Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2019 - GRANDE PRÉMIO DE ITÁLIA - SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

Quarta, 11 Setembro 2019 08:30 | Actualizado em Segunda, 23 Setembro 2019 08:37

GRANDE PRÉMIO DE ITÁLIA
 
CHARLES LECLERC IMPÕE-SE  DESDE
A POLE COM UMA ESTRATÉGIA
 EXCLUSIVA DE MACIO-DURO
 
 
O piloto da Ferrari, Charles Leclerc, logrou em Monza a sua segunda vitória consecutiva a partir da pole position utilizando para isso uma estratégia de pneus macio-duro, o único dos  favoritos a optar por esta tática. O monegasco deu à Scuderia o seu primeiro triunfo na  corrida em sua casa desde 2010, e conseguiu lidar com a constante pressão dos dois Mercedes, que optaram pela opção Macio – Médio para terminaram e cruzaram a meta em segundo e terceiro lugar.
PRINCIPAIS MOMENTOS DO GRANDE PRÉMIO
Lewis Hamilton e a  Mercedes lançaram um ‘undercut’ a Leclerc, parando nas boxes uma volta antes de ele para montar o composto médio. Apesar disso, o ritmo do monegasco foi suficiente para permitir que regressasse do pit-lane na liderança, após efetuar a sua única troca de pneus para montar pneus com o composto duro, estes que defenderam a sua liderança até à bandeira de xadrez.
Hamilton marcou a volta  rápida do Grande Prémio, após realizar um segundo pit-stop na reta final da corrida, cedendo a Valtteri Bottas o testemunho de perseguidor a Leclerc.
A corrida foi disputada sobre a pista seca, apesar da intensa chuva que caiu durante a passada madrugada. As temperaturas ambientais e o asfalto foram de 21º e 35º, respetivamente.
Muitos dos líderes sofreram penalizações na grelha, por isso optaram por pneus de composto médio para o seu primeiro turno. Um de eles foi o Red Bull de Max Verstappen, que apesar de ter iniciado de último e ter realizado duas paragens (uma  de elas não prevista) cruzou a linha de meta em oitavo lugar. O Racing Point de Sergio Pérez, 18º na grelha devido à troca do motor, foi sétimo.
COMPORTAMENTO DOS PNEUS
DURO C2: utilizado pelos dois Ferrari, foi bastante eficaz para Leclerc, que aproveitou a sua consistência e durabilidade para ganhar a corrida apesar da intensa pressão dos Mercedes.
MEDIO C3: fundamental para todos os pilotos que saíram nas posições atrasadas, em consequência do resultado das penalizações na grelha. De facto, foi a única escolha do 14º lugar para trás.
MACIO C4: A primeira parte da grelha optou por este composto para o primeiro turno, que a maioria seguiu a estratégia macio-médio, tática prevista como a mais veloz. Durante o Grande Prémio, todos os pilotos, exceto Lando Norris e George Russell, montaram-no em algum momento..
MARIO ISOLA, RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1 E COMPETIÇÃO AUTOMÓVEL
"In dry conditions, the majority of drivers could execute the predicted one-stop strategy, with the central battle for most of the race being between the soft-hard strategy from Ferrari and Leclerc versus the soft-medium 'undercut' from Mercedes and Lewis Hamilton. Both drivers delivered an excellent battle all the way to the finish, with Valtteri Bottas joining in as well. We saw some impressive stints even from the soft tyres, with several drivers hanging onto their original set of starting softs well into the second half of the race; helped also by a couple of virtual safety car periods. Congratulations to Charles Leclerc and Ferrari for a memorable home victory, as well as to Renault for getting two cars into the top five, not to mention Alfa Romeo's Antonio Giovinazzi for his best race result."
MELHORES TEMPOS POR COMPOSTO

TURNOS MAIS LONGOS DA CORRIDA POR COMPOSTO​

PIT STOP SUMMARY

    

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos