC 1A – Águeda Street Stage (2,59 Km)

21h15    PEC 1B – Águeda Street Stage (2,59 km)

22h13    PEC 2 – Super Especial de Mortágua (2,06 Km)

23h33    Final em Mortágua (Câmara Municipal)

SÁBADO (4 de Maio)

09h20    Partida de Mortágua (Câmara Municipal)

10h10    PEC 3 – Mortágua-Moitinhal 1 (6,55 km)

10h33    PEC 4 – Mortágua-Chão de Calvos 1 (5,66 km)

10h52    PEC 5 – Sobral-Tojeira 1 (18,00 Km)

11h35    PEC 6 – Felgueira 1 (16,92 km)

12h25    Entrada no Parque de Assistência (Aeródromo de Mortágua)

 

 

12h55    Saída do Parque de Assistência

13h12    Chegada ao Reagrupamento (Câmara de Mortágua)

13h52    Saída do Reagrupamento

14h05    PEC 7 – Mortágua-Moitinhal 2

14h28    PEC 8 – Mortágua-Chão de Calvos 2

14h47    PEC 9 – Sobral-Tojeira 2

15h30    PEC 10 – Felgueira 2

16h19    Chegada ao Reagrupamento (Câmara de Mortágua)

16h34    Saída do Reagrupamento

16h47    PEC 11 – Mortágua-Moitinhal 3

17h10    PEC 12 – Mortágua-Chão de Calvos 3

17h35    Entrada no Parque de Assistência (Aeródromo de Mortágua)

17h45    Saída do Parque de Assistência

18h00    Final do rali (pódio), frente à Câmara de Mortágua

 

Para mais informações: http://www.ralidemortagua.pt


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos