Velocidade Online

Diversos - Recdordar é Viver

DIVERSOS - RECORDAR É VIVER - EDDIE CHEVER - POR VITOR CARDOSO

Quinta, 24 Janeiro 2019 12:14 | Actualizado em Domingo, 15 Setembro 2019 07:10

Eddie Cheever "o americano de Roma"

Nasceu em Phoenix (USA) a 10/01/1958 mas foi viver para Roma ainda menino, daí a alcunha de "americano de Roma"
Quando em 1978 fazia F2 com a March, foi convidado para fazer duas provas com um Theodore TR1/Ford de F1 e uma outra com um Hesketh 308E/Ford. Em 1979 voltou à F2 com um Osella FA2/BMW faz a época completa e acaba em 4º o campeonato, e entra em 1980 com a Osella na F1 guindo o Osella FA1B. Em 1981 foi guiar para a Tyrrell guiar o 011.1982 foi a vez que conduzir o "sonoro" V12 matra que equipava o LigierJS19. Continuou a sua carreira na F1 ao guiar o Renault RE40. Pela primeira vez Eddie fecha contrato por dois anos (1987/8) com uma marca ... a Alfa Romeu.
1986 com o Lola THL-1 da nova equipa Haas faz apenas um GP o de Detroit, para nos próximos três anos (1987-8-9) guiar pela Arrows e acabar com eles a sua carreira na F1.
Eddie voltou aos seus EUA para começar a correr na CART onde guiou para a equipa de Chip Ganassi um Penske PC18 durante três anos (1990/1992). O ano de 1993 foi muito atípico pois Cheever conduziu para três equipas diferentes a Turley, a Menard e a Dick Simon. Em 1994 começou o ano na Menard onde fez uma prova para depois com a equipa de A J Foyt fazer sete provas e continuar com a época completa de 1995. Foi o ultimo ano da CART passando agora, depois de uma guerra de secretaria a chamar-se Indycar.
Faz e apenas para "ganhar mão" três provas com a Menard para a partir do próximo ano ter a sua própria equipa ... o Team Cheever que com chassis Dallara venceu em 1988 as famosas 500 milhas de Indjanápolis e em 2000 fica em 3º lugar no final do campeonato. Em 2003 Eddie Cheever retira-se definitivamente de todas as competiçõ
Hoje é comentador de um canal de televisão para a Indycar.
E ... o capacete?
Perguntam vocês 
Cheever teve uma pintura inspirada na sua bandeira.
Uma estrela de cada lado onde nascem "gomos" nas duas metades do capacete vermelha e azul. Mais tarde levou uma fina lista dourada a contornar todo o branco. Começou por usara marca BELL para na altura da Osella em F2 e F1 usar um GPA. Depois na Tyrrell, Ligier, Renault e Alfa Romeu usou um NAVA, voltando ao BELL até se mudar para os USA onde está claro optou pelo SIMPSON.


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos