Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2018 - HAAS NO GP INGLATERRA

Sábado, 07 Julho 2018 14:56 | Actualizado em Terça, 11 Dezembro 2018 17:37

Evento:  Primeira e Segunda Sessões de Treinos-Livres

Data:  Sexta-Feira, 6 de Julho

Local:  Silverstone Circuit

Layout:  5,891 quilómetros, 18 curvas

Condições Climatéricas:  Sol

Temperatura do Ar na 1ª Sessão:  19,6-22,5ºC

Temperatura da Pista na 1ª Sessão:  33,6-42ºC

Condições Climatéricas:  Sol

Temperatura do Ar na 2ª Sessão:  25,5-27,6ºC

Temperatura da Pista na 2ª Sessão:  50,3-53,4ºC

Pilotos:  Romain Grosjean e Kevin Magnussen

 

 

 

Grosjean:  7º (1m29,352s), 12 voltas

Magnussen:  14º (1m30,065s), 20 voltas

Pilloto Mais Rápido:  Lewis Hamilton da Mercedes (1m27,487s)

Mais Voltas Completadas:  Pierre Gasly e Brendon Hartley, ambos da Toro Rosso (31)

 

 

 

Magnussen:  12º (1m29,617s), 33 voltas

Grosjean:  Sem tempo

Pilotos Mais Rápidos:  Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari (1m27,552s)

Mais Voltas Completadas:  Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari, Carlos Sainz Jr. da Renault, Sergey Sirotkin da Williams e Brendon Hartley da Toro Rosso (36)

 

 

 

O décimo round do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 de 2018 iniciou-se esta sexta-feira em Silverstone, tendo as equipas começado a preparação do Grande Prémio da Grã-Bretanha, que se realiza no próximo domingo. As duas sessões de noventa minutos realizadas no circuito de 5,891 quilómetros e dezoito curvas foram disputadas sob sol e temperaturas quentes.

 

Os pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, tiveram uma primeira sessão difícil, mais Grosjean que Magnussen,

 

Com cerca de trinta minutos para o final da primeira sessão, Grosjean entrou em pião na rapidíssima curva de Abbey, Curva 1, passando pela escapatória até bater com força na barreira de protecção. Grosjean emergiu sem lesões, mas o mesmo não se pode dizer do seu VF-18. Ficou com danos estruturais no chassis, o que significou que teve que recorrer ao chassis de reserva, o que deixou Grosjean de fora da segunda sessão. Apesar do acidente, Grosjean mostrou-se rápido, mesmo com apenas doze voltas. Com pneus Pirelli P Zero Amarelo/Macio, assegurou a sétima marca, com um registo de 1m29,352s na sua penúltima volta, ficando com o melhor lugar dos outros, atrás dos pilotos das três grandes – Mercedes, Ferrari e Red Bull.

 

Magnussen completou vinte voltas na primeira sessão, acabando na décima quarta posição, com a marca de 1m30,065s, assegurada na sua décima terceira volta. Com duas situações de Safety-Car Virtual – uma devido ao pião de Grosjean e outra nos dez minutos finais devido aos problemas técnicos do Red Bull de Max Verstappen – Magnussen não teve oportunidade de realizar uma série com pouca gasolina no tanque que tanto ele como a equipa queriam que ele fizesse com pneus macios.

 

Lewis Hamilton, da Mercedes, foi o mais rápido da primeira sessão, tendo a sua melhor marca, 1m27,487s, deixado o segundo mais rápido, o seu colega de equipa na Mercedes, Valtteri Bottas, a 0,367s.

 

Com Magnussen como o único representante da Haas F1 Team na segunda sessão, o dinamarquês ficou com o décimo segundo registo, 1m29,617s, melhorando 0,448s relativamente à sua marca matinal. O seu melhor crono foi realizado na décima segunda volta das trinta e três que completou, quando tinha montado pneus macios no seu VF-18.

 

Sebastian Vettel, da Scuderia Ferrari, foi o mais rápido na segunda sessão, batendo Hamilton. A sua melhor volta, 1m27,552s, deixou o inglês a 0,187ss. Os dois estão envolvidos numa batalha intensa pelo Campeonato de Pilotos, estando Vettel na liderança com um ponto de vantagem sobre Hamilton.

 

O recorde de Silverstone é de 1m26,600, realizado o ano passado por Hamilton na Q3, mantendo-se para já intacto.

 

Entre as duas sessões, a Haas F1 Team completou sessenta e cinco voltas – cinquenta e três através de Magnussen e doze de Grosjean.

 

 

 

Não estamos satisfeitos por falhar a segunda sessão, mas foi realizado algum bom trabalho no carro do Kevin. Segui toda a sessão da tarde. Obviamente, vamos tentar fazer o máximo possível na terceira sessão. O carro foi rápido durante a manhã, portanto, penso que deveremos estar bem. Vamos esperar recuperar amanhã e apurar a afinação para a qualificação, quando as temperaturas estiveram altas. Esse será o maior desafio para nós, uma vez que não rodamos com temperaturas elevadas. O Kevin realizou algumas boas séries. Estive a ver o que ele estava a fazer e a tentar tirar partido do seu trabalho.”

 

 

 

O calor foi o mesmo para todos, mas parece que há algo que está a tornar a gestão dos pneus complicada. Colocá-los a funcionar é sempre o mais importante. Os pneus, para todas as equipas, podem ser difíceis de gerir, mas esse é o foco. Penso que amanhã poderemos estar algures entre sétimo e décimo terceiro. Está muito apertado. Temos que nos impor à frente do segundo pelotão, mas penso que está tudo muito aberto. Temos de analisar os dados um pouco mais e aprender com o dia de hoje, dado que não encontrámos muitas respostas nos treinos. Vamos analisar tudo e verificar se conseguimos encontrar algumas respostas.”

 

 

 

O Romain desligou o DRS um pouco tarde de mais na segunda volta lançada e perdeu aderência na traseira, dado que perdeu apoio aerodinâmico e entrou em pião, batendo na barreira. Tivemos de substituir o chassis, dado que tem alguns danos e é mais fácil trocar que reparar. O aspecto positivo é que o Romain foi rápido e sabemos o que aconteceu com o Kevin, portanto, sabemos que ele também pode ser rápido. Estou cuidadosamente optmista para amanhã. Perder um carro na segunda sessão não nos ajudou, mas já estivemos em situações difíceis anteriormente e conseguimos recuperar. No fundo, o carro mostrou bom potencial.”

 

 

 

Os pilotos terão mais uma sessão de treinos-livres no sábado (11h00-12h00, Hora Local) antes do início da qualificação, às 14h00. A qualificação consiste em três segmentos, com os dezasseis mais rápidos da Q1 a passarem para a Q2. Os dez mais rápidos da Q2 avançam para a Q3, onde disputam a pole-position.

 

 

 

A Haas F1 Team estreou-se em 2016 no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, tornando-se na primeira equipa de Fórmula 1 americana desde 1986. Fundada pelo industrialista Gene Haas, a Haas F1 Team está sediada nos Estados Unidos da América em Kannpolis, América do Norte, o mesmo centro onde está baseada a sua equipa Campeã na NASCAR Spint Cup Series, Stewart-Haas Racing. Haas é o fundador da Haas Automation, a maior construtora de máquinas CNC da América do Norte e o presidente da Haas F1 Team.

 

 

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com, , on Facebook at www.Facebook.com/HaasAutomationInc, on Twitter @Haas_Automation and on Instagram @Haas_Automation.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal.


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos