Velocidade Online

Comércio e Industria - Novidades

COMÉRCIO & INDUSTRIA - AS CINCO FORMAS

Segunda, 08 Julho 2019 07:55 | Actualizado em Segunda, 14 Outubro 2019 10:52

As 5 formas de partilhar automóvel que revolucionaram a mobilidade

• Carpooling e carsharing são algumas das formas que permitem poupar na hora de viajar
• Novas aplicações permitem partilhar um veículo desde apenas 1€

O automóvel é o transporte mais utilizado em viagens de média e longa distância na maioria dos países europeus, contudo, partilhar um veículo ainda é uma prática desconhecida para muitos. Só que o futuro da mobilidade está a mudar por completo, e cada vez surgem mais novos serviços que permitem partilhar um veículo com outras pessoas que desejem efetuar o mesmo trajeto e, assim, poupar alguns euros.

Partilhar automóvel é uma das opções da economia sustentável com melhor acolhimento, dado que a deslocação é mais económica e menos contaminante, e pode mesmo conhecer-se pessoas interessantes, que tornarão a viagem muito mais amena. Caso esteja a pensar em utilizar um destes serviços, mas ainda não conhece o seu funcionamento, agrupamo-los numa lista, para que possa escolher o que melhor se adapta às suas necessidades.

1. Aplicações de carpooling

O carpooling é o conceito que identifica a prática do veículo privado partilhado como tal. Esta tendência internacional conta com cada vez mais aplicações e plataformas digitais, em que condutores e passageiros podem partilhar os gastos num mesmo veículo.

Nestas aplicações, o condutor regista a oferta da ciagem e estabelece o ponto de partida e de destino, e o preço por passageiro. O utilizador efetua uma busca na aplicação e escolhe o trajeto desejado, pagando o montante estabelecido. A Blablacar e a Amovens são das mais utilizadas na Península Ibérica se o que pretende é deslocar-se entre dois pontos em concreto.

2. Carsharing para trajetos curtos

O carsharing constitui, sem dúvida, uma poupança na hora de viajar, por comparação com a utilização de um veículo próprio, mas tem limitações, dado que o veículo pertence a uma empresa. Estes serviços assentam na oferta de uma frota de automóveis ao público, para que este possa utilizá-los com uma tarifa que depende do tempo de utilização.

As empresas mais conhecidas, a nível ibérico, serão a Bluemove, que oferece veículos por algumas horas, ou frotas de empresas como a Emov, DriveNow, Car2go, ZITY ou WIBLE, em que a tarifa é cobrada ao minuto e ronda os 0,25-0,30 €/min.
O problema deste tipo de serviços é que apenas operam no centro das grandes cidades, e a sua disponibilidade depende da procura.

3. Aplicações de transporte privado

São os famosos serviços da Uber ou da Cabify. Oferecem um serviço privado a partir da geolocalização do utilizador com as denominadas licenças TVDE (transporte individual e remunerado de passageiros em veículos descaraterizados).
O passageiro pode escolher o veículo e conhecer o preço antes de solicitar o transporte, e é por norma utilizado para trajetos urbanos de curta distância. O preço tende a ser mais baixo do que o de um táxi e, em princípio, também é possível partilhar o trajeto para poupar-se uns euros.

4. O novo aluguer de automóveis

A tecnologia faz com que exista um cada dia maior número de serviços para nos movermos ao melhor preço e da forma mais simples, e existem já novas aplicações para viajar de forma cómoda e ao melhor preço.

Uma das aplicações que conseguiu revolucionar o conceito o aluguer de automóveis é a DriiveMe, que oferece trajetos por toda a Europa por somente um euro. Esta empresa, de origem francesa, publica os trajetos entre dois pontos concretos e os utilizadores podem reservar o veículo por 1€.  Além disso, a própria empresa convida os seus utilizadores a partilharem o veículo para cobrir os gastos com combustível e y portagens (caso existam).

Outra modalidade é a que oferecem empresas como a SocialCar e a Amovens, em que os proprietários de veículos podem publicar o seu automóvel quando não o utilizem e, assim, outros podem fazer uso dos mesmos.

5. Os anúncios clássicos

Já no caso da comunidade de vizinhos do seu bairro, entre os seus companheiros de trabalho, ou em fóruns e sites da Internet, anunciar a sua viagem de forma clássica também é possível. Várias empresas, como a Carpling, oferecem a possibilidade de partilhar o automóvel diariamente para ir para o trabalho, os escolher os dias em que se deseja realizar o trajeto para ver que utilizadores efetuam o mesmo percurso.

Para mais, em várias empresas existe aquilo que é conhecido como "carsharing comercial”, ou seja, contam com uma frota de veículos disponível para os seus colaboradores, e algumas possuem, mesmo, uma ferramenta online para reservar o veículo quando dele necessitem.
 
Como funciona a DriiveMe?

A DriiveMe é um ponto de encontro entre as agências de aluguer, que necessitam de mover os seus veículos para devolvê-los às suas estações de origem; e os utilizadores particulares, que pretendem alugar um veículo a um preço reduzido. Os irmãos Alexandre e Geoffroy Lambert lançaram a DriiveMe em França, em 2012; e o terceiro dos irmãos, Constantin, levou o serviço para Portugal e Espanha em 2017.

A plataforma DriiveMe está disponível através da Internet e via App. O processo de alugar um automóvel é muito similar ao de um aluguer normal: o condutor acede à plataforma, escolhe o veículo, a data e a hora a que vai recolhê-lo, entre as opções disponíveis. Logo que tenha reservado a rota, pelo preço simbólico de 1 euro, apenas terá que pagar as portagens (caso existam) e o combustível.

Se nenhuma oferta corresponder aos desejos do utilizador, este tem a opção de criar o seu próprio alerta personalizado, e será avisado quando o trajeto estiver disponível na DriiveMe.

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos