Velocidade Online

Mundial - Todo o Terreno

MUNDIAL - TODO O TERRENO - BRASIL - RALI DOS SERTÕES

Sexta, 06 Setembro 2019 06:37 | Actualizado em Domingo, 10 Novembro 2019 08:39

Cristiano Rocha e Anderson Geraldi são vice-campeões na Super Production dos Sertões 2019

Pódio da dupla é inédito nas carreiras individuais do piloto e do navegador da Accert Competições, que terminou a última especial da competição com o segundo melhor tempo da categoria.

 Se os Sertões 2019 já entrou na história da competição com uma das mais duras e difíceis de todas as edições, também carimba um feito inédito na carreira individual do piloto Cristiano Rocha e do navegador Anderson Geraldi, da Accert Competições. Ambos conquistaram neste domingo, 1º de setembro, nas dunas do Porto de Aquirraz (CE) o título de vice-campeões na categoria Super Production dos carros.

A bordo da Mitsubishi L200 RS adaptada #371, a dupla, que é a atual líder no Ranking Brasileiro de Cross Country da CBA, na mesma categoria, realizou uma competição sempre procurando evoluir a cada etapa, e nesta final não foi diferente. Nos 18 quilômetros da especial, no circuito de dunas repletas de lombas, canaletas e muita areia fofa, o conjunto finalizou o trajeto em 26min11seg, o segundo melhor tempo da categoria no dia. No acumulado geral, somaram 42h44min17seg nas oito etapas desta 27ª edição da mais extensa competição off-road das Américas – mais de uma hora e meia de vantagem em relação ao terceiro colocado e com o 20º tempo na geral dos carros.

Durante o roteiro, a dupla da Accert Competições passou por algumas dificuldades. As mais recentes e graves foram a não conclusão da travessia de um rio, logo nos primeiros quilômetros da primeira perna da Maratona, e a quebra de um parafuso do diferencial dianteiro, na penúltima etapa, o que tirou metade da tração do carro. Na última especial, este mesmo problema voltou a assustar piloto e navegador, que pararam por cerca de cinco minutos para consertar e seguir até o fim.

“Foi emoção e tensão até o fim, com perrengue até última prova. Mas valeu a pena. Esse resultado é muito significativo na minha carreira pois é minha nona participação nos Sertões e nunca tinha subido num lugar tão alto do pódio. Isso anima a gente a continuar sempre seguindo. Quero agradecer a Deus, minha família, e à nossa equipe que é muito unida e muito forte. Quem sabe no ano que vem, com um carro melhor, a gente não consiga também um melhor resultado?. Já começo a ter saudades dos Sertões e pensando em 2020”, comemora o piloto Cristiano Rocha.

Para o navegador, o resultado vem da união da dupla. “Tenho seis sertões na minha carreira e este, sem dúvida, foi o melhor de todos. Esse segundo lugar também é inédito pra mim e devo isso muito à minha parceria com o Cristiano. Nunca nos deixamos nos esmorecer, por pior que fosse a situação, sempre um dando muita força ao outro. E Sertões é isso. Às vezes a gente tem um problema mas tem que seguir em frente passando por cima disso tudo. Estamos liderando o Brasileiro de Cross Country com um carro que não é, atualmente, tão competitivo para nossa categoria e mesmo assim conseguimos muito bons resultados. Tão mais importante é a gente ter conseguido concluir cada prova e, nisso, temos nossa missão cumprida, com sentimento de superação”, reflete Anderson Geraldi. 

Neste domingo, os competidores partiram para a última etapa da competição, da cidade de Tauá (CE) – um longo deslocamento inicial de 428 quilômetros até as Dunas do Porto de Aquirraz, na zona mesometropolitana de Fortaleza (CE). Na especial final da competição, os 18 quilômetros de prova, predominou os terrenos arenosos das dunas a beira mar, com algumas lombas e muitas canaletas, que exigiu destreza e perícia na pilotagem para não capotar o veículo. Muita areia voando a medida que as máquinas aceleravam e no fim a rampa da vitória. 

A 27ª edição dos Sertões entra para a história como sendo uma das mais difíceis e duras, exigindo alto grau técnico de conhecimento de seus competidores além de veículos resistentes, regulados e em boa manutenção. Os 4.887,59 quilômetros, sendo 2.858,46 em especiais, entre a largada em Campo Grande (MT), em 25 de agosto, e a chegada em Aquirraz (CE) neste domingo, 1º de setembro, foram marcadas por longas especiais, duas delas acima dos 500 quilômetros. A segunda perna da Maratona, entre São Felix do Tocantins (TO) e Bom Jesus (PI) entrou para a história da competição como a mais longa de todas as edições, com os primeiros competidores chegando ao anoitecer do dia. Apesar de boa parte das cidades do roteiro deste Sertões 2019 já ter feito parte da competição em outras edições, foram nove dias de prova (contando o prólogo) intensos e desgastantes, tantos para os conjuntos de pilotos, navegadores e suas máquinas quanto para as equipes de apoio, que seguiram todo o percurso em caravana, junto com a organização do evento, mesmo em trajetos mais “confortáveis”.

A equipe recebe o patrocínio da Accert Transportes e Logística, Lavanderia Suprema, ALE Combustíveis, Ferragens Negrão, Sementes Oilema, Hotel LG, Cervejaria Oktos, Titaniun Energy Drink, AutoVip, Audiovolks e Worker.

 

Super Production – Resultado da 8ª etapa – Aquirraz (CE)  (oficial)

 

1º) #318 Daltro Maronezi/ Luciani Maronezi, 16min16seg

2º) #371 Cristiano Rocha /Andeerson Geraldi, 26min11seg

3º) #333 Nadimir Kayser/ Ricardo Amorim, 1h30min00seg

4º) #335 Carlos Clauset/ Jorge Nieckele, 6h30min00seg

 

Resultado acumulado após a oitava etapa (Oficial):

1º) #333 Nadimir Kayser/ Ricardo Amorim, 40h09min15seg

2º) #371 Cristiano Rocha /Andeerson Geraldi, 42h44min17seg

3º) #318 Daltro Maronezi/ Luciani Maronezi, 44h16min25seg

4º) #335 Carlos Clauset/ Jorge Nieckele, 48h55min44seg

 

 

Confira o roteiro do Sertões 2019:

 

No total, serão percorridos 4.887,59 km sendo 2.858,46 km de especiais, percentual de Especiais de 58,4%.

 

1ª etapa – 25/08 (concluída)

Campo Grande – MS/ Costa Rica – MS

DI – 19,69 km


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos