Velocidade Online

Comércio e Industria - Novidades

COMÉRCIO & INDUSTRIA - OS PERIGOS DE ANDAR COM PNEUS...

Segunda, 09 Setembro 2019 09:21 | Actualizado em Terça, 15 Outubro 2019 08:24

Os perigos de viajar com pneus desgastados no verão

Em vários países, as temperaturas do asfalto no verão chegam a até 10 graus acima da temperatura ambiente incidindo de forma negativa sobre os pneus.
O conhecido distribuidor de pneus, Grupo Andrés, elaborou um guia com 6 razões pelas quais não se deve conduzir com pneus gastos no verão, época especialmente delicada porque os veículos percorrem longas distâncias e ocorrem milhares de deslocações nas estradas.

Segundo o Guia elaborado pelo Grupo Andrés, é um risco conduzir com pneus desgastados no verão por seis razões:

- Se os pneus costumam percorrer longas distâncias, o que exige um maior esforço e mais consistente dos pneus. Se estão em boas condições, resistem melhor a perfurações ou às travagens bruscas.

- O asfalto, em alguns países, atinge temperaturas muito elevadas, o que influência diretamente a resistência da borracha do pneu, que chega a suportar até 10 graus mais que a temperatura ambiente.

- A condução com tráfico intenso dá lugar a situações inesperadas que exigem uma grande capacidade de aderência e de travagem. Se for necessário travar a fundo e a banda de rodagem não estiver saudável o veículo perde gradualmente a aderência.

- Apesar de estarmos no verão não estamos livres de sermos surpreendidos por uma tempestade de verão, se a uma má pressão dos pneus adicionarmos um piso desgastado, o resultado pode ser uma aquaplanagem.

- A profundidade da banda de rodagem também tem um impacto sobre o consumo de combustível, pois determina a resistência dos pneus ao asfalto, e que se for maior faz com que o veículo consoma mais durante a viagem.

- E se estes perigos não são suficientes para levar a uma mudança dos pneus quando o piso está gasto, também, é conveniente recordar que o mínimo legal do piso é de 1,6 mm, e que a multa pode chegar a 200€ por pneu e se os pneus estiverem em péssimas condições as autoridades podem imobilizar o veículo. Em qualquer caso, é aconselhável não chegar a 1,6 mm e substituir os pneus quando começam a estar abaixo dos 3 mm.
 
"No inverno, os condutores costumam prestar muita atenção porque a maioria está ciente de que as condições dos pneus determinam a capacidade de resposta do veículo face ao mau tempo; mas no verão as pessoas estão mais tranquilas e esquecem-se dos riscos de conduzir com pneus desgastados", referiu Eduardo Salazar, CEO Pneumáticos Andrés.


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos