Velocidade Online

Mundial - Ralis

CAMPEONATO MUNDO DE RALIS - A CITROEN NO RALI DE PORTUGAL

Quarta, 16 Maio 2018 15:00 | Actualizado em Domingo, 19 Agosto 2018 22:14

52º Rally de Portugal (17 a 20 maio 2018)

OS C3 WRC A POSTOS PARA AS EMOÇÕES PORTUGUESAS

A primeira prova em terra do alinhamento europeu do WRC, o Rally de Portugal, vai contar com três C3 WRC inscritos pelo Citroën Total Abu Dhabi WRT.

Entregues a Kris Meeke/Paul Nagle, Craig Breen/Scott Martin e Mads Ostberg/Torstein Erikssen, leque de pilotos com diferentes trunfos, que representam outras tantas hipóteses da equipa obter um bom resultado de conjunto.

 

TRÊS EQUIPAS DE PONTA

Com o estatuto de um dos eventos mais emblemáticos do Campeonato do Mundo, o Rally de Portugal é um dos ralis que todos os pilotos sonham vencer um dia. A sua imensa popularidade arrasta multidões de fãs e os seus belos e espetaculares troços cronometrados são adorados por todos os que os percorrem.

Kris Meeke, vencedor em 2016, e Mads Ostberg, que triunfou em 2012 quando o rali ainda se disputava no Algarve, têm, obviamente, algum conhecimento da prova, enquanto Craig Breen está determinado em seguir as pisadas dos seus colegas de equipa. Com uma formação deste gabarito, o Citroën Total Abu Dhabi WRT está, evidentemente, muito bem apetrechado para enfrentar os desafios deste rali, a sexta etapa da presente temporada.

Posicionando-se na linha da frente durante a edição do ano passado, Meeke deu provas já este ano da sua boa forma em pisos de terra. Terceiro classificado no México, o britânico teria, certamente, alcançado a mesma posição na Argentina não fosse um infeliz furo, mas chega a Portugal fortemente motivado para conquistar um lugar no pódio e com a vantagem dos melhoramentos introduzidos recentemente no eixo traseiro dos C3 WRC.

Por seu lado, Breen também aqui registou uma boa exibição em 2017, tendo terminado num promissor 5º lugar à geral, com uma vitória numa Especial logo no primeiro dia de competição a sério (sexta-feira). Para este ano, o irlandês está empenhado em elevar o seu andamento, procurando aproveitar ao máximo o 10º lugar que ocupa no alinhamento de partida no Dia 1, de forma a arrancar da melhor forma este rali.

Quanto a Ostberg, que será o12º a sair para a estrada, está de regresso à equipa após o seu encorajador 6º lugar na Suécia, na sua estreia em competição ao volante do C3 WRC. O norueguês também possui a experiência e a consistência necessárias para conseguir um bom resultado.

 

UM PERCURSO BEM CONHECIDO

Antes de, no domingo, fazer as delícias dos espetadores no espetacular salto de Fafe, já bem perto do final da prova, as equipas terão de enfrentar com sucesso uma ampla variedade de troços cronometrados. As especiais em piso de terra, com cascalho solto, são famosas por formarem grandes sulcos à medida que nelas passam mais carros, podendo reservar algumas surpresas aos pilotos, principalmente nas segundas passagens.

Com o mesmo percurso de 2017, o rali vai proporcionar aos pilotos mais assíduos do Campeonato do Mundo uma forte e competitiva medição de forças, pois a grande maioria conhece relativamente bem esses troços, pelo que se avizinha uma luta intensa pelos lugares da frente.

 

O QUE ELES DISSERAM…

Pierre Budar, Diretor da Citroën Racing: Com o Mads de regresso à equipa para esta prova, temos três formações totalmente capazes de obter resultados em linha com os nossos objetivos aqui em Portugal, onde vamos disputar aquele que podemos chamar de primeiro rali em terra ‘convencional’ do ano. Antes do Rali da Argentina, as três formações participaram numa intensiva sessão de testes de seis dias em Portugal, que se revelou bastante produtiva. Com toda a informação recolhida também no último dia de competição na Argentina, estamos totalmente empolgados para a batalha assim que a ação começar."

Kris Meeke: Depois de dois ralis disputados em pisos de terra um pouco particulares, no México e depois na Argentina, o Rali de Portugal será a nossa primeira prova em termos de performance pura. Dado que os troços cronometrados são os mesmos do ano passado, todos temos as notas de navegação e o mesmo conhecimento do percurso. Vou tentar tirar o máximo proveito do meu 6º lugar na ordem de saída para a estrada, na sexta-feira. É um rali de que gosto muito e espero poder, tal como na Argentina, demonstrar os fortes progressos do nosso C3 neste tipo de piso.

Nº de participações na prova: 4 / Melhor resultado: 1º lugar (2016)


 

Craig Breen: Tenho boas recordações de 2017. Fomos bastante rápidos, especialmente na sexta-feira, de tal forma que não estivemos longe de terminar a 1ª Etapa no 1º lugar. Os troços são fantásticos, os fãs são muitos e extremamente entusiastas. Adoraria lutar por um lugar no pódio. Na Argentina andámos perto disso, apesar da nossa falta de experiência, mas desta vez quero estar nesse nível do princípio ao fim, evitar cometer erros e transformar isso tudo num bom resultado.

Nº de participações na prova: 5 / Melhor resultado: 5º lugar (2017)

Mads Ostberg: Estou muito feliz por estar de regresso à equipa depois da minha última prova na Suécia, que parece já ter sido há séculos. Devido a esta longo interregno, talvez precise de algum tempo para reencontrar o ritmo, embora tenha feito uma boa sessão de testes com o C3 WRC antes da Argentina. O ‘feeling’ do carro foi muito bom e senti-me confiante para andar depressa. É claro que o Rali de Portugal é especial para mim, pois é o único que venci na minha carreira no WRC, mas, nessa altura, corria-se no Algarve. A minha abordagem este ano será, talvez por isso, um pouco mais cautelosa, de forma a recuperar a minha forma e chegar ao final sem problemas. Depois estarei pronto para um andamento mais forte na Sardenha.

Nº de participações na prova: 10 / Melhor resultado: 1º lugar (2012)

 

OS NÚMEROS CHAVE DO RALI DE PORTUGAL

{  20 Especiais, totalizando 358,19 km cronometrados

{  40 metros: o comprimento aproximado alcançado pelos carros no famoso salto de Fafe

{  8 vitórias à Geral conquistadas pela Citroën no Rali de Portugal: Francisco Romãozinho em 1969 (Citroën DS Proto), Armindo Araújo em 2003 e 2004 (Citroën Saxo Kit Car), Sébastien Loeb em 2007 e 2009  (C4 WRC), Sébastien Ogier em 2010 (C4 WRC) e 2011 (DS3 WRC) e Kris Meeke em 2016 (DS3 WRC)

{  2015, o ano em que o rali regressou à zona do Porto.

 


 

UM RALI, UM DESAFIO

A alteração do piso entre as passagens

Disputado em pisos com uma componente relativamente elevada de areia, os troços locais são regularmente intervencionados pela organização para lhes assegurar uma suavidade geral na primeira passagem, antes de serem fortemente fustigados nas segundas, principalmente durante a etapa de sexta-feira. As muitas pedras que, inicialmente, estavam alojadas no piso acabam por se soltar, formando-se sulcos cada vez mais profundos, que obrigam as equipas técnicas a ajustar o set-up dos carros – a distância ao solo, por exemplo – ou mesmo a adaptar a escolha de pneus, em função das necessidades, durante as assistências intermédias.

Da parte da tarde, devido ao efeito combinado da degradação do piso e do aumento da temperatura ambiente, em Portugal, as equipas tendem a optar por um compromisso em termos da escolha de pneus, elegendo pneus Michelin com composição mista (macio/duro). Esta abordagem é especialmente importante dado que algumas especiais apresentam secções em alcatrão que podem ser bastante exigentes para os pneus.

 

OS SEGREDOS DA CITROËN

Paul Nagle, Navegador de Kis Meeke, recorda…

"Lembro-me da vitória do Kris em 2016. Fizemos um grande rali, pois lideramos desde a segunda especial até ao final. Foi um desempenho muito mais consistente do que a nossa primeira vitória no WRC, alcançada na Argentina no ano anterior, porque, dessa vez, vencemos os VW, que dominavam o campeonato na altura, e que tinham tido problemas na Argentina. Isto veio na sequência de boas performances em Monte-Carlo e na Suécia durante o programa parcial que cumprimos nessa época, com exceção de que, até esse momento, não tínhamos conseguido transformar o nosso bom desempenho num bom resultado final. Foi também mais um degrau na nossa subida na hierarquia: havia muitas equipas com apenas uma vitória, mas registar um segundo triunfo foi a confirmação de que estávamos no bom caminho e, a partir daí, tornámo-nos bem mais confiantes. O Rali de Portugal é também um dos mais antigos e emblemáticos eventos do Mundial. Recordo-me de chegarmos à especial de Fafe na frente do rali. Foi uma sensação excecional, estarmos rodeados de todos aqueles fãs extremamente calorosos e felizes por nós!”

 

LITTLE BIG RACING – EPISÓDIO 6 

Kris Meeke é o anfitrião do Rali de Portugal, nesta antevisão da prova portuguesa do WRC feita aos comandos de um Citroën C3 WRC à escala: https://www.youtube.com/watch?v=fgiyGhWXoKQ

 


 

PROGRAMA DO RALI DE PORTUGAL

DIA 1 - QUINTA-FEIRA, 17 MAIO


07h30: Shakedown (Paredes)

18h10: Partida (Guimarães)

19h03: ES 1 – Lousada (3,36 km)

20h00: Parque Fechado (Exponor)


 

DIA 2 - SEXTA-FEIRA, 18 MAIO


07h45: Assistência A (Exponor – 19')

09h15: ES 2 – Viana Do Castelo 1 (26,73 km)

10h20: ES 3 – Caminha 1 (18,11 km)

10h53: ES 4 – Ponte De Lima 1 (27,54 km)

13h40: Assistência B (Exponor – 34')

15h25: ES 5 – Viana Do Castelo 2 (26,73 km)

16h30: ES 6 – Caminha 2 (18,11 km)

17h03: ES 7 - Ponte De Lima 2 (27,54 km)

19h03: ES 8 – Porto Street Stage 1 (1,95 km)

19h28: ES 9 – Porto Street Stage 2 (1,95 km)

20h10: Flexi Assistência C (Exponor – 49')


 

DIA 3 - SÁBADO, 19 MAIO


07h15: Assistência D (Exponor – 19')

09h08: ES 10 – Vieira Do Minho 1 (17,50 km)

09h46: ES 11 – Cabeceiras de Basto 1 (22,22 km)

11h05: ES 12 – Amarante 1 (37,60 km)

13h00: Assistência E (Exponor – 34')

15h08: ES 13 – Vieira Do Minho 2 (17,50 km)

15h46: ES 14 – Cabeceiras de Basto 2 (22,22 km)

17h05: ES 15 – Amarante 2 (37,60 km)

19h00: Flexi Assistência F (Exponor – 49')


 

DIA 4 - DOMINGO, 20 MAIO


07h00: Assistência G (Exponor – 19’)

08h35: ES 16 – Montim 1 (8,64 km)

09h08: ES 17 – Fafe 1 (11,18 km)

09h36: ES 18 – Luilhas (11,89 km)

10h35: ES 19 – Montim 2 (8,64 km)

12h18: ES 20 – Fafe 2 - Power Stage (11,18 km)

13h50: Assistência H (Exponor – 14’)

14h20: Chegada / Pódio Final (Matosinhos)


 


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos