Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO DO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2018 - A HAAS NO GP DO MONACO

Sábado, 26 Maio 2018 22:48 | Actualizado em Terça, 11 Dezembro 2018 17:37

Evento:  1ª e 2ª Sessões de Treinos-Livres

Data:  Quinta-Feira, 24 de Maio

Local:  Circuit de Monaco

Layout:  3,337 quilómetros, 19 curvas

Condições Climatéricas na 1ª Sessão:  Parcialmente encoberto

Temperatura do Ar na 1ª Sessão:  21,2-22,9ºC

Temperatura da Pista na 1ª Sessão:  32,4-38;2ºC

Condições Climatéricas na 2ª Sessão:  Parcialmente encoberto

Temperatura do Ar na 2ª Sessão:  21,3-23,9ºC

Temperatura da Pista na 2ª Sessão:  34,2-42,1ºC

Pilotos:  Romain Grosjean e Kevin Magnussen

 

 

 

Grosjean:  9º (1m13,943s), 24 voltas

Magnussen:  20º (1m18,801s), 7 voltas

Piloto Mais Rápido:  Daniel Ricciardo da Red Bull (1m12,126s)

Mais Voltas Completadas:  Brendon Hartley da Toro Rosso (46)

 

 

 

Magnussen:  16º (1m13,572s), 41 voltas

Grosjean:  18º (1m13,763s), 37 voltas

Piloto Mais Rápido:  Daniel Ricciardo da Red Bull (1m11,841s)

Mais Voltas Completadas:  Brendon Hartley da Toro Rosso e Esteban Ocon da Force India (47)

 

 

 

A sexta ronda do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 iniciou-se esta quinta-feira no Circuit de Mónaco, tendo as equipas preparado o septuagésimo sexto Grande Prémio do Mónaco, que se realiza no domingo.

 

As duas sessões de noventa minutos no circuito de 3,337 quilómetros e dezanove curvas permitiram aos pilotos metodicamente aumentar a velocidade e descer os seus tempos num circuito que se manteve largamente inalterado desde a sua estreia, em 1929.

 

Os pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, enfrentaram a adversidade, cada um com desfechos diferentes. Depois uma volta de instalação com pneus Pirelli P Zero Roxo/Ultramacio, as suas séries de voltas tornaram-se problemáticas.

 

Magnussen completou apenas sete voltas até que uma dificuldade no sistema de alimentação o atirou para a boxe. Acabou a sessão no vigésimo lugar, com uma volta realizada em 1m18,801s realizada na sua sexta passagem pela linha de meta.

 

Grosjean perdeu cinquenta valiosos minutos de pista, depois de ter roçado nos muros na Curva da Tabacaria (12), no final da sua primeira série de voltas. Foi necessário trocar o fundo plano do seu Haas VF-18 e, depois da demorada substituição ter sido efectuada, apenas dez minutos de sessão restavam. Grosjean tirou o máximo de partido desse tempo, assinando o seu melhor tempo, 1m13,943s, na sua vigésima quarta passagem pela linha de meta, o que o colocou no nono posto.

 

O duo da Red Bull, Daniel Ricciardo e Max Verstappen, lideraram o caminho na primeira sessão, tendo Ricciardo, com o registo de 1m12,126s, a bater o seu colega de equipa por 0,154s e a melhorar o anterior recorde da pista, 1m12,178s, obtido por Kimi Raikkonen, da Scuderia Ferrari, na qualificação para o Grande Prémio do Mónaco do ano passado.

 

A segunda sessão continuour a ser frustrante para a Haas F1 Team, mas por razões diferentes. O tráfego na mais curta pista do calendário de Fórmula 1 conspirou contra ambos os pilotos, tendo cada um deles sentido dificuldades em encontrar uma volta limpa. Um período de quinze minutos de bandeira vermelha para fixar uma tampa de saneamento também limitou o tempo de pista.

 

Apesar de todas as contrariedades, ambos conseguiram melhorar os seus tempos da primeira sessão. Magnussen registou o décimo sexto tempo, 1m13,572s, melhorando a sua marca matinal em 5,229s . Grosjean terminou em décimo oitavo, 1m13,763s, baixando o seu tempo da manhã em 0,180s.

 

Os pneus hipermacios foram a escolhas de ambos os pilotos para realizar as suas melhores voltas. Magnussen registou o seu melhor crono na sua vigésima primeira passagem pela linha de meta, ao passo que Grosjean realizou o seu tempo na vigésima segunda. Magnussen iniciou a segunda sessão com supermacios, completando treze voltas para depois mudar para hipermacios. Grosjean escolheu os ultramacios para iniciar a sessão, marcando dez voltas com hipermacios. Magnussen somou quarenta e duas voltas na segunda sessão e Grosjean trinta e sete.

 

Ricciardo e Verstappen mantiveram-se no topo da tabela de tempos na segunda sessão. A melhor volta de Ricciardo, 1m11,841s, representa um novo recorde, batendo Verstappen por 0,194s.

 

No cômputo das duas sessões, a Haas F1 Team completou cento e nove voltas – sessenta e uma voltas através de Grosjean e quarenta e oito pelas de Magnussen.

 

 

 

Não conseguimos encontrar o melhor equilíbrio para o carro e não encontrámos a aderência que queríamos ter aqui nesta pista. Obviamente, não estamos satisfeitos com as nossas posições. Esperamos que consigamos colocar os pneus a funcionar melhor, aproveitar a sua aderência, e então a performance deverá melhorar significativamente. Para já, não parece que consigamos passar à Q3, mas temos de encontrar aderência na pista. Estou seguro que os engenheiros vão trabalhar arduamente e colocar os pneus na janela de funcionamento e assegurar que conseguimos ter aderência com eles. Se o conseguirmos, o carro tem sido bom em todo o lado, portanto, não vejo motivos para não sermos competitivos.”

 

 

 

Obviamente, não estamos onde gostaríamos, hoje, no que diz respeito a ritmo e, também, no que diz respeito ao pouco tempo de pista que tivemos na primeira sessão. Espero ter um sábado melhor. Temos muito tempo para trabalhar no carro, tendo a folga de sexta-feira, e penso que podemos melhorar a afinação. Esperamos melhorar a situação para a qualificação. O pelotão está muito competitivo, portanto, apesar de estarmos mal classificados, não temos que encontrar muito tempo para avançarmos na classificação.”

 

 

 

Não foi fácil para nós. Tivemos algumas dificuldades na primeira sessão e não tivemos muito tempo em pista. Isso coloca-nos sempre um pouco em desvantagem, dado que os pilotos têm de se habituar e, para isso, têm de fazer voltas. Na segunda sessão, não estivemos onde queríamos, mas penso que de um modo geral sabemos porquê. Temos margem para melhorar e sabemos para onde ir.”

 

 

 

Os pilotos terão mais uma sessão de treinos-livres no sábado (12h00-13h00) antes do início da qualificação, às 15h00. A qualificação consiste em três segmentos, com os dezasseis mais rápidos da Q1 a passarem para a Q2. Os dez mais rápidos da Q2 avançam para a Q3, onde disputam a pole-position.

 

 

 

A Haas F1 Team estreou-se em 2016 no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, tornando-se na primeira equipa de Fórmula 1 americana desde 1986. Fundada pelo industrialista Gene Haas, a Haas F1 Team está sediada nos Estados Unidos da América em Kannpolis, América do Norte, o mesmo centro onde está baseada a sua equipa Campeã na NASCAR Spint Cup Series, Stewart-Haas Racing. Haas é o fundador da Haas Automation, a maior construtora de máquinas CNC da América do Norte e o presidente da Haas F1 Team.

 

 

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com, , on Facebook at www.Facebook.com/HaasAutomationInc, on Twitter @Haas_Automation and on Instagram @Haas_Automation.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal.

 


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos