Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2018 - HAAS NO GP INGLATERRA

Quinta, 05 Julho 2018 20:54 | Actualizado em Domingo, 22 Julho 2018 11:07

Silverstone Aqui Vamos Nós

Wow! A Haas F1 Team Está em 5º do Campeonato de Construtores

 

 Apenas no seu terceiro ano a competir no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, a Haas F1 Team está num impressionante quinto lugar no Campeonato de Construtores, após nove corridas das vinte e uma do calendário. Os quarenta e nove pontos somados esta temporada ultrapassam o total do ano passado, quando terminou no oitavo lugar.

 

Romain Grosjean e Kevin Magnussen ofereceram à Haas F1 Team o seu melhor resultado de conjunto no passado domingo, no Grande Prémio da Áustria, onde Grosjean e Magnussen terminaram em quarto e quinto, respectivamente. A soma de vinte e dois pontos permitiu à Haas F1 Team suplantar a Force India e a McLaren no Campeonato de Construtores, ficando com a Renault no horizonte, que ocupa o quarto posto, “o melhor dos outros”, atrás da Scuderia Ferrari, Mercedes e Red Bull. Treze pontos separam a Haas F1 Team da Renault, tendo a equipa americana seis pontos de vantagem para a McLaren, sete para a Force India e trinta sobre a Toro Rosso.

 

Estão ainda doze corridas por disputar em 2018, significando que as vantagens e desvantagens podem ainda ser modificadas até à descida da cortina sobre a septuagésima segunda temporada de Fórmula 1. Isso significa que a equipa apoiada pela Haas Automation não pode dormir à sombra do sucesso.

 

Silverstone é considerado um dos circuitos de potência da Fórmula 1. O traçado de 5,891 quilómetros e dezoito curvas que está situada a cerca de uma viagem de carro de duas horas de Londres, é considerado um circuito de potência. É um dos circuitos rápidos, com médias de cerca de 230Km/h. É o terceiro circuito mais longo do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, apenas atrás do Circuito de Spa-Francorchamps (7,004 quilómetros) e do Circuito Citadino de Baku (6,003 quilómetros). A maior parte do layout de Silverstone é constituída por curvas de média e alta velocidade, permitindo aos pilotos rodarem cerca de sessenta e cinco porcento das voltas com o acelerador no máximo. As equipas rodam com os seus carros em níveis aerodinâmicos médios/altos para que possam negociar da melhor forma as impressionantes velocidades alcançadas nas curvas de Silverstone. Estes níveis de apoio são obtidos porque o circuito tem relativamente poucas rectas longas, muito embora sejam alcançadas velocidades elevadas.

 

As conquistas estão sempre na lista prioritária da Haas F1 Team. Depois de dois oitavos lugares no Campeonato de Construtores nos seus primeiros dois anos de existência, a Haas F1 Team procura subir na hierarquia da Fórmula 1. O fundador e presidente Gene Haas provou isto mesmo quando no início da temporada disse, “Temos de estar a meio segundo da Ferrari para podermos ser competitivos. No ano passado não estivemos. Diria que estávamos a um segundo, segundo e meio dos Ferrari. No geral, deveríamos estar a cerca de dois segundos do tempo das pole-positions, portanto, temos de recuperar meio segundo se quisermos ser competitivos.”

 

Quando estamos a meio de temporada, a mensagem foi recebida. O ritmo evidenciado pela Haas F1 Team no frio dos testes de inverno que foram realizados em Fevereiro e Março no Circuit de Barcelona – Catalunya manteve-se no calor do verão. A fortuna da Haas aumentou com as temperaturas marcadas pelos termómetros e, com a chegada de Julho, não se espera que essa subida pare.

Silverstone Circuit

 

Circuit Length: 5.891 kilometers (3.660 miles)

Laps: 52

Race Distance: 306.198 kilometers (190.263 miles) Broadcast: ESPN (9 a.m. EDT on Sunday, July 8)

 

 

Sobre a Haas Automation, Inc

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com, , on Facebook at www.Facebook.com/HaasAutomationInc, on Twitter @Haas_Automation and on Instagram @Haas_Automation.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal.

 

 

 

Silverstone Circuit

  • Número de voltas: 52
  • Distância de corrida: 306,198 quilómetros
  • Velocidade na via das boxes: 80 Km/h
  • Este circuito de 5,891 quilómetros e 18 curvas alberga a Fórmula 1 desde 1950, tendo no ano passado albergado o seu quadragésimo nono Grande Prémio da Grã-Bretanha.
  • Lewis Hamilton detém o recorde de Silverstone (1m30,621s), realizado em 2017 em Mercedes.
  • Lewis Hamilton detém o recorde da qualificação (1m26,600s), realizado em 2017 em Mercedes durante a Q3.
  • Com velocidades médias de cerca de 230Km/h, Silverstone é considerado um circuito de potência e uma das pistas mais velozes da Fórmula 1. A maioria do seu layout é constituído por curvas de média e alta velocidade, permitindo aos pilotos rodarem cerca de sessenta e cinco porcento da volta com o acelerador no máximo. As equipas colocam nos seus carros níveis de apoio aerodinâmico médio/elevados para poderem enfrentar as altíssimas velocidades em curva. Estes níveis de apoio aerodinâmico são alcançáveis dado que tem poucas rectas longas. As suas curvas de alta produzem ultrapassagens, apesar de complicadas devido às velocidades que os pilotos alcançam.
  • Sabia que: O icónico troféu de ouro oferecido aos vencedores do Grande Prémio de Grã-Bretanha é a Taça RAC, e é o mais antigo prémio oferecido na Fórmula 1. Ao contrário dos restantes troféus, o vencedor não o mantem. É devolvido pouco depois das celebrações do pódio.
  • Sabia que: Silverstone tem 18 curvas e cada uma tem o seu nome e a sua história.
    • Abbey (Cuva 1): Esta curva feita a fundo tem o seu nome devido à antiga Abadia de Luffield, cujas ruínas foram encontradas perto da curva. A abadia foi fundada antes de 1133 e foi fechada pelo Rei Henrique VI em 1493.
    • Farm (Curva 2): Esta lenta esquerda é a zona onde os carros regressam à pista vindo das boxes. As origens do seu nome são simples – perto da recta existia uma quinta.
    • Village (Curva 3): Uma das novas curvas introduzidas em 2010, depois da construção do novo complexo, esta direita deve o seu nome à vila de Silverstone, que se encontra a norte do circuito.
    • The Loop (Curva 4): Esta é a única curva que tem o seu nome devido à sua forma. Os pilotos descrevem-na a 90Km/h, tornando-a na curva mais lenta neste circuito de alta velocidade.
    • Aintree (Curva 5): Famoso por albergar a Grande Corrida Nacional de cavalos, Aintree foi o palco também do Grande Prémio da Grã-Bretanha nos anos cinquenta e nos anos sessenta e, num tributo, esta esquerda que antecipa a Wellington Straigth ostenta o nome dessa pista.
    • Wellington Straight: Anteriormente conhecida como a National Straight, a recta até Brooklands foi rebaptizada em 2010, quando se tornou parte do traçado de Grande Prémio de Silverstone. A Wellington Straigth deve o seu nome aos bombeiros de Wellington, que estavam sediados na pista de aviação de Northamptonshire durante a Segunda Guerra Mundial. A recta tem por base uma das antigas pista de voo.
    • Brooklands (Curva 6): Nos dias antes da guerra, Brooklands era a pista mais importante da Grã-Bretanha. Tem sentido que uma das curvas da casa do automobilismo britânico tenha o nome da antiga pista.
    • Luffield (Curva 7): Tal como Abbey, a longa direita deve o seu nome à Capela de Luffield. Introduzida no layout de Grande Prémio na corrida de 1991, Luffield era originalmente duas curvas distintas, conhecidas como Luffield 1 e Luffield 2.
    • Woodcote (Curva 8): O RAC foi o responsável pela organização das primeiras grandes corridas em Silverstone. Dessa forma, o clube teve muita influência no baptismo de muitas das curvas da pista original. Woodcote, uma direita rápida que antigamente terminava a volta, deve o seu nome ao Parque de Woodcote, um clube no Surrey possuído pelo RAC.
    • Copse (Curva 9): Silverstone é rodeado por campos verdejantes e pequenas bolsas de floresta, conhecidas como bosquetes (copse). A rápida curva de Copse, que foi durante quase sessenta anos a primeira curva do circuito, passa perto de Chapel Copse e de Cheese Copse, daí o seu nome.
    • Maggotts, Becketts and Chapel (Curvas 10-14): Abordadas a cerca de 300Km/h, a mais rápida e icónica sequência de curvas de Silverstone era composta por três curvas distintas até 1991. Hoje, estão interligadas. A secção inicial, Maggotts, foi baptizada devido à proximidade de Maggot Moor. Becketts e Chapel, entretanto, devem os seu nomes à capela medieval St. Thomas à Beckett. que foi construída em memória do arcebispo assassinado de Canterbury e que se situa perto das curvas. A capela foi demolida em 1943 para dar lugar ao aeródromo de Silverstone.
    • Hangar Straight: O uso da Silverstone por parte da Royal Air Force significa que tinha diversos hangares enormes. Dois dos maiores ficavam perto do que se tornou na recta traseira do circuito, onde hoje se alcançam velocidades de cerca de 325Km/h.
    • Stowe (Curva 15): Situada no final da Hangar Straigth, a rápida direita sempre foi um desafio para os pilotos, apesar das diversas alterações ao longo dos anos. Como muitas outras curvas de Silverstone, deve o seu nome às suas proximidades, no caso à Escola de Stowe, que se situa a sul do circuito.
    • Vale (Curva 16): Construído como um aeródromo, Silverstone é plano, e por isso, a zona mais desnivelada, que se encontra entre Stowe e Club, foi nomeada como Vale. No entanto, alguns garantem que o nome se deve simplesmente ao facto de esta porção do circuito se encontrar no distrito de Aylesbury Vale.
    • Club (Curvas 17-18): Club é a última curva do circuito. Tal como Woodcote, Club deve-se ao famoso clube do RAC em Pall Mall, em Londres.
  • Durante o fim-de-semana do Grande Prémio da Grã-Bretanha, as temperaturas mínimas rondarão os 13 a 14ºC e as máximas os 27 a 29ºC. A humidade relativa estará entre os 52% e os 95%. O vento variará entre os 2-21 km/h, raramente excedendo os 27 Km/h.

 

Os pilotos da Haas F1 Team esecolheram os pneus da seguinte forma, para o Grande Prémio da Grã-Bretanha:

  • Grosjean: um jogo de P Zero Azul/Duro, três jogos de P Zero Branco/Médio e nove jogos de P Zero Amarelo/Macio
  • Magnussen: um jogo de P Zero Azul/Duro, três jogos de P Zero Branco/Médio e nove jogos de P Zero Amarelo/Macio


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos