Velocidade Online

Comércio e Industria - Tecnica

COMÉRCIO & INDUSTRIA - BOSCH É NOTICIA

Segunda, 27 Novembro 2017 13:52 | Actualizado em Sábado, 07 Dezembro 2019 17:00

iDisc ajuda a aliviar o problema da emissão de partículas nas cidades

Novo disco de travão da Buderus Guss, subsidiária da Bosch, gera até 90% menos pó na travagem

 

  Hoheisel, membro do Conselho de Administração da Bosch: “O iDisc é a versão 2.0 dos discos de travão. O seu potencial de venda é tremendo”.

  Travões e pneus são responsáveis por 32% das emissões de partículas associadas à condução.

  iDisc, revestido a tungsténio, reduz o desgaste dos travões e melhora a segurança da operação.

  iDisc entra em produção num produtor europeu em novembro deste ano.

  Procura por discos de travão para carros foi estimada em mais de 330 milhões de unidades em 2016.

 

– Os anjos da guarda têm muitos rostos. Perfeitamente redondo, do tamanho de uma placa e da grossura de um polegar, o disco de travão é um deles. Muito antes do ABS, ESP, airbags e outros recursos, os discos de travão tornavam a condução mais segura e diminuíam significativamente as distâncias de travagem, ajudando assim a evitar muitos acidentes de viação. Hoje, no entanto, há outra razão pela qual os discos de travão estão no centro da atenção do público: o pó de freio. A maior parte da poluição na estrada é causada pelo desgaste do pneu e do freio, e não pela combustão do combustível.

 

A Buderus Guss, subsidiária da Bosch, criou o inovador iDisc – comparado com um disco de travão convencional, gera até 90% menos pó na travagem. Esta necessidade é sublinhada pelas conclusões da agência ambiental de Baden- Württemberg, que confirma que os travões e os pneus são responsáveis por 32% das emissões de partículas relacionadas com a condução, das quais praticamente metade são pó resultante das travagens. Por isso, reduzir de forma significativa o pó da travagem é essencial para a melhoria da qualidade do ar, especialmente nas cidades. “Não é apenas debaixo do capô que a Bosch desenvolve soluções para manter o ar limpo”, afirma o Dr. Dirk Hoheisel, cujas áreas de responsabilidade no Conselho de Administração da Bosch incluem a Buderus Guss. “O iDisc é a versão 2.0 dos discos de travão. O seu potencial de venda é tremendo”. O iDisc está previsto entrar em produção num produtor europeu a novembro deste ano.

 

iDisc é um elemento disruptivo no mercado dos discos de travão

Um dos mais importantes pontos a favor da compra do iDisc (o “i” simboliza inovação) é o seu revestimento a tungsténio, disponível apenas na Buderus Guss. A tecnologia baseia-se num disco de travão de ferro, fundido convencionalmente. Todos os anos, a subsidiária da Bosch produz até 20 milhões destes discos em fábricas localizadas em Breidenbach e Ludwigshütte, na Alemanha.

 

Para transformar um disco convencional num iDisc, é necessário que os anéis de fricção sejam tratados de forma mecânica e térmica com galvanização, antes de serem revestidos. Estes passos fazem parte de um processo desenvolvido pela Buderus Guss e por investigadores da Bosch durante vários anos.

 

Em termos de preço, o iDisc é aproximadamente três vezes menos caro que um disco de travão de cerâmica. O preço deverá continuar a baixar à medida que o volume de produção aumentar. “O iDisc tem tudo o que é necessário para substituir o disco de travão de ferro, fundido convencionalmente, tornando-se no novo standard no mercado dos discos de travão”, disse Gerhard Pfeifer, diretor-geral da Buderus Guss. “Tendo em conta o debate sobre a poluição de partículas em diversos países e cidades em todo o mundo, essa solução é um ponto de viragem” – principalmente se tivermos em conta que os discos de travão serão necessários nos carros nas próximas décadas e os volumes de produção continuam a subir. Só para carros, a procura por discos de travão de ficou nas 330 milhões de unidades em 2016.

 

Sem marcas de corte nem ferrugem

Outro argumento a favor do iDisc são as suas muitas qualidades positivas: além da redução dramática no pó da travagem, o revestimento em tungsténio garante uma maior segurança de operação. O desempenho da travagem é semelhante ao do travão de cerâmica, especialmente quanto ao enfraquecimento, visto que é conhecida a redução na energia para parar o carro após diversas manobras de travagem. Tal como um disco de travão de cerâmica, o iDisc é altamente estável e perde muito pouco desempenho ao nível da desaceleração. O desgaste também é reduzido de forma significativa. Dependendo da força do revestimento em tungsténio, o iDisc tem o dobro da vida útil de um disco de travão normal. Não há marcas de corte no anel de fricção nem corrosão – uma grande vantagem, especialmente em carros eléctricos. Porque conseguem recuperar energia de travagem num processo conhecido como recuperação, os carros elétricos colocam menos pressão nos travões e lutam, assim, contra a formação de ferrugem nos anéis de fricção. O decréscimo temporário na resposta durante a travagem associada a este processo não ocorre com o iDisc.

 

Jantes sujas são uma coisa do passado

Os fãs das jantes vão adorar o iDisc. O revestimento em carbureto, brilhante, do disco de travão torna-o irresistível aos olhos de qualquer um. Resistente ao desgaste e livre de corrosão, mantém-se belo mesmo depois de anos de uso, tornando-o o par perfeito para quem utiliza jantes abertas. E o melhor? A redução em 90% do pó da travagem com o iDisc elimina a necessidade de limpar regularmente as jantes com produtos de limpeza agressivos.

 

 

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos