Velocidade Online

Comércio e Industria - Tecnica

COMÉRCIO & INDUSTRIA - VOLVO É NOTICIA

Quinta, 07 Novembro 2019 06:03 | Actualizado em Sexta, 15 Novembro 2019 03:39

Volvo Cars adopta tecnologia blockchain para rastreio da origem das baterias

 

A Volvo Cars será o primeiro construtor automóvel a implementar um rastreio global do cobalto utilizado nas suas baterias através da aplicação da tecnologia blockchain. Este anúncio, surge na sequência da apresentação do primeiro modelo 100% elétrico da marca, o Volvo XC40 Recharge.

O rastreio das matérias-primas como o cobalto, utilizadas na produção de baterias de iões de lítio, é, atualmente, um dos principais desafios de sustentabilidade enfrentado pela indústria automóvel. A Volvo Cars está comprometida com o seu rastreio total. Desta forma, a marca pretende assegurar uma transparência total aos seus clientes para que estes possam conduzir os veículos eletrificados sabendo que o material utilizado nas suas baterias foi obtido de uma forma responsável.

A tecnologia Blockchain, que estabelece uma rede de partilha de dados de confiança, aumenta significativamente a transparência da cadeia de fornecimento de matérias-primas, pois as informações sobre a origem do material não podem ser alteradas sem serem detetadas.

A Volvo Cars chegou a acordo com os seus dois fornecedores principais de baterias, a CATL e a LG Chem e com empresas de referência no capítulo da tecnologia blockchain (como a Circulor e a Oracle) para implementar, já a partir deste ano, o sistema de rastreio.

“A Volvo Cars é uma empresa comprometida com princípios éticos no fornecimento das suas matérias primas. Com a tecnologia blockchain estamos a dar o passo seguinte,  em estreita colaboração com os nossos fornecedores, com vista a apurarmos um rastreio total da nossa cadeia minimizando os riscos relacionados.” –

Martina Buchhauser - Head of Procurement - Volvo Cars.

A tecnologia blockchain é um tipo de inscrição digital que contém a lista de registos ligados uns aos outros através de criptografia. No contexto de cadeias de fornecimento, a tecnologia cria registos de transações que não podem ser alterados, assegurando um conjunto de regras sobre o tipo de dados que podem ser guardados. Isto permite que auditores e outras partes  consigam, de forma independente, auditar as transações.

Neste caso particular, os dados na blockchain incluem a origem do cobalto, o seus pesos e tamanhos, a cadeia de custódia e as informações que estabelecem que o comportamento dos participantes é consistente com as normas da cadeia de fornecimento da OCDE. Essa abordagem ajuda a criar confiança entre os parceiros.

No mês passado, a Volvo Cars apresentou o XC40 Recharge, o primeiro de uma série de modelos que a marca irá lançar sob a sigla Recharge. Em 2025, a empresa espera que, metade das suas vendas mundiais seja de modelos 100% elétricos, sendo a restante fatia ocupada por modelos híbridos.

A marca apresentou também um ambicioso plano ambiental no qual um dos seus objetivos principais inclui uma redução da sua pegada de emissões de carbono em 40% entre os anos de 2018 e 2025.

O plano da Volvo Cars engloba as emissões dos processos de produção, a cadeia de fornecedores e a utilização de material reciclado.

A CATL e a LG Chem são fabricantes de baterias de renome. Ambas as empresas têm já uma história de sucesso na indústria automóvel fornecendo baterias de iões de lítio à escala global. Ambas cumprem as rigorosas normas da Volvo Cars em termos de liderança tecnológica, cadeias de fornecimento responsável e custos competitivos.

Os acordos estabelecidos entre a Volvo Cars, a CATL e a LG Chem irão garantir o fornecimento de baterias que irão equipar os modelos da Volvo e da Polestar na próxima década, onde se inclui o novo Volvo XC40 Recharge.


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos