Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2024 - HAMILTON E A MERCEDES VENCEM GRANDE PRÉMIO DE INGLATERRA

Quarta, 10 Julho 2024 06:48 | Actualizado em Sábado, 13 Julho 2024 02:16

Sir Lewis vence em Silverstone

Lewis Hamilton venceu a 75ª edição do Grande Prémio da Grã-Bretanha. O sete vezes campeão mundial pôs fim a uma seca de vitórias que durava há 945 dias, desde o Grande Prémio da Arábia Saudita de 2021. O britânico conta agora com 104 vitórias na Fórmula 1, nove das quais neste circuito, liderando assim a lista de pilotos com mais vitórias num único Grande Prémio. Para a sua equipa, a Mercedes, esta é a 127ª vitória, a segunda consecutiva, algo que não acontecia há quase três anos, desde 2021, quando a equipa liderada por Toto Wolff venceu no Brasil e, depois, na referida corrida na Arábia Saudita.


Hamilton foi acompanhado no pódio por Max Verstappen (Red Bull Racing), que terminou em segundo lugar, e Lando Norris (McLaren), que viu a bandeira de xadrez em terceiro. Os três usaram uma edição especial do clássico boné de pódio da Pirelli, criado especialmente para esta ronda de Silverstone.

 

O DIA NA PISTA  

 

Para a Pirelli, este foi um Grande Prémio muito colorido, precisamente a quatro cores, pois foram utilizados quatro compostos de pneus com as suas cores distintas– vermelho para o Macio, amarelo para o Médio, branco para o Duro e verde para o Intermédio. Todos desempenharam um papel importante numa corrida onde a pista alternou entre seca e molhada e com temperaturas que variaram cerca de dez graus, dependendo das condições meteorológicas.

A primeira parte da corrida foi dominada pelo Médio, utilizado por 17 pilotos, com a exceção de Ocon e Zhou, que optaram pelo Macio, enquanto Perez, que saiu da pitlane, escolheu o Duro. O C2 funcionou bem, tendo permitido aos pilotos andar a um bom ritmo e controlar as condições complicadas quando começou a chover. Além disso, o Médio ofereceu maior flexibilidade na escolha do momento para a primeira paragem nas boxes, dado que a ameaça de chuva já era sentida antes do início da corrida.

Depois foi a vez do Intermédio entrar em cena, quando chegou o ponto de transição. Leclerc e Perez escolheram trocar para este composto cedo e encontraram-se com um conjunto de pneus desgastados exatamente quando as condições da pista eram mais adequadas para a sua utilização, pelo que necessitaram de uma segunda paragem. Na parte final, todos os três compostos para piso seco competiram em igualdade de condições e foi interessante observar como, especialmente entre os líderes, os vários pacotes carro-piloto se sentiram confortáveis com diferentes compostos: Hamilton venceu com o Macio, Verstappen foi mais rápido com o Duro e Piastri demonstrou que o Médio podia ser muito competitivo no McLaren.

MARIO ISOLA, DIRETOR PIRELLI MOTORSPORT:

"Assistimos a um Grande Prémio muito emocionante no final de um fim de semana muito agitado. Foi um fim de semana desafiante para nós, pois testámos quase toda a nossa gama de pneus em diferentes condições numa das pistas mais exigentes do calendário do campeonato.


Desde sexta-feira que ficou evidente que todos os três compostos para piso seco poderiam desempenhar um papel importante nesta corrida, o que se confirmou hoje. Em termos de estratégia, as previsões pré-corrida foram mais ou menos respeitadas. Deixando de lado a chuva, a duração do primeiro stint com os Médios e o desempenho do Duro, para aqueles que como Verstappen e Sainz os utilizaram na fase final, demonstraram como uma combinação C2/C1 podia ser muito competitiva. Obviamente, o C3 sofreu um pouco mais, em parte porque foi utilizado em modo de ataque no final da corrida, numa pista ainda bastante verde devido à chuva deste fim de semana."


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos