Velocidade Online

Mundial - Ralis

CAMPEONATO MUNDO DE RALIS 2019 - A CITROEN NO RALI DA GRÁ BRETANHA

Domingo, 06 Outubro 2019 09:35 | Actualizado em Terça, 15 Outubro 2019 08:18

CITROËN DETERMINADA EM CONTINUAR  AO ATAQUE EM GALES Rali de Gales Grã-Bretanha (3 a 6 outubro) – Apresentação
 
 
Impulsionada pela dobradinha alcançada no Rali da Turquia, o Citroën Total World Rally Team aborda o Rali de Gales GB com enorme confiança. Respectivamente vencedores e 3ºs classificados na edição de há um ano, Sébastien Ogier/Julien Ingrassia e Esapekka Lappi/Janne Ferm têm como objetivo lutar pela liderança do rali e continuar a subir nos rankings do Campeonato do Mundo.
 
 
Tendo alcançado, no ano passado, a sua quinta vitória no Rali de Gales GB, somando às obtidas em 2013, 2014, 2015 e 2016, a dupla Sébastien Ogier e Julien Ingrassia estabeleceu um novo recorde – ultrapassaram as quatro vitórias alcançadas por Hannu Mikkola e por Petter Solberg – e reforçaram a sua relação muito especial para com este rali. Foi neste palco, no final de 2008, que ambos se estrearam num World Rally Car, então com um C4 WRC, após terem conquistado o título Mundial Júnior desse ano, com um C2 Super 1600. Já então deixariam a sua marca, depois de obterem o melhor tempo no troço de abertura e de liderarem o rali até à 5ª classificativa. Este ano terão como objetivo, sem dúvida alguma, demonstrar a mesma energia e garra aos comandos do C3 WRC. Desta feita, sendo os segundos na saída para a estrada, é improvável que tal se traduza numa grande desvantagem, pois os níveis de aderência tendem a diminuir nas florestas de Gales, à medida que mais carros passam pelos troços. Os sêxtuplos Campeões do Mundo estão, portanto, determinados em aproveitar ao máximo essa sua posição à partida, de modo a reduzir a diferença pontual para os atuais líderes do campeonato.
 
Num rali onde muitos dos seus compatriotas têm desfrutado de enorme sucesso, Esapekka Lappi e Janne Ferm não desperdiçaram tempo em demonstrar a sua apetência pelos troços rápidos florestais do País de Gales, tendo ganho a categoria WRC2 na sua estreia na prova, em 2016. A dupla finlandesa faria ainda melhor na época passada, terminando o rali no 3º lugar e reivindicando duas vitórias em troços, em nova demonstração das suas capacidades neste palco. Naturalmente, na edição deste ano têm esperanças genuínas de garantir um forte

 
 
 
 

 
 
resultado, em especial devido ao elevado nível de confiança no C3 WRC em pisos de terra, confirmado pelas excelentes performances registadas na Finlândia e Turquia. Embora, caso chova, a sua oitava posição na estrada possa não ser a ideal, Lappi e Ferm permanecem determinados em manter a atual boa forma.
 
O Citroën Total World Rally Team desfrutou, recentemente, de uma sessão de testes de três dias no País de Gales, melhorando a capacidade de adaptação do C3 WRC às condições locais e, como é hábito, o tradicional Shakedown da hoje proporcionará uma oportunidade para aperfeiçoar os derradeiros detalhes.
 
O QUE ELES DISSERAM… Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing "Com o Sébastien a partir em segundo para os troços e o Esapekka em oitavo, não teremos, digamos, todos os nossos ovos num único cesto, dependendo também das condições meteorológicas. Mas o objetivo para ambos é, claramente, tirar o melhor partido das suas posições na estrada, para que possamos continuar a subir na classificação do campeonato. O Sébastien já fez o Rali de Gales GB muitas vezes, pelo que a sua experiência conta e pode fazer a diferença; já o Esapekka demonstrou, no ano passado, a sua rápida capacidade de adaptação, alcançando um pódio naquela que foi a sua terceira presença. Acho, assim, que estamos bem equipados para alcançar aqui um forte resultado, em especial porque temos trabalhado bem durante os testes com o C3 WRC. "
 
Sébastien Ogier, Piloto do Citroën Total WRT "O objetivo neste Rali de Gales GB será manter a mesma dinâmica da Turquia e continuar a colocar a máxima pressão possível sobre o Ott. Sempre consegui bons resultados neste rali, pelo que estou determinado em atacar e ter uma palavra dizer no resultado final, em especial porque a ordem de partida aqui não é um problema para os que arrancam na frente. Tem tudo a ver com a correta leitura das mudanças na aderência dos troços e saber lidar com as condições, muitas vezes complicadas, especialmente nas seções de menor aderência. Embora tenha levado algum tempo a descobrir como gerir este rali fora do comum, é agora uma prova de que realmente gosto." Nº de participações na prova: 11 Melhor resultado: 1º lugar (2013, 2014, 2015, 2016 e 2018)
 
Esappeka Lappi, Piloto do Citroën Total WRT "Este rali é um grande teste. Há um pouco de tudo, troços no escuro, no nevoeiro, à chuva e com vento, sendo sempre um sério desafio. Há também que ter alguma coragem, pois as especiais são muito rápidas e fluídas. Um dos fatoreschave será, sem dúvida, ter um carro que não seja muito sensível às mudanças de aderência, pois estas surgem umas atrás das outras. Trabalhámos bem nos testes, embora as estradas estivessem secas. Dada a nossa posição à partida, a chuva seria claramente uma desvantagem. Dito isto, na Turquia tive um bom ‘feeling’ com o meu C3 WRC quando começou a chover na longa especial de sexta-feira."

 
 
 
 

 
 
Nº de participações na prova: 3 Melhor resultado: 3º lugar (2018)
 
NÚMEROS CHAVE  22 Especiais, totalizando 309,76 km.  151,24 km/h consecutivos de especiais no sábado, sem assistência intermédia.  32 pneus Michelin disponíveis, a escolher entre 32 de composto médio e 16 de composto macio.  3 vitórias para a Citroën no Rali de Gales GB com o C4 WRC (2008 a 2010).
 

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos