Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - GRANDE PRÉMIO DA RUSSIA - SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

Quarta, 02 Outubro 2019 10:15 | Actualizado em Segunda, 21 Outubro 2019 01:18

GRANDE  PRÉMIO DA RÚSSIA

 

HAMILTON VENCE COM UMA PARAGEM APÓS UM TENSO

DUELO DE ESTRATÉGIAS

 

 O Mercedes de Lewis Hamilton impôs-se no Grande Prémio da Rússia com uma estratégia de apenas uma paragem, ao trocar de composto Médio para Macio com a presença do Safety Car virtual. O Britânico que arrancou da segunda posição da grelha, precedeu no pódio ao seu companheiro de equipa – Valtteri Bottas, que optou pela mesma estratégia. Atrás de eles registaram-se uma grande variedade de táticas de corrida, que foi neutralizada pelo Safety Car por duas ocasiões – A primeira após a saída e uma segunda a meio da corrida.

MOMENTOS CHAVE DO GRANDE PRÉMIO

  • Mercedes foi a única equipa do top 10 da grelha que iniciou com pneus médios. A Ferrari optou  por uma tática distinta, ao iniciar com o composto macio.
  • O primeiro turno dos pilotos Mercedes foi, em consequencia, mais longa que os da Ferrari, mais,  foram capazes de tirar proveito da presença do Safety car para fazer a sua única paragem, e trocar para o composto macio.
  • Ao estar na terceira posição após as paragens dos Mercedes, Charles Leclerc efectuou uma segunda visita ao Pit Lane para regressar ao pneu macio, troca realizada sob o Safety Car.
  • Hoje, o piloto que recuperou mais posições foi o Red Bull de Alex Albon, que iniciou do Pit Lane e concluiu na quinta posição. No decurso da sua recuperação efetuou uma única troca de pneus, de composto Médio ao Macio.
  • Registaram-se uma grande variedade de combinações de pneus  Macios e Médios no inicio. A única exceção à norma foi o Toro Rosso de Daniil Kvyat, que iniciou a corrida “da sua casa” a partir do fim da grelha com o composto duro.
  • Embora a previsão da estratégia mais rápida fosse a de uma única paragem, quatro dos quinze primeiros pararam duas vezes, incluindo Leclerc, que ficou em terceiro. Os Safety Cars têm uma boa parte de responsabilidade.

COMPORTAMENTO DOS PNEUS

  • DURO C2: Pensou-se nele como opção para o segundo turno, mas, apenas três pilotos o utilizaram, dado a grande resistência dos compostos Médio e Macio.
  • MEDIO C3: Fundamental na vitória de Hamilton. A sua baixa degradação permitiu que aqueles, como o Inglês, tivessem saído com ele para prolongar o turno e manter abertas as opções para um bom resultado.
  • MACIO C4: Protagonista de alguns turnos longos, em particular o do Red Bull de Max Verstappen. De facto,  este composto teve um papel importante na recuperação da nona para a quarta posição final. Hamilton utilizou este composto para estabelecer a volta mais rápida da corrida na parte final da mesma..

MARIO ISOLA, RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1 E COMPETIÇÃO AUTOMÓVEL 

“Hoje, as estratégias foram decisivas na corrida, com diferentes opções entre a Mercedes e a Ferrari que fizeram a emoção crescer, principalmente devido às variantes de Charles Leclerc para superar os seus rivais. O composto Médio escolhido pela Mercedes deu-lhes uma vantagem sob a forma de flexibilidade, mas o que talvez mais surpreendeu foi longevidade do composto macio. Este funcionou melhor graças às temperaturas mais baixas de hoje, o que o tornou menos suscetível à granulação. As duas interrupções do Safety Car foram essenciais na corrida, minimizando a degradação e o desgaste durante bastante tempo, além de proporcionar avançar as respetivas trocas e recuperar tempo. Para a Rússia optámos por uma escolha mais dura do que em 2018, o que permitiu que os pilotos atacassem a fundo desde o início até o fim em cada turno, em vez de se concentrarem em gerir o seu ritmo”.

MELHOR TEMPO POR COMPOSTO

TURNOS MAIS LONGOS DA CORRIDA



Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos