Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2019 - GRANDE PRÉMIO DO MÓNACO - SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

Terça, 28 Maio 2019 20:47 | Actualizado em Terça, 22 Outubro 2019 20:51

GRAN  DE  PRÉMIO DO MÓNACO 2019 – CORRIDA

 

UMA MAGISTRAL GESTÃO DOS PNEUS DE COMPOSTO MÉDIO, ASSEGURA A VITÓRIA DE LEWIS HAMILTON



 O próprio Lewis Hamilton resume o Grande Prémio do Mónaco como “a corrida mais dura da sua trajetória”, após a sua vitória depois de uma estratégia de uma só paragem, trocando de pneus Macios para Médios durante a interrupção com o Safety Car. O piloto da Mercedes teve que controlar o seu ritmo e o dos seus rivais a partir deste momento até à bandeira de xadrez, com o composto amarelo contra alguns opositores que selecionaram uma opção com mais durabilidade.

MOMENTOS 'CHAVE' DA CORRIDA

    • O Safety Car entrou na pista na volta 11 para dar tempo aos comissários para recolher os restos do Ferrari de Charles Leclerc, que colidiu com um rival quando tencionava recuperar posições, vindo de trás. A maior parte dos pilotos da frente aproveitaram esta ocasião para realizar o seu Pit Stop.
    • O líder, Hamilton, colocou o composto Médio. Após esta série de paragens, o Red Bull de Max Verstappen (que recuperou a segunda posição após paragem para montar o composto duro, foi sancionado com cinco segundos após o final da corrida, um facto que deu um novo ímpeto à sua pilotagem.
    • O piloto da Mercedes, Valtteri Bottas, terceiro classificado final, viu-se obrigado a realizar uma segunda paragem durante a presença do Safety Car, após furar o pneu contra o Red Bull de Verstappen, incidente que provocou a penalização do Holandês.
    • Hamilton geriu o seu ritmo nas voltas restantes do Grande Prémio com o objetivo de alargar ao máximo a vida dos seus pneus  Médios, sempre seguido de perto por Verstappen.
    • O Red Bull de Pierre Gasly realizou uma paragem nas voltas finais da corrida  para colocar pneus macios, uma eleição que não colocou em xeque o seu quinto lugar e o ajudou a alcançar o ponto extra da volta mais rápida da corrida
    .

COMPORTAMENTO DOS PNEUS

    • DURO C3: utilizado por todos os presentes no pódio, exceto Hamilton, que demonstrou um excelente equilibrio entre durabilidade e prestações, o que realizou é a escolha idónea para o Segundo turno da corrida.
    • MÉDIO C4: Hamilton completou a maior parte da prova com este composto, gerindo um certo grau de granulação nos pneus dianteiros, mas apoiando-se  com a grande tração dos pneus traseiros para manter os  seus rivais à distância.
    • MACIO C5: Utilizado pela maioria dos pilotos no inicio, e em particular pelo Haas de Romain Grosjean, que chegou a completar cinquenta voltas com eles​
    .

MARIO ISOLA, RESPONSÁVEL DE F1 E COMPETICÃO AUTOMÓVEL DA PIRELLI

“Assistimos a um Grande Prémio apaixonante, marcado pela incerteza das condições meteorológicas e pelo grande duelo entre Hamilton e Verstappen. Estiveram tão perto um do outro que chegaram a regisrtar um pequeno contacto nas voltas finais. O piloto Inglês geriu com grande efetividade um composto mais macio que o dos seus rivais, completando 66 voltas com um jogo de médios, após paragem para aproveitar a entrada do Safety Car na pista, um momento chave da prova. A decisão da Ferrari em montar o Duro no carro de Vettel, assegurou a sua posição no pódio, enquanto os dotes de Hamilton para poupar os seus pneus, bindaram-no com uma vitória em que Niki Lauda teria ficado orgulhoso”.



Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos