Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - GRANDE PRÉMIO DA AUSTRIA SEGUNDO A PIRELLI

Terça, 12 Julho 2022 08:00 | Actualizado em Segunda, 15 Julho 2024 15:55

LECLERC RESISTE A VERSTAPPEN E REGRESSA AO MAIS ALTO LUGAR DO PÓDIO



A HISTÓRIA DA CORRIDA

  • Charles Leclerc bateu a concorrência e garantiu a presença da Ferrari no mais alto lugar do pódio pela segunda semana consecutiva. Como tinha acontecido no último fim de semana, esta voltou a ser uma corrida muito emocionante, cheia de batalhas, estratégias e surpresas, num fim de semana que começou com a pole position e vitória na corrida ao sprint de Max Verstappen (Red Bull).
  • Leclerc e Verstappen seguiram a mesma estratégia: um stint inicial com o composto médio (P Zero Amarelo) seguido de mais dois com o composto duro (P Zero Branco) e um stint final novamente com o médio, aproveitando a interrupção do safety car virtual.
  • A diversidade estratégica que se verificou na corrida destaca o desempenho dos pneus transportados para Spielberg. Se contarmos as opções dos pilotos da Mercedes, que ocuparam a terceira e a quarta posição, podemos verificar a existência de três táticas distintas entre os quatro primeiros.
  • Apenas uma semana após conseguir os seus primeiros pontos na F1, com um oitavo lugar, Schumacher elevou a fasquia e terminou na sexta posição, com uma estratégia médios-duros-duros.

COMPORTAMENTO DOS PNEUS

 

  • DURO C3: registou um nível de degradação superior ao esperado, provavelmente devido ao facto de as equipas não terem tido tempo para testar o composto devidamente durante os treinos livres. Quatro pilotos iniciaram a corrida com duros, incluindo Alonso, que realizou um stint inicial razoavelmente longo, que foi fundamental para progredir na classificação até aos pontos.
  • MÉDIO C4foi a opção preferida para o início da corrida. Os Ferraris completaram um stint inicial particularmente longo com este composto para consolidar a vantagem. Max Verstappen registou a volta mais rápida com pneus médios.
  • MACIOS C5: fundamental nos dias anteriores, mas as altas exigências da corrida em termos de tração e o seu alto nível de degradação não o tornou adequado para stints longos.

“Estamos muito contentes com a corrida de hoje. Os três compostos mostraram bons níveis de versatilidade e desempenho em diferentes monolugares e configurações durante os três dias deste Grande Prémio, que incluiu uma corrida ao sprint, realizado uma pista única como Spielberg. E tudo isto acontece apenas uma semana depois de Silverstone, dois circuitos muito diferentes, mas em que a combinação entre os novos monolugares e pneus proporcionou um grande espetáculo. Voltando à corrida de hoje, o composto médio apresentou um excelente desempenho, enquanto o composto duro apresentou um nível de degradação maior do que o esperado – provavelmente porque as equipas não tiveram tempo de testá-lo em condições de corrida durante os treinos livres, uma vez que a corrida ao sprint diminui o tempo disponível para os testes. Grande parte da degradação deveu-se ao tráfego que se foi gerando, isto porque a pista possui uma volta muito curta, o que proporcionou várias batalhas de ultrapassagens, com manobras que aumentam a exigência energética dos pneus. Em resumo, estamos satisfeitos com os comentários positivos sobre o trabalho realizado até ao momento, embora, na nossa sede em Milão, não haja descanso: ficaremos no Red Bull Ring até quarta-feira para o último teste de desenvolvimento dos pneus de 2023, que contatarão com a participação de quatro equipas."



Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos