Velocidade Online

Mundial - TCR

MUNDIAL - WTCR - CUPRA ELECTRICO

Terça, 23 Abril 2019 08:26 | Actualizado em Terça, 10 Dezembro 2019 20:20

Carro de Turismo elétrico de competição

6.072 pilhas a -10 graus. CUPRA põe à prova o e-Racer em condições extremas nas pistas de Andorra.

Suspensão 20mm mais elevada e pneus com 420 pregos para poder andar na neve e no gelo
- O frio é o melhor aliado do sistema elétrico por refrigerar as baterias

Já se iniciou a contagem decrescente para a estreia do CUPRA e-Racer no novo campeonato ETCR. A equipa de competição da marca espanhola está dedicada ao desenvolvimento do primeiro turismo de competição 100% elétrico do mundo recorrendo a testes nas condições mais exigentes. No passado inverno, o piloto Jordi Gené e a equipa de engenheiros chefiada por Xavi Serra levaram o e-Racer ao limite nas pistas de gelo e neve de Andorra.

Como foi o desafio de adaptar o carro às baixas temperaturas?
J.G.: Foi muito fácil. O segredo dos carros elétricos está na gestão da temperatura. Exigimos muita potência ao motor, mas o que aquece são as baterias, não o motor. Ao trabalharem em condições de temperatura muito baixa, as baterias estão sempre bem refrigeradas.
X.S.: Um dos principais desafios está na gestão dos tempos de carga, uma vez que o e-Racer possui uma bateria de 450 quilos composta por 23 painéis com um total de 6.072 células, o equivalente a 9.000 telemóveis ligados em simultâneo. Quando a bateria se descarrega é necessário esperar que arrefeçam para dar início à recarga de forma eficiente. Com este frio, a espera torna-se mais curta.
 
Que alterações foram feitas ao e-Racer para adaptá-lo a estas condições?
X.S.: O habitat natural do CUPRA e-Racer é o asfalto, por isso foi necessário adaptá-lo à neve. Era imprescindível modificar a suspensão. O carro tinha que ficar a uma altura ao solo superior, já que a superfície é muito diferente. Neste caso, acrescentámos 20mm. O resultado foi surpreendente e obtivemos informações muito interessantes que podemos usar para melhorar o automóvel, mesmo tendo em conta que este está desenvolvido para asfalto.

E que diferenças notaram na aderência dos pneus?
J.G.: As diferenças são abissais, e muito evidentes. Além de levantarmos o carro, foi preciso trocar os pneus para uns que tivessem aderência no gelo. Não podíamos usar os pneus slicks, que são os adequados à competição em asfalto. Montamos umas unidades com 420 pregos em cada roda e conseguimos que o carro rolasse na perfeição.

Que outros desafios implica a condução na neve?
X.S.: Por termos temperaturas tão baixas, a neve acumulada transformava-se em gelo. A pista tinha uma camada de 10cm de gelo coberta por uma fina camada de neve. A meio do dia, numa das paragens para recarga, aproveitava-se para retirar o gelo acumulado nas zonas inferiores para reduzirmos o peso. Tudo por uma questão de prevenção.

Qual a vossa opinião quanto ao rendimento do carro depois desta prova?
X.S.: Estamos agradavelmente surpreendidos pela forma como o carro se adaptou. Foi muito camaleónico. Ainda que tenha sido concebido para o asfalto, verificámos que se adaptou muito bem a todos os desafios que lhe foram colocados. A neve é uma superfície para a qual não foi desenvolvido, mas correspondeu muito bem.

J.G.: Estes tipos de testes são muito importantes para o desenvolvimento do e-Racer. O mundo elétrico está a acelerar. Neste projeto, que decorre há um ano, adaptámos muitas coisas que já conhecíamos, mas há muitas outras que descobrimos consoante trabalhámos no carro. O comportamento do automóvel surpreendeu pela positiva, já que se mostrou muito fácil de controlar e ao mesmo tempo muito divertido. Ao colocar à prova sistemas como o controlo de tração em situações limite, obtivemos informações muito úteis na continuação do desenvolvimento do e-Racer.

Estão preparados para a nova modalidade de corridas?
X.S.: É um veículo que gera muita energia e que procuramos utilizar de forma eficiente para obtermos bons tempos por volta. O objetivo é sermos tão rápidos quanto possível para sermos os primeiros a chegar à meta em 2020, quando competirmos pela primeira vez na nova modalidade de corridas ETCR, reafirmando o papel do CUPRA e-Racer na transição para uma competição mais eficiente e limpa.

CUPRA é uma marca especial para pessoas únicas, criada para cativar os clientes que procuram o que a marca tem para oferecer: Exclusividade, Sofisticação e Performance. No seu primeiro ano de vida, as vendas CUPRA subiram 40% em 2018 em relação ao ano anterior, alcançando um total de 14,400 unidades. Em conjunto com o lançamento dos novos modelos, a marca CUPRA alimentará também a competição e o espírito das corridas ao participar no TCR Series. O mundo CUPRA está vivo e pronto para conquistar um novo grupo de entusiastas em mais de 280 corners e concessionários selecionados em todo o mundo


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos