Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2019 - GRANDE PRÉMIO DA HUNGRIA - SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

Sexta, 02 Agosto 2019 07:37 | Actualizado em Terça, 15 Outubro 2019 19:10

GRANDE PRÉMIO DA HUNGRIA DE 2019 – ANTEVISÃO

 

O  ‘CIRCUITO DE KARTS’ DA FÓRMULA 1

 

 

 A grande maioria dos pilotos iniciam as corridas no mundo do karting, uma categoría que irá recordar no estreito e revirado circuito de Hungaroring, um traçado localizado perto de Budapeste e que conta, entre outros detalhes, com a média de velocidade mais baixa dos circuitos permanentes do calendário. Mas isto, não implica necessariamente que os pneus tenham uma tarefa fácil neste circuito, já que a interminável sucessão de curvas apenas abre espaço para os compostos descansarem.  Por tudo isto, a Pirelli optou para a Hungria pelos compostos da zona média da gama: C2 (duro), C3 (médio) e C4 (macio). 

CARACTERÍSTICAS DA PISTA

  • Hungaroring, define-se pelas curvas, muitas de elas lentas e, a maioria encadeadas. Como consequência, os pneus estão a trabalhar constantemente, sem retas para arrefecer as bandas de rodagem.
  • Las temperaturas médias estão entre as mais elevadas da época, o que incrementará certamente a degradação térmica. A partir  do interior do cockpit, os pilotos não terão a vida fácil, já que as baixas velocidades médias (além da situação geográfica do traçado, localizado numa área geográfica que se assemelha à base de um prato) reduzem o fluxo de ar sob o monolugar.
  • O desgaste e a degradação são bastante baixas. A nomeação dos compostos é quase idêntica à da última época, quando os eleitos foram os de composto médio, macio e supermacio. O C2 deste ano (duro) é um pouco mais macio do que o médio de 2018, e é uma opção já conhecida por todas as equipes e pilotos. A combinação enviada para Hungaroring foi selecionada em nove das 11 corridas realizadas até esta data.
  • As equipes apostam para esta pista nas afinações para elevada carga aerodinâmica, de modo a aumentar o apoio na longa sucessão de curvas. Tudo somado, a aderência mecânica dos pneus também  é igualmente importante.
  • A estratégia vencedora em 2018 foi de uma única paragem, com o Mercedes de Lewis Hamilton como protagonista. Neste caso, ele mudou de ultramacio para macio na volta 25 (de 70) mesmo sem precisar da opção mais dura. O Ferrari de Sebastian Vettel cruzou a linha de chegada no segundo lugar com uma tática alternativa, também com uma paragem (do macio para o ultramacio), enquanto o seu parceiro de equipe, Kimi Räikkönen terminou no terceiro lugar depois de visitar as boxes por duas vezes. Em suma, três estratégias diferentes entre os pilotos do pódio.
  • A volta mais rápida segue nas mãos de Michael Schumacher desde 2004. Será que os pilotos de 2019, conseguem bater esta marca este fim de semana?

MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL PIRELLI F1 E COMPETIÇÃO AUTOMÓVEL

“A Hungria marca o último Grande Prémio antes das férias de verão, e fá-lo com um desafio interessante, tanto fisicamente quanto estrategicamente. Aqui, as ultrapassagens são complicadas porque a pista é estreita - fora da qual é muito fácil perder o controlo e sair de pista – assim, a posição na pista é fundamental, algo a considerar ao definir a estratégia correta. Hungaroring é o lugar típico onde uma boa tática, juntamente com um carro muito ágil em curva, pode levar a uma surpresa, como já comprovámos por algumas ocasiões nos últimos tempos. Em 2018, com uma nomeação de compostos quase idêntica à atual, surgiram diferentes opções estratégicas após uma sessão de classificação marcada pela chuva. Espero que possamos assistir da mesma variedade tática ao longo deste fim de semana”.

OUTRAS INFORMAÇÕES PIRELLI

  • A equipa GPX Racing, que alinha com um Porsche 911, impôs-se nas 24 Horas de Spa, que ocorreram no passado fim de semana. Este evento é o maior da época para a Pirelli no que respeita ao fornecimento de pneus.
  • Em paralelo ao Grande Prémio da Hungria celebra-se o Rally da Finlandia, a ronda mais veloz do Campeonato do Mundo de Ralis, e a penúltima do Junior WRC, classe equipada em exclusivo pela Pirelli.
  • Hungaroring acolherá, em meados de setembro, uma das sessões de testes com os pneus Pirelli de Fórmula 2 que serão utilizados a partir de 2020. Este teste será após ao que se realizará em Paul Ricard na primeira semana de agosto.


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos