Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2018 - A HAAS NO GRANDE PRÉMIO DE SINGAPURA

Quinta, 13 Setembro 2018 21:09 | Actualizado em Quinta, 15 Novembro 2018 05:46

Debaixo dos Holofotes em Singapura

A Haas F1 Team Reassume a Batalha do Meio do Pelotão no Marina Bay Street Circuit

 

) – Gene Haas é sinónimo de disrupção desde 1988, quando a sua companhia de ferramentas mecânicas, a Haas Automation, introduziu no mercado a Haas VF-1. Foi o primeiro centro vertical de maquinação da Haas Automation e tornou-se a referência da tecnologia CNC acessível quando foi introduzido com um preço até então desconhecido de $49,500. Perturbou o status quo há trinta anos e hoje continua a perturbar, dado que o VF-1  se vende ainda a $50,000. De facto, custa apenas $46,995 e faz parte de uma extensiva gama de mais de cem produtos da Haas Automation de alto-valor e alta-performance, o parceiro-título da Haas F1 Team.

 

A metodologia que Gene Haas aplica à Haas Automation estende também à Haas F1 Team, onde se tornou uma força de disrupção quando está apenas no seu terceiro ano de competição do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1.

 

Com cerca de cento e sessenta pessoas na equipa, a Haas F1 Team está a terminar recorrentemente à frente de equipas com cerca de duzentas a quatrocentas pessoas. É uma operação que faz mais com menos, e tem feito muito mais em 2018.

 

Quando a bandeirada de xadrez caiu na corrida mais recente da competição – o Grande Prémio de Itália, realizado a 2 de Setembro – a Haas F1 Team estava no quarto posto no Campeonato de Construtores empatada com a Renault. No entanto, horas mais tarde, a Haas F1 Team estava de volta ao quinto lugar, a dez pontos da Renault, depois de esta equipa ter protestados com sucesso o sexto lugar da Haas F1 Team, anulando o resultado da corrida e reassumindo o quarto posto no campeonato.

 

Apesar de a Haas F1 Team ter apelado, a Fórmula 1 continua activa, com a próxima corrida, o Grande Prémio da Singapura,  a ser realizada no Marina Bay Street Circuit, a 16 de Setembro.

 

Com o foco na Haas F1 Team, o circuito citadino de 5,065 quilómetros e vinte e três curvas é um palco apropriado para a equipa americana. Focos brilhantes iluminam a pista e foi há dez anos que se tornou na primeira corrida nocturna da Fórmula 1. Era nova e disruptiva e foi imediatamente abraçada, apesar de ser a corrida mais longa da temporada.

 

Desde que passou a integrar o calendário da Fórmula 1 em 2008, todos os Grandes Prémios de Singapura terminaram a menos de quatro minutos das duas horas de prova, que são o limite máximo da categoria. A corrida de 2015 foi a mais longa de todas, ao ultrapassar as duas horas por um minuto e vinte e dois segundos.

 

No entanto, ninguém se queixa da visita a Singapura. É uma cultura avançada e uma incrível modernização tomou conta da ilha tropical localizada a apenas um grau norte do equador e tornou-a numa plataforma de negócios e turismo, com a visita da Fórmula 1 à única cidade-estado do mundo a combinar as duas vertentes de uma forma gloriosa.

 

Poderosos focos iluminam a pista com tal luminosidade que os pilotos dizem que a pista fica mais iluminada que durante o dia, muito embora não existam brilhos. Com todos aqueles focos a cintilar nas formas dos carros enquanto viajam a mais de trezentos e vinte quilómetros por hora pelas rectas com faíscas a emanarem do fundo plano, os adeptos são presenteados com uma festa para os sentidos que só pode ser encontrada no Marina Bay Street Circuit. Para domar a loucura destes vinte e dois carros de Fórmula 1 a gritar em redor desta pista elaborada, os pilotos têm que ter coragem para mantê-los intactos. Os muros que delimitam o Marina Bay Street Circuit não perdoam, mas para um piloto atingir cada grama de potencial da velocidade do seu monolugar, tem que dançar com os muros enquanto navega pelos inúmeros ressaltos da pista.

 

Se isso não for suficiente, Singapura em Setembro é muito quente. Para além disso, é também muito húmido. Por muito que exista a questão estética por detrás da corrida se realizar à noite, as horas nocturnas são mais frescas para pilotos e espectadores. Ainda assim, as temperaturas dentro dos carros chegam aos 60ºC.

 

Apesar da dureza da pista e do difícil ambiente, o Grande Prémio de Singapura é apreciado pelos pilotos. A atmosfera electrizante da cidade e a beleza da Fórmula 1 à noite, durante a qual as chamas dos escapes e os disco em brasa oferecem um espectáculo de cor, que passa despercebido durante as provas diurnas, sobressai, o que é admirado pelos pilotos. É um Mónaco dos tempos modernos.

 

As luzes brilham em Marina Bay e a Haas F1 Team também quer brilhar.  Depois de ter estado no quarto lugar por algumas horas, no Grande Prémio de Itália, Romain Grosjean e Kevin Magnussen tencionam reconquistar essa posição. É um classificação apertada num traçado apertado, mas a Haas F1 Team não vai ser dominada.

Marina Bay Street Circuit

Perímetro: 5,065Km

Voltas: 61

Distância de Corrida: 308,828 km

Transmissão: Sport TV5 13h10

Sobre a Haas Automation

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal             

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal.

 

Marina Bay Street Circuit

  • Número total de voltas: 61 
  • Distância de corrida: 308,828 quilómetros
  • Velocidade no pit-lane: 60 Km/h
  • Este circuito de 5,065 quilómetros e 23 curvas alberga a Fórmula 1 desde 2008, tendo no ano passado o Grande Prémio de Singapura sido o décimo Grande Prémio da pista.
  • Lewis Hamilton detém o recorde da volta ao Marina Bay Street Circuit (1m45,008s), assinado em 2017 ao serviço da Mercedes.
  • Sebastian Vettel detém o recorde da volta de qualificação no Marina Bay Street Circuit (1m39,421s), assinado em 2017 ao serviço da Scuderia Ferrari durante a Q3.
  • O Grande Prémio de Singapura, realizado no Marina Bay Street Circuit, estreou em 2008, fazendo história ao ser a primeira corrida de Fórmula 1 nocturna. Hoje, Singapura é uma das três corridas nocturnas constantes no calendário da Fórmula 1, sendo o Bahrein e Abu Dhabi os palcos das restantes. A estreia de Singapura foi um grande sucesso e permanece muito popular entre os pilotos e os adeptos, o que explica o porquê de já não ser a única prova nocturna. Com o famoso horizonte de Singapura como fundo, o Marina Bay Street Circuit promove um dos mais espectacular ambientes da Fórmula 1. Um poderoso sistema de iluminação permite aos pilotos rodarem em pista enquanto os adeptos sentem a velocidade ainda com mais intensidade, com faíscas a emanarem dos carros e com a luz a vibrar nas formas destes. A marina torna Singapura num Mónaco dos tempos modernos e a suas vinte e três curvas tornam este circuito naquele que mais curvas tem.
  • Sabia que: O Grande Prémio de Singapura é a corrida mais longa do ano em termos de duração. Todas as corridas realizadas no Marina Bay Street Circuit terminaram a menos de quatro minutos das duas horas de limite. Duas provas foram encurtadas, não completando as sessenta e uma voltas previstas devido ao limite de duas horas – 2012 (59 voltas) e 2014 (60 voltas). A corrida mais longa realizada no Marina Bay Street Circuit foi a de 2015, que ultrapassou o limite de duas horas em um minuto e vinte e dois segundos. Quando esse limite entra em acção, é mostrada ao líder a bandeirada de xadrez no final da volta que se segue ao fim do período de duas horas de prova.
  • Durante o Grande Prémio de Singapura, a temperatura mínima estará entre os 25ºC e os 26ºC e a máxima entre os 29ºC e 30ºC. A humidade relativa estará entre os 62% e os 92%. O vento variará entre os 0 Km/h e os 18 Km/h, raramente excedendo os 21 Km/h.  


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos