Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2022 - GRANDE PRÉMIO DA HOLANDA SEGUNDO A PIRELLI

Terça, 06 Setembro 2022 20:08 | Actualizado em Terça, 20 Fevereiro 2024 19:03

GRANDE PRÉMIO DOS PAÍSES BAIXOS: CORRIDA

 

MARIO ISOLA – RESPONSÁVEL PIRELLI NA F1

 

“Assistimos a uma corrida emocionante, que acabou por ser influenciada por várias opções estratégicas diferentes, devido à degradação contida do macio e ao forte desempenho do composto duro, e pelo safety car que garantiu incerteza até à última volta. Ao mar de laranja que saltava das bancadas do circuito gostaria de adicionar a cor branca, característica do nosso pneu duro. Este composto foi uma das estrelas da corrida, graças à degradação muito baixa e ao ritmo elevado que proporcionou. A evolução da pista ao longo do fim de semana garantiu que o composto mais duro se destacasse no dia da corrida, com muitas equipas a alterar a estratégia para o incluir. Na realidade, todos os três compostos foram cruciais nesta montanha-russa de Zandvoort, que viu três pilotos de três equipas diferentes no pódio."

POR FALAR EM PNEUS: STEFANO DOMENICALI, CHEFE EXECUTIVO DO GRUPO F1

 

"Com a energia e a paixão dos fãs de Zandvoort ainda a ecoar nos nossos ouvidos, preparamo-nos agora para Monza: um local incrivelmente importante para a Fórmula 1, onde comemoramos 100 anos do circuito e 150 anos da Pirelli: uma instituição italiana que é sinónimo de automobilismo. Hoje, mais uma vez. os pneus estiveram perfeitos, permitindo diferentes estratégias, aumentando o número de batalhas e ultrapassagens na pista, que nos ajudou a entregar um produto de sucesso e espetacular às pessoas que o adoram, garantindo, ao mesmo tempo, a segurança que é essencial para um desporto como a F1. Este é um sucesso global que gostaríamos de comemorar em Monza em grande estilo, esperando também que haja espaço para um pouco de vermelho depois de todo este laranja!"

A HISTÓRIA DA CORRIDA

 

O desempenho fenomenal do pneu P Zero duro, juntamente com um Safety Car virtual e um Safety Car influenciaram o resultado da corrida. Verstappen largou da pole position pneus macios montados no seu Red Bull, tendo depois mudado para médios, o que deu a Lewis Hamilton, piloto da Mercedes que havia largado com o pneu P Zero médio, uma vantagem em termos de posição na pista. Mais tarde, já com duros, Hamilton consegui alcançar um bom ritmo e recuperar tempo, o que o levou a equipar médios para o último stint da corrida. Contudo, durante as paragens da corrida, a Red Bull tomou a decisão estratégica correta e, no reinício final, Verstappen, com pneus macios, conseguiu fazer uso da velocidade para se impor a Hamilton (que não realizou a troca de pneus quando o safety car entrou em pista).




Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos