Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

MUNDIAL - CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - A HAAS EM ABU DHABI

Quinta, 29 Novembro 2018 06:21 | Actualizado em Terça, 22 Outubro 2019 21:10

Evento:  Grande Prémio de Abu Dhabi (Round 21 de 21)

Data:  Domingo, 25 de Novembro

Local:  Yas Marina Circuit, em Abu Dhabi, EAU

Layout:  5,554 quilómetros, 21 curvas

Condições Climatéricas:  Parcialmente encoberto e aguaceiro ligeiro

Temperatura do Ar:  24,9-33,2ºC

Temperatura da Pista:  28,2-34,8ºC

Vencedor:  Lewis Hamilton da Mercedes

Haas F1 Team:

●  Romain Grosjean – arrancou de 7º, terminou em 9º (completou 54/55 voltas)

●  Kevin Magnussen – arrancou de 13º, terminou em 10º (completou 54/55 voltas)

A Haas F1 Team terminou a temporada de 2018 do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 com os dois carros nos pontos, o que aconteceu pela quinta vez esta temporada, uma vez que Romain Grosjean e Kevin Magnussen terminaram em nono e décimo, respectivamente, o Grande Prémio de Abu Dhabi, que se realizou este domingo no Yas Marina Circuit.

 

A Haas F1 Team terminou a terceira temporada num bom quinto lugar no Campeonato de Construtores, batendo a McLaren, sexta, a Force India, sétima, a Sauber, oitava, a Toro Rosso, nona, e a Williams, décima. Os noventa e três pontos conquistados ao longo de 2018 são quase o dobro dos quarenta e sete que marcou o ano passado, o seu segundo ano na categoria.

 

Magnussen terminou o ano com o seu melhor resultado de sempre na Fórmula 1, ao terminar o Campeonato de Pilotos no nono lugar com cinquenta e cinco pontos. O seu anterior melhor foi décimo primeiro no seu ano de estreia, quando marcou cinquenta e cinco pontos. Grosjean terminou em décimo quarto com trinta e sete pontos.

 

A Haas F1 Team dividiu as estratégias para a corrida de cinquenta e cinco voltas ao circuito de 5,554 quilómetros e vinte e uma curvas. Grosjean arrancou com os pneus Pirelli P Zero Cor de Rosa/Hipermacio que usou na Q3 da qualificação de ontem para assegurar o sétimo lugar da grelha de partida, ao passo que Magnussen optou pelos mais duráveis supermacios para iniciar a sua corrida a partir de décimo terceiro.

 

Na primeira volta, Grosjean foi empurrado pelo Renault de Nico Hulkenberg na esquerda da chicane, curvas oito e nove. Hulkenberg foi então, para fora de pista e para fora da corrida, o que chamou à pista o Safety-Car. Grosjean susteve ligeiros danos na frente do seu Haas VF-18, mas pôde continuar e manter a sua posição nas primeiras voltas.

 

Magnussen, entretanto, foi forçado a abrir a sua trajectória na primeira curva da primeira volta e perdeu uma posição, caindo mais dois lugares, quando teve de circunavegar o incidente de Grosjean e Hulkenberg. Magnussen ultrapassou por fora o Williams de Lance Stroll, subindo a décimo quinto, quando a corrida foi retomada.

 

Tanto Grosjean como Magnussen ganharam uma posição, quando Kimi Raikkonen, da Ferrari, perdeu potência na recta da meta e parou, provocando uma situação de Safety-Car Virtual. Grosjean entrou nas boxes, juntamente com outros pilotos. Grosjean trocou os hipermacios por supermacios que o levariam até ao final da corrida. Grosjean recomeçou do décimo oitavo lugar na nona volta, mas rapidamente ganhou uma posição, quando suplantou o Toro Rosso de Brendon Hartley. Magnussen, por seu lado, manteve-se em décimo segundo.

 

Grosjean, gradualmente, foi subindo até chegar aos dez primeiros, o que ele conseguiu na quadragésima segunda volta, depois de Magnussen ter realizado a sua paragem nas boxes para montar um jogo de ultramacios. Magnussen caiu para décimo segundo, depois de ter passado pelas boxes, mas graças aos problemas dos outros, foi-lhe possível juntar-se a Grosjean entre os dez primeiros, depois de Esteban Ocon ter sido forçado a abandonar o seu Force India, quando estava cumpridas quarenta e quatro voltas e de Pierre Gasly ter colocado o seu Toro Rosso do outro lado das barreiras, estavam completadas quarenta e seis voltas.

 

O duo da Haas F1 Team manteve as suas posições nas nove voltas finais, terminando ambos nos pontos pela segunda vez consecutiva, depois de Grosjean ter terminado em oitavo e Magnussen em nono o Grande Prémio do Brasil.

 

Lewis Hamilton venceu o Grande Prémio de Abu Dhabi, tendo arrancado da pole-position. Foi a septuagésima terceira vitória da carreira do inglês na Fórmula 1, tendo conquistado onze este ano e esta sido a sua quarta vitória no Yas Marina Circuit. Hamilton bateu Sebastian Vettel, da Scuderia Ferrari, por 2,581s.

 

Apesar de Abu Dhabi marcar o final de temporada, o Campeonato de Pilotos foi conquistado por Hamilton há três corridas, o Grande Prémio do México. A Mercedes assegurou o Campeonato de Construtores no Grande Prémio do Brasil.

 

A última corrida de 2018 representou a derradeira corrida de Fórmula 1 para Fernando Alonso, uma das maiores estrelas da categoria. Alonso termina a sua carreira de dezassete anos na Fórmula 1, tendo arrancado por trezentas e onze vezes, incluindo trinta e duas vitórias, noventa e sete pódios, vinte e duas pole-positions e liderou 1764 voltas, tendo conquistado dois títulos, em 2005 e 2006 com a Renault. Pilotou o seu McLaren até ao décimo primeiro lugar no Grande Prémio de Abu Dhabi.

 

Com a temporada de 2018 oficialmente terminada, as equipas apontam a sua atenção totalmente para 2019. Com o primeiro Grande Prémio, o da Austrália, agendado para 17 de Março, existe muito trabalho a realizar no defeso, com os testes de pré-temporada a serem realizados entre os dias 18 e 21 de Fevereiro e 26 de Fevereiro e 1 de Março no Circuit de Barcelona – Catalunya, quando haverá um vislumbre do equilíbrio de forças para a septuagésima temporada de Fórmula 1.

Foi complicado, depois dos danos da primeira volta. Obviamente, houve alguns pequenos danos na asa dianteira e talvez mais. Estou satisfeito por o Nico (Hulkenberg) estar bem. O carro não estava fácil de pilotar, hoje, mas estou muito satisfeito por o Kevin ter terminado em décimo hoje, portanto, ambos terminámos nos pontos. Temos uma boa relação na equipa. Estamos satisfeitos por estar juntos e por a equipa ter terminado com ambos os pilotos nos pontos. Obviamente, queremos sempre mais, e penso que era possível, hoje. Mas considerando os danos no carro, estou satisfeito por termos terminando onde terminámos.”

Estou muito satisfeito com a minha temporada. É fácil esquecer a juventude desta equipa. Estamos apenas no nosso terceiro ano. Este ano traçámos como objectivo dar um passo em frente, que para nós seria terminar em sétimo o campeonato. Mas conseguimos confortavelmente o quinto. Foi um bom ano. Lutámos com a Renault e a Force India até ao fim. Estou muito satisfeito por isso. Este ano excedeu as expectativas.”

É bom chegar ao fim da temporada e marcar pontos com ambos os carros. Foi nono e décimo, mas não podíamos apanhar ninguém no campeonato. É um bom resultado para a equipa e para ir para esta curta pausa. Podemos celebrar o quinto lugar no Campeonato de Construtores, o que é um grande feito para uma jovem equipa. Estamos satisfeitos com isso. Para o ano voltaremos mais fortes.”

O Campeonato Mundial de Fórmula 1 de 2019 inicia-se a 17 de Março, com Grande Prémio do Austrália, que se realiza em Melbourne. Mas antes dos carros se fazerem ao circuito de Albert Park, de 5,303 quilómetros e dezasseis curvas, passarão duas semanas em testes no Circuit de Barcelona – Catalunya. Durante dois testes de quatro dias no palco do Grande Prémio de Espanha – entre 18 e 21 de Fevereiro e entre 26 de Fevereiro e 1 de Março – as equipas desenvolverão os seus carros de 2019 no circuito de 4,655 quilómetros e dezasseis curvas.

A Haas F1 Team estreou-se em 2016 no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, tornando-se na primeira equipa de Fórmula 1 americana desde 1986. Fundada pelo industrialista Gene Haas, a Haas F1 Team está sediada nos Estados Unidos da América em Kannpolis, América do Norte, o mesmo centro onde está baseada a sua equipa Campeã na NASCAR Spint Cup Series, Stewart-Haas Racing. Haas é o fundador da Haas Automation, a maior construtora de máquinas CNC da América do Norte e o presidente da Haas F1 Team.

 

 

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com, , on Facebook at www.Facebook.com/HaasAutomationInc, on Twitter @Haas_Automation and on Instagram @Haas_Automation.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal. 


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos