Velocidade Online

Mundial - Fórmula 2

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - AS IMPRESSÕES DA PIRELLI NO GRANDE PRÉMIO DO MÉXICO

Terça, 09 Novembro 2021 19:14 | Actualizado em Sábado, 13 Abril 2024 06:14

FÓRMULA 1 GRANDE PRÉMIO DA CIDADE DO MÉXICO 2021 – CORRIDA 

 
VERSTAPPEN VENCE NO MÉXICO COM ESTRATÉGIA DE UMA PARAGEM 



MOMENTOS-CHAVE

 

  • Max Verstappen, piloto da Red Bull, venceu o Grande Prémio do México com apenas uma paragem (médios-duros). Esta foi a estratégia mais utilizada na corrida de 71 voltas e aquela que era projetada como sendo a mais rápida, pela Pirelli. Lewis Hamilton terminou na segunda posição e Sergio Perez fechou o pódio. 

  • À exceção de Esteban Ocon (Alpine) e Yuki Tsunoda (AlphaTauri), todos os pilotos iniciaram a corrida com pneus médios. 

  • Daniel Ricciardo, da McLaren, e Valtteri Bottas (Mercedes) equiparam pneus duros durante o período de safety car, na primeira volta. Ambos voltariam a parar para equipar pneus médios. Bottas somaria ainda mais duas paragens, a última para equipar pneus macios e marcar a volta mais rápida da corrida. 

  • A temperatura da pista alcançou os 48 graus, o valor mais alto de todo o fim de semana. 

COMPORTAMENTO DOS PNEUS

 

  • DUROS C2: O composto foi crucial para esta corrida, sendo a escolha de quase todos os pilotos para o segundo stint. 
  • MÉDIOS C3Os pneus médios mostraram um bom nível de flexibilidade e proporcionaram uma ampla janela de pit-stop. Lando Norris, da McLaren, que largou do fundo da grelha, realizou o stint mais longo com este composto (45 voltas) e terminou no 10º posto.  
  • MACIOS C4: As altas temperaturas da pista tornaram este composto suscetível ao superaquecimento. Ainda assim, Bottas conseguiu tirar o ponto da volta mais rápida a Verstappen com estes pneus. 

MARIO ISOLA  REPRESENTANTE PIRELLI NA F1

 

"A estratégia de uma só paragem pareceu evidente para quase todos os pilotos, com os compostos médio e duro a garantirem bons resultados face às altas temperaturas da pista. O composto de banda amarela resistiu a stints iniciais muito longos, demonstrando uma forte combinação entre o desempenho e a consistência, com uma pequena ajuda de um período de safety car de quatro voltas logo nas primeiras voltas. Os pneus duros também deram conta de si, com um bom ritmo de corrida e baixa degradação. Foi com este composto que Max Verstappen bateu, pela primeira vez na corrida, o recorde de volta, antes de ser superado por Bottas."


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos