Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2019 - GRANDE PRÉMIO CANADÁ - SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

Domingo, 09 Junho 2019 12:03 | Actualizado em Terça, 15 Outubro 2019 08:21

GRANDE PRÉMIO DO CANADÁ 2019 – ANTEVISÃO

 

O REGRESSO DOS P ZERO DE F1 MAIS MACIOS



 Tal como no Mónaco, o circuito de Gilles Villeneuve em Montreal não é um circuito permanente, e também como no principado, os pneus escolhidos para o fim de semana são os mais macios da gama P Zero de Fórmula 1: o C3 (duro), o C4 (médio) e o C5 (macio). No entanto, aqui terminam as semelhanças entre ambos os traçados. O circuito Canadiense é um dos mais aguardados do ano, porque esconde um grande desafio e marca a segunda presença anual do composto mais macio da gama de 2019.

Características da pista

  • ·       Montreal é um circuito semipermanente com um asfalto suave que aproveita as estradas do parque Jean Drapeau, abertas ao publico para a realização de atividades recreacionais ao longo do ano. Por isso, falamos de uma superficie especialmente “verde” e escorregadia no inicio do fim de semana, e com um elevado grau de evolução à medida que a borracha se fixa no pavimento.

    ·       A chave para o Canadá  é a tração e travagem, logo o aquecimento dos pneus dianteiros será um desafio. As escapatórias não são muito grandes, pelo que a presença do Safety Car é recorrente na pista, e claro pode condicionar as estratégias.

    ·       A meteorologia é variável com temperaturas frias e chuva frequente nesta época do ano (em 2011, as interrupções pela bandeira vermelha converteram esta prova na mais longa da história da F1, com uma duração superior a quatro horas). Como consequência do frio, os monolugares podem sofrer alguma granulação, especialmente no inicio do fim de semana

    ·       A diferença referente ao Mónaco está nas ultrapassagens, no Canadá as oportunidades são muito maiores. O traçado regista uma média de velocidade mais elevada, devido às longas retas e travagens fortes. Portanto, esta pista é muito exigente para os travões, um detalhe que as equipas devem ter especial atenção.

    No ano passado registaram-se uma grande variedade de estratégias (embora a maioria tenha realizado uma paragem), numa corrida afetada pela entrada prematura de um Safety car. Os dois primeiros classificados no final da prova ( e também da grelha) não iniciaram com o composto mais macio disponível, uma história que poderá repetir-se este fim de semana. Sebastian Vettel (Ferrari) e Valtteri Bottas (Mercedes) iniciaram com o ultramacio (quase equivalente ao atual C4) antes de passar para o supermacio (opção extinta na gama  de 2019).

Mario Isola – Responsável da Pirelli F1 e desporto automóvel

"A nossa nomeação para o Canadá é, em certa forma, quase idêntica ao ano passado, em que o hipermacio fez a sua segunda aparição anual após Montecarlo. A grande diferença está no composto identificado com a cor branca, que será mais duro que o de 2018, pois não há equivalente à supermacio, então as opções ampliam-se. Embora estejamos com a mesma designação de pneus que o Mónaco, algumas equipes compararam Montreal a Baku, onde optamos por uma seleção mais dura, devido às altas velocidades, longas retas e o desafio de equilibrar temperaturas entre o eixo dianteiro e posterior dos monolugares. Montreal é também um teste com grande variedade em termos estratégicos, de ação em pista e meteorologia. Portanto as equipes devem acumular o máximo de dados possíveis na sexta-feira para reagir a possíveis mudanças nas circunstâncias".

Outras informações Pirelli

  • ·       A diferenca para o Mónaco, onde as equipas optaram maioritariamente por mais  jogos do composto vermelho, para Montreal optaram por mais jogos de composto duro e médio. Especificamente, a Ferrari optou por cinco jogos amarelos, mais do que qualquer outro jogo na grelha. Isso pode indicar que algumas equipas estão a planear utilizá-lo na Q2 e  consequentemente, iniciar  a corrida no domingo.

    ·       Canadá é um dos Grandes Prémios onde a Pirelli dá o “naming” da prova, tal como em França. Por isso, o fabricante Italiano terá uma presença destacada no Formula 1 Fan Festival que acontecerá no sábado em Chicago.

    ·       A Pirelli completou com éxito dois días de treinos com os pneus prototipo de chuva 2020 em Paul Ricard, França, com a participação da Ferrari e Red Bull. As próximas provas de desenvolvimento, centradas nos Slicks, realizam-se após o Grande Prémio da Austria.

    Oliver Solberg, filho do campeão mundial de Ralis Petter Solberg (obtido em 2003 ao volante de um SUBARU calçado com pneus Pirelli) converteu-se recentemente no mais jovem vencedor de um Rali FIA com 17 anos. Oliver logrou esta proeza na prova da Letónia do ERC, ao volante de um Volkswagen Polo equipado com pneus  do P longo.

    .

 


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos