Velocidade Online

Comércio e Industria - Novidades

COMÉRCIO & INDUSTRIA - INVESTIR

Quinta, 29 Agosto 2019 16:57 | Actualizado em Sexta, 18 Outubro 2019 13:46

"O 2º semestre pode ser uma boa altura para investir"

De acordo com dados do Banco de Portugal, o investimento em Portugal cresceu 17,8% no 1º trimestre (quando comparado com o 1º trimestre de 2018), o que representa um valor recorde.

Quer aproveitar o 2º semestre para investir? Esta pode ser uma boa altura para o fazer. A economia portuguesa está em crescimento e as empresas continuam a investir na atividade.
 
"É mais fácil investir quando a economia está a crescer"

De acordo com o Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), o crescimento económico no 2º trimestre deverá manter-se nos 1,8% - valor idêntico ao registado no 1º trimestre. Estes valores representam uma aceleração da economia face ao verificado nos últimos meses de 2018.
 
"A recuperação do investimento em Portugal está a ser determinada pelas empresas."
 
De acordo com dados do Banco de Portugal, o investimento em Portugal cresceu 17,8% no 1º trimestre (quando comparado com o 1º trimestre de 2018), o que representa um valor recorde.
 
As principais razões apontadas pelas empresas para investir são:
 
• Condições de financiamento globalmente positivas;
• Perspetivas positivas para a evolução da procura;
• Aumento da capacidade produtiva;
• Necessidade de recuperação e renovação do stock de capital.
 
Os mesmos dados indicam que as empresas deverão chegar ao final deste ano com um nível de investimento igual ao que tinham antes da crise financeira.
 
"Confiança dos consumidores e clima económico em recuperação."
 
Segundo o INE, o indicador de confiança dos consumidores aumentou em junho pelo terceiro mês consecutivo (tinha diminuído nos cinco meses anteriores), o que pode indicar um reforço do consumo nos próximos meses por parte das famílias. Também o indicador de clima económico, que mede a confiança dos empresários portugueses, aumentou em junho.
 
"Empresas estão cada vez mais produtivas."

Dados do Banco de Portugal demonstram que entre 2018 e 2021, a produtividade vai representar cerca de 15% do crescimento económico. Este contributo positivo é algo inédito dado que nos últimos anos o seu contributo foi sempre negativo. Em termos globais, o emprego e o capital humano continuarão a ser os principais motores de crescimento da economia.
 
"Os ciclos económicos não duram para sempre..."

É esperado que os próximos meses continuem a confirmar esta tendência de crescimento o que se deverá refletir num incremento de atividade nas empresas portuguesas. Esta pode ser, por isso, uma boa altura para investir.

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos